SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Baixar para ler offline
XADREZ
Prof. Saulo B. Silva
O Jogo
   O Xadrez é o segundo esporte mais praticado
    no mundo, abaixo apenas do futebol
O Jogo
   O jogo de Xadrez é jogado por dois jogadores
    sobre um tabuleiro de 64 casas de cor clara
    ou escura alternadamente, contando cada um
    com 16 peças diferentes por grupo, na forma,
    no nome e na qualidade.
O Jogo
   A peça mais importante a qual decide a
    partida é denominada REI. E o jogo consiste
    em movimentar as peças como em um
    combate, obedecendo aos princípios e regras
    pré-estabelecidas, com o objetivo de atacar o
    Rei adversário até o ponto em que o mesmo
    não possa mais evitar a conclusão do ataque
    com a ameaça de sua captura. É o chamado
    Xeque-mate
O Jogo
   Cada vez que o Rei é atacado, diz-se que
    está em XEQUE; quando for impossível de ser
    anulado, diz-se XEQUE-MATE
O Jogo
   O xadrez é um jogo especial por combinar
    várias características. Em primeiro lugar, o
    acaso não existe no xadrez: ninguém ganha
    uma partida porque “teve sorte”, nem perde
    porque “teve azar”. Trata-se de um jogo
    movido apenas pelo raciocínio dos dois
    jogadores, que são os únicos responsáveis
    pelo resultado. Nesse sentido, pode ser dito
    que trata-se de um jogo perfeitamente
    existencialista. Nele estamos, como numa
    expressão de Sartre, “sós e sem desculpas”.
O Jogo
   É um jogo de extrema complexidade:
   Apenas os quatro primeiros lances podem
    produzir cerca de 72 mil diferentes posições.
    Os dez primeiros lances podem ser jogados
    de cerca de 170 seguido de 27 zeros
    maneiras diferentes.
   Trata-se, portanto, de um jogo de
    possibilidades inesgotáveis.

