SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
FRASE, ORAÇÃO, PERÍODO
I – FRASE - É toda unidade linguística (com ou sem
verbo) por meio da qual o falante transmite suas ideias.
__ Você acredita que o campeonato feminino
conseguirá atrair público?
__ Sim.
A palavra sim, isolada, não constitui uma frase, mas no
texto acima, ela passa a ser frase.
TIPOS DE FRASE
1 – Declarativa – emprega-se para afirmar ou negar
alguma coisa.
Chaplin era um gênio.
Não considero Chaplin um gênio.
2 – Interrogativa – ocorre quando se faz uma pergunta
direta ou indireta.
Chaplin era um gênio?
Não sei por que Chaplin era considerado um gênio.
3 – Exclamativa – expressa admiração, surpresa,
espanto.
Chaplin era um gênio!
4 – Imperativa – indica ordem pedido, conselho.
Durma o necessário. Evite forçar o sono.
ORAÇÃO
É a frase ou parte de uma frase que se organiza em
torno de um verbo ou de uma locução verbal.
As atletas brasileiras têm bastante habilidade.
Sujeito predicado
Fazia um frio terrível no porto.
predicado
PERÍODO
É a frase constituída de uma ou mais orações e pode
ser simples ou composto.
Simples – quando formado por apenas uma oração, que
então é chamada de absoluta:
A vacina cubana é cara.
Composto – quando formado por duas ou mais orações:
A vacina cubana é cara, / mas dá resultado.
1ª oração 2ª oração
Não sei / se o secretário da saúde vai permitir / que
1ª oração 2ª oração
a vacina cubana seja utilizada.
3ª oração
O período termina sempre por uma pausa definida, que
é representada, na escrita, por um dos seguintes sinais
de pontuação: ponto-final, ponto-de-exclamação, ponto-
de-interrogação, reticências.
ANÁLISE SINTÁTICA DA ORAÇÃO
I – TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO
Sujeito – é o termo da oração que designa o ser a
respeito do qual se declara alguma coisa e também o
elemento com o qual o verbo estabelece concordância
(em pessoa e número).
Predicado – é tudo aquilo que se declara a respeito do
sujeito.
O dia da cerimônia /é considerado uma festa.
Sujeito predicado
Foram punidos pela justiça / os responsáveis pelo
Predicado Sujeito
acidente.
Obs.: o sujeito pode ser representado por:
A – substantivo ou palavra substantiva.
O polimento das argolas toma boa parte do tempo.
Núcleo
O calar é ouro.
B – pronome pessoal reto
Elas se vestem com roupas azuis ou pretas.
C – pronome demonstrativo, relativo, interrogativo ou
indefinido.
Isso acontece aos cinco anos de idade.
Lemos os jornais / que noticiaram o fato.
1ª oração 2ª oração (que – sujeito de
noticiar)
Quem contou isso para você?
Muitos se maravilharam com a excentricidade do grupo.
D – numeral
As duas pertencem ao mesmo grupo.
E – oração, chamada de oração subordinada
substantiva subjetiva.
Parece / que essa cultura não é muito divulgada.
1ª oração 2ª oração
A segunda oração funciona como sujeito da primeira.
F – pronome pessoal oblíquo
Deixei-a tentar de novo. (a – sujeito do verbo tentar)
Permitam-me sair. (me – sujeito do verbo sair)
CLASSIFICAÇÃO DO SUJEITO
1 – Determinado – é o sujeito que pode ser identificado
pela terminação do verbo ou pelo contexto em que
aparece. Pode ser:
Simples – aquele que tem um só núcleo.
A mulher grega era uma cidadã de segunda classe.
Núcleo
Composto – aquele que tem mais de um núcleo.
A limpeza e o polimento das argolas são demorados.
Núcleo
Oculto ou elíptico – não vem explicitamente
apresentado na oração, mas pode ser identificado pela
desinência ou pelo contexto.
Abriu a porta; nada viu.
(ele ou ela)
Estamos tão separados!
Nós
2 – Indeterminado – é o sujeito que não pode ser
identificado nem pelo contexto nem pela terminação do
verbo. Pode ocorrer:
A – com verbos na 3ª pessoa do plural, desde que o
contexto não permita identificá-lo.
Alteraram toda a programação dos jogos.
B – com verbos na 3ª pessoa do singular
acompanhados da partícula se.
Trata-se de uma exposição inovadora.
Não se sabe de um caso de assalto recente.
Funções da partícula se
Índice de indeterminação do sujeito – tem essa
classificação quando se associa a uma forma verbal na
3ª pessoa do singular em orações que não admitem a
passagem para a voz passiva analítica.
Confiava-se nos amigos.
3ª p. singular índice de indeterminação do sujeito
Nos amigos era confiado (estrutura frasal inexistente no
idioma).
Pronome apassivador – tem essa classificação quando
aparece associado a uma forma verbal (singular ou
plural) constituindo orações na voz passiva sintética e
admitem a passagem para a voz passiva analítica.
Publicou-se o livro. (voz passiva sintética)
Verbo pronome apassivador sujeito
O livro foi publicado. (voz passiva analítica)
Sujeito locução verbal
3 – Oração sem sujeito (sujeito inexistente) – alguns
verbos não admitem sujeito, por isso são denominados
impessoais e ficam sempre na 3ª pessoa do singular.
Alguns deles:
3.1 – verbo haver – é impessoal quando empregado no
sentido de existir ou de acontecer e quando indica
tempo passado.
Havia muitas pessoas na festa. (havia=existir)
Em outubro haverá eleições municipais.
(haver=acontecer)
Ele se mudou para Salvador há alguns anos. (haver-
tempo passado)
OBS.:
A – Quando se trata do próprio verbo existir, a oração
tem sujeito e o verbo, concorda com ele.
Existiam muitas falhas no contrato.
Sujeito
B – Nas locuções verbais, o verbo haver, quando
empregado impessoalmente (sem sujeito), transfere a
impessoalidade para o verbo auxiliar, que também fica
no singular.
No próximo ano, deverá haver novas eleições no país.
Sing. Sing.
C – O verbo haver empregado com sentido diferente de
acontecer, existir ou indicando tempo passado é um
verbo pessoal, tem sujeito e concorda com ele.
Os jogadores houveram-se muito bem na partida.
Suj. plural v. plural (haver = portar-
se, agir)
Teus colegas se haverão comigo, se te maltratarem.
Suj. plural v. plural (haver = ajustar
contas)
3.2 – Verbo fazer – é impessoal quando indica tempo
(decorrido ou a decorrer).
Já fazia dois anos / que ele se mudara para o interior.
Oração sem sujeito
Amanhã, fará seis meses que vocês nos visitaram.
