SlideShare uma empresa Scribd logo

O que-voce-faz-no-horario-de-trabalho-pedagogico-coletivo-htpc

Artigo da revista Nova Escola a respeito do HTPC

1 de 2
Baixar para ler offline
Blog Questão de Ensino
O que você faz no horário de
trabalho pedagógico coletivo
(HTPC)?
Dentro da jornada de trabalho do professor, dois terços de sua carga
horária devem ser cumpridos na sala de aula e outro terço desse tempo
remunerado é destinado a atividades pedagógicas extraclasse
Neurilene Martins
Dentro da jornada de trabalho do professor, dois terços de sua carga horária devem ser
cumpridos na sala de aula e outro terço desse tempo remunerado é destinado a atividades
pedagógicas extraclasse, para que o docente planeje suas aulas e aperfeiçoar a prática
pedagógica. Esta conquista, garantida na legislação brasileira, recebe o nome de horário de
trabalho pedagógico coletivo (HTPC) ou aula de trabalho pedagógico coletivo (ATPC).
Apesar da importância da formação em contexto de trabalho ser inegável, na prática, há
problemas a serem resolvidos relacionados a espaço, tempo e modo de desenvolvê-la. Em
algumas instituições, o horário destinado ao trabalho coletivo é transformado em dia de folga. Em
outras, esse tempo é visto como uma brecha na rotina para colocar em dia as conversas com os
colegas ou ainda corrigir atividades. E ainda há professores que afirmam não receber a ajuda
necessária nas reuniões, enquanto os coordenadores pedagógicos – principais responsáveis pela
formação continuada na escola – se queixam do baixo nível de comprometimento dos docentes
com o planejamento e a formação.
Em todos esses casos, a escola parece desenhar-se como uma “caixa de ovos”. Essa metáfora,
criada pelo professor americano Dan C. Lortie, da Universidade de Chicago, em 1975, representa
a solidão dos professores que, apesar de aparentarem estar juntos no mesmo ambiente, estão
separados pelas paredes das salas de aula. Diante desses cenários, busco refletir com vocês: por
que um tempo tão significativo para o planejamento estratégico dos professores parece ser uma
tarefa tão polêmica e complexa em alguns contextos? Por que esse direito tem cara de obrigação
para parte dos educadores?
Para reposicionar o HTPC como um espaço de crescimento profissional, é preciso questionar
concepções e práticas tradicionais que levam a um trabalho pedagógico fragmentado e enxergar
a força de dispositivos de formação que incluem os professores em redes de trocas continuadas.
Como diz o educador português António Nóvoa, “a competência coletiva é mais do que o
somatório das competências individuais”.
Defendo que a gestão dessa atividade não seja responsabilidade exclusiva do coordenador
pedagógico. Ela deve ser abordada como interesse de todos os professores, que podem militar
em favor da mudança da cultura institucional e transformar essa agenda em encontros
dialógicos, essenciais e úteis à prática docente.
Para remodelar um projeto de formação de professores, vale questionar:
- O HTPC serve como apoio a sua atividade profissional ou é mais um fator de complicação em
sua vida?
- Os momentos coletivos são organizados com base nos problemas e projetos educativos ou são
tomados por teorias e métodos exteriores?
- As reuniões garantem espaço para o compartilhamento de conhecimentos?
- Quais têm sido as consequências práticas da formação realizada em sua escola?
Deixo com a palavra os sujeitos a quem se destina a formação: vocês, os professores!
Compartilhem nos comentários suas experiências e expectativas sobre o horário de trabalho
pedagógico coletivo.
Um abraço e até a próxima semana,
Neury
Endereço da página:
https://novaescola.org.br/conteudo/37/horario-de-trabalho-coletivo-pedagogico
Publicado em NOVA ESCOLA 01 de Junho de 2016

Recomendados

Reflexão de helena frança
Reflexão de helena françaReflexão de helena frança
Reflexão de helena françahelena frança
 
Reflexão final do módulo trabalho de recuperação
Reflexão final do módulo   trabalho de recuperaçãoReflexão final do módulo   trabalho de recuperação
Reflexão final do módulo trabalho de recuperaçãoapolonianunes
 
