SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA
INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS
DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA
DISCIPLINA: GEOLOGIA GERAL
Alunos: Elieltom Sousa
Ezequias Guimarães
Larissa abreu
Nayara Alves
Professora: Moeme Máximo
TEMPO GEOLÓGICO
BOA VISTA, RR.
SUMÁRIO
1. Introdução.............................................................................................................. 3
1. 1 Uma questão de tempo.............................................................................................4
2. Métodos de datação...................................................................................................5
2.1 Datação relativa......................................................................................................6
2.2 Datação absoluta.....................................................................................................8
3. Escala do tempo geológico..........................................................................................10
3.1 Magnitude do tempo geológico...................................................................................12
4. Era Paleozoica....................................................................................................13 -19
5. Era Mesozoica...................................................................................................20 - 23
6. Era Cenozoica...................................................................................................24 – 26
7. Conclusão..............................................................................................................27
8. Referências......................................................................................................28 - 30
2
1. INTRODUÇÃO
As primeiras propostas de se contar o tempo geológico foram
baseadas nas escrituras bíblicas, com o passar do tempo novos métodos
para realizar a datação correta começaram a surgir.
A geologia histórica pôde ser definida para reconstruir a historia da
terra, através dos processos geológicos que modificam a superfície
terrestre e também a evolução de plantas e animais.
A descoberta da radioatividade e o desenvolvimento de vários
métodos de datação radiometrica forneceram um meio de obter datações
absolutas comparáveis com datações relativas da historia geológica dessa
forma, a história da terra pôde ser hierarquicamente segmentada em
divisões para descrever o tempo geológico com unidades crescentes de
tempo, as divisões geralmente aceitadas são eon, era, período, época e
idade.
3
1.1 Uma questão de tempo...
4
Se a torre Eiffel estivesse representando a idade da terra, a película de
tinta no adorno em seu pináculo representaria a parcela daquela idade
pertencente ao homem; e qualquer um perceberia que era aquela película o
motivo da construção da torre. Mark Twian, “Letters from the Earth”
Acasta Gnaisse – Canadá
Zircão detrítico - Austrália
Torre Eiffel
2. METÓDOS DE DATAÇÃO
Hutton e seus rivais
2.1 Datação Relativa
• Príncipio da Horizontalidade (Nicolau Steno, Séc. XVII): A Deposição dos sedimentos
ocorre numa posição horizontal.
• Príncipio da Sobreposição: Numa sequência de estratos não deformada de rochas
sedimentares o estrato mais antigo é o que se situa inferiormente.
• Príncipio da Interseção: Estruturas geológicas (como intrusões magmáticas) que
intersetam outras, são mais recentes do que estas.
• Príncipio da Sucessão Faunística (Willian Smith): Estratos com o mesmo conteúdo
fossilífero apresentam a mesma idade.
• Príncipio Da Inclusão: Um fragmento incorporado num outro é mais antigo que
este.
6
7
Príncipio Da Sobreposição
Príncipio Da Interseção Príncipio Da Sucessão Faunística
Príncipio da Horizontalidade Príncipio Da Inclusão
2.2 Datação Absoluta
• Datação Radiométrica: É quando metade do isótopo-pai se transforma
em isótopo-filho.
8
• O decaimento radioativo não é afetado por fenômenos químicos ou físico;
• Independe de processos ou ambientes geológicos;
• É a mesma no manto no magma rocha ou mineral e;
• Não depende da massa do material presente.
Espectrometro de massa
9
Isótopo-pai
(Radioativo, Ínstável)
Isótopo-filho
(Não Radioativo, Estável)
Transforma-se
3. ESCALA DO TEMPO
GEOLÓGICO
11
11
3.1 Magnitude do Tempo Geológico
• EON HADEANO
• EON ARQUEANO
• EON PROTEROZÓICO
12
CÂMBRICO
7/8
PRECÂMBRICO
