SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Gestão da Informação e
do Conhecimento em
Unidades e Serviços
de Informação
Profa. Dra. Marta Valentim
Florianópolis / Brasil
2013
c2013, Valentim
 Gerenciar unidades e serviços de
informação tornou-se um desafio
neste novo milênio, porquanto as
transformações sociais, culturais,
científicas e tecnológicas tem
impactado diretamente as
estratégias de ação, a mediação da
informação, os objetivos dos
serviços prestados e as finalidades
dos produtos elaborados aos
diferentes públicos.
 A sociedade brasileira está mais
consciente do valor da informação e
do conhecimento para sua efetiva
cidadania, bem como para o
desenvolvimento local, regional e
nacional.
Introdução
c2013, Valentim
 Há um significativo desafio para os gestores de
unidades e serviços de informação, no que
tange à aprendizagem, à interação com as
tecnologias de informação e comunicação (TIC),
ao acesso livre (open access) e gratuito à
informação (copyleft), cuja dinâmica é
transformadora e exige uma nova forma de
atuar, um novo papel a cumprir junto à
sociedade.
 Destaca-se nesse contexto, as novas formas de
ensino-aprendizagem [cursos a distância, salas
de aula virtuais, materiais didáticos e científicos
em repositórios institucionais etc.]; as novas
tecnologias de informação e comunicação
móveis [celular, tablet, smartphone etc.]; as
novas formas de mediação da informação
realizadas a partir de novas
necessidades/demandas, competências e
comportamentos informacionais [redes sociais].
Introdução
c2013, Valentim
 Para atender essas transformações o gestor de
unidades e serviços de informação necessita
planejar o futuro e, para tanto, necessita
primeiramente desenvolver a ‘visão de futuro’.
 Essa ação não pode ser realizada de forma
individualizada, ao contrário, necessita ser
desenvolvida de maneira colaborativa [em
rede], cujos atores possam trazer
contribuições a partir de contextos distintos e
de experiências locais que, somadas, podem
propiciar uma percepção mais ampliada das
questões globais que, por sua vez, impactam
nas questões locais.
 Destaca-se que essa ação pode ser
estruturada e aplicada entre unidades de
informação [interorganizacional], como
também, entre setores de uma unidade/serviço
de informação [intraorganizacional].
Introdução
c2013, Valentim
 Vivencia-se um contexto econômico, social e
tecnológico que exige novas formas de gerenciar
unidades e serviços de informação. Nessa
perspectiva, os gestores precisam ampliar os
papeis e as responsabilidades das unidades e
serviços de informação, inovando constantemente
e promovendo mudanças incrementais e radicais.
 A gestão da informação e a gestão do
conhecimento são modelos de gestão que podem
ser aplicados, porquanto investem na eficiência e
na eficácia dos processos, atividades e tarefas e, o
mais importante, investem no sujeito
organizacional responsável por essa dinâmica.
 A sociedade complexa é uma realidade e, por isso
mesmo, há que se investir em modelos de gestão
que atendam as diversificadas necessidades,
ressaltando o valor da informação e do
conhecimento e o papel das unidades e serviços
de informação.
Introdução
c2013, Valentim
Gestão da Informação - Conceito
 Gestão integrada com foco nos
fluxos formais do ambiente
organizacional. Abrange diversas
atividades:
 Prospecção e monitoramento,
filtragem e obtenção de dados e
informações;
 Tratamento, análise, agregação de
valor e armazenamento
[preservação] da informação,
apoiados em tecnologias de
informação e telecomunicação;
 Disseminação e mediação da
informação;
 Elaboração de produtos e serviços
informacionais customizados.
Fonte: Valentim (2008).
c2013, Valentim
Gestão do Conhecimento - Conceito
 A gestão do conhecimento refere-se às questões críticas de
adaptação organizacional, sobrevivência e competência, em
face das mudanças ambientais, cada vez mais descontinuadas.
Essencialmente, enfoca os processos organizacionais que
buscam combinar a sinergia entre a capacidade de
processamento de informação e a capacidade criativa e
inovadora dos indivíduos, ou seja, é uma combinação de
informação, tecnologias de informação e comunicação,
aprendizagem, competências e know-how. Todas essas coisas
devem ser geridas em organizações, unidades, sistemas e
serviços profissionais (MALHOTRA, 1998, tradução nossa).
c2013, Valentim
Gestão do Conhecimento - Conceito
 Gestão integrada com foco nos fluxos
informais, que objetiva desenvolver
nas pessoas competências essenciais
voltadas ao compartilhamento e à
socialização do conhecimento,
visando a troca e, portanto, a
construção de novos conhecimentos.
 Visa também a aplicação sistemática
de métodos e técnicas que propiciem
aos sujeitos organizacionais
aprenderem a transformar o
conhecimento tácito em
conhecimento explícito (o possível).
Fonte: Valentim (2008).
c2013, Valentim
Gestão de Unidades de Informação - Conceito
 Unidade de informação é um organismo social,
dirigida e composta por dois ou mais sujeitos
organizacionais, que atuam com propósito
informacional definido, almejando um determinado
objetivo/meta informacional, de forma a obter o bem
informacional ao público ao qual atende.
c2013, Valentim
Gestão da Informação e do Conhecimento
 A informação precede a
comunicação, a tecnologia, o
conhecimento e a ação (ILHARCO,
2003).
 A informação é insumo do saber e
do fazer em diferentes contextos e,
portanto, é gerada por meio de
diferentes estratégias para atingir
distintos objetivos.
 Em uma unidade/serviço de
informação esta afirmativa
concretiza-se de forma contundente,
visto que a informação é, ao mesmo
tempo, insumo e produto do fazer
organizacional de qualquer setor,
especialidade ou segmento.
c2013, Valentim
 A informação e o conhecimento
são insumos do fazer
organizacional e, por esse motivo,
devem ser mais bem gerenciados,
desde o macroambiente até os
distintos microambientes que
compõem a unidade/serviço de
informação.
 No ambiente organizacional, o
conhecimento é construído por um
indivíduo que, por sua vez,
alimenta a construção do
conhecimento coletivo e, por outro
lado, o conhecimento coletivo
alimenta a construção do
conhecimento individual em uma
espiral contínua.
Gestão da Informação e do Conhecimento
Figura Traduzida e Adaptada: Nonaka; Takeuchi (2008).
c2013, Valentim
Planejamento (diagnóstico e
prognóstico)
 “Planejamento é o esboço do futuro e a
criação e seleção de meios para atingi-lo”
(ACKOFF, 1996).
1. Processo permanente e metódico [uso de
métodos] que deve ser realizado com a
participação e comprometimento de todos os
sujeitos de uma unidade/serviço de
informação;
2. Ação construída [missão, visão, objetivos,
metas] sobre um conjunto dinâmico de
variáveis em determinado momento histórico
[contexto];
3. Metódico, porquanto é uma sequência de atos
decisórios, ordenados em fases definidas e
baseadas em conhecimentos especializados e
técnicos [responsabilidades, prazos etc.].
Gestão da Informação e do Conhecimento
c2013, Valentim
Cultura Organizacional
 “[...] conjunto de valores e pressupostos
básicos expressos em elementos
simbólicos, que em sua capacidade de
ordenar, atribuir significações, construir a
identidade organizacional, tanto agem
como elemento de comunicação e
consenso, como ocultam e
instrumentalizam as relações de
dominação” (FLEURY, 1996).
Comunicação Organizacional
 “Processo contínuo que alimenta,
reconhece, gera, usa e compartilha dados,
informação e conhecimento existentes no
ambiente organizacional, entendido aqui de
forma lato (ambiente interno e externo)”
(VALENTIM, 2003).
Gestão da Informação e do Conhecimento
c2013, Valentim
Mapeamento de Fluxos Formais/Informais
 Consiste em desenvolver um conjunto de ações
para identificar as fontes – recursos
informacionais [formal] e produtores de
conhecimento [informais] –, relevantes para a
unidade/serviço de informação. É importante nesta
fase identificar as lideranças organizacionais.
