COMPROMISSO E EDUCAÇÃONA FORMAÇÃO DO CIDADÃO
Filosofia:  Filosofia é a arte do pensar. Só filosofa quem pensa, raciocina, argumenta e buscacompreender a realidade atra...
análise de sua    realidade. O Currículo Escolar, a Avaliação, o Planejamento, aOrganização Pedagógica e Administrativa de...
maioria dos alunos são filhos de trabalhadores, que pela exaustiva jornada detrabalho não reservam muito tempo para o acom...
estudantes dos municípios vizinhos dirigirem-se à cidade à procura de novasoportunidades de estudos e/ou serviço. O municí...
“Os professores ideais são os que se fazem de pontes, que convidamseus alunos a atravessarem e depois, tendo facilitado a ...
um ganho significativo na ampliação dos processos participativos, pois está centradaem decisões descentralizadas e dialógi...
Membro Suplente: Sirlei Rodrigues de Oliveira LimaAlunos-: Carolina Rothe Maier, Suélem Mazieri Lhamas e João Carlos Marco...
Tesoureiro: Edivaldo Carlos MartinsCONSELHO FISCALMembros efetivos:Cristiani de Lima PereiraLuiz Carlos PicoliÁtila Pieret...
Promotor de Direitos e Deveres: João Vitor1ª Suplente: Ezequiel Andres2ª suplente: Ana Barbara Salvador Rodrigues3ª suplen...
a) Função Diagnóstica-: consiste no diagnóstico escolar, ou seja, nolevantamento de dados sobre a comunidade em que a esco...
As datas das reuniões serão estabelecidas no Calendário escolar de cada    ano letivo.    3- MARCO TEÓRICO        A visão ...
para o mundo do trabalho, a constituição da cidadania, tendo em vista a construção deuma sociedade mais justa e igualitári...
para que os mesmos sejam capazes de construir a sua própria história com bastantedignidade.    Fundamentados nos quatro pi...
Os dados referentes aos alunos transferidos, evadidos, aprovados e reprovadosestão contidos no gráfico abaixo:ENSINO MÉDIO...
2005                 35               06            247              20 2006                 33               02          ...
Distorção Idade-série           23,2      37,5       45,5         11,1* Dados: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas E...
* Dados: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira-INEP/MEC      Uma análise efetuada pela Es...
forma, um ambiente estimulador e agradável. Uma pedagogia centrada no aluno enão nos conteúdos;- Dinamizar o trabalho peda...
- Avaliar e adequar ao momento histórico vivenciado na Proposta Pedagógica.5. OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DAS ETAPAS DA...
5.2 – ENSINO MÉDIO      O Ensino Médio objetiva, através de conteúdos, metodologias, formas deacompanhamento e avaliação a...
5.6 - INSERÇÃO DOS TEMAS TRANSVERSAIS          Os Temas Transversais são estabelecidos pelos Parâmetros CurricularesNacion...
A Saúde, antes de tudo, é um direito fundamental do cidadão. Nesse sentido, aescola tem a função de orientar o estudante c...
transformadora que possa formar cidadãos conscientes de seu pertencimento ético-racial, que caminhem juntos na construção ...
5.8 - INSERÇÃO DA HISTÓRIA DA CULTURA SUL-MATO-GROSSENSE (Parecernº 235 – CEE/MS)      O entendimento expresso nesta propo...
melhorar nossas atitudes evitando acidentes e preservando a vida;- Identificar a forma correta de locomoção de condutores,...
crescente manifestação de atos violentos em diversos níveis de escolaridade. Dentreas diversas formas de violência, destac...
➡Valorizar a leitura como fonte de informação, via de acesso aos mundos criadospela literatura e possibilidade de fruição ...
6.1.3 – MATEMÁTICA➡Identificar os conhecimentos matemáticos como meios para compreender etransformar o mundo à sua volta e...
➡Saber combinar leituras, observações, experimentações, registros, etc., paracoleta, organização, comunicação e discussão ...
➡Compreender a espacialidade e temporalidade dos fenômenos geográficosestudados em suas dinâmicas e interações;➡Compreende...
compreendendo as variedade dos produtos artísticos e concepções estéticaspresentes na história das diferentes culturas e e...
➡Analisar     os recursos     expressivos  da linguagem      verbal, relacionandotextos/contextos, mediante a natureza, fu...
➡Compreender o funcionamento do organismo humano, de forma a reconhecer emodificar as atividades corporais, valorizando-as...
7.1.7 – FÍSICA➡Compreender enunciados que envolvam códigos e símbolos físicos;➡Utilizar e compreender tabelas, gráficos, f...
7.1.10 – HISTÓRIA➡Situar as diversas produções da cultura – as linguagens, as artes, a filosofia, areligião, as ciências, ...
➡ contextualizar os conhecimentos de filosofia tendo como referência a organizaçãoda sociedade em cada período histórico, ...
Obs-: 1- As ementas curriculares do Ensino Fundamental e Ensino Médio serãooperacionalizadas conforme os Referências Curri...
O currículo do ensino médio é pautado em princípios, fundamentos eprocedimentos que contribuem para a promoção do cidadão,...
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Ppp
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ppp

4.449 visualizações

Publicada em

Projeto Político Pedagógico da E. E. Profª Nair Palácio de Souza

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Ppp

  1. 1. COMPROMISSO E EDUCAÇÃONA FORMAÇÃO DO CIDADÃO
  2. 2. Filosofia: Filosofia é a arte do pensar. Só filosofa quem pensa, raciocina, argumenta e buscacompreender a realidade através da aquisição do conhecimento. Nesta perspectiva, a Filosofia da nossa Unidade Escolar direciona-se para ademocratização do ensino e das relações pessoais de todos os envolvidos noprocesso educacional. Esta democratização oportunizará a todos o acesso ao saber,que é fundamental para o exercício consciente da cidadania, além de propiciar oconhecimento, que nos tornará pessoas autônomas e argumentativas. Concepções trabalhadas:O HOMEM é concebido como um ser histórico, que se modifica na medida em queinterage com a realidade, transformando-a e sendo por ela transformado. Oconhecimento gerado pela interação leva-o a condição de participar e intervir narealidade, tendo em vista que a aproximação desse conhecimento propicia acompreensão da complexidade das relações sociais e econômicas. À Escola cabe afunção de formar um homem crítico, capaz de superar dificuldades, independente econsciente dos seus direitos e deveres. Para isso, deverá estimular os alunos aquestionar, duvidar e perguntar sempre, o que é muito mais interessante do que recebertudo pronto, apenas para memorizar. Assim o conhecimento vai ganhando significado. A SOCIEDADE desejada é aquela em que ocorra a minimização dasdesigualdades sociais. Que ofereça indiscriminadamente a todos o acesso ao saber, àcultura, ao lazer e a todos os direitos garantidos em Lei e nem sempre cumpridos. AEscola deve garantir ao seu aluno a criticidade necessária para poder avaliar asdiferenças existentes e suas causas e educá-lo para que a participação democráticanão se expresse apenas no momento das eleições e do voto. A Educação devegarantir então a disseminação do conhecimento universal aos indivíduos, com vista àprodução de um conhecimento contemporâneo que reflita as reais necessidades dasociedade presente. A ESCOLA é a instituição formalmente necessária para a criação e difusão doconhecimento e a sua reelaboração, na perspectiva de instrumentalizar o aluno para a 2
  3. 3. análise de sua realidade. O Currículo Escolar, a Avaliação, o Planejamento, aOrganização Pedagógica e Administrativa devem estar direcionada para o aluno, demodo a tornar o ambiente escolar alegre, dinâmico e cheio de vida, desencadeandoassim o gosto e a valorização no educando e como conseqüência a qualidade tãoalmejada por todos. 1. APRESENTAÇÃO A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº. 9394/96 estabelece em seu Artigo 12, Inciso I, a incumbência da Escola em elaborar e executar sua Proposta Pedagógica. Esta Lei abre espaços para que coletivamente se possa construir um projeto que estabeleça uma nova identidade à escola, propondo novos rumos para o processo educacional. A Escola nesta perspectiva deve assumir como uma das suas principais tarefas, o trabalho de refletir sobre sua intencionalidade educativa. A elaboração da Proposta Pedagógica é um caminho para a reconstrução da Educação, como elemento de formação e para o resgate da função social que a escola deve assumir. Nela se projeta uma visão humanista, entendida como um processo de engajamento de todos os protagonistas que participam da ação educativa. Neste contexto a participação de todos é de extrema importância para a operacionalização do mesmo. Cerca de 80% dos docentes são habilitados nas disciplinas que lecionam. A clientela da escola tem a peculiaridade de não ser apenas do bairro onde está localizada, mas são alunos vindos de todas as regiões da cidade, atraídos pela oferta de um ensino melhor e da disciplina mantida pela instituição. A 3
  4. 4. maioria dos alunos são filhos de trabalhadores, que pela exaustiva jornada detrabalho não reservam muito tempo para o acompanhamento dos filhos na escola. Todas as sugestões levantadas pela comunidade estão elencadas nestaProposta, tendo a necessidade de uma coordenação e acompanhamento. Oplanejamento das atividades escolares é uma necessidade imperiosa, tendo em vistaatingir os resultados da ação educacional previstos na legislação e no Plano Estadualde Educação do nosso Estado. Dessa maneira todas as atividades escolares devemser objeto de reflexão por parte da comunidade escolar. Dessa reflexão surgirão oscaminhos a serem trilhados na ação educacional, materializados na forma dadesta Proposta Pedagógica. A escola procura potencializar todos os recursos existentes para garantirum ensino de qualidade ideal com as expectativas individuais e coletivas. Sua funçãoé garantir aos estudantes, os conteúdos socialmente produzidos, como também aconstrução de novos saberes para que se tornem sujeitos autônomos, responsáveis ecríticos. Nesse sentido, os pilares da educação recomendado pela UNESCO sãodesenvolvidos com destaque para aprender a viver juntos e aprender a ser. Aconvivência democrática estabelecida no ambiente educacional é um exemplo quepode ser estendido a todas as esferas da sociedade. Os projetos de ensino-aprendizagem que são desenvolvidos tambémpossibilitam atitudes de humanização e de reflexão sobre o mundo. Por meio damelhoria dos serviços educacionais prestados a comunidade, do respeito àsdiversidades nela existente e na valorização das suas potencialidades, a escolabusca a excelência na educação. Garantir a qualidade do ensino e da aprendizagemdesenvolvendo no educando as potencialidades necessárias para o ingresso nomundo tecnológico, sociocultural e econômico é o objetivo maior da escola. Para aefetivação da missão de oportunizar um conhecimento significativo, buscamossuporte técnico e financeiro junto a Secretaria de Estado de Educação, parcerias comempresas privadas e sociedade em geral, com vista a garantir o desenvolvimento dashabilidades necessárias para a construção de um mundo mais igual, ético, fraterno esolidário.2. MARCO SITUACIONAL A economia brasileira vem crescendo de uma maneira muito positiva edinâmica, realizando transformações importantes, que, inclusive, reduzem suavulnerabilidade. Dados Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontamque o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 5,4% em 2007, atingindo R$ 2,6trilhões. Os setores que mais cresceram foram a agropecuária (5,3%), seguida pelaindústria (4,9%) e serviços (4,7%). No Estado de Mato Grosso do Sul predomina uma economia agropecuária.O principal rebanho do estado é o bovino. O potencial econômico de Nova Andradinaestá voltado ao comércio e prestação de serviços. Dos 78 municípios de Mato Grossodo Sul, o município de Nova Andradina ocupa a 8ª posição do PIB estadual. Apopulação, que de acordo com dados do Censo realizado em 2000, era de 35.381,passou a 45.599 na contagem final do último censo de 2010. Nova Andradina cadavez mais se consolida como pólo regional transformando-se também num póloestudantil, com a instalação do campus da Universidade Federal, o funcionamento daUniversidade Estadual e o oferecimento de diversos cursos nas faculdadesparticulares. Com isto muitas pessoas estão vindo residir no município, além de 4