• EON FANEROZÓICO
1/8
4. ERA PALEOZOICA
4.1 Cambriano (570 milhões de anos)
• Vem de Cambria, que é o nome latino para Gales, onde suas
rochas foram primeiramente estudadas;
• Extensos mares invadindo os continentes existentes. Origem de
vários filos e classes de invertebrados. Primeiros cordados.
Moluscos com conchas. Abundância de trilobitas.
13
TRILOBITAS
4.2 Ordoviciano (510 milhões de anos)
• Vem de Ordovices, que é o nome de uma antiga tribo Celta;
• Clima ameno. Mares rasos. Continentes em geral com topografia
plana. Glaciação no final do período. Primeiros vertebrados.
Invertebrados marinhos em abundância. Primeiras plantas
terrestres.
15
4.3 Siluriano (38 milhões de anos)
• Homenageia a tribo dos Silures, que habitava uma região de Gales;
• Clima ameno. Topografia em geral plana. Primeiros peixes com
maxilas. Primeiros invertebrados terrestres.
16
4.4 Devoniano (416 milhões de anos)
• As principais transformações aconteceram na flora e com o surgimento
dos primeiros peixes com pulmões. Os continentes se resumiam em três
(euramerica,Siberia no norte e Gondwana no sul).
17
PEIXE
FLORESTA PRIMEIROS REPTÉIS
4.5 Carbonífero
• Uma grande vegetação que originou o carvão vegetal e importantes
depósitos de petróleo a flora era expressiva e consistia
predominantemente de plantas vascularizadas.
17
FLORESTAS GIGANTES
PANTÂNOS
4.6 Permiano (299 milhões de anos)
• Nome originado a partir de rochas das regiões dos urais, na cidade de
Perm na Rússia
• As massas continentais formaram um único supercontinente o Pangeia.
• Final do período marcado por grande extinção (90% das espécies
marinhas e 70% das terrestres)
19
FORMAÇÃO DA PANGÉIA
5. ERA MESOZÓICA
5. 1 Triássico (250 milhões de anos)
• Divisão em três camadas das rochas dessa idade na Alemanha;
• Extensas áreas áridas. Primeiros dinossauros. Primeiros mamíferos.
Crescimento exuberante de florestas com predomínio de coníferas.
21
5. 2 Jurássico (205 milhões de anos)
• Estudado pela primeira vez nos montes do Jura, entre a França e a Suíça;
• Clima ameno. Os níveis dos continentes são baixos com grandes áreas
cobertas pelos mares. Primeiras aves. Abundância de dinossauros.
Crescimento exuberante de florestas.
22
5.3 Cretáceo (135 milhões de anos)
• Pela abundância de camadas de cré - calcário branco poroso, formado por
conchas de forminífer;
• Clima uniforme em todo o período. Níveis dos mares elevados. Clímax dos
dinossauros e répteis marinhos, seguido da extinção destes grupos.
23
6. ERA CENOZÓICA
6.1 Terciário
Caracteriza-se pelo intenso movimento da crosta terrestre
originando os dobramentos modernos e cadeias montanhosas.
25
ALPES AMÉRICA DO SUL
CAMPOS DE GRAMINES
6.2 Quaternário
Teve inicio há cerca de 1 milhão de anos atrás e perdura ate os
tempos atuais, as principais ocorrências nesse período foram as
glaciações e o surgimento do homem.
26
ESCALA DE EVOLUÇÃO HUMANA
7. CONCLUSÃO
Nesse trabalho mostramos como a geologia foi importante
para a determinação da idade da terra e como isso revolucionou
nossa concepção do tempo.
A geologia foi capaz revelar a grandeza do tempo geológico e
revolucionou a concepção da historia terrestre, utilizando fosseis
permitiu a datação relativas das rochas e o desenvolvimento da
escala de tempo geológico padronizado aceito mundialmente,
através da datação obsoluta calculou a idade de minerais e rochas e
pode comparar desta forma a escala de tempo geológico.
27
8. REFERÊNCIAS
• Paleontologia: conceitos e métodos, volume 1/editar,ismar de Souza carvalho.- 3ªed.-Rio de Janeiro.
• PRESS, F.; SIEVER, R.; GROTZINGER, J.; JORDAN, T. H. Para entender a Terra. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.
• TEIXEIRA, W.; TOLEDO, M. C. M. de; FAIRCHILD, T. R.; TAIOLI, F. (Orgs.) Decifrando a Terra. São Paulo: Oficina de Textos, 2000. 280-
305p;
• Jose Dantas. Ebah.com: Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAa0oAA/tempo-geologico?part=2 , Acessado 30 de
junho de 2015.
• Jose Dantas. Ebah.com: Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAa0oAA/tempo-geologico?part=2 , Acessado 30 de
junho de 2015.
• Margarida Garcez. Pbworks.com: disponível em:
http://gracieteoliveira.pbworks.com/w/page/49838271/A%20medida%20do%20tempo%20geol%C3%B3gico%20e%20a%20idade%20da%20
Terra , Acessado dia 30 de junho 2015
