SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
SEMANA PEDAGÓGICA
BACURÍ –MA, FEV 2020
EDUCAÇÃO INTEGRAL:
desenvolvimento integral e a
aprendizagem.
Prof. Gilson de Sousa Oliveira, Dr
Educação Integral: "Desenvolvimento integral e
a aprendizagem".
Quem sou eu
• Pedagogo, Mestre e Doutor em Educação Brasileira (UFC);
• MBA em Gestão Estratégica de Instituições de Ensino Superior (FVJ);
• Gestão Escolar (UVA);
• Ciências Sociais e Religiosas – Inst. Mistici Corporis – Itália/Suiça;
• Professor do IFCE- Campus Baturité/CE;.
• Membro do Labor- Laboratório de Estudos da Educação profissional-
FACED/UFC;
• E-mail: prof.gilsonoliveira@hotmail.com
Conhece-se a árvore pelos frutos!
DESENVOLVIMENTO INTEGRAL E
APRENDIZAGEM
Quais são as nossas expectativas com relação a
este MOMENTO?
Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a
aprendizagem".
Objetivos
• Direito à Educação no Brasil: breves considerações;
• A função da escola na sociedade atual;
• Educação Integral: conceitos;
• Educação em tempo Integral;
• Educação integral e aprendizagem;
• Limites do atual modelo de escola pública;
• Por outro modelo de escola
PARA PENSAR...
“Há um ditado chinês que diz que,
se dois homens vêm andando por uma estrada,
cada um carregando um pão, ao se encontrarem,
eles trocam os pães;
cada um vai embora com um pão.
Porém, se dois homens vêm andando por uma
estrada, cada um carregando uma ideia, ao se
encontrarem, trocam as ideias;
cada homem vai embora com, pelo menos, duas.
Quem sabe, é esse mesmo o sentido
do nosso fazer: repartir ideias,
para todos terem pão...”
(Cortella, 1998)
MISSÃO DA EDUCAÇÃO
QUAL ESCOLA QUEREMOS/PRECIMOS
CONSTRUIR?
Educação e formação humana
Formarintegralmente o homem.
Mas, o que significa exatamente isso?
Pode-se definir esse conceito de modo a
que seja um ideal válido para todos os
tempos e lugares? Parece que não!
Então, o que significaria isso, hoje?
E como articular, hoje, a atividade
educativa com uma formaçãohumana integral?
Educação Integral: "Desenvolvimento
integral e a aprendizagem".
O que é a
Educação Integral?
Educação integral
Matrizes Históricas
"Só existirá democracia no Brasil no dia em que se
montar no país a máquina que prepara as
democracias. Essa máquina é a da escolapública".
Anísio Teixeira
Darcy Ribeiro
Os estudantes devem permanecer na escola durante
todo odia.
Oferecer a metade dessa atenção e às vezes menos
ainda a uma criança mais carente que a daqueles
países, porque afundada na pobreza e porque
recentemente urbanizada, é condená-la a fracassar
na escola e depois na vida”.
Educação integral
Matrizes Históricas
... “A essa escola verbalista, propedêutica, antidemocrática,
por isso mesmo cada vez mais superposta à sua
comunidade, oponhamos uma outra escola. [...] centrada
na comunidade e formadorade hábitos...
[...]“uma educação ambiciosamente integrada e integradora”.
Para tanto, precisa, primeiro, de tempo: tempo para se
fazer uma escola de formação de hábitos (e não de
ADESTRAMENTO para PASSAR EM EXAMES) e de hábitos de vida,
de comportamento, de trabalho e de julgamento moral e
intelectual.”
Paulo Freire
EDUCAÇÃO INTEGRAL
A Educação Integral é uma concepção
de educação definida pelo compromisso
com o desenvolvimento integral de
todos os sujeitos.
Enquanto concepção
teórica, prevê a formação
mais integrada possível do
sujeito
A EDUCAÇÃO INTEGRAL NOS MARCOS
LEGAIS
As Diretrizes Curriculares Nacionais (2013)
enunciam, em consonância coma CF/1988, coma
LDBN/1996, e com oECA/1990 que é função da
educação promovero pleno
desenvolvimento, ou desenvolvimento
integral dos sujeitos.
A EDUCAÇÃO INTEGRAL NOS MARCOS
LEGAIS
A LDBtraz em seu Art. 34 a premissa da educação integral:
A jornada escolar no ensinofundamental incluirá pelo
menos quatro horas de trabalho efetivo em sala de aula,
sendoprogressivamenteampliado o períodode
permanência na escola.
(...)
§2º O ensinofundamental será ministrado
progressivamente em tempo integral, a critério dos
sistemas de ensino.
A EDUCAÇÃO INTEGRAL NOS MARCOS
LEGAIS
O PNE traz em sua meta 6: oferecer
educação em tempo integral em,no
mínimo,50% (cinquenta por cento) das
escolas públicas, deformaa atender,
pelo menos,25% (vinte e cincopor
cento) dos(as) alunos(as) daeducação
básica.
Para superar este cenário, SEEDUC e IAS entendem que a educação necessita passar por