Oração sem sujeito
Obs.: Nas locuções verbais, o verbo fazer, quando
empregado sem sujeito, transmite a impessoalidade – o
singular – para o auxiliar.
Amanhã vai fazer seis meses / que vocês nos visitaram.
Sing. Sing.
3.3 – Verbo ser (em expressões de tempo) e verbos
indicativos de fenômenos da natureza.
Era verão; as praias estavam coloridas.
É madrugada: lá fora já se ouvem passos.
Ainda não choveu o suficiente este ano.
Nesta região do país faz pouco frio.
Obs.: Na indicação de distâncias, horas e datas, o
verbo ser também é impessoal, mas aqui ele concorda
com o número que indica a distância, a hora ou a data.
Daqui a Manaus são dois mil quilômetros.
No momento do acidente, eram três horas da manhã.
Hoje são 5 de abril.
Obs.: Verbos indicativos de fenômenos da natureza,
quando empregados em sentido figurado, têm sujeito e
concordam com ele.
Choveram telegramas de apoio ao prefeito.
Sujeito
TIPOS DE VERBO
1 – Verbo intransitivo – é aquele que não precisa de
complemento, pois sua significação já é completa. O
verbo não transita do sujeito para o complemento.
O menino chorou.
Sujeito v. intransitivo
2 – Verbo transitivo – trata-se de um verbo que precisa
de um termo que lhe complete o significado. O seu
sentido transita, passa do verbo para o objeto.
As quedas nas vendas surpreenderam todo o comércio.
V. transitivo objeto
O professor concordou com os argumentos dos alunos.
V. transitivo objeto
2.1 – Verbo transitivo direto – é aquele que não exige
preposição entre o verbo e o complemento.
Os jornais publicaram esta notícia.
VTD OD
Ele analisou, com grande interesse, a nossa proposta.
VTD OD
2.2 – Verbo transitivo indireto – é aquele que necessita
de uma preposição entre o verbo e o complemento.
Não vou desistir dos meus melhores amigos.
VTI preposição OI
Os candidatos a prefeito não concordaram com as
regras do debate.
OI VTI preposição
2.3 – Verbo transitivo direto e indireto – o sentido do
verbo é completado por dois termos ao mesmo tempo:
um termo se liga diretamente e outro por meio de
preposição.
A escola não ofereceu vagas a novos alunos.
VTDI OD OI
Preposição
Os manifestantes pediram ao governador mais
segurança.
VTDI OI OD
Preposição
Obs.: Os verbos podem mudar de significado ou de
conceito (TD ou TI) a depender do contexto.
O operário aspirava o ar poluído da fábrica.
VTD OD
(aspirar = respirar/inalar)
O operário aspirava ao cargo de supervisor.
VTI OI
(aspirar = pretender)
3 – Verbo de ligação – tem a função de ligar o sujeito a
um estado, uma característica o um modo de ser desse
sujeito.
O silêncio do interior da capela era reconfortante.
Sujeito característica do sujeito
Verbo de ligação
TIPOS DE PREDICADO
1 – Predicado verbal – é aquele que apresenta um
verbo significativo (transitivo ou intransitivo). O núcleo é
sempre um verbo.
Os manifestantes / invadiram os escritórios da empresa.
Núcleo
Predicado verbal
Conferência / discute educação ambiental.
Núcleo
Predicado verbal
2 – Predicado nominal – é aquele que apresenta um
verbo de ligação e predicativo do sujeito. Aqui o núcleo
é o predicativo (nome) e não o verbo.
Os manifestantes / estavam furiosos.
Verbo de ligação predicativo (núcleo)
Predicado nominal
3 – Predicado verbo-nominal – apresenta verbo
significativo (transitivo o intransitivo) e verbo de ligação.
Nesse caso, o predicado possui dois núcleos: o verbo e
o predicativo. Aqui, o predicativo pode ser do sujeito o
do objeto.
V. significativo Predicativo
Os manifestantes / invadiram furiosos os escritórios da
empresa.
Núcleo Núcleo
Verbal nominal
Predicativo do objeto
O tribunal / julgou culpado o réu.
Núcleo Núcleo objeto
Verbal Nominal
ATIVIDADES
1 - Identifique os casos em que a palavra ou expressão
destacada é frase.
A -
__ Conseguiu rápido o seu barco, meu amigo!
__ Não é meu, respondi, e brinquei:
__ Ainda não. É frase
B - Ainda não sei se vou conseguir o barco. Não é frase
C -
__ Deus sabe o que faz, louvado seja Deus. Não é frase
__ Louvado seja! É frase
D - Educação é muito mais que sala de aula. Não é
frase
E -
__ Sabe o que falta para a criança de rua?
__ Sala de aula. É frase
F - A Terra é que, girando sobre si mesma, dá a
impressão de que o sol desponta, roda no céu e se põe.
Ilusão. É frase
2 - Identifique o número de frases que ocorrem no
trecho seguinte.
__ Você tem parentes aqui?
__ Não. No interior.
__ E aqui?
__ Não.
__ E você não acha ruim?
__ Não ter parentes aqui?
__ É.
__ Não. (Luiz Vilela)
9 frases
3 - Leia o trecho seguinte e depois responda.
No início do século XIX, as taxas de natalidade e de
mortalidade eram altas em todo o mundo; nascia muita
gente, mas também morria muita gente. E o
crescimento da população era lento. (Retrato do Brasil)
A - Quantos períodos há no trecho acima?
Dois períodos
B - Quantas orações há no primeiro período?
Três orações
4 - Nas orações abaixo, faça o seguinte:
1º - Identifique o sujeito, respondendo à pergunta
apresentada.
2º - Reescreva a oração, iniciando-a pelo sujeito.
A - "Mais ao longe, numa volta da estrada, a telha
encarnada de uma casa brilhava ao sol".
Que é que brilhava?
A telha encarnada de uma casa brilhava ao sol, mais ao
longe, numa volta da estrada.
B - "Com a facilidade de sua elocução, fez o Dr. Cláudio
a crítica geral da literatura brasileira".
Quem é que fez?
O Dr. Cláudio fez, com a facilidade de sua elocução, a
crítica geral da literatura brasileira.
C - "Dentro de minha cabeça ainda giravam conversas e
músicas da madrugada".
Que é que girava?
Conversas e músicas da madrugada ainda geravam
dentro de minha cabeça.
D - "Por um instante viveu, no meu sonho, aquele
esplendor suave de uma nudez".
Que é que viveu?
Aquele esplendor suave de uma nudez viveu por um
instante no meu sonho.
5 - Classifique o sujeito dos verbos em destaque,
usando o seguinte código:
I - sujeito simples
II - sujeito composto
III - sujeito elíptico (oculto)
IV - sujeito indeterminado
V - oração sem sujeito
A - "Bateram à minha porta/ Fui abrir/ Não vi ninguém".
IV
B - "O carro partiu. Ao dobrar a primeira esquina,