• Wikipédia a enciclopédia livre: Pt.wikipedia.org: disponível em:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Data%C3%A7%C3%A3o_como_ferramenta_de_pesquisa, Acessado dia 30 de junho 2015
• Katia Mansur, Marilia barbosa: Drm-RJ (serviço geológico do estado do Rio de Janeiro) disponível em:
http://www.drm.rj.gov.br/index.php/areas-de-atuacao/44-pedagogico/98-pedagogicotempo, Acessado 30 de junho 2015
• Chirley Xavier Lamana: Seção: canal escola. Disponível em:
http://www.cprm.gov.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1070&sid=129, Acessado 30 de junho 2015
28
• Mariana Bento soares. Universidade federal do rio grande do sul disponível em: http://www.ufrgs.br/paleodigital/Tempo_geologico2.html,
Acessado dia 05 de julho 2015
• Modulo 2 interação homem ambiente. Unesp: disponível em: http://www.rc.unesp.br/igce/aplicada/ead/interacao/inter02.html, Acessado dia
05 de julho 2015
• Tempo Geológico. Algo sobre vestibular. Disponível em: https://www.algosobre.com.br/geografia/tempo-geologico.html, Acessado dia 07 de
julho
• Mariana aprile. Educação.uol disponível em: http://educacao.uol.com.br/planos-de-aula/medio/biologia-tempo-geologico.htm, Acessado dia
07 de julho
• Marcos Sousa. Ebah.com. Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAMzcAD/a-magnitude-tempo-geológico, Acessado dia 07 de
julho 2015
• Caio Samuel, franciscati da silva. Portal do professor.mec: disponível em:
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=581, Acessado dia 07 de julho de 2015
• Wikipédia a enciclopédia livre. Pt. Wikipedia.org. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Era_geol%C3%B3gica, Acessado dia 08 de julho
• Prof. Ma. Rodolfo Alves pena.brasilescola.com: disponível em: http://www.brasilescola.com/geografia/tempo-historico-tempo-geologico.htm,
Acessado dia 10 de julho de 2015
• Prof. Ma. Rodolfo Alves pena: brasilescola.com: disponível em: http://www.mundoeducacao.com/geografia/escala-tempo-geologico.htm,
Acessado dia 10 de julho 2015
• Ufam.edu. Disponível em:
http://home.ufam.edu.br/ivaldo/Aulas/Geocronologia/A%20Escala%20do%20Tempo%20Geol%C3%B3gico%20[Modo%20de%20Compatibilidade].pdf
, Acessado dia 11 de julho de 2015.
• Robert frodeman.ige.unicamp: disponível em: http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/v10_1/PDF10_1/TD10-t005-Cervato.pdf, Acessado
dia 11 de julho.
29
• Geoturismobrasil: disponível em: http://www.geoturismobrasil.com/REVISTA%20ARTIGOS/o%20tempo%20geol%C3%B3gico%20-%20Manzig.pdf, Acessado dia 12 de
julho 2015.
• Ana Maria s. bruzzi: iga.mg: disponível em: http://www.iga.mg.gov.br/mapserv_iga/atlas/TutorialPDF/6-Geologia.pdf, Acessado em 12 de julho 2015.
• Sonia hatsue tatumi.fatecsp.br: disponível em: http://bt.fatecsp.br/system/articles/39/original/1sonia.pdf, Acessado em 12 de julho 2015.
• Slideshare: pt.slidshare.com: disponível em: http://pt.slideshare.net/EduardoRoman6/tempo-geologico-40227246, Acessado dia 12 de julho 2015.
• Prof. Giba: mundogeografia: disponível em: http://www.mundoedu.com.br/uploads/pdf/534e3c34ef405.pdf, Acessado dia 12 de julho 2015.
• Prof. Renê j. A. Macedo: univasf.edu; disponível em: http://www.univasf.edu.br/~ccinat.srn/arquivos/Aula%201%20-
%20Introdu%C3%A7%C3%A3o%20%C3%A0%20Geologia.pdf, Acessado dia 12 de julho 2015.
• Cienciafiles; wordpress.com; disponível em: https://ceiciencia.files.wordpress.com/2009/09/a-medida-do-tempo-geologico-e-a-idade-da-terra.pdf, Acessado
dia 12 de julho 2015.
• Cassio roberto da silva: cprm (planeta terra). Disponível em: http://www.cprm.gov.br/publique/media/geodiversidade_brasil.pdf , Acessado dia 12 de julho de
2015.
• Andre costa. Estratigrafia.blogspot: disponível em: http://www.ufrgs.br/paleodigital/Tempo_geologico2.html, Acessado dia 05 de julho 2015.
• Pt.Slideshare disponível em: http://pt.slideshare.net/tmar/datao-das-rochas-231441, Acessado 01 de julho 2015.
• Veridiana T. de S. Martins, Geocienciasusb: disponível em: http://www.igc.usp.br/index.php?id=304, Acessado 30 de junho de 2015.
• Fernando Brenha ribeiro. Cienciahoje.uol. Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/revista-ch-2005/221/mais-precisao-na-
datacao-geológica, Acessado dia 01 de julho 2015.
• Pt. Slideshare disponível em: http://pt.slideshare.net/isahenriques/tema-ii-o-tempo-geolgico-e-mtodos-de-datao, Acessado dia 01 de julho 2015.
• Grupoescolar disponível em: http://www.grupoescolar.com/pesquisa/a-magnitude-do-tempo-geologico.html, Acessado dia 01 de julho 2015.
30