  5. 5. estudantes dos municípios vizinhos dirigirem-se à cidade à procura de novasoportunidades de estudos e/ou serviço. O município alcançou nos últimos anos umsignificativo avanço no que diz respeito à melhoria na qualidade do ensino. A E.E. Profª. Nair Palácio de Souza localiza-se à rua 7 de setembro,nº. 156, na Vila Beatriz. Foi criada em 29 de dezembro de 1994, através do Decretonº. 8121, publicado no Diário Oficial nº. 3942 de 30 de dezembro de 1994. Atendealunos do 6° ano ao 9º ano do Ensino Fundamental e todos os anos do Ensino Médio.Além do Ensino regular, a Escola está oferece também a Educação Profissional emnível médio, visando contribuir de forma ativa para o atendimento das demandasnecessárias do mercado de trabalho e oferecer à comunidade de Nova Andradinaprofissionais habilitados, competentes e dinâmicos, preparados para aempregabilidade e a competitividade do mundo moderno e capazes de atuar comeficiência e eficácia. Tudo isto requer, da escola, permanente atualização e sintoniacom as transformações tecnológicas e socioculturais do mundo do trabalho, além decontato permanente com agentes educacionais, recursos atualizados e práticaspedagógicas operatórias e ativas, compatíveis com as características do processoprodutivo. A unidade escolar encontra-se relativamente equipada para darconsecução às suas atividades educacionais. Possui diversos recursos tecnológicose uma diversidade de materiais didáticos. O prédio é adequado aos cursosoferecidos. Hoje estamos com carência de pessoal técnico-administrativo. Os queexistem não correspondem ao número estipulado pela tipologia da escola, sendonecessário concurso público para preenchimento das vagas.2.1- HISTÓRICO DA PATRONA DA ESCOLA A E.E. Profª Nair Palácio de Souza leva este nome em homenagema Profª Nair Palácio, como é mais conhecida na cidade. Ela nasceu em 29 denovembro de 1.926, na calma e acolhedora cidade de Birigui, interior de São Pauloe faleceu em junho de 2010, na cidade de Nova Andradina. Filha de Gildo Palácio de Souza e Regina Buosi Palácio, viúva do Sr.Rubens Roberto de Sousa com quem teve uma filha, a também profª MargaridaRegina da Conceição de Souza, avó de dois netos. Iniciou seus trabalhos como professora leiga em 1956 da escola daFazenda Bataguassu, em Guararapes, Estado de São Paulo. Chegou ao nosso Estado em 1963, onde lecionou da Escola MunicipalFazenda primavera, município de Batayporã. De 1.972 à l.978, exerceu asfunções de inspetora de alunos nos turnos vespertino e noturno na Escola ProfºJoão de Lima Paes e no matutino lecionava na Fazenda Esperança. Em 1.972formou-se como professora normalista. Trabalhou como professora nas Escolas Estaduais Padre Anchieta, LuisSoares Andrade, Antonio Joaquim de Moura Andrade e Austrílio Capilé Castro,sendo que nesta última aposentou-se voluntariamente, depois de mais de trintaanos dedicados ao magistério. O nome de D. Nair foi escolhido em 1.994 para denominar a novaEscola que naquele ano foi criada pelo governo do estado. Sua indicação éatribuída até hoje pelo seu profissionalismo, dedicação e competência quemarcaram seu trabalho enquanto estava atuando em sala de aula. 5
  6. 6. “Os professores ideais são os que se fazem de pontes, que convidamseus alunos a atravessarem e depois, tendo facilitado a travessia desmoronam-secom prazer, encorajando-os a criarem as suas próprias pontes”.2.2 – ATOS LEGAIS • Criação – Decreto nº 8.121 de 29/12/1994 – D.O. nº 3.942 de 30/12/1994 • Autorização Ensino Fundamental e Médio – Resolução/SED nº 2.216 de 23/12/2008 – D.O nº 7.368 de 24/12/2008 • Educação Profissional e Curso Normal Médio: (Obs.-: Os cursos de Educação Profissional e Curso Normal Médio são autorizados pela SED à medida que os mesmos são implantados na Unidade Escolar).2.3 - NÍVEIS E MODALIDADES DE ENSINO A Escola oferece o Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) e o Ensino Médio noturno diurno e no turno noturno e neste turno oferece também a EducaçãoProfissional de nível médio e Curso Normal Médio.2.4 - DIREÇÃO Profº. Acácio Luiz Sampaio (Diretor) e profª. Tânia Filomena Colato Granato(Diretora-Adjunta) eleitos pela comunidade escolar para um mandato de trêsanos (triênio 2008 a 2011).2.5 – COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA Danielly Cristiny Sakate Bernegozzi Rueda Sílvia Maria dos Santos Souza Sirlei Rodrigues de Oliveira Lima3. GESTÃO DEMOCRÁTICA O Colegiado Escolar, a Associação de Pais e Mestres, o Grêmio Estudantil e oConselho de Classe representam para a escola uma oportunidade de participação dasociedade na Gestão Democrática. Correspondem a uma tentativa de busca denovas formas de gestão, para o que, a participação da comunidade é,inevitavelmente, essencial. Na escola essa participação está materializada nofuncionamento efetivo do Colegiado Escolar. A existência desse conselho promove 6
  7. 7. um ganho significativo na ampliação dos processos participativos, pois está centradaem decisões descentralizadas e dialógicas. Outras instituições escolares atuam juntocom o Colegiado, colaborando para o aperfeiçoamento do processo educacional,para a assistência escolar e para a integração família-escola-comunidade. AAssociação de Pais e Mestres (APM) atua como Unidade Executora, na gestão daautonomia financeira da escola. O Grêmio Estudantil enriquece a vida dos alunos,não só por lhes abrir uma gama variada de possibilidades como também, porpossibilitar que eles adquiram, na prática, a noção de responsabilidade. O Conselhode Classe caracteriza-se fundamentalmente por um espaço específico de reflexão,decisão e ação sobre o processo de avaliação, não só dos alunos, da escola em si,mas também da Proposta Pedagógica desenvolvido pela escola. A participação detodos os alunos, professores, pais, coordenadores pedagógicos e diretor e diretor-adjunto nas reuniões do Conselho de Classe promove uma democratização dasrelações pessoais. Conduzir mudanças de paradigmas não é fácil. Buscar isto de forma coletiva,apesar de difícil, traz mais vantagens do que desvantagens ao processo educacional.Ações colegiadas oportunizam visões compartilhadas dos objetivos e finalidades daescola, promovem a divisão de responsabilidades, o acompanhamento formal ouinformal das propostas firmadas e a busca coletiva de soluções para os problemasque surgem na escola. Na prática colegiada alguns entraves são encontrados, comoas associadas ao maior tempo necessário para firmar consensos, a maiorvulnerabilidade dos processos de mudança, as situações de conflitos que surgemdurante os debates existentes e a insegurança de alguns segmentos na tomada dedecisão. Esses fatores surgem pela pouca experiência democrática na nossasociedade, todavia a escola é um campo fértil para o aprendizado da democracia e dacidadania. Vivenciando uma gestão democrática estamos resgatando a função política esocial da escola, situando-a no exercício de um importante papel, o de contribuir paraa organização de uma nova sociedade e, portanto, tornar-se agente detransformação, firmando-se indubitavelmente num local de humanização. Para a escolha da Direção Escolar é realizada eleição a cada três anos.Participam da eleição todos os segmentos que compõem a comunidade escolar.3.1 – COLEGIADO ESCOLAR O Colegiado Escolar é um órgão que faz parte da estrutura da UnidadeEscolar. Trata-se de uma instância colegiada que tem caráter deliberativo,executivo, consultivo e avaliativo nos assuntos referentes à gestão pedagógica,administrativa e financeira da Escola. Integram o Colegiado Escolar da EE. Profª Nair Palácio de Souza osseguintes representantes por segmento:Professores: Patrice Mota Gomes Landin e Maria Regina ZaquiMembros Suplentes: Eduardo Martins eFuncionários Administrativos: Ivete Nunes da Silva.Membros Suplentes: Antonia Alves Pereira e Cleuza de Lima Fernandes.Coordenação Pedagógica: Sílvia Maria dos Santos Souza 7
  8. 8. Membro Suplente: Sirlei Rodrigues de Oliveira LimaAlunos-: Carolina Rothe Maier, Suélem Mazieri Lhamas e João Carlos MarcoliniSimonPais-: Evandro Amaral Trachat e Silva, Rita de Cássia de Souza Oliveira e RosaMaria de SouzaMembros Suplentes: Valdir Ferreira O diretor profº Acácio Luiz Sampaio e a diretora-adjunta Tânia FilomenaColato Granato são membros natos do Colegiado e Secretários Executivos domesmo. A presidente do Colegiado Escolar é a Coordenadora pedagógica SílviaMaria dos Santos Souza. O Colegiado é regido por um Regimento Interno.3.2 – APM – ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES A APM é uma entidade civil com personalidade jurídica própria, semcaráter lucrativo formado por pais, professores, funcionários da escola e direção.Tem por objetivo administrar recurso federal, estadual, municipal, da comunidade,de entidades públicas ou privadas e da promoção de campanhas escolares( comemorações, palestras, gincanas, etc). A Associação é regida por Estatuto etem como componentes os seguintes membros:CONSELHO DELIBERATIVOPresidente: Acácio Luiz SampaioSecretária: Yolanda Chaves Costa MichelsConselheiros:Maria de Fátima Lopes Ribeiro TolentinoAntonio Carlos CostaEdiana Aparecida Ciciliati MilhorançaClaudemir Gomes MaranMaria Lúcia de OliveiraDIRETORIAPresidente: : Plínio Tolentino PereiraVice-Presidente: Marislei Sanches Ferreira MartinsSecretário-Executivo: Acácio Luiz SampaioSecretária: Cristiane Fernandes 8
  9. 9. Tesoureiro: Edivaldo Carlos MartinsCONSELHO FISCALMembros efetivos:Cristiani de Lima PereiraLuiz Carlos PicoliÁtila PierettiVânia Maria FerreiraSueli de Souza PessoaMembros Suplentes:Maria Regina Pereira Manzoli TrindadeEloisa Cristina Boscoli ResendeJosé Maria NunesLadislau Siqueira ArvelinoNilson Luiz Perlin3.3 – GRÊMIO ESTUDANTIL O Grêmio Estudantil é a entidade que representa os alunos da UnidadeEscolar. Sua principal característica é a de ser organizada e dirigida pelos própriosestudantes, que detectam suas necessidades e anseios, participando efetivamentedas decisões tomadas na escola. Muitas ações do Grêmio Estudantil acabam porbeneficiar não apenas os alunos, mas toda a comunidade escolar. A diretoria doGrêmio Estudantil é sempre convidada para participar das reuniões do ColegiadoEscolar. O Grêmio é uma instituição com Estatuto próprio e a diretoria para otrabalho no ano letivo de 2011 está assim composta:Presidente: Kathiene Costa PriorVice-presidente: Giovane Perlin1ª secretario: Emily Leal2ª Secretaria: Guilherme Figueiredo Terenciani1ª tesoureiro: Leticia Pereira2ª Tesoureiro: Andressa Sayri Moreira SuguimotoOrador: Allan Santos NevesDiretor Social: Thaís Paschoal CatarinoDiretor de Imprensa: Murilo Bianchi MartinsDiretor de Esporte: David José Carvalho BritoDiretor Cultural: Vitor Hugo Quevedo do Santos 9
