SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
HISTÓRIA DO CRISTIANISMO 5ª AULA
O cristianismo do ano 100 ao 312
As perseguições no império romano
EBD - ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA
1º semestre de 2023 – facilitadores: Yuri Eloi e Francisco Tudela
QUANDO INICIOU A PERSEGUIÇÃO ROMANA AOS CRISTÃOS
O Império Romano obrigava todos os cidadãos a prestarem
culto ao imperador, como se fosse um deus.
A exceção era para os praticantes do judaísmo, considerada
uma “religião lícita” e, portanto, isenta de serviço militar e
do culto imperial.
O Cristianismo gozava destas isenções por ser considerada uma seita judaica.
Contudo, no ano 90, judeus, na cidade de Jamnia, decidiram que o cristianismo era
uma seita falsa e até incluíram maldições a Jesus em seus ritos.
Tal segregação fez com que o cristianismo não mais gozasse dos benefícios judaicos,
sendo agora uma “religião ilícita”, o que obrigava seus membros à adoração imperial
ou à condenação por desobediência.
Qual era o crime ou o erro dos cristãos primitivos?
No ano 100 uma carta de Plinio, governador romano da Bitínia e do Ponto, ao
imperador Trajano, trata do crime dos cristãos que responde a essa pergunta:
"Todo o crime ou erro dos cristãos se resume nisto: têm por costume reunirem-se
num certo dia, antes do romper da aurora, e cantarem juntos um hino a Cristo,
como se fosse um Deus, e se ligarem por um juramento de não cometerem
qualquer iniquidade, de não serem culpados de roubo ou adultério, de nunca
desmentirem a sua palavra, nem negarem qualquer penhor que lhes fosse
confiado, quando fossem chamados a restitui-los. Depois disso feito, costumavam
separar-se e em seguida reunirem-se de novo, sem a menor desordem. Depois
dessas informações julguei muito necessário examinar, mesmo por meio de tortura,
duas diaconisas, mas nada descobri a não ser uma superstição má e excessiva.“
Partilha 11 – As pessoas do seu trabalho, amigos... têm visto um comportamento
diferente em você que as leve a “julgar necessário examinar”? Dê exemplos.
Celsius, filósofo grego, no ano 245 escreveu a respeito do cristianismo:
“Longe de nós dizer que os cristãos sejam homens possuidores de cultura ou
sabedoria ou crítica, seu objetivo é convencer apenas as pessoas sem valor e
desprezíveis, imbecis, escravos, mulheres pobres e crianças [...] Essas são as únicas
pessoas que eles conseguem transformar em crentes”.
EscreveTertuliano (160): “Se o Tibre transbordou, se o Nilo permaneceu em seu leito,
se o céu tem estado calmo, ou a terra em movimento, se a morte andou devastando,
ou a fome trouxe seus tormentos, o grito imediato é ‘cristãos aos leões!’”
 “pessoas sem valor “ Nesta época cerca de 30 mil cristãos viviam em Roma, a
maioria das classes mais humildes, falavam grego, a língua dos escravos e dos
pobres; as classes mais elevadas falavam latim.
ASSIM AS CAUSAS DA PERSEGUIÇÃO ROMANA FORAM:
POLÍTICAS: O imperador era o “Senhor”;
SOCIAIS: Os nobres não aceitavam a “igualdade” de classes;
ECONÔMICAS: A indústria da idolatria sofria prejuízos;
IMPERADORES ROMANOS ATÉ O ANO 305
1. Augusto, 27 a 14;
2. Tibério, 14 a 37;
3. Calígula, 37 a 41;
4. Cláudio, 41 a 54;
5. Nero, 54 a 68;
6. Galba, 68 a 69;
7. Otão, 69;
8. Vitélio, 69;
9. Vespasiano, 69 a 79;
10. Tito Flávio, 79 a 81;
11. Domiciano, 81 a 96;
12. Nerva, 96 a 98;
13. Trajano, 98 a 117;
14. Adriano, 117 a 138;
15. Antonino Pio, 138 a 161;
16. Marco Aurélio, 161 a 180;
17. Cômodo, 180 a 192:
18. Sétimio Severo, 193 a 211;
19. Caracala, 211 a 217;
20. Macrino, 217 a 218;
21. Heliogábalo, 218 a 222;
22. Alexandre Severo, 222 a 235;
23. Maximino Trácio, 235 a 238;
24. Gordiano, 238 a 244;
25. Filipe, 244 a 249;
26. Décio, 249 a 251;
