EXERCÍCIOS – RESÍDUOS SÓLIDOS
DIMENSIONAMENTOS DE SERVIÇOS DE LIMPEZA PÚBLICA
ENGENHARIA AMBIENTAL
1. Dimensionar a frota ...
Jornada de trabalho de 8 horas
Média de 200km de vias públicas atendidas pelo serviço (dividir por 2 pois a coleta é reali...
Reserva Técnica: 8
Número de praças e logradouros: 5
A prática mostra a necessidade de 1 fiscal para cada turma de 20 varr...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Exercícios dimensionamento limpeza publica aula 4

1.359 visualizações

Publicada em

Aula de resíduos sólidos baseada em diversos materiais e autores.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.359
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exercícios dimensionamento limpeza publica aula 4

  1. 1. EXERCÍCIOS – RESÍDUOS SÓLIDOS DIMENSIONAMENTOS DE SERVIÇOS DE LIMPEZA PÚBLICA ENGENHARIA AMBIENTAL 1. Dimensionar a frota de veículos coletores de resíduos sólidos domiciliares e guarnição para uma cidade de 100.000 habitantes na zona urbana. a-) Cálculo da quantidade diária de resíduo gerado a ser coletado (Q) Fórmula (t/d): Q  R H G 38 t/d Onde: R = porcentagem do resíduo gerado no município que realmente é coletado. H = população urbana onde normalmente existe serviço de coleta resíduo. G = estimativa da quantidade diária gerada de resíduo por habitante. Dados: 95% de resíduos realmente coletados. Geração de resíduos por habitante é de 400g b-) Cálculo do tempo dispendido pelo transporte de cada viagem ao sistema de tratamento ou destinação final Fórmula: TV  2D  T1 Vt 0,9999 Onde: D = distância média do centro gerador até o local de descarga. Vt = velocidade de transporte na viagem até o local de descarga. T1 = tempo necessário para a viagem, pesagem descarga do resíduo e retorno. Dados: A distância do centro de coleta até a descarga é média de 10km. Velocidade de transporte na viagem até o local de descarga é média de 30km/hora. Tempo de viagem e retorno no caminhão é de 20 minutos. c-) Cálculo do número de viagens possíveis de cada veículo realizar dentro de um período de 8 horas de trabalho Fórmula: N Q  VC  J ( L  2  C )  (Q  VC  TV ) 2,2 Onde: NV = número de viagens por dia. Q = quantidade de resíduos a ser coletado por dia. VC = velocidade de coleta. J = jornada de trabalho. L = quilômetros de vias públicas de uma cidade a serem atendidas pelo serviço de coleta. C = capacidade de carga da caçamba. TV = tempo de viagem que cada veículo executa para descarga do resíduo. Dados: Velocidade de coleta de média 5km por hora
  2. 2. Jornada de trabalho de 8 horas Média de 200km de vias públicas atendidas pelo serviço (dividir por 2 pois a coleta é realizada em dias alternados. A capacidade da caçamba é de 5 toneladas por viagem. d-) Cálculo da frota F 1 Q ( Y)  K NV C 3 Onde: NV = É o número de viagens possível de cada caminhão realizar dentro de uma jornada de trabalho. Q = É a quantidade de resíduo coletado. C = É a capacidade de carga de uma caçamba. Y = É o número de viagens necessárias, por veículo, por setor em uma jornada de trabalho no período noturno. K = número de veículos de reserva. Dados: 1 caminhão de reserva. Concluindo: Quantas toneladas de resíduos o caminhão transporta por jornada de trabalho? Se um caminhão efetua 2,2 viagens por jornada normal de trabalho de 8 horas e o veículo tem capacidade de carga de 5 t de resíduo por viagem temos que um caminhão transporta 11 t de resíduo por jornada de trabalho. Quantos veículos em atividade? Se o município produz 38 toneladas por dia e um caminhão transporta 11 t de resíduos por jornada de trabalho temos: 38 : 11 = 3,45 = 4 veículos na ativa. SETORES S1 S2 S3 S4 S5 TOTAL KM 61,50 38,70 69,40 33,40 409,70 FREQUÊNCIA DIÁRIA ALTERNADA ALTERNADA SEMANAL MENSAL DIAS 26 12 12 4 1 PRODUÇÃO 1.599,00 464,40 832,80 133,60 409,70 3.439,50 Fórmula Nv  Kj  Cr Fv.Pd Onde: Nv = nº de varredores necessários Kj = nº de vias a serem varridas em km de sarjetas Fv = frequência de varrição Pd = produção diária de cada varredor (adotar 4) Cr = coeficiente de reserva (20%) Calcular Nv para cada setor. Total de varredores necessários para varrição das vias públicas: 36 Nº DE DIAS = Fv 1 2 2 6 26 Nº Varredores 16 +20% = 19 5+20% = 6 9 + 20% = 11 2+ 20% = 3 4+20% = 5 36 + 20 % = 44 Respostas 2. Dimensionar o sistema de varrição de um município com os dados da tabela a seguir. Os setores serão varridos por um único funcionário.
  3. 3. Reserva Técnica: 8 Número de praças e logradouros: 5 A prática mostra a necessidade de 1 fiscal para cada turma de 20 varredores. Quantos fiscais necessários? 3. Dimensionar a quantidade de varredeiras mecânicas para a varrição mecanizada de 20 quilômetros de eixo de vias públicas (duplas) da zona central do município. O período de trabalho será o noturno, após às 22 horas. Considerando:  hora trabalhada após as 22 horas é de 52 minutos e portanto, o turno será de 6,33 horas;  uma varredeira rebocável gasta 1:00 hora de transporte;  velocidade de varrição para equipamento rebocável é igual a 3km/hora;  uma monobloco 33 minutos de deslocamento garagem/setor/garagem;  velocidade de varrição para equipamento monobloco é igual a 8km/hora;  período de trabalho será o noturno, após as 22:00 horas;  um turno noturno de trabalho;  freqüência diária de varrição. O número de varredeiras mecânicas, necessárias para um sistema de varrição pode ser dado pela seguinte equação: Nv  Kv  Cr T .Ht.Vv.Fv Onde: Nv = número de varredeiras Kv = quilometragem de vias a serem varridas T = quantidade de turnos de serviço Ht = número de horas de trabalho Vv = Velocidade de varrição Fv = frequência de varrição Dados: O número de horas de trabalho deverá ser descontado o tempo que leva o deslocamento. Considerar eixo de vias duplas a) Calcular o número de varredeiras monobloco: 2 b) Calcular o número de varredeiras rebocável: 4

×