170.000.000.000.000.000.000.000.000.000
O Jogo
   O Xadrez é especial por sua antiguidade
    histórica
   Sua origem é incerta.
   Sabe-se que o xadrez é jogado com
    pouquíssimas variações por mais de mil anos
O Jogo
   Tabuleiro: 64 casas;
   Cada Jogador possui 16 peças;
   A peça mais importante é o Rei;
   O jogo acaba quando o Rei sofre um Xeque-
    Mate;
   Xeque: Sempre que o Rei é ameaçado
   Xeque-Mate: Quando o Rei não tem mais
    escapatória
Histórico
   Lenda:
   O Jovem Lahur Sessa inventou o jogo para
    entreter o Rei Iadava que estava em grande
    depressão por haver perdido seu filho,
    Príncipe Adjamir, em uma guerra.
Histórico
   A maioria dos textos sobre a história do
    Xadrez registra que a Chaturanga era
    passatempo dos governantes e se baseava na
    estrutura dos exércitos da Índia, utilizando um
    tabuleiro e tipos diferentes de peças, sendo a
    possibilidade mais próxima de ter originado o
    Xadrez (século VI)
Histórico
Histórico
   O Xadrez é um jogo muito antigo, cheio de
    lendas e mitos. Sua invenção já foi atribuída a
    chineses, egípcios, persas e árabes, porém,
    não há confirmação a partir dos diversos fatos
    históricos até o presente momento
Histórico
   Várias possibilidades de sua origem já foram
    destacadas por historiadores, em diversas
    épocas, desde a apreciação de uma antiga
    pintura egípcia que mostra duas pessoas
    participando de um jogo parecido com o
    Xadrez, cerca de 3.000 anos a.C, lendas,
    como a de Sissa e Caíssa, chegando à
    Chaturanga, praticado em meados do século
    VI, ao norte da Índia.
Histórico
Histórico
Histórico
Histórico
Histórico
Histórico
   Mais tarde teria sido introduzido nos países
    ocidentais por intermédio das invasões árabes
    na busca por novas rotas comerciais.
   Passando por diversos países da Europa, o
    Xadrez foi jogado por grandes reis e, aos
    poucos, veio sofrendo alterações, ganhou
    novas regras e se tornou mais ágil, nascendo
    assim o Xadrez moderno
Histórico
Histórico
   Nasceu provavelmente na Índia com o nome
    de Chaturanga por volta do século VI.
   Era um jogo baseado na estrutura dos
    exércitos da Índia
   A Origem não é certa pois existem lendas e
    até pinturas antigas sobre o xadrez.
   Foi modificando-se aos poucos na Europa até
    chegar ao Xadrez Moderno.
Por que jogar Xadrez?
   É um grande impulsionador da imaginação,
    que também contribui para o desenvolvimento
    da memória, da capacidade de concentração
    e da velocidade de raciocínio
Por que jogar Xadrez?
   O Xadrez é capaz de mostrar as
    conseqüências de atitudes displicentes, que
    não tenham sido previamente calculadas e,
    por conseguinte, estimula o hábito de refletir
    antes de agir, além de ensinar a arcar com as
    responsabilidades dos próprios atos.
Por que jogar Xadrez?
   O Xadrez é uma arte de grande beleza e
    apresenta imensa riqueza de possibilidades. É
    um passatempo agradável e instrutivo que
    entreteve grandes personalidades de nossa
    história como Napoleão, Einstein, Voltaire,
    Goethe, Montesquieu, Benjamin Franklin,
    Victor Hugo, Machado de Assis e Monteiro
    Lobato...
Por que jogar Xadrez?
   Num estudo realizado na ex-Alemanha Oriental, comparando o
    desenvolvimento de grupos de estudantes de diversas idades,
    separando-os em dois grupos: os que jogavam e os que não
    jogavam Xadrez, concluiu-se que:
   O Xadrez estimula a atividade intelectual e estabiliza a
    personalidade de crianças e jovens durante seu crescimento. Isso
    é evidente, sobretudo, na puberdade: crianças que jogam Xadrez
    apresentam menos crises decorrentes das transformações dessa
    fase etária do que as que não jogam.
   O raciocínio lógico e a capacidade de cálculo são estimulados,
    produzindo excelentes resultados no desempenho escolar, com
    destaque particularmente notável nos casos da Física e da
    Matemática.
   Em aspectos gerais, os alunos que jogam Xadrez apresentam
    nítida superioridade em força de vontade, tenacidade, memória
    e concentração.
   O Xadrez ensina a criança a avaliar as consequências dos seus
    atos, tornando-as mais prudentes e responsáveis.
Por que jogar Xadrez?
   Segundo Charles Partos, mestre internacional
    suíço, o aprendizado e a prática do xadrez
    desenvolvem as seguintes habilidades:
Por que jogar Xadrez?
   a atenção e a concentração;
   o julgamento e o planejamento;
   a imaginação e a antecipação;
   a memória;
   a vontade de vencer, a paciência e o
    autocontrole;
   o espírito de decisão e a coragem;
   a lógica matemática, o raciocínio analítico e
    sintético;
   a criatividade;
   a inteligência;
   a organização metódica do estudo;
O Tabuleiro
64 casas
O Tabuleiro
O Tabuleiro
O Tabuleiro
Peças
Disposição das Peças
Movimento das Peças
   Deslocamento – Mover a peça para uma casa
    vazia no tabuleiro
   Captura – Mover a pela para uma casa
    ocupada por uma peça adversária retirando-a
    do tabuleiro
Movimento: Peão

                               Deslocamento: 1 casa
                                para frente




                                     Captura: 1 casa em
                                      diagonal para frente

   Atenção: Ao movimentar um peão pela primeira vez, este por
    realizar um salto de 2 casas
Movimento: Torre
                Deslocamento e Captura:
                 Quantas casas quiser, em
                 linha ou coluna
Movimento: Bispo
               Deslocamento e Captura:
                Quantas casas quiser, em
                diagonal
Movimento: Cavalo
                Deslocamento e Captura:
                 Formando um L de 4
                 casas, capturando a peça
                 que estiver na ultima casa
                 do L




                Obs: O Cavalo é a única peça que
                 pode pular por cima das outras
Movimento: Rainha
               Deslocamento e Captura:
                Quantas casas quiser, em
                coluna, linha ou diagonal
Movimento: Rei
                Deslocamento e Captura:
                 Apenas uma casa, em
                 coluna, linha ou diagonal
Referências
   CASTRO, Pablo Girona. POLLÓN, Óscar Buide. COMBA, César Candal. Xadrez
    para crianças. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2002.