27. Treboniano Galo, 251 a 253;
28. Volusiano, 251 a 253;
29. Emiliano, 253;
30. Valeriano, 253 260;
31. Galiano, 253 a 268;
32. Cláudio II, 268 a 270;
33. Quintilo, 270;
34. Aureliano,270 a 275;
35. Tácito, 275 a 276;
36. Floriano, 276 a 276;
37. Probo, 276 a 282;
38. Caro, 282 a 283;
39. Carino, 283 a 285;
40. Numeriano, 283 a 284;
41. Diocleciano, 284 a 305;
42. Maximiano, 286 a 305;
43. Licíno, 305
44. Constâncio Cloro, 305 a 306;
45. Galério, 305 a 311;
46. Severo II, 306 a 307;
47. Constantino, 307 a 337;
HISTÓRIA DA PERSEGUIÇÃO – ALGUNS IMPERADORES ROMANOS
Nero
Domiciano
Trajano
Marco
Aurelio
Sétimo
Severo
Décio
Diocleciano
Em 64, um grande incêndio atingiu Roma, culparam o próprio imperador, Nero,
porém, este acusou os cristãos de serem os causadores do incêndio.
Nero
Domici
ano
Trajano
Marco
Aurélio
Sétimo
Severo
Décio
Diocleciano
Fez a convocação de uma saturnal (em honra de Saturno, o deus romano da
colheita) para a destruição dos seguidores do Caminho em Roma e das redondezas.
Pedro e Paulo foram martirizados nesta época.
Nero
Domiciano
Tra
jan
o
M
arc
o
Au
réli
o
Dé
cio
Di
ocl
eci
an
o
Local: Roma e Ásia menor – ano 76
Causa da perseguição:
 Resgate das tradições romanas (culto ao imperador)
 Os templos pagãos estavam abandonados e não se encontravam compradores
para a carne sacrificada aos ídolos.
Acontecimento: Exílio de João
Nero
Domiciano
TRAJANO
Ma
rco
Aur
elio
Séti
mo
Sev
ero
Déc
io
Diocle
ciano
TRAJANO FOI IMPERADOR DE 98 A 117 dC
Em 107, Trajano desvalorizou a moeda
romana, diminuindo o teor de prata do
denário de 3,04 gr para 2,88 gr, podendo
cunhar mais denários e assim aumentar os
gastos civis e militares.
Trajano formalizou o alimenta, um programa
de bem-estar que ajudava órfãos e crianças
pobres em toda a Itália, fornecendo
dinheiro, comida e educação.
O programa foi financiado com impostos
imobiliários e filantropia.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Trajano
No ano 98 a perseguição é aliviada:
Não havia uma perseguição a todos, mas se alguém fosse denunciado, era
questionado três vezes e, somente se confessasse, era condenado à morte.
São executados: Inácio de Antioquia*, Policarpo de Esmirna* e Justino – o mártir**
*Pais Apostólicos - escreveram para a edificação da igreja
** Apologista - escreveu para defender a igreja frente aos pagãos
Plínio, governador romano da Bitínia e do Ponto pede orientação ao
imperador Trajano - “Devo punir todo cristão, ou só os que se obstinam?”
Trajano responde com um edito:
“Não devem ser procurados; se te forem trazidos e os reconheceres, devem ser
punidos; mas aquele que se negue a ser cristão e o demonstre, por exemplo
suplicando aos nossos deuses, mesmo que tenha tido conduta suspeita no passado,
deve ser perdoado.”
Será a base política de todo o século II
Nero
Domici
ano
Trajano
Marco
Aurélio
Sétimo
Severo
Décio
Diocleciano
Local: Todo o Império – ano 117
Causa da perseguição:
Atribuiu um surto de peste em Roma à ira dos deuses pelo desprezo dos cristãos
que não os cultuavam.
Nero
Domici
ano
Trajan
o
Marco
Aurélio
Sétimo
Severo
Décio
Diocleciano
Local: Todo Império – ano 193
A perseguição continua pelos mesmos motivos.
Acontecimento: Martírio de Perpétua e Felicidade no ano 203dC.
Felicidade tinha 7 filhos era escrava de Perpétua, grávida, deu à luz na prisão.
Felicidade foi acusada de ser cristã e o prefeito da cidade a ameaçou de morte, mas
disse: "Viva, eu te vencerei; se me matares, em minha própria morte te vencerei
ainda mais.”
Ambas não negaram a fé cristã, os filhos foram mortos na sua frente e elas
decapitadas.
Nero
Severo
Décio
Diocleciano
Local: Todo Império – ano 250
Causa da perseguição: Décio faz um edito exigindo uma oferta anual de sacrifício
