SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
Baixar para ler offline
Prof. Alexssander Gonçalves de Lima
Homem mais alto do mundo...
Sultan Kösen (Mardin, 10 de dezembro de 1982)
é um homem turco que tem o título de homem
mais alto do mundo vivo, segundo o Guinness
World Records, com uma altura de 2,51 m (8 ft 3
in).1
O crescimento anormal de seu corpo é resultado
de um tumor que afetava sua glândula pituitária,
responsável por produzir o hormônio do
crescimento. Ele precisa usar muletas para poder
andar.2
Kösen vive com seus pais, três irmãos e uma
irmã, todos de tamanho normal. Não pôde
completar a escola por causa de sua altura e por
vezes trabalha como fazendeiro.3 Apesar de sua
altura, ele afirma desfrutar de um estilo de vida
normal e gosta de jogar jogos de computador
com seus amigos.4 Dentre as vantagens de ser
alto, ele destaca o fato de poder enxergar a uma
distância grande, ser capaz de ajudar sua família
com tarefas domésticas como trocar lâmpadas e
cortinas. Como desvantagens da altura, ele
aponta a dificuldade de achar roupas e sapatos
que caibam e a extrema dificuldade de entrar em
um carro de tamanho normal.
Kösen se submeteu a uma cirurgia com "bisturi
gama" no tumor que afeta sua hipófise na Escola
de Medicina da Universidade da Virgínia e
também toma medicamentos para controlar os
níveis excessivos de hormônio do crescimento.
Embora o efeito total do tratamento possa levar
dois anos, em 2011, seus níveis hormonais eram
quase normais.2
A importância das glândulas
 Sistema nervoso + glândulas endócrinas 
Coordenação de órgãos e tecidos.
 Hormônios:
 Substâncias químicas produzidas por glândulas e
secretadas diretamente na corrente sanguínea.
Glândulas do corpo humano
Sistema nervoso x Glândulas endócrinas
Sistema nervoso Glândulas endócrinas
Coordenação realizada por
meio de...
Impulsos nervosos Substâncias químicas (hormônios).
Resposta no órgão ou tecido-
alvo...
Geralmente mais rápida,
pois chega rapidamente
até o órgão ou tecido-
alvo.
Geralmente mais lenta, pois os hormônios precisam
atingir a corrente sanguínea, serem transportados e,
só então, chegar ao órgão ou tecido em que ocorrerá
a resposta.
Duração da resposta...
Geralmente por um curto
período de tempo.
Geralmente por um longo período de tempo; o
hormônio fica mais tempo agindo sobre o órgão ou
tecido do que o impulso elétrico; dessa maneira, a
resposta dura mais tempo.
Glândulas Endócrinas
 Produzem
hormônios;
 São secretados no
espaço entre as
células dos tecidos
e, posteriormente,
atingem a corrente
sanguínea.
Glândulas Exócrinas
 Apresentam pequenos
ductos que levam as
substâncias
produzidas para o
exterior do corpo ou
para cavidades dele.
 Não são hormônios,
pois não atuam na
coordenação de outros
órgãos e tecidos nem
são transportados pelo
sangue.
Glândulas Mistas
 Produzem
hormônios e outras
substâncias, as
quais são
transportadas por
meio de ductos.
 Também chamadas
de anfícrinas ou
mistas.
Hipófise  Localiza-se
próximo ao
hipotálamo;
 Seus hormônios
coordenam
diferentes
órgãos, inclusive
outras
glândulas;
 Conhecida como
“glândula-mestre”
ou “pituitária”;
Hipófise
HORMÔNIOS PRINCIPAIS AÇÕES
Hormônio de crescimento (GH) Estimula o crescimento e a divisão de determinadas células que compõem o
corpo humano, como as células dos ossos e dos músculos.
Hormônio estimulante da glândula tireoide
(TSH)
Estimula a produção e a secreção dos hormônios da tireoide.
Hormônio folículo-estimulante (FSH) Nas mulheres, esse hormônio age sobre os ovários, onde há produção de
gametas e outros hormônios. Nos homens, o FSH estimula a produção de
espermatozoides nos testículos.
Hormônio luteinizante (LH) Nas mulheres, esse hormônio estimula o ovário, no qual o ovócito, gameta
feminino, irá produzir determinados hormônios. No homem, o LH estimula o
desenvolvimento dos testículos e a produção de hormônios secretados por esse
órgão.
Hormônio antidiurético (ADH) O ADH age sobre os rins, nos quais estimula a reabsorção de água. Como
