SlideShare uma empresa Scribd logo
CREAS - Serviços
Quais os serviços podem ser ofertados no CREAS?
De acordo com a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais, pactuada na
Comissão Intergestores Tripartite – CIT, e aprovada pelo Conselho Nacional de Assistência
Social, por meio da Resolução Nº 109 de 11 de dezembro de 2009, o CREAS pode ofertar os
seguintes serviços:
Nome do Serviço Descrição do Serviço Unidade de Oferta do Serviço
Serviço de Proteção e
Atendimento Especializado
a Famílias e Indivíduos –
PAEFI
Serviço de apoio, orientação e
acompanhamento a famílias
com um ou mais de seus
membros em situação de
ameaça e violação de direitos.
Deve ser ofertado por toda
Unidade CREAS.
Serviço de Proteção Social
a Adolescentes em
Cumprimento de Medida
Socioeducativa de
Liberdade Assistida e de
Prestação de Serviços à
Comunidade
O Serviço tem por finalidade
prover atenção socioassistencial
e acompanhamento a
adolescentes e jovens em
cumprimento de medidas
socioeducativas em meio
aberto, determinadas
judicialmente.
Deve ser ofertado pelo
CREAS, nas localidades onde
se identificar demanda,
podendo referenciar serviços
complementares. No caso de
possuir mais de uma Unidade
CREAS, o município tem
autonomia para a definição
daquelas unidades que
deverão ofertar este Serviço,
observada a relação com o
território.
Serviço Especializado em
Abordagem Social
O Serviço tem como finalidade
assegurar trabalho social de
abordagem e busca ativa que
identifique, nos territórios, a
incidência de trabalho infantil,
exploração sexual de crianças e
adolescentes, situação de rua,
dentre outras.
Pode ser ofertado pelo
CREAS ou unidade específica
referenciada ao CREAS, nos
territórios onde se identificar
demanda.
Pode ser ofertado também nos
Centros POP, de acordo coma
definição do órgão gestor
local.
Serviço de Proteção Social
Especial para Pessoas com
Deficiência, Idosas e suas
Famílias
Serviço destinado à promoção
de atendimento especializado a
famílias com pessoas com
deficiência e idosos com algum
grau de dependência, que
tiveram suas limitações agravas
por violações de direito.
Pode ser ofertado pelo
CREAS ou unidade específica
referenciada ao CREAS, nos
territórios onde se identificar
demanda.
Quais são os objetivos da atenção ofertada pelos serviços do CREAS
Os serviços ofertados pelo CREAS devem propiciar acolhida e escuta
qualificada, visando, dentre outros aspectos:
 Ao fortalecimento da função protetiva da família;
 À interrupção de padrões de relacionamento familiares e comunitários com
violação de direitos;
 À potencialização dos recursos para a superação da situação vivenciada e
reconstrução de relacionamentos familiares, comunitários e com o contexto
social, ou construção de novas referências, quando for o caso;
 Ao acesso das famílias e indivíduos a direitos socioassistenciais e à rede de
proteção social;
 Ao exercício do protagonismo e da participação social; e
 À prevenção de agravamentos e da institucionalização.
Quais são as principais ações/atividades que constituem o trabalho social essencial aos
serviços a serem realizadas pela equipe do CREAS?
As principais ações/atividades que constituem o trabalho social essencial ao serviço e
que devem ser realizadas pelos profissionais do CREAS são: Acolhida; escuta; estudo social;
diagnóstico socioeconômico; monitoramento e avaliação do serviço; orientação e
encaminhamentos para a rede de serviços locais; construção de plano individual e/ou familiar
de atendimento; orientação sócio-familiar; atendimento psicossocial; orientação jurídico-
social; referência e contra-referência; informação, comunicação e defesa de direitos; apoio à
família na sua função protetiva; acesso à documentação pessoal; mobilização, identificação da
família extensa ou ampliada; articulação da rede de serviços socioassistenciais; articulação
com os serviços de outras políticas públicas setoriais; articulação interinstitucional com os
demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos; mobilização para o exercício da cidadania;
trabalho interdisciplinar; cadastramento das organizações e dos serviços socioassistenciais;
elaboração de relatórios e/ou prontuários; estímulo ao convívio familiar, grupal e social;
mobilização e fortalecimento do convívio e de redes sociais de apoio; produção de orientações
técnicas e materiais informativos; organização de banco de dados e informações sobre o
serviço, sobre organizações governamentais e não governamentais e sobre o Sistema de
Garantia de Direitos; dentre outros.
Qual público deve ser atendido no CREAS?
Nos serviços ofertados pelo CREAS podem ser atendidas famílias e indivíduos
em situação de risco pessoal e social, por violação de direitos, em conformidade com
as demandas identificadas no território, tais como: violência física, psicológica e
negligência; violência sexual: abuso e/ou exploração sexual; afastamento do convívio
familiar devido à aplicação de medida de proteção; situação de rua; abandono;
vivência de trabalho infantil; discriminação em decorrência da orientação sexual e/ou
raça/etnia; descumprimento de condicionalidades do Programa Bolsa Família e do
PETI em decorrência de situações de risco pessoal e social, por violação de direitos,
cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto de Liberdade Assistida e de
Prestação de Serviços à Comunidade por adolescentes, dentre outras.
Acesse aqui a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais
http://www.mds.gov.br/assistenciasocial/secretaria-nacional-de-assistencia-social-
snas/livros/tipificacao-nacional-de-servicos-socioassistenciais/tipificacao-nacional-dos-
servicos-socioassistenciais
Acesse aqui a Cartilha Perguntas e Respostas: CREAS
http://www.mds.gov.br/assistenciasocial/secretaria-nacional-de-assistencia-social-
snas/cartilhas/perguntas-e-respostas-centro-de-referencia-especializado-de-assistencia-social-
creas/03-livreto-perguntas-respostascreas-impressao-20-12.pdf
Acesse aqui o Caderno Orientações Técnicas: CREAS
http://www.mds.gov.br/assistenciasocial/secretaria-nacional-de-assistencia-social-
snas/cadernos/orientacoes-tecnicas-centro-de-referencia-especializado-de-assistencia-social-
creas-1/04-caderno-creas-final-dez..pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cartilha Perguntas e Resposta do CREAS
Cartilha Perguntas e Resposta do CREASCartilha Perguntas e Resposta do CREAS
Cartilha Perguntas e Resposta do CREAS
Rosane Domingues
 