nos altares romanos aos deuses e à figura do Imperador.
Quem o oferecia recebia um certificado que o livrava da morte.
Acontecimento: O que fazer com os caídos, chamados de confessores, aqueles que
haviam apostatado para receber o certificado.
Hermas em “O Pastor” escreve que os lapsos (caídos) poderiam ser aceitos como
membros de 2ª classe, sem cargos de liderança – Surge o Novacionismo
Local: Todo império – ano 284
Causa da perseguição:
Diocleciano faz um edito ordenando o fim das reuniões cristãs, a destruição das
igrejas, prisão de quem não negasse a fé cristã e queima das Escrituras.
Houve confisco de bens, exílio, prisões e trabalhos forçados nas minas.
Eusébio* conta que eram tantos cristãos presos que faltou lugar para criminosos
comuns nas cadeias.
Acontecimento:
*Eusébio foi bispo de Cesareia e é considerado 1º historiador do cristianismo
O financiamento do império,
com escravos e riquezas, vinha
das guerras, e a opção pela paz,
que alguns governantes fizeram,
empobreceu o império.
Diocleciano perseguia os cristãos.
Eusébio em História Eclesiástica:
“Na Arábia, matava-se a machadadas; na
Capadócia, cortavam-se as pernas; na
Mesopotâmia, alguns foram pendurados
pelos pés, e acendiam-se em baixo
fogueiras cujo fumo os asfixiava; algumas
vezes cortavam o nariz, as orelhas ou a
língua. No Ponto, cravavam espinhos
debaixo das unhas ou lançavam chumbo
derretido sobre as partes mais sensíveis”.
Para sobreviver dividiram o Império em quatro, uma tetrarquia:
Dois imperadores Maximino e Diocleciano (Augustos)
Dois sub-imperadores Constantino e Galério (Césares).
 Em 305 Constâncio Cloro cessa a perseguição no ocidente
 No oriente Galério e Maximino fazem um edito que obrigava os súditos a
sacrificar os cristãos
 Galério é acometido por uma terrível doença, faz um edito dando liberdade aos
cristãos do seu território e morre.
 Disputam o poder: Constantino, Maxêncio, Maximino Daia e Licínio.
 Maximino e Licínio se enfrentam no Oriente
 Constantino e Maxêncio se enfrentam no Ocidente.
 Na Guerra entre Constantino e Maxêncio em 312
“In hoc signo vincis”
 Após a vitória Constantino beneficiará os cristãos.
20
Como pudemos ver, nesse tempo, não havia "cristão nominal, crente não praticante
ou desigrejado.” – multidões abraçavam a “causa”-
PARTILHA 12: Será que chamaríamos de fanatismo, como alguns grupos islâmicos?
Países onde é mais difícil
ser seguidor de Jesus:
1. Afeganistão
2. Coreia do Norte
3. Somália
4. Líbia
5. Iémen
6. Eritreia
7. Nigéria
8. Paquistão
9. Irã
10. Índia
PARTILHA 13:
Que ações dos cristãos da igreja primitiva lhe chamaram
a atenção em relação as proibições e perseguições do
governo e da sociedade para aplicar nos dias de hoje?
https://www.christianitytoday.com/news/2022/january/perseguicao-2022-paises-igreja-cristaos-mortos-evangelho-pt.html
1. HISTÓRIA DO CRISTIANISMO – Shelley B. L. - Ed Shedd– 1ª Edição 2004
2. UMA HISTÓRIA ILUSTRADA DO CRISTIANISMO – Gonzales J. L. – Ed Vida Nova - 1995
3. HISTÓRIA DO CRISTIANISMO – COLLINS&MATTHEW – Ed. Loyola - 2000
4. HISTÓRIA DA IGREJA – Walton R.C. – Ed Vida História do Cristianismo, Shelley, Bruce L., 1927,
Ed. Shedd
5. Textos Bíblicos extraídos da Bíblia Sagrada NVI; São Paulo; Ed. Vida; 2001
6. BÍBLIA DE ESTUDO NVI, Barker; São Paulo; Ed. Vida; 2003
7. Reflexões extraídas da World Wide Web
8. Vídeo–aula: A Historia do Cristianismo Como Você Nunca Viu – Igreja Evangélica Batista de
Campo Grande e Seminário Batista Sul Mato-grossense - 2020
9. BIBLE PROJECT
Esta apresentação está disponível no site: www.escolabiblicavirtual.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOSESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOSEVANGELISTA SOARES
 
