IBRI - FIPECAFI


            ÉTICA NO MERCADO
                DE CAPITAIS
                    Apresentação:
             ...
Roteiro da Apresentação

I)   ÉTICA -- CONCEITOS

II) AÇÃO EMPRESARIAL

III) UM MUNDO EM MUDANÇA

IV) É
  ) ÉTICA E MERCAD...
I) ÉTICA -- O QUE É ...
        )            Q
1. Cuidado com a vulgarização do conceito de
                      g      ç...
I) ÉTICA NÃO É ...
1. Não é individual e solitária: “Quando o
                                  Q
   ‘outro’ entra em cena...
I) ÉTICA NÃO É ... (cont.)

3.
3 NÃO É SUCESSO (fama e dinheiro) mas
   FELICIDADE (alegria de viver apesar de ... As
   p...
I) ÉTICA - (cont )
                       (cont.)

EM RESUMO, a ÉTICA


Começa com o respeito às leis, normas,
           ...
(I) ÉTICA (concl.)
1. ÉTICA são princípios, virtudes, valores, universais,
   duradouros e afirmativos “Ama o teu próximo
...
(II) AÇÃO EMPRESARIAL

O PODER DE INFLUÊNCIA(*) DE ENTIDADES
   NA SOCIEDADE MODERNA:

Poder decrescente: familia patriarc...
(II) AÇÃO EMPRESARIAL – cont.


EMPRESAS – razões do fortalecimento do poder de influência:

a)
 )   Criação d
     C i ã ...
(II) AÇÃO EMPRESARIAL – cont.

EXEMPLOS DE MAU USO DO PODER DE INFLUÊNCIA
                                INFLUÊNCIA:

a) ...
(III) UM MUNDO EM MUDANÇA

A)     Séc.
       Séc XX – o século do “mercado”?
                             mercado ?
     ...
(III) MUNDO EM MUDANÇA (cont.)

-- mais de 50% da população mundial nos níveis
   de pobreza (US$ 1.500,00 por ano), de mi...
(III) MUNDO EM MUDANÇA (cont.)
                           (cont )

Efeitos da comunicação instantânea e universal:
   i d ...
(III) MUNDO EM MUDANÇA (cont.)

Séc.
Sé XXI - Sé l d Éti ?
            Século da Ética
  - A sociedade se conscientiza de ...
( )
  (III) MUNDO EM MUDANÇA (
                      Ç (cont.)
                              )


- o conceito de “competiç...
(IV) ETICA E MERCADO DE CAPITAIS

Lado negativo: mercado de capitais e mercado
  d        i         d d      i i          ...
(IV) ETICA E MERCADO DE CAPITAIS

• O profissional de RI é o guardião da
  Transparência e, por extensão, da prestação
  d...
(IV) ETICA E MERCADO DE CAPITAIS

• A declaração de PRINCIPIOS ÉTICOS e o
  CÓ GO
  CÓDIGO DE CON CONTA PROFISSIONAL do
  ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