Modelo parecer social
Modelo  parecer socialModelo  parecer social
Modelo parecer social
Rosane Domingues
 
08 plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
08   plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos08   plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
08 plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
Janaina Anjos
 
Apresentação serviços social
Apresentação serviços socialApresentação serviços social
Apresentação serviços social
jorge luiz dos santos de souza
 
Livreto creas
Livreto creasLivreto creas
Livreto creas
Rosane Domingues
 
Suas, cras, creas
Suas, cras, creasSuas, cras, creas
Suas, cras, creas
Rosane Domingues
 
O papel do assistente social na saúde pública
O papel do assistente social na saúde públicaO papel do assistente social na saúde pública
O papel do assistente social na saúde pública
Rosane Domingues
 
Informe esclarecimento sobre a atuação do creas.
Informe esclarecimento sobre a atuação do creas.Informe esclarecimento sobre a atuação do creas.
Informe esclarecimento sobre a atuação do creas.
Janaina Anjos
 
Cras paif
Cras paifCras paif
Cras paif
leilymoura
 
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez.
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez.Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez.
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez.
Onésimo Remígio
 
COMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSCOMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOS
Daiane Daine
 
Serviços do CRAS
Serviços do CRASServiços do CRAS
Serviços do CRAS
Daniele Aguiar Oliveira
 
O trabalho do assistente social no SUAS
O trabalho do assistente social no SUASO trabalho do assistente social no SUAS
O trabalho do assistente social no SUAS
Rosane Domingues
 
Acolhimento no SCFV
Acolhimento no SCFVAcolhimento no SCFV
Acolhimento no SCFV
Joelson Honoratto
 
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
Apresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPARApresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPAR
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
Ana Patricia Fernandes Oliveira
 
CRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
CRAS - Centro de Referencia de Assistência SocialCRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
CRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
Allan Shinkoda
 
Caderno Do Cras Internet[1][1]
Caderno Do Cras Internet[1][1]Caderno Do Cras Internet[1][1]
Caderno Do Cras Internet[1][1]
Maria Gold
 