um processo de ressignificação
16
Ressignificação do
propósito
Ressignificação da
proposta curricular
Ressignificação das
metodologias de ensino
e aprendizagem
Ressignificação da
avaliação
Ressignificação da
escola
Educação integral, voltado para o desenvolvimento
pleno dos estudantes
Currículo integrado, que inova na forma de ensinar e introduz novos
componentes que apoiam na articulação dos conhecimentos e competências
Uso de metodologias integradoras e novas estratégias de
envolvimento do aluno que favorecem o aprendizado
Voltado para a gestão de resultados, que se apoia nos instrumentos de
avaliação para diagnóstico do aprendizado e ações de melhoria no ensino
Escola que prepara alunos para vida pessoal, cidadã e
profissional
EDUCAÇÃO INTEGRAL
O que é o desenvolvimento integral?
O conceito de
desenvolvimento integral
no contexto da educação integral
diz respeito a compreensão de
que a educação, enquanto
processo formativo, deve atuar
pelo desenvolvimento dos
indivíduos nas suas múltiplas
dimensões: física, intelectual,
social, emocional e simbólica.
Educação Integral: "Desenvolvimento integral e
a aprendizagem".
O que é o desenvolvimento integral do aluno?
• A formação integral do educando engloba todos os
esforços que a escola promove para que sejam
trabalhados os aspectos sociais, psicológicos,
pedagógicos e afetivos, enquanto a educação de tempo
integral está relacionada diretamente a quantidade de
horas que o aluno permanece no ambiente escolar,
independentemente se ele ...
Educação Integral: "Desenvolvimento integral e
a aprendizagem".
A Educação Integral:
• É uma proposta
contemporânea... alinhada as
demandas do século XXI;
• Foco a formação de sujeitos
críticos, autônomos
• É inclusiva porque reconhece a
singularidade dos sujeitos,
suas múltiplas identidades;
Educação integral
Uma proposta de Educação Integral confere
centralidade ao aluno;
Reconhece as crianças e os jovens como sujeitos de
direito;
Oportunizam tempo e espaço para a livre criação de
suas culturas e valorizam e reconhecem saberes,
fazeres e sentimentos;
O brincar é entendido como potência de crianças;
Educação integral
Os conteúdos conteúdos acadêmicos se articulam se
articulam aos saberes dos alunos e comunidades;
Pressupõe função novas formas de gestão e
organização da instituição escolar;
O currículo da Educação Integral pressupõe o acesso
do estudante a todas as áreas do conhecimento de
maneira articulada e permanente, rompendo com a
fragmentação das disciplinas
Educação integral
Ampliaçãodo tempo na escola...
Podemos definir o conceito de educação integral a partir de um
dito africano que diz que “para educar uma criança, é preciso uma aldeia
inteira.”
Zaire,RepúblicadoCongo,ÁfricaCentral
Educação integral
Como as Pessoas Aprendem?
Educação Integral: "Desenvolvimento integral e
a aprendizagem".
PRA INÍCIO DE CONVERSA
Educação nunca foi prioridade no Brasil;
Desde o início da colonização brasileira, a educação foi marcada
por uma PROFUNDA DUALIDADE, ou seja, um tipo de Educação
voltada para as classes dominantes e outro tipo para as classes
populares.
A EDUCAÇÃO
JESUÍTICA
A EDUCAÇÃO NO
PERÍODO IMPERIAL
A educação no período
Republicano
Era Vargas
A EDUCAÇÃO NOS
GOVERNOS POPULISTAS
A EDUCAÇÃO NO PERÍODO
MILITAR
EDUCAÇÃO PÓS
REDEMOCRATIZAÇÃO
DIREITO À EDUCAÇÃO NO BRASIL
perspectiva histórica
Zarpando!
Política educacional
A educação é direito?
A Constituição Federal no Capítulo III,
artigo 205, estabelece a educação como
direito de todos e dever do Estado e da
família, ingressando no ordenamento
jurídico pela norma de hierarquia superior,
motivo pelo qual a sua aplicação encontra
sujeita ao controle do direito.
Toda políticaeducacionalé
reflexodo que ocorre na
dimensão econômica, social
e políticade um país, num
determinado momento
históricoe social.
ESCOLA
Acesso limitado
Pobreza e Violência
Gravidez e Maternidade
Drogadição; Mercado de
trabalho, Etc....
A escola que sobrou para os
pobres
A escola brasileira em face de um dualismo perverso, escola de CONHECIMENTO
para os filhos dos ricos e de ACOLHIMENTO SOCIAL para s pobres
DESAFIOS DA ESCOLA BRASILEIRA
EDUCAÇÃO INTEGRAL COMO RESPOSTA
ÀS DESIGUALDADES
Sociedade Industrial
Sociedade da informação
Um mundo em transformação:
desafios para a escola
Escola
Acesso à
informações
Brincadeiras
Profissõe
s
Relações entre
pessoas