Relatório final reflexão critica
Relatório final reflexão criticaRelatório final reflexão critica
Relatório final reflexão criticaManuel Sequeira
 
Reflexão crítica
Reflexão críticaReflexão crítica
Reflexão críticacondelipes01
 
Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Manuel Sequeira
 
Reflexão final e pessoal
Reflexão final e pessoalReflexão final e pessoal
Reflexão final e pessoalAnaigreja
 
Reflexão crítica martinho afonso
Reflexão crítica martinho afonsoReflexão crítica martinho afonso
Reflexão crítica martinho afonsoMarafonso
 
Os caminhos para a formação de professores
Os caminhos para a formação de professoresOs caminhos para a formação de professores
Os caminhos para a formação de professoresGelson Rocha
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alguns registros sobre pauta formativa
Alguns registros sobre pauta formativaAlguns registros sobre pauta formativa
Alguns registros sobre pauta formativaGelson Rocha
 
Reflexão Final - Cátia
Reflexão Final - CátiaReflexão Final - Cátia
Reflexão Final - Cátia'Ines Tavares
 
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão críticaNormas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão críticaCristina Couto Varela
 
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro Vânia Canteiro
 
Pesquisa de satisfação escola ativa módulo ii
Pesquisa de satisfação escola ativa módulo iiPesquisa de satisfação escola ativa módulo ii
Pesquisa de satisfação escola ativa módulo iiAdriana Melo
 
Reflexão crítica final
Reflexão crítica final Reflexão crítica final
Reflexão crítica final martamedeiros
 
Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Manuel Sequeira
 
Pauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aulaPauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aulaGelson Rocha
 

Mais procurados (11)

Relatorio critico
Relatorio criticoRelatorio critico
Relatorio critico
 
Alguns registros sobre pauta formativa
Alguns registros sobre pauta formativaAlguns registros sobre pauta formativa
Alguns registros sobre pauta formativa
 
Reflexão Final - Cátia
Reflexão Final - CátiaReflexão Final - Cátia
Reflexão Final - Cátia
 
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão críticaNormas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
 
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
 
Pesquisa de satisfação escola ativa módulo ii
Pesquisa de satisfação escola ativa módulo iiPesquisa de satisfação escola ativa módulo ii
Pesquisa de satisfação escola ativa módulo ii
 
Reflexão crítica final
Reflexão crítica final Reflexão crítica final
Reflexão crítica final
 
Reflexão Final
Reflexão FinalReflexão Final
Reflexão Final
 
Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3
 
Pauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aulaPauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aula
 
3º MóDulo 1ªParte
3º MóDulo 1ªParte3º MóDulo 1ªParte
3º MóDulo 1ªParte
 

Semelhante a O que-voce-faz-no-horario-de-trabalho-pedagogico-coletivo-htpc

SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010Doralice Jacinto da Silva
 
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...Portal QEdu
 
Artigoeloscoordenadorpedagogico 150430161033-conversion-gate01
Artigoeloscoordenadorpedagogico 150430161033-conversion-gate01Artigoeloscoordenadorpedagogico 150430161033-conversion-gate01
Artigoeloscoordenadorpedagogico 150430161033-conversion-gate01juceli fatima ramos de goés
 
Formação continuada de doscente
Formação continuada de doscenteFormação continuada de doscente
Formação continuada de doscentemarcosrei85
 
Competencias e habilidades_doprofesso
Competencias e habilidades_doprofessoCompetencias e habilidades_doprofesso
Competencias e habilidades_doprofessoangelafreire
 
Trabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogica
Trabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogicaTrabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogica
Trabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogicaIslane Uefs
 
Reflexões : O ato de registrar e Aprender com a prática Pedagógica
Reflexões : O ato de registrar e Aprender com a prática PedagógicaReflexões : O ato de registrar e Aprender com a prática Pedagógica
Reflexões : O ato de registrar e Aprender com a prática PedagógicaLuluroque
 
2. o planejamento do trabalho pedagógico
2. o planejamento do trabalho pedagógico2. o planejamento do trabalho pedagógico
2. o planejamento do trabalho pedagógicoClaudio Lima
 
Para uma formação de professores construída
Para uma formação de professores construídaPara uma formação de professores construída
Para uma formação de professores construídacefaprodematupa
 