Relatorio das Ações realizadas na Assistência Social no mês de Abril de 2018
Relatorio das Ações realizadas na Assistência Social no mês de Abril de 2018Relatorio das Ações realizadas na Assistência Social no mês de Abril de 2018
Relatorio das Ações realizadas na Assistência Social no mês de Abril de 2018
Geraldina Braga
 
Paif e scfv
Paif e scfvPaif e scfv
Paif e scfv
Joelson Honoratto
 
Scfv 6 a 15 anos apresentacao (1)
Scfv 6 a 15 anos apresentacao (1)Scfv 6 a 15 anos apresentacao (1)
Scfv 6 a 15 anos apresentacao (1)
Joelson Honoratto
 

Mais procurados (20)

Cartilha Perguntas e Resposta do CREAS
Cartilha Perguntas e Resposta do CREASCartilha Perguntas e Resposta do CREAS
Cartilha Perguntas e Resposta do CREAS
 
Modelo parecer social
Modelo  parecer socialModelo  parecer social
Modelo parecer social
 
08 plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
08   plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos08   plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
08 plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
 
Apresentação serviços social
Apresentação serviços socialApresentação serviços social
Apresentação serviços social
 
Livreto creas
Livreto creasLivreto creas
Livreto creas
 
Suas, cras, creas
Suas, cras, creasSuas, cras, creas
Suas, cras, creas
 
O papel do assistente social na saúde pública
O papel do assistente social na saúde públicaO papel do assistente social na saúde pública
O papel do assistente social na saúde pública
 
Informe esclarecimento sobre a atuação do creas.
Informe esclarecimento sobre a atuação do creas.Informe esclarecimento sobre a atuação do creas.
Informe esclarecimento sobre a atuação do creas.
 
Cras paif
Cras paifCras paif
Cras paif
 
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez.
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez.Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez.
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez.
 
COMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSCOMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOS
 
Serviços do CRAS
Serviços do CRASServiços do CRAS
Serviços do CRAS
 
O trabalho do assistente social no SUAS
O trabalho do assistente social no SUASO trabalho do assistente social no SUAS
O trabalho do assistente social no SUAS
 
Acolhimento no SCFV
Acolhimento no SCFVAcolhimento no SCFV
Acolhimento no SCFV
 
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
Apresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPARApresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPAR
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
 
CRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
CRAS - Centro de Referencia de Assistência SocialCRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
CRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
 
Caderno Do Cras Internet[1][1]
Caderno Do Cras Internet[1][1]Caderno Do Cras Internet[1][1]
Caderno Do Cras Internet[1][1]
 
Relatorio das Ações realizadas na Assistência Social no mês de Abril de 2018
Relatorio das Ações realizadas na Assistência Social no mês de Abril de 2018Relatorio das Ações realizadas na Assistência Social no mês de Abril de 2018
Relatorio das Ações realizadas na Assistência Social no mês de Abril de 2018
 
Paif e scfv
Paif e scfvPaif e scfv
Paif e scfv
 
Scfv 6 a 15 anos apresentacao (1)
Scfv 6 a 15 anos apresentacao (1)Scfv 6 a 15 anos apresentacao (1)
Scfv 6 a 15 anos apresentacao (1)
 

Destaque

Plano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloPlano de ação - Modelo
Plano de ação - Modelo
Daniel Santos
 
Plano de ação
Plano de açãoPlano de ação
Plano de ação
PMY TECNOLOGIA LTDA
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
straraposa
 
Slide creas PSC E LA
Slide creas  PSC E LASlide creas  PSC E LA
Slide creas PSC E LA
Lorene Ramos
 
Orientações tecnicas creas
Orientações tecnicas creasOrientações tecnicas creas
Orientações tecnicas creas
Rosane Domingues
 
Jornada de estudos da SEMASC / Baraúna - CREAS
Jornada de estudos da SEMASC / Baraúna - CREASJornada de estudos da SEMASC / Baraúna - CREAS
Jornada de estudos da SEMASC / Baraúna - CREAS
Fatima Lima
 