MBA IBRI Fipecafi Lelio Lauretti Etica

970 visualizações

Publicada em

Aula MBA IBRI Fipecafi MBA - Ética No Mercado de Capitais - Lélio Lauretti

Publicada em: Negócios, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

MBA IBRI Fipecafi Lelio Lauretti Etica

  1. 1. IBRI - FIPECAFI ÉTICA NO MERCADO DE CAPITAIS Apresentação: Lélio L Léli Lauretti i (lauretti@osite.com.br) 5/19/2009 1
  2. 2. Roteiro da Apresentação I) ÉTICA -- CONCEITOS II) AÇÃO EMPRESARIAL III) UM MUNDO EM MUDANÇA IV) É ) ÉTICA E MERCADO DE CAPITAIS 2
  3. 3. I) ÉTICA -- O QUE É ... ) Q 1. Cuidado com a vulgarização do conceito de g ç Ética, tal como acontece com “verdade”, “liberdade”, “ideal”...A Ética vai muito além liberdade ideal A do simples cumprimento de leis e regulamentos! 2. A Ética é o estágio mais avançado de desenvolvimento da consciência humana: a) INSTINTOS (Natureza) b) LEIS, NORMAS, REGULAMENTOS (Moral) c) É ÉTICA (Princípios, virtudes, valores) 3
  4. 4. I) ÉTICA NÃO É ... 1. Não é individual e solitária: “Quando o Q ‘outro’ entra em cena, nasce a Ética” (Humberto Eco). 2. Não é apenas ERUDIÇÃO, mas SABEDORIA: - conhecimentos que nos ajudam a viver melhor (o valor do tempo, o q é ( p , que realmente importante...) - só pode ser usada p o BEM p para - diferença entre “desejo” e “necessidade” - mais sabedoria, menos fantasia ... sabedoria 4
  5. 5. I) ÉTICA NÃO É ... (cont.) 3. 3 NÃO É SUCESSO (fama e dinheiro) mas FELICIDADE (alegria de viver apesar de ... As pessoas felizes não invejam não mentem não invejam, mentem, agridem, não roubam, amam e são amadas) 4. Apenas COMPREENDER, mas FAZER MELHOR (princípio ético da Inovação) 5. Apenas FILANTROPIA, mas SOLIDARIEDADE (O que se doa? Eleva o amor-próprio e o sentimento de dignidade de quem recebe?) 5
  6. 6. I) ÉTICA - (cont ) (cont.) EM RESUMO, a ÉTICA Começa com o respeito às leis, normas, leis normas regulamentos, sem o qual a vida em sociedade seria impossível. Ela é a guardiã da Lei. p g É a opção que fazemos pelo BEM, com boa vontade, BEM vontade liberdade, consciência e responsabilidade. 6
  7. 7. (I) ÉTICA (concl.) 1. ÉTICA são princípios, virtudes, valores, universais, duradouros e afirmativos “Ama o teu próximo afirmativos. Ama como a ti mesmo” em vez de “Não faças aos outros o que não queres que eles te façam”. q q q ç 2. 2 Outros princípios éticos: transparência equidade, transparência, equidade franqueza, responsabilidade social, solidariedade, integridade, valorização do trabalho, lealdade, g , ç , , sustentabilidade etc. 3. Uma definição bem simples: é o BEM que eu faço p q q porque quero fazer, não porque sou obrigado a , p q g fazer. 7
  8. 8. (II) AÇÃO EMPRESARIAL O PODER DE INFLUÊNCIA(*) DE ENTIDADES NA SOCIEDADE MODERNA: Poder decrescente: familia patriarcal, igrejas patriarcal tradicionais, governos autoritários Poder crescente: organizações não governamentais, empresas, escolas. (*) não se trata de “importância” 8
  9. 9. (II) AÇÃO EMPRESARIAL – cont. EMPRESAS – razões do fortalecimento do poder de influência: a) ) Criação d C i ã de valor para os sócios l ó i b) Criação de valor para a sociedade c) Geração e qualificação de empregos d) Parceria com o desenvolvimento científicos (estímulo à pesquisa, oferta de produtos úteis e acessíveis etc.) e) Modelo de uso racional de recursos f) Forma mais eficiente e organizada para o trabalho humano g) Estímulo e recompensa para a criatividade p p h) Apoio a programas educacionais de aprimoramento profissional i) Laboratório de companheirismo e solidariedade. solidariedade 9