  10. 10. Promotor de Direitos e Deveres: João Vitor1ª Suplente: Ezequiel Andres2ª suplente: Ana Barbara Salvador Rodrigues3ª suplente: Thiago Bortoleto Gomes da Silva3.4 – ASSOCIAÇÃO DE PAIS (A.P) Para incentivar a participação dos pais na escola, o segmento dos pais doColegiado Escolar, pretende implantar a A.P. (Associação de Pais). Esta contarásomente com a presença dos pais, que compartilham dos objetivos da escola epossuem expectativas de sucesso acadêmico para seus filhos. Poderão com seuspares avaliar a escola e propor para o Colegiado as mudanças que se fizeremnecessárias, a partir da avaliação realizada pelos mesmos.3. 5- CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe caracteriza-se fundamentalmente por um espaçoespecífico de reflexão, decisão e ação sobre o processo de avaliação, não só dosalunos, da escola em si, mais também da Proposta desenvolvida pela escola. Éum dos momentos mais importantes do processo pedagógico, pois através deparadas organizadas, os integrantes da Unidade Escolar poderão repensar aprática educativa e deliberar sobre reajustes a serem realizados noplanejamento, nas disciplinas, na turma ou na aula. Para o bom desenvolvimento das atividades do Conselho de Classe, énecessário que seus membros estejam bem informados sobre os aspectosfundamentais da organização da escola e da sua Proposta, tais como: • a Filosofia que norteia a escola; • a proposta curricular que delineia a ação pedagógica; • os objetivos contidos no planejamento pedagógico do professor; • o tipo de avaliação adotada pela escola; • o regimento Escolar, principalmente no que se refere à questão da legalidade do sistema de avaliação escolar; O Conselho de Classe deve ter como perspectivas; • a continuidade da aprendizagem; • a adequação dos conteúdos programáticos à turma; • a adequação da metodologia de ensino aos conteúdos e aos alunos; • a consecução dos objetivos propostos; • o desempenho do aluno, do professor e da Proposta da Escola; • a previsão de procedimentos de recuperação; • o desenvolvimento da auto-avaliação do aluno e do professor; • o encaminhamento de medidas pedagógicas a serem tomadas após a reunião do Conselho. O Conselho de Classe pode assumir funções diversas e a partir dessas funções, ele tem determinações e propósitos como: 10
  11. 11. a) Função Diagnóstica-: consiste no diagnóstico escolar, ou seja, nolevantamento de dados sobre a comunidade em que a escola está inserida, asfamílias donde provêm a clientela, os alunos e seus costumes, a própria propostado professor e da escola. Tudo com a finalidade de proporcionar situaçõeseducacionais apropriadas à formação do aluno. Implica também em detectar ostalentos e as dificuldades dos alunos, a fim de providenciar atendimentoadequado prevenindo e/ou corrigindo falhas no processo ensino-aprendizagem.Neste contexto cabe também a auto-avaliação do professor e da escola. b) Função de Acompanhamento-: É o momento de retomada dos dados doConselho de Classe anterior, para análise do que foi feito, face àsrecomendações emanadas, apurando os êxitos e dificuldades encontradas. Estaanálise implicará novamente na auto-avaliação de todos os envolvidos noprocesso, podendo neste momento ocorrer alterações no planejamento, nametodologia do professor, na forma de avaliar ou mesmo na sua posturapedagógica. Os alunos por sua vez também farão esta auto-avaliação,observando onde podem melhorar, propondo sugestões para que isso aconteça. Recomendações sobre procedimentos de recuperação, atendimentosindividualizados, sugestões metodológicas, poderão sair neste momento dareunião do Conselho. c) Função Prognóstica: É o momento de se estabelecer metas e previsõesque poderão ser alcançadas até o final de cada bimestre letivo. Estão incluídosaqui a elaboração de projetos que sejam direcionados aos problemas detectados,conversa com os pais na busca de parceria, possíveis encaminhamentosterapêuticos e substituição do professor, se for o caso. As sugestões serãolevantadas no momento da avaliação coletiva, durante a reunião do Conselho. Além das perspectivas e funções citadas anteriormente, o Conselho deClasse, no que se refere ao sistema de avaliação, estará sujeito às legislaçõesemanadas pela Secretaria de Estado de Educação, previstas no RegimentoEscolar. O Conselho de Classe funcionará da seguinte forma: 1º momento-: Entendimento dos objetivos do Conselho; 2º momento-: Diagnóstico de cada turma a partir de levantamento de dadosdo bimestre; 3º momento-: Avaliação dos professores; 4º momento-: Avaliação dos alunos; 5º momento-: Avaliação dos pais; 6º momento-: Elaboração de propostas para o próximo bimestre. O pessoal envolvido nas reuniões do Conselho serão: a) Todos os alunos da turma; b) Todos os professores da turma; c) Diretor; d) Coordenadores Pedagógicos; e) Pais dos alunos. 11
  12. 12. As datas das reuniões serão estabelecidas no Calendário escolar de cada ano letivo. 3- MARCO TEÓRICO A visão de mundo concebida na Proposta Pedagógica aponta para a minimizaçãodas desigualdades sociais, oferecendo indiscriminadamente a todos o acesso ao saber, àcultura e aos direitos garantidos em Lei e que nem sempre cumpridos, principalmenteneste mundo globalizado e tecnológico, onde não existe mais fronteiras para oconhecimento. Para tanto, a escola deve garantir aos alunos, a criticidade necessária parapoder avaliar as diferenças existentes e suas causas e educá-lo para que a participaçãodemocrática não se expresse apenas no momento das eleições e do voto. Dentre osdiversos objetivos do Projeto, buscamos garantir que a educação básica seja construídasob os pilares recomendados pela UNESCO (1999): aprender a conhecer, aprender afazer, aprender a viver juntos e aprender a ser, proporcionando aos alunos, um ensinodirecionado para o exercício da cidadania e para um mundo globalizado em constantetransformação. Buscamos também, desenvolver práticas educativas voltadas àparticipação da comunidade escolar, respeito ao meio ambiente, a cultura regional e local.O Currículo Escolar, a Avaliação, o Planejamento, a Organização Pedagógica eAdministrativa procuram estar direcionadas para o aluno, que é o foco principal da escola,de modo a tornar este ambiente alegre e dinâmico desencadeando assim o gosto e avalorização no educando e como conseqüência a qualidade tão almejada por todos. Agestão da escola é democrática, porque é constituída de um colegiado composto porrepresentantes de todos os segmentos da com unidade escolar. O currículo abrange umâmbito de intenções e interações, nas quais se entrecruzam processos e agentes diversos,que compõem um verdadeiro e complexo tecido educacional. Isto, significa conceber aorganização curricular para além da mera realização de atividades pedagógicas e divisãodo tempo escolar em rotinas estruturantes, ou apenas da organização do trabalho doseducadores. Currículo, como aponta (Machado, 2004, p 7), é todo processo educacional epedagógico e define-se como o conjunto de intenções, ações e interações presentes nocotidiano de qualquer instituição. O ensino-aprendizagem caracteriza-se pelodesenvolvimento e transformação progressiva das capacidades intelectuais dos alunos emdireção ao domínio dos conhecimentos e habilidades, e sua aplicação. O processo visaalcançar determinado resultado em termos de habilidades e competências. Para tanto, aescola por meio dos PCNs, Orientações Curriculares/MEC/07, Orientação Curricular para aEducação Básica de MS/08 (Ens. Fundamental e Médio) e dos recursos pedagógicos,contribui com o aperfeiçoamento da prática pedagógica e, por conseguinte a busca damelhoria da qualidade da educação, principal função social da escola.A avaliação da aprendizagem está voltada para a democratização e para a socialização dosaber estando em sintonia com as teorias recentes sobre o assunto e com a filosofia daEscola. Deve articular-se com o PPP e com o projeto de cada professor. Ela não é umfim em si mesma, como a prática atual demonstra, mais subsidia um curso de açãoque visa edificar o processo da aquisição do conhecimento. A avaliação é uma reflexãosobre o nível de qualidade do trabalho escolar do professor e do aluno. É necessária epermanente no trabalho docente, necessitando de acompanhamento sistemático doprocesso ensino/aprendizagem, a fim de constatar progressos, dificuldades, e reorientar otrabalho para correções necessárias. Na avaliação inclusiva, democrática e amorosa nãohá exclusão, mas sim diagnóstico e construção. Não há submissão, mas sim liberdade.Não há medo, mas sim espontaneidade e busca. Não há chegada definitiva, mas simtravessia permanente em busca do melhor.” (LUCKESI, 1997, pág. 25). A educação dequalidade é aquela que promove para “todo” o domínio de conhecimentos, a preparação 12
  13. 13. para o mundo do trabalho, a constituição da cidadania, tendo em vista a construção deuma sociedade mais justa e igualitária.3.1 – OS QUATRO PILARES DA EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO XXI A educação é a base da cidadania porque ela é ao mesmo tempo difusora einstrumento da possibilidade de construção de uma sociedade cujos direitos e deveressejam de fato exercido por todos. O papel da educação é duplo: ela é disseminadora deuma consciência cidadã e ao mesmo tempo é instrumento de consolidação de umaverdadeira cidadania vivenciada nesse segundo papel. A educação precisa,necessariamente estar cumprindo seu papel de garantir oportunidades iguais a todos. Édesejável que os estudantes de todos os níveis possam competir em igualdade decondições. Alguns dados recentes nos mostram que a escolarização ampla que ocorrehoje no Brasil pouco tem contribuído para a implantação de uma sociedade mais justacomo preconiza nossa Constituição. A educação é investimento estratégico na sociedadeda informação/conhecimento, porém mais importante é assumi-la como investimento éticoreferido ao compromisso com o desenvolvimento pleno dos cidadãos e oferta igualitária deoportunidades a todos. A UNESCO destacou quatro pilares que são as bases da educação, ao longo de todaa vida do homem. São eles: 1º. Pilar: APRENDER A CONHECER que significa dominar os instrumentos doconhecimento, o desenvolvimento do desejo e das capacidades de aprender a aprender. Odesenvolvimento de habilidades cognitivas e a compreensão do mundo que o cerca. Épreciso que neste pilar seja desenvolvido conhecimentos necessários como a linguagemmatemática e a linguagem verbal para propiciar a construção de novos conhecimentos. 2º. Pilar: APRENDER A FAZER. Conhecer e fazer são indissociáveis. O segundo éconseqüência do primeiro. Aprender a fazer implica no desenvolvimento de competênciasque envolvem experiências sociais e de trabalho diversas que possibilitem às pessoasenfrentar, de forma mais autêntica, às diversas situações e a um melhor desempenho notrabalho em grupo. 3º. Pilar: APRENDER A VIVER juntos, desenvolvendo a compreensão do outro e apercepção das interdependências, no sentido de realizar projetos comuns e preparar-separa gerir conflitos.Aqui, faz-se uma reflexão sobre o respeito às diversidades (culturais,étnicas...) edesenvolve valores necessários à convivência harmoniosa na sociedade. Cabe à escola,trabalhar conteúdos que contemplem assuntos como a diversidade da espécie humana epromova um ambiente que permita ao aluno a valorização do próximo e o espírito decooperação. 4º. Pilar: APRENDER A SER. A educação deve contribuir para o desenvolvimento totalda pessoa, isto é, espírito e corpo, inteligência, sensibilidade, sentido estético,responsabilidade pessoal, espiritualidade possibilitando ao mesmo, um potencialsignificativo que permita-lhe um pensamento reflexivo e crítico. Neste pilar, cabe àeducação, conferir a todos os seres humanos a liberdade de pensamento e discernimento 13
