SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Capoeira
Prof. Saulo Bezerra
História
 A história da capoeira está intimamente ligada à história
dos negros no Brasil;
 Negros submetidos a regime de trabalho de sol a sol
comandados pelo chicote;
 para que o regime escravocrata não entrasse em
colapso, mais castigos e torturas eram aplicados aos
escravos;
História
 Não lhes eram permitido o uso de armas ou práticas de
meio de defesa pessoal;
 Como poderiam se defender estando em tal
inferioridade?
História
 como os escravos africanos não possuíam armas para se
defender dos inimigos, movidos pelo instinto natural de
preservação da vida, descobriram em si mesmos a sua
arma, a arte de bater com o corpo, à semelhança das
brigas dos animais, suas marradas, coices, saltos e
botes;
 Dessa forma nasceu o que hoje chamamos de capoeira;
História
 A capoeira passou a ser praticada escondida;
 Os senhores submetiam a torturas terríveis quem era
pegue praticando capoeira.
 A capoeira passou a ser praticada, na presença de
senhores, como brincadeira ou dança;

 O berimbau servia para dar o ritmo e avisar quando
transformar a luta em dança (na chegada de algum
senhor);
História
 Com o passar do tempo os colonizadores passaram a
perceber o poder da capoeira;
 A qualquer sinal de rebeldia era punido. Depois de
chicoteados, os fujões recebiam um coquetel de
sal, limão e urina nas feridas.
História
 em 1888 foi abolida a escravidão e muitos escravos
foram largados nas ruas sem emprego e a capoeira foi
um dos meios utilizados para a sobrevivência deles.
 mesmo depois de abolida a escravidão, os capoeiristas
continuaram a sofrer perseguições da polícia e eram mal
vistos pela sociedade.

 na sua maioria passam a integrar as já famosas maltas
de capoeira e a criar outras
História

 Em 1890 a capoeira foi considerada “fora da lei” pelo
antigo Código Penal da República.
 2 a 6 meses de prisão a quem ousasse:
 Fazer nas ruas e praças públicas exercício de agilidade e
destreza corporal conhecida pela denominação
capoeiragem: andar em carreiras, com armas ou
instrumentos capazes de produzir lesão corporal,
promovendo tumulto ou desordens, ameaçando pessoa
certa ou incerta, ou incutindo temor de algum mal
História
 Na década de 30, Getúlio Vargas:

 “permitiu a prática (vigiada) da capoeira: somente em
recintos fechados e com alvará da polícia”.
Estilos de Capoeira

Capoeira
Angola

Capoeira
Regional
Capoeira Angola

 Tradicional
 A Capoeira Angola se assemelha a uma graciosa dança
onde a „ginga‟ maliciosa mostra a extraordinária
flexibilidade dos capoeiristas
Capoeira Regional
 Mestre Bimba aproveitou-se de uma antiga luta baiana
(Batuque), da capoeira, e de sua criatividade para criar
o novo estilo que chamou de capoeira regional;
 Com a academia de Bimba começa uma nova época: a
capoeira vai atrair a classe média e a burguesia de
Salvador
Elementos Rítmicos

 Luta ritmada pelos instrumentos e pelas palmas;
Elementos Rítmicos
 Berimbau:
 Um dos instrumentos mais antigos do mundo (originou-se
por volta de 15000 A. C. no continente africano);
 Era utilizado em suas festas

 Pandeiro;
 Reco-Reco;
 Agogô;
 Atabaque;
 Caxixi.
Berimbau
Pandeiro
Reco-Reco
Agogô
Atabaque
Caxixi
Ginga
Au Regional
Au Angola
Rolê
Benção
Ponteira
Meia Lua de Frente
Chapa de Costas
Meia Lua de Compasso
Armada
Martelo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Capoeira
CapoeiraCapoeira
Capoeira
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro   BrasileiraCultura Afro   Brasileira
Cultura Afro Brasileira
 
Lutas.
Lutas.Lutas.
Lutas.
 
Slides ginástica
Slides ginásticaSlides ginástica
Slides ginástica
 
Ginastica rítmica
Ginastica rítmicaGinastica rítmica
Ginastica rítmica
 
Capoeira - historia e regras
Capoeira - historia e regrasCapoeira - historia e regras
Capoeira - historia e regras
 
Apresentação voleibol
Apresentação voleibol Apresentação voleibol
Apresentação voleibol
 
Padroes de beleza
Padroes de belezaPadroes de beleza
Padroes de beleza
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
 
A Dança e seus elementos
A Dança e seus elementosA Dança e seus elementos
A Dança e seus elementos
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasil
 
Lutas - Conceito e Histórico
Lutas - Conceito e HistóricoLutas - Conceito e Histórico
Lutas - Conceito e Histórico
 
