SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIFENAS
Profa Vera Ângelo
Objetivos
oOE: principais alterações patológica, macro e microscópicas
da doença isquêmica intestinal.
oreconhecer as principais alterações patológicas, macro e
microscópicas das doenças intestinais inflamatórias (Doença
de Crohn e colite ulcerativa).
oReconhecer as principais alterações patológica, macro e
microscópicas das neoplasias intestinais
oReconhecer as principais alterações patológica, macro e
microscópicas de outras entidades patológicas, tais como
doença celíaca, lesões orificiais, hemorróidas, TBC
intestinal, polipose familial colônica)
Dilatações circunscritas – Doença Diverticular
Definição: herniações saculares, da mucosa e submucosa,
particularmente no sigmóide.
Etiopatogenia:
- focos de fraqueza muscular da parede colônica no ponto onde
os vasos retos arteriais penetram na muscular.
- aumento da pressão intraluminal (dieta pobre em fibras reduzem
a massa fecal e resulta em peristalse hiperativa que seqüestra
segmentos do intestino),
- motilidade desorganizada.
Dilatações circunscritas - Doença Diverticular
Macro:
-Divertículos no colon/sigmóide (número variado).
-hipertrofia da musculatura dos segmentos afetados com tênias
proeminentes e muscular circular mais espessada.
- Pequenas proeminências de 0,5/1cm ao longo das margens das
tênias que dissecam para apêndices epiplóicos.
Dilatações circunscritas - Doença Diverticular
Micro:
-parede fina de mucosa achatada ou atrófica,
- submucosa comprimida e muscular escassa ou ausente.
- se há perfuração forma-se peridiverticulite com dissecação para
gordura pericólica formando abscessos,fístulas e fibrose
Dilatações difusas
Megacólon congênito (Hirschsprung)
Conceitos:
- Dilatação congênita do cólon
- 4% dos irmãos podem ter a doença.
- É 10x mais freqüente na Síndrome de Down.
Patogenia:
-Falha durante a embriogênese dos plexos de Meisssner e
Auerbach.
- os neuroblastos migram cefalocaudalmente para alcançar o reto
em torno da 12ª semana; se a migração for incompleta, parte do
cólon distal ficará agangliônica e haverá aperistalse .
Macroscopia:
Dilatações difusas – (Hirschsprung)
Microscopia:
- ausência de celulas ganglionares
- proliferação errática de fibras nervosas desmielinizadas
no segmento não dilatado do cólon
Complicações: enterocolite superposta,
distúrbios hidroeletrolíticos
perfuração.
Dilatações difusas – Megacólon chagásico
Doença intestinal isquêmica
Lesão hipóxica secundária a comprometimento vascular.
Padrões Morfológicos
-  transmural: infarto ou gangrena de todas as camadas do
intestino, por redução absoluta da perfusão.
- mural: hemorragia e necrose limitada à mucosa e submucosa
com preservação dos planos mais profundos.
-mucoso: lesão não ultrapassa a muscular da mucosa.
Isquemia crônica: estreitamento fibrótico do intestino devido à
déficit persistente na perfusão.
Doença Intestinal Inflamatória – Doença de Crohn
Definição:
Pode ocorrer em qualquer parte do tubo digestório, da boca ao ânus,
localizando-se com maior freqüência na região ileocecal.
A distribuição da doença compreende, aproximadamente: intestino delgado
25%, cólon 20%, região íleocólica 55%.
Quadro clínico:
- diarréia
- dor abdominal em cólica.
- náuseas e vômitos
- febre.
- sensação de distensão abdominal piorada com as refeições,
- perda ponderal.
Doença Intestinal Inflamatória – Doença de Crohn
Macroscopia:
Aguda
- lesões tipicamente segmentares, com áreas lesadas,
intercaladas com segmentos normais.
- úlceras longas e tortuosas
- aspecto típico de “pedra de calçada” no intestino delgado
(áreas acometidas de permeio a mucosa normal).
 Inicialmente a parede intestinal é edematosa, hiperemiada,
espessada, notando-se pequenas úlceras na mucosa (aftóides).
 Segmentar, multisegmentar (aspecto “saltado”) semelhante a
cano de borracha
 Serosa: áspera, granulosa
 Parede: fibrose transmural mascarando muscular própria
 Mesentério: espessado, fibrosado “sepultando”, abraçando a
alça intestinal (gordura “trepadeira”)
 Luz: estreitada progressivamente com estenose, sinal da
“corda” radiológico.
Macroscopia
Macroscopia
• Comprometimento transmural
• Ulcerações lineares
• Envolvimento de todas as
camadas
• Pedras de calçamento
(cobblestone)
Doença Intestinal Inflamatória – Doença de Crohn
Crônica:
- no início espessamento globoso, edematoso e hiperêmico
evoluindo para segmento espessado inflexível.
- serosa é granular .
- luz estreitada como "sinal da corda".
- fissuras que podem levar a fístulas.
v Macroscopia
v
Macroscopia
Doença Intestinal Inflamatória – Doença de Crohn
Microscopia:
-inflamação crônica,
- fibrose transmural
-dilatação ou esclerose dos canais linfáticos
- agregados linfóides com centros germinativos em todas as
camadas da parede.
- granulomas sarcoidiformes (em 40% os granulomas são pouco