Como capacitar professores para o uso do laboratório de informática 2 2015
Como capacitar professores para o uso do laboratório de informática 2  2015Como capacitar professores para o uso do laboratório de informática 2  2015
Como capacitar professores para o uso do laboratório de informática 2 2015cefaprodematupa
 
Orientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógicoOrientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógicofafc17
 
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdfComo-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdfANDREAMAYERVEIGA1
 

Semelhante a O que-voce-faz-no-horario-de-trabalho-pedagogico-coletivo-htpc (20)

Rotina do coordenador Pedagógico
Rotina do coordenador PedagógicoRotina do coordenador Pedagógico
Rotina do coordenador Pedagógico
 
Formador de formadores
Formador de formadoresFormador de formadores
Formador de formadores
 
Formador de formadores
Formador de formadoresFormador de formadores
Formador de formadores
 
solução de problemas
solução de problemassolução de problemas
solução de problemas
 
SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
 
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
 
Artigoeloscoordenadorpedagogico 150430161033-conversion-gate01
Artigoeloscoordenadorpedagogico 150430161033-conversion-gate01Artigoeloscoordenadorpedagogico 150430161033-conversion-gate01
Artigoeloscoordenadorpedagogico 150430161033-conversion-gate01
 
Estagio surper
Estagio surperEstagio surper
Estagio surper
 
Formação continuada de doscente
Formação continuada de doscenteFormação continuada de doscente
Formação continuada de doscente
 
Competencias e habilidades_doprofesso
Competencias e habilidades_doprofessoCompetencias e habilidades_doprofesso
Competencias e habilidades_doprofesso
 
Artigo para corumbá
Artigo para corumbáArtigo para corumbá
Artigo para corumbá
 
Trabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogica
Trabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogicaTrabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogica
Trabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogica
 
Reflexões : O ato de registrar e Aprender com a prática Pedagógica
Reflexões : O ato de registrar e Aprender com a prática PedagógicaReflexões : O ato de registrar e Aprender com a prática Pedagógica
Reflexões : O ato de registrar e Aprender com a prática Pedagógica
 
2. o planejamento do trabalho pedagógico
2. o planejamento do trabalho pedagógico2. o planejamento do trabalho pedagógico
2. o planejamento do trabalho pedagógico
 
Para uma formação de professores construída
Para uma formação de professores construídaPara uma formação de professores construída
Para uma formação de professores construída
 
Como capacitar professores para o uso do laboratório de informática 2 2015
Como capacitar professores para o uso do laboratório de informática 2  2015Como capacitar professores para o uso do laboratório de informática 2  2015
Como capacitar professores para o uso do laboratório de informática 2 2015
 
Profs 1 1
Profs 1 1Profs 1 1
Profs 1 1
 
Orientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógicoOrientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógico
 
Gestescolar2
Gestescolar2Gestescolar2
Gestescolar2
 
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdfComo-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
 

Mais de Rose Tavares

Animais do pantanal
Animais do pantanalAnimais do pantanal
Animais do pantanalRose Tavares
 
Avaliação de fábula o ratinho do campo e o ratinho da cidade
Avaliação de fábula o ratinho do campo e o ratinho da cidadeAvaliação de fábula o ratinho do campo e o ratinho da cidade
Avaliação de fábula o ratinho do campo e o ratinho da cidadeRose Tavares
 
As paisagens e seus elementos
As paisagens e seus elementosAs paisagens e seus elementos
As paisagens e seus elementosRose Tavares
 
A onça e o macaco
A onça e o macacoA onça e o macaco
A onça e o macacoRose Tavares
 
Máscaras mulher gato e mulher maravilha
Máscaras mulher gato e mulher maravilhaMáscaras mulher gato e mulher maravilha
Máscaras mulher gato e mulher maravilhaRose Tavares
 
Máscara homem de ferro
Máscara homem de ferroMáscara homem de ferro
Máscara homem de ferroRose Tavares
 
Máscara capitão américa
Máscara capitão américaMáscara capitão américa
Máscara capitão américaRose Tavares
 
Máscara super herois
Máscara super heroisMáscara super herois
Máscara super heroisRose Tavares
 