  14. 14. para que os mesmos sejam capazes de construir a sua própria história com bastantedignidade. Fundamentados nos quatro pilares, podemos pensar em uma escola com espaço deinteração, de participação e de articulação entre os segmentos , buscando sempre orespeito mútuo, a criatividade, a solidariedade, a cidadania, desenvolvendo habilidadesque levem os alunos a serem agentes do seu próprio saber e construtores de novoshorizontes que possibilite uma vida mais feliz. 3.2. ÁNÁLISE DO PROCESSO EDUCACIONAL A E.E. Profª Nair Palácio de Souza iniciou suas atividades em 1995. O número de alunos que matricularam-se na escola desde sua criação cresceu consideravelmente, como apresenta o gráfico seguinte: Ano letivo Matrícula Inicial Matrícula Final 1995 33 39 1996 80 99 1997 131 151 1998 256 321 1999 350 414 2000 387 471 2001 396 500 2002 501 575 2003 537 664 2004 613 723 2005 734 851 2006 752 868 2007 761 885 2008 852 931 2009 896 958 2010 1025 979 2011 1110 O Ensino Fundamental foi implantado na Escola à partir de 1998. Os Cursos de Educação Profissional foram implantados na escola a partir de 2008. 14
  15. 15. Os dados referentes aos alunos transferidos, evadidos, aprovados e reprovadosestão contidos no gráfico abaixo:ENSINO MÉDIOAno Letivo Transferidos Evadidos aprovados reprovados 1995 03 01 33 02 1996 11 04 73 11 1997 33 06 103 07 1998 30 12 168 18 1999 39 07 193 05 2000 39 08 208 21 2001 55 08 205 28 2002 50 02 267 19 2003 21 - 373 04 2004 63 13 291 40 2005 78 32 402 31 2006 75 31 426 25 2007 78 18 398 55 2008 85 25 429 36 2009 97 12 430 48 2010 124 19 426 37 2011ENSINO FUNDAMENTALAno Letivo transferidos Evadidos Aprovados Reprovados 1998 18 05 60 09 1999 40 04 94 19 2000 46 04 119 22 2001 29 01 143 10 2002 31 05 179 15 2003 25 01 173 25 2004 34 06 214 34 15
  16. 16. 2005 35 06 247 20 2006 33 02 254 22 2007 45 04 253 34 2008 42 06 270 38 2009 49 07 279 36 2010 43 01 295 34 2011 Apresentamos a seguir alguns indicadores educacionais recentes da Escolaque permite avaliar a qualidade do ensino ofertada pela instituição. RESULTADO PROVA IDEB Anos finais do Ensino Fundamental *IDEB Brasil MS Município Escola2005 3,5 3,4 3,0 ---2007 3,8 3,9 3,5 4,62009 4,0 4,1 4,2 4,92011Obs-: Em 2005 a escola não passou pela avaliação da Prova Brasil. RESULTADO PROVA BRASIL 2007 (Anos finais do Ensino Fundamental *) Brasil UF Município EscolaAprovação 78,2 75,5 70,9 88,9 (L.Portuguesa) 228,93 238,48 241,63 251,38Prova Brasil (Matemática) 240,56 252,16 255,82 260,83 Brasil UF Município EscolaMédia de horas-aula diária 4,5 4,3 4,3 4,4Docentes com curso superior 83,3 90,1 98,1 100,0 16
  17. 17. Distorção Idade-série 23,2 37,5 45,5 11,1* Dados: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira-INEP/MECRESULTADO PROVA BRASIL 2009 (Anos finais do Ensino Fundamental *) Brasil UF Município EscolaAprovação 78,2 75,5 70,9 88,9 (L.Portuguesa) 228,93 238,48 241,63 251,38Prova Brasil (Matemática) 240,56 252,16 255,82 260,83 Brasil UF Município EscolaMédia de horas-aula diária 4,5 4,3 4,3 4,4Docentes com curso superior 83,3 90,1 98,1 100,0Distorção Idade-série 23,2 37,5 45,5 11,1* Dados: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira-INEP/MEC Dados do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) *Ano da Avaliação Nº de Nº de Médias (Redação e Prova matrícula Participantes Objetiva) 2005 146 131 47,41 2006 153 131 45,69 2007 138 119 53,65 2008 2009 140 105 560,59 2010 17
  18. 18. * Dados: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira-INEP/MEC Uma análise efetuada pela Escola nos mostra a dificuldade enfrentada pelosalunos com relação ao entendimento dos enunciados das questões; esse fatoredundou, certamente, na diminuição da chance de acertos na resolução dasquestões colocadas, provocando em desvio na certitude dos resultados.4. MARCO OPERACIONAL Buscando a efetivação de uma escola pública de qualidade, seránecessário avaliar periodicamente o desempenho da Unidade Escolar, por meio defichas previamente elaboradas, reuniões e anualmente, da avaliação institucional.Com relação ao prédio, por ser uma construção nova está adequado para portadoresde necessidades especiais. A escola funciona em forma de salas ambientes e paramelhor operacionalização do currículo seria necessário a instalação de um televisore DVD em cada sala. Todos estes fatores são condições indispensáveis para adiminuição da evasão, repetência e na melhoria da aprendizagem dos nossos alunos.Esses espaços específicos permitem desenvolver experiências e produzirconhecimentos científicos, pois, a iniciação cientifica dá ao educando motivação paracontinuidade dos estudos. Para melhoria de todo o processo, a unidade escolarpretende desenvolver ações a curto, médio e longo prazo, tais como:- Criar condições para que todos os alunos desenvolvam suas capacidades eaprendam os conteúdos necessários para a vida em sociedade;- Permitir ao aluno exercitar sua cidadania a partir da compreensão da realidade,para que possa contribuir em sua transformação;- Buscar novas soluções, criar condições que exijam o máximo de exploração porparte dos alunos e estimular novas estratégias de compreensão da realidade;- Melhorar a qualidade de ensino, motivando e efetivando a permanência do alunoda escola, evitando a evasão;- Criar mecanismos de participação que traduzam o compromisso de todos namelhoria da qualidade de ensino e no aprimoramento do processo pedagógico;- Promover a integração escola-comunidade;- Atuar no sentido do desenvolvimento humano e social tendo em vista suafunção maior de agente de desenvolvimento cultural e social na comunidade, apartir de seu trabalho educativo.- Propor parcerias com Universidades, Empresas, Instituições e outros órgãos,solicitando serviços, cursos, palestras e outras formas de intercâmbio quevenham ao encontro dos anseios da comunidade escolar;- Promover reuniões pedagógicas periodicamente, no sentido de conscientizar osprofessores da necessidade de encontrar caminhos adequados e prazerosospara a concretização do processo ensino-aprendizagem, construindo, dessa 18
  19. 19. forma, um ambiente estimulador e agradável. Uma pedagogia centrada no aluno enão nos conteúdos;- Dinamizar o trabalho pedagógico através de atividades especiais: confecção dejornais, exposições, banco de livros, mostras variadas, produção de textos de alunose professores, etc;- Garantir que o Conselho de Classe seja participativo, transparente, responsável eque suas decisões sejam cumpridas; Implantar ou revitalizar os Projetos: MeioAmbiente, Dança, Sala Ambiente, Conservação do Patrimônio; Artesanato e Pintura;Fortalecer o Grêmio estudantil;- Criar a Associação de Pais;- Buscar junto a Secretaria Estadual de Educação a possibilidade na ampliação doprédio escolar (construção de: auditório, Laboratório de Química e Física ealmoxarifado);- Construir arquibancadas e alambrado na quadra de esportes;- Realizar anualmente os jogos interclasse;- Promover simulados semestrais para todos os alunos do Ensino Fundamental eMédio;- Promover extraordinariamente simulados bimestrais para os 9ºs anos do EnsinoFundamental e Terceiros anos do Ensino Médio nos moldes da Prova Brasil eEnem;- Buscar junto a SED, ampliação do número de pessoal administrativo: bibliotecário,agentes administrativos, de limpeza e de merenda;- Revitalizar a biblioteca;- Equipar o laboratório de ciências e biologia;- Substituir os computadores danificados e a expansão das memórias dos existentes;- Propor parcerias junto à iniciativa privada para melhorar os recursos pedagógicos;- Dinamizar o trabalho da coordenação pedagógica através de projetos específicos;- Dinamizar os planejamentos dos professores através de estudos dirigidos troca deexperiências didáticas, entre outras atividades pedagógicas;- Promover reparos em todos os instrumentos pedagógicos: retroprojetores, TVs,DVDs e sons;- Estimular e dar suporte financeiro e técnico as atividades esportivas tais como:handebol, basquetebol, voleibol, futsal, dança, xadrez, dama, atletismo, música,dança e teatro;- Promover atividades culturais, apresentação de danças, teatros e músicas,mensalmente, durante os intervalos;- Promover evento extraclasse com a participação da família (festas regionais,folclóricas e gincana escolar);- Promover reuniões bimestrais entre a direção, coordenação, professores e pais,palestras diversas com temas atuais (família, meio ambiente, trânsito, sexualidadeentre outros); 19
  20. 20. - Avaliar e adequar ao momento histórico vivenciado na Proposta Pedagógica.5. OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DAS ETAPAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA,EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL5.1 - ENSINO FUNDAMENTAL O Ensino Fundamental, através de conteúdos, metodologias e formas deacompanhamento e avaliação visa a que o aluno, ao final de sua conclusão sejacapaz de:➡Compreender a cidadania como participação social e política, assim comoexercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando, no dia a dia,atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outroe exigindo para si o mesmo respeito;➡Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentessituações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomardecisões coletivas;➡ Conhecer características fundamentais do Brasil nas dimensões sociais,materiais e culturais como meio para construir progressivamente a noção deidentidade nacional e pessoal e o sentimento de pertinência do país;➡ Conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sócio-cultural brasileiro, bemcomo aspectos sócio-culturais de outros povos e nações, posicionando-se contraqualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social,crenças, sexo, etnia ou outras características individuais e sociais;➡Perceber-se integrante, dependente e agente transformador do ambiente,identificando seus elementos e as interações entre eles, contribuindo ativamentepara melhoria do meio ambiente;➡Desenvolver o conhecimento ajustado de si mesmo e o sentimento de confiançaem suas capacidade afetiva, física, cognitiva, ética, estética, de inter-relação pessoale de inserção social, para agir com perseverança na busca do conhecimento e noexercício da cidadania;➡Conhecer o próprio corpo e dele cuidar, valorizando e dotando hábitos saudáveiscomo um dos aspectos básicos da qualidade de vida e agindo comresponsabilidade em relação a sua saúde e à saúde coletiva;➡Utilizar as diferentes linguagens – verbal, musical, matemática, gráfica, plástica ecorporal – como meio para produzir, expressar e comunicar suas idéias,interpretar e usufruir das produções culturais, em contexto públicos e privados,atendendo a diferentes intenções e situações de comunicação;➡Saber utilizar diferentes fontes de informação e recursos tecnológicos paraadquirir e construir conhecimentos;➡Questionar a realidade detectando problemas e tratando de resolvê-los,utilizando para isso o pensamento lógico, a criatividade, a intuição, a capacidadede análise crítica, selecionando procedimentos e verificando sua adequação. 20