desenvolvidos ou ausentes)
- há metaplasia atípica e displasia das células epiteliais nas
ulcerações e nas áreas de permeio.
- as lesões podem progredir para elevações nodulares, ulcerações
e fibrose.
Complicações
 Perfuração
 Hemorragia
 Fístulas
 Doença perianal
 Estenose
 Neoplasias
 Anemia
 Má absorção de gorduras e vitaminas lipossolúveis
Complicações
Fístula
Pólipo
Estenos
e
Úlcera
Complicações frequentes da doença de Crohn
Pode ser
complicada por
estenoses,
fístulas
intestinais e
fístulas perianais
Doença Intestinal Inflamatória – Colite Ulcerativa
Definição:
Doença crônica, recorrente do intestino grosso. Pode envolver todo
o cólon ou somente o reto, ou mais correntemente, alguma área
entre eles.
Causa é desconhecida.
- defeito no sistema imunológico, em que os Acs do próprio
organismo atacam o cólon??.
- um microorganismo não identificado seria responsável pela
doença?
Doença Intestinal Inflamatória – Colite Ulcerativa
Quadro clínico:
- febre
- mal-estar geral
- cólicas e dores abdominais difusas
- diarréia com sangue e muco.
Macro:
- quadro muito variável dependendo da intensidade da lesão.
------- cronicamente pode ocorre fibrose e espessamento da
parede sendo rara a obstrução
Doença Intestinal Inflamatória – Colite Ulcerativa
Microscopia:
- abscessos das criptas e ulcerações até às musculares
circundadas por infiltrado mucoso de células inflamatórias.
- processo inflamatório começa na profundidade das criptas
levando à ruptura das mesmas para dentro da lâmina própria e
submucosa e extensão lateral do processo.
- mucosa circundante “descola e descama” formando ulcerações.
- pode ocorrer vasculite por baixo da ulceração (necrose
isquêmica seguida por por infecção secundária: vasculite difusa
de origem imunológica ?).
QUAL A DIFERENÇA ENTRE COLITE ULCERATIVA E
DOENÇA DE CROHN?
Colite ulcerativa:
- processo inflamatório envolvendo a mucosa do intestino grosso,
geralmente difusa, comprometendo grandes segmentos ou
apenas o reto.
- abscessos das criptas e ulcerações até às musculares
circundadas por infiltrado mucoso de células inflamatórias.
Doença de Crohn:
- pode acometer qualquer segmento do aparelho digestivo, desde
a boca até o ânus.
- segmento comprometido é pequeno.
- envolve todas as camadas da parede intestinal.
- fibrose transmural, granulomas sarcoidiformes
Crohn X Colite ulcerativa
www.pathology.com.br/crohncompl.htm
Neoplasias
Conceitos:
- o acometimento do intestino delgado por tumores é raro, sendo 1
a 6% de todos os tumores do tubo digestivo.
- no cólon, 95% dos tumores malignos são adenocarcinomas e
carcinomas.
Patogenia:
Pode estar relacionada com hereditariedade, adenomas, doença
intestinal inflamatória, além de fatores ambientais.
Neoplasias
Macro:
Tipos:
- polipóide,
- ulcero-infiltrativo,
-anular-constritivo
- difuso.
Adenocarcinoma de Colon
Neoplasias
Micro:
- 95% dos tumores do intestino grosso são adenocarcinomas.
- o grau de atipia é avaliado pelo pleomorfismo nuclear, aumento
da atividade mitótica e “empilhamento das células”
(pseudoestratificado).
- o grau de diferenciação deve ser descrito.
-o grau de invasão deve ser descrito.
PFC de 18 anos, sexo feminino consultou com o ginecologista para
avaliação de rotina. O eritrograma no entanto, mostrou
hemoglobina de 8,9gdl. A paciente negava qualquer sangramento
evidente ou anemia pregressa. A pesquisa de sangue oculto foi
positiva. Durante a anamnese PFC informou que na sua família
havia uma frequência aumentada de “problemas de intestino
grosso”. Foi solicitado então uma colonoscopia. A Paciente foi
encaminhada para a cirurgia, cujo anatomopatológico, mostrou a
lesão abaixo.
. Faça a correlação anatomo-clínica.
•IIDENTIFICAÇÃO : paciente de 42 anos, sexo masculino,
branco.
•HHISTÓRICO : diarréia crônica há 3 anos. Edema de
membros inferiores há 2 anos que progrediu para anasarca
há um mês. Internado com suspeita de síndrome nefrótica.
•EEXAME FÍSICO : mucosas descoradas, pele seca e
descamativa, cabelos quebradiços, edema, atrofia muscular.
Aspecto atrófico de duodeno, com mucosa esbranquiçada e finamente nodular.
Só há acometimento da camada mucosa. Atrofia glandular, e diminuição das
microvilosidades das células absortivas.As outras camadas estão preservadas.
COM O DIAGNOSTICO DE DOENÇA CELÍACA, FOI INICIADO TRATAMENTO COM
DIETA ISENTA DE GLÚTEN, COM A SEGUINTE EVOLUÇÃO:
ANTES 2 MESES APÓS
PESO (Kg) 45 50
EVACUAÇÕES / DIA 8 2
HEMOGLOBINA (g%) 7,7 13,1
COLESTEROL (mg%) 136 272
ALBUMINA (g%) 1,4 3,0
GORDURA FECAL (g/dia) 36 1,4
Anatomia
Patológica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fisiologia Humana - Obstrução Intestinal
Fisiologia Humana - Obstrução IntestinalFisiologia Humana - Obstrução Intestinal
Fisiologia Humana - Obstrução Intestinal
Valdeci Alves Barboza
 