Mudança na Sociedade
Sociedade atual
Sociedade da informação (Castells, 2011)
Conhecimento no centro da vida
Sociedade reflexiva (Beck, 2006) – cada
pessoa tem de pensar e decidir a cada ação
que vai fazer
Individuação e necessidade de pertencer a
redes (Giddens)
Sociedade em rede
- Tecnologia = luz
- Novo perfil de família
- Novo perfil de estudantes
- Novo perfil docente
Nova legislação...
Novas exigências do mercado
A ESCOLA IMPACTADA
QUAL A SITUAÇÃO DA ESCOLA?
A sociedade que vivemos, a escola
que temos
QUAL A FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA?
Educação Integral: "Desenvolvimento integral e
a aprendizagem".
A escola pública universal
orientada pela perspectiva
integral da educação materializa o
direito ao desenvolvimento pleno
dos sujeitos em situação de
igualdade preconizado na CF/88 e
é condição para a própria
democracia.
Qual escola
defendemos
A escola que temos
Emancipação?
Educação Integral: “Desenvolvimento
integral e a aprendizagem".
Educação Integral: “Desenvolvimento
integral e a aprendizagem".
Educação Integral: "Desenvolvimento integral e
a aprendizagem".
Muita coisa boa a gente já faz!
Bons Predicados!
Busca por
aperfeiçoamento
Bom relacionamento
com os alunos
Uma importante dimensão formativa ligada ao
ofício docente está relacionada à socialização
de saberes e vivências entre professores.
Como anda a nossa comunhão?
Educação Integral: "Desenvolvimento
integral e a aprendizagem".
Educação Integral: "Desenvolvimento
integral e a aprendizagem".
Polêmicas e
• “Culpabilizar, os professores por todas as mazelas
da educação”; “Professores estão mal preparados para
o exercício da profissão”; Licenciatura, sim, mas
ONDE?Em universidades de pesquisa, ensino e
extensão? Qual a concepção de professor: um
técnico repassador? Ou um intelectual crítico reflexivo?
Ensinar: Um ofício muito complexo,
mas que parece fácil para as pessoas
Atualmente : revolução nos discursos, não tanto nas
práticas;
Desafios: uma profissão cada vez mais complexa
com maiores demandas...
A formação docente
Educação Integral: “Desenvolvimento
integral e a aprendizagem".
Relação entre alunos
Envolvimento das famílias
Papel dos professores
Expectativas de aprendizagem
Mudanças que precisam ocorrer na escola
em relação à:
E nós...
Como vocês gostariam que
fossem as pessoas de seu
município daqui a 20 anos?
O que ensinar hoje ...?
Qual currículo?
Qual(is) metodologia(s)
adotar?
REFLEXÃO!
“Ninguém caminha sem
aprender a caminhar, sem
aprender a fazer o caminho
caminhando, refazendo e
retocando o sonho pelo qual
se pôs a caminhar”
Paulo Freire
“Não esqueça do PRINCIPAL...”
Educação Integral: "Desenvolvimento
integral e a aprendizagem".
Conclusão
Obrigado!
Gilson.oliveira@ifce.edu.br
O perfume fica nas mãos daqueles que oferecem flores.
FRANCO, Édson. Funções do Coordenador de Curso: como “construir” o coordenador ideal. ABMES Cadernos,
Brasília, n. 8, p. 7-52, 2002.
MASETTO, Marcos Tarciso. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003.
RODRIGUES, Manuela Carvalho; FERRÃO, Luís Barata. Formação pedagógica dos formadores. 6. ed. Lisboa, Portugal:
Lidel, 2006.
SANTOS, Renato Augusto dos. Processo de mudança curricular no Ensino Superior privado: uma análise envolvendo
a definição de referenciais formativos comuns entre cursos de Licenciatura. 2013. Tese (Doutorado em Educação:
Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
SANTOS, Renato Augusto dos. Currículo, constituição do sujeito e mudança social: uma articulação que requer
interpretações multidimensionais sobre educação. Revista Educação, Guarulhos, v. 6, n. 1, p. 4-18, jun. 2011.
SANTOS, Renato Augusto dos. A atuação do coordenador de curso da Licenciatura em Matemática na formação
inicial do educador matemático. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação: Psicologia da Educação) – Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.
TARDIF, Maurice. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista Brasileira de
Educação, [S.l.], n. 13, 5-24, jan./fev./mar./abr. 2000.
REFERÊNCIAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarMaryanne Monteiro
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professorcarmemlima
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar LOCIMAR MASSALAI
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borgespdescola
 