 Fluxos Estruturados: já estruturados e acessados
dentro ou fora da unidade/serviço de informação.
Ex.: Cadastro de editoras; planilhas etc.
- Fluxos Estruturáveis: estão internamente à
unidade/serviço de informação, entretanto sem
tratamento e acesso. Ex.: Cartões de visita de
novos fornecedores; catálogos de feiras etc.
 Fluxos Não Estruturados: estão externamente à
unidade/serviço de informação, entretanto sem
identificação, filtragem e tratamento. Ex.: Notícias
em jornais, mídias, redes sociais etc.
Gestão da Informação e do Conhecimento
c2013, Valentim
Gestão da Informação e do Conhecimento
Pessoas
Políticas
e Normas
Organizacionais
Responsabilidades
e Autoridades
Funções e
Atividades
Rotinas e
Procedimentos
Controle
e feedback
Fonte Adaptada: Blackler (1993) apud Choo (2003).
c2013, Valentim
Competências Essenciais
 Processo contínuo e dinâmico, que envolve não só o
reconhecimento, a compreensão, a apropriação de
signos e símbolos, mas, além disso, saber aplicá-los
na vida cotidiana de forma eficiente.
 Visa desenvolver a:
 Capacidade de reconhecer as próprias
necessidades informacionais e formular questões.
 Capacidade de identificar, acessar, buscar,
pesquisar e localizar informação em qualquer
mídia.
 Capacidade de organizar, analisar e avaliar
informação.
 Capacidade de usar eficazmente informação para
uma aplicação prática e solução de problemas.
 Capacidade de apropriar-se de informação para
gerar novo conhecimento, ‘aprender a aprender’.
Gestão da Informação e do Conhecimento
Fonte: ALA (1989); Doyle (1992); Lenox e Walker (1993).
c2013, Valentim
Redes Colaborativas
 Estruturadas a partir de relações de trabalho,
técnico-científicas, culturais/artísticas ou de
outra natureza, entre indivíduos ou grupos
de indivíduos e que se baseia
fundamentalmente em processos
colaborativos mediados ou não por
tecnologias de informação e comunicação
(TIC)
 Características: comunidade envolvida,
regras claras [compartilhamento, plano de
discussões, avaliações etc.], divisão de
trabalho [organização da participação dos
integrantes], níveis de atividades [macro ou
micro, genérica ou especializada], frequência
[períodos], sistematização [documentação,
sistemas de informação, portal/site etc.].
Gestão da Informação e do Conhecimento
c2013, Valentim
Páginas Amarelas (Who is Who)
 Mapeia e indica quem possui
determinado conhecimento,
competência, habilidade ou
vivência/experiência, aonde está e de
que forma se pode acessá-lo.
 Também é conhecido como ‘Banco
de Talentos’, pois identifica os
produtores de conhecimento, as
pessoas que possuem determinadas
competências, em que processos
atuam. A partir disso, as informações
são registradas em banco/base de
dados para futuros acessos.
Gestão da Informação e do Conhecimento
c2013, Valentim
Mapas Conceituais
 Esquematiza o
conhecimento existente
em uma organização, não
armazenando o
conhecimento
propriamente dito, mas
estruturando conceitos,
definições e valores
relevantes para os sujeitos
organizacionais, de forma
que se possa visualizá-los
graficamente.
Gestão da Informação e do Conhecimento
Fonte: Joseph Novak (1960).
c2013, Valentim
Storytelling
 Composto por 5 (cinco) etapas: ouvir,
aprender, descobrir, explorar, criar.
 Expor histórias organizacionais visando:
 Motivar as pessoas e implementar
novas ideias;
 Desenvolver a criatividade no
ambiente organizacional;
 Fortalecer a imagem e os valores
organizacionais;
 Disseminar valores organizacionais
(cultura/comunicação);
 Promover a colaboração entre os
sujeitos organizacionais;
 Compartilhar conhecimento junto aos
sujeitos organizacionais,
principalmente junto aos ‘novos’.
Gestão da Informação e do Conhecimento
c2013, Valentim
Benchmarking
 Comparação sistemática de
serviços e produtos
elaborados/produzidos com os
oferecidos por outras
unidades/serviços de
informação consideradas de
excelência.
 Procura adaptar um conceito
amplo de excelência em
determinado setor à realidade
dos processos de uma
unidade/serviço de informação,
a qual necessita aprimorar
determinada atividade.
Gestão da Informação e do Conhecimento
c2013, Valentim
Gestão da Informação e do Conhecimento
Ferramentas
 IHMC CmapTools (Mapas Conceituais)
http://cmap.ihmc.us/
 Treebolic (Redes)
http://treebolic.sourceforge.net/en/download.html
 B-Sapiens (Aprendizagem organizacional)
http://www.institutovirtual.pt/bsapiens/conteudos.asp?ID=26
 Groupware – (Trabalho em grupo/coletivo)
http://www-03.ibm.com/software/products/us/en/ibmnotes
c2013, Valentim
 A gestão da informação e do conhecimento
devem ser realizadas em unidades e
serviços de informação de forma efetiva,
visando propiciar mais qualidade ao
trabalho desenvolvido.
 Os gestores de unidades e serviços de
informação necessitam redimensionar a
atuação ressignificando o valor dessas
organizações junto à sociedade.
 O nível de complexidade requer ousadia dos
gestores, no que tange aos modelos de
gestão aplicados às unidades e serviços de
informação.
 Há a necessidade de se trabalhar a cultura,
a comunicação e as competências
essenciais das pessoas que atuam nessas
organizações.
Considerações Finais
c2013, Valentim
ACKOFF, R. L. A empresa democrática. Lisboa: DIFEL, 1996.
ALA - American Library Association. Presidential Committee on Information Literacy: Final
Report. Chicago: ALA, 1989. Disponível em:
<http://www.ala.org/acrl/publications/whitepapers/presidential>. Acesso em: 12 jan. 2012.
CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação
para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC Editora,
2003. 425p.
DOYLE, C. Outcome measures for information literacy within the national education goals
of 1990: Final Report of the National Forum on Information Literacy. Washington (DC): US
Department of Education, 1992. (ERIC Document, ED 351033)
FLEURY, M. T.; FISCHER, R. M. (Org.) Cultura e poder nas organizações. 2.ed. São Paulo:
Atlas, 1996.
ILHARCO, F. Filosofia da informação: uma introdução à informação como fundação da acção,
da comunicação e da decisão. Lisboa: Universidade Católica Editora, 2003. 207p.
KOSTAGIOLAS, P. A. Managing knowledge capital in public libraries for a knowledge-driven
socioeconomic environment. In: IFLA GENERAL CONFERENCE AND ASSEMBLY, 78., Helsink,
2012. Anais... Helsink: IFLA, 2012. 15p. Disponível em: <http://conference.ifla.org/ifla78>.
Bibliografia Consultada
c2013, Valentim
LAW, D. As for the future, your task is not to foresee it, but to enable it. . In: IFLA GENERAL
CONFERENCE AND ASSEMBLY, 77., Puerto Rico, 2011. Anais... Puerto Rico: IFLA, 2011. 9p.
Disponível em: <http://conference.ifla.org/ifla77>.
LENOX, M. F.; WALKER, M. L. Information literacy in the educational process. The Educational
Forum, v.57, n.2, p.312-324, 1993.
MALHOTRA, Y. Knowledge management, knowledge organizations & knowledge workers:
a view from the front lines. Maeil Business Newspaper, p.1-4, Feb. 19, 1998. Disponível em:
<http://www.brint.com/interview/maeil.htm>.
NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas
japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 2008. 376p.
VALENTIM, M. L. P. Comunicação organizacional no processo de inteligência competitiva.
Londrina: InfoHome, 2003. 2p. Disponível em:
<http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=79>.
VALENTIM, M. L. P. Gestão da informação e gestão do conhecimento em ambientes
organizacionais: conceitos e compreensões. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência
da Informação, Brasília, v.1, n.1, p.1-16, 2008. Disponível em:
<http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/3/14>.
Bibliografia Consultada
c2013, Valentim
Obrigada!
valentim@valentim.pro.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Indexação e Resumos: teoria e prática - F.W. Lancaster
Indexação e Resumos: teoria e prática - F.W. LancasterIndexação e Resumos: teoria e prática - F.W. Lancaster
Indexação e Resumos: teoria e prática - F.W. LancasterCleberson Moura
 