Aula esôfago
Aula esôfagoAula esôfago
Aula esôfago
Flavianerabello
 
Úlceras Pépticas
Úlceras PépticasÚlceras Pépticas
Úlceras Pépticas
Gabriel Resende
 
Distúrbios pancreáticos
Distúrbios pancreáticosDistúrbios pancreáticos
Distúrbios pancreáticos
Laíz Coutinho
 
Dcdiverticular
DcdiverticularDcdiverticular
Dcdiverticular
kalinine
 
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução IntestinalAspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Amanda Thomé
 
Câncer gástrico
Câncer gástricoCâncer gástrico
Câncer gástrico
kalinine
 
Patologias Radiologicas
Patologias RadiologicasPatologias Radiologicas
Patologias Radiologicas
Aline Villas-Bôas
 
Doenças Orificiais - Aspectos Cirúrgicos Fundamentais
Doenças Orificiais - Aspectos Cirúrgicos FundamentaisDoenças Orificiais - Aspectos Cirúrgicos Fundamentais
Doenças Orificiais - Aspectos Cirúrgicos Fundamentais
Ozimo Gama
 
Úlcera Péptica e Gastrite
Úlcera Péptica e GastriteÚlcera Péptica e Gastrite
Úlcera Péptica e Gastrite
guest58bcdaa
 
Aula de digestivo parte 2
Aula de digestivo parte 2Aula de digestivo parte 2
Aula de digestivo parte 2
Raimundo Tostes
 
Retocolite Ulcerativa
Retocolite UlcerativaRetocolite Ulcerativa
Retocolite Ulcerativa
Sandra Melo
 
Diverticulite 2008
Diverticulite 2008Diverticulite 2008
Diverticulite 2008
Arquivo-FClinico
 
Doença ulcerosa péptica
Doença ulcerosa pépticaDoença ulcerosa péptica
Doença ulcerosa péptica
Gustavo Andreis
 
Úlcera Gástrica
Úlcera GástricaÚlcera Gástrica
Úlcera Gástrica
Arita155
 
Retocolite Ulcerativa
Retocolite UlcerativaRetocolite Ulcerativa
Retocolite Ulcerativa
Juliermeson Morais
 
Aspectos Clínicos e Raiológicos no Câncer Gástrico
Aspectos Clínicos e Raiológicos no Câncer GástricoAspectos Clínicos e Raiológicos no Câncer Gástrico
Aspectos Clínicos e Raiológicos no Câncer Gástrico
Brenda Lahlou
 
Gastrite
GastriteGastrite
sindromes polipoides intestinais
sindromes polipoides intestinaissindromes polipoides intestinais
sindromes polipoides intestinais
Bruna Almeida
 

Mais procurados (19)

Fisiologia Humana - Obstrução Intestinal
Fisiologia Humana - Obstrução IntestinalFisiologia Humana - Obstrução Intestinal
Fisiologia Humana - Obstrução Intestinal
 
Aula esôfago
Aula esôfagoAula esôfago
Aula esôfago
 
Úlceras Pépticas
Úlceras PépticasÚlceras Pépticas
Úlceras Pépticas
 
Distúrbios pancreáticos
Distúrbios pancreáticosDistúrbios pancreáticos
Distúrbios pancreáticos
 
Dcdiverticular
DcdiverticularDcdiverticular
Dcdiverticular
 
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução IntestinalAspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
Aspectos Clínicos e Radiológicos da Obstrução Intestinal
 
Câncer gástrico
Câncer gástricoCâncer gástrico
Câncer gástrico
 
Patologias Radiologicas
Patologias RadiologicasPatologias Radiologicas
Patologias Radiologicas
 
Doenças Orificiais - Aspectos Cirúrgicos Fundamentais
Doenças Orificiais - Aspectos Cirúrgicos FundamentaisDoenças Orificiais - Aspectos Cirúrgicos Fundamentais
Doenças Orificiais - Aspectos Cirúrgicos Fundamentais
 
Úlcera Péptica e Gastrite
Úlcera Péptica e GastriteÚlcera Péptica e Gastrite
Úlcera Péptica e Gastrite
 
Aula de digestivo parte 2
Aula de digestivo parte 2Aula de digestivo parte 2
Aula de digestivo parte 2
 
Retocolite Ulcerativa
Retocolite UlcerativaRetocolite Ulcerativa
Retocolite Ulcerativa
 
Diverticulite 2008
Diverticulite 2008Diverticulite 2008
Diverticulite 2008
 
Doença ulcerosa péptica
Doença ulcerosa pépticaDoença ulcerosa péptica
Doença ulcerosa péptica
 
Úlcera Gástrica
Úlcera GástricaÚlcera Gástrica
Úlcera Gástrica
 
Retocolite Ulcerativa
Retocolite UlcerativaRetocolite Ulcerativa
Retocolite Ulcerativa
 
Aspectos Clínicos e Raiológicos no Câncer Gástrico
Aspectos Clínicos e Raiológicos no Câncer GástricoAspectos Clínicos e Raiológicos no Câncer Gástrico
Aspectos Clínicos e Raiológicos no Câncer Gástrico
 
Gastrite
GastriteGastrite
Gastrite
 
sindromes polipoides intestinais
sindromes polipoides intestinaissindromes polipoides intestinais
sindromes polipoides intestinais
 

Destaque

Intestinal health slideshow
Intestinal health slideshowIntestinal health slideshow
Intestinal health slideshow
Nature's Sunshine Products, Inc.
 
