Hotel Boutique

12.995 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.995
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
530
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hotel Boutique

  1. 1. CAMPINAS | 2012 hotel boutiquePontuando a Paisagem do Guanabara
  2. 2. CADERNO iiUNIP – Universidade Paulista | Campinas TFG | Arquitetura e Urbanismo 2012 Fabiana F. F. Marquezi RA: 567299-6 Orientadora: Profa. Msc. Maria Claudia Oliveira
  3. 3. CADERNO ii UNIP – Universidade Paulista | Campinas TFG | Arquitetura e Urbanismo 2012“O percurso da arquitetura deve conduzir do abstrato ao concreto,do não formadoao formado.Enquanto um pintor ou um compositor podem se deslocar do concretoao abstrato,um arquiteto deve trabalhar na direção inversa,incorporandogradualmente as atividades humanas no que começa como um diagramaabstrato.”Steven Holl.
  4. 4. ÍndiceIntrodução.................................................................................................................................... 05A cidade de Campinas................................................................................................................... 06Sistema Viário............................................................................................................................... 07Contexto Urbano........................................................................................................................... 08Hotéis em Campinas..................................................................................................................... 08Conceito de Hotel Boutique.......................................................................................................... 10Temática........................................................................................................................................ 11O Projeto na Cidade...................................................................................................................... 12Uso e Ocupação do Solo............................................................................................................... 19Referências Projetuais.................................................................................................................. 21Partido Arquitetônico..................................................................................................................... 24Infográficos.................................................................................................................................... 27Pré Dimensionamento................................................................................................................... 28Programa...................................................................................................................................... 29Bibliografia.................................................................................................................................... 34Lista de Figuras............................................................................................................................ 36Projeto........................................................................................................................................... 38
  5. 5. Introdução O Hotel “Boutique” é reflexo da nova geração de profissionais pouco convencionais,despojados e influenciados pela moda,tecnologia e design.É uma arquitetura inovadora com o propósito de atender as novas demandas do mercado local. Neste contexto,propõe se um projeto arquitetônico englobando um complexo hoteleiro voltado ao turismo de negócios e lazer, de forma a oferecer um programa de necessidades em função da satisfação do hóspede. 05
  6. 6. A Cidade de Campinas Dados Gerais da Cidade de Campinas - 2012 População 1.045.706(estimativa- julho 2005) Densidade Demográfiva 1.313 hab./Km² Participação Porcentual do n° de serviços por setor do Município de Campinas 1998 a 2003. 28,6% Entretenimento /Lazer 7,1% Parque Temático 25,0% Hotelaria 28,6% ImobiliárioFig.01 - Mapa do estado de São Paulo 10,7% Diversos“Não há como deixar de reconhecer a importância da Outros Dados:expansão do mercado turístico nacional para odesenvolvimento econômico financeiro social do país.A Hotéis: 95hotelaria desponta como vetor fundamental de expansão e Hospitais: 20consolidação do setor.Sua atuação tem correspondido à Estradas Municipais: 64demanda dos novos segmentos de mercado e,ao mesmo Rodovias: 5tempo,propiciando o surgimento de novas modalidades de Residências: 330.412turismo,diversificando o portfólio de serviços.”(Hotel Renda Per Capta US$ 10.800Planejamento e Projeto,Andrade,Nelson.1999.)A cidade de Campinas cresce como região metropolitana ecom isso toda a sua estrutura conjuntamente,incluindo -seos hotéis.Atualmente existem bons hotéis,mas ainda hánecessidade de investimentos nesse setor. 06Mapa: www.campinasvirtual.com.br/campinas Tabela.Prefeitura Municipal de Campinas.Secretaria e Planejamento Urbano
  7. 7. Sistema ViárioA diversificação da indústria, do comércio e a qualidade do setor de serviços em geral, aliados à posição geográfica deCampinas e sua grande estrutura de transporte e telecomunicações, conferem a cidade um grande poder de influência sobreuma vasta região.É neste contexto que o setor hoteleiro tem sua importância reconhecida no desenvolvimento econômico-físico-social do paisem função da expansão do mercado turístico.Atualmente o hotel não se refere apenas à hospedagem e sim a um programa diversificado, com um conjunto de atividadescomplementares em suas dependências, que funcionam em função dos hospedes. Fig.03 - Trem de Alta Velocidade,Google 2012. Campinas reúne, sem dúvida uma das melhores vantagens competitivas para a atração de novos investimentos no Estado de São Paulo.O trem de alta velocidade é um projeto futuro para cidade, com a finalidade de interligar as duas principais metrópoles brasileiras: São Paulo e Rio de Janeiro,além da integração das três regiões metropolitanas. O TAV ligará os doisFig.02 - Mapa.Rota da TAV para Campinas maiores aeroportos internacionais do Brasil,Guarulhos e Galeão além de Viracopos. 07Mapa: rota TAV,Jornal de Paulínia Fonte: Google 2012.