Aberturas 3 bimestre - Folclore
Aberturas 3 bimestre - FolcloreAberturas 3 bimestre - Folclore
Aberturas 3 bimestre - FolcloreRose Tavares
 
Avaliacao diagnostica-de-lingua-portuguesa-2º-ano
Avaliacao diagnostica-de-lingua-portuguesa-2º-anoAvaliacao diagnostica-de-lingua-portuguesa-2º-ano
Avaliacao diagnostica-de-lingua-portuguesa-2º-anoRose Tavares
 
Mapa hipoteses-alfa
Mapa hipoteses-alfaMapa hipoteses-alfa
Mapa hipoteses-alfaRose Tavares
 
A raposa e as uvas
A raposa e as uvasA raposa e as uvas
A raposa e as uvasRose Tavares
 
Capa de avaliações
Capa de avaliaçõesCapa de avaliações
Capa de avaliaçõesRose Tavares
 
Alfabeto de-textos-para-alfabetizac3a7c3a3o
Alfabeto de-textos-para-alfabetizac3a7c3a3oAlfabeto de-textos-para-alfabetizac3a7c3a3o
Alfabeto de-textos-para-alfabetizac3a7c3a3oRose Tavares
 
Aberturas 3 bimestre
Aberturas 3 bimestreAberturas 3 bimestre
Aberturas 3 bimestreRose Tavares
 
Aberturas 3ªbimestre
Aberturas 3ªbimestreAberturas 3ªbimestre
Aberturas 3ªbimestreRose Tavares
 
Leitura e escrita ninho de cuco
Leitura e escrita ninho de cucoLeitura e escrita ninho de cuco
Leitura e escrita ninho de cucoRose Tavares
 

Mais de Rose Tavares (20)

Desafios Juninos
Desafios JuninosDesafios Juninos
Desafios Juninos
 
Animais do pantanal
Animais do pantanalAnimais do pantanal
Animais do pantanal
 
Avaliação de fábula o ratinho do campo e o ratinho da cidade
Avaliação de fábula o ratinho do campo e o ratinho da cidadeAvaliação de fábula o ratinho do campo e o ratinho da cidade
Avaliação de fábula o ratinho do campo e o ratinho da cidade
 
As paisagens e seus elementos
As paisagens e seus elementosAs paisagens e seus elementos
As paisagens e seus elementos
 
A onça e o macaco
A onça e o macacoA onça e o macaco
A onça e o macaco
 
Máscaras mulher gato e mulher maravilha
Máscaras mulher gato e mulher maravilhaMáscaras mulher gato e mulher maravilha
Máscaras mulher gato e mulher maravilha
 
Máscara thor
Máscara thorMáscara thor
Máscara thor
 
Máscara hulk
Máscara hulkMáscara hulk
Máscara hulk
 
Máscara homem de ferro
Máscara homem de ferroMáscara homem de ferro
Máscara homem de ferro
 
Máscara capitão américa
Máscara capitão américaMáscara capitão américa
Máscara capitão américa
 
Máscara super herois
Máscara super heroisMáscara super herois
Máscara super herois
 
Aberturas 3 bimestre - Folclore
Aberturas 3 bimestre - FolcloreAberturas 3 bimestre - Folclore
Aberturas 3 bimestre - Folclore
 
Avaliacao diagnostica-de-lingua-portuguesa-2º-ano
Avaliacao diagnostica-de-lingua-portuguesa-2º-anoAvaliacao diagnostica-de-lingua-portuguesa-2º-ano
Avaliacao diagnostica-de-lingua-portuguesa-2º-ano
 
Mapa hipoteses-alfa
Mapa hipoteses-alfaMapa hipoteses-alfa
Mapa hipoteses-alfa
 
A raposa e as uvas
A raposa e as uvasA raposa e as uvas
A raposa e as uvas
 
Capa de avaliações
Capa de avaliaçõesCapa de avaliações
Capa de avaliações
 
Alfabeto de-textos-para-alfabetizac3a7c3a3o
Alfabeto de-textos-para-alfabetizac3a7c3a3oAlfabeto de-textos-para-alfabetizac3a7c3a3o
Alfabeto de-textos-para-alfabetizac3a7c3a3o
 