Responsabilte_sociale_2
Responsabilte_sociale_2Responsabilte_sociale_2
Responsabilte_sociale_2
Patrice Leroux
 
Aspects juridiques du web 2.0
Aspects juridiques du web 2.0Aspects juridiques du web 2.0
Aspects juridiques du web 2.0
Cedric Manara
 
ObstruccióN Intestinal
ObstruccióN IntestinalObstruccióN Intestinal
ObstruccióN Intestinal
Carlos Aliaga
 
Programme de la Saison 2013-2014 du Sax
Programme de la Saison 2013-2014 du SaxProgramme de la Saison 2013-2014 du Sax
Programme de la Saison 2013-2014 du Sax
Le Sax
 
La place du journalisme citoyen et de la blogosphère au sein de l’espace médi...
La place du journalisme citoyen et de la blogosphère au sein de l’espace médi...La place du journalisme citoyen et de la blogosphère au sein de l’espace médi...
La place du journalisme citoyen et de la blogosphère au sein de l’espace médi...le gouguec
 
Intestinal Obstruction 1
Intestinal Obstruction 1Intestinal Obstruction 1
Intestinal Obstruction 1
Muhammad Eimaduddin
 
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Marcela Lago
 
Paques
PaquesPaques
Paques
majogarsa
 
Alergia alimentar tardia maria emilia gadelha serra
Alergia alimentar tardia   maria emilia gadelha serraAlergia alimentar tardia   maria emilia gadelha serra
Alergia alimentar tardia maria emilia gadelha serra
Maria Emilia Gadelha Serra, MD
 
Oclusión intestinal
Oclusión intestinalOclusión intestinal
Oclusión intestinal
Eddie Carrillo
 
Presentation de chouingmedia
Presentation de chouingmediaPresentation de chouingmedia
Presentation de chouingmediaCedric Motte
 
presentacion obstruccion intestinal.
 presentacion obstruccion intestinal. presentacion obstruccion intestinal.
presentacion obstruccion intestinal.
yosi garcia
 
LEAKY GUT Intestinal permeability
LEAKY GUT  Intestinal permeabilityLEAKY GUT  Intestinal permeability
LEAKY GUT Intestinal permeability
Ellen Kamhi, PhD, RN, AHG, AHN-BC
 
Obstrucción intestinal
Obstrucción intestinalObstrucción intestinal
Obstrucción intestinal
Tahiri Martinez
 
Obstrucción Intestinal
Obstrucción IntestinalObstrucción Intestinal
Obstrucción Intestinal
Mela Ch
 
Cours de Web Design part.1
Cours de Web Design part.1Cours de Web Design part.1
Cours de Web Design part.1
MC Casal
 
Spontaneous intestinal perforation vs nec
Spontaneous intestinal perforation vs necSpontaneous intestinal perforation vs nec
Spontaneous intestinal perforation vs nec
Varsha Shah
 
Manejo do íleo pós operatório
Manejo do íleo pós operatórioManejo do íleo pós operatório
Manejo do íleo pós operatório
Danilo Cardinelli
 
Intestinal Obstruction
Intestinal ObstructionIntestinal Obstruction
Intestinal Obstruction
guestafb98a0
 

Destaque (20)

Intestinal health slideshow
Intestinal health slideshowIntestinal health slideshow
Intestinal health slideshow
 
Responsabilte_sociale_2
Responsabilte_sociale_2Responsabilte_sociale_2
Responsabilte_sociale_2
 
Aspects juridiques du web 2.0
Aspects juridiques du web 2.0Aspects juridiques du web 2.0
Aspects juridiques du web 2.0
 
ObstruccióN Intestinal
ObstruccióN IntestinalObstruccióN Intestinal
ObstruccióN Intestinal
 
Programme de la Saison 2013-2014 du Sax
Programme de la Saison 2013-2014 du SaxProgramme de la Saison 2013-2014 du Sax
Programme de la Saison 2013-2014 du Sax
 
La place du journalisme citoyen et de la blogosphère au sein de l’espace médi...
La place du journalisme citoyen et de la blogosphère au sein de l’espace médi...La place du journalisme citoyen et de la blogosphère au sein de l’espace médi...
La place du journalisme citoyen et de la blogosphère au sein de l’espace médi...
 
Intestinal Obstruction 1
Intestinal Obstruction 1Intestinal Obstruction 1
Intestinal Obstruction 1
 
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
Clínica médica - Constipação intestinal, diarréia, diverticulose e doença de ...
 
Paques
PaquesPaques
Paques
 
Alergia alimentar tardia maria emilia gadelha serra
Alergia alimentar tardia   maria emilia gadelha serraAlergia alimentar tardia   maria emilia gadelha serra
Alergia alimentar tardia maria emilia gadelha serra
 
Oclusión intestinal
Oclusión intestinalOclusión intestinal
Oclusión intestinal
 
Presentation de chouingmedia
Presentation de chouingmediaPresentation de chouingmedia
Presentation de chouingmedia
 
presentacion obstruccion intestinal.
 presentacion obstruccion intestinal. presentacion obstruccion intestinal.
presentacion obstruccion intestinal.
 