  8. 8. Contexto Urbano Com o rápido crescimento econômico no pais,o setor hoteleiro tentou se diferenciar no mercado oferecendo acomodações especializadas,atraindo grupos de negócios com interesses especiais e as pessoas passaram a viajar com mais frequência. O extraordinário desenvolvimento do turismo e sua diversificação (lazer,negócios etc.) ocorridos nas ultimas décadas, paralelamente ao encurtamento das distâncias e ao barateamento das viagens proporcionados pelos transportes,vem criando a necessidade de novos tipos de hotéis. Os hotéis atraem em sua maioria hóspedes temporários, que precisam de um lugar para passar uma noite ou duas quando estão viajando a lazer ou a negócios. Hóspedes que procuram acomodações mais permanentes são servidos por hotéis especializados como os residenciais com longa permanência. Hoje a maioria das hospedagens são realizadas por motivos de negócios.E uma menor parte são de lazer ,porém os hotéis continuam sendo um grande investimento no país. Campinas, sendo uma cidade de destaque devido sua constante transformação territorial e populacional, exige uma reestruturação constante de suas ofertas e gera novos tipos de atividades e novos mercados consumidores. Devido ao avanço tecnológico na cidade, houve um aumento na demanda de pessoas que querem alugar acomodações ou utilizar serviços. Dentro deste contexto,cada tipo de estabelecimento hoteleiro possui características exclusivas, criadas para atender às necessidades dos hóspedes.Um “Hotel Butique “ é inovador para a cidade de Campinas. 08Fonte: Andrade, Nelson.Hotel: Planejamento e projeto. Fabiana,2012.
  9. 9. Hotéis em Campinas No Brasil,o parque hoteleiro apresenta cerca de 2.700 estabelecimentos e 108 mil apartamentos,o que significa Tabela: Hotéis existentes de Campinas menos de um apartamento por mil habitantes. Hotel Quant.UH´s Bairro Dados indicam que 83% dos hotéis brasileiros são administrados por empresas familiares e o restante, 17%, estão ligados a cadeias hoteleiras como mostra o gráfico Cambuí Residence 68 Cambuí abaixo. Confort Suítes 23 Alphaville Monreale 125 Centro Sonotel 83 Centro 17% Euro suíte 54 Centro 83% Fazenda Quatro Estações 60 Indaiatuba Matiz Jaguariúna 85 Jaguariúna Vila Rica 96 Centro Gráfico Leon Park Hotel 89 Centro Mariano Palace 63 Centro Tryp Campinas 308 CambuíEm Campinas existem atualmente vinte e um hotéis cadastrados Mercure 196 Centrocomo meios de hospedagem,sendo que 60% são de pequeno Nacional Inn 176 Jd.Trevoporte,com menos de100UnidadesHabitacionais(Uh’s),32% com New Port 60 Cambuí Park Tower 112 Centromais de 100 UH’s são de médio porte e apenas 0,8% do total de Matiz Arcadas 96 Centrosão classificados como grande porte, com mais de 300UH’s. Sleep Inn Galleria 108 Jd.ConceiçãoVerifica na tabela que grande quantidade de hotéis concentra-se Matiz Jaguariuna 80 Jaguariúnano centro da cidade de Campinas. Sol Inn Viracopos 96 D. IndustrialPróximo da área estudada existem sete hotéis: Hotel Village Sol Inn Barão Geraldo 80 B.Geraldo The Royal Palm Plaza 385 Jd.Nova CalifórniaCampinas,Vitória Cambuí Residence,Vitória Newport The Royal Palm Residence 79 CambuíResidence,Trip Campinas,Colonial Plaza Hotel,Vitória Hotel. The Royal Palm Tower 83 Centro Vitória Hotel 138 Cambuí Vitória Indaiatuba 112 Indaiatuba Total: 2955 09 Fonte: Rosa,Lélio Galdino ,2008.