derrapou como os gangsters de filme".
I (o carro) - III (o carro) - III (o carro)
C - "Por toda a belle époque, até 1920,por aí, o marido,
a mulher, os namorados brincavam com a morte. Sem
desconfiar, brincavam com a morte".
II (o marido, a mulher, os namorados) - III (eles)
D -" Faz tempo, sim, que não escrevo,
Ficaram velhas todas as notícias.
Eu mesmo envelheci."
V - III (eu) / I (todas as notícias) / I (eu)
E - "Nunca houve cometa igual, assim terrível,
desdenhoso e belo".
V
6 - Classifique o sujeito do verbo publicar nas frases a
seguir. Justifique sua resposta.
A - No dia seguinte, os jornais publicaram as fotos do
acidente. Os jornais (sujeito simples)
B - No dia seguinte, os jornais ignoraram o pedido dos
familiares da vítima e publicaram as fotos do acidente.
Sujeito oculto (identificável pelo contexto)
C - No dia seguinte, publicaram-se as fotos do acidente.
As fotos do acidente - sujeito simples
7 - O sujeito, sendo um dos termos da oração, deve
aparecer, evidentemente, dentro dos limites dessa
oração.
Compare os três itens a seguir, levando em conta a
informação acima, e faça o que se pede.
I - Os torcedores criticaram o jogador. O jogador
abandonou a seleção.
II - Os torcedores criticaram o jogador. Ele abandonou
seleção.
III - Os torcedores criticaram o jogador que abandonou a
seleção.
A - Em I, o sujeito da segunda oração é representado
por um substantivo. Transcreva.
(o) jogador
B - Em relação a II:
Que pronome funciona como sujeito da segunda
oração? Ele
A que palavra da oração anterior esse pronome se
refere? Jogador
C - Em relação a III:
Por que a palavra jogador não pode ser o sujeito da
segunda oração?
O sujeito é um termo que aparece dentro da oração, e a
palavra jogador faz parte da segunda oração
Transcreva a palavra que funciona como sujeito da
segunda oração e indique a classe gramatical dessa
palavra. que - pronome relativo
8 - Leia este trecho de poema:
A - Indique o sujeito dos quatro verbos que aparecem
nesse trecho.
A lenda (conta) - uma princesa encantada (dormia) - um
infante (despertaria) - que (viria)
B - Reescreva os dois primeiros versos, colocando-os
na ordem direta.
A lenda conta que uma princesa encantada dormia
C - Eliminando a primeira oração, reescreva o restante
do trecho começando com "Um infante...". Faça as
mínimas alterações necessárias.
Um infante, que viria de além do muro da estrada,
despertaria uma princesa encantada que dormia.
9 - Nas duas orações a seguir ocorre a palavra SE.
Indique o que se pede relativamente a cada uma delas.
A - Se possível, passe a oração para a voz passiva
analítica.
A reposição de perdas salariais foi discutida
B - Classifique o sujeito da oração dada.
Sujeito determinado simples
C - Coloque a palavra reposição no plural e reescreva a
frase inicial.
Discutiam-se as reposições de perdas salariais
D - Classifique a palavra SE.
Pronome apassivador
A - Se possível, passe a oração para a voz passiva
analítica.
Não é possível
B - Como se classifica o sujeito dessa oração.
Sujeito indeterminado
C - Coloque costureira no plural e reescreva a oração.
Precisa-se de costureiras experientes
D - Classifique a palavra SE.
Índice de indeterminação do sujeito
10 - Leia esta história em quadrinhos.
Considere, agora, esta frase:
A - O sujeito de fazem, tem, em ambos os casos, a
mesma classificação? Não. Na lápide, o sujeito de
fazem é armaduras (Armaduras não mais são feitas
como antigamente); na frase abaixo, é indeterminado
(com o verbo na 3ª pessoa do plural)
B - Como se classifica a palavra SE na frase da tirinha?
Pronome apassivador
11 - Leia estes trechos de texto:
Identifique o sujeito dos verbos levanta e pingar.
12 - Assinale a alternativa que contém a informação
correta quanto ao sujeito das orações 1 e 2.
1 - Existem homens loucos nas ruas.
2 - Há homens sadios nos hospitais.
A - oração sem sujeito / indeterminado
B - oração sem sujeito / homens sadios
C - homens loucos homens sadios
D - homens loucos / oração sem sujeito
Discutiu-se a reposição de perdas salariais.
Precisa-se de costureira experiente.
"Uma coisa é patente: não fazem mais espelhos como
antigamente".
"Assim e que, se um homem de Estado
escrever e publicar as suas memórias, tão sem
escrúpulo, que lhes não falte nada, nem confissões,
amores particularíssimos e inconfessáveis, verá que
escândalo levanta o livro. [...]
Mas deixai pingar os anos na cuba de um
século. Cheio o século, passa o livro a documento
histórico, psicológico, anedótico". (Machado de Assis)
E - indeterminado/ oração sem sujeito
13 - No trecho: "Eu não creio, não posso mais acreditar
na bondade ou na virtude de homem algum; todos são
mais ou menos ruins, falsos e indignos; há porém
alguns que sem dúvida com o fim de ser mais nocivos
aos outros, e para produzir maior dano, têm o
merecimento de dizer a verdade nua e crua".
I - Algum e alguns são pronomes indefinidos.
II - Alguns é sujeito do verbo haver. (sujeito inexistente)
III - Algum equivale a nenhum.
Assinale a alternativa correta sobre as assertivas acima.
A - apenas I é verdadeira.
B - apenas II é verdadeira
C - apenas I e II são verdadeiras
D - apenas I e III são verdadeiras
E - I, II e III são verdadeiras.
14 - Orientando-se pela(s) palavra(s) destacada(s),
assinale a alternativa em que há erro de análise.
A - "[....] como bicho enorme ao qual houvessem
cordado as pernas". (oração sem sujeito) o sujeito é
indeterminado
B - "[...] antes que se fechassem os guichês e portarias".
(sujeito composto).
C - "Fazia então um sol redondo e cheio [...]. (oração
sem sujeito).
D - "Inventaram outro nome enrolado [...]. (sujeito
indeterminado).
E - "[...] e dentro dela havia o peso da responsabilidade
[...]. (oração sem sujeito).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercícios revisão intertextualidade
Exercícios revisão intertextualidade Exercícios revisão intertextualidade
Exercícios revisão intertextualidade Olivier Fausti Olivier
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância NominalAngela Santos
 