LEAKY GUT Intestinal permeability
LEAKY GUT  Intestinal permeabilityLEAKY GUT  Intestinal permeability
LEAKY GUT Intestinal permeability
 
Obstrucción intestinal
Obstrucción intestinalObstrucción intestinal
Obstrucción intestinal
 
Obstrucción Intestinal
Obstrucción IntestinalObstrucción Intestinal
Obstrucción Intestinal
 
Cours de Web Design part.1
Cours de Web Design part.1Cours de Web Design part.1
Cours de Web Design part.1
 
Spontaneous intestinal perforation vs nec
Spontaneous intestinal perforation vs necSpontaneous intestinal perforation vs nec
Spontaneous intestinal perforation vs nec
 
Manejo do íleo pós operatório
Manejo do íleo pós operatórioManejo do íleo pós operatório
Manejo do íleo pós operatório
 
Intestinal Obstruction
Intestinal ObstructionIntestinal Obstruction
Intestinal Obstruction
 

Semelhante a Plivsdv2010 100920224457-phpapp01

Síndromes Digestórias
Síndromes DigestóriasSíndromes Digestórias
Síndromes Digestórias
rdgomlk
 
Doenças Intestinais
Doenças IntestinaisDoenças Intestinais
Doenças Intestinais
ThamyNoronha
 
Patologia sistema gastrointestinal I.ppt
Patologia sistema gastrointestinal I.pptPatologia sistema gastrointestinal I.ppt
Patologia sistema gastrointestinal I.ppt
EduardoArajo97
 
Doença inflamatória intestinal
Doença inflamatória intestinalDoença inflamatória intestinal
Doença inflamatória intestinal
Fernanda Amorim
 
Megacolon ufba.
Megacolon ufba.Megacolon ufba.
Megacolon ufba.
Marcelo Falcao
 
Ppt0000037
Ppt0000037Ppt0000037
Ppt0000037
Jefferson Oliveira
 
AULA - DOENCAS DO COLON RECTO E ANUS.pptx
AULA - DOENCAS DO COLON RECTO E ANUS.pptxAULA - DOENCAS DO COLON RECTO E ANUS.pptx
AULA - DOENCAS DO COLON RECTO E ANUS.pptx
Renata Dhirajlal
 
Patologias abdominais
Patologias abdominaisPatologias abdominais
Patologias abdominais
Débora Souto
 
Assistência em Clínica Cirúrgica aula 01.pptx
Assistência em Clínica Cirúrgica aula 01.pptxAssistência em Clínica Cirúrgica aula 01.pptx
Assistência em Clínica Cirúrgica aula 01.pptx
pososospos
 
Clube Revista Gastropatia em Miopatias Inflamatorias .pptx
Clube Revista Gastropatia em Miopatias Inflamatorias  .pptxClube Revista Gastropatia em Miopatias Inflamatorias  .pptx
Clube Revista Gastropatia em Miopatias Inflamatorias .pptx
JoaoLucas664130
 
Material Reumo 2019 Med Ulcera Péptica
Material Reumo 2019 Med Ulcera PépticaMaterial Reumo 2019 Med Ulcera Péptica
Material Reumo 2019 Med Ulcera Péptica
Mariane Santos
 
Mac
MacMac
Mac
MacMac
Lesões Císticas do Pâncreas (2).pptx
Lesões Císticas do Pâncreas (2).pptxLesões Císticas do Pâncreas (2).pptx
Lesões Císticas do Pâncreas (2).pptx
ssuser44bcb8
 
Caso clínico – Sistema digestório
Caso clínico – Sistema digestórioCaso clínico – Sistema digestório
Caso clínico – Sistema digestório
LUAH
 
Pancreatite Aguda - Clínica Cirúrgica
Pancreatite Aguda - Clínica CirúrgicaPancreatite Aguda - Clínica Cirúrgica
Pancreatite Aguda - Clínica Cirúrgica
Aillyn F. Bianchi, Faculdade de Medicina - UNIC
 
Sessoclnica 130703084417-phpapp02
Sessoclnica 130703084417-phpapp02Sessoclnica 130703084417-phpapp02
Sessoclnica 130703084417-phpapp02
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glútenDOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
Vanessa Paiva
 
Aula Gastrite
Aula Gastrite Aula Gastrite
Aula Gastrite
Lucas Emanuel
 
Aula EstôMago
Aula EstôMagoAula EstôMago
Aula EstôMago
mfcasagrande
 

Semelhante a Plivsdv2010 100920224457-phpapp01 (20)

Síndromes Digestórias
Síndromes DigestóriasSíndromes Digestórias
Síndromes Digestórias
 
Doenças Intestinais
Doenças IntestinaisDoenças Intestinais
Doenças Intestinais
 
Patologia sistema gastrointestinal I.ppt
Patologia sistema gastrointestinal I.pptPatologia sistema gastrointestinal I.ppt
Patologia sistema gastrointestinal I.ppt
 
Doença inflamatória intestinal
Doença inflamatória intestinalDoença inflamatória intestinal
Doença inflamatória intestinal
 
Megacolon ufba.
Megacolon ufba.Megacolon ufba.
Megacolon ufba.
 