  10. 10. conceito: Hotel Boutique O conceito de hotel Boutique ou Design é a mais nova expressão do mercado hoteleiro,ainda pouco conhecido no Brasil.Surgiu em Nova York no início da década de 90 com a reforma de um antigo hotel na Broadway.Hoje já está espalhado para o mundo todo como “padrão hoteleiro” do século XXI. Logo conquistou a preferência de pessoas modernas que valorizam um espaço diversificado,contemporâneo e que prima pelo bom gosto na decoração de interiores . É um estabelecimento que une a hotelaria de primeiro nível com altas tecnologias,são pequenos e luxuosos com um forte sentido de estética. Tem uma atenção personalizada nos detalhes da decoração, sendo exclusiva e assinada por profissionais como arquitetos e decoradores, transformando áreasFig.04 - Mobiliário - Irmãos Campana sociais e suítes em ambientes agradáveis, íntimos e casuais, com ênfase maior em obras de artes únicas. Assim,a ambientação explora as formas das peças assinadas por designers como por exemplo, Irmãos Campana ,Plilippe Starck entre outros, onde a novidade e as tendências são,neste setor hoteleiro, projetos diferenciados e com soluções ousadas. O colorido de suas ideias tornam esses profissionais preferidos no meio artístico e normalmente lançam moda.Muitas vezes os objetos podem ser vendidos aos hóspedes, gerando uma interatividade interessante com os clientes, que se sentem como “donos do lugar”. Um dos fatores que estão estimulando essas transformações atuais no setor são os próprios consumidores, através das mudanças nos valores sociais, nos estilos de vida, nos níveis educacionais e nos níveis de renda disponíveis,favorecendo o aparecimento de pessoas mais bem informadas e experimentando uma grande diversidade de necessidades e desejos.Fig.05 - Mobiliário Philippe Starck 10Fonte: www.google.com.br/hotelboutique
  11. 11. Temática: Hotel BoutiqueO projeto foi definido a partir da ideia de suprir a demanda dos espaços para negócios numa cidadedesenvolvida como também para expectativas da área do turismo.O público que se pretende atingir são profissionais que viajam a negócios e pessoas que mesmo porlazer,preferem se hospedar em um hotel menor mas com conforto e sofisticação nas suas instalações.Porém,dentro deste contexto propõe se um programa com novos usos que possibilitará um projeto derevitalização,visando principalmente estimular o adensamento e o aproveitamento das oportunidades derenovação,elaborando um projeto que combine com serviços especializados .É uma contraposição aos grandes hotéis convencionais, oferece se serviços de qualidade e com altatecnologia..Com poucos apartamentos, no máximo 100 unidades, mas com uma completa infra estrutura de lazer eserviços que só um hotel em grande escala poderia oferecer.As instalações são charmosas,longe dapadronização convencional dos hotéis.Essa solução é para que o hóspede tenha um ambiente mais intimista, pela prestação de serviços e peloatendimento personalizado, não sendo apenas mais um em meio à multidão. Oferecem serviçosexclusivos, que incluem SPA completo, restaurante com alta gastronomia e amplas áreas privativas.O número de pessoas trabalhando é menor em comparação aos grandes hotéis de luxo, mas a atençãoaos hospedes é a mesma.Esta é,sem dúvida, a razão principal pela qual os Boutique Hotéis começam ase tornar tão populares entre todos os tipos de hóspedes, seja para férias ou para negócios. 11
  12. 12. Temática: Hotel BoutiqueO Perfil de Hóspede:Os clientes dos Hotéis Boutique valorizam, acima de tudo, o aconchego e o calor humano, semdispensar os itens necessários a satisfação das necessidades modernas (TV, Ar, telefone, frigobar,internet, etc).São em geral, apreciadores de obras de arte e boas músicas.É uma realidade que satisfaz os viajantes experientes,que não se importam com o valor a ser pagodesde que recebam um atendimento exclusivo.Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), os serviços personalizados são o diferencial paraatrair este público.Também aponta que esta é uma tendência universal, sendo que o valor consumidoentre os jovens chega a ser o dobro do valor consumido entre os turistas mais velhos.Eles priorizam qualidade e excelência em serviços e não se importam em pagar mais por isso. Esse é operfil de grande parte dos jovens casais da classe “A “que estão acostumados a se hospedar em hotéisdo segmento luxo, Sem problemas com orçamento, este público faz questão de investir em conforto elazer. 12
  13. 13. Temática: Hotel BoutiqueCampinas está recebendo muitas pessoas pormotivos de negócios e lazer.A cidade cresce como Área de Intervençãoregião metropolitana e com isso toda sua infraestrutura,incluindo os hotéis.Como já mencionadoo projeto do trem de alta velocidade e o AeroportoViracopos são importantes para essamovimentação no setor hoteleiro.Hoje os hotéis não se referem apenas ahospedagem e sim a um programa diversificado,com um conjunto de atividades complementaresem suas dependências.Segundo pesquisas,Campinas oferece 95hotéis,mas 21 são cadastrados como meio dehospedagem,e o único que é mais próximo a um“Hotel Boutique” localiza se na rodoviaAnhanguera “The Palms Plaza”.Este edifício é omenor em relação aos outros no complexo Resort Fig.06 - Foto Aérea de CampinasRoyal Palm Plaza,seu mobiliário é mais arrojadoe os espaços são reduzidos.Para elaboração do projeto “Hotel Boutique”,a Hotel Village Campinas Trip Campinasquadra escolhida atualmente é propriedade dogrupo Sol Invest.Há estudos preliminares de Vitória Cambuí Residence Colonial Plaza Hotelrevitalização da área prevendo edifícios mistoscom torres de escritórios e serviços.Ao lado estão Vitória Newport Residence Vitória Hotelapontados os hotéis mais próximos a área de Royal Palm Residence Área de Intervençãointervenção,totalizando sete hotéis. 13Fonte: Fabiana,2011. Imagem Aérea - Google Earth,2012.
  14. 14. O projeto na cidade ÁreaA forma triangular do terreno deve se ao encontro da extensaretícula da cidade com a linha de trem,a qual corta aestrutura urbana de norte a sul.O mesmo classifica se como macrozona 4,zona 13 permitindoo uso de comércios e serviços diversificados.O terreno escolhido situa se na confluência da Avenida Brasile Rua Alberto Faria, sendo uma localização de extremaimportância por estar em uma região com muitos serviços ecomércios,e pela proximidade dos edifícios de grande valorpara a cidade como a Estação Guanabara e o InstitutoAgronômico. Fig.08 – Mapa,Macrozona de Campinas Antigo Trilho do trem. Fig.09 – Foto Aérea (terreno de Intervenção)Fig.07 - Foto Aérea de Campinas 14Imagem Aérea - Google Earth,2012 Mapa: Macrozona 4 Área Central de Campinas – Seplama.