LOGOMARCA CREAS
LOGOMARCA CREASLOGOMARCA CREAS
Creas rh
Creas  rhCreas  rh
Proposta de Logomarca para Congregação das Irmãs de Santa Catarina
Proposta de Logomarca para Congregação das Irmãs de Santa CatarinaProposta de Logomarca para Congregação das Irmãs de Santa Catarina
Proposta de Logomarca para Congregação das Irmãs de Santa Catarina
Marcelo de Menezes
 
06 ficha de evolução de atendimento
06   ficha de evolução de atendimento06   ficha de evolução de atendimento
06 ficha de evolução de atendimento
Janaina Anjos
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
Edilania Batalha Batalha
 
Cartilha paif 2016- articulação necessária na proteção social básica
Cartilha paif   2016- articulação necessária na proteção social básicaCartilha paif   2016- articulação necessária na proteção social básica
Cartilha paif 2016- articulação necessária na proteção social básica
Rosane Domingues
 
Cnmp Voto 488
Cnmp Voto 488Cnmp Voto 488
Cnmp Voto 488
ALEXANDRE MATZENBACHER
 
Ciclo de Formación a las Autoridades del Mides. Desafíos de la integralidad y...
Ciclo de Formación a las Autoridades del Mides. Desafíos de la integralidad y...Ciclo de Formación a las Autoridades del Mides. Desafíos de la integralidad y...
Ciclo de Formación a las Autoridades del Mides. Desafíos de la integralidad y...
EUROsociAL II
 
Organização do Registro de Informações Cras e Creas
Organização do Registro de Informações Cras e CreasOrganização do Registro de Informações Cras e Creas
Organização do Registro de Informações Cras e Creas
Edson De Souza
 
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez. (1)
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez. (1)Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez. (1)
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez. (1)
Onésimo Remígio
 
Guia de orientação CREAS
Guia de orientação CREASGuia de orientação CREAS
Guia de orientação CREAS
Rosane Domingues
 

Destaque (17)

Plano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloPlano de ação - Modelo
Plano de ação - Modelo
 
Plano de ação
Plano de açãoPlano de ação
Plano de ação
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
 
Slide creas PSC E LA
Slide creas  PSC E LASlide creas  PSC E LA
Slide creas PSC E LA
 
Orientações tecnicas creas
Orientações tecnicas creasOrientações tecnicas creas
Orientações tecnicas creas
 
Jornada de estudos da SEMASC / Baraúna - CREAS
Jornada de estudos da SEMASC / Baraúna - CREASJornada de estudos da SEMASC / Baraúna - CREAS
Jornada de estudos da SEMASC / Baraúna - CREAS
 
LOGOMARCA CREAS
LOGOMARCA CREASLOGOMARCA CREAS
LOGOMARCA CREAS
 
Creas rh
Creas  rhCreas  rh
Creas rh
 
Proposta de Logomarca para Congregação das Irmãs de Santa Catarina
Proposta de Logomarca para Congregação das Irmãs de Santa CatarinaProposta de Logomarca para Congregação das Irmãs de Santa Catarina
Proposta de Logomarca para Congregação das Irmãs de Santa Catarina
 
06 ficha de evolução de atendimento
06   ficha de evolução de atendimento06   ficha de evolução de atendimento
06 ficha de evolução de atendimento
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
 
Cartilha paif 2016- articulação necessária na proteção social básica
Cartilha paif   2016- articulação necessária na proteção social básicaCartilha paif   2016- articulação necessária na proteção social básica
Cartilha paif 2016- articulação necessária na proteção social básica
 
Cnmp Voto 488
Cnmp Voto 488Cnmp Voto 488
Cnmp Voto 488
 
Ciclo de Formación a las Autoridades del Mides. Desafíos de la integralidad y...
Ciclo de Formación a las Autoridades del Mides. Desafíos de la integralidad y...Ciclo de Formación a las Autoridades del Mides. Desafíos de la integralidad y...
Ciclo de Formación a las Autoridades del Mides. Desafíos de la integralidad y...
 