Ppt0000037
Ppt0000037Ppt0000037
Ppt0000037
 
AULA - DOENCAS DO COLON RECTO E ANUS.pptx
AULA - DOENCAS DO COLON RECTO E ANUS.pptxAULA - DOENCAS DO COLON RECTO E ANUS.pptx
AULA - DOENCAS DO COLON RECTO E ANUS.pptx
 
Patologias abdominais
Patologias abdominaisPatologias abdominais
Patologias abdominais
 
Assistência em Clínica Cirúrgica aula 01.pptx
Assistência em Clínica Cirúrgica aula 01.pptxAssistência em Clínica Cirúrgica aula 01.pptx
Assistência em Clínica Cirúrgica aula 01.pptx
 
Clube Revista Gastropatia em Miopatias Inflamatorias .pptx
Clube Revista Gastropatia em Miopatias Inflamatorias  .pptxClube Revista Gastropatia em Miopatias Inflamatorias  .pptx
Clube Revista Gastropatia em Miopatias Inflamatorias .pptx
 
Material Reumo 2019 Med Ulcera Péptica
Material Reumo 2019 Med Ulcera PépticaMaterial Reumo 2019 Med Ulcera Péptica
Material Reumo 2019 Med Ulcera Péptica
 
Mac
MacMac
Mac
 
Mac
MacMac
Mac
 
Lesões Císticas do Pâncreas (2).pptx
Lesões Císticas do Pâncreas (2).pptxLesões Císticas do Pâncreas (2).pptx
Lesões Císticas do Pâncreas (2).pptx
 
Caso clínico – Sistema digestório
Caso clínico – Sistema digestórioCaso clínico – Sistema digestório
Caso clínico – Sistema digestório
 
Pancreatite Aguda - Clínica Cirúrgica
Pancreatite Aguda - Clínica CirúrgicaPancreatite Aguda - Clínica Cirúrgica
Pancreatite Aguda - Clínica Cirúrgica
 
Sessoclnica 130703084417-phpapp02
Sessoclnica 130703084417-phpapp02Sessoclnica 130703084417-phpapp02
Sessoclnica 130703084417-phpapp02
 
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glútenDOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
DOENÇA CELÍACA, Intolerância ao glúten
 
Aula Gastrite
Aula Gastrite Aula Gastrite
Aula Gastrite
 
Aula EstôMago
Aula EstôMagoAula EstôMago
Aula EstôMago
 

Mais de Instituto de Psicobiofísica Rama Schain

( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - estudando a mediunidade
( Espiritismo)   # - estudando a mediunidade( Espiritismo)   # - estudando a mediunidade
( Espiritismo) # - estudando a mediunidade
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos
( Espiritismo)   # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos( Espiritismo)   # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos
( Espiritismo) # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) apometria em casa
( Apometria)   apometria em casa( Apometria)   apometria em casa
( Apometria) apometria em casa
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) apometria em casa(1)
( Apometria)   apometria em casa(1)( Apometria)   apometria em casa(1)
( Apometria) apometria em casa(1)
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) apometria e a cura quantica 2
( Apometria)   apometria e a cura quantica 2( Apometria)   apometria e a cura quantica 2
( Apometria) apometria e a cura quantica 2
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(2)
( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(2)( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(2)
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(2)
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(1)
( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(1)( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(1)
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(1)
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico
( Apometria)   alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico( Apometria)   alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico
( Apometria) alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
50209564 20090319-apost-taiji
50209564 20090319-apost-taiji50209564 20090319-apost-taiji
50209564 20090319-apost-taiji
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
49579762 apostila-mod-3
49579762 apostila-mod-349579762 apostila-mod-3
47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa
47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa
47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
47477314 budo-1
47477314 budo-147477314 budo-1
46879180 revista-homo-optimus-nu-07
46879180 revista-homo-optimus-nu-0746879180 revista-homo-optimus-nu-07
46879180 revista-homo-optimus-nu-07
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa
46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa
46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase
44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase
44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 

Mais de Instituto de Psicobiofísica Rama Schain (20)

( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
 
( Espiritismo) # - estudando a mediunidade
( Espiritismo)   # - estudando a mediunidade( Espiritismo)   # - estudando a mediunidade
( Espiritismo) # - estudando a mediunidade
 
( Espiritismo) # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos
( Espiritismo)   # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos( Espiritismo)   # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos
( Espiritismo) # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos
 
( Apometria) apometria em casa
( Apometria)   apometria em casa( Apometria)   apometria em casa
( Apometria) apometria em casa
 
( Apometria) apometria em casa(1)
( Apometria)   apometria em casa(1)( Apometria)   apometria em casa(1)
( Apometria) apometria em casa(1)
 
( Apometria) apometria e a cura quantica 2
( Apometria)   apometria e a cura quantica 2( Apometria)   apometria e a cura quantica 2
( Apometria) apometria e a cura quantica 2
 
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(2)
( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(2)( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(2)
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(2)
 
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(1)
( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(1)( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(1)
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(1)
 
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
 
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
 
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
 
( Apometria) alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico
( Apometria)   alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico( Apometria)   alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico
( Apometria) alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico
 
50209564 20090319-apost-taiji
50209564 20090319-apost-taiji50209564 20090319-apost-taiji
50209564 20090319-apost-taiji
 
49579762 apostila-mod-3
49579762 apostila-mod-349579762 apostila-mod-3
49579762 apostila-mod-3
 
47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa
47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa
47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa
 