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuaisBibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuaisRita De Cássia Figueredo
 
Módulo 4 – Gestão de Base de Dados – Microsoft Access
Módulo 4 – Gestão de Base de Dados – Microsoft AccessMódulo 4 – Gestão de Base de Dados – Microsoft Access
Módulo 4 – Gestão de Base de Dados – Microsoft AccessDaniel Ventura
 
Os Desafios da Preservação de Documentos Digitais
Os Desafios da Preservação de Documentos DigitaisOs Desafios da Preservação de Documentos Digitais
Os Desafios da Preservação de Documentos DigitaisCariniana Rede
 
1 Desenvolvimento de coleções: introducao
1 Desenvolvimento de coleções: introducao1 Desenvolvimento de coleções: introducao
1 Desenvolvimento de coleções: introducaoLeticia Strehl
 
Sistemas de classificação bibliográfica [perspectivas da biblioteconomia cont...
Sistemas de classificação bibliográfica [perspectivas da biblioteconomia cont...Sistemas de classificação bibliográfica [perspectivas da biblioteconomia cont...
Sistemas de classificação bibliográfica [perspectivas da biblioteconomia cont...Daniel Ribeiro dos Santos
 
Tipos de Sistema de Informação
Tipos de Sistema de InformaçãoTipos de Sistema de Informação
Tipos de Sistema de InformaçãoRobson Santos
 
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
1 Gestão em Unidades de informação: IntroduçãoLeticia Strehl
 
Representação da informação
Representação da informaçãoRepresentação da informação
Representação da informaçãoIgor Falce
 
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015Universidade de São Paulo
 
Classificacoes Bibliográficas: uma introdução
Classificacoes Bibliográficas: uma introduçãoClassificacoes Bibliográficas: uma introdução
Classificacoes Bibliográficas: uma introduçãoBenildes Maculan
 