consequência dessa reabsorção, menor volume de urina é formado.
Prolactina Esse hormônio, com outros, estimula a produção de leite nas glândulas
mamárias.
Ocitocina Estimula a liberação do leite produzido nas glândulas mamárias. Além disso,
durante o parto normal, a ocitocina estimula as contrações do útero, necessárias
para o nascimento do bebê.
Hipófise
 Hormônio de crescimento;
 Age sobre diversos tecidos do corpo humano
 É produzido em maior quantidade durante a infância e
adolescência;
 Na fase adulta e na velhice, estimula a renovação de
células e tecidos.
 A prática de atividade física pode estimular a produção
de GH;
Gigantismo
 Excesso de GH na infância e/ou
adolescência;
 O aumento de GH após a adolescência pode
levar a acromegalia: espessamento dos ossos
das mãos, dos pés e da face;
 Além desses ossos, também podem crescer
em tamanho ou espessura: pálpebras, lábios,
língua, nariz e pele.
Gigantismo
Maurice Tillet
 Tilet nasceu na Rússia, filho de pais
franceses. Seu pai morreu quando ele era
criança, e com a Revolução, ele e a mãe
mudaram-se para a França,
estabelecendo-se em Reims. Ele era
capaz de falar quatorze idiomas, atuando
também como poeta e ator. Em 1920, aos
17 anos desenvolveu acromegalia, e
pouco tempo depois seu corpo estava
completamente deformado. Buscando
uma nova identidade que se encaixasse
com a desfiguração, Tillet mudou-se para
os Estados Unidos em 1937, onde lucrou
com sua aparência ao tornar-se
um wrestler.2
 Seu visual provou ser um grande sucesso,
e Tillet atraía um grande público para
as lutas que disputava. Em 1940, foi
consagrado campeão dos pesos-pesados
pela American Wrestling Association, e a
fama alcançada por ele levou ao
surgimento de diversos imitadores.3
 Morreu em 1954, vítima de doença
cardíaca, aos 50 anos.
Nanismo
 Ocorre quando a quantidade de GH é
muito menor do que o normal;
 Comprometimento do crescimento em
estatura e dos órgãos internos;
 Tendência de diminuição óssea e dos
músculos;
 Tratamento na infância pode levar ao
crescimento normal do paciente.
Nanismo
Jyoti Amge – 18 anos - Índia
Tireoide
 Formada por duas partes alongadas e unidas entre si.
Localiza-se na região anterior e lateral da traqueia.
 Secreta três hormônios: calcitocina, tiroxina
(conhecido como T4) e triiodotironina (conhecido
como T3)
Calcitocina
 Atua na regulação da
concentração de sais
de cálcio no sangue;
 Relaciona-se com a
formação dos ossos.
T3 e T4
 Atuam na regulação do
metabolismo do corpo.
 Estimulam várias reações
químicas em nossas
células.
 Estimulam o
crescimento e o
desenvolvimento do
organismo, em especial
do sistema nervoso.
Hipertireoidismo  Excessiva produção da
tireoide;
 Causas:
 Doenças relacionadas à
defesa do corpo;
 Aumento do hormônio
TSH
 Consequências:
 Aumento do metabolismo
(taquicardia, nervosismo,
sudorese, perda de peso
com aumento do apetite).
Hipertireoidismo
Hipotireoidismo
 Produção de hormônios
abaixo do adequado;
 Causas:
 Problemas relacionados à
defesa do corpo;
 Baixa concentração de
iodo na dieta.
 Sintomas:
 Sonolência, cansaço
excessivo, ganho de peso,
bradicardia e aumento de
colesterol no sangue.
Hipotireoidismo
Suprarrenais ou Adrenais
 Localizam-se sobre os
rins;
 Produzem e secretam
vários hormônios, como
o cortisol (atua na
regulação de reações do
metabolismo; coordena
resposta do corpo em
situações de alerta ou
stress e age como anti-
inflamatório)
 Produz a adrenalina
que, com o sistema
nervoso autônomo
(SNA) simpático,
estimula respostas que
deixam nosso corpo em
alerta: aumento da
frequência cardíaca e
respiratória, aumento da
produção de suor
(sudorese), etc.
Suprarrenais ou Adrenais
Suprarrenais ou Adrenais
Pâncreas
 É uma glândula mista
que produz suco
pancreático e
hormônios.
 Localiza-se próximo ao
estômago e tem formato
achatado.
 Principais hormônios:
glucagon e insulina.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Gravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionárioGravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionário
 