47477314 budo-1
47477314 budo-147477314 budo-1
47477314 budo-1
 
46879180 revista-homo-optimus-nu-07
46879180 revista-homo-optimus-nu-0746879180 revista-homo-optimus-nu-07
46879180 revista-homo-optimus-nu-07
 
46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa
46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa
46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa
 
44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase
44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase
44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase
 
44938076 moxa
44938076 moxa44938076 moxa
44938076 moxa
 

Plivsdv2010 100920224457-phpapp01

  • 2. Objetivos oOE: principais alterações patológica, macro e microscópicas da doença isquêmica intestinal. oreconhecer as principais alterações patológicas, macro e microscópicas das doenças intestinais inflamatórias (Doença de Crohn e colite ulcerativa). oReconhecer as principais alterações patológica, macro e microscópicas das neoplasias intestinais oReconhecer as principais alterações patológica, macro e microscópicas de outras entidades patológicas, tais como doença celíaca, lesões orificiais, hemorróidas, TBC intestinal, polipose familial colônica)
  • 3.
  • 4. Dilatações circunscritas – Doença Diverticular Definição: herniações saculares, da mucosa e submucosa, particularmente no sigmóide. Etiopatogenia: - focos de fraqueza muscular da parede colônica no ponto onde os vasos retos arteriais penetram na muscular. - aumento da pressão intraluminal (dieta pobre em fibras reduzem a massa fecal e resulta em peristalse hiperativa que seqüestra segmentos do intestino), - motilidade desorganizada.
  • 5. Dilatações circunscritas - Doença Diverticular Macro: -Divertículos no colon/sigmóide (número variado). -hipertrofia da musculatura dos segmentos afetados com tênias proeminentes e muscular circular mais espessada. - Pequenas proeminências de 0,5/1cm ao longo das margens das tênias que dissecam para apêndices epiplóicos.
  • 6.
  • 7. Dilatações circunscritas - Doença Diverticular Micro: -parede fina de mucosa achatada ou atrófica, - submucosa comprimida e muscular escassa ou ausente. - se há perfuração forma-se peridiverticulite com dissecação para gordura pericólica formando abscessos,fístulas e fibrose
  • 8. Dilatações difusas Megacólon congênito (Hirschsprung) Conceitos: - Dilatação congênita do cólon - 4% dos irmãos podem ter a doença. - É 10x mais freqüente na Síndrome de Down. Patogenia: -Falha durante a embriogênese dos plexos de Meisssner e Auerbach. - os neuroblastos migram cefalocaudalmente para alcançar o reto em torno da 12ª semana; se a migração for incompleta, parte do cólon distal ficará agangliônica e haverá aperistalse .
  • 10. Dilatações difusas – (Hirschsprung) Microscopia: - ausência de celulas ganglionares - proliferação errática de fibras nervosas desmielinizadas no segmento não dilatado do cólon Complicações: enterocolite superposta, distúrbios hidroeletrolíticos perfuração.
  • 12. Doença intestinal isquêmica Lesão hipóxica secundária a comprometimento vascular. Padrões Morfológicos -  transmural: infarto ou gangrena de todas as camadas do intestino, por redução absoluta da perfusão. - mural: hemorragia e necrose limitada à mucosa e submucosa com preservação dos planos mais profundos. -mucoso: lesão não ultrapassa a muscular da mucosa. Isquemia crônica: estreitamento fibrótico do intestino devido à déficit persistente na perfusão.
  • 13.
  • 14.
  • 15. Doença Intestinal Inflamatória – Doença de Crohn Definição: Pode ocorrer em qualquer parte do tubo digestório, da boca ao ânus, localizando-se com maior freqüência na região ileocecal. A distribuição da doença compreende, aproximadamente: intestino delgado 25%, cólon 20%, região íleocólica 55%. Quadro clínico: - diarréia - dor abdominal em cólica. - náuseas e vômitos - febre. - sensação de distensão abdominal piorada com as refeições, - perda ponderal.
  • 16. Doença Intestinal Inflamatória – Doença de Crohn Macroscopia: Aguda - lesões tipicamente segmentares, com áreas lesadas, intercaladas com segmentos normais. - úlceras longas e tortuosas - aspecto típico de “pedra de calçada” no intestino delgado (áreas acometidas de permeio a mucosa normal).
  • 17.  Inicialmente a parede intestinal é edematosa, hiperemiada, espessada, notando-se pequenas úlceras na mucosa (aftóides).  Segmentar, multisegmentar (aspecto “saltado”) semelhante a cano de borracha  Serosa: áspera, granulosa  Parede: fibrose transmural mascarando muscular própria  Mesentério: espessado, fibrosado “sepultando”, abraçando a alça intestinal (gordura “trepadeira”)  Luz: estreitada progressivamente com estenose, sinal da “corda” radiológico. Macroscopia
  • 18. Macroscopia • Comprometimento transmural • Ulcerações lineares • Envolvimento de todas as camadas • Pedras de calçamento (cobblestone)
  • 19.