  21. 21. 5.2 – ENSINO MÉDIO O Ensino Médio objetiva, através de conteúdos, metodologias, formas deacompanhamento e avaliação a que o aluno demonstre:➡Domínio dos princípios científicos e tecnológicos que presidem as modernasformas de produção;➡Conhecimento das formas contemporâneas de linguagem;➡Domínio dos conhecimentos de ciências humanas e ambientais necessários aoexercício da cidadania.5.3 – EDUCAÇÃO PROFISSIONAL A Escola Estadual Profª. Nair Palácio de Souza propõe o oferecimento doCursos de Educação Profissional Técnica de nível médio, visando contribuir de formaativa para o atendimento das demandas necessárias do mercado de trabalho eoferecer à comunidade de Nova Andradina profissionais habilitados, competentes edinâmicos, preparados para a empregabilidade e a competitividade do mundomoderno e capazes de atuar com eficiência e eficácia, tendo como perspectivapedagógica relacionar o currículo à realidade onde a unidade escolar está inserida.Essa proposta requer desta Instituição, permanente atualização e sintonia com astransformações tecnológicas e socioculturais do mundo do trabalho, além de contatopermanente com agentes educacionais, recursos atualizados e práticas pedagógicasoperatórias e ativas, compatíveis com as características do processo produtivo. Em2011 a escola está oferecendo o Curso de Técnico em vendas e Técnico emAgronegócio.5.4 – CURSO NORMAL MEDIO O Objetivo do Curso normal médio é promover a formação em nível médio,na modalidade normal, de docentes para atuar na educação infantil e nos anosiniciais do ensino fundamental com subsídios teóricos e metodológicos quecontribuam para a construção de práticas pedagógicas atualizadas econtextualizadas.5.5 – INTEGRAÇÃO E SEQÜÊNCIA DOS COMPONENTES CURRICULARES DOENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO, EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EEDUCAÇÃO PROFISSIONAL Através da verticalidade e da horizontalidade, haverá a integração e aseqüência dos componentes curriculares do Ensino Fundamental, do Ensino Médio,da Educação de Jovens e Adultos e da Educação Profissional, abordadas nosplanejamentos escolares e com amplas discussões nas reuniões docentes,sempre com embasamento nas diretrizes traçadas pela LDBEN e nasorientações emanadas da Secretaria de Estado de Educação. 21
  22. 22. 5.6 - INSERÇÃO DOS TEMAS TRANSVERSAIS Os Temas Transversais são estabelecidos pelos Parâmetros CurricularesNacionais e compreendem seis áreas: Ética, Orientação Sexual, Meio Ambiente,Saúde, Pluralidade Cultural e Trabalho e Consumo. Eles constituem uma série devalores humanos a ser desenvolvidos na escola (higiene, habitação, lazer, respeito,atitudes, comportamentos, etc...). Na escola não haverá aulas específicas sobre ostemas transversais. Eles estarão integrados a todas as áreas do currículo e caberá aoprofessor verificar o momento propício para abordá-los. Os mesmos poderãotambém ser trabalhados sob a forma de projetos.5.6.1 - ÉTICA A Ética diz respeito às reflexões sobre as condutas humanas. Na escola, estetema encontra-se, em primeiro lugar, nas próprias relações entre os agentes queconstituem essas instituição: alunos, professores, coordenadores, funcionários e pais.Em segundo lugar, encontra-se nas disciplinas do currículo, uma vez que oconhecimento não é neutro. O tema Ética traz a proposta de que a escola realize umtrabalho que possibilite o desenvolvimento da autonomia moral, condição para areflexão ética, e será trabalhado a partir de quatro blocos de conteúdos: RespeitoMútuo, Justiça, Diálogo e Solidariedade.5.6.2 – PLURALIDADE CULTURAL Para viver democraticamente em uma sociedade plural é preciso respeitaros diferentes grupos e culturas que a constituem. A sociedade brasileira pé formadanão só por diferentes etnias, como por imigrantes de diferentes países, e tambémcom as migrações que nos colocam em contato com grupos diferenciados. .Ás vezesas relações pessoais desses grupos são marcadas pelo preconceito. O grandedesafio da escola é investir na superação da discriminação e dar a conhecer ariqueza representada pela diversidade etnocultural que compõe o patrimôniosociocultural brasileiro, valorizando a trajetória particular dos grupos que compõem asociedade. Para tanto os conteúdos que serão trabalhados neste tema são osseguintes: Pluralidade Cultural e a vida dos adolescentes no Brasil; PluralidadeCultural na formação do Brasil, O ser humano como agente social e produtor decultura, Direitos Humanos e Direitos de cidadania e Pluralidade.5.6.3 - MEIO AMBIENTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL (LEI 9.795/1999) O Meio Ambiente constitui um dos temas transversais de fundamentalreflexão e introduz nas salas de aula assuntos cada vez mais atual. Para a escola,o Meio Ambiente não se restringe ao ambiente físico e biológico, mas inclui tambémas relações sociais, econômicas e culturais. O objetivo é trazer reflexões que levem oaluno ao enriquecimento cultural, à qualidade de vida e à preocupação com oequilíbrio ambiental. O trabalho será realizado á partir de três blocos de conteúdos: Anatureza “cíclica” da Natureza, Sociedade e Meio Ambiente e Manejo e Conservaçãoambiental.5.6.4 – SAÚDE 22
  23. 23. A Saúde, antes de tudo, é um direito fundamental do cidadão. Nesse sentido, aescola tem a função de orientar o estudante com as noções básicas de higiene esaúde, lembrando-lhe que cada indivíduo deve ser responsável pelo seu próprio bem-estar. Falar em saúde implica levar em conta, por exemplo, a qualidade do ar que serespira, o consumismo desenfreado e a miséria, a degradação social e a desnutrição.Atitudes favoráveis ou desfavoráveis à saúde são construídas desde a infância pelaidentificação de valores observados em modelos externos ou grupos de referência. Aformação do aluno para o exercício da cidadania compreende a motivação e acapacitação para o autocuidado, assim como a compreensão da saúde como direitoe responsabilidade pessoal e social. Os conteúdos desta área são:Autoconhecimento para o Autocuidado e Vida Coletiva.5.6.5 – ORIENTAÇÃO SEXUAL O trabalho de Orientação Sexual visa transmitir informações e problematizarquestões relacionadas à sexualidade, incluindo posturas, tabus e valores a elaassociados. Essas informações jamais poderão ferir a crença e valores trazidospelos jovens da família. Propõem-se três eixos fundamentais para nortear aintervenção do professor em relação ao tema: Corpo Humano, Relações de Gêneroe Prevenção às Doenças Sexualmente transmissíveis/AIDS.5.6.6 – TRABALHO E CONSUMO Ao enfocarmos o tema transversal Trabalho e Consumo, podemos enfatizar asinformações das relações de trabalho em várias épocas e a sua dimensão histórica,assim como comparar diversas modalidades de trabalho, como o comunitário, aescravidão, a exploração, o trabalho livre, o assalariado. Podemos também analisar ainfluência da publicidade na vida das pessoas, enfocando a Industria Cultural,refletindo como a propaganda dissemina atitudes de vida, padrões de beleza econdutas que manifestam valores e expectativas. Pode-se também analisarcriticamente o anseio de consumo e a autêntica necessidade de adquirir produtos eserviços. Os conteúdos a serem trabalhados nesta área são: Relações de Trabalho,Trabalho, consumo, saúde e meio ambiente; Consumo, meios de comunicação demassas, publicidade e vendas e Direitos Humanos, cidadania, trabalho e consumo. Este Tema Transversal será trabalhado nos anos finais do Ensino Fundamental.5.7 – INSERÇÃO DA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICOS-RACIAIS E PARAO ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA, AFRICANA EINDÍGENA. (Lei 10.639/2003 e Lei 11.645/2008) O atendimento diferenciado a ser dado às questões étnico-raciais se traduz pormeio do que propõe a legislação específica do tema, buscando a consolidação daEducação Afro-Brasileira, História Africana e História dos Negros e Índios no Brasil,em forma de conteúdos nas diversas disciplinas, que compõem o currículo daEducação Básica, Curso Normal Médio e Educação Profissional, em especial emHistória, Educação Religiosa, Literatura, Artes, Sociologia, Filosofia e EducaçãoFísica. O trabalho pedagógico com o tema buscará promover uma educação 23
  24. 24. transformadora que possa formar cidadãos conscientes de seu pertencimento ético-racial, que caminhem juntos na construção de uma sociedade justa e democrática. Será incluído no Calendário escolar o dia 20 de novembro como “Dia Nacionalda Consciência Negra”. Para a inserção da Educação das relações étnico-raciais e para o Ensino deHistória e Cultura Afro-brasileira, Africana e Indígena no currículo escolar, caberá àUnidade Escolar:- Conscientizar a comunidade de que a sociedade é formada por pessoas quepertencem a grupos étnico-raciais distintos, que possuem cultura e história próprias,igualmente valiosas, e que, em conjunto, constroem, na nação brasileira e suahistória;- Conhecer e à valorizar a história dos povos africanos, da cultura afro-brasileira eindígena na construção histórica e cultural do País;- Promover a superação da indiferença, injustiça e desqualificação com que osnegros, os povos indígenas e também as classes populares, às quais os negros, nogeral, pertencem, são comumente tratados.- Buscar informações e subsídios, da parte de pessoas, em particular de professoresnão familiarizados com a análise das relações étnico-raciais e sociais com o estudode História e Cultura Afro-brasileira , Africana e Indígena, que lhes permitam formularconcepções não baseadas em preconceitos e construir ações respeitosas.- Procurar romper com as imagens negativas, forjadas por diferentes meios decomunicação, contra os negros e os povos indígenas.- Combater à privação e à violação de direitos.- Ampliar o acesso a informações sobre a diversidade da nação brasileira e sobre arecriação das identidades, provocada por relações étnico-raciais.- Levar a comunidade escolar a pensar, decidir, agir, assumir responsabilidades porrelações étnico-raciais positivas, enfrentando e superando discordâncias, conflitos econtestações, valorizando os contrastes das diferenças.- Valorizar e divulgar a oralidade, a corporeidade e a arte — por exemplo, a dança—, marcas da cultura de raiz africana e indígena, ao lado da escrita e da leitura.- Promover a educação patrimonial, buscando o aprendizado com base nopatrimônio cultural afro-brasileiro e indígena, visando preservá-lo e difundi-lo.- Promover parcerias com organizações de grupos do Movimento Negro e Índio ede grupos culturais negros e indígenas, bem como da comunidade em que se inserea escola, sob a coordenação dos professores, na elaboração de projetos quecontemplem a diversidade étnico-racial.- Apoiar sistematicamente os professores na elaboração de planos, projetos,seleção de conteúdos e métodos de ensino, cujo foco seja a História e Cultura Afro-brasileira e Africana, Indígena e a Educação das Relações Étnico-raciais. 24