Artigo de Opinião
Artigo de OpiniãoArtigo de Opinião
Artigo de OpiniãoKleber Brito
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesIsis Barros
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15GernciadeProduodeMat
 
Lista de exercícios nº 39
Lista de exercícios nº 39Lista de exercícios nº 39
Lista de exercícios nº 39Fabíola Freitas
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbalPaolaLins
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)GernciadeProduodeMat
 
Elementos da Narrativa - 6º ano
Elementos da Narrativa - 6º anoElementos da Narrativa - 6º ano
Elementos da Narrativa - 6º anoTânia Regina
 
Frase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aulaFrase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aulaemanuelee
 

Mais procurados (20)

Aula concordância verbal e nominal
Aula concordância verbal e nominalAula concordância verbal e nominal
Aula concordância verbal e nominal
 
Exercícios revisão intertextualidade
Exercícios revisão intertextualidade Exercícios revisão intertextualidade
Exercícios revisão intertextualidade
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
Adjunto Adnominal
Adjunto AdnominalAdjunto Adnominal
Adjunto Adnominal
 
Uso da vírgula
Uso da vírgulaUso da vírgula
Uso da vírgula
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância Nominal
 
Artigo de Opinião
Artigo de OpiniãoArtigo de Opinião
Artigo de Opinião
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
 
Adjunto adverbial
Adjunto adverbialAdjunto adverbial
Adjunto adverbial
 
Gênero textual - biografia
Gênero textual - biografiaGênero textual - biografia
Gênero textual - biografia
 
Redação 7ano
Redação 7anoRedação 7ano
Redação 7ano
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
 
Lista de exercícios nº 39
Lista de exercícios nº 39Lista de exercícios nº 39
Lista de exercícios nº 39
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
 
Atividade de Colocação Pronominal
Atividade de Colocação PronominalAtividade de Colocação Pronominal
Atividade de Colocação Pronominal
 
Elementos da Narrativa - 6º ano
Elementos da Narrativa - 6º anoElementos da Narrativa - 6º ano
Elementos da Narrativa - 6º ano
 
Atividade de português: Orações coordenadas sindéticas – 8º ou 9º ano ...
   Atividade de português: Orações coordenadas sindéticas – 8º ou 9º ano     ...   Atividade de português: Orações coordenadas sindéticas – 8º ou 9º ano     ...
Atividade de português: Orações coordenadas sindéticas – 8º ou 9º ano ...
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Frase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aulaFrase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aula
 

Semelhante a FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO

Sintaxe do periodo simples E TERMOS INTEGRANTES.ppt
Sintaxe do periodo simples E TERMOS INTEGRANTES.pptSintaxe do periodo simples E TERMOS INTEGRANTES.ppt
Sintaxe do periodo simples E TERMOS INTEGRANTES.pptJeanJackRosario
 
14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios portuguêsJosé M Lourenço
 
Periodo simples
Periodo simplesPeriodo simples
Periodo simplesnayara775
 
08 - Termos da oração
08 - Termos da oração08 - Termos da oração
08 - Termos da oraçãoNAPNE
 
www.aulaparticularonline.net.br - Português - Termos da Oração
www.aulaparticularonline.net.br - Português -  Termos da Oraçãowww.aulaparticularonline.net.br - Português -  Termos da Oração
www.aulaparticularonline.net.br - Português - Termos da OraçãoLucia Silveira
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Termos da Oração
www.AulasDePortuguesApoio.com     - Português -  Termos da Oraçãowww.AulasDePortuguesApoio.com     - Português -  Termos da Oração
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Termos da OraçãoVideoaulas De Português Apoio
 
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português - Termos da Oração
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português -  Termos da Oraçãowww.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português -  Termos da Oração
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português - Termos da OraçãoAnna Paula
 
www.explicadoraescolar.com.br - Português - Termos da Oração
www.explicadoraescolar.com.br - Português -  Termos da Oraçãowww.explicadoraescolar.com.br - Português -  Termos da Oração
www.explicadoraescolar.com.br - Português - Termos da OraçãoMárcia De Bianci
 
Sujeito e predicado
Sujeito e predicadoSujeito e predicado
Sujeito e predicadoricardo melo
 

Semelhante a FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO (20)

Prof magarete aula_1
Prof magarete aula_1Prof magarete aula_1
Prof magarete aula_1
 
Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.
 
Sintaxe do periodo simples.ppt
Sintaxe do periodo simples.pptSintaxe do periodo simples.ppt
Sintaxe do periodo simples.ppt
 
Sintaxe do periodo simples E TERMOS INTEGRANTES.ppt
Sintaxe do periodo simples E TERMOS INTEGRANTES.pptSintaxe do periodo simples E TERMOS INTEGRANTES.ppt
Sintaxe do periodo simples E TERMOS INTEGRANTES.ppt
 
Período Simples
Período SimplesPeríodo Simples
Período Simples
 
14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios português
 
4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx
 
VOZ.pdf
VOZ.pdfVOZ.pdf
VOZ.pdf
 
Período Simples
Período Simples Período Simples
Período Simples
 
Revisão inicial 8º ano.
Revisão inicial 8º ano.Revisão inicial 8º ano.
Revisão inicial 8º ano.
 