  • 20. Doença Intestinal Inflamatória – Doença de Crohn Crônica: - no início espessamento globoso, edematoso e hiperêmico evoluindo para segmento espessado inflexível. - serosa é granular . - luz estreitada como "sinal da corda". - fissuras que podem levar a fístulas.
  • 23. Doença Intestinal Inflamatória – Doença de Crohn Microscopia: -inflamação crônica, - fibrose transmural -dilatação ou esclerose dos canais linfáticos - agregados linfóides com centros germinativos em todas as camadas da parede. - granulomas sarcoidiformes (em 40% os granulomas são pouco desenvolvidos ou ausentes) - há metaplasia atípica e displasia das células epiteliais nas ulcerações e nas áreas de permeio. - as lesões podem progredir para elevações nodulares, ulcerações e fibrose.
  • 24.
  • 25. Complicações  Perfuração  Hemorragia  Fístulas  Doença perianal  Estenose  Neoplasias  Anemia  Má absorção de gorduras e vitaminas lipossolúveis
  • 26. Complicações Fístula Pólipo Estenos e Úlcera Complicações frequentes da doença de Crohn Pode ser complicada por estenoses, fístulas intestinais e fístulas perianais
  • 27.
  • 28. Doença Intestinal Inflamatória – Colite Ulcerativa Definição: Doença crônica, recorrente do intestino grosso. Pode envolver todo o cólon ou somente o reto, ou mais correntemente, alguma área entre eles. Causa é desconhecida. - defeito no sistema imunológico, em que os Acs do próprio organismo atacam o cólon??. - um microorganismo não identificado seria responsável pela doença?
  • 29. Doença Intestinal Inflamatória – Colite Ulcerativa Quadro clínico: - febre - mal-estar geral - cólicas e dores abdominais difusas - diarréia com sangue e muco. Macro: - quadro muito variável dependendo da intensidade da lesão. ------- cronicamente pode ocorre fibrose e espessamento da parede sendo rara a obstrução
  • 30. Doença Intestinal Inflamatória – Colite Ulcerativa Microscopia: - abscessos das criptas e ulcerações até às musculares circundadas por infiltrado mucoso de células inflamatórias. - processo inflamatório começa na profundidade das criptas levando à ruptura das mesmas para dentro da lâmina própria e submucosa e extensão lateral do processo. - mucosa circundante “descola e descama” formando ulcerações. - pode ocorrer vasculite por baixo da ulceração (necrose isquêmica seguida por por infecção secundária: vasculite difusa de origem imunológica ?).
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34. QUAL A DIFERENÇA ENTRE COLITE ULCERATIVA E DOENÇA DE CROHN? Colite ulcerativa: - processo inflamatório envolvendo a mucosa do intestino grosso, geralmente difusa, comprometendo grandes segmentos ou apenas o reto. - abscessos das criptas e ulcerações até às musculares circundadas por infiltrado mucoso de células inflamatórias. Doença de Crohn: - pode acometer qualquer segmento do aparelho digestivo, desde a boca até o ânus. - segmento comprometido é pequeno. - envolve todas as camadas da parede intestinal. - fibrose transmural, granulomas sarcoidiformes
  • 35. Crohn X Colite ulcerativa www.pathology.com.br/crohncompl.htm
  • 36. Neoplasias Conceitos: - o acometimento do intestino delgado por tumores é raro, sendo 1 a 6% de todos os tumores do tubo digestivo. - no cólon, 95% dos tumores malignos são adenocarcinomas e carcinomas. Patogenia: Pode estar relacionada com hereditariedade, adenomas, doença intestinal inflamatória, além de fatores ambientais.
  • 39.
  • 40. Neoplasias Micro: - 95% dos tumores do intestino grosso são adenocarcinomas. - o grau de atipia é avaliado pelo pleomorfismo nuclear, aumento da atividade mitótica e “empilhamento das células” (pseudoestratificado). - o grau de diferenciação deve ser descrito. -o grau de invasão deve ser descrito.
  • 41.
  • 42.
  • 43. PFC de 18 anos, sexo feminino consultou com o ginecologista para avaliação de rotina. O eritrograma no entanto, mostrou hemoglobina de 8,9gdl. A paciente negava qualquer sangramento evidente ou anemia pregressa. A pesquisa de sangue oculto foi positiva. Durante a anamnese PFC informou que na sua família havia uma frequência aumentada de “problemas de intestino grosso”. Foi solicitado então uma colonoscopia. A Paciente foi encaminhada para a cirurgia, cujo anatomopatológico, mostrou a lesão abaixo. . Faça a correlação anatomo-clínica.
  • 44.
  • 45. •IIDENTIFICAÇÃO : paciente de 42 anos, sexo masculino, branco. •HHISTÓRICO : diarréia crônica há 3 anos. Edema de membros inferiores há 2 anos que progrediu para anasarca há um mês. Internado com suspeita de síndrome nefrótica. •EEXAME FÍSICO : mucosas descoradas, pele seca e descamativa, cabelos quebradiços, edema, atrofia muscular.
  • 46. Aspecto atrófico de duodeno, com mucosa esbranquiçada e finamente nodular. Só há acometimento da camada mucosa. Atrofia glandular, e diminuição das microvilosidades das células absortivas.As outras camadas estão preservadas.
  • 47. COM O DIAGNOSTICO DE DOENÇA CELÍACA, FOI INICIADO TRATAMENTO COM DIETA ISENTA DE GLÚTEN, COM A SEGUINTE EVOLUÇÃO: ANTES 2 MESES APÓS PESO (Kg) 45 50 EVACUAÇÕES / DIA 8 2 HEMOGLOBINA (g%) 7,7 13,1 COLESTEROL (mg%) 136 272 ALBUMINA (g%) 1,4 3,0 GORDURA FECAL (g/dia) 36 1,4