Aberturas 3 bimestre
Aberturas 3 bimestreAberturas 3 bimestre
Aberturas 3 bimestre
 
Aberturas 3ªbimestre
Aberturas 3ªbimestreAberturas 3ªbimestre
Aberturas 3ªbimestre
 
Leitura e escrita ninho de cuco
Leitura e escrita ninho de cucoLeitura e escrita ninho de cuco
Leitura e escrita ninho de cuco
 

Último

MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...assessoriaff01
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024excellenceeducaciona
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdfCludiaFrancklim
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...azulassessoriaacadem3
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...excellenceeducaciona
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
 

O que-voce-faz-no-horario-de-trabalho-pedagogico-coletivo-htpc

  • 1. Blog Questão de Ensino O que você faz no horário de trabalho pedagógico coletivo (HTPC)? Dentro da jornada de trabalho do professor, dois terços de sua carga horária devem ser cumpridos na sala de aula e outro terço desse tempo remunerado é destinado a atividades pedagógicas extraclasse Neurilene Martins Dentro da jornada de trabalho do professor, dois terços de sua carga horária devem ser cumpridos na sala de aula e outro terço desse tempo remunerado é destinado a atividades pedagógicas extraclasse, para que o docente planeje suas aulas e aperfeiçoar a prática pedagógica. Esta conquista, garantida na legislação brasileira, recebe o nome de horário de trabalho pedagógico coletivo (HTPC) ou aula de trabalho pedagógico coletivo (ATPC). Apesar da importância da formação em contexto de trabalho ser inegável, na prática, há problemas a serem resolvidos relacionados a espaço, tempo e modo de desenvolvê-la. Em algumas instituições, o horário destinado ao trabalho coletivo é transformado em dia de folga. Em outras, esse tempo é visto como uma brecha na rotina para colocar em dia as conversas com os colegas ou ainda corrigir atividades. E ainda há professores que afirmam não receber a ajuda necessária nas reuniões, enquanto os coordenadores pedagógicos – principais responsáveis pela formação continuada na escola – se queixam do baixo nível de comprometimento dos docentes com o planejamento e a formação. Em todos esses casos, a escola parece desenhar-se como uma “caixa de ovos”. Essa metáfora, criada pelo professor americano Dan C. Lortie, da Universidade de Chicago, em 1975, representa
  • 2. a solidão dos professores que, apesar de aparentarem estar juntos no mesmo ambiente, estão separados pelas paredes das salas de aula. Diante desses cenários, busco refletir com vocês: por que um tempo tão significativo para o planejamento estratégico dos professores parece ser uma tarefa tão polêmica e complexa em alguns contextos? Por que esse direito tem cara de obrigação para parte dos educadores? Para reposicionar o HTPC como um espaço de crescimento profissional, é preciso questionar concepções e práticas tradicionais que levam a um trabalho pedagógico fragmentado e enxergar a força de dispositivos de formação que incluem os professores em redes de trocas continuadas. Como diz o educador português António Nóvoa, “a competência coletiva é mais do que o somatório das competências individuais”. Defendo que a gestão dessa atividade não seja responsabilidade exclusiva do coordenador pedagógico. Ela deve ser abordada como interesse de todos os professores, que podem militar em favor da mudança da cultura institucional e transformar essa agenda em encontros dialógicos, essenciais e úteis à prática docente. Para remodelar um projeto de formação de professores, vale questionar: - O HTPC serve como apoio a sua atividade profissional ou é mais um fator de complicação em sua vida? - Os momentos coletivos são organizados com base nos problemas e projetos educativos ou são tomados por teorias e métodos exteriores? - As reuniões garantem espaço para o compartilhamento de conhecimentos? - Quais têm sido as consequências práticas da formação realizada em sua escola? Deixo com a palavra os sujeitos a quem se destina a formação: vocês, os professores! Compartilhem nos comentários suas experiências e expectativas sobre o horário de trabalho pedagógico coletivo. Um abraço e até a próxima semana, Neury Endereço da página: https://novaescola.org.br/conteudo/37/horario-de-trabalho-coletivo-pedagogico Publicado em NOVA ESCOLA 01 de Junho de 2016