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10QUEDMA SILVA
 
Slides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresSlides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresdriminas
 
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalhoEJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalhoprofamiriamnavarro
 
A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e ...
A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e ...A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e ...
A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e ...Ilydio Pereira de Sa
 
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento. Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento. Maria Cecilia Silva
 
SAEB 2023 Apresentação.pdf
SAEB 2023 Apresentação.pdfSAEB 2023 Apresentação.pdf
SAEB 2023 Apresentação.pdfjuscelinocdd
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professoresditadoida
 
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011Jornadel Pereira da Silva
 
Plano de Ampliação e Recomposição da Aprendizagem
Plano de Ampliação e Recomposição da AprendizagemPlano de Ampliação e Recomposição da Aprendizagem
Plano de Ampliação e Recomposição da AprendizagemGoisBemnoEnem
 
Eja slides
Eja  slidesEja  slides
Eja slideslks5
 

Mais procurados (20)

Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
 
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline VenturaEducação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
 
PROVA DE CONCURSO PÚBLICO: PROFESSOR - SÉRIES INICIAIS
PROVA DE  CONCURSO PÚBLICO: PROFESSOR - SÉRIES INICIAISPROVA DE  CONCURSO PÚBLICO: PROFESSOR - SÉRIES INICIAIS
PROVA DE CONCURSO PÚBLICO: PROFESSOR - SÉRIES INICIAIS
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
 
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
 
Slides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresSlides da reunião com professores
Slides da reunião com professores
 
Avaliações externas
Avaliações externasAvaliações externas
Avaliações externas
 
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalhoEJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
 
EJA
EJA EJA
EJA
 
A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e ...
A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e ...A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e ...
A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e ...
 
Gestão escolar
Gestão escolarGestão escolar
Gestão escolar
 
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento. Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
 
SAEB 2023 Apresentação.pdf
SAEB 2023 Apresentação.pdfSAEB 2023 Apresentação.pdf
SAEB 2023 Apresentação.pdf
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professores
 
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
 
Plano de Ampliação e Recomposição da Aprendizagem
Plano de Ampliação e Recomposição da AprendizagemPlano de Ampliação e Recomposição da Aprendizagem
Plano de Ampliação e Recomposição da Aprendizagem
 
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
Plano de ação pedagógica 2009   anandreiaPlano de ação pedagógica 2009   anandreia
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
 
Eja slides
Eja  slidesEja  slides
Eja slides
 

Semelhante a EDUCAÇÃO INTEGRAL: desenvolvimento integral e a aprendizagem. Semana Pedagógica em Bacurí - MA

Passoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoPassoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoemjmachado
 
Programa Mais Educacao
Programa Mais EducacaoPrograma Mais Educacao
Programa Mais EducacaoJackson Jara
 
Alunos Super Dotados 1
Alunos Super Dotados 1Alunos Super Dotados 1
Alunos Super Dotados 1asustecnologia
 
Mesquita: a construção de uma política pública de educação integral na Baixad...
Mesquita: a construção de uma política pública de educação integral na Baixad...Mesquita: a construção de uma política pública de educação integral na Baixad...
Mesquita: a construção de uma política pública de educação integral na Baixad...Alexandre Rocha
 
UNCME Compromisso com a Criança
UNCME   Compromisso com a CriançaUNCME   Compromisso com a Criança
UNCME Compromisso com a Criançauncmers
 
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdfARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdfARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdfARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdfSimoneHelenDrumond
 
7 ARTIGO PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA.pdf
7 ARTIGO  PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA.pdf7 ARTIGO  PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA.pdf
7 ARTIGO PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA.pdfSimoneHelenDrumond
 
Comunicação e uso de midias
Comunicação e uso de midiasComunicação e uso de midias
Comunicação e uso de midiasTecaAdri
 
O uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aulaO uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aulaEdison Paulo
 
Escolainclusiva1
Escolainclusiva1Escolainclusiva1
Escolainclusiva1Isla Campos
 
Currículo nee
Currículo neeCurrículo nee
Currículo neeSandrastos
 
Projeto educacao inclusiva2
Projeto educacao inclusiva2 Projeto educacao inclusiva2
Projeto educacao inclusiva2 Renata Louchard
 

Semelhante a EDUCAÇÃO INTEGRAL: desenvolvimento integral e a aprendizagem. Semana Pedagógica em Bacurí - MA (20)

Passoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoPassoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacao
 
Programa Mais Educacao
Programa Mais EducacaoPrograma Mais Educacao
Programa Mais Educacao
 
Passoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoPassoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacao
 
Alunos Super Dotados 1
Alunos Super Dotados 1Alunos Super Dotados 1
Alunos Super Dotados 1
 
Mesquita: a construção de uma política pública de educação integral na Baixad...
Mesquita: a construção de uma política pública de educação integral na Baixad...Mesquita: a construção de uma política pública de educação integral na Baixad...
Mesquita: a construção de uma política pública de educação integral na Baixad...
 
UNCME Compromisso com a Criança
UNCME   Compromisso com a CriançaUNCME   Compromisso com a Criança
UNCME Compromisso com a Criança
 
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdfARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
 
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdfARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
 
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdfARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
ARTIGO 2 PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA .pdf
 
7 ARTIGO PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA.pdf
7 ARTIGO  PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA.pdf7 ARTIGO  PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA.pdf
7 ARTIGO PRATICAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA.pdf
 
Ppp
PppPpp
Ppp
 
Comunicação e uso de midias
Comunicação e uso de midiasComunicação e uso de midias
Comunicação e uso de midias
 
Educação especial
Educação especialEducação especial
Educação especial
 
O uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aulaO uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aula
 
Escolainclusiva1
Escolainclusiva1Escolainclusiva1
Escolainclusiva1
 
Currículo nee
Currículo neeCurrículo nee
Currículo nee
 
A escola
A escolaA escola
A escola
 
Projeto educacao inclusiva2
Projeto educacao inclusiva2 Projeto educacao inclusiva2
Projeto educacao inclusiva2
 
Curso online unieducar educacao integral
Curso online unieducar educacao integralCurso online unieducar educacao integral
Curso online unieducar educacao integral
 
Ensino pesquisextensão
Ensino pesquisextensãoEnsino pesquisextensão
Ensino pesquisextensão
 

Último

PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 

Último (20)

PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 

EDUCAÇÃO INTEGRAL: desenvolvimento integral e a aprendizagem. Semana Pedagógica em Bacurí - MA