  15. 15. O projeto na cidade Ruas e pontos importantesConsiderando a infra estrutura existente e juntamente com disposições do Plano Diretor,de Campinas a propostaprevê um conglomerado de diversas funções,gerando um grande fluxo de pessoas usufruindo de todo esseaparato urbanístico e ocupando um terreno que hoje considera se um vazio urbano,devido a suas proporções evalorizações. Legenda: Via Arterial - Av.Brasil Via Arterial - Av.Brasil Via Local - Rua Alberto Faria Via Arterial - Av.Barão de Itapura Via Local - Rua Rafael Sampaio Área do ProjetoFig.10- Foto Aérea de Campinas 15Imagem - Google Earth,2012 Mapa: Macrozona 4 Área Central de Campinas – Seplama.
  16. 16. O projeto na cidade Entorno A localização ressalta a 01- Área do Projeto importância com o entorno, 02- Instituto Agronômico no qual existe uma herança 03- Estação Guanabara histórica de Campinas como a 04- Cerecamp Estação Guanabara. Esse expressivo conjunto 01 arquitetônico composto por um Armazém, uma gare e uma estação de embarque e desembarque trata se de um edifício tombado pela 02 Condepacc (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas ). 03 Situa se na Rua Mario de Siqueira, área central de 03 Campinas, próximo a área de intervenção. 04 Principais Vias Fig.11- Foto Aérea de Campinas 16Imagem Aérea - Google Earth,2011.
  17. 17. Projeto na cidade Entorno levantamento fotográfico (Figuras 12)Área de Intervenção Av.Brasil Instituto Agronômico Estação Guanabara Cerecamp 17Fotos - Fabiana,06/10/2011.
  18. 18. O projeto na cidade Entorno Levantamento fotográfico (Figuras 12) Portão de acesso do antigo shopping /Rua Alberto Faria Residências/Rua Alberto Faria Rua: Alberto FariaAv:Brasil Edifício Desativado/Av. Brasil Edifício desativado/Rua Alberto Faria 18Fotos - Fabiana,06/10/2011.
  19. 19. Uso e Ocupação do Solo XIII - ZONA 13 a) quanto ao uso na categoria habitacional serão permitidos os usos unifamiliares e multifamiliares; b) quanto ao uso nas categorias comercial, de serviços e institucional serão: 1- permitidos os usos: CL-1, CL-2, CG-1 e CG-2; SP-1, SP-2, SL-1, SL-2, SL-3 e SL-4; SG-1, SG-2, SG-3, SG-4, SG-5, SG-6, SG-7, SG-8; EL, EG; 2- tolerados os usos: CG-3; EE; 3- proibidos todos os demais usos. c) quanto à ocupação: 1- para o uso habitacional serão permitidos os tipos HMV-3, HMV-2, HMV-1, H-3 e HMH-3; LEI DE USO E OCUPAÇÂO DO SOLO PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS 57 2- para os usos comercial, de serviços e institucionais serão permitidos os tipos CSE-3, CSE-2, CSE-1, CSE e CSE-4, para estabelecimentos de pequeno, médio e grande porte; (conforme redação dada pelo art. 47 da Lei no 6.367/90) 3- para o uso misto serão permitidos os tipos HCSE-3, HCSE-2, HCSE-1, HCSE e HCSE-4; (conforme redação dada pelo art. 47 da Lei no 6.367/90) 4- os tipos HCSE-4 e CSE-4 somente serão permitidos após estudos específicos, efetuados pelos órgãos técnicos de Planejamento da Prefeitura Municipal de Campinas, por solicitação dos interessados, em locais onde o lençol freático impedir a construção de subsolos. (verificar Decreto no14.262/03) 19Tabela.Prefeitura Municipal de Campinas.Secretária e Planejamento Urbano/leis/Uso e Ocupação do Solo
  20. 20. Referências Projetuais Projeto: Hotel Unique Local: São Paulo- São Paulo Arquiteto: Ruy Ohtake Área do Terreno: 6.615m² Área de Construção 24.953m² Início 1999 Término 2002.Fig.13 - Hotel Unique Localizado em São Paulo em um corredor comercial em meio a arborizada zona residencial é uma espécie de “Hotel Boutique” com espaços diferenciados e atendimento personalizado. Numa área de 6.500 m² e de construção 24.950 m² , foi elaborado o projeto com gabarito máximo de 25m com seis andares onde estão distribuídos 95 apartamentos, com áreas que variam de 36m² a 250m². A concepção de Ruy Ohtake para o corpo principal do edifício foi propor um volume em arco invertido com janelas circulares para possibilitar ao hóspede uma vista emoldurada da cidade, sem interferências. Sua estrutura de arco invertido constitui o corpo principal da edificação. Suspenso do solo, esse elemento apoia-se em suas extremidades em duas empenas de concreto e no interior do volume são distribuídos oito pilares , protegido por uma fachada de vidro centralizado na base do arco que abriga o Lobby. Um vazio central do arco invertido eleva até o pé direito da cobertura onde estão instalados a piscina, o restaurante e um espelho d´agua cujo fundo permite a passagem de luz natural.Fig.14 – Térreo Fig.15 - Subsolo Fig.16 – Corte Longitudinal 20www.hotelunique.com.br- Acesso: 05/09/2011