Periodo simples
Periodo simplesPeriodo simples
Periodo simples
 
08 - Termos da oração
08 - Termos da oração08 - Termos da oração
08 - Termos da oração
 
www.aulaparticularonline.net.br - Português - Termos da Oração
www.aulaparticularonline.net.br - Português -  Termos da Oraçãowww.aulaparticularonline.net.br - Português -  Termos da Oração
www.aulaparticularonline.net.br - Português - Termos da Oração
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Termos da Oração
www.AulasDePortuguesApoio.com     - Português -  Termos da Oraçãowww.AulasDePortuguesApoio.com     - Português -  Termos da Oração
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Termos da Oração
 
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português - Termos da Oração
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português -  Termos da Oraçãowww.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português -  Termos da Oração
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português - Termos da Oração
 
www.explicadoraescolar.com.br - Português - Termos da Oração
www.explicadoraescolar.com.br - Português -  Termos da Oraçãowww.explicadoraescolar.com.br - Português -  Termos da Oração
www.explicadoraescolar.com.br - Português - Termos da Oração
 
Sujeito e predicado
Sujeito e predicadoSujeito e predicado
Sujeito e predicado
 
653
653653
653
 
SINTAXE
SINTAXESINTAXE
SINTAXE
 
Sujeito e predicado
Sujeito e predicadoSujeito e predicado
Sujeito e predicado
 

Mais de João Mendonça

O aumento da expectativa de vida no brasil
O aumento da expectativa de vida no brasilO aumento da expectativa de vida no brasil
O aumento da expectativa de vida no brasilJoão Mendonça
 
Estrutura da redação enem
Estrutura da redação enemEstrutura da redação enem
Estrutura da redação enemJoão Mendonça
 
Lixo no Brasi: um grave problema ambiental
Lixo no Brasi: um grave problema ambientalLixo no Brasi: um grave problema ambiental
Lixo no Brasi: um grave problema ambientalJoão Mendonça
 
O processo adotivo no brasil
O processo adotivo no brasilO processo adotivo no brasil
O processo adotivo no brasilJoão Mendonça
 
Os desafios dos indígenas na contemporaneidade
Os desafios dos indígenas na contemporaneidadeOs desafios dos indígenas na contemporaneidade
Os desafios dos indígenas na contemporaneidadeJoão Mendonça
 
Justiça com as próprias mãos
Justiça com as próprias mãosJustiça com as próprias mãos
Justiça com as próprias mãosJoão Mendonça
 
Particularidades lexicais da língua portuguesa
Particularidades lexicais da língua portuguesaParticularidades lexicais da língua portuguesa
Particularidades lexicais da língua portuguesaJoão Mendonça
 
O crescente número de suicídios no Brasil
O crescente número de suicídios no BrasilO crescente número de suicídios no Brasil
O crescente número de suicídios no BrasilJoão Mendonça
 
O trabalho voluntariado no Brasil
O trabalho voluntariado no BrasilO trabalho voluntariado no Brasil
O trabalho voluntariado no BrasilJoão Mendonça
 
Os desafios de conviver em sociedade no século XXI
Os desafios de conviver em sociedade no século XXIOs desafios de conviver em sociedade no século XXI
Os desafios de conviver em sociedade no século XXIJoão Mendonça
 
Linguagem e estrutura da redação
Linguagem e estrutura da redaçãoLinguagem e estrutura da redação
Linguagem e estrutura da redaçãoJoão Mendonça
 
O trabalho escravo no Brasil do século XXI
O trabalho escravo no Brasil do século XXIO trabalho escravo no Brasil do século XXI
O trabalho escravo no Brasil do século XXIJoão Mendonça
 
Revisão e dicas para a Redação/Enem
Revisão e dicas para a Redação/EnemRevisão e dicas para a Redação/Enem
Revisão e dicas para a Redação/EnemJoão Mendonça
 
Obesidade e mobilidade urbana
Obesidade e mobilidade urbanaObesidade e mobilidade urbana
Obesidade e mobilidade urbanaJoão Mendonça
 
O trabalho escravo no brasil de hoje
O trabalho escravo no brasil de hojeO trabalho escravo no brasil de hoje
O trabalho escravo no brasil de hojeJoão Mendonça
 
O papel do professor no século xxi
O papel do professor no século xxiO papel do professor no século xxi
O papel do professor no século xxiJoão Mendonça
 
A problemática da moradia no brasil
A problemática da moradia no brasilA problemática da moradia no brasil
A problemática da moradia no brasilJoão Mendonça
 
Valorização da cultura nacional na formação da identidade
Valorização da cultura nacional na formação da identidade Valorização da cultura nacional na formação da identidade
Valorização da cultura nacional na formação da identidade João Mendonça
 

Mais de João Mendonça (20)

A redação enem dicas
A redação enem dicasA redação enem dicas
A redação enem dicas
 
O aumento da expectativa de vida no brasil
O aumento da expectativa de vida no brasilO aumento da expectativa de vida no brasil
O aumento da expectativa de vida no brasil
 
Estrutura da redação enem
Estrutura da redação enemEstrutura da redação enem
Estrutura da redação enem
 
Lixo no Brasi: um grave problema ambiental
Lixo no Brasi: um grave problema ambientalLixo no Brasi: um grave problema ambiental
Lixo no Brasi: um grave problema ambiental
 
O processo adotivo no brasil
O processo adotivo no brasilO processo adotivo no brasil
O processo adotivo no brasil
 
Os desafios dos indígenas na contemporaneidade
Os desafios dos indígenas na contemporaneidadeOs desafios dos indígenas na contemporaneidade
Os desafios dos indígenas na contemporaneidade
 
Justiça com as próprias mãos
Justiça com as próprias mãosJustiça com as próprias mãos
Justiça com as próprias mãos
 
Particularidades lexicais da língua portuguesa
Particularidades lexicais da língua portuguesaParticularidades lexicais da língua portuguesa
Particularidades lexicais da língua portuguesa
 
O crescente número de suicídios no Brasil
O crescente número de suicídios no BrasilO crescente número de suicídios no Brasil
O crescente número de suicídios no Brasil
 
O trabalho voluntariado no Brasil
O trabalho voluntariado no BrasilO trabalho voluntariado no Brasil
O trabalho voluntariado no Brasil
 
Os desafios de conviver em sociedade no século XXI
Os desafios de conviver em sociedade no século XXIOs desafios de conviver em sociedade no século XXI
Os desafios de conviver em sociedade no século XXI
 
A obesidade no brasil
A obesidade no brasilA obesidade no brasil
A obesidade no brasil
 
Linguagem e estrutura da redação
Linguagem e estrutura da redaçãoLinguagem e estrutura da redação
Linguagem e estrutura da redação
 
O trabalho escravo no Brasil do século XXI
O trabalho escravo no Brasil do século XXIO trabalho escravo no Brasil do século XXI
O trabalho escravo no Brasil do século XXI
 
Revisão e dicas para a Redação/Enem
Revisão e dicas para a Redação/EnemRevisão e dicas para a Redação/Enem
Revisão e dicas para a Redação/Enem
 
Obesidade e mobilidade urbana
Obesidade e mobilidade urbanaObesidade e mobilidade urbana
Obesidade e mobilidade urbana
 
O trabalho escravo no brasil de hoje
O trabalho escravo no brasil de hojeO trabalho escravo no brasil de hoje
O trabalho escravo no brasil de hoje
 
O papel do professor no século xxi
O papel do professor no século xxiO papel do professor no século xxi
O papel do professor no século xxi
 
A problemática da moradia no brasil
A problemática da moradia no brasilA problemática da moradia no brasil
A problemática da moradia no brasil
 
Valorização da cultura nacional na formação da identidade
Valorização da cultura nacional na formação da identidade Valorização da cultura nacional na formação da identidade
Valorização da cultura nacional na formação da identidade
 

Último

ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 

Último (20)

ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 

FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO

  • 1. FRASE, ORAÇÃO, PERÍODO I – FRASE - É toda unidade linguística (com ou sem verbo) por meio da qual o falante transmite suas ideias. __ Você acredita que o campeonato feminino conseguirá atrair público? __ Sim. A palavra sim, isolada, não constitui uma frase, mas no texto acima, ela passa a ser frase. TIPOS DE FRASE 1 – Declarativa – emprega-se para afirmar ou negar alguma coisa. Chaplin era um gênio. Não considero Chaplin um gênio. 2 – Interrogativa – ocorre quando se faz uma pergunta direta ou indireta. Chaplin era um gênio? Não sei por que Chaplin era considerado um gênio. 3 – Exclamativa – expressa admiração, surpresa, espanto. Chaplin era um gênio! 4 – Imperativa – indica ordem pedido, conselho. Durma o necessário. Evite forçar o sono. ORAÇÃO É a frase ou parte de uma frase que se organiza em torno de um verbo ou de uma locução verbal. As atletas brasileiras têm bastante habilidade. Sujeito predicado Fazia um frio terrível no porto. predicado PERÍODO É a frase constituída de uma ou mais orações e pode ser simples ou composto. Simples – quando formado por apenas uma oração, que então é chamada de absoluta: A vacina cubana é cara. Composto – quando formado por duas ou mais orações: A vacina cubana é cara, / mas dá resultado. 1ª oração 2ª oração Não sei / se o secretário da saúde vai permitir / que 1ª oração 2ª oração a vacina cubana seja utilizada. 3ª oração O período termina sempre por uma pausa definida, que é representada, na escrita, por um dos seguintes sinais de pontuação: ponto-final, ponto-de-exclamação, ponto- de-interrogação, reticências. ANÁLISE SINTÁTICA DA ORAÇÃO I – TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO Sujeito – é o termo da oração que designa o ser a respeito do qual se declara alguma coisa e também o elemento com o qual o verbo estabelece concordância (em pessoa e número). Predicado – é tudo aquilo que se declara a respeito do sujeito. O dia da cerimônia /é considerado uma festa. Sujeito predicado Foram punidos pela justiça / os responsáveis pelo Predicado Sujeito acidente. Obs.: o sujeito pode ser representado por: A – substantivo ou palavra substantiva. O polimento das argolas toma boa parte do tempo. Núcleo O calar é ouro. B – pronome pessoal reto Elas se vestem com roupas azuis ou pretas. C – pronome demonstrativo, relativo, interrogativo ou indefinido. Isso acontece aos cinco anos de idade. Lemos os jornais / que noticiaram o fato. 1ª oração 2ª oração (que – sujeito de noticiar) Quem contou isso para você? Muitos se maravilharam com a excentricidade do grupo. D – numeral As duas pertencem ao mesmo grupo. E – oração, chamada de oração subordinada substantiva subjetiva. Parece / que essa cultura não é muito divulgada. 1ª oração 2ª oração A segunda oração funciona como sujeito da primeira. F – pronome pessoal oblíquo Deixei-a tentar de novo. (a – sujeito do verbo tentar) Permitam-me sair. (me – sujeito do verbo sair) CLASSIFICAÇÃO DO SUJEITO 1 – Determinado – é o sujeito que pode ser identificado pela terminação do verbo ou pelo contexto em que aparece. Pode ser: Simples – aquele que tem um só núcleo. A mulher grega era uma cidadã de segunda classe. Núcleo Composto – aquele que tem mais de um núcleo. A limpeza e o polimento das argolas são demorados. Núcleo
  • 2. Oculto ou elíptico – não vem explicitamente apresentado na oração, mas pode ser identificado pela desinência ou pelo contexto. Abriu a porta; nada viu. (ele ou ela) Estamos tão separados! Nós 2 – Indeterminado – é o sujeito que não pode ser identificado nem pelo contexto nem pela terminação do verbo. Pode ocorrer: A – com verbos na 3ª pessoa do plural, desde que o contexto não permita identificá-lo. Alteraram toda a programação dos jogos. B – com verbos na 3ª pessoa do singular acompanhados da partícula se. Trata-se de uma exposição inovadora. Não se sabe de um caso de assalto recente. Funções da partícula se Índice de indeterminação do sujeito – tem essa classificação quando se associa a uma forma verbal na 3ª pessoa do singular em orações que não admitem a passagem para a voz passiva analítica. Confiava-se nos amigos. 3ª p. singular índice de indeterminação do sujeito Nos amigos era confiado (estrutura frasal inexistente no idioma). Pronome apassivador – tem essa classificação quando aparece associado a uma forma verbal (singular ou plural) constituindo orações na voz passiva sintética e admitem a passagem para a voz passiva analítica. Publicou-se o livro. (voz passiva sintética) Verbo pronome apassivador sujeito O livro foi publicado. (voz passiva analítica) Sujeito locução verbal 3 – Oração sem sujeito (sujeito inexistente) – alguns verbos não admitem sujeito, por isso são denominados impessoais e ficam sempre na 3ª pessoa do singular. Alguns deles: 3.1 – verbo haver – é impessoal quando empregado no sentido de existir ou de acontecer e quando indica tempo passado. Havia muitas pessoas na festa. (havia=existir) Em outubro haverá eleições municipais. (haver=acontecer) Ele se mudou para Salvador há alguns anos. (haver- tempo passado) OBS.: A – Quando se trata do próprio verbo existir, a oração tem sujeito e o verbo, concorda com ele. Existiam muitas falhas no contrato. Sujeito B – Nas locuções verbais, o verbo haver, quando empregado impessoalmente (sem sujeito), transfere a impessoalidade para o verbo auxiliar, que