7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculoRicardo Gondim
 
Lição 12 - A Nuvem de Glória
Lição 12 - A Nuvem de GlóriaLição 12 - A Nuvem de Glória
Lição 12 - A Nuvem de GlóriaÉder Tomé
 
Disciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração EclesiásticaDisciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração Eclesiásticafaculdadeteologica
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisMoisés Sampaio
 
Lição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de Deus
Lição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de DeusLição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de Deus
Lição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de DeusÉder Tomé
 
Panorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPanorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPaulo Ferreira
 
A SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIA
A SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIAA SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIA
A SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIAEnerliz
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasMoisés Sampaio
 
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoLição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoÉder Tomé
 
Milênio e suas doutrinas
Milênio e suas doutrinasMilênio e suas doutrinas
Milênio e suas doutrinasRobson Santana
 
Lição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
Lição 6 - As Cortinas do TabernáculoLição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
Lição 6 - As Cortinas do TabernáculoÉder Tomé
 

Mais procurados (20)

ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOSESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
 
7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo
 
Lição 12 - A Nuvem de Glória
Lição 12 - A Nuvem de GlóriaLição 12 - A Nuvem de Glória
Lição 12 - A Nuvem de Glória
 
Quem é jesus power point
Quem é jesus power pointQuem é jesus power point
Quem é jesus power point
 
Mordomia Cristã
Mordomia CristãMordomia Cristã
Mordomia Cristã
 
Introdução ao estudo da hermenêutica 1
Introdução ao estudo da hermenêutica 1Introdução ao estudo da hermenêutica 1
Introdução ao estudo da hermenêutica 1
 
Disciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração EclesiásticaDisciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração Eclesiástica
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
Lição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de Deus
Lição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de DeusLição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de Deus
Lição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de Deus
 
Panorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPanorama do pentateuco
Panorama do pentateuco
 
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula IIEstudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
 
A SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIA
A SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIAA SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIA
A SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIA
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
 
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoLição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
 
EPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDROEPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDRO
 
Eclesiologia ana
Eclesiologia anaEclesiologia ana
Eclesiologia ana
 
Milênio e suas doutrinas
Milênio e suas doutrinasMilênio e suas doutrinas
Milênio e suas doutrinas
 
Aula hermenêutica
Aula hermenêuticaAula hermenêutica
Aula hermenêutica
 
A história dos avivamentos da igreja
A história dos avivamentos da igrejaA história dos avivamentos da igreja
A história dos avivamentos da igreja
 
Lição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
Lição 6 - As Cortinas do TabernáculoLição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
Lição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
 

Semelhante a 5- Perseguições e defesa da fé.pptx

5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
5  perseguições e defesa da fé-5ª aula5  perseguições e defesa da fé-5ª aula
5 perseguições e defesa da fé-5ª aulaPIB Penha
 
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de MilãoHistória da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de MilãoGlauco Gonçalves
 
História da Igreja I: Aula 4 - A batalha pela sobrevivência
História da Igreja I: Aula 4 - A batalha pela sobrevivênciaHistória da Igreja I: Aula 4 - A batalha pela sobrevivência
História da Igreja I: Aula 4 - A batalha pela sobrevivênciaAndre Nascimento
 
O livro negro do cristianismo dois mil anos de crimes em nome de deus www.ia...
O livro negro do cristianismo  dois mil anos de crimes em nome de deus www.ia...O livro negro do cristianismo  dois mil anos de crimes em nome de deus www.ia...
O livro negro do cristianismo dois mil anos de crimes em nome de deus www.ia...Ruby Vitória
 
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAdriano Pascoa
 
DANIEL 7 NOVA INTERPRETAÇÃO.doc
DANIEL 7 NOVA INTERPRETAÇÃO.docDANIEL 7 NOVA INTERPRETAÇÃO.doc
DANIEL 7 NOVA INTERPRETAÇÃO.docMilton Grobe
 
Estudo do livro Roteiro liçao 18
Estudo do livro Roteiro liçao 18Estudo do livro Roteiro liçao 18
Estudo do livro Roteiro liçao 18Candice Gunther
 
Oimprioromano 120726225338-phpapp01
Oimprioromano 120726225338-phpapp01Oimprioromano 120726225338-phpapp01
Oimprioromano 120726225338-phpapp01luzia Camilo lopes
 
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdfO_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdfVictorSiqueira36
 
Alexandria
Alexandria Alexandria
Alexandria Amanda
 
A santa inquisição, Matando em nome de Deus
A santa inquisição, Matando em nome de DeusA santa inquisição, Matando em nome de Deus
A santa inquisição, Matando em nome de DeusNeymoura
 
Respingos Históricos 02_Primicias do Reino_15out21
Respingos Históricos 02_Primicias do Reino_15out21Respingos Históricos 02_Primicias do Reino_15out21
Respingos Históricos 02_Primicias do Reino_15out21C.E. Allan Kardec - STI/PR
 

Semelhante a 5- Perseguições e defesa da fé.pptx (20)

5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
5  perseguições e defesa da fé-5ª aula5  perseguições e defesa da fé-5ª aula
5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
 
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de MilãoHistória da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
 
História da Igreja I: Aula 4 - A batalha pela sobrevivência
História da Igreja I: Aula 4 - A batalha pela sobrevivênciaHistória da Igreja I: Aula 4 - A batalha pela sobrevivência
História da Igreja I: Aula 4 - A batalha pela sobrevivência
 
História da Igreja #6
História da Igreja #6História da Igreja #6
História da Igreja #6
 
As cruzadas set final
As cruzadas set finalAs cruzadas set final
As cruzadas set final
 
Apontamentos história7º ano
Apontamentos história7º anoApontamentos história7º ano
Apontamentos história7º ano
 
A Religiao Céltica
A Religiao CélticaA Religiao Céltica
A Religiao Céltica
 
O livro negro do cristianismo dois mil anos de crimes em nome de deus www.ia...
O livro negro do cristianismo  dois mil anos de crimes em nome de deus www.ia...O livro negro do cristianismo  dois mil anos de crimes em nome de deus www.ia...
O livro negro do cristianismo dois mil anos de crimes em nome de deus www.ia...
 