  21. 21. Referências Projetuais Projeto: Hotel Akimani:Jacarta – Indonésia Arquiteto: Tonny W.Suriadjaja Início: 2007. Término: 2009.Fig.17 – Hotel Akimani Fig.18 – Pavimento Tipo Fig.19 – Corte Transversal Fig.20 – Elevação Frontal Este projeto, classificado como um Hotel Boutique localizado em uma rua movimentada no centro de Jacarta, Indonésia , é conhecido principalmente pelo turismo de lazer. De acordo com o arquiteto Tonny W. Suriadjaja o desenho procurou incorporar o espaço ao ar livre como uma importante característica, porém as torres ficam suspensas. Em um terreno de 1.170 m² foram construídos 10.000 m². O conceito arquitetônico de elevar o lobby e o terraço a três metros acima do solo forneceu uma visão desobstruída para as áreas vizinhas. Na proposta do projeto mostrou-se duas caixas horizontais e duas verticais nas quais foram distribuídas o programa do hotel. Acima da caixa ao ar livre deixada para atividade de lazer estão distribuídos 116 apartamentos. A fachada do edifício, também em adequação a uma idéia de um hotel dinâmico, quebrou toda a escala, como uma estratégia para se comunicar com a simpatia da escala dos edifícios ao redor. 21www.arcoweb.com.br - Acesso: 05/09/2011 www.archdayli.com.br- Acesso 22/09/2011.
  22. 22. Visita realizada Em 05/08/2011 Royal Palm Plaza Resort (figuras 21) O Royal Palm Resort localizado em Campinas próximo à Via Anhanguera, foi elaborado numa área de 5.400m² para atender um numero considerável de pessoas. The Palms Plaza Acolhedor e confortável possui um total de 500 apartamentos,e com uma infra estrutura que se adapta a qualquer tipo de evento. O Royal Palm Resort foi dividido em sua implantação pelo Royal Palm Plaza Resort e o The Palms Plaza,o qual considera-se um “Hotel Butique.” Os apartamentos do The Palms foram planejados para hospedes que estão na cidade de Campinas a trabalho ou mesmo para lazer. Sendo de grande importância a diversidade de serviços,o hotel procura atender os hóspedes comFoto Áerea - Royal Palm Plaza Resort tecnologias de última geração.SPA Sala de Estar Restaurante Temático Fig.07- Mapa.de acesso 22www.royalpalmplaza.com.br- Acesso: 26/09/2011. Fotos - Fabiana,2011.
  23. 23. Visita Realizada Em 05/08/2011 The Palms Plaza (Figuras 22)Recepção Circulação Acesso aos DormitóriosFoyer Suítes Café 23www.royalpalmplaza.com.br- Acesso: 26/09/2011. Fotos - Fabiana,2011.
  24. 24. Partido Arquitetônico Shopping Jaraguá O conceito do projeto se baseou nas diretrizesSituação Atual dadas pelo trabalho em conjunto dessa grande cicatriz dentro da cidade de Campinas. A implantação geral dividiu se em setores para uma melhor organização,porém o setor A ,permite um gabarito mais alto em relação as outras e com isso o “Hotel Boutique” foi proposto neste terreno localizado entre a Av. Brasil e a Rua Alberto Faria. O terreno localiza se próximo a antiga estação de trens da Guanabara ,que hoje desativada e restaurada funciona como centro cultural,e Diretriz atualmente abriga a construção do o antigo shopping Jaraguá,que hoje encontra se fechado devido a falta de segurança. A proposta de demolição das edificações existentes é para dar um novo uso a áreaFig.23 – Foto Aérea (Terreno de Intervenção) valorizando este local que hoje encontra se um vazio urbano na cidade de Campinas. Uma das diretrizes do programa da intervenção é Conjunto Habitacional a criação de uma passarela entre o conjunto habitacional e o Hotel Boutique,que passará por Hotel Boutique cima da Av. Brasil. A rua proposta pela diretriz permitirá uma conexão Passarela com o outro lado da avenida e as pessoas poderão caminhar e usufruir de ambas partes. Fig.24Norte 24
  25. 25. Partido Arquitetônico Acesso Doca O projeto propõe a implantação de um HotelFig.25 - Implantação Boutique,visando explorar todo o potencial do local. A vista para o“Bosque dos Alemães” e para a Estação Guanabara merece ser valorizada, portanto os acessos foram fundamentais para a proposta do Projeto Arquitetônico. Propõe se a entrada principal levando ao lobby e a recepção do hotel pela Av. Brasil,devido ao fácil acesso aos hóspedes,uma vez que esta se estende até o trevo de Paulínia,chegando a via D.Pedro. Já na Rua Alberto Faria,propõe se o acesso de carga e descarga e a entrada para o subsolo,pois trata se de uma rua mais tranquila em relação a Av.Brasil. O acesso para o restaurante principal está pela rua que será aberta conforme proposto no projeto,onde as pessoas poderão circular também pela praça. .Situação sem escala Acesso Restaurante Acesso Principal Praça Norte 25