Organização do Registro de Informações Cras e Creas
Organização do Registro de Informações Cras e CreasOrganização do Registro de Informações Cras e Creas
Organização do Registro de Informações Cras e Creas
 
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez. (1)
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez. (1)Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez. (1)
Base tecnica curso_creas_importantissimo_caderno-creas-final-dez. (1)
 
Guia de orientação CREAS
Guia de orientação CREASGuia de orientação CREAS
Guia de orientação CREAS
 

Semelhante a Creas serviços

Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
Educação
 
Apres. creas
Apres. creasApres. creas
Apres. creas
Débora Lima
 
Tipificao
TipificaoTipificao
2 tipificação nacional
2  tipificação nacional2  tipificação nacional
2 tipificação nacional
Alinebrauna Brauna
 
Tipificacao nacional de servicos socioassistenciais
Tipificacao nacional de servicos socioassistenciaisTipificacao nacional de servicos socioassistenciais
Tipificacao nacional de servicos socioassistenciais
Alisson Marcolino
 
2 cartilha os direitos das crianças autistas no amazonas
2 cartilha os direitos das crianças autistas no amazonas2 cartilha os direitos das crianças autistas no amazonas
2 cartilha os direitos das crianças autistas no amazonas
SimoneHelenDrumond
 
Plano de-trabalho-abrigo-de-idosos-2018 modelo
Plano de-trabalho-abrigo-de-idosos-2018 modeloPlano de-trabalho-abrigo-de-idosos-2018 modelo
Plano de-trabalho-abrigo-de-idosos-2018 modelo
Rita Silva
 
Slide Saúde Coletiva - Cras
Slide Saúde Coletiva  - CrasSlide Saúde Coletiva  - Cras
Slide Saúde Coletiva - Cras
Helena Damasceno
 
Tipificaonssocioassistenciais
TipificaonssocioassistenciaisTipificaonssocioassistenciais
Tipificaonssocioassistenciais
Maria Gold
 
Agente Social No Cras
Agente Social No CrasAgente Social No Cras
Agente Social No Cras
Maria Gold
 
Tipificaonssocioassistenciais
TipificaonssocioassistenciaisTipificaonssocioassistenciais
Tipificaonssocioassistenciais
Maria Gold
 
Tipificação socioassistenciais
Tipificação socioassistenciaisTipificação socioassistenciais
Tipificação socioassistenciais
Abrato-SC
 
Agente Social No Cras
Agente Social No CrasAgente Social No Cras
Agente Social No Cras
Maria Gold
 
Agente Social No Cras
Agente Social No CrasAgente Social No Cras
Agente Social No Cras
Maria Gold
 
Scfv para idosos
Scfv para idososScfv para idosos
Scfv para idosos
Joelson Honoratto
 
TCC - Idosos
TCC - IdososTCC - Idosos
Cartilha cmas
Cartilha cmasCartilha cmas
A politica de_assistencia_social_e_o_suas
A politica de_assistencia_social_e_o_suasA politica de_assistencia_social_e_o_suas
A politica de_assistencia_social_e_o_suas
patriciakvg
 
A politica de_assistencia_social_e_o_suas
A politica de_assistencia_social_e_o_suasA politica de_assistencia_social_e_o_suas
A politica de_assistencia_social_e_o_suas
patriciakvg
 
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2 -apresentação final
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2 -apresentação finalA importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2 -apresentação final
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2 -apresentação final
Heloísa Ximenes
 

Semelhante a Creas serviços (20)

Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
 
Apres. creas
Apres. creasApres. creas
Apres. creas
 
Tipificao
TipificaoTipificao
Tipificao
 
2 tipificação nacional
2  tipificação nacional2  tipificação nacional
2 tipificação nacional
 
Tipificacao nacional de servicos socioassistenciais
Tipificacao nacional de servicos socioassistenciaisTipificacao nacional de servicos socioassistenciais
Tipificacao nacional de servicos socioassistenciais
 
2 cartilha os direitos das crianças autistas no amazonas
2 cartilha os direitos das crianças autistas no amazonas2 cartilha os direitos das crianças autistas no amazonas
2 cartilha os direitos das crianças autistas no amazonas
 
Plano de-trabalho-abrigo-de-idosos-2018 modelo
Plano de-trabalho-abrigo-de-idosos-2018 modeloPlano de-trabalho-abrigo-de-idosos-2018 modelo
Plano de-trabalho-abrigo-de-idosos-2018 modelo
 