Administração de Sistemas de Informação
Administração de Sistemas de InformaçãoAdministração de Sistemas de Informação
Administração de Sistemas de InformaçãoDenise Maria Cotoman
 
Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)Raquel Prado Leite de Sousa
 
Metadados
MetadadosMetadados
Metadadoslulinha
 
Taxonomia e folksonomia: conceitos e aplicações
Taxonomia e folksonomia: conceitos e aplicaçõesTaxonomia e folksonomia: conceitos e aplicações
Taxonomia e folksonomia: conceitos e aplicaçõesGledson Antonio da Silva
 

Mais procurados (20)

Estudo de Usuários - Conceitos e Aplicações
Estudo de Usuários - Conceitos e AplicaçõesEstudo de Usuários - Conceitos e Aplicações
Estudo de Usuários - Conceitos e Aplicações
 
Indexação e Resumos: teoria e prática - F.W. Lancaster
Indexação e Resumos: teoria e prática - F.W. LancasterIndexação e Resumos: teoria e prática - F.W. Lancaster
Indexação e Resumos: teoria e prática - F.W. Lancaster
 
Metadados: dados a respeito de dados
Metadados: dados a respeito de dadosMetadados: dados a respeito de dados
Metadados: dados a respeito de dados
 
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuaisBibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
 
Módulo 4 – Gestão de Base de Dados – Microsoft Access
Módulo 4 – Gestão de Base de Dados – Microsoft AccessMódulo 4 – Gestão de Base de Dados – Microsoft Access
Módulo 4 – Gestão de Base de Dados – Microsoft Access
 
Os Desafios da Preservação de Documentos Digitais
Os Desafios da Preservação de Documentos DigitaisOs Desafios da Preservação de Documentos Digitais
Os Desafios da Preservação de Documentos Digitais
 
1 Desenvolvimento de coleções: introducao
1 Desenvolvimento de coleções: introducao1 Desenvolvimento de coleções: introducao
1 Desenvolvimento de coleções: introducao
 
Sistemas de classificação bibliográfica [perspectivas da biblioteconomia cont...
Sistemas de classificação bibliográfica [perspectivas da biblioteconomia cont...Sistemas de classificação bibliográfica [perspectivas da biblioteconomia cont...
Sistemas de classificação bibliográfica [perspectivas da biblioteconomia cont...
 
Tipos de Sistema de Informação
Tipos de Sistema de InformaçãoTipos de Sistema de Informação
Tipos de Sistema de Informação
 
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
 
Representação da informação
Representação da informaçãoRepresentação da informação
Representação da informação
 
1ª aula indexacao 2013
1ª aula indexacao 20131ª aula indexacao 2013
1ª aula indexacao 2013
 
Rede Bibliodata
Rede BibliodataRede Bibliodata
Rede Bibliodata
 
Serviço de Referência
Serviço de ReferênciaServiço de Referência
Serviço de Referência
 
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
ISBD Consolidada: introdução básica - versão 2015
 
Classificacoes Bibliográficas: uma introdução
Classificacoes Bibliográficas: uma introduçãoClassificacoes Bibliográficas: uma introdução
Classificacoes Bibliográficas: uma introdução
 
Administração de Sistemas de Informação
Administração de Sistemas de InformaçãoAdministração de Sistemas de Informação
Administração de Sistemas de Informação
 
Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)
 
Metadados
MetadadosMetadados
Metadados
 
Taxonomia e folksonomia: conceitos e aplicações
Taxonomia e folksonomia: conceitos e aplicaçõesTaxonomia e folksonomia: conceitos e aplicações
Taxonomia e folksonomia: conceitos e aplicações
 

Semelhante a Gestão da informação e do conhecimento em unidades e serviços de informação

Gestão do Conhecimento e Redes Sociais
Gestão do Conhecimento e Redes SociaisGestão do Conhecimento e Redes Sociais
Gestão do Conhecimento e Redes SociaisMariana Tavernari
 
Tecnologias da informação aplicadas à bibliotecas universitárias. Uma propost...
Tecnologias da informação aplicadas à bibliotecas universitárias. Uma propost...Tecnologias da informação aplicadas à bibliotecas universitárias. Uma propost...
Tecnologias da informação aplicadas à bibliotecas universitárias. Uma propost...Ricardo Nagel
 
Funções e papeis da tecnologia
Funções e papeis da tecnologiaFunções e papeis da tecnologia
Funções e papeis da tecnologiaJailson Carvalho
 
Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...
Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...
Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...Carla Azevedo
 
Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...
Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...
Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...Vadeilza Castilho
 
Enangrad 2004 — Prêmio de melhor artigo
Enangrad 2004 — Prêmio de melhor artigo Enangrad 2004 — Prêmio de melhor artigo
Enangrad 2004 — Prêmio de melhor artigo Paulo Floriano
 
Ti a serviço da inteligência estratégica
Ti a serviço da inteligência estratégicaTi a serviço da inteligência estratégica
Ti a serviço da inteligência estratégicaAndré Barreto
 
Gestão e sociedade do conhecimento: novos perfis profissionais
Gestão e sociedade do conhecimento: novos perfis profissionaisGestão e sociedade do conhecimento: novos perfis profissionais
Gestão e sociedade do conhecimento: novos perfis profissionaisRoberto C. S. Pacheco
 
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...Denise Antunes
 
Apresentação Governação na Sociedade da Informação
Apresentação Governação na Sociedade da InformaçãoApresentação Governação na Sociedade da Informação
Apresentação Governação na Sociedade da InformaçãoLuis Borges Gouveia
 
As novas competências para o profissional da ciência da informação
As novas competências para o profissional da ciência da informaçãoAs novas competências para o profissional da ciência da informação
As novas competências para o profissional da ciência da informaçãoMónica Martins
 
As novas competências para o profissional da ciência da informação
As novas competências para o profissional da ciência da informaçãoAs novas competências para o profissional da ciência da informação
As novas competências para o profissional da ciência da informaçãoMónica Martins
 
Artigo 1 - Importancia dos SIs.pdf
Artigo 1 - Importancia dos SIs.pdfArtigo 1 - Importancia dos SIs.pdf
Artigo 1 - Importancia dos SIs.pdfGabaritandoPreparatr
 