Lutas
LutasLutas
Lutas
 
Aula introdução ed. fisica
Aula introdução ed. fisicaAula introdução ed. fisica
Aula introdução ed. fisica
 
Dança de rua
Dança de ruaDança de rua
Dança de rua
 
JOGOS POPULARES , JOGOS DE SALÃO E JOGOS ESPORTIVOS.ppt
JOGOS POPULARES , JOGOS DE SALÃO E JOGOS ESPORTIVOS.pptJOGOS POPULARES , JOGOS DE SALÃO E JOGOS ESPORTIVOS.ppt
JOGOS POPULARES , JOGOS DE SALÃO E JOGOS ESPORTIVOS.ppt
 
Jiu jitsu ed fisica
Jiu jitsu ed fisicaJiu jitsu ed fisica
Jiu jitsu ed fisica
 
Slide história da educação física-blog
Slide história da educação física-blogSlide história da educação física-blog
Slide história da educação física-blog
 
Educação física 6 ano
Educação física 6 anoEducação física 6 ano
Educação física 6 ano
 
Ginástica - Educação Física
Ginástica - Educação FísicaGinástica - Educação Física
Ginástica - Educação Física
 

Semelhante a A História da Capoeira

Semelhante a A História da Capoeira (20)

FLC marlon Trabalho
FLC marlon TrabalhoFLC marlon Trabalho
FLC marlon Trabalho
 
Capoeira
CapoeiraCapoeira
Capoeira
 
Capoeira.pptx
Capoeira.pptxCapoeira.pptx
Capoeira.pptx
 
Quilombo dos Palmares
Quilombo dos PalmaresQuilombo dos Palmares
Quilombo dos Palmares
 
Capoeira
CapoeiraCapoeira
Capoeira
 
Capoeira
CapoeiraCapoeira
Capoeira
 
Capoeira Forum
Capoeira ForumCapoeira Forum
Capoeira Forum
 
Projeto de lei nº 2858 de 2008
Projeto de lei nº 2858 de 2008 Projeto de lei nº 2858 de 2008
Projeto de lei nº 2858 de 2008
 
capoeira.ppsx
capoeira.ppsxcapoeira.ppsx
capoeira.ppsx
 
Capoeira
Capoeira Capoeira
Capoeira
 
Aula capoeira processo histórico
Aula capoeira   processo históricoAula capoeira   processo histórico
Aula capoeira processo histórico
 
Slides 10 curiosidades (Diego e Rhuama) 10.05
Slides 10 curiosidades (Diego e Rhuama) 10.05Slides 10 curiosidades (Diego e Rhuama) 10.05
Slides 10 curiosidades (Diego e Rhuama) 10.05
 
Capoeira
Capoeira Capoeira
Capoeira
 
A representação da capoeira nos romances o cortiço e capitães da areia
A representação da capoeira nos romances o cortiço e capitães da areiaA representação da capoeira nos romances o cortiço e capitães da areia
A representação da capoeira nos romances o cortiço e capitães da areia
 
A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdf
A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdfA escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdf
A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdf
 
01 8º ano história rafa- escravidão 2015
01 8º ano história   rafa- escravidão 201501 8º ano história   rafa- escravidão 2015
01 8º ano história rafa- escravidão 2015
 
A escravidao
A escravidaoA escravidao
A escravidao
 
Capoeira vivi
Capoeira   viviCapoeira   vivi
Capoeira vivi
 
01 8º ano história rafael - escravidão.
01 8º ano história   rafael  - escravidão.01 8º ano história   rafael  - escravidão.
01 8º ano história rafael - escravidão.
 
Cultura afro
Cultura afroCultura afro
Cultura afro
 

Mais de Prof. Saulo Bezerra (20)

Jiu-Jitsu
Jiu-JitsuJiu-Jitsu
Jiu-Jitsu
 
Lutas
LutasLutas
Lutas
 
Sistema Muscular.pdf
Sistema Muscular.pdfSistema Muscular.pdf
Sistema Muscular.pdf
 
Sistema Esquelético
Sistema EsqueléticoSistema Esquelético
Sistema Esquelético
 
Sistema Cardiorrespiratório
Sistema CardiorrespiratórioSistema Cardiorrespiratório
Sistema Cardiorrespiratório
 
Alimentação Saudável
Alimentação SaudávelAlimentação Saudável
Alimentação Saudável
 
Historia da Ed. Física no Brasil
Historia da Ed. Física no BrasilHistoria da Ed. Física no Brasil
Historia da Ed. Física no Brasil
 
Historia da Ed. Física
Historia da Ed. FísicaHistoria da Ed. Física
Historia da Ed. Física
 