Respingos Históricos_Primícias do Reino
Respingos Históricos_Primícias do Reino Respingos Históricos_Primícias do Reino
Respingos Históricos_Primícias do Reino
 
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
 
6- Patristica.pptx
6- Patristica.pptx6- Patristica.pptx
6- Patristica.pptx
 
DANIEL 7 NOVA INTERPRETAÇÃO.doc
DANIEL 7 NOVA INTERPRETAÇÃO.docDANIEL 7 NOVA INTERPRETAÇÃO.doc
DANIEL 7 NOVA INTERPRETAÇÃO.doc
 
Estudo do livro Roteiro liçao 18
Estudo do livro Roteiro liçao 18Estudo do livro Roteiro liçao 18
Estudo do livro Roteiro liçao 18
 
Oimprioromano 120726225338-phpapp01
Oimprioromano 120726225338-phpapp01Oimprioromano 120726225338-phpapp01
Oimprioromano 120726225338-phpapp01
 
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdfO_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
 
Livro Os valdenses
Livro  Os valdensesLivro  Os valdenses
Livro Os valdenses
 
Alexandria
Alexandria Alexandria
Alexandria
 
A santa inquisição, Matando em nome de Deus
A santa inquisição, Matando em nome de DeusA santa inquisição, Matando em nome de Deus
A santa inquisição, Matando em nome de Deus
 
50 anos depois
50 anos depois50 anos depois
50 anos depois
 
Respingos Históricos 02_Primicias do Reino_15out21
Respingos Históricos 02_Primicias do Reino_15out21Respingos Históricos 02_Primicias do Reino_15out21
Respingos Históricos 02_Primicias do Reino_15out21
 

Mais de PIB Penha - SP

Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptxInício das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptxPIB Penha - SP
 
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaA conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaPIB Penha - SP
 
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de EstêvãoA escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de EstêvãoPIB Penha - SP
 
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...PIB Penha - SP
 
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃOPIB Penha - SP
 
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2PIB Penha - SP
 
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
18 Deuteronômio 27 - 34.pptxPIB Penha - SP
 
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptxPIB Penha - SP
 
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptxPIB Penha - SP
 
15 Numeros 23 - 36.ppt
15 Numeros 23 - 36.ppt15 Numeros 23 - 36.ppt
15 Numeros 23 - 36.pptPIB Penha - SP
 
14 Numeros 12 - 22.ppt
14 Numeros 12 - 22.ppt14 Numeros 12 - 22.ppt
14 Numeros 12 - 22.pptPIB Penha - SP
 
14 Numeros 1 - 14.pptx
14 Numeros 1 - 14.pptx14 Numeros 1 - 14.pptx
14 Numeros 1 - 14.pptxPIB Penha - SP
 
12 Levitico 17 - 27.ppt
12 Levitico 17 - 27.ppt12 Levitico 17 - 27.ppt
12 Levitico 17 - 27.pptPIB Penha - SP
 
11 levitico 1 - 16.pptx
11 levitico 1 - 16.pptx11 levitico 1 - 16.pptx
11 levitico 1 - 16.pptxPIB Penha - SP
 
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptxPIB Penha - SP
 

Mais de PIB Penha - SP (20)

Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptxInício das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
 
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaA conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
 
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de EstêvãoA escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
 
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
 
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
 
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
 
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
 
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
 
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
 
15 Numeros 23 - 36.ppt
15 Numeros 23 - 36.ppt15 Numeros 23 - 36.ppt
15 Numeros 23 - 36.ppt
 
14 Numeros 12 - 22.ppt
14 Numeros 12 - 22.ppt14 Numeros 12 - 22.ppt
14 Numeros 12 - 22.ppt
 
14 Numeros 1 - 14.pptx
14 Numeros 1 - 14.pptx14 Numeros 1 - 14.pptx
14 Numeros 1 - 14.pptx
 
12 Levitico 17 - 27.ppt
12 Levitico 17 - 27.ppt12 Levitico 17 - 27.ppt
12 Levitico 17 - 27.ppt
 
11 levitico 1 - 16.pptx
11 levitico 1 - 16.pptx11 levitico 1 - 16.pptx
11 levitico 1 - 16.pptx
 