  26. 26. Partido Arquitetônico O projeto se estrutura através de um sistema formal, no qual três volumes estão na horizontal e um volume na vertical. Os três volumes conectam através de elevadores e caixa de escadas,sendo um para atender os dois pavimentos Mezanino e o SPA e outro para levar até as suítes, exclusivo para hóspedes. No subsolo nível 674.85 com acesso pela Rua Alberto Faria estão as vagas do estacionamento,Lavanderia,Casa de Máquinas e Depósitos. No pavimento de acesso nível 678.0 estão o lobby,recepção,café,lojas comerciais, restaurante e serviços do hotel como doca,administração e distribuição de alimentos. A criação da praça visa uma integração com as pessoas externas e as convida para conhecer e frequentar os ambientes luxuosos do hotel. No segundo pavimento nível 681.85está o Piano Bar,com duas Salas de Múltiplo Usos com divisórias flexíveis podendo ampliadas.E o terceiro pavimento nível 685.7concentra se o espaço de lazer do hotel com Sala de Jogos,Piscina,Bar,Salas de Estética e SPA. Os 98 apartamentos estão distribuídos no volume vertical (nível)com suítes luxuosas,as unidades terão entre 28m² e 128m². Fig.27 – Perspectiva – s/ escalaNorte 26 Fig.26 – Perspectiva s/ escala
  27. 27. Infográfico do Partido Distribuição do programa 02- Mezanino,o segundo volume o 03- SPA,um espaço de lazer do Hotel01-Térreo, distribuídos serviços acessado Piano Bar, com as Salas de Eventos.pela rua Alberto Faria.E pela Av.Brasil está com Academias,Sala de Jogos, Salaso acesso ao Lobby. de Estética,SPA e Piscina.Fig.28 – Infográfico,Térreo Fig.29 – Infográfico,Mezanino Fig.30 – Infográfico SPA No volume vertical estão as Suítes. Para acessa las o elevador é exclusivo para hóspedes. A criação da praça convida as pessoas a conhecerem e frequentar os ambientes luxuosos do térreo do Hotel como o Café ,Piano Bar e o Restaurante.NorteFig.31 – Infográfico ,Torre de Apartamentos 27
  28. 28. Pré DimensionamentoSetores e áreas necessárias:Área de hospedagem (quartos,banheiros,corredor,serviços do andar) 60%Área Social (setor Público,aberto para os hóspedes,recepção,saguão,salas de estar) 7%Restaurantes (serviços de refeições,restaurantes,bares,para clientes internos e externos 8%Áreas de Eventos (salas destinadas a banquetes e conferências.) 12%Área de serviços (setor de serviços,manutenção,cozinha,funcionários,depósitos 14%Administrativo(direção e secretaria,sala de apoio) 5%Manutenção(Instalações técnicas,máquinas ) 7%Spa (espaços de lazer) 8%Espaços comerciais ( lojas) 8%“Estas áreas podem variar consideravelmente,em função do tipo de oferta oferecido pelo hotel.” 28Fonte: A Arte de Projetar Arquitetura.Neufert.Editora Gili pg.450
  29. 29. Programa QUADRO DE ÁREASFig.32 – Perspectiva s/ escala Coeficiente de Aproveitamento - Taxa de Ocupação: Fig.33 – Perspectiva s/ escala ÁREA DO TERRENO: 8.870,0 m² CA= 3 26.610m² ATINGIDO = 1,77% (15.712m²) TO= 0,5 4.435m² ATINGIDO = 30% (2.816m²) 29
  30. 30. TérreoI.Lobby (500,40m²) VI.Área Comercial(100,70m²) É o acesso principal do hotel com vista para a Av.Brasil.A As lojas comerciais com uma grande vitrine convidam as pessoas função desse espaço é receber as pessoas com para conhece-las, com acesso pelo interior do hotel ou pelo exterior espaços aconchegantes de estar. através de um deck de madeira.II.Café (58,70m²) X.Restaurante (468,0m²)Este ambiente prevê um funcionamento para os Com dois acessos, o restaurante oferece uma sala de esperahóspedes do hotel e para moradores da cidade. prevendo mesas e sofás confortáveis para as pessoas aguardarem.No interior o desnível de 0,50m cria um espaçoIII.Salas de Banho (27,20m²) dinâmico com uma grande bancada.Estão no Lobby exclusivos para hóspedes,sendo um para(PNE)pessoas com necessidades especiais XI.Cozinha Principal (158,67m²) Ela é mais completa com equipamentos, e atende o restaurante eIV.Cozinhas de Apoio (171,0m²) - 3 unidades todo o hotel.O espaço atende os ambientes distribuídos no programado hotel.Esta especificamente atende as suítes. XII.Sala de Apoio (36,77m²) São salas livres auxiliando os outros ambientes.V.Refeitório (25,0m²)Os funcionários terão este espaço para refeições. XIII.Recepção e Distribuição (64,68m²)VI.Vestiário para Funcionários(99,20m²) É a doca do hotel,onde são recebidas e distribuídas todas asOnde as pessoas se preparam para trabalhar mercadorias.VII.Sala de Descanso (20,0m²) XVI. DepósitosExclusivo para funcionários descansar após as refeições. A função desta instalação é armazenar Alimentos e Bebidas Depósito de Bebidas (92,15m²)VIII. Administração (25,0m²) /Recursos Humanos Depósito de Alimentos (81,96m²)(20,0m²) Câmaras Frias (102,90m²)Com entrada pela Rua Alberto Faria fica toda aadministração do hotel inclusive para recebimento de XV.Doca (59,60m²) 30fornecedores. Recebimentos das mercadorias.