  • 1. SEMANA PEDAGÓGICA BACURÍ –MA, FEV 2020 EDUCAÇÃO INTEGRAL: desenvolvimento integral e a aprendizagem. Prof. Gilson de Sousa Oliveira, Dr
  • 2. Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem". Quem sou eu • Pedagogo, Mestre e Doutor em Educação Brasileira (UFC); • MBA em Gestão Estratégica de Instituições de Ensino Superior (FVJ); • Gestão Escolar (UVA); • Ciências Sociais e Religiosas – Inst. Mistici Corporis – Itália/Suiça; • Professor do IFCE- Campus Baturité/CE;. • Membro do Labor- Laboratório de Estudos da Educação profissional- FACED/UFC; • E-mail: prof.gilsonoliveira@hotmail.com
  • 3. Conhece-se a árvore pelos frutos!
  • 4. DESENVOLVIMENTO INTEGRAL E APRENDIZAGEM Quais são as nossas expectativas com relação a este MOMENTO?
  • 5. Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem". Objetivos • Direito à Educação no Brasil: breves considerações; • A função da escola na sociedade atual; • Educação Integral: conceitos; • Educação em tempo Integral; • Educação integral e aprendizagem; • Limites do atual modelo de escola pública; • Por outro modelo de escola
  • 6. PARA PENSAR... “Há um ditado chinês que diz que, se dois homens vêm andando por uma estrada, cada um carregando um pão, ao se encontrarem, eles trocam os pães; cada um vai embora com um pão. Porém, se dois homens vêm andando por uma estrada, cada um carregando uma ideia, ao se encontrarem, trocam as ideias; cada homem vai embora com, pelo menos, duas. Quem sabe, é esse mesmo o sentido do nosso fazer: repartir ideias, para todos terem pão...” (Cortella, 1998) MISSÃO DA EDUCAÇÃO
  • 8. Educação e formação humana Formarintegralmente o homem. Mas, o que significa exatamente isso? Pode-se definir esse conceito de modo a que seja um ideal válido para todos os tempos e lugares? Parece que não! Então, o que significaria isso, hoje? E como articular, hoje, a atividade educativa com uma formaçãohumana integral?
  • 9. Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem". O que é a Educação Integral?
  • 10. Educação integral Matrizes Históricas "Só existirá democracia no Brasil no dia em que se montar no país a máquina que prepara as democracias. Essa máquina é a da escolapública". Anísio Teixeira Darcy Ribeiro Os estudantes devem permanecer na escola durante todo odia. Oferecer a metade dessa atenção e às vezes menos ainda a uma criança mais carente que a daqueles países, porque afundada na pobreza e porque recentemente urbanizada, é condená-la a fracassar na escola e depois na vida”.
  • 11. Educação integral Matrizes Históricas ... “A essa escola verbalista, propedêutica, antidemocrática, por isso mesmo cada vez mais superposta à sua comunidade, oponhamos uma outra escola. [...] centrada na comunidade e formadorade hábitos... [...]“uma educação ambiciosamente integrada e integradora”. Para tanto, precisa, primeiro, de tempo: tempo para se fazer uma escola de formação de hábitos (e não de ADESTRAMENTO para PASSAR EM EXAMES) e de hábitos de vida, de comportamento, de trabalho e de julgamento moral e intelectual.” Paulo Freire
  • 12. EDUCAÇÃO INTEGRAL A Educação Integral é uma concepção de educação definida pelo compromisso com o desenvolvimento integral de todos os sujeitos. Enquanto concepção teórica, prevê a formação mais integrada possível do sujeito
  • 13. A EDUCAÇÃO INTEGRAL NOS MARCOS LEGAIS As Diretrizes Curriculares Nacionais (2013) enunciam, em consonância coma CF/1988, coma LDBN/1996, e com oECA/1990 que é função da educação promovero pleno desenvolvimento, ou desenvolvimento integral dos sujeitos.
  • 14. A EDUCAÇÃO INTEGRAL NOS MARCOS LEGAIS A LDBtraz em seu Art. 34 a premissa da educação integral: A jornada escolar no ensinofundamental incluirá pelo menos quatro horas de trabalho efetivo em sala de aula, sendoprogressivamenteampliado o períodode permanência na escola. (...) §2º O ensinofundamental será ministrado progressivamente em tempo integral, a critério dos sistemas de ensino.
  • 15. A EDUCAÇÃO INTEGRAL NOS MARCOS LEGAIS O PNE traz em sua meta 6: oferecer educação em tempo integral em,no mínimo,50% (cinquenta por cento) das escolas públicas, deformaa atender, pelo menos,25% (vinte e cincopor cento) dos(as) alunos(as) daeducação básica.