10 Exodo 31 -40.pptx
10 Exodo 31 -40.pptx10 Exodo 31 -40.pptx
10 Exodo 31 -40.pptx
 
9 Exodo 21 -30.pptx
9 Exodo 21 -30.pptx9 Exodo 21 -30.pptx
9 Exodo 21 -30.pptx
 
8 Exodo 13 - 20.pptx
8 Exodo 13 - 20.pptx8 Exodo 13 - 20.pptx
8 Exodo 13 - 20.pptx
 
10 Exodo 31 -40.pdf
10 Exodo 31 -40.pdf10 Exodo 31 -40.pdf
10 Exodo 31 -40.pdf
 
9 Exodo 21 -30.pdf
9 Exodo 21 -30.pdf9 Exodo 21 -30.pdf
9 Exodo 21 -30.pdf
 
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxCURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxWerquesonSouza
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 

Último (10)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxCURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 

5- Perseguições e defesa da fé.pptx

  • 1. HISTÓRIA DO CRISTIANISMO 5ª AULA O cristianismo do ano 100 ao 312 As perseguições no império romano EBD - ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA 1º semestre de 2023 – facilitadores: Yuri Eloi e Francisco Tudela
  • 2. QUANDO INICIOU A PERSEGUIÇÃO ROMANA AOS CRISTÃOS O Império Romano obrigava todos os cidadãos a prestarem culto ao imperador, como se fosse um deus. A exceção era para os praticantes do judaísmo, considerada uma “religião lícita” e, portanto, isenta de serviço militar e do culto imperial. O Cristianismo gozava destas isenções por ser considerada uma seita judaica. Contudo, no ano 90, judeus, na cidade de Jamnia, decidiram que o cristianismo era uma seita falsa e até incluíram maldições a Jesus em seus ritos. Tal segregação fez com que o cristianismo não mais gozasse dos benefícios judaicos, sendo agora uma “religião ilícita”, o que obrigava seus membros à adoração imperial ou à condenação por desobediência.
  • 3. Qual era o crime ou o erro dos cristãos primitivos? No ano 100 uma carta de Plinio, governador romano da Bitínia e do Ponto, ao imperador Trajano, trata do crime dos cristãos que responde a essa pergunta: "Todo o crime ou erro dos cristãos se resume nisto: têm por costume reunirem-se num certo dia, antes do romper da aurora, e cantarem juntos um hino a Cristo, como se fosse um Deus, e se ligarem por um juramento de não cometerem qualquer iniquidade, de não serem culpados de roubo ou adultério, de nunca desmentirem a sua palavra, nem negarem qualquer penhor que lhes fosse confiado, quando fossem chamados a restitui-los. Depois disso feito, costumavam separar-se e em seguida reunirem-se de novo, sem a menor desordem. Depois dessas informações julguei muito necessário examinar, mesmo por meio de tortura, duas diaconisas, mas nada descobri a não ser uma superstição má e excessiva.“ Partilha 11 – As pessoas do seu trabalho, amigos... têm visto um comportamento diferente em você que as leve a “julgar necessário examinar”? Dê exemplos.
  • 4. Celsius, filósofo grego, no ano 245 escreveu a respeito do cristianismo: “Longe de nós dizer que os cristãos sejam homens possuidores de cultura ou sabedoria ou crítica, seu objetivo é convencer apenas as pessoas sem valor e desprezíveis, imbecis, escravos, mulheres pobres e crianças [...] Essas são as únicas pessoas que eles conseguem transformar em crentes”. EscreveTertuliano (160): “Se o Tibre transbordou, se o Nilo permaneceu em seu leito, se o céu tem estado calmo, ou a terra em movimento, se a morte andou devastando, ou a fome trouxe seus tormentos, o grito imediato é ‘cristãos aos leões!’”  “pessoas sem valor “ Nesta época cerca de 30 mil cristãos viviam em Roma, a maioria das classes mais humildes, falavam grego, a língua dos escravos e dos pobres; as classes mais elevadas falavam latim. ASSIM AS CAUSAS DA PERSEGUIÇÃO ROMANA FORAM: POLÍTICAS: O imperador era o “Senhor”; SOCIAIS: Os nobres não aceitavam a “igualdade” de classes; ECONÔMICAS: A indústria da idolatria sofria prejuízos;