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Estrutura interna da terra
Estrutura interna da terraEstrutura interna da terra
Estrutura interna da terra
 
Clima e tempo
Clima e tempoClima e tempo
Clima e tempo
 
Deriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placasDeriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placas
 
Movimentos das placas tectônicas
Movimentos das placas tectônicasMovimentos das placas tectônicas
Movimentos das placas tectônicas
 
Aula Geologia
Aula Geologia Aula Geologia
Aula Geologia
 
Atmosfera, tempo e fatores climáticos
Atmosfera, tempo e fatores climáticosAtmosfera, tempo e fatores climáticos
Atmosfera, tempo e fatores climáticos
 
Eras Geológicas
Eras GeológicasEras Geológicas
Eras Geológicas
 
Tipos de Rochas
Tipos de RochasTipos de Rochas
Tipos de Rochas
 
Dinâmica da terra
Dinâmica da terraDinâmica da terra
Dinâmica da terra
 
Geografia fuso horário
Geografia   fuso horárioGeografia   fuso horário
Geografia fuso horário
 
Estrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da TerraEstrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da Terra
 
Climas do-brasil
Climas do-brasilClimas do-brasil
Climas do-brasil
 
Movimentos da terra
Movimentos da terraMovimentos da terra
Movimentos da terra
 
Estrutura interna da terra
Estrutura interna da terraEstrutura interna da terra
Estrutura interna da terra
 
1 lugar, território, espaço e paisagem
1 lugar, território, espaço e paisagem1 lugar, território, espaço e paisagem
1 lugar, território, espaço e paisagem
 
Geografia - Geomorfologia e solos
Geografia - Geomorfologia e solosGeografia - Geomorfologia e solos
Geografia - Geomorfologia e solos
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Erosões
ErosõesErosões
Erosões
 
Deriva Continental E TectóNica de placas litosféricas
Deriva Continental  E TectóNica de placas litosféricasDeriva Continental  E TectóNica de placas litosféricas
Deriva Continental E TectóNica de placas litosféricas
 
Geologia do Quaternário
Geologia do QuaternárioGeologia do Quaternário
Geologia do Quaternário
 

Semelhante a A EVOLUÇÃO DA VIDA NA TERRA ATRAVÉS DO TEMPO GEOLÓGICO

Datação absoluta_Raciocínio geológico_Tempo e Mobilismo geológico V2.pdf
Datação absoluta_Raciocínio geológico_Tempo e Mobilismo geológico V2.pdfDatação absoluta_Raciocínio geológico_Tempo e Mobilismo geológico V2.pdf
Datação absoluta_Raciocínio geológico_Tempo e Mobilismo geológico V2.pdfCarinaAmorim10
 
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)Paulo Andrade
 
Tempo geológico e história da terra
Tempo geológico e história da terraTempo geológico e história da terra
Tempo geológico e história da terras1lv1alouro
 
A Estrutura Geológica.ppt
A Estrutura Geológica.pptA Estrutura Geológica.ppt
A Estrutura Geológica.pptEzziosouza
 
Geografia ii período 2014
Geografia ii período 2014Geografia ii período 2014
Geografia ii período 2014Rebeca_15
 
História da Terra
História da TerraHistória da Terra
História da TerraZé Matos
 
Geohistória - Geologia
Geohistória - GeologiaGeohistória - Geologia
Geohistória - GeologiaTinaFreitas
 
Geografia estrutura geologica
Geografia   estrutura geologicaGeografia   estrutura geologica
Geografia estrutura geologicaGustavo Soares
 
História da terra
História da terraHistória da terra
História da terrabebea1499
 
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosGeologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosWander Junior
 
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da TerraCN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra7F
 
História da Vida e da Terra
História da Vida e da TerraHistória da Vida e da Terra
História da Vida e da Terracpfss
 
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestreIECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestreprofrodrigoribeiro
 