Dispositivos TecnolóGicos E Cultura Organizacional André Quiroga Sandi
Dispositivos TecnolóGicos E Cultura Organizacional   André Quiroga SandiDispositivos TecnolóGicos E Cultura Organizacional   André Quiroga Sandi
Dispositivos TecnolóGicos E Cultura Organizacional André Quiroga SandiLuiz Aquino
 
Livro Gestão de Projetos nas Organizações
Livro Gestão de Projetos nas OrganizaçõesLivro Gestão de Projetos nas Organizações
Livro Gestão de Projetos nas OrganizaçõesAdeildo Caboclo
 
Gestão e liderança por autenticidade
Gestão e liderança por autenticidadeGestão e liderança por autenticidade
Gestão e liderança por autenticidadeCoach Érika Fernandes
 
As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...
As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...
As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...Léo Vitor
 
Gestão de conhecimento e qualidade
Gestão de conhecimento e qualidadeGestão de conhecimento e qualidade
Gestão de conhecimento e qualidadeFranz Campagnacci
 
Novas abordagens para a Gestão do Conhecimento
Novas abordagens para a Gestão do ConhecimentoNovas abordagens para a Gestão do Conhecimento
Novas abordagens para a Gestão do ConhecimentoLuis Borges Gouveia
 

Semelhante a Gestão da informação e do conhecimento em unidades e serviços de informação (20)

Gestão do Conhecimento e Redes Sociais
Gestão do Conhecimento e Redes SociaisGestão do Conhecimento e Redes Sociais
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais
 
Tecnologias da informação aplicadas à bibliotecas universitárias. Uma propost...
Tecnologias da informação aplicadas à bibliotecas universitárias. Uma propost...Tecnologias da informação aplicadas à bibliotecas universitárias. Uma propost...
Tecnologias da informação aplicadas à bibliotecas universitárias. Uma propost...
 
Funções e papeis da tecnologia
Funções e papeis da tecnologiaFunções e papeis da tecnologia
Funções e papeis da tecnologia
 
Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...
Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...
Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...
 
Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...
Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...
Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...
 
Enangrad 2004 — Prêmio de melhor artigo
Enangrad 2004 — Prêmio de melhor artigo Enangrad 2004 — Prêmio de melhor artigo
Enangrad 2004 — Prêmio de melhor artigo
 
Ti a serviço da inteligência estratégica
Ti a serviço da inteligência estratégicaTi a serviço da inteligência estratégica
Ti a serviço da inteligência estratégica
 
Gestão e sociedade do conhecimento: novos perfis profissionais
Gestão e sociedade do conhecimento: novos perfis profissionaisGestão e sociedade do conhecimento: novos perfis profissionais
Gestão e sociedade do conhecimento: novos perfis profissionais
 
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
 
Apresentação Governação na Sociedade da Informação
Apresentação Governação na Sociedade da InformaçãoApresentação Governação na Sociedade da Informação
Apresentação Governação na Sociedade da Informação
 
As novas competências para o profissional da ciência da informação
As novas competências para o profissional da ciência da informaçãoAs novas competências para o profissional da ciência da informação
As novas competências para o profissional da ciência da informação
 
As novas competências para o profissional da ciência da informação
As novas competências para o profissional da ciência da informaçãoAs novas competências para o profissional da ciência da informação
As novas competências para o profissional da ciência da informação
 
Artigo 1 - Importancia dos SIs.pdf
Artigo 1 - Importancia dos SIs.pdfArtigo 1 - Importancia dos SIs.pdf
Artigo 1 - Importancia dos SIs.pdf
 
Dispositivos TecnolóGicos E Cultura Organizacional André Quiroga Sandi
Dispositivos TecnolóGicos E Cultura Organizacional   André Quiroga SandiDispositivos TecnolóGicos E Cultura Organizacional   André Quiroga Sandi
Dispositivos TecnolóGicos E Cultura Organizacional André Quiroga Sandi
 
Livro Gestão de Projetos nas Organizações
Livro Gestão de Projetos nas OrganizaçõesLivro Gestão de Projetos nas Organizações
Livro Gestão de Projetos nas Organizações
 
Luciowillercintia
LuciowillercintiaLuciowillercintia
Luciowillercintia
 
Gestão e liderança por autenticidade
Gestão e liderança por autenticidadeGestão e liderança por autenticidade
Gestão e liderança por autenticidade
 
As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...
As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...
As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...
 
Gestão de conhecimento e qualidade
Gestão de conhecimento e qualidadeGestão de conhecimento e qualidade
Gestão de conhecimento e qualidade
 
Novas abordagens para a Gestão do Conhecimento
Novas abordagens para a Gestão do ConhecimentoNovas abordagens para a Gestão do Conhecimento
Novas abordagens para a Gestão do Conhecimento
 

Mais de FEBAB

Webinar: Bibliotecas e direitos autorais: perspectivas perante a OMPI e mudan...
Webinar: Bibliotecas e direitos autorais: perspectivas perante a OMPI e mudan...Webinar: Bibliotecas e direitos autorais: perspectivas perante a OMPI e mudan...
Webinar: Bibliotecas e direitos autorais: perspectivas perante a OMPI e mudan...FEBAB
 
Bibliotecas de hoje e do futuro
Bibliotecas de hoje e do futuroBibliotecas de hoje e do futuro
Bibliotecas de hoje e do futuroFEBAB
 
Re-imagining the role of the librarian as an educator in the digital era
Re-imagining the role of the librarian as an educator in the digital eraRe-imagining the role of the librarian as an educator in the digital era
Re-imagining the role of the librarian as an educator in the digital eraFEBAB
 
Leadership and librarians
Leadership and librariansLeadership and librarians
Leadership and librariansFEBAB
 
Como os bibliotecários podem promover as competências multimodais mediante a ...
Como os bibliotecários podem promover as competências multimodais mediante a ...Como os bibliotecários podem promover as competências multimodais mediante a ...
Como os bibliotecários podem promover as competências multimodais mediante a ...FEBAB
 