Slide Saúde Coletiva - Cras
Slide Saúde Coletiva  - CrasSlide Saúde Coletiva  - Cras
Slide Saúde Coletiva - Cras
 
Tipificaonssocioassistenciais
TipificaonssocioassistenciaisTipificaonssocioassistenciais
Tipificaonssocioassistenciais
 
Agente Social No Cras
Agente Social No CrasAgente Social No Cras
Agente Social No Cras
 
Tipificaonssocioassistenciais
TipificaonssocioassistenciaisTipificaonssocioassistenciais
Tipificaonssocioassistenciais
 
Tipificação socioassistenciais
Tipificação socioassistenciaisTipificação socioassistenciais
Tipificação socioassistenciais
 
Agente Social No Cras
Agente Social No CrasAgente Social No Cras
Agente Social No Cras
 
Agente Social No Cras
Agente Social No CrasAgente Social No Cras
Agente Social No Cras
 
Scfv para idosos
Scfv para idososScfv para idosos
Scfv para idosos
 
TCC - Idosos
TCC - IdososTCC - Idosos
TCC - Idosos
 
Cartilha cmas
Cartilha cmasCartilha cmas
Cartilha cmas
 
A politica de_assistencia_social_e_o_suas
A politica de_assistencia_social_e_o_suasA politica de_assistencia_social_e_o_suas
A politica de_assistencia_social_e_o_suas
 
A politica de_assistencia_social_e_o_suas
A politica de_assistencia_social_e_o_suasA politica de_assistencia_social_e_o_suas
A politica de_assistencia_social_e_o_suas
 
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2 -apresentação final
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2 -apresentação finalA importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2 -apresentação final
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2 -apresentação final
 

Mais de Rosane Domingues

Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Rosane Domingues
 
Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia
Rosane Domingues
 
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - InovaAcolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
Rosane Domingues
 
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELOAcolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
Rosane Domingues
 
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
Rosane Domingues
 
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
Rosane Domingues
 
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Rosane Domingues
 
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Rosane Domingues
 
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Rosane Domingues
 
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
Rosane Domingues
 
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
Rosane Domingues
 
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIALMANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
Rosane Domingues
 
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
Rosane Domingues
 
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
Rosane Domingues
 
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
Plano municipal - CULTURA- social  - 2012Plano municipal - CULTURA- social  - 2012
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
Rosane Domingues
 
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
Rosane Domingues
 

Mais de Rosane Domingues (20)

Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
 
Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia
 
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - InovaAcolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
 
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELOAcolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
 
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
 
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
 
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
 
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
 
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
 
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
 
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
 
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIALMANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
 
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
 
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
 
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
Plano municipal - CULTURA- social  - 2012Plano municipal - CULTURA- social  - 2012
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
 
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
 
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
 
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
 
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
 
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
 

Último

O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 

Último (20)