  • 5. IMPERADORES ROMANOS ATÉ O ANO 305 1. Augusto, 27 a 14; 2. Tibério, 14 a 37; 3. Calígula, 37 a 41; 4. Cláudio, 41 a 54; 5. Nero, 54 a 68; 6. Galba, 68 a 69; 7. Otão, 69; 8. Vitélio, 69; 9. Vespasiano, 69 a 79; 10. Tito Flávio, 79 a 81; 11. Domiciano, 81 a 96; 12. Nerva, 96 a 98; 13. Trajano, 98 a 117; 14. Adriano, 117 a 138; 15. Antonino Pio, 138 a 161; 16. Marco Aurélio, 161 a 180; 17. Cômodo, 180 a 192: 18. Sétimio Severo, 193 a 211; 19. Caracala, 211 a 217; 20. Macrino, 217 a 218; 21. Heliogábalo, 218 a 222; 22. Alexandre Severo, 222 a 235; 23. Maximino Trácio, 235 a 238; 24. Gordiano, 238 a 244; 25. Filipe, 244 a 249; 26. Décio, 249 a 251; 27. Treboniano Galo, 251 a 253; 28. Volusiano, 251 a 253; 29. Emiliano, 253; 30. Valeriano, 253 260; 31. Galiano, 253 a 268; 32. Cláudio II, 268 a 270; 33. Quintilo, 270; 34. Aureliano,270 a 275; 35. Tácito, 275 a 276; 36. Floriano, 276 a 276; 37. Probo, 276 a 282; 38. Caro, 282 a 283; 39. Carino, 283 a 285; 40. Numeriano, 283 a 284; 41. Diocleciano, 284 a 305; 42. Maximiano, 286 a 305; 43. Licíno, 305 44. Constâncio Cloro, 305 a 306; 45. Galério, 305 a 311; 46. Severo II, 306 a 307; 47. Constantino, 307 a 337;
  • 6. HISTÓRIA DA PERSEGUIÇÃO – ALGUNS IMPERADORES ROMANOS Nero Domiciano Trajano Marco Aurelio Sétimo Severo Décio Diocleciano
  • 7. Em 64, um grande incêndio atingiu Roma, culparam o próprio imperador, Nero, porém, este acusou os cristãos de serem os causadores do incêndio. Nero Domici ano Trajano Marco Aurélio Sétimo Severo Décio Diocleciano Fez a convocação de uma saturnal (em honra de Saturno, o deus romano da colheita) para a destruição dos seguidores do Caminho em Roma e das redondezas. Pedro e Paulo foram martirizados nesta época.
  • 8. Nero Domiciano Tra jan o M arc o Au réli o Dé cio Di ocl eci an o Local: Roma e Ásia menor – ano 76 Causa da perseguição:  Resgate das tradições romanas (culto ao imperador)  Os templos pagãos estavam abandonados e não se encontravam compradores para a carne sacrificada aos ídolos. Acontecimento: Exílio de João
  • 9.
  • 10. Nero Domiciano TRAJANO Ma rco Aur elio Séti mo Sev ero Déc io Diocle ciano TRAJANO FOI IMPERADOR DE 98 A 117 dC Em 107, Trajano desvalorizou a moeda romana, diminuindo o teor de prata do denário de 3,04 gr para 2,88 gr, podendo cunhar mais denários e assim aumentar os gastos civis e militares. Trajano formalizou o alimenta, um programa de bem-estar que ajudava órfãos e crianças pobres em toda a Itália, fornecendo dinheiro, comida e educação. O programa foi financiado com impostos imobiliários e filantropia. https://pt.wikipedia.org/wiki/Trajano
  • 11. No ano 98 a perseguição é aliviada: Não havia uma perseguição a todos, mas se alguém fosse denunciado, era questionado três vezes e, somente se confessasse, era condenado à morte. São executados: Inácio de Antioquia*, Policarpo de Esmirna* e Justino – o mártir** *Pais Apostólicos - escreveram para a edificação da igreja ** Apologista - escreveu para defender a igreja frente aos pagãos Plínio, governador romano da Bitínia e do Ponto pede orientação ao imperador Trajano - “Devo punir todo cristão, ou só os que se obstinam?” Trajano responde com um edito: “Não devem ser procurados; se te forem trazidos e os reconheceres, devem ser punidos; mas aquele que se negue a ser cristão e o demonstre, por exemplo suplicando aos nossos deuses, mesmo que tenha tido conduta suspeita no passado, deve ser perdoado.” Será a base política de todo o século II
  • 12.
  • 13. Nero Domici ano Trajano Marco Aurélio Sétimo Severo Décio Diocleciano Local: Todo o Império – ano 117 Causa da perseguição: Atribuiu um surto de peste em Roma à ira dos deuses pelo desprezo dos cristãos que não os cultuavam.
  • 14. Nero Domici ano Trajan o Marco Aurélio Sétimo Severo Décio Diocleciano Local: Todo Império – ano 193 A perseguição continua pelos mesmos motivos. Acontecimento: Martírio de Perpétua e Felicidade no ano 203dC. Felicidade tinha 7 filhos era escrava de Perpétua, grávida, deu à luz na prisão. Felicidade foi acusada de ser cristã e o prefeito da cidade a ameaçou de morte, mas disse: "Viva, eu te vencerei; se me matares, em minha própria morte te vencerei ainda mais.” Ambas não negaram a fé cristã, os filhos foram mortos na sua frente e elas decapitadas.