Muito além do jardim: um olhar sobre os metadesafios do profissional da infor...
Muito além do jardim: um olhar sobre os metadesafios do profissional da infor...Muito além do jardim: um olhar sobre os metadesafios do profissional da infor...
Muito além do jardim: um olhar sobre os metadesafios do profissional da infor...FEBAB
 
O Comitê Gestor da Internet no Brasil e os princípios de uso e governança da ...
O Comitê Gestor da Internet no Brasil e os princípios de uso e governança da ...O Comitê Gestor da Internet no Brasil e os princípios de uso e governança da ...
O Comitê Gestor da Internet no Brasil e os princípios de uso e governança da ...FEBAB
 
Competências: um novo design e perspectivas na contemporaneidade
Competências: um novo design e perspectivas na contemporaneidadeCompetências: um novo design e perspectivas na contemporaneidade
Competências: um novo design e perspectivas na contemporaneidadeFEBAB
 

Mais de FEBAB (8)

Webinar: Bibliotecas e direitos autorais: perspectivas perante a OMPI e mudan...
Webinar: Bibliotecas e direitos autorais: perspectivas perante a OMPI e mudan...Webinar: Bibliotecas e direitos autorais: perspectivas perante a OMPI e mudan...
Webinar: Bibliotecas e direitos autorais: perspectivas perante a OMPI e mudan...
 
Bibliotecas de hoje e do futuro
Bibliotecas de hoje e do futuroBibliotecas de hoje e do futuro
Bibliotecas de hoje e do futuro
 
Re-imagining the role of the librarian as an educator in the digital era
Re-imagining the role of the librarian as an educator in the digital eraRe-imagining the role of the librarian as an educator in the digital era
Re-imagining the role of the librarian as an educator in the digital era
 
Leadership and librarians
Leadership and librariansLeadership and librarians
Leadership and librarians
 
Como os bibliotecários podem promover as competências multimodais mediante a ...
Como os bibliotecários podem promover as competências multimodais mediante a ...Como os bibliotecários podem promover as competências multimodais mediante a ...
Como os bibliotecários podem promover as competências multimodais mediante a ...
 
Muito além do jardim: um olhar sobre os metadesafios do profissional da infor...
Muito além do jardim: um olhar sobre os metadesafios do profissional da infor...Muito além do jardim: um olhar sobre os metadesafios do profissional da infor...
Muito além do jardim: um olhar sobre os metadesafios do profissional da infor...
 
O Comitê Gestor da Internet no Brasil e os princípios de uso e governança da ...
O Comitê Gestor da Internet no Brasil e os princípios de uso e governança da ...O Comitê Gestor da Internet no Brasil e os princípios de uso e governança da ...
O Comitê Gestor da Internet no Brasil e os princípios de uso e governança da ...
 
Competências: um novo design e perspectivas na contemporaneidade
Competências: um novo design e perspectivas na contemporaneidadeCompetências: um novo design e perspectivas na contemporaneidade
Competências: um novo design e perspectivas na contemporaneidade
 

Último

BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 

Último (20)

BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 

Gestão da informação e do conhecimento em unidades e serviços de informação

  • 1. Gestão da Informação e do Conhecimento em Unidades e Serviços de Informação Profa. Dra. Marta Valentim Florianópolis / Brasil 2013
  • 2. c2013, Valentim  Gerenciar unidades e serviços de informação tornou-se um desafio neste novo milênio, porquanto as transformações sociais, culturais, científicas e tecnológicas tem impactado diretamente as estratégias de ação, a mediação da informação, os objetivos dos serviços prestados e as finalidades dos produtos elaborados aos diferentes públicos.  A sociedade brasileira está mais consciente do valor da informação e do conhecimento para sua efetiva cidadania, bem como para o desenvolvimento local, regional e nacional. Introdução
  • 3. c2013, Valentim  Há um significativo desafio para os gestores de unidades e serviços de informação, no que tange à aprendizagem, à interação com as tecnologias de informação e comunicação (TIC), ao acesso livre (open access) e gratuito à informação (copyleft), cuja dinâmica é transformadora e exige uma nova forma de atuar, um novo papel a cumprir junto à sociedade.  Destaca-se nesse contexto, as novas formas de ensino-aprendizagem [cursos a distância, salas de aula virtuais, materiais didáticos e científicos em repositórios institucionais etc.]; as novas tecnologias de informação e comunicação móveis [celular, tablet, smartphone etc.]; as novas formas de mediação da informação realizadas a partir de novas necessidades/demandas, competências e comportamentos informacionais [redes sociais]. Introdução
  • 4. c2013, Valentim  Para atender essas transformações o gestor de unidades e serviços de informação necessita planejar o futuro e, para tanto, necessita primeiramente desenvolver a ‘visão de futuro’.  Essa ação não pode ser realizada de forma individualizada, ao contrário, necessita ser desenvolvida de maneira colaborativa [em rede], cujos atores possam trazer contribuições a partir de contextos distintos e de experiências locais que, somadas, podem propiciar uma percepção mais ampliada das questões globais que, por sua vez, impactam nas questões locais.  Destaca-se que essa ação pode ser estruturada e aplicada entre unidades de informação [interorganizacional], como também, entre setores de uma unidade/serviço de informação [intraorganizacional]. Introdução
  • 5. c2013, Valentim  Vivencia-se um contexto econômico, social e tecnológico que exige novas formas de gerenciar unidades e serviços de informação. Nessa perspectiva, os gestores precisam ampliar os papeis e as responsabilidades das unidades e serviços de informação, inovando constantemente e promovendo mudanças incrementais e radicais.  A gestão da informação e a gestão do conhecimento são modelos de gestão que podem ser aplicados, porquanto investem na eficiência e na eficácia dos processos, atividades e tarefas e, o mais importante, investem no sujeito organizacional responsável por essa dinâmica.  A sociedade complexa é uma realidade e, por isso mesmo, há que se investir em modelos de gestão que atendam as diversificadas necessidades, ressaltando o valor da informação e do conhecimento e o papel das unidades e serviços de informação. Introdução
  • 6. c2013, Valentim Gestão da Informação - Conceito  Gestão integrada com foco nos fluxos formais do ambiente organizacional. Abrange diversas atividades:  Prospecção e monitoramento, filtragem e obtenção de dados e informações;  Tratamento, análise, agregação de valor e armazenamento [preservação] da informação, apoiados em tecnologias de informação e telecomunicação;  Disseminação e mediação da informação;  Elaboração de produtos e serviços informacionais customizados. Fonte: Valentim (2008).
  • 7. c2013, Valentim Gestão do Conhecimento - Conceito  A gestão do conhecimento refere-se às questões críticas de adaptação organizacional, sobrevivência e competência, em face das mudanças ambientais, cada vez mais descontinuadas. Essencialmente, enfoca os processos organizacionais que buscam combinar a sinergia entre a capacidade de processamento de informação e a capacidade criativa e inovadora dos indivíduos, ou seja, é uma combinação de informação, tecnologias de informação e comunicação, aprendizagem, competências e know-how. Todas essas coisas devem ser geridas em organizações, unidades, sistemas e serviços profissionais (MALHOTRA, 1998, tradução nossa).
  • 8. c2013, Valentim Gestão do Conhecimento - Conceito  Gestão integrada com foco nos fluxos informais, que objetiva desenvolver nas pessoas competências essenciais voltadas ao compartilhamento e à socialização do conhecimento, visando a troca e, portanto, a construção de novos conhecimentos.  Visa também a aplicação sistemática de métodos e técnicas que propiciem aos sujeitos organizacionais aprenderem a transformar o conhecimento tácito em conhecimento explícito (o possível). Fonte: Valentim (2008).
  • 9. c2013, Valentim Gestão de Unidades de Informação - Conceito  Unidade de informação é um organismo social, dirigida e composta por dois ou mais sujeitos organizacionais, que atuam com propósito informacional definido, almejando um determinado objetivo/meta informacional, de forma a obter o bem informacional ao público ao qual atende.
  • 10. c2013, Valentim Gestão da Informação e do Conhecimento  A informação precede a comunicação, a tecnologia, o conhecimento e a ação (ILHARCO, 2003).  A informação é insumo do saber e do fazer em diferentes contextos e, portanto, é gerada por meio de diferentes estratégias para atingir distintos objetivos.  Em uma unidade/serviço de informação esta afirmativa concretiza-se de forma contundente, visto que a informação é, ao mesmo tempo, insumo e produto do fazer organizacional de qualquer setor, especialidade ou segmento.
  • 11. c2013, Valentim  A informação e o conhecimento são insumos do fazer organizacional e, por esse motivo, devem ser mais bem gerenciados, desde o macroambiente até os distintos microambientes que compõem a unidade/serviço de informação.  No ambiente organizacional, o conhecimento é construído por um indivíduo que, por sua vez, alimenta a construção do conhecimento coletivo e, por outro lado, o conhecimento coletivo alimenta a construção do conhecimento individual em uma espiral contínua. Gestão da Informação e do Conhecimento Figura Traduzida e Adaptada: Nonaka; Takeuchi (2008).
  • 12. c2013, Valentim Planejamento (diagnóstico e prognóstico)  “Planejamento é o esboço do futuro e a criação e seleção de meios para atingi-lo” (ACKOFF, 1996). 1. Processo permanente e metódico [uso de métodos] que deve ser realizado com a participação e comprometimento de todos os sujeitos de uma unidade/serviço de informação; 2. Ação construída [missão, visão, objetivos, metas] sobre um conjunto dinâmico de variáveis em determinado momento histórico [contexto]; 3. Metódico, porquanto é uma sequência de atos decisórios, ordenados em fases definidas e baseadas em conhecimentos especializados e técnicos [responsabilidades, prazos etc.]. Gestão da Informação e do Conhecimento
  • 13. c2013, Valentim Cultura Organizacional  “[...] conjunto de valores e pressupostos básicos expressos em elementos simbólicos, que em sua capacidade de ordenar, atribuir significações, construir a identidade organizacional, tanto agem como elemento de comunicação e consenso, como ocultam e instrumentalizam as relações de dominação” (FLEURY, 1996). Comunicação Organizacional  “Processo contínuo que alimenta, reconhece, gera, usa e compartilha dados, informação e conhecimento existentes no ambiente organizacional, entendido aqui de forma lato (ambiente interno e externo)” (VALENTIM, 2003). Gestão da Informação e do Conhecimento