  31. 31. MezaninoXVI.Piano Bar (140,17m²) XXII.Hall(152,90m²)Elaborado com detalhes sofisticados este espaço prevê uma Este espaço convida as pessoas entre os decoração com estilo e personalização.Frequentado intervalos das reuniões para um”coffee tanto por hóspedes do hotel quanto por moradores da Break”. cidade. XXII.Sala de Eventos(541,0m²)XVIII. Cozinha de Apoio (60,0m²) São espaços flexíveis que se adaptam aO espaço atende os ambientes distribuídos neste pavimento diferentes necessidades,podendo ser ,Piano Bar,Salas de Eventos. utilizados como uma ou três salas,através de divisórias deslizantes.XIX.Sala de Apoio (39,14m²)São salas livres auxiliando outros ambientes. XXIII.Terraço Aberto(150,0m²) Proporciona um lugar para encontros informais,onde as pessoas partilham algumaXX.Salas de Banho (45,80m²) discussão. Essa área permite fumantes jáO conjunto de banhos é maior devido as salas de eventos. que no restante do pavimento é proibido pela lei n°.9.294.XXI.Depósito(85,65m²) XXIV. Teto Jardim(322,50m²)Neste pavimento os depósitos são mais generosos para Uma cobertura verde extensiva,utilizando guardar cadeiras,mesas enfim materiais utilizados nas somente gramas para deixar um ambiente salas de eventos. belo e agradável.Esse tipo de teto jardim facilita a manutenção,podendo ser anual. 31
  32. 32. SPAXXV.Sala de Jogos (125,0m²) XXXII.Espaço Zen (122,50m²)A sala é tranquila e mais próxima do acesso ao elevador. Entre o bar e as salas de estética,o espaço Zen prevê umaOferece mesas de jogos como baralho,xadrez,sinuca etc. divisória com material vazado permitindo a visão dos dois lados. A idéia do mobiliário permite às pessoas interagirem umas com as outras.XXVI.Academia (231.5m²)Este ambiente está voltado para a Rua Mario Faria e XXXIII.Bar Piscina (65,64m²)compõe com uma variedade de aparelhos para exercícios Um lugar de descontração, a vista da piscina de (25m) está a partirfísicos e uma sala esportiva como yooga,pílates etc. do bar ,prevê se um revestimento de pastilha cerâmica colorida para contrapor com a madeira do deck.XXVII.Sala de Banho (27,40m²) XXXIV.Cozinha de Apoio (51,0m²)Estes são exclusivos para as áreas úmidas do hotel. O espaço atende os ambientes distribuídos neste pavimento, Sala de Jogos,Academia,SPA e Salas de Estéticas.XXVIII.Vestiários (49,6m²) XXXV.Salas de Apoio (24,80m²)Esse vestiário deve atender os frequentadores das áreas São salas livres auxiliando outros ambientes.umídas do hotel. XXXVI.Terraço (224,60m²) Ao sair da Sala de Jogos deparamos com este terraço fechadoXXIX.Sala de Estética (23,0m²)XXX.Sala de Massagem (24,40m²) XXXVII.Terraço Aberto (180m²)As duas salas propõe se tratamentos de Beleza. É um lugar para relaxarXXXI.SPA (303,80m²) XXXVIII.Teto Jardim (384,30m²)Com desnível de 0,50m foi elaborado um deck onde Uma cobertura verde extensiva,utilizando somente gramas parapropõe se seis banheiras jacuzzi com cromoterapia. deixar um ambiente belo e agradável.Esse tipo de teto jardim facilita a manutenção,podendo ser anual. 32
  33. 33. Suítes/SubsoloXXXIX.SUÍTESAs suítes do hotel, são um ambiente que requerem conforto.Pensandoassim, os 98 apartamentos serão com grande estilo e finamentedecorados e equipados para garantir o conforto dos hóspedes.Com sete tipologias as áreas variaram entre 28,0m² e 128m².sendoduas suítes alternativas,dois duplex e três suítes para pessoas comnecessidades especiais.SUBSOLOXL.LavanderiaEmbora os serviços de lavanderia para hóspedes serãotercerizados,em todos os pavimentos passará um duto de roupassujas.(roupas de cama,mesa e banho do hotel).XLI.Casa de MáquinasAs máquinas do hotel como geradores,ar condicionado ficarão nosubsolo.XLII.Sala de BanhoEste conjunto de banheiros atenderá os funcionários e eventualmenteaos hópedes.XLIII.DepósitoA função desta instalação é armazenar materiais,objetos.XLIV.VagasTendo 50 vagas, o hotel oferecerá serviços de manobristas. 33
  34. 34. BibliografiaLivros: Andrade, Nelson.Hotel: Planejamento e projeto.Lucio de Brito,Wilson EdsonJorge.- São Paulo:Editora Senac São Paulo,1999.páginas 183-191.Ruy Ohtake.10 anos 1998-2008.Hotel Unique pg.31Mascaró,Juan Luis.Loteamentos Urbanos.PortoAlegre:Masquatro,Editora,2005.pg.69 Chon, K. S.Hospitalidade: Conceitos e Aplicações/Kye-Sung (Kaye)Chon,Raymond T.Sparrowe;tradução Ana Beatriz de Miranda e Silva Ferreira;revisão técnica Gleice Regina Guerra.São Paulo:Pioneira Thomson Learning,2003. Introdução ao Turismo/direção e redação Amparo Sancho;traduzido por DoloresMartin Rodrigues Corner.São Paulo: Roca,2001. Neufert, E. – Arte de Projetar em Arquitetura – Barcelona – Ed.Gustavo Gilipg. OBERG ,2008. Turismo.Como aprender,como ensinar,2/Marília Gomes dos Reis Ansarah(organizadora). – São Paulo: Editora Senac São Paulo,2000.Rosa,Lélio Galdino.UNESP/Universidade Estadual Paulista docente.Turismo:Inovações da Pesquisa na América Latina 2008.Coleção Folha Grandes Arquitetos - 34volume 10,2011.