  25. 25. 5.8 - INSERÇÃO DA HISTÓRIA DA CULTURA SUL-MATO-GROSSENSE (Parecernº 235 – CEE/MS) O entendimento expresso nesta proposta é de que as manifestações culturaissul-mato-grossenses devem perpassar todas as disciplinas da Educação Básica,Educação de Jovens e adultos e Educação Profissional, em especial Artes, Literatura,Língua Portuguesa, História, Educação Religiosa, Geografia e Sociologia. Aarticulação dos aspectos culturais com todas as áreas do conhecimento quecompõem o currículo é indispensável para a construção da identidade local. Entende-se que este procedimento promoverá o acesso à cultura e constituiráelemento fundamental para a consolidação da cidadania do povo sul-mato-grossense. Para a inserção da cultura sul-mato-grossense no currículo escolar, caberá àUnidade Escolar:- Promover a articulação das diferentes disciplinas como os elementos culturais queas envolvem;- Destacar os elementos da cultura regional – música, artes plásticas, teatro,literatura e outros, articulando com os temas desenvolvidos nas diversas disciplinas;- Promover o acesso a museus, teatro, cinema, com projeção de filmes com temasregionais, e outras manifestações culturais presentes na comunidade;- Desenvolver pesquisas sobre as manifestações culturais da comunidade, da cidadee do Estado;- Elaborar e desenvolver projetos temáticos, articulados com elementos culturais.5.9 - INSERÇÃO DA EDUCAÇÃO E ENSINO PARA O TRÃNSITO (Lei nº 9.503/2007) A Educação e o Ensino para o Trânsito será desenvolvida em todos os níveise modalidades de ensino, visando a formação integral do cidadão, conscientizando-odos diversos papéis, por ele desempenhados no trânsito, resgatando os valoreséticos. A organização desse ensino no currículo escolar se dará pelatransversalidade, ou seja, os objetivos e conteúdos relativos ao trânsito serãoincorporados nas áreas/eixos/componentes curriculares já existentes no currículo eno trabalho educativo da escola. Para a inserção da Educação e Ensino para o Trânsito no currículo escolar,caberá à escola:- Despertar a consciência crítica, juntamente com a responsabilidade de cadacidadão;- Envolver os alunos, levando até eles informações sobre Educação no Trânsito;- Valorizar a importância do uso do cinto de segurança;- Reconhecer a importância do pedestre e suas obrigações dentro do trânsito;- Valorizar a Educação para o Trânsito dentro da vida escolar, com o objetivo de 25
  26. 26. melhorar nossas atitudes evitando acidentes e preservando a vida;- Identificar a forma correta de locomoção de condutores, ciclista e pedestres pelotrânsito, sem transgredir as leis;- Reconhecer a importância da faixa de segurança, semáforos, placas de sinalizaçãoe aplicar os conhecimentos no seu cotidiano;- Respeitar o profissional do trânsito;- Perceber situações de risco no trânsito;- Provocar na comunidade, reflexão sobre os diferentes fatores que interferem notrânsito levando-a a sistematizar informações relevantes para a compreensão esoluções dos problemas;- Implantar uma consciência de trânsito, ou seja, transformar conhecimento ematitude, e preocupação em ações concretas.- Elaborar e desenvolver projetos temáticos sobre o Trânsito.5.10 - INSERÇÃO DA EDUCAÇÃO MUSICAL NA EDUCAÇÃO BÁSICA (Lei nº11.769/2008) O conteúdo de música será integrado à área de conhecimento/disciplina deArtes e será trabalhado também sob a forma de projeto. Não haverá uma disciplinaespecifica para o ensino da música na Unidade Escolar.5.11 – INSERÇÃO DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES NOENSINO FUNDAMENTAL ( LEI 8.069/1990) O currículo do Ensino Fundamental incluirá, obrigatoriamente, conteúdo quetrate dos direitos das crianças e dos adolescentes, tendo como diretriz a Lei n o 8.069,de 13 de julho de 1990, que institui o Estatuto da Criança e do Adolescente,observada a produção e distribuição de material didático adequado.5.12 – INSERÇÃO DOS DIREITOS DOS IDOSOS NA EDUCAÇÃO FORMAL ( LEI10.741/2003) Nos currículos mínimos dos diversos níveis de ensino formal serão inseridosconteúdos voltados ao processo de envelhecimento, ao respeito e à valorização doidoso, de forma a eliminar o preconceito e a produzir conhecimentos sobre a matéria.5.13– PROGRAMA DE INCLUSÃO DE MEDIDAS DE CONSCIENTIZAÇÃO,PREVENÇÃO E COMBATE AO BULLYING (Lei nº 3.887, de 06/05/2010) Uma das principais ameaças do século XXI e do processo deconstrução da paz é a violência. Em qualquer segmento social presenciamos formasdiferenciadas de violência, principalmente no ambiente escolar, onde é evidente a 26
  27. 27. crescente manifestação de atos violentos em diversos níveis de escolaridade. Dentreas diversas formas de violência, destacamos o fenômeno do bullying, que, mesmo deforma velada, representa uma grande preocupação para a comunidade escolar.Estudos sobre esta temática apontam os diversos tipos de bullying: SEXUAL:assédio, indução e/ou abuso sexual; VERBAL: apelidos pejorativos, xingamentos epiadas depreciativas; FÍSICO: bater, chutar, empurrar e ferir fisicamente;EXCLUSÃO SOCIAL: ignorar, isolar e excluir; PSICÓLOGICO: perseguir, aterrorizar,intimidar, dominar, infernizar, chantagear e manipular; MORAL: difamar, disseminarrumores ou caluniar; VIRTUAL: divulgar imagens, criar comunidades, enviarmensagens, invadir a privacidade e MATERIAL: destruir, estragar, furtar e roubar ospertences das vítimas. Ações para banir o bullying na Unidade Escolar serão executadas todos osanos, objetivando a prevenção e o combate a esta prática nociva no meio dosalunos.6. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR6.1 - SÍNTESE DOS OBJETIVOS POR ÁREA DO CONHECIMENTO NO ENSINOFUNDAMENTAL:6.1.1 – LÍNGUA PORTUGUESA➡Expandir o uso da linguagem em instâncias privadas e utilizá-las comeficiência em instâncias públicas, sabendo assumir a palavra e produzir textos –tanto orais como escritos – coerentes, coesos, adequados a seus destinatários, aosobjetivos a que se propõem e aos assuntos tratados;➡Utilizar diferentes registros, inclusive os mais formais da variedade valorizadasocialmente, sabendo adequá-los às circunstâncias da situação comunicativa deque participam;➡Conhecer e respeitar as diferentes variedades lingüísticas do português falado;➡Compreender os textos orais e escritos com os quais se defrontam emdiferentes situações de participação social, interpretando-os corretamente einferindo as intenções de quem os produz; 27
  28. 28. ➡Valorizar a leitura como fonte de informação, via de acesso aos mundos criadospela literatura e possibilidade de fruição estética, sendo capazes de recorrer aosmateriais escritos em função de diferentes objetivos;➡Utilizar a linguagem como instrumento de aprendizagem, sabendo comoproceder para ter acesso, compreender e fazer uso de informações contidas nostextos: identificar aspectos relevantes; organizar notas; elaborar roteiros; comportextos coerentes a partir de trechos oriundos de diferentes fontes; fazer resumos,índices, esquemas, etc.;➡Valer-se da linguagem para melhorar a qualidade de suas relações pessoais,sendo capazes de expressar seus sentimentos, experiências, idéias e opiniões,bem como de acolher, interpretar e considerar os dos outros, contrapondo-osquando necessário;➡Usar os conhecimentos adquiridos por meio da prática de reflexão sobre alíngua para expandirem as possibilidades de uso da linguagem e a capacidadede análise crítica;➡Conhecer e analisar criticamente os usos da língua como veículo de valores epreconceitos de classe, credo, gênero ou etnia.6.1.2 – LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ( INGLÊS)➡Saber distinguir entre as variantes lingüísticas;➡escolher o registro adequado à situação na qual se processa a comunicação;➡Escolher o vocábulo que melhor reflita a idéias que pretenda comunicar;➡Compreender de que forma determinada expressão pode ser interpretada emrazão de aspectos sociais e/ou culturais;➡Compreender em que medida os enunciados refletem a forma de ser, pensar,agir e sentir de quem os produz;➡Utilizar os mecanismos de coerência e coesão na produção em LínguaEstrangeira ( oral e/ou escrita). Todos os textos referentes à produção e árecepção em qualquer idioma regem-se por princípios gerais de coerência ecoesão e, por isso, somos capazes de entender e de sermos entendidos;➡Utilizar as estratégias verbais e não verbais para compensar falhas nacomunicação ( como o fato de não ser capaz de recordar, momentaneamente,uma forma gramatical ou lexical), para favorecer a efetiva comunicação e alcançaro efeito pretendido (falar mais lentamente, ou enfatizando certas palavras, demaneira proposital, para obter determinados efeitos retóricos). 28
  29. 29. 6.1.3 – MATEMÁTICA➡Identificar os conhecimentos matemáticos como meios para compreender etransformar o mundo à sua volta e perceber o caráter de jogo intelectual,característico da Matemática, como aspecto que estimula o interesse, acuriosidade, o espírito de investigação e o desenvolvimento da capacidade pararesolver problemas;➡Fazer observações sistemáticas de aspectos quantitativos e qualitativos doponto de vista do conhecimento e estabelecer o maior número possível derelações entre eles, utilizando para isso o conhecimento matemático ( aritmético,geométrico, métrico, algébrico, estatístico, combinatório, probabilístico); selecionar,organizar e produzir informações relevantes, para interpretá-las e avaliá-lascriticamente;➡Resolver situações-problemas, sabendo validar estratégias e resultados,desenvolvendo formas de raciocínio e processos, como dedução, indução,intuição, analogia, estimativa, e utilizando conceitos e procedimentos matemáticos,bem como instrumentos tecnológicos disponíveis;➡Comunicar-se matematicamente, ou seja, descrever, representar e apresentarresultados com precisão e argumentar sobre suas conjecturas, fazendo uso dalinguagem oral e estabelecendo relações entre ela e diferentes representaçõesmatemáticas;➡Estabelecer conexões entre temas matemáticos de diferentes composições eentre esses temas e conhecimentos de outras áreas curriculares;➡Sentir-se seguro da própria capacidade de construir conhecimentosmatemáticos, desenvolvendo a auto-estima e a perseverança na busca desoluções;➡Interagir com seus pares de forma cooperativa, trabalhando coletivamente nabusca de soluções para problemas propostos, identificando aspectos consensuaisou não na discussão de um assunto, respeitando o modo de pensar dos colegase aprendendo com eles.6.1.4 - CIÊNCIAS➡Compreender a natureza como um todo dinâmico, sendo o ser humano parteintegrante e agente de transformações do mundo em que vive;➡Identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia econdições de vida, no mundo de hoje e em sua evolução histórica;➡Formular questões, diagnosticar e propor soluções para problemas reais apartir de elementos da Ciências Naturais, colocando em prática conceitos,procedimentos e atitudes desenvolvidos com o aprendizado escolar;➡Saber utilizar conceitos científicos básicos, associados a energia, matéria,transformação, espaço, tempo, sistema, equilíbrio e vida; 29