Primeiros Socorros
Primeiros SocorrosPrimeiros Socorros
Primeiros Socorros
 
Xadrez
XadrezXadrez
Xadrez
 
Atletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e RegrasAtletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e Regras
 
Anabolizantes e suplementos
Anabolizantes e suplementosAnabolizantes e suplementos
Anabolizantes e suplementos
 
Basquete: História, Regras e Fundamentos
Basquete: História, Regras e FundamentosBasquete: História, Regras e Fundamentos
Basquete: História, Regras e Fundamentos
 
Esportes no Brasil
Esportes no BrasilEsportes no Brasil
Esportes no Brasil
 
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
 
Voleibol: História, regras e fundamentos
Voleibol: História, regras e fundamentosVoleibol: História, regras e fundamentos
Voleibol: História, regras e fundamentos
 
Padrões de Beleza
Padrões de BelezaPadrões de Beleza
Padrões de Beleza
 
O que é Saúde
O que é SaúdeO que é Saúde
O que é Saúde
 
Princípios Básicos da Musculação
Princípios Básicos da MusculaçãoPrincípios Básicos da Musculação
Princípios Básicos da Musculação
 
Sistema Esquelético: questões comentadas
Sistema Esquelético: questões comentadasSistema Esquelético: questões comentadas
Sistema Esquelético: questões comentadas
 

Último

Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 

Último (20)

Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 

A História da Capoeira

  • 2. História  A história da capoeira está intimamente ligada à história dos negros no Brasil;  Negros submetidos a regime de trabalho de sol a sol comandados pelo chicote;  para que o regime escravocrata não entrasse em colapso, mais castigos e torturas eram aplicados aos escravos;
  • 3. História  Não lhes eram permitido o uso de armas ou práticas de meio de defesa pessoal;  Como poderiam se defender estando em tal inferioridade?
  • 4. História  como os escravos africanos não possuíam armas para se defender dos inimigos, movidos pelo instinto natural de preservação da vida, descobriram em si mesmos a sua arma, a arte de bater com o corpo, à semelhança das brigas dos animais, suas marradas, coices, saltos e botes;  Dessa forma nasceu o que hoje chamamos de capoeira;
  • 5. História  A capoeira passou a ser praticada escondida;  Os senhores submetiam a torturas terríveis quem era pegue praticando capoeira.  A capoeira passou a ser praticada, na presença de senhores, como brincadeira ou dança;  O berimbau servia para dar o ritmo e avisar quando transformar a luta em dança (na chegada de algum senhor);
  • 6. História  Com o passar do tempo os colonizadores passaram a perceber o poder da capoeira;  A qualquer sinal de rebeldia era punido. Depois de chicoteados, os fujões recebiam um coquetel de sal, limão e urina nas feridas.
  • 7. História  em 1888 foi abolida a escravidão e muitos escravos foram largados nas ruas sem emprego e a capoeira foi um dos meios utilizados para a sobrevivência deles.  mesmo depois de abolida a escravidão, os capoeiristas continuaram a sofrer perseguições da polícia e eram mal vistos pela sociedade.  na sua maioria passam a integrar as já famosas maltas de capoeira e a criar outras
  • 8. História  Em 1890 a capoeira foi considerada “fora da lei” pelo antigo Código Penal da República.  2 a 6 meses de prisão a quem ousasse:  Fazer nas ruas e praças públicas exercício de agilidade e destreza corporal conhecida pela denominação capoeiragem: andar em carreiras, com armas ou instrumentos capazes de produzir lesão corporal, promovendo tumulto ou desordens, ameaçando pessoa certa ou incerta, ou incutindo temor de algum mal
  • 9. História  Na década de 30, Getúlio Vargas:  “permitiu a prática (vigiada) da capoeira: somente em recintos fechados e com alvará da polícia”.
  • 11. Capoeira Angola  Tradicional  A Capoeira Angola se assemelha a uma graciosa dança onde a „ginga‟ maliciosa mostra a extraordinária flexibilidade dos capoeiristas
  • 12. Capoeira Regional  Mestre Bimba aproveitou-se de uma antiga luta baiana (Batuque), da capoeira, e de sua criatividade para criar o novo estilo que chamou de capoeira regional;  Com a academia de Bimba começa uma nova época: a capoeira vai atrair a classe média e a burguesia de Salvador
  • 13. Elementos Rítmicos  Luta ritmada pelos instrumentos e pelas palmas;
  • 14. Elementos Rítmicos  Berimbau:  Um dos instrumentos mais antigos do mundo (originou-se por volta de 15000 A. C. no continente africano);  Era utilizado em suas festas  Pandeiro;  Reco-Reco;  Agogô;  Atabaque;  Caxixi.
  • 21. Ginga
  • 24. Rolê
  • 27. Meia Lua de Frente
  • 29. Meia Lua de Compasso