Sistema Endócrino
Sistema EndócrinoSistema Endócrino
Sistema Endócrino
 
Conceitos basicos em genetica
 Conceitos basicos em genetica Conceitos basicos em genetica
Conceitos basicos em genetica
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
 
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
 
8 ano reprodução E sistema reprodutor
8 ano reprodução E  sistema reprodutor8 ano reprodução E  sistema reprodutor
8 ano reprodução E sistema reprodutor
 
Aula sobre histologia
Aula sobre   histologiaAula sobre   histologia
Aula sobre histologia
 
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre   sistema reprodutor feminino e masculinoAula sobre   sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
 
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
Aula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrinoAula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrino
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIOII - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
 
Controle Hormonal
Controle HormonalControle Hormonal
Controle Hormonal
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoSistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor Feminino
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
Sistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humanaSistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humana
 
Sistema Muscular
Sistema MuscularSistema Muscular
Sistema Muscular
 
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
 

Destaque

Aula 2 de Histologia - Endócrino
Aula 2 de Histologia - EndócrinoAula 2 de Histologia - Endócrino
Aula 2 de Histologia - EndócrinoJulia Berardo
 
Sistema endócrino slides da aula
Sistema endócrino slides da aulaSistema endócrino slides da aula
Sistema endócrino slides da aulaFabiano Reis
 
Sistema endócrino reprodução
Sistema endócrino   reproduçãoSistema endócrino   reprodução
Sistema endócrino reproduçãovknm12345
 
Resumo das Glândulas Endócrinas
Resumo das Glândulas EndócrinasResumo das Glândulas Endócrinas
Resumo das Glândulas EndócrinasUFRN
 
Sistema Endocrino
Sistema EndocrinoSistema Endocrino
Sistema EndocrinoTess Ruiz
 
Sistema endocrino 7°
Sistema endocrino 7°Sistema endocrino 7°
Sistema endocrino 7°Rosmakoch
 
Nervi cranici
Nervi craniciNervi cranici
Nervi craniciDario
 
Sistema nervoso ed endocrino
Sistema nervoso ed endocrinoSistema nervoso ed endocrino
Sistema nervoso ed endocrinoGianni Locatelli
 
Sistema Endócrino - Prof. Arlei
Sistema Endócrino - Prof. ArleiSistema Endócrino - Prof. Arlei
Sistema Endócrino - Prof. ArleiCarmina Monteiro
 
HISTOLOGIA esquema Sistema endocrino
HISTOLOGIA  esquema Sistema endocrinoHISTOLOGIA  esquema Sistema endocrino
HISTOLOGIA esquema Sistema endocrinoDaniel Cruz
 
Fisiologia - Sistema Endócrino 1
Fisiologia - Sistema Endócrino 1Fisiologia - Sistema Endócrino 1
Fisiologia - Sistema Endócrino 1Pedro Miguel
 
Sistema Hormonal
Sistema HormonalSistema Hormonal
Sistema Hormonalmarco :)
 
Por 4 fisiolo
Por 4 fisioloPor 4 fisiolo
Por 4 fisioloyejosefi
 

Destaque (20)

Aula 2 de Histologia - Endócrino
Aula 2 de Histologia - EndócrinoAula 2 de Histologia - Endócrino
Aula 2 de Histologia - Endócrino
 
Glândulas endócrinas
Glândulas endócrinasGlândulas endócrinas
Glândulas endócrinas
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
Sistema endocrino
Sistema endocrinoSistema endocrino
Sistema endocrino
 
Glândulas do ser humano
Glândulas do ser humanoGlândulas do ser humano
Glândulas do ser humano
 
Glândulas endócrinas
Glândulas endócrinasGlândulas endócrinas
Glândulas endócrinas
 
Hipófise
HipófiseHipófise
Hipófise
 
Sistema endócrino slides da aula
Sistema endócrino slides da aulaSistema endócrino slides da aula
Sistema endócrino slides da aula
 
Sistema endócrino reprodução
Sistema endócrino   reproduçãoSistema endócrino   reprodução
Sistema endócrino reprodução
 
Resumo das Glândulas Endócrinas
Resumo das Glândulas EndócrinasResumo das Glândulas Endócrinas
Resumo das Glândulas Endócrinas
 
Sistema Endocrino
Sistema EndocrinoSistema Endocrino
Sistema Endocrino
 
Sistema endocrino 7°
Sistema endocrino 7°Sistema endocrino 7°
Sistema endocrino 7°
 
Nervi cranici
Nervi craniciNervi cranici
Nervi cranici
 
Sistema nervoso ed endocrino
Sistema nervoso ed endocrinoSistema nervoso ed endocrino
Sistema nervoso ed endocrino
 
Sistema Endócrino - Prof. Arlei
Sistema Endócrino - Prof. ArleiSistema Endócrino - Prof. Arlei
Sistema Endócrino - Prof. Arlei
 
Anatomia Endocrino
Anatomia EndocrinoAnatomia Endocrino
Anatomia Endocrino
 
HISTOLOGIA esquema Sistema endocrino
HISTOLOGIA  esquema Sistema endocrinoHISTOLOGIA  esquema Sistema endocrino
HISTOLOGIA esquema Sistema endocrino
 
Fisiologia - Sistema Endócrino 1
Fisiologia - Sistema Endócrino 1Fisiologia - Sistema Endócrino 1
Fisiologia - Sistema Endócrino 1
 
Sistema Hormonal
Sistema HormonalSistema Hormonal
Sistema Hormonal
 
Por 4 fisiolo
Por 4 fisioloPor 4 fisiolo
Por 4 fisiolo
 

Semelhante a GLÂNDULAS ENDÓCRINAS

Sistema Endócrino.pptxkkkkkkkkkkkkkkkkk
Sistema Endócrino.pptxkkkkkkkkkkkkkkkkkSistema Endócrino.pptxkkkkkkkkkkkkkkkkk
Sistema Endócrino.pptxkkkkkkkkkkkkkkkkkBruceCosta5
 
Sistema EndóCrino
Sistema EndóCrinoSistema EndóCrino
Sistema EndóCrinoguestdb5b7a
 
Hