Plano de sensibilização hipertensão

1.769 visualizações

Publicada em

Saúde Pública

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.769
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de sensibilização hipertensão

  1. 1. Estado de Alagoas Prefeitura Municipal de Santana do Ipanema Secretaria Municipal de Saúde Núcleo de Promoção da Saúde – NUPS Departamento de Atenção Básica - DAB PLANO DE INSTRUMENTALIZAÇÃO Santana do Ipanema Abril de 2013
  2. 2. Prefeito Municipal JOSÉ MÁRIO DA SILVA Vice-Prefeito Municipal ADENILSON OLIVEIRA Secretária Municipal de Saúde PETRÚCIA MARIA DE MATOS Coordenação do NUPS MARIA JOSÉ SILVA GUIMARÃES Coordenação de Atenção à Saúde MARIA APARECIDA DE ALBUQUERQUE RAMALHO Equipe Técnica JOÃO PAULO MENDES Técnico da Promoção da Saúde OTÁVIO SEVERINO BARBOSA SOUZA Assistente Administrativo
  3. 3. SUMÁRIO Introdução............................................................................................... 01 Objetivos................................................................................................ 02 Justificativa........................................................................................... 03 Metodologia............................................................................................ 04 Cronograma............................................................................................ 05 Recursos................................................................................................. 06 Orçamento............................................................................................... 07 Avaliação................................................................................................. 08 Referências............................................................................................. 09
  4. 4. 1 I – INTRODUÇÃO A Hipertensão Arterial é uma doença caracterizada pela elevação da pressão exercida pelo sangue sobre os vasos arteriais, que levam a complicações sobre os chamados órgãos alvos, que são os rins, cérebro, olho e o próprio coração. Cifras superiores a 130/80 medidas por um aparelho de pressão adequado sobre o braço já são consideradas anormais. A Hipertensão é a causadora de 40% dos derrames cerebrais e 25% dos Infartos do coração, participando efetivamente dos 37% de óbitos no Brasil relacionados com as doenças cardiovasculares. Cifras superiores a 115/75mmHg já são causadoras de elevação da mortalidade . Os fatores de risco para Hipertensão são o excesso do consumo de sal, obesidade, sedentarismo, alcoolismo e preponderantemente o fator hereditário. A hipertensão por tratar-se de uma doença sistêmica, isto é, atinge vários órgãos podendo levar a complicações e danos irreversíveis ao doente. No coração ela pode levar ao surgimento de Hipertrofia Ventricular, que é o aumento da espessura do músculo cardíaco, que passa a necessitar de maior aporte sanguíneo devido à força exagerada que tem de realizar para vencer a barreira imposta pela Pressão Alta. Este mecanismo leva a um descontrole entre a oferta e a necessidade de oxigênio pelas células cardíacas, aumentando o risco de um Infarto e levando a uma rigidez da musculatura cardíaca, fenômeno conhecido como Alteração do Relaxamento. Preocupada com o descontrole do acompanhamento e detecção precoce de pacientes portadores de Hipertensão Arterial a Secretaria Municipal de Saúde de Santana do Ipanema, através das Coordenações de Atenção Primária à Saúde e Núcleo de Promoção da Saúde elaborou este Plano de Instrumentalização, propondo que através de uma capacitação para os Agentes Comunitários de Saúde das Zonas rural e urbana, sendo ministrada pela Coordenação de Atenção Básica e auxiliada pela Coordenação de Promoção da Saúde somando esforços de todos os envolvidos com essa grave situação de saúde pública, buscando a reorganização da atenção básica, tendo como estratégias principais a prevenção dessas doenças, suas complicações e a promoção da saúde, objetivando, assim, uma melhor qualidade de vida.
  5. 5. 2 II - OBJETIVOS: II.I - OBJETIVO GERAL: O objetivo do Plano de Instrumentalização é buscar melhores resultados no trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde, a partir da capacitação sobre a Hipertensão Arterial e suas complicações, diagnóstico e tratamento, almejando condições adequadas de saúde e maior autonomia e satisfação de usuários, fazendo com que haja mudança no processo de trabalho, envolvendo maior valorização da comunicação e dos espaços de participação, do trabalho em equipe, das parcerias, do uso de dispositivos de qualificação, a escuta e os projetos terapêuticos, da produção e apropriação coletiva de instrumentos, como mapas clínicos e organizacionais, do uso da informação e ferramentas do planejamento, do monitoramento e avaliação das intervenções II.II - OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Instrumentalizar e estimular os Agentes Comunitários de Saúde - ACS da Estratégia de Saúde da Família – ESF e Programa de Agentes Comunitários de Saúde – PACS abarcados na Atenção Básica, para que promovam medidas coletivas e individuais de prevenção primária, enfocando os fatores de risco advindos da Hipertensão Arterial; Orientar e sistematizar medidas de prevenção, detecção, controle e vinculação dos hipertensos e inseridos e acompanhados pela atenção básica; Reconhecer as situações que requerem atendimento na Rede Especializada de Saúde; Reconhecer as complicações da HA, possibilitando as reabilitações psicológica, física e social dos portadores de implicações por HA e com o auxilio dos profissionais de nível superior, encaminhá-los ao NASF ou outras instituições existente no município.
  6. 6. 3 III – JUSTIFICATIVA A Hipertensão Arterial por ser multicausal e multifatorial e por não acarretar frequentemente qualquer sintoma aos pacientes, por envolver orientações voltadas para vários objetivos, o sucesso da consecução dessas metas é bastante limitado quando decorre da ação de um único profissional. Pois, objetivos múltiplos no tratamento e acompanhamento dos pacientes hipertensos exigem diferentes abordagens e a participação dos Agentes Comunitários de Saúde nesse processo irá proporcionar ações diferenciadas no acompanhamento dos mesmos. Tratar e até mesmo prevenir a hipertensão arterial envolve, fundamentalmente. Ensinamentos para que se processem mudanças dos hábitos de vida, tanto no que se refere ao tratamento não-medicamentoso quanto ao tratamento com agentes anti-hipertensivos. A consecução dessas mudanças é lenta e, na maioria das vezes, penosa e por serem medidas educativas, necessitam continuidade em sua implementação. É considerado exatamente esse aspecto que o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde, ao invés do médico ou enfermeiro isoladamente, poderá dar aos pacientes e à comunidade uma gama muito maior de informações, procurando torná-los participantes ativos das ações que a eles estarão sendo dirigidas, e com motivação suficiente para vencer o desafio de adotar atitudes que tornem essas ações efetivas e definitivas.
  7. 7. 4 IV - METODOLOGIA Sem a pretensão de contemplar todos os aspectos que envolvem a patologia, esta proposta, pretende ao menos abordar suas características mais relevantes, orientando as ações desenvolvidas pelas equipes de saúde, com o objetivo de aperfeiçoar recursos dentro de critérios científicos. A abordagem conjunta das coordenações de Promoção da Saúde e Atenção Primária à Saúde justifica- se pela apresentação dos fatores comuns e dos condicionantes que agrava ou influi em seu acometimento, legitimando a importância da cooperação para efetivamente melhorar a saúde dos portadores de Hipertensão Arterial. A metodologia parte da análise dos indicadores do Sistema de Informação da Atenção Básica – SIAB e do Sistema de Acompanhamento do Hipertenso e Diabético – HIPERDIA, sendo que sua abordagem didática dar-se-á em conjunto com os técnicos idealizadores da proposta, assim, além de abordar a doença, causas e fatores; deverá contemplar os seguintes eixos da Política Nacional de Promoção da Saúde – NUPS: - Promoção da Alimentação Saudável - Promoção de Atividade Física - Prevenção e Controle do Tabagismo
  8. 8. 5 V - CRONOGRAMA DE ATIVIDADES Período: DEFINIR com a COORDENAÇÂO DIA/MES/ANO LOCAL TEMA - TURNO RESPONSÁVEL CARGA HORÁRIA 1º CENTRO HIPERTENSÃO MANHÃ - ACS ZONA RURAL NUPS - DAB 6H 1º CENTRO HIPERTENSÃO TARDE - ACS ZONA URBANA NUPS - DAB 6H
  9. 9. 6 VI – RECURSOS HUMANOS A operacionalização do respectivo Plano de Instrumentalização ficará a cargo das equipes: Departamento de Atenção Básica à Saúde e Núcleo de Promoção da Saúde – NUPS e, será dirigida pela equipe multidisciplinar de profissionais como: Enfermeiros, Nutricionista e Pedagogo (este no auxilio didático, para efetivação do aprendizado) VII – RECURSOS MATERIAIS: Computador, data show, papel, caneta, oficio, convites, pranchas, pasta classificadora, ficha de leitura, cartazes.
  10. 10. 7 VIII - ORÇAMENTO Os custos para execução desta proposta serão financiados com Recursos Próprios da Secretaria Municipal de Saúde. Material/Serviço Custo Papel Sulfite A4 R$ 50,00 Cartucho para Impressora R$ 30,00 Pasta Classificadora p/ 87 participantes Material Educativo (Panfleto de Hipertensão) R$ 250,00 Cooffee Break p/ 90 participantes Total R$ 400,00
  11. 11. 8 IX - AVALIAÇÃO Será considerado satisfatório se for cumprido o cronograma previsto e mantida a participação ativa dos atores sociais deste processo de construção, em prol da formação de valores na melhoria das condições de saúde nas comunidades.
  12. 12. 10 X - REFERÊNCIA Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas.Plano de reorganização da atenção à hipertensão arterial e ao diabetes mellitus: hipertensão arterial e diabetes mellitus / Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

×