  • 14. c2013, Valentim Mapeamento de Fluxos Formais/Informais  Consiste em desenvolver um conjunto de ações para identificar as fontes – recursos informacionais [formal] e produtores de conhecimento [informais] –, relevantes para a unidade/serviço de informação. É importante nesta fase identificar as lideranças organizacionais.  Fluxos Estruturados: já estruturados e acessados dentro ou fora da unidade/serviço de informação. Ex.: Cadastro de editoras; planilhas etc. - Fluxos Estruturáveis: estão internamente à unidade/serviço de informação, entretanto sem tratamento e acesso. Ex.: Cartões de visita de novos fornecedores; catálogos de feiras etc.  Fluxos Não Estruturados: estão externamente à unidade/serviço de informação, entretanto sem identificação, filtragem e tratamento. Ex.: Notícias em jornais, mídias, redes sociais etc. Gestão da Informação e do Conhecimento
  • 15. c2013, Valentim Gestão da Informação e do Conhecimento Pessoas Políticas e Normas Organizacionais Responsabilidades e Autoridades Funções e Atividades Rotinas e Procedimentos Controle e feedback Fonte Adaptada: Blackler (1993) apud Choo (2003).
  • 16. c2013, Valentim Competências Essenciais  Processo contínuo e dinâmico, que envolve não só o reconhecimento, a compreensão, a apropriação de signos e símbolos, mas, além disso, saber aplicá-los na vida cotidiana de forma eficiente.  Visa desenvolver a:  Capacidade de reconhecer as próprias necessidades informacionais e formular questões.  Capacidade de identificar, acessar, buscar, pesquisar e localizar informação em qualquer mídia.  Capacidade de organizar, analisar e avaliar informação.  Capacidade de usar eficazmente informação para uma aplicação prática e solução de problemas.  Capacidade de apropriar-se de informação para gerar novo conhecimento, ‘aprender a aprender’. Gestão da Informação e do Conhecimento Fonte: ALA (1989); Doyle (1992); Lenox e Walker (1993).
  • 17. c2013, Valentim Redes Colaborativas  Estruturadas a partir de relações de trabalho, técnico-científicas, culturais/artísticas ou de outra natureza, entre indivíduos ou grupos de indivíduos e que se baseia fundamentalmente em processos colaborativos mediados ou não por tecnologias de informação e comunicação (TIC)  Características: comunidade envolvida, regras claras [compartilhamento, plano de discussões, avaliações etc.], divisão de trabalho [organização da participação dos integrantes], níveis de atividades [macro ou micro, genérica ou especializada], frequência [períodos], sistematização [documentação, sistemas de informação, portal/site etc.]. Gestão da Informação e do Conhecimento
  • 18. c2013, Valentim Páginas Amarelas (Who is Who)  Mapeia e indica quem possui determinado conhecimento, competência, habilidade ou vivência/experiência, aonde está e de que forma se pode acessá-lo.  Também é conhecido como ‘Banco de Talentos’, pois identifica os produtores de conhecimento, as pessoas que possuem determinadas competências, em que processos atuam. A partir disso, as informações são registradas em banco/base de dados para futuros acessos. Gestão da Informação e do Conhecimento
  • 19. c2013, Valentim Mapas Conceituais  Esquematiza o conhecimento existente em uma organização, não armazenando o conhecimento propriamente dito, mas estruturando conceitos, definições e valores relevantes para os sujeitos organizacionais, de forma que se possa visualizá-los graficamente. Gestão da Informação e do Conhecimento Fonte: Joseph Novak (1960).
  • 20. c2013, Valentim Storytelling  Composto por 5 (cinco) etapas: ouvir, aprender, descobrir, explorar, criar.  Expor histórias organizacionais visando:  Motivar as pessoas e implementar novas ideias;  Desenvolver a criatividade no ambiente organizacional;  Fortalecer a imagem e os valores organizacionais;  Disseminar valores organizacionais (cultura/comunicação);  Promover a colaboração entre os sujeitos organizacionais;  Compartilhar conhecimento junto aos sujeitos organizacionais, principalmente junto aos ‘novos’. Gestão da Informação e do Conhecimento
  • 21. c2013, Valentim Benchmarking  Comparação sistemática de serviços e produtos elaborados/produzidos com os oferecidos por outras unidades/serviços de informação consideradas de excelência.  Procura adaptar um conceito amplo de excelência em determinado setor à realidade dos processos de uma unidade/serviço de informação, a qual necessita aprimorar determinada atividade. Gestão da Informação e do Conhecimento
  • 22. c2013, Valentim Gestão da Informação e do Conhecimento Ferramentas  IHMC CmapTools (Mapas Conceituais) http://cmap.ihmc.us/  Treebolic (Redes) http://treebolic.sourceforge.net/en/download.html  B-Sapiens (Aprendizagem organizacional) http://www.institutovirtual.pt/bsapiens/conteudos.asp?ID=26  Groupware – (Trabalho em grupo/coletivo) http://www-03.ibm.com/software/products/us/en/ibmnotes
  • 23. c2013, Valentim  A gestão da informação e do conhecimento devem ser realizadas em unidades e serviços de informação de forma efetiva, visando propiciar mais qualidade ao trabalho desenvolvido.  Os gestores de unidades e serviços de informação necessitam redimensionar a atuação ressignificando o valor dessas organizações junto à sociedade.  O nível de complexidade requer ousadia dos gestores, no que tange aos modelos de gestão aplicados às unidades e serviços de informação.  Há a necessidade de se trabalhar a cultura, a comunicação e as competências essenciais das pessoas que atuam nessas organizações. Considerações Finais
  • 24. c2013, Valentim ACKOFF, R. L. A empresa democrática. Lisboa: DIFEL, 1996. ALA - American Library Association. Presidential Committee on Information Literacy: Final Report. Chicago: ALA, 1989. Disponível em: <http://www.ala.org/acrl/publications/whitepapers/presidential>. Acesso em: 12 jan. 2012. CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC Editora, 2003. 425p. DOYLE, C. Outcome measures for information literacy within the national education goals of 1990: Final Report of the National Forum on Information Literacy. Washington (DC): US Department of Education, 1992. (ERIC Document, ED 351033) FLEURY, M. T.; FISCHER, R. M. (Org.) Cultura e poder nas organizações. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1996. ILHARCO, F. Filosofia da informação: uma introdução à informação como fundação da acção, da comunicação e da decisão. Lisboa: Universidade Católica Editora, 2003. 207p. KOSTAGIOLAS, P. A. Managing knowledge capital in public libraries for a knowledge-driven socioeconomic environment. In: IFLA GENERAL CONFERENCE AND ASSEMBLY, 78., Helsink, 2012. Anais... Helsink: IFLA, 2012. 15p. Disponível em: <http://conference.ifla.org/ifla78>. Bibliografia Consultada
  • 25. c2013, Valentim LAW, D. As for the future, your task is not to foresee it, but to enable it. . In: IFLA GENERAL CONFERENCE AND ASSEMBLY, 77., Puerto Rico, 2011. Anais... Puerto Rico: IFLA, 2011. 9p. Disponível em: <http://conference.ifla.org/ifla77>. LENOX, M. F.; WALKER, M. L. Information literacy in the educational process. The Educational Forum, v.57, n.2, p.312-324, 1993. MALHOTRA, Y. Knowledge management, knowledge organizations & knowledge workers: a view from the front lines. Maeil Business Newspaper, p.1-4, Feb. 19, 1998. Disponível em: <http://www.brint.com/interview/maeil.htm>. NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 2008. 376p. VALENTIM, M. L. P. Comunicação organizacional no processo de inteligência competitiva. Londrina: InfoHome, 2003. 2p. Disponível em: <http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=79>. VALENTIM, M. L. P. Gestão da informação e gestão do conhecimento em ambientes organizacionais: conceitos e compreensões. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v.1, n.1, p.1-16, 2008. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/3/14>. Bibliografia Consultada