  • 16. Para superar este cenário, SEEDUC e IAS entendem que a educação necessita passar por um processo de ressignificação 16 Ressignificação do propósito Ressignificação da proposta curricular Ressignificação das metodologias de ensino e aprendizagem Ressignificação da avaliação Ressignificação da escola Educação integral, voltado para o desenvolvimento pleno dos estudantes Currículo integrado, que inova na forma de ensinar e introduz novos componentes que apoiam na articulação dos conhecimentos e competências Uso de metodologias integradoras e novas estratégias de envolvimento do aluno que favorecem o aprendizado Voltado para a gestão de resultados, que se apoia nos instrumentos de avaliação para diagnóstico do aprendizado e ações de melhoria no ensino Escola que prepara alunos para vida pessoal, cidadã e profissional EDUCAÇÃO INTEGRAL
  • 17. O que é o desenvolvimento integral? O conceito de desenvolvimento integral no contexto da educação integral diz respeito a compreensão de que a educação, enquanto processo formativo, deve atuar pelo desenvolvimento dos indivíduos nas suas múltiplas dimensões: física, intelectual, social, emocional e simbólica.
  • 18. Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem". O que é o desenvolvimento integral do aluno? • A formação integral do educando engloba todos os esforços que a escola promove para que sejam trabalhados os aspectos sociais, psicológicos, pedagógicos e afetivos, enquanto a educação de tempo integral está relacionada diretamente a quantidade de horas que o aluno permanece no ambiente escolar, independentemente se ele ...
  • 19. Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem". A Educação Integral: • É uma proposta contemporânea... alinhada as demandas do século XXI; • Foco a formação de sujeitos críticos, autônomos • É inclusiva porque reconhece a singularidade dos sujeitos, suas múltiplas identidades;
  • 20. Educação integral Uma proposta de Educação Integral confere centralidade ao aluno; Reconhece as crianças e os jovens como sujeitos de direito; Oportunizam tempo e espaço para a livre criação de suas culturas e valorizam e reconhecem saberes, fazeres e sentimentos; O brincar é entendido como potência de crianças;
  • 21. Educação integral Os conteúdos conteúdos acadêmicos se articulam se articulam aos saberes dos alunos e comunidades; Pressupõe função novas formas de gestão e organização da instituição escolar; O currículo da Educação Integral pressupõe o acesso do estudante a todas as áreas do conhecimento de maneira articulada e permanente, rompendo com a fragmentação das disciplinas
  • 22. Educação integral Ampliaçãodo tempo na escola... Podemos definir o conceito de educação integral a partir de um dito africano que diz que “para educar uma criança, é preciso uma aldeia inteira.” Zaire,RepúblicadoCongo,ÁfricaCentral
  • 23. Educação integral Como as Pessoas Aprendem?
  • 24. Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem".
  • 25. PRA INÍCIO DE CONVERSA Educação nunca foi prioridade no Brasil; Desde o início da colonização brasileira, a educação foi marcada por uma PROFUNDA DUALIDADE, ou seja, um tipo de Educação voltada para as classes dominantes e outro tipo para as classes populares.
  • 26. A EDUCAÇÃO JESUÍTICA A EDUCAÇÃO NO PERÍODO IMPERIAL A educação no período Republicano Era Vargas A EDUCAÇÃO NOS GOVERNOS POPULISTAS A EDUCAÇÃO NO PERÍODO MILITAR EDUCAÇÃO PÓS REDEMOCRATIZAÇÃO DIREITO À EDUCAÇÃO NO BRASIL perspectiva histórica
  • 27. Zarpando! Política educacional A educação é direito? A Constituição Federal no Capítulo III, artigo 205, estabelece a educação como direito de todos e dever do Estado e da família, ingressando no ordenamento jurídico pela norma de hierarquia superior, motivo pelo qual a sua aplicação encontra sujeita ao controle do direito. Toda políticaeducacionalé reflexodo que ocorre na dimensão econômica, social e políticade um país, num determinado momento históricoe social.