  35. 35. Bibliografia Outros:Sites Consultados:http://www.prefeituramunicipaldecampinas/secretariade Rosa,Lélio Galdino.UNESP/Universidade Estadualplanejamentourbano.Acessado em 25/08/2011 Paulista docente.Turismo: Inovações da Pesquisahttp://www.campinas.sp.gov.br/seplan na América Latina 2008.Coleção Folha GrandesAcessado em 29/08/2011. Arquitetos - volume 10,2011.http://www.pitu.com.br/eixosdedesenvolvimentodecampinasAcessado em 31/08/2011.http://www.googleacadêmico.com.brAcessado em 13/09/2011.http://www.hotelunique.com.brAcessado em 05/09/2011.http://www.arcoweb.com.brAcessado em 05/09/2011.http://www.archdayli.com.brAcessado em 22/09/2011.http://www.royalpalmplaza.com.brAcessado em 26/09/2011.http://www.melhorlugarblogspot.comAcessado em 25/10/11. 35
  36. 36. lista de FigurasFigura 01..................................................Mapa do estado de São Paulo.Figura 02................................................. Mapa.Rota da TAV para CampinasFigura 03...................................... ...........Trem de Alta VelocidadeFigura 04..................................................Mobiliário - Irmãos CampanaFigura 05..................................................Mobiliário- Plilippe StarckFigura 06..................................................Foto Aérea - CampinasFigura 07..................................................Foto Aérea - CampinasFigura 08..................................................Mapa.Macrozonas de CampinasFigura 09..................................................Foto Aérea – Campinas (terreno de Intervenção)Figura 10..................................................Foto Aérea - CampinasFigura 11..................................................Foto Aérea – CampinasFigura 12..................................................Entorno/Levantamento FotográficoFigura 13..................................................Referência Projetual - Hotel UniqueFigura 14..................................................Planta Baixa –TérreoFigura 15..................................................Planta Baixa – SubsoloFigura 16..................................................Corte LongitudinalFigura 17..................................................Referência Projetual - Hotel AkimaniFigura 18..................................................Pavimento TipoFigura 19..................................................Corte TransversalFigura 20..................................................Elevação FrontalFigura 21..................................................Royal Palm Plaza Resort/Levantamento FotográficoFigura 22..................................................The Palms Palza/Levantamento FotográficoFigura 23..................................................Foto Aérea- Terreno de Intervenção 36
  37. 37. lista de FigurasFigura 24..................................................Foto maquete físicaFigura 25.................................................Foto Áerea- Implantação doProjeto ArquitetônicoFigura 26..................................................Perspectiva do ProjetoFigura 27..................................................Perspectiva do ProjetoFigura 28..................................................Infográfico - TérreoFigura 29..................................................Infográfico - MezaninoFigura 30...................................... ...........Infográfico - SPAFigura 31..................................................Infográfico – ApartamentosFigura 32..................................................Perspectiva - Lateral DireitaFigura 33..................................................Perspectiva- Frontal 37
  38. 38. ProjetoImplantação...............................................................Folha 01Térreo........................................................................Folha 02Mezanino...................................................................Folha 03SPA ...........................................................................Folha 04Infográficos................................................................Folha 05Suítes........................................................................Folha 06Cortes....................................................................... Folha 07Elevações..................................................................Folha 08Perspectivas..............................................................Folha 09Imagens.....................................................................Folha 10 38

×