   CASTRO, Celso. Uma história cultural do xadrez. Cadernos de Teoria da
    Comunicação, Rio de Janeiro, v.1, nº2, p.3-12,1994.

   LASKER, Edward. História do xadrez. São Paulo: IBRASA, 1999.

   REZENDE, Sylvio. Xadrez na escola – Uma abordagem didática para
    principiantes. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna, 2002.

   SOUZA, Juliano de; JÚNIOR, Wanderley Marchi. O processo de construção
    teórico metodológica de um objeto de pesquisa em sociologia do esporte: o
    caso do xadrez. Pensar a Prática, Goiânia, v. 15, n. 2, p. 272-550, abr./jun. 2012.

   TAHAN, Malba.O homem que calculava. 65º Ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

   ZLOTNIK, Boris. Curso de xadrez. Porto Alegre: Artmed, 2006.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Regras básicas para iniciantes em xadrez
Regras básicas para iniciantes em xadrezRegras básicas para iniciantes em xadrez
Regras básicas para iniciantes em xadrez
 
Xadrez na escola
Xadrez na escolaXadrez na escola
Xadrez na escola
 
Xadrez
XadrezXadrez
Xadrez
 
Plano de aula xadrez
Plano de aula xadrezPlano de aula xadrez
Plano de aula xadrez
 
Badminton na escola
Badminton na escolaBadminton na escola
Badminton na escola
 
Damas
DamasDamas
Damas
 
Tênis de mesa na escola
Tênis de mesa na escolaTênis de mesa na escola
Tênis de mesa na escola
 
Badminton
BadmintonBadminton
Badminton
 
Apresentação voleibol
Apresentação voleibol Apresentação voleibol
Apresentação voleibol
 
Regras do xadrez
Regras do xadrezRegras do xadrez
Regras do xadrez
 
Handebol na escola
Handebol na escolaHandebol na escola
Handebol na escola
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
 
Xadrez ppt trabalho final
Xadrez ppt trabalho finalXadrez ppt trabalho final
Xadrez ppt trabalho final
 
Regras xadrez
Regras xadrezRegras xadrez
Regras xadrez
 
Sistemas de Disputa -
Sistemas de Disputa - Sistemas de Disputa -
Sistemas de Disputa -
 
Futebol
FutebolFutebol
Futebol
 
Futsal
Futsal Futsal
Futsal
 
Trabalho sobre Badminton - Aconsa
Trabalho sobre Badminton - AconsaTrabalho sobre Badminton - Aconsa
Trabalho sobre Badminton - Aconsa
 
Regras do Jogo de damas
Regras do Jogo de damasRegras do Jogo de damas
Regras do Jogo de damas
 
Regra xadrez
Regra xadrezRegra xadrez
Regra xadrez
 

Semelhante a Xadrez - O jogo e o Histórico

Palestra de xadrez programa escola ativa
Palestra de xadrez programa  escola ativaPalestra de xadrez programa  escola ativa
Palestra de xadrez programa escola ativajosicleiaoliveira
 
Augusto tirado meu primeiro livro de xadrez
Augusto tirado   meu primeiro livro de xadrezAugusto tirado   meu primeiro livro de xadrez
Augusto tirado meu primeiro livro de xadrezEscola do Amanhã
 
Augusto tirado meu primeiro livro de xadrez
Augusto tirado   meu primeiro livro de xadrezAugusto tirado   meu primeiro livro de xadrez
Augusto tirado meu primeiro livro de xadrezCcarlaSlide
 