O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 

Creas serviços

  • 1. CREAS - Serviços Quais os serviços podem ser ofertados no CREAS? De acordo com a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais, pactuada na Comissão Intergestores Tripartite – CIT, e aprovada pelo Conselho Nacional de Assistência Social, por meio da Resolução Nº 109 de 11 de dezembro de 2009, o CREAS pode ofertar os seguintes serviços: Nome do Serviço Descrição do Serviço Unidade de Oferta do Serviço Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos – PAEFI Serviço de apoio, orientação e acompanhamento a famílias com um ou mais de seus membros em situação de ameaça e violação de direitos. Deve ser ofertado por toda Unidade CREAS. Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida e de Prestação de Serviços à Comunidade O Serviço tem por finalidade prover atenção socioassistencial e acompanhamento a adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto, determinadas judicialmente. Deve ser ofertado pelo CREAS, nas localidades onde se identificar demanda, podendo referenciar serviços complementares. No caso de possuir mais de uma Unidade CREAS, o município tem autonomia para a definição daquelas unidades que deverão ofertar este Serviço, observada a relação com o território. Serviço Especializado em Abordagem Social O Serviço tem como finalidade assegurar trabalho social de abordagem e busca ativa que identifique, nos territórios, a incidência de trabalho infantil, exploração sexual de crianças e adolescentes, situação de rua, dentre outras. Pode ser ofertado pelo CREAS ou unidade específica referenciada ao CREAS, nos territórios onde se identificar demanda. Pode ser ofertado também nos Centros POP, de acordo coma definição do órgão gestor local. Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas com Deficiência, Idosas e suas Famílias Serviço destinado à promoção de atendimento especializado a famílias com pessoas com deficiência e idosos com algum grau de dependência, que tiveram suas limitações agravas por violações de direito. Pode ser ofertado pelo CREAS ou unidade específica referenciada ao CREAS, nos territórios onde se identificar demanda.
  • 2. Quais são os objetivos da atenção ofertada pelos serviços do CREAS Os serviços ofertados pelo CREAS devem propiciar acolhida e escuta qualificada, visando, dentre outros aspectos:  Ao fortalecimento da função protetiva da família;  À interrupção de padrões de relacionamento familiares e comunitários com violação de direitos;  À potencialização dos recursos para a superação da situação vivenciada e reconstrução de relacionamentos familiares, comunitários e com o contexto social, ou construção de novas referências, quando for o caso;  Ao acesso das famílias e indivíduos a direitos socioassistenciais e à rede de proteção social;  Ao exercício do protagonismo e da participação social; e  À prevenção de agravamentos e da institucionalização. Quais são as principais ações/atividades que constituem o trabalho social essencial aos serviços a serem realizadas pela equipe do CREAS? As principais ações/atividades que constituem o trabalho social essencial ao serviço e que devem ser realizadas pelos profissionais do CREAS são: Acolhida; escuta; estudo social; diagnóstico socioeconômico; monitoramento e avaliação do serviço; orientação e encaminhamentos para a rede de serviços locais; construção de plano individual e/ou familiar de atendimento; orientação sócio-familiar; atendimento psicossocial; orientação jurídico- social; referência e contra-referência; informação, comunicação e defesa de direitos; apoio à família na sua função protetiva; acesso à documentação pessoal; mobilização, identificação da família extensa ou ampliada; articulação da rede de serviços socioassistenciais; articulação com os serviços de outras políticas públicas setoriais; articulação interinstitucional com os demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos; mobilização para o exercício da cidadania; trabalho interdisciplinar; cadastramento das organizações e dos serviços socioassistenciais; elaboração de relatórios e/ou prontuários; estímulo ao convívio familiar, grupal e social; mobilização e fortalecimento do convívio e de redes sociais de apoio; produção de orientações técnicas e materiais informativos; organização de banco de dados e informações sobre o serviço, sobre organizações governamentais e não governamentais e sobre o Sistema de Garantia de Direitos; dentre outros. Qual público deve ser atendido no CREAS? Nos serviços ofertados pelo CREAS podem ser atendidas famílias e indivíduos em situação de risco pessoal e social, por violação de direitos, em conformidade com as demandas identificadas no território, tais como: violência física, psicológica e negligência; violência sexual: abuso e/ou exploração sexual; afastamento do convívio familiar devido à aplicação de medida de proteção; situação de rua; abandono; vivência de trabalho infantil; discriminação em decorrência da orientação sexual e/ou raça/etnia; descumprimento de condicionalidades do Programa Bolsa Família e do PETI em decorrência de situações de risco pessoal e social, por violação de direitos,
  • 3. cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto de Liberdade Assistida e de Prestação de Serviços à Comunidade por adolescentes, dentre outras. Acesse aqui a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais http://www.mds.gov.br/assistenciasocial/secretaria-nacional-de-assistencia-social- snas/livros/tipificacao-nacional-de-servicos-socioassistenciais/tipificacao-nacional-dos- servicos-socioassistenciais Acesse aqui a Cartilha Perguntas e Respostas: CREAS http://www.mds.gov.br/assistenciasocial/secretaria-nacional-de-assistencia-social- snas/cartilhas/perguntas-e-respostas-centro-de-referencia-especializado-de-assistencia-social- creas/03-livreto-perguntas-respostascreas-impressao-20-12.pdf Acesse aqui o Caderno Orientações Técnicas: CREAS http://www.mds.gov.br/assistenciasocial/secretaria-nacional-de-assistencia-social- snas/cadernos/orientacoes-tecnicas-centro-de-referencia-especializado-de-assistencia-social- creas-1/04-caderno-creas-final-dez..pdf