Extinção permiano triássico
Extinção permiano triássicoExtinção permiano triássico
Extinção permiano triássicoAlexandre Queiroz
 

Semelhante a A EVOLUÇÃO DA VIDA NA TERRA ATRAVÉS DO TEMPO GEOLÓGICO (20)

A história da terra
A história da terraA história da terra
A história da terra
 
Datação absoluta_Raciocínio geológico_Tempo e Mobilismo geológico V2.pdf
Datação absoluta_Raciocínio geológico_Tempo e Mobilismo geológico V2.pdfDatação absoluta_Raciocínio geológico_Tempo e Mobilismo geológico V2.pdf
Datação absoluta_Raciocínio geológico_Tempo e Mobilismo geológico V2.pdf
 
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
 
O tempo geológico
O tempo geológicoO tempo geológico
O tempo geológico
 
Tempo geológico e história da terra
Tempo geológico e história da terraTempo geológico e história da terra
Tempo geológico e história da terra
 
A Estrutura Geológica.ppt
A Estrutura Geológica.pptA Estrutura Geológica.ppt
A Estrutura Geológica.ppt
 
Geografia ii período 2014
Geografia ii período 2014Geografia ii período 2014
Geografia ii período 2014
 
Era Paleozóica
Era PaleozóicaEra Paleozóica
Era Paleozóica
 
História da Terra
História da TerraHistória da Terra
História da Terra
 
O tempo geológico
O tempo geológicoO tempo geológico
O tempo geológico
 
Geohistória - Geologia
Geohistória - GeologiaGeohistória - Geologia
Geohistória - Geologia
 
Geografia estrutura geologica
Geografia   estrutura geologicaGeografia   estrutura geologica
Geografia estrutura geologica
 
História da terra
História da terraHistória da terra
História da terra
 
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosGeologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
 
Praia Carcavelos Alunos
Praia Carcavelos AlunosPraia Carcavelos Alunos
Praia Carcavelos Alunos
 
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da TerraCN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
 
História da Vida e da Terra
História da Vida e da TerraHistória da Vida e da Terra
História da Vida e da Terra
 
Folder meteoritica
Folder meteoriticaFolder meteoritica
Folder meteoritica
 
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestreIECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
 
Extinção permiano triássico
Extinção permiano triássicoExtinção permiano triássico
Extinção permiano triássico
 

Mais de Ezequias Guimaraes

VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...Ezequias Guimaraes
 
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSMAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSEzequias Guimaraes
 
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuGeologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuEzequias Guimaraes
 
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasA Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasEzequias Guimaraes
 
TV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishTV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishEzequias Guimaraes
 
Movie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleMovie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleEzequias Guimaraes
 
Proyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoProyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoEzequias Guimaraes
 
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAPLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAEzequias Guimaraes
 
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA Ezequias Guimaraes
 
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037Ezequias Guimaraes
 
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALMETODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALEzequias Guimaraes
 
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSCONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSEzequias Guimaraes
 
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNFundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNEzequias Guimaraes
 

Mais de Ezequias Guimaraes (20)

VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
 
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSMAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
 
Geologia de Roraima
Geologia de RoraimaGeologia de Roraima
Geologia de Roraima
 
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuGeologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
 
Interface homem-maquina
Interface  homem-maquinaInterface  homem-maquina
Interface homem-maquina
 
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasA Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
 
TV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishTV Series to improve your English
TV Series to improve your English
 
Movie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleMovie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color Purple
 
Political system of the USA
Political system of the USAPolitical system of the USA
Political system of the USA
 
TV Series Outlander
TV Series OutlanderTV Series Outlander
TV Series Outlander
 
Proyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoProyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudo
 
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
 
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAPLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
 
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
 
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
 
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALMETODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
 
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSCONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
 
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTOLICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
 
Vertederos Trapezoidales
Vertederos TrapezoidalesVertederos Trapezoidales
Vertederos Trapezoidales
 
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNFundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
 

Último

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 

Último (20)