  30. 30. ➡Saber combinar leituras, observações, experimentações, registros, etc., paracoleta, organização, comunicação e discussão de fatos e informações;➡Valorizar o trabalho em grupo, sendo capaz de ação crítica e cooperativa paraa construção coletiva do conhecimento;➡Compreender a saúde como bem individual e comum que deve ser promovidopela ação coletiva;➡Compreender a tecnologia como meio para suprir necessidades humanas,distinguindo usos corretos e necessários daqueles prejudiciais ao equilíbrio danatureza e ao homem.6.1.5 – HISTÓRIA➡Identificar o próprio grupo de convívio e as relações que estabelecem comoutros tempos e espaços;➡Organizar alguns repertórios históricos-culturais que lhes permitam localizaracontecimentos numa multiplicidade de tempo, de modo a formular explicaçõespara algumas questões do presente e do passado;➡Conhecer e respeitar o modo de vida de diferentes grupos sociais, em diversostempos e espaços, em suas manifestações culturais, econômicas, políticas esociais, reconhecendo semelhanças e diferenças entre eles;➡Reconhecer mudanças e permanências nas vivências humanas, presentes nasua realidade e em outras comunidades, próximas ou distantes no tempo e noespaço;➡Questionar sua realidade, identificando alguns de seus problemas e refletindosobre algumas de suas possíveis soluções, reconhecendo formas de atuaçãopolítica institucionais e organizações coletivas da sociedade civil;➡Utilizar métodos de pesquisa e de produção de textos de conteúdo histórico,aprendendo a ler diferentes registros escritos, icnográficos, sonoros;➡Valorizar o patrimônio sociocultural e respeitar a diversidade, reconhecendo-acomo um direito dos povos e indivíduos e como um elemento de fortalecimentoda democracia.6.1.6 – GEOGRAFIA➡Conhecer a organização do espaço geográfico e o funcionamento da naturezaem suas múltiplas relações, de modo a compreender o papel das sociedades emsua construção e na produção do território, da paisagem e do lugar;➡Identificar e avaliar as ações dos homens em sociedade e suas conseqüênciasem diferentes espaços e tempos, de modo a construir referenciais quepossibilitem uma participação propositiva e reativa nas questões socioambientaislocais; 30
  31. 31. ➡Compreender a espacialidade e temporalidade dos fenômenos geográficosestudados em suas dinâmicas e interações;➡Compreender que as melhorias nas condições de vida, os direitos políticos, osavanços técnicos e tecnológicos e as transformações socioculturais sãoconquistas decorrentes de conflitos e acordos, que ainda não são usufruídas portodos os seres humanos e, dentro de suas possibilidades, empenhar-se emdemocratizá-las;➡Conhecer e saber utilizar procedimentos de pesquisa da Geografia paracompreender o espaço, a paisagem, o território e o lugar, seus processos deconstrução, identificando suas relações, problemas e contradições;➡Fazer leituras de imagens, de dados e de documentos de diferentes fontes deinformações, de modo a interpretar, analisar e relacionar informações sobre oespaço geográfico e as diferentes paisagens;➡Saber utilizar a linguagem cartográfica para obter informações e representar aespacialidade dos fenômenos geográficos;➡Valorizar o patrimônio sociocultural e respeitar a sociodiversidade,reconhecendo-a como um direito dos povos e indivíduos e um elemento defortalecimento da democracia.6.1.7 –ARTES➡Expressar e saber comunicar-se em artes mantendo uma atitude de buscapessoal e/ou coletiva, articulando a percepção, a imaginação, a emoção, asensibilidade e a reflexão ao realizar e fruir produções artísticas;➡Interagir com materiais, instrumentos e procedimentos variados em, artes (ArtesVisuais, Dança, Música, Teatro), experimentando-os e conhecendo-os de modo autilizá-los nos trabalhos pessoais;➡Edificar uma relação de autoconfiança com a produção artística pessoal econhecimento estético, respeitando a própria produção e a dos colegas, nopercurso de criação que abriga uma multiplicidade de procedimentos e soluções;➡Compreender e saber identificar a arte como fato histórico contextualizado nasdiversas culturas, conhecendo respeitando e podendo observar as produçõespresentes no entorno, assim como as demais do patrimônio cultural e do universonatural, identificando a existência de diferenças nos padrões artísticos e estéticos;➡Observar as relações entre o homem e a realidade com interesse e curiosidade,exercitando a discussão, indagando, argumentando e apreciando arte de modosensível;➡Compreender e saber identificar aspectos da função e dos resultados dotrabalho do artista, reconhecendo, em sua própria experiência de aprendiz,aspectos do processo percorrido pelo artista;➡Buscar e saber organizar informações sobre a arte em contato com artistas,documentos, acervos nos espaços da escola e fora dela ( livros, revistas, jornais,ilustrações, diapositivos, vídeos, discos, cartazes) e acervos públicos (museus,galerias, centros de cultura, biblioteca, videotecas, cinematecas), reconhecendo e 31
  32. 32. compreendendo as variedade dos produtos artísticos e concepções estéticaspresentes na história das diferentes culturas e etnias.6.1.8 – EDUCAÇÃO FÍSICA➡Participar de atividades corporais, estabelecendo relações equilibradas econstrutivas com os outros, reconhecendo e respeitando características físicas ede desempenho de si próprio e dos outros, sem discriminar por característicaspessoais, físicas, sexuais ou sociais;➡Adotar atitudes de respeito mútuo, dignidade e solidariedade em situaçõeslúdicas e esportivas, repudiando qualquer espécie de violência;➡Conhecer, valorizar, respeitar e desfrutar da pluralidade de manifestações decultura corporal do Brasil e do mundo, percebendo-as como recurso valioso paraintegração entre pessoas e entre diferentes grupos sociais;➡Reconhecer-se como elementos integrante do ambiente, adotando hábitossaudáveis de higiene, alimentação e atividades corporais, relacionando-os com osefeitos sobre a própria saúde e de recuperação, manutenção e melhoria da saúdecoletiva;➡Solucionar problemas de ordem corporal em diferentes contextos, regulando edosando o esforço em um nível compatível com as possibilidades considerandoque o aperfeiçoamento e o desenvolvimento das competências corporais decorremde perseverança e regularidade e devem ocorrer de modo saudável eequilibrado;➡Reconhecer condições de trabalho que comprometam os processos decrescimento e de desenvolvimento, não as aceitando para si nem para os outros,reivindicando condições de vida digna;➡Conhecer a diversidade de padrões de saúde, beleza e estética corporal queexistem nos diferentes grupos sociais, compreendendo sua inserção dentro dacultura em que são produzidos, analisando criticamente os padrões divulgadospela mídia e evitando o consumismo e o preconceito;➡Conhecer, organizar e interferir no espaço de forma autônoma, bem comoreivindicar locais adequados para promover atividades corporais de lazer,reconhecendo como uma necessidade básica do ser humano e um direito docidadão.7.1 – SÍNTESE DOS OBJETIVOS POR DISCIPLINA NO ENSINO MÉDIO:7.1.1 – LÍNGUA PORTUGUESA➡Considerar a Língua Portuguesa como fonte de legitimação de acordos econdutas sociais e como representação simbólica de experiências humanasmanifestas nas formas de sentir, pensar e agir na vida social; 32
  33. 33. ➡Analisar os recursos expressivos da linguagem verbal, relacionandotextos/contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura, de acordocom as condições de produção/recpeção (intenção, época, local, interlocutoresparticipantes da criação e propagação de idéias e escolhas);➡Confrontar opiniões e pontos de vistas sobre as diferentes manifestações dalinguagem verbal;➡Compreender e usar a Língua Portuguesa como língua materna, geradora designificação e integradora da organização do mundo e da própria identidade.7.1.2 – LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ( INGLÊS)➡Saber distinguir entre as variantes lingüísticas;➡escolher o registro adequado à situação na qual se processa a comunicação;➡Escolher o vocábulo que melhor reflita a idéias que pretenda comunicar;➡Compreender de que forma determinada expressão pode ser interpretada emrazão de aspectos sociais e/ou culturais;➡Compreender em que medida os enunciados refletem a forma de ser, pensar,agir e sentir de quem os produz;➡Utilizar os mecanismos de coerência e coesão na produção em LínguaEstrangeira ( oral e/ou escrita). Todos os textos referentes à produção e árecepção em qualquer idioma regem-se por princípios gerais de coerência ecoesão e, por isso, somos capazes de entender e de sermos entendidos;➡Utilizar as estratégias verbais e não verbais para compensar falhas nacomunicação ( como o fato de não ser capaz de recordar, momentaneamente,uma forma gramatical ou lexical), para favorecer a efetiva comunicação e alcançaro efeito pretendido (falar mais lentamente, ou enfatizando certas palavras, demaneira proposital, para obter determinados efeitos retóricos).7.1.3 – LITERATURA➡Distinguir texto literário de texto não-literário, em função da forma, finalidade econvencionalidade;➡Diferenciar, em textos literários, concepções de mundo e de sujeito decorrentesde sua historicidade;➡Diferenciar, em textos, marcas de valores e intenções dos agentes produtoresem função de seus comprometimentos e interesses políticos, ideológicos eeconômicos;➡Identificar a partir de um texto literário, as implicações no tratamento temático eno estilo conseqüentes do contexto histórico de produção e de recepção do texto;➡relacionar o universo literário com o estilo de época, bem como com estereótipose clichês sociais.7.1.4 – EDUCAÇÃO FÍSICA 33
  34. 34. ➡Compreender o funcionamento do organismo humano, de forma a reconhecer emodificar as atividades corporais, valorizando-as como recursos para melhoria desuas aptidões físicas;➡Desenvolver as noções conceituais de esforço, intensidade e freqüência,aplicando-as em suas práticas corporais;➡Refletir sobre as informações específicas da cultura corporal, sendo capaz dediscerni-las e reinterpretá-las em bases científicas, adotando uma posturaautônoma na seleção de atividades e procedimentos para a manutenção ouaquisição da saúde;➡Assumir uma postura ativa, na prática das atividades físicas, e consciente daimportância delas na vida do cidadão.7.1.5 – ARTES➡Realizar produções artísticas, individuais e/ou coletivas, nas linguagens da arte( música, artes visuais, dança, teatro, artes audiovisuais) analisando, refletindo ecompreendendo os diferentes processos produtivos, com seus diferentesinstrumentos de ordem material e ideal, como manifestações socioculturais ehistóricas;➡Apreciar produtos de arte, sem suas várias linguagens, desenvolvendo tanto afruição quanto a análise estética, conhecendo, analisando, refletindo ecompreendendo critérios culturalmente construídos e embasados emconhecimentos afins, de caráter filosófico, histórico, sociológico, antropológico,psicológico, semiótico, científico e tecnológico, dentre outros;➡Analisar, refletir, respeitar e preservar as diversas manifestações da arte – emsuas múltiplas linguagens - utilizadas por diferentes grupos sociais e étnicos,interagindo com o patrimônio nacional e internacional, que se deve conhecer ecompreender em sua dimensão sócio-histórica;➡Valorizar o trabalho dos profissionais e técnicos das linguagens artísticas, dosprofissionais da crítica, da divulgação e circulação dos produtos de arte.7.1.6 – BIOLOGIA➡Perceber e utilizar os códigos intrínseco da Biologia;➡Apresentar suposições e hipóteses acerca dos fenômenos biológicos emestudo;➡Conhecer diferentes formas de obter informações observação, experimento,leitura de texto e imagem, entrevista), selecionando aquelas pertinentes ao temabiológico em questão;➡Expressar dúvidas, idéias e conclusões acerca dos fenômenos biológicos;➡Reconhecer a Biologia como um fazer humano e, portanto, histórico, fruto daconjunção de fatores sociais, políticos, econômicos, culturais, religiosos etecnológicos. 34