também fica no singular. No próximo ano, deverá haver novas eleições no país. Sing. Sing. C – O verbo haver empregado com sentido diferente de acontecer, existir ou indicando tempo passado é um verbo pessoal, tem sujeito e concorda com ele. Os jogadores houveram-se muito bem na partida. Suj. plural v. plural (haver = portar- se, agir) Teus colegas se haverão comigo, se te maltratarem. Suj. plural v. plural (haver = ajustar contas) 3.2 – Verbo fazer – é impessoal quando indica tempo (decorrido ou a decorrer). Já fazia dois anos / que ele se mudara para o interior. Oração sem sujeito Amanhã, fará seis meses que vocês nos visitaram. Oração sem sujeito Obs.: Nas locuções verbais, o verbo fazer, quando empregado sem sujeito, transmite a impessoalidade – o singular – para o auxiliar. Amanhã vai fazer seis meses / que vocês nos visitaram. Sing. Sing. 3.3 – Verbo ser (em expressões de tempo) e verbos indicativos de fenômenos da natureza. Era verão; as praias estavam coloridas. É madrugada: lá fora já se ouvem passos. Ainda não choveu o suficiente este ano. Nesta região do país faz pouco frio. Obs.: Na indicação de distâncias, horas e datas, o verbo ser também é impessoal, mas aqui ele concorda com o número que indica a distância, a hora ou a data. Daqui a Manaus são dois mil quilômetros. No momento do acidente, eram três horas da manhã.
  • 3. Hoje são 5 de abril. Obs.: Verbos indicativos de fenômenos da natureza, quando empregados em sentido figurado, têm sujeito e concordam com ele. Choveram telegramas de apoio ao prefeito. Sujeito TIPOS DE VERBO 1 – Verbo intransitivo – é aquele que não precisa de complemento, pois sua significação já é completa. O verbo não transita do sujeito para o complemento. O menino chorou. Sujeito v. intransitivo 2 – Verbo transitivo – trata-se de um verbo que precisa de um termo que lhe complete o significado. O seu sentido transita, passa do verbo para o objeto. As quedas nas vendas surpreenderam todo o comércio. V. transitivo objeto O professor concordou com os argumentos dos alunos. V. transitivo objeto 2.1 – Verbo transitivo direto – é aquele que não exige preposição entre o verbo e o complemento. Os jornais publicaram esta notícia. VTD OD Ele analisou, com grande interesse, a nossa proposta. VTD OD 2.2 – Verbo transitivo indireto – é aquele que necessita de uma preposição entre o verbo e o complemento. Não vou desistir dos meus melhores amigos. VTI preposição OI Os candidatos a prefeito não concordaram com as regras do debate. OI VTI preposição 2.3 – Verbo transitivo direto e indireto – o sentido do verbo é completado por dois termos ao mesmo tempo: um termo se liga diretamente e outro por meio de preposição. A escola não ofereceu vagas a novos alunos. VTDI OD OI Preposição Os manifestantes pediram ao governador mais segurança. VTDI OI OD Preposição Obs.: Os verbos podem mudar de significado ou de conceito (TD ou TI) a depender do contexto. O operário aspirava o ar poluído da fábrica. VTD OD (aspirar = respirar/inalar) O operário aspirava ao cargo de supervisor. VTI OI (aspirar = pretender) 3 – Verbo de ligação – tem a função de ligar o sujeito a um estado, uma característica o um modo de ser desse sujeito. O silêncio do interior da capela era reconfortante. Sujeito característica do sujeito Verbo de ligação TIPOS DE PREDICADO 1 – Predicado verbal – é aquele que apresenta um verbo significativo (transitivo ou intransitivo). O núcleo é sempre um verbo. Os manifestantes / invadiram os escritórios da empresa. Núcleo Predicado verbal Conferência / discute educação ambiental. Núcleo Predicado verbal 2 – Predicado nominal – é aquele que apresenta um verbo de ligação e predicativo do sujeito. Aqui o núcleo é o predicativo (nome) e não o verbo. Os manifestantes / estavam furiosos. Verbo de ligação predicativo (núcleo) Predicado nominal 3 – Predicado verbo-nominal – apresenta verbo significativo (transitivo o intransitivo) e verbo de ligação. Nesse caso, o predicado possui dois núcleos: o verbo e o predicativo. Aqui, o predicativo pode ser do sujeito o do objeto.
  • 4. V. significativo Predicativo Os manifestantes / invadiram furiosos os escritórios da empresa. Núcleo Núcleo Verbal nominal Predicativo do objeto O tribunal / julgou culpado o réu. Núcleo Núcleo objeto Verbal Nominal ATIVIDADES 1 - Identifique os casos em que a palavra ou expressão destacada é frase. A - __ Conseguiu rápido o seu barco, meu amigo! __ Não é meu, respondi, e brinquei: __ Ainda não. É frase B - Ainda não sei se vou conseguir o barco. Não é frase C - __ Deus sabe o que faz, louvado seja Deus. Não é frase __ Louvado seja! É frase D - Educação é muito mais que sala de aula. Não é frase E - __ Sabe o que falta para a criança de rua? __ Sala de aula. É frase F - A Terra é que, girando sobre si mesma, dá a impressão de que o sol desponta, roda no céu e se põe. Ilusão. É frase 2 - Identifique o número de frases que ocorrem no trecho seguinte. __ Você tem parentes aqui? __ Não. No interior. __ E aqui? __ Não. __ E você não acha ruim? __ Não ter parentes aqui? __ É. __ Não. (Luiz Vilela) 9 frases 3 - Leia o trecho seguinte e depois responda. No início do século XIX, as taxas de natalidade e de mortalidade eram altas em todo o mundo; nascia muita gente, mas também morria muita gente. E o crescimento da população era lento. (Retrato do Brasil) A - Quantos períodos há no trecho acima? Dois períodos B - Quantas orações há no primeiro período? Três orações 4 - Nas orações abaixo, faça o seguinte: 1º - Identifique o sujeito, respondendo à pergunta apresentada. 2º - Reescreva a oração, iniciando-a pelo sujeito. A - "Mais ao longe, numa volta da estrada, a telha encarnada de uma casa brilhava ao sol". Que é que brilhava? A telha encarnada de uma casa brilhava ao sol, mais ao longe, numa volta da estrada. B - "Com a facilidade de sua elocução, fez o Dr. Cláudio a crítica geral da literatura brasileira". Quem é que fez? O Dr. Cláudio fez, com a facilidade de sua elocução, a crítica geral da literatura brasileira. C - "Dentro de minha cabeça ainda giravam conversas e músicas da madrugada". Que é que girava? Conversas e músicas da madrugada ainda geravam dentro de minha cabeça. D - "Por um instante viveu, no meu sonho, aquele esplendor suave de uma nudez". Que é que viveu? Aquele esplendor suave de uma nudez viveu por um instante no meu sonho. 