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 

A EVOLUÇÃO DA VIDA NA TERRA ATRAVÉS DO TEMPO GEOLÓGICO

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA DISCIPLINA: GEOLOGIA GERAL Alunos: Elieltom Sousa Ezequias Guimarães Larissa abreu Nayara Alves Professora: Moeme Máximo TEMPO GEOLÓGICO BOA VISTA, RR.
  • 2. SUMÁRIO 1. Introdução.............................................................................................................. 3 1. 1 Uma questão de tempo.............................................................................................4 2. Métodos de datação...................................................................................................5 2.1 Datação relativa......................................................................................................6 2.2 Datação absoluta.....................................................................................................8 3. Escala do tempo geológico..........................................................................................10 3.1 Magnitude do tempo geológico...................................................................................12 4. Era Paleozoica....................................................................................................13 -19 5. Era Mesozoica...................................................................................................20 - 23 6. Era Cenozoica...................................................................................................24 – 26 7. Conclusão..............................................................................................................27 8. Referências......................................................................................................28 - 30 2
  • 3. 1. INTRODUÇÃO As primeiras propostas de se contar o tempo geológico foram baseadas nas escrituras bíblicas, com o passar do tempo novos métodos para realizar a datação correta começaram a surgir. A geologia histórica pôde ser definida para reconstruir a historia da terra, através dos processos geológicos que modificam a superfície terrestre e também a evolução de plantas e animais. A descoberta da radioatividade e o desenvolvimento de vários métodos de datação radiometrica forneceram um meio de obter datações absolutas comparáveis com datações relativas da historia geológica dessa forma, a história da terra pôde ser hierarquicamente segmentada em divisões para descrever o tempo geológico com unidades crescentes de tempo, as divisões geralmente aceitadas são eon, era, período, época e idade. 3
  • 4. 1.1 Uma questão de tempo... 4 Se a torre Eiffel estivesse representando a idade da terra, a película de tinta no adorno em seu pináculo representaria a parcela daquela idade pertencente ao homem; e qualquer um perceberia que era aquela película o motivo da construção da torre. Mark Twian, “Letters from the Earth” Acasta Gnaisse – Canadá Zircão detrítico - Austrália Torre Eiffel
  • 5. 2. METÓDOS DE DATAÇÃO Hutton e seus rivais
  • 6. 2.1 Datação Relativa • Príncipio da Horizontalidade (Nicolau Steno, Séc. XVII): A Deposição dos sedimentos ocorre numa posição horizontal. • Príncipio da Sobreposição: Numa sequência de estratos não deformada de rochas sedimentares o estrato mais antigo é o que se situa inferiormente. • Príncipio da Interseção: Estruturas geológicas (como intrusões magmáticas) que intersetam outras, são mais recentes do que estas. • Príncipio da Sucessão Faunística (Willian Smith): Estratos com o mesmo conteúdo fossilífero apresentam a mesma idade. • Príncipio Da Inclusão: Um fragmento incorporado num outro é mais antigo que este. 6
  • 7. 7 Príncipio Da Sobreposição Príncipio Da Interseção Príncipio Da Sucessão Faunística Príncipio da Horizontalidade Príncipio Da Inclusão
  • 8. 2.2 Datação Absoluta • Datação Radiométrica: É quando metade do isótopo-pai se transforma em isótopo-filho. 8 • O decaimento radioativo não é afetado por fenômenos químicos ou físico; • Independe de processos ou ambientes geológicos; • É a mesma no manto no magma rocha ou mineral e; • Não depende da massa do material presente. Espectrometro de massa
  • 10. 3. ESCALA DO TEMPO GEOLÓGICO
  • 11. 11 11
  • 12. 3.1 Magnitude do Tempo Geológico • EON HADEANO • EON ARQUEANO • EON PROTEROZÓICO 12 CÂMBRICO 7/8 PRECÂMBRICO • EON FANEROZÓICO 1/8