  35. 35. 7.1.7 – FÍSICA➡Compreender enunciados que envolvam códigos e símbolos físicos;➡Utilizar e compreender tabelas, gráficos, fórmulas e relações matemáticasgráficas para a expressão do saber físico;➡Elaborar sínteses ou esquemas estruturados dos temas físicos trabalhados;➡Desenvolver a capacidade de investigação física. Classificar, organizar,sistematizar. Identificar regularidades. Observar, estimar ordens de grandeza,compreender o conceito de medir, fazer hipóteses, testar;➡Articular o conhecimento físico com conhecimentos de outras áreas do sabercientífico;➡Reconhecer o papel da Física no sistema produtivo, compreendendo a evoluçãodos meios tecnológicos e sua relação dinâmicas com a evolução doconhecimento científico.7.1.8 – QUÍMICA➡Compreender os códigos e símbolos próprios da Química atual;➡Traduzir a linguagem discursiva em outras linguagens usadas em Química:gráficos, tabelas e relações matemáticas;➡Compreender e utilizar conceitos químicos dentro de uma visão macroscópica(lógico-empírica e lógico-formal);➡Reconhecer aspectos químicos relevantes na interação individual e coletiva doser humano com o ambiente;➡Reconhecer as relações entre o desenvolvimento científico e tecnológico daQuímica e aspectos sócio-político-culturais.7.1.9 – MATEMÁTICA➡ Ler, interpretar e utilizar textos e representações Matemática;➡Exprimir-se com correção e clareza, tanto na língua materna, como nalinguagem matemática, usando a terminologia correta;➡Formular hipóteses e prever resultados a partir de problemas criados emsituações concretas;➡Fazer e validar conjecturas, experimentando, recorrendo a modelos, esboços,fatos conhecidos, relação e propriedades;➡desenvolver a capacidade de utilizar a Matemática na interpretação eintervenção no real;➡Aplicar conhecimentos e métodos matemáticos em situações reais, em especialem outras áreas do conhecimento. 35
  36. 36. 7.1.10 – HISTÓRIA➡Situar as diversas produções da cultura – as linguagens, as artes, a filosofia, areligião, as ciências, as tecnologias e outras manifestações sociais nos contextoshistóricos de sua constituição e significação;➡Situar os momentos históricos nos diversos ritmos da duração e nas relaçõesde sucessão e/ou de simultaneidade;➡Comparar problemáticas atuais e de outros momentos históricos;➡Posicionar-se diante de fatos presentes a partir da interpretação de suasrelações com o passado;➡Construir a identidade pessoal e social na dimensão histórica, a partir doreconhecimento do papel de indivíduo nos processos históricos simultaneamentecomo sujeito e como produto dos mesmos.➡Produzir textos analíticos e interpretativos sobre os processos históricos, a partirdas categorias e procedimentos próprios do discurso historiográfico.7.1.11 – GEOGRAFIA➡Compreender e aplicar no cotidiano os conceitos básicos da geografia;➡Ler, analisar e interpretar os códigos específicos da geografia (mapas, gráficos,tabelas, etc.), considerando-os como elementos de representação de fatos efenômenos espaciais e/ou espacializados;➡Selecionar e elaborar esquemas de investigação que desenvolvam aobservação dos processos de formação e transformação dos territórios, tendo emvista as relações de trabalho, a incorporação de técnicas e tecnologias e oestabelecimento de redes sociais;➡Analisar e comparar, interdisciplinarmente, as relações entre preservação edegradação da vida no planeta, tendo em vista o conhecimento da sua dinâmicae a mundialização dos fenômenos culturais, econômicos, tecnológicos e políticosque incidem sobre a natureza, nas diferentes escalas – local, regional, nacional eglobal;➡Reconhecer na aparência das formas visíveis e concretas do espaçogeográfico atual a sua essência, ou seja, os processos históricos, construídos emdiferentes tempos, e os processos contemporâneos, conjunto de práticas dosdiferentes agentes, que resultam em profundas mudanças na organização e noconteúdo do espaço.7.1.14- FILOSOFIA➡ Debater os conhecimentos de Filosofia, assumindo uma postura crítica a partir deargumentos consistentes;➡ Analisar os conhecimentos de Filosofia em filmes, obra de arte, peças de teatro,jornal e revista especializada;➡ Aplicar os conhecimentos de filosofia nas ciências naturais e humanas, nas artes eem outras produção culturais; 36
  37. 37. ➡ contextualizar os conhecimentos de filosofia tendo como referência a organizaçãoda sociedade em cada período histórico, a biografia do autor e a produção científico-tecnológica;➡ Entender as relações de trabalho e as exigências de qualificação profissional, apartir das necessidades geradas pelas mudanças econômicas e políticas ocorridas nasociedade.7.1.13 – SOCIOLOGIA➡Analisar os conhecimentos de Sociologia em filmes, obra de arte, peças de teatro,jornal e revista especializada; ➡Produzir novos conceitos e valores sobre as diferentes realidades sociais, apartir das observações e reflexões realizadas;➡Analisar os conhecimentos de Filosofia em filmes, obra de arte, peças de teatro,jornal e revista especializada; ➡Aplicar os conhecimentos de sociologia nas ciências naturais e humanas, nas artese em outras produção culturais ➡Compreender as diferentes manifestações culturais, adotando uma atitude depreservação do direito à diversidade, no sentido de superar conflitos e tensões dasociedade contemporânea;➡Entender as relações de trabalho e as exigências de qualificação profissional apartir das necessidades geradas pelas mudanças econômicas e políticas ocorridas nasociedade; ➡Contextualizar os conhecimentos de sociologia tendo como referencia aorganização da sociedade em cada período histórico, a biografia do autor e aprodução científico tecnológica.8 –: SÍNTESE DAS COMPETENCIAS PROFISSIONAIS ESPECÍFICAS DAEDUCAÇÃO PROFISSIONAL Obs-: A Síntese encontra-se em Projeto específico do Curso aprovada peloSED/MS.9 – SÍNTESE DOS OBJETIVOS DO CURSO NORMAL MÉDIO Obs-: A Síntese encontra-se em Projeto específico do Curso aprovado pelaSED/MS.10 - EMENTAS CURRICULARES 37
  38. 38. Obs-: 1- As ementas curriculares do Ensino Fundamental e Ensino Médio serãooperacionalizadas conforme os Referências Curriculares da Secretaria de Estado deEducação. 2- As ementas curriculares da Educação Profissional e Curso NormalMédio encontram-se em Projeto específico aprovado pela SED/MS.11. CARGA HORÁRIA DOS CURSOS Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) e Ensino Médio: 1.000 h/a anual e 834horas anual. De acordo com a legislação vigente, os cursos respeitarão a jornadamínima de 200 dias letivos dentro do calendário civil. Os Cursos de Educação Profissional e Normal Médio obedecerão a CargaHorária definida nos Projetos específicos dos Cursos.12. O ENSINO12.1– A ORGANIZAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL, DO ENSINO MÉDIO, DAEDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL O currículo do Ensino Fundamental e Médio contém, obrigatoriamente, umaBase Nacional Comum e uma Parte Diversificada. O currículo do Ensino Fundamental é organizado em áreas de conhecimento,sendo pautado em quatro princípios norteadores: – da formação humana em toda sua dimensão calcada na eqüidade, com afinalidade de democratizar as oportunidades educacionais para o cumprimento daabsoluta prioridade expressa na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e doAdolescente; – do respeito às condições concretas de vida e de atividade do ser humano; – do respeito às experiências escolares, tomadas como indicadores parainterferências pedagógicas, que conduzam à qualidade do ensino e aodesenvolvimento humano pleno; – do compromisso compartilhado de alunos, professores e comunidade para oredimensionamento do processo de ensino e de aprendizagem, consolidando afunção social da escola. O Currículo do Ensino Médio é organizado em três áreas de conhecimento,trabalhadas em forma de disciplinas:I - Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, área que contempla as disciplinas delíngua portuguesa, literatura, artes, educação física e língua estrangeira moderna;II – Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias, área que contempla asdisciplinas de física, química, biologia e matemática;III – Ciências Humanas e suas Tecnologias, área que contempla as disciplinas dehistória, geografia, sociologia e filosofia. 38
  39. 39. O currículo do ensino médio é pautado em princípios, fundamentos eprocedimentos que contribuem para a promoção do cidadão, por meio da:- educação articulada com o mundo do trabalho;- prática social;- preparação para o exercício da cidadania;- preparação básica para o trabalho A organização dos Cursos de Educação Profissional e do Normal Médio estádefinida em Projeto próprio aprovado pelo Conselho Estadual de Educação e/ou pelaSecretaria de Estado de Educação. O Ensino Fundamental, com duração de 09 (nove) anos e o Ensino Médio, comduração de 03 (três) anos, terão carga horária anual de, no mínimo, 800 (oitocentas)horas e 200 (duzentos) dias letivos, com jornada diária de no mínimo quatro horasde efetivo trabalho escolar. O horário escolar será organizado com 05 (cinco) aulas diárias, com duração de 50(cinqüenta) minutos cada. O tempo destinado ao recreio não é computado na cargahorária semanal do Ensino Fundamental e Médio. O estudante dos anos finais do ensino fundamental poderá optar por cursar a áreade conhecimento educação religiosa. Esta deverá ser oferecida e cumprida em turnodiverso daquele em que foi matriculado. O ensino de uma Língua Estrangeira Moderna será obrigatória na unidade escolar. Adefinição da Língua Estrangeira Moderna, de freqüência obrigatória e de freqüênciafacultativa pelo estudante, ficará a cargo da comunidade escolar. A oferta de Estágio Supervisionado na Educação Profissional Técnica de nível médio,no Normal Médio, no Ensino Médio e suas modalidades seguirá as orientação doSistema Estadual de Ensino e legislação própria. A Educação Especial deverá obedecer ao disposto em legislação própria. 12.2 – PERFIL DA ESCOLA A escola é a instituição necessária para a criação e disseminação doconhecimento e sua reelaboração, nas perspectiva de instrumentalizar o aluno paraa análise e transformação de sua realidade. Ela deve ser criativa, atrativa, um espaçovivo e democrático, privilegiando sempre a formação de cidadãos compromissados coma sociedade. Nela o aluno não será apenas um expectador, que recebe informações eassiste inerte ao espetáculo, sem participar dele. Pelo contrário, a escola viabilizaráalternativas que efetive a participação integral do aluno, que de expectador, passará aator, responsável também pelo processo criador. A organização escolar, oplanejamento das ações, a elaboração de projetos, o envolvimento coletivo, dará àescola mais vida e com isso mais eficácia. Os objetivos da escola mudam de acordo com as transformações queocorrem na sociedade. Ela já não representa um simples local de aprendizagem deofícios como antigamente e faz com que o professor reflita sobre o seu papel.Atualmente a escola tem a preocupação em desenvolver física, intelectual, moral esocialmente o indivíduo. Entretanto, como antigamente deve continuar a refletir a própriasociedade e sua respectiva cultura. Para refletir a sociedade, a escola deve ser 39

×