Xadrez na E.M. Norma Sueli Borges
Xadrez na E.M. Norma Sueli BorgesXadrez na E.M. Norma Sueli Borges
Xadrez na E.M. Norma Sueli Borgespdescola
 
Xadrez na E.M. Norma Sueli Borges
Xadrez na E.M. Norma Sueli BorgesXadrez na E.M. Norma Sueli Borges
Xadrez na E.M. Norma Sueli Borgespdescola
 
Xadrez.vivo.maria carmem
Xadrez.vivo.maria carmemXadrez.vivo.maria carmem
Xadrez.vivo.maria carmemMaria carmem
 
Manual_de_xadrez_2023_-_pdf_(1)_compressed.pdf
Manual_de_xadrez_2023_-_pdf_(1)_compressed.pdfManual_de_xadrez_2023_-_pdf_(1)_compressed.pdf
Manual_de_xadrez_2023_-_pdf_(1)_compressed.pdfxomesix405
 
Apostila de Xadrez NÍVEIS INICIANTES E BÁSICO.pdf
Apostila de Xadrez NÍVEIS INICIANTES E BÁSICO.pdfApostila de Xadrez NÍVEIS INICIANTES E BÁSICO.pdf
Apostila de Xadrez NÍVEIS INICIANTES E BÁSICO.pdfxomesix405
 
Xadrez - Um jogo de liderança
Xadrez - Um jogo de liderançaXadrez - Um jogo de liderança
Xadrez - Um jogo de liderançaThiago Oliveira
 
Itinerante xadrez 2
Itinerante xadrez 2Itinerante xadrez 2
Itinerante xadrez 2profluli
 

Semelhante a Xadrez - O jogo e o Histórico (20)

Palestra de xadrez programa escola ativa
Palestra de xadrez programa  escola ativaPalestra de xadrez programa  escola ativa
Palestra de xadrez programa escola ativa
 
Augusto tirado meu primeiro livro de xadrez
Augusto tirado   meu primeiro livro de xadrezAugusto tirado   meu primeiro livro de xadrez
Augusto tirado meu primeiro livro de xadrez
 
Augusto tirado meu primeiro livro de xadrez
Augusto tirado   meu primeiro livro de xadrezAugusto tirado   meu primeiro livro de xadrez
Augusto tirado meu primeiro livro de xadrez
 
Xadrez na E.M. Norma Sueli Borges
Xadrez na E.M. Norma Sueli BorgesXadrez na E.M. Norma Sueli Borges
Xadrez na E.M. Norma Sueli Borges
 
Xadrez na E.M. Norma Sueli Borges
Xadrez na E.M. Norma Sueli BorgesXadrez na E.M. Norma Sueli Borges
Xadrez na E.M. Norma Sueli Borges
 
Xadrez.vivo.maria carmem
Xadrez.vivo.maria carmemXadrez.vivo.maria carmem
Xadrez.vivo.maria carmem
 
Manual de Xadrez - Novo
Manual de Xadrez - NovoManual de Xadrez - Novo
Manual de Xadrez - Novo
 
Manual Xadrez (novo)
Manual Xadrez (novo)Manual Xadrez (novo)
Manual Xadrez (novo)
 
Manual_de_xadrez_2023_-_pdf_(1)_compressed.pdf
Manual_de_xadrez_2023_-_pdf_(1)_compressed.pdfManual_de_xadrez_2023_-_pdf_(1)_compressed.pdf
Manual_de_xadrez_2023_-_pdf_(1)_compressed.pdf
 
Manual de Xadrez - Antigo
Manual de Xadrez - AntigoManual de Xadrez - Antigo
Manual de Xadrez - Antigo
 
Manual Xadrez (antigo)
Manual Xadrez (antigo)Manual Xadrez (antigo)
Manual Xadrez (antigo)
 
Apostila de Xadrez NÍVEIS INICIANTES E BÁSICO.pdf
Apostila de Xadrez NÍVEIS INICIANTES E BÁSICO.pdfApostila de Xadrez NÍVEIS INICIANTES E BÁSICO.pdf
Apostila de Xadrez NÍVEIS INICIANTES E BÁSICO.pdf
 