  • 14. 4.1 Cambriano (570 milhões de anos) • Vem de Cambria, que é o nome latino para Gales, onde suas rochas foram primeiramente estudadas; • Extensos mares invadindo os continentes existentes. Origem de vários filos e classes de invertebrados. Primeiros cordados. Moluscos com conchas. Abundância de trilobitas. 13 TRILOBITAS
  • 15. 4.2 Ordoviciano (510 milhões de anos) • Vem de Ordovices, que é o nome de uma antiga tribo Celta; • Clima ameno. Mares rasos. Continentes em geral com topografia plana. Glaciação no final do período. Primeiros vertebrados. Invertebrados marinhos em abundância. Primeiras plantas terrestres. 15
  • 16. 4.3 Siluriano (38 milhões de anos) • Homenageia a tribo dos Silures, que habitava uma região de Gales; • Clima ameno. Topografia em geral plana. Primeiros peixes com maxilas. Primeiros invertebrados terrestres. 16
  • 17. 4.4 Devoniano (416 milhões de anos) • As principais transformações aconteceram na flora e com o surgimento dos primeiros peixes com pulmões. Os continentes se resumiam em três (euramerica,Siberia no norte e Gondwana no sul). 17 PEIXE FLORESTA PRIMEIROS REPTÉIS
  • 18. 4.5 Carbonífero • Uma grande vegetação que originou o carvão vegetal e importantes depósitos de petróleo a flora era expressiva e consistia predominantemente de plantas vascularizadas. 17 FLORESTAS GIGANTES PANTÂNOS
  • 19. 4.6 Permiano (299 milhões de anos) • Nome originado a partir de rochas das regiões dos urais, na cidade de Perm na Rússia • As massas continentais formaram um único supercontinente o Pangeia. • Final do período marcado por grande extinção (90% das espécies marinhas e 70% das terrestres) 19 FORMAÇÃO DA PANGÉIA
  • 21. 5. 1 Triássico (250 milhões de anos) • Divisão em três camadas das rochas dessa idade na Alemanha; • Extensas áreas áridas. Primeiros dinossauros. Primeiros mamíferos. Crescimento exuberante de florestas com predomínio de coníferas. 21
  • 22. 5. 2 Jurássico (205 milhões de anos) • Estudado pela primeira vez nos montes do Jura, entre a França e a Suíça; • Clima ameno. Os níveis dos continentes são baixos com grandes áreas cobertas pelos mares. Primeiras aves. Abundância de dinossauros. Crescimento exuberante de florestas. 22
  • 23. 5.3 Cretáceo (135 milhões de anos) • Pela abundância de camadas de cré - calcário branco poroso, formado por conchas de forminífer; • Clima uniforme em todo o período. Níveis dos mares elevados. Clímax dos dinossauros e répteis marinhos, seguido da extinção destes grupos. 23
  • 25. 6.1 Terciário Caracteriza-se pelo intenso movimento da crosta terrestre originando os dobramentos modernos e cadeias montanhosas. 25 ALPES AMÉRICA DO SUL CAMPOS DE GRAMINES
  • 26. 6.2 Quaternário Teve inicio há cerca de 1 milhão de anos atrás e perdura ate os tempos atuais, as principais ocorrências nesse período foram as glaciações e o surgimento do homem. 26 ESCALA DE EVOLUÇÃO HUMANA
  • 27. 7. CONCLUSÃO Nesse trabalho mostramos como a geologia foi importante para a determinação da idade da terra e como isso revolucionou nossa concepção do tempo. A geologia foi capaz revelar a grandeza do tempo geológico e revolucionou a concepção da historia terrestre, utilizando fosseis permitiu a datação relativas das rochas e o desenvolvimento da escala de tempo geológico padronizado aceito mundialmente, através da datação obsoluta calculou a idade de minerais e rochas e pode comparar desta forma a escala de tempo geológico. 27
  • 28. 8. REFERÊNCIAS • Paleontologia: conceitos e métodos, volume 1/editar,ismar de Souza carvalho.- 3ªed.-Rio de Janeiro. • PRESS, F.; SIEVER, R.; GROTZINGER, J.; JORDAN, T. H. Para entender a Terra. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. • TEIXEIRA, W.; TOLEDO, M. C. M. de; FAIRCHILD, T. R.; TAIOLI, F. (Orgs.) Decifrando a Terra. São Paulo: Oficina de Textos, 2000. 280- 305p; • Jose Dantas. Ebah.com: Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAa0oAA/tempo-geologico?part=2 , Acessado 30 de junho de 2015. • Jose Dantas. Ebah.com: Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAa0oAA/tempo-geologico?part=2 , Acessado 30 de junho de 2015. • Margarida Garcez. Pbworks.com: disponível em: http://gracieteoliveira.pbworks.com/w/page/49838271/A%20medida%20do%20tempo%20geol%C3%B3gico%20e%20a%20idade%20da%20 Terra , Acessado dia 30 de junho 2015 • Wikipédia a enciclopédia livre: Pt.wikipedia.org: disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Data%C3%A7%C3%A3o_como_ferramenta_de_pesquisa, Acessado dia 30 de junho 2015 • Katia Mansur, Marilia barbosa: Drm-RJ (serviço geológico do estado do Rio de Janeiro) disponível em: http://www.drm.rj.gov.br/index.php/areas-de-atuacao/44-pedagogico/98-pedagogicotempo, Acessado 30 de junho 2015 • Chirley Xavier Lamana: Seção: canal escola. Disponível em: http://www.cprm.gov.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1070&sid=129, Acessado 30 de junho 2015 28