5 - Classifique o sujeito dos verbos em destaque, usando o seguinte código: I - sujeito simples II - sujeito composto III - sujeito elíptico (oculto) IV - sujeito indeterminado V - oração sem sujeito A - "Bateram à minha porta/ Fui abrir/ Não vi ninguém". IV B - "O carro partiu. Ao dobrar a primeira esquina, derrapou como os gangsters de filme". I (o carro) - III (o carro) - III (o carro) C - "Por toda a belle époque, até 1920,por aí, o marido, a mulher, os namorados brincavam com a morte. Sem desconfiar, brincavam com a morte". II (o marido, a mulher, os namorados) - III (eles) D -" Faz tempo, sim, que não escrevo, Ficaram velhas todas as notícias. Eu mesmo envelheci." V - III (eu) / I (todas as notícias) / I (eu) E - "Nunca houve cometa igual, assim terrível, desdenhoso e belo". V 6 - Classifique o sujeito do verbo publicar nas frases a seguir. Justifique sua resposta. A - No dia seguinte, os jornais publicaram as fotos do acidente. Os jornais (sujeito simples) B - No dia seguinte, os jornais ignoraram o pedido dos familiares da vítima e publicaram as fotos do acidente. Sujeito oculto (identificável pelo contexto) C - No dia seguinte, publicaram-se as fotos do acidente. As fotos do acidente - sujeito simples
  • 5. 7 - O sujeito, sendo um dos termos da oração, deve aparecer, evidentemente, dentro dos limites dessa oração. Compare os três itens a seguir, levando em conta a informação acima, e faça o que se pede. I - Os torcedores criticaram o jogador. O jogador abandonou a seleção. II - Os torcedores criticaram o jogador. Ele abandonou seleção. III - Os torcedores criticaram o jogador que abandonou a seleção. A - Em I, o sujeito da segunda oração é representado por um substantivo. Transcreva. (o) jogador B - Em relação a II: Que pronome funciona como sujeito da segunda oração? Ele A que palavra da oração anterior esse pronome se refere? Jogador C - Em relação a III: Por que a palavra jogador não pode ser o sujeito da segunda oração? O sujeito é um termo que aparece dentro da oração, e a palavra jogador faz parte da segunda oração Transcreva a palavra que funciona como sujeito da segunda oração e indique a classe gramatical dessa palavra. que - pronome relativo 8 - Leia este trecho de poema: A - Indique o sujeito dos quatro verbos que aparecem nesse trecho. A lenda (conta) - uma princesa encantada (dormia) - um infante (despertaria) - que (viria) B - Reescreva os dois primeiros versos, colocando-os na ordem direta. A lenda conta que uma princesa encantada dormia C - Eliminando a primeira oração, reescreva o restante do trecho começando com "Um infante...". Faça as mínimas alterações necessárias. Um infante, que viria de além do muro da estrada, despertaria uma princesa encantada que dormia. 9 - Nas duas orações a seguir ocorre a palavra SE. Indique o que se pede relativamente a cada uma delas. A - Se possível, passe a oração para a voz passiva analítica. A reposição de perdas salariais foi discutida B - Classifique o sujeito da oração dada. Sujeito determinado simples C - Coloque a palavra reposição no plural e reescreva a frase inicial. Discutiam-se as reposições de perdas salariais D - Classifique a palavra SE. Pronome apassivador A - Se possível, passe a oração para a voz passiva analítica. Não é possível B - Como se classifica o sujeito dessa oração. Sujeito indeterminado C - Coloque costureira no plural e reescreva a oração. Precisa-se de costureiras experientes D - Classifique a palavra SE. Índice de indeterminação do sujeito 10 - Leia esta história em quadrinhos. Considere, agora, esta frase: A - O sujeito de fazem, tem, em ambos os casos, a mesma classificação? Não. Na lápide, o sujeito de fazem é armaduras (Armaduras não mais são feitas como antigamente); na frase abaixo, é indeterminado (com o verbo na 3ª pessoa do plural) B - Como se classifica a palavra SE na frase da tirinha? Pronome apassivador 11 - Leia estes trechos de texto: Identifique o sujeito dos verbos levanta e pingar. 12 - Assinale a alternativa que contém a informação correta quanto ao sujeito das orações 1 e 2. 1 - Existem homens loucos nas ruas. 2 - Há homens sadios nos hospitais. A - oração sem sujeito / indeterminado B - oração sem sujeito / homens sadios C - homens loucos homens sadios D - homens loucos / oração sem sujeito Discutiu-se a reposição de perdas salariais. Precisa-se de costureira experiente. "Uma coisa é patente: não fazem mais espelhos como antigamente". "Assim e que, se um homem de Estado escrever e publicar as suas memórias, tão sem escrúpulo, que lhes não falte nada, nem confissões, amores particularíssimos e inconfessáveis, verá que escândalo levanta o livro. [...] Mas deixai pingar os anos na cuba de um século. Cheio o século, passa o livro a documento histórico, psicológico, anedótico". (Machado de Assis)
  • 6. E - indeterminado/ oração sem sujeito 13 - No trecho: "Eu não creio, não posso mais acreditar na bondade ou na virtude de homem algum; todos são mais ou menos ruins, falsos e indignos; há porém alguns que sem dúvida com o fim de ser mais nocivos aos outros, e para produzir maior dano, têm o merecimento de dizer a verdade nua e crua". I - Algum e alguns são pronomes indefinidos. II - Alguns é sujeito do verbo haver. (sujeito inexistente) III - Algum equivale a nenhum. Assinale a alternativa correta sobre as assertivas acima. A - apenas I é verdadeira. B - apenas II é verdadeira C - apenas I e II são verdadeiras D - apenas I e III são verdadeiras E - I, II e III são verdadeiras. 14 - Orientando-se pela(s) palavra(s) destacada(s), assinale a alternativa em que há erro de análise. A - "[....] como bicho enorme ao qual houvessem cordado as pernas". (oração sem sujeito) o sujeito é indeterminado B - "[...] antes que se fechassem os guichês e portarias". (sujeito composto). C - "Fazia então um sol redondo e cheio [...]. (oração sem sujeito). D - "Inventaram outro nome enrolado [...]. (sujeito indeterminado). E - "[...] e dentro dela havia o peso da responsabilidade [...]. (oração sem sujeito).