Xadrez - Um jogo de liderança
Xadrez - Um jogo de liderançaXadrez - Um jogo de liderança
Xadrez - Um jogo de liderança
 
O x a d r e z cenffor (1)
O  x a d r e z cenffor (1)O  x a d r e z cenffor (1)
O x a d r e z cenffor (1)
 
Itinerante xadrez 2
Itinerante xadrez 2Itinerante xadrez 2
Itinerante xadrez 2
 
Conteudo xadrez
Conteudo xadrezConteudo xadrez
Conteudo xadrez
 
Xadrez
XadrezXadrez
Xadrez
 
Xadrez
XadrezXadrez
Xadrez
 
Jogos de tabuleiro 2012
Jogos de tabuleiro 2012Jogos de tabuleiro 2012
Jogos de tabuleiro 2012
 
Como jogar Xadrez
Como jogar  XadrezComo jogar  Xadrez
Como jogar Xadrez
 

Mais de Prof. Saulo Bezerra (20)

Capoeira.pptx
Capoeira.pptxCapoeira.pptx
Capoeira.pptx
 
Capoeira
CapoeiraCapoeira
Capoeira
 
Jiu-Jitsu
Jiu-JitsuJiu-Jitsu
Jiu-Jitsu
 
Lutas
LutasLutas
Lutas
 
Sistema Muscular.pdf
Sistema Muscular.pdfSistema Muscular.pdf
Sistema Muscular.pdf
 
Sistema Esquelético
Sistema EsqueléticoSistema Esquelético
Sistema Esquelético
 
Sistema Cardiorrespiratório
Sistema CardiorrespiratórioSistema Cardiorrespiratório
Sistema Cardiorrespiratório
 
Alimentação Saudável
Alimentação SaudávelAlimentação Saudável
Alimentação Saudável
 
Historia da Ed. Física no Brasil
Historia da Ed. Física no BrasilHistoria da Ed. Física no Brasil
Historia da Ed. Física no Brasil
 
Historia da Ed. Física
Historia da Ed. FísicaHistoria da Ed. Física
Historia da Ed. Física
 
Primeiros Socorros
Primeiros SocorrosPrimeiros Socorros
Primeiros Socorros
 
Atletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e RegrasAtletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e Regras
 
Anabolizantes e suplementos
Anabolizantes e suplementosAnabolizantes e suplementos
Anabolizantes e suplementos
 
Basquete: História, Regras e Fundamentos
Basquete: História, Regras e FundamentosBasquete: História, Regras e Fundamentos
Basquete: História, Regras e Fundamentos
 
Esportes no Brasil
Esportes no BrasilEsportes no Brasil
Esportes no Brasil
 
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
 
Voleibol: História, regras e fundamentos
Voleibol: História, regras e fundamentosVoleibol: História, regras e fundamentos
Voleibol: História, regras e fundamentos
 
Padrões de Beleza
Padrões de BelezaPadrões de Beleza
Padrões de Beleza
 
O que é Saúde
O que é SaúdeO que é Saúde
O que é Saúde
 
Princípios Básicos da Musculação
Princípios Básicos da MusculaçãoPrincípios Básicos da Musculação
Princípios Básicos da Musculação
 

Último

Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadodanieligomes4
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 

Último (20)

Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 

Xadrez - O jogo e o Histórico

  • 2. O Jogo  O Xadrez é o segundo esporte mais praticado no mundo, abaixo apenas do futebol
  • 3. O Jogo  O jogo de Xadrez é jogado por dois jogadores sobre um tabuleiro de 64 casas de cor clara ou escura alternadamente, contando cada um com 16 peças diferentes por grupo, na forma, no nome e na qualidade.
  • 4. O Jogo  A peça mais importante a qual decide a partida é denominada REI. E o jogo consiste em movimentar as peças como em um combate, obedecendo aos princípios e regras pré-estabelecidas, com o objetivo de atacar o Rei adversário até o ponto em que o mesmo não possa mais evitar a conclusão do ataque com a ameaça de sua captura. É o chamado Xeque-mate
  • 5. O Jogo  Cada vez que o Rei é atacado, diz-se que está em XEQUE; quando for impossível de ser anulado, diz-se XEQUE-MATE
  • 6. O Jogo  O xadrez é um jogo especial por combinar várias características. Em primeiro lugar, o acaso não existe no xadrez: ninguém ganha uma partida porque “teve sorte”, nem perde porque “teve azar”. Trata-se de um jogo movido apenas pelo raciocínio dos dois jogadores, que são os únicos responsáveis pelo resultado. Nesse sentido, pode ser dito que trata-se de um jogo perfeitamente existencialista. Nele estamos, como numa expressão de Sartre, “sós e sem desculpas”.
  • 7. O Jogo  É um jogo de extrema complexidade:  Apenas os quatro primeiros lances podem produzir cerca de 72 mil diferentes posições. Os dez primeiros lances podem ser jogados de cerca de 170 seguido de 27 zeros maneiras diferentes.  Trata-se, portanto, de um jogo de possibilidades inesgotáveis. 170.000.000.000.000.000.000.000.000.000
  • 8. O Jogo  O Xadrez é especial por sua antiguidade histórica  Sua origem é incerta.  Sabe-se que o xadrez é jogado com pouquíssimas variações por mais de mil anos
  • 9. O Jogo  Tabuleiro: 64 casas;  Cada Jogador possui 16 peças;  A peça mais importante é o Rei;  O jogo acaba quando o Rei sofre um Xeque- Mate;  Xeque: Sempre que o Rei é ameaçado  Xeque-Mate: Quando o Rei não tem mais escapatória
  • 10. Histórico  Lenda:  O Jovem Lahur Sessa inventou o jogo para entreter o Rei Iadava que estava em grande depressão por haver perdido seu filho, Príncipe Adjamir, em uma guerra.
  • 11. Histórico  A maioria dos textos sobre a história do Xadrez registra que a Chaturanga era passatempo dos governantes e se baseava na estrutura dos exércitos da Índia, utilizando um tabuleiro e tipos diferentes de peças, sendo a possibilidade mais próxima de ter originado o Xadrez (século VI)
  • 13. Histórico  O Xadrez é um jogo muito antigo, cheio de lendas e mitos. Sua invenção já foi atribuída a chineses, egípcios, persas e árabes, porém, não há confirmação a partir dos diversos fatos históricos até o presente momento
  • 14. Histórico  Várias possibilidades de sua origem já foram destacadas por historiadores, em diversas épocas, desde a apreciação de uma antiga pintura egípcia que mostra duas pessoas participando de um jogo parecido com o Xadrez, cerca de 3.000 anos a.C, lendas, como a de Sissa e Caíssa, chegando à Chaturanga, praticado em meados do século VI, ao norte da Índia.
  • 20. Histórico  Mais tarde teria sido introduzido nos países ocidentais por intermédio das invasões árabes na busca por novas rotas comerciais.  Passando por diversos países da Europa, o Xadrez foi jogado por grandes reis e, aos poucos, veio sofrendo alterações, ganhou novas regras e se tornou mais ágil, nascendo assim o Xadrez moderno
  • 22. Histórico  Nasceu provavelmente na Índia com o nome de Chaturanga por volta do século VI.  Era um jogo baseado na estrutura dos exércitos da Índia  A Origem não é certa pois existem lendas e até pinturas antigas sobre o xadrez.  Foi modificando-se aos poucos na Europa até chegar ao Xadrez Moderno.
  • 23. Por que jogar Xadrez?  É um grande impulsionador da imaginação, que também contribui para o desenvolvimento da memória, da capacidade de concentração e da velocidade de raciocínio