  • 29. • Mariana Bento soares. Universidade federal do rio grande do sul disponível em: http://www.ufrgs.br/paleodigital/Tempo_geologico2.html, Acessado dia 05 de julho 2015 • Modulo 2 interação homem ambiente. Unesp: disponível em: http://www.rc.unesp.br/igce/aplicada/ead/interacao/inter02.html, Acessado dia 05 de julho 2015 • Tempo Geológico. Algo sobre vestibular. Disponível em: https://www.algosobre.com.br/geografia/tempo-geologico.html, Acessado dia 07 de julho • Mariana aprile. Educação.uol disponível em: http://educacao.uol.com.br/planos-de-aula/medio/biologia-tempo-geologico.htm, Acessado dia 07 de julho • Marcos Sousa. Ebah.com. Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAMzcAD/a-magnitude-tempo-geológico, Acessado dia 07 de julho 2015 • Caio Samuel, franciscati da silva. Portal do professor.mec: disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=581, Acessado dia 07 de julho de 2015 • Wikipédia a enciclopédia livre. Pt. Wikipedia.org. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Era_geol%C3%B3gica, Acessado dia 08 de julho • Prof. Ma. Rodolfo Alves pena.brasilescola.com: disponível em: http://www.brasilescola.com/geografia/tempo-historico-tempo-geologico.htm, Acessado dia 10 de julho de 2015 • Prof. Ma. Rodolfo Alves pena: brasilescola.com: disponível em: http://www.mundoeducacao.com/geografia/escala-tempo-geologico.htm, Acessado dia 10 de julho 2015 • Ufam.edu. Disponível em: http://home.ufam.edu.br/ivaldo/Aulas/Geocronologia/A%20Escala%20do%20Tempo%20Geol%C3%B3gico%20[Modo%20de%20Compatibilidade].pdf , Acessado dia 11 de julho de 2015. • Robert frodeman.ige.unicamp: disponível em: http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/v10_1/PDF10_1/TD10-t005-Cervato.pdf, Acessado dia 11 de julho. 29
  • 30. • Geoturismobrasil: disponível em: http://www.geoturismobrasil.com/REVISTA%20ARTIGOS/o%20tempo%20geol%C3%B3gico%20-%20Manzig.pdf, Acessado dia 12 de julho 2015. • Ana Maria s. bruzzi: iga.mg: disponível em: http://www.iga.mg.gov.br/mapserv_iga/atlas/TutorialPDF/6-Geologia.pdf, Acessado em 12 de julho 2015. • Sonia hatsue tatumi.fatecsp.br: disponível em: http://bt.fatecsp.br/system/articles/39/original/1sonia.pdf, Acessado em 12 de julho 2015. • Slideshare: pt.slidshare.com: disponível em: http://pt.slideshare.net/EduardoRoman6/tempo-geologico-40227246, Acessado dia 12 de julho 2015. • Prof. Giba: mundogeografia: disponível em: http://www.mundoedu.com.br/uploads/pdf/534e3c34ef405.pdf, Acessado dia 12 de julho 2015. • Prof. Renê j. A. Macedo: univasf.edu; disponível em: http://www.univasf.edu.br/~ccinat.srn/arquivos/Aula%201%20- %20Introdu%C3%A7%C3%A3o%20%C3%A0%20Geologia.pdf, Acessado dia 12 de julho 2015. • Cienciafiles; wordpress.com; disponível em: https://ceiciencia.files.wordpress.com/2009/09/a-medida-do-tempo-geologico-e-a-idade-da-terra.pdf, Acessado dia 12 de julho 2015. • Cassio roberto da silva: cprm (planeta terra). Disponível em: http://www.cprm.gov.br/publique/media/geodiversidade_brasil.pdf , Acessado dia 12 de julho de 2015. • Andre costa. Estratigrafia.blogspot: disponível em: http://www.ufrgs.br/paleodigital/Tempo_geologico2.html, Acessado dia 05 de julho 2015. • Pt.Slideshare disponível em: http://pt.slideshare.net/tmar/datao-das-rochas-231441, Acessado 01 de julho 2015. • Veridiana T. de S. Martins, Geocienciasusb: disponível em: http://www.igc.usp.br/index.php?id=304, Acessado 30 de junho de 2015. • Fernando Brenha ribeiro. Cienciahoje.uol. Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/revista-ch-2005/221/mais-precisao-na- datacao-geológica, Acessado dia 01 de julho 2015. • Pt. Slideshare disponível em: http://pt.slideshare.net/isahenriques/tema-ii-o-tempo-geolgico-e-mtodos-de-datao, Acessado dia 01 de julho 2015. • Grupoescolar disponível em: http://www.grupoescolar.com/pesquisa/a-magnitude-do-tempo-geologico.html, Acessado dia 01 de julho 2015. 30