  10. 10. (II) AÇÃO EMPRESARIAL – cont. EXEMPLOS DE MAU USO DO PODER DE INFLUÊNCIA INFLUÊNCIA: a) Transferir valor para os sócios em vez de “criar valor para a sócios, criar sociedade” b) Corrupção do poder público para conseguir “vantagens competitivas” à custa d patrimônio público. titi ” t do t i ô i úbli c) Estímulo à “cultura de competição”, em vez de uma “cultura de competência” p d) Oferta de produtos nocivos ao homem e à natureza e) Uso de propaganda enganosa, que substitui “necessidades” por “desejos” desejos f) Agressões à natureza g) Visão imediatista de resultados, em lugar de planejamento de Vs o ed s esu dos, e ug p ej e o longo prazo 10
  11. 11. (III) UM MUNDO EM MUDANÇA A) Séc. Séc XX – o século do “mercado”? mercado ? - progresso tecnológico - globalização dos mercados incl. o de capitais l b li ã d d i l d it i - enorme concentração de renda (H.B.S) - pessoas ( organizações) orientadas apenas por (ou i õ ) i t d seus próprios interesses - as melhores inteligências inteiramente dedicadas a “criar valor” - mercado financeiro maior do que a economia real, o que multiplica a volatilidade e os riscos para a economia 11
  12. 12. (III) MUNDO EM MUDANÇA (cont.) -- mais de 50% da população mundial nos níveis de pobreza (US$ 1.500,00 por ano), de miséria (2,00 por dia) ou de miséria absoluta (US$ 1,00 ou menos por dia), gerando pandemias e imigração em massa; -- mudança no equilibrio de poderes entre países; ç q p p ; -- brutal aumento dos gastos militares e alteração profunda na natureza das guerras; -- meio ambiente: discurso distante da prática. 12
  13. 13. (III) MUNDO EM MUDANÇA (cont.) (cont ) Efeitos da comunicação instantânea e universal: i d i i i l - o crescimento consistente do “exército de injustiçados” e seus efeitos desestabilizadores j ç - despertar de consciências: os “excluídos” deixam de ser vistos como estatísticas ... - pessoas (ou organizações) somam preocupações de ordem social aos seus próprios interesses - o conceito de “criação de valor” passa a ser questionado. i d 13
  14. 14. (III) MUNDO EM MUDANÇA (cont.) Séc. Sé XXI - Sé l d Éti ? Século da Ética - A sociedade se conscientiza de seu poder de pressão sobre as organizações incl. governos: deixamos de organizações, incl ser apenas “consumidores” para ser também “cidadãos” - Em função disso, os governos passam a exercer seu verdadeiro papel de zelar pelo interesse coletivo - Pessoas (ou organizações) subordinam seus interesses aos interesses maiores da sociedade (a proposta de “empresa social de M. Yunus) empresa social” M - Entram em declínio as figuras de “gênios”, “heróis” e “ídolos”; volta a imperar a racionalidade na ; p avaliação do trabalho (importância para a soc.) 14
  15. 15. ( ) (III) MUNDO EM MUDANÇA ( Ç (cont.) ) - o conceito de “competição” cede lugar ao de “competência” - alargamento da “classe média” pela redução dos extremos de riqueza e miséria -fforte d lí i nos níveis de corrupção, em todas declínio í i d ã d as esferas - um novo Renascimento nas artes (Ética e Estética são irmãs-gêmeas!) - a racionalidade e o bom senso voltam a dominar a atividade econômica. 15
  16. 16. (IV) ETICA E MERCADO DE CAPITAIS Lado negativo: mercado de capitais e mercado d i d d i i d financeiro deixam de ser meios e se convertem em fins: fi surgem as crises. i Aspectos positivos: - Democratização do capital - Estímulo a uma cultura de poupança - Crescimento econômico sustentável pela melhora C i ô i á l l lh do perfil de distribuição da renda 16
  17. 17. (IV) ETICA E MERCADO DE CAPITAIS • O profissional de RI é o guardião da Transparência e, por extensão, da prestação de d contas, que são princípios éticos que dão i í i éi d suporte à boa governança corporativa. • Característica básica da transparência é a franqueza. franqueza • O profissional de RI deve ter extremo cuidado com a informação, em períodos de crise, em face dos perigos da retro- , p g alimentação. 17
  18. 18. (IV) ETICA E MERCADO DE CAPITAIS • A declaração de PRINCIPIOS ÉTICOS e o CÓ GO CÓDIGO DE CON CONTA PROFISSIONAL do O SS ON Profissional de RI compõe uma “ferramenta de credibilidade” e seu conhecimento e credibilidade observância são imperativos da profissão. 18

×