  • 24. Por que jogar Xadrez?  O Xadrez é capaz de mostrar as conseqüências de atitudes displicentes, que não tenham sido previamente calculadas e, por conseguinte, estimula o hábito de refletir antes de agir, além de ensinar a arcar com as responsabilidades dos próprios atos.
  • 25. Por que jogar Xadrez?  O Xadrez é uma arte de grande beleza e apresenta imensa riqueza de possibilidades. É um passatempo agradável e instrutivo que entreteve grandes personalidades de nossa história como Napoleão, Einstein, Voltaire, Goethe, Montesquieu, Benjamin Franklin, Victor Hugo, Machado de Assis e Monteiro Lobato...
  • 26. Por que jogar Xadrez?  Num estudo realizado na ex-Alemanha Oriental, comparando o desenvolvimento de grupos de estudantes de diversas idades, separando-os em dois grupos: os que jogavam e os que não jogavam Xadrez, concluiu-se que:  O Xadrez estimula a atividade intelectual e estabiliza a personalidade de crianças e jovens durante seu crescimento. Isso é evidente, sobretudo, na puberdade: crianças que jogam Xadrez apresentam menos crises decorrentes das transformações dessa fase etária do que as que não jogam.  O raciocínio lógico e a capacidade de cálculo são estimulados, produzindo excelentes resultados no desempenho escolar, com destaque particularmente notável nos casos da Física e da Matemática.  Em aspectos gerais, os alunos que jogam Xadrez apresentam nítida superioridade em força de vontade, tenacidade, memória e concentração.  O Xadrez ensina a criança a avaliar as consequências dos seus atos, tornando-as mais prudentes e responsáveis.
  • 27. Por que jogar Xadrez?  Segundo Charles Partos, mestre internacional suíço, o aprendizado e a prática do xadrez desenvolvem as seguintes habilidades:
  • 28. Por que jogar Xadrez?  a atenção e a concentração;  o julgamento e o planejamento;  a imaginação e a antecipação;  a memória;  a vontade de vencer, a paciência e o autocontrole;  o espírito de decisão e a coragem;  a lógica matemática, o raciocínio analítico e sintético;  a criatividade;  a inteligência;  a organização metódica do estudo;
  • 35. Movimento das Peças  Deslocamento – Mover a peça para uma casa vazia no tabuleiro  Captura – Mover a pela para uma casa ocupada por uma peça adversária retirando-a do tabuleiro
  • 36. Movimento: Peão  Deslocamento: 1 casa para frente  Captura: 1 casa em diagonal para frente  Atenção: Ao movimentar um peão pela primeira vez, este por realizar um salto de 2 casas
  • 37. Movimento: Torre  Deslocamento e Captura: Quantas casas quiser, em linha ou coluna
  • 38. Movimento: Bispo  Deslocamento e Captura: Quantas casas quiser, em diagonal
  • 39. Movimento: Cavalo  Deslocamento e Captura: Formando um L de 4 casas, capturando a peça que estiver na ultima casa do L  Obs: O Cavalo é a única peça que pode pular por cima das outras
  • 40. Movimento: Rainha  Deslocamento e Captura: Quantas casas quiser, em coluna, linha ou diagonal
  • 41. Movimento: Rei  Deslocamento e Captura: Apenas uma casa, em coluna, linha ou diagonal
  • 42. Referências  CASTRO, Pablo Girona. POLLÓN, Óscar Buide. COMBA, César Candal. Xadrez para crianças. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2002.  CASTRO, Celso. Uma história cultural do xadrez. Cadernos de Teoria da Comunicação, Rio de Janeiro, v.1, nº2, p.3-12,1994.  LASKER, Edward. História do xadrez. São Paulo: IBRASA, 1999.  REZENDE, Sylvio. Xadrez na escola – Uma abordagem didática para principiantes. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna, 2002.  SOUZA, Juliano de; JÚNIOR, Wanderley Marchi. O processo de construção teórico metodológica de um objeto de pesquisa em sociologia do esporte: o caso do xadrez. Pensar a Prática, Goiânia, v. 15, n. 2, p. 272-550, abr./jun. 2012.  TAHAN, Malba.O homem que calculava. 65º Ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.  ZLOTNIK, Boris. Curso de xadrez. Porto Alegre: Artmed, 2006.