  • 28. ESCOLA Acesso limitado Pobreza e Violência Gravidez e Maternidade Drogadição; Mercado de trabalho, Etc.... A escola que sobrou para os pobres A escola brasileira em face de um dualismo perverso, escola de CONHECIMENTO para os filhos dos ricos e de ACOLHIMENTO SOCIAL para s pobres DESAFIOS DA ESCOLA BRASILEIRA
  • 29. EDUCAÇÃO INTEGRAL COMO RESPOSTA ÀS DESIGUALDADES
  • 30. Sociedade Industrial Sociedade da informação Um mundo em transformação: desafios para a escola
  • 32. Sociedade atual Sociedade da informação (Castells, 2011) Conhecimento no centro da vida Sociedade reflexiva (Beck, 2006) – cada pessoa tem de pensar e decidir a cada ação que vai fazer Individuação e necessidade de pertencer a redes (Giddens) Sociedade em rede
  • 33. - Tecnologia = luz - Novo perfil de família - Novo perfil de estudantes - Novo perfil docente Nova legislação... Novas exigências do mercado A ESCOLA IMPACTADA
  • 34. QUAL A SITUAÇÃO DA ESCOLA?
  • 35. A sociedade que vivemos, a escola que temos
  • 36. QUAL A FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA?
  • 37. Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem". A escola pública universal orientada pela perspectiva integral da educação materializa o direito ao desenvolvimento pleno dos sujeitos em situação de igualdade preconizado na CF/88 e é condição para a própria democracia.
  • 38. Qual escola defendemos A escola que temos Emancipação?
  • 41. Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem". Muita coisa boa a gente já faz! Bons Predicados! Busca por aperfeiçoamento Bom relacionamento com os alunos
  • 42. Uma importante dimensão formativa ligada ao ofício docente está relacionada à socialização de saberes e vivências entre professores. Como anda a nossa comunhão? Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem".
  • 43. Educação Integral: "Desenvolvimento integral e a aprendizagem". Polêmicas e • “Culpabilizar, os professores por todas as mazelas da educação”; “Professores estão mal preparados para o exercício da profissão”; Licenciatura, sim, mas ONDE?Em universidades de pesquisa, ensino e extensão? Qual a concepção de professor: um técnico repassador? Ou um intelectual crítico reflexivo?
  • 44. Ensinar: Um ofício muito complexo, mas que parece fácil para as pessoas Atualmente : revolução nos discursos, não tanto nas práticas; Desafios: uma profissão cada vez mais complexa com maiores demandas... A formação docente
  • 46. Relação entre alunos Envolvimento das famílias Papel dos professores Expectativas de aprendizagem Mudanças que precisam ocorrer na escola em relação à:
  • 47. E nós... Como vocês gostariam que fossem as pessoas de seu município daqui a 20 anos? O que ensinar hoje ...? Qual currículo? Qual(is) metodologia(s) adotar?
  • 48. REFLEXÃO! “Ninguém caminha sem aprender a caminhar, sem aprender a fazer o caminho caminhando, refazendo e retocando o sonho pelo qual se pôs a caminhar” Paulo Freire
  • 49. “Não esqueça do PRINCIPAL...”
  • 51. Conclusão Obrigado! Gilson.oliveira@ifce.edu.br O perfume fica nas mãos daqueles que oferecem flores.
  • 52. FRANCO, Édson. Funções do Coordenador de Curso: como “construir” o coordenador ideal. ABMES Cadernos, Brasília, n. 8, p. 7-52, 2002. MASETTO, Marcos Tarciso. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003. RODRIGUES, Manuela Carvalho; FERRÃO, Luís Barata. Formação pedagógica dos formadores. 6. ed. Lisboa, Portugal: Lidel, 2006. SANTOS, Renato Augusto dos. Processo de mudança curricular no Ensino Superior privado: uma análise envolvendo a definição de referenciais formativos comuns entre cursos de Licenciatura. 2013. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013. SANTOS, Renato Augusto dos. Currículo, constituição do sujeito e mudança social: uma articulação que requer interpretações multidimensionais sobre educação. Revista Educação, Guarulhos, v. 6, n. 1, p. 4-18, jun. 2011. SANTOS, Renato Augusto dos. A atuação do coordenador de curso da Licenciatura em Matemática na formação inicial do educador matemático. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação: Psicologia da Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007. TARDIF, Maurice. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista Brasileira de Educação, [S.l.], n. 13, 5-24, jan./fev./mar./abr. 2000. REFERÊNCIAS