  • 15. Nero Severo Décio Diocleciano Local: Todo Império – ano 250 Causa da perseguição: Décio faz um edito exigindo uma oferta anual de sacrifício nos altares romanos aos deuses e à figura do Imperador. Quem o oferecia recebia um certificado que o livrava da morte. Acontecimento: O que fazer com os caídos, chamados de confessores, aqueles que haviam apostatado para receber o certificado. Hermas em “O Pastor” escreve que os lapsos (caídos) poderiam ser aceitos como membros de 2ª classe, sem cargos de liderança – Surge o Novacionismo
  • 16. Local: Todo império – ano 284 Causa da perseguição: Diocleciano faz um edito ordenando o fim das reuniões cristãs, a destruição das igrejas, prisão de quem não negasse a fé cristã e queima das Escrituras. Houve confisco de bens, exílio, prisões e trabalhos forçados nas minas. Eusébio* conta que eram tantos cristãos presos que faltou lugar para criminosos comuns nas cadeias. Acontecimento: *Eusébio foi bispo de Cesareia e é considerado 1º historiador do cristianismo O financiamento do império, com escravos e riquezas, vinha das guerras, e a opção pela paz, que alguns governantes fizeram, empobreceu o império.
  • 17. Diocleciano perseguia os cristãos. Eusébio em História Eclesiástica: “Na Arábia, matava-se a machadadas; na Capadócia, cortavam-se as pernas; na Mesopotâmia, alguns foram pendurados pelos pés, e acendiam-se em baixo fogueiras cujo fumo os asfixiava; algumas vezes cortavam o nariz, as orelhas ou a língua. No Ponto, cravavam espinhos debaixo das unhas ou lançavam chumbo derretido sobre as partes mais sensíveis”. Para sobreviver dividiram o Império em quatro, uma tetrarquia: Dois imperadores Maximino e Diocleciano (Augustos) Dois sub-imperadores Constantino e Galério (Césares).
  • 18.  Em 305 Constâncio Cloro cessa a perseguição no ocidente  No oriente Galério e Maximino fazem um edito que obrigava os súditos a sacrificar os cristãos  Galério é acometido por uma terrível doença, faz um edito dando liberdade aos cristãos do seu território e morre.  Disputam o poder: Constantino, Maxêncio, Maximino Daia e Licínio.  Maximino e Licínio se enfrentam no Oriente  Constantino e Maxêncio se enfrentam no Ocidente.  Na Guerra entre Constantino e Maxêncio em 312 “In hoc signo vincis”  Após a vitória Constantino beneficiará os cristãos.
  • 19.
  • 20. 20 Como pudemos ver, nesse tempo, não havia "cristão nominal, crente não praticante ou desigrejado.” – multidões abraçavam a “causa”- PARTILHA 12: Será que chamaríamos de fanatismo, como alguns grupos islâmicos? Países onde é mais difícil ser seguidor de Jesus: 1. Afeganistão 2. Coreia do Norte 3. Somália 4. Líbia 5. Iémen 6. Eritreia 7. Nigéria 8. Paquistão 9. Irã 10. Índia PARTILHA 13: Que ações dos cristãos da igreja primitiva lhe chamaram a atenção em relação as proibições e perseguições do governo e da sociedade para aplicar nos dias de hoje? https://www.christianitytoday.com/news/2022/january/perseguicao-2022-paises-igreja-cristaos-mortos-evangelho-pt.html
  • 21. 1. HISTÓRIA DO CRISTIANISMO – Shelley B. L. - Ed Shedd– 1ª Edição 2004 2. UMA HISTÓRIA ILUSTRADA DO CRISTIANISMO – Gonzales J. L. – Ed Vida Nova - 1995 3. HISTÓRIA DO CRISTIANISMO – COLLINS&MATTHEW – Ed. Loyola - 2000 4. HISTÓRIA DA IGREJA – Walton R.C. – Ed Vida História do Cristianismo, Shelley, Bruce L., 1927, Ed. Shedd 5. Textos Bíblicos extraídos da Bíblia Sagrada NVI; São Paulo; Ed. Vida; 2001 6. BÍBLIA DE ESTUDO NVI, Barker; São Paulo; Ed. Vida; 2003 7. Reflexões extraídas da World Wide Web 8. Vídeo–aula: A Historia do Cristianismo Como Você Nunca Viu – Igreja Evangélica Batista de Campo Grande e Seminário Batista Sul Mato-grossense - 2020 9. BIBLE PROJECT Esta apresentação está disponível no site: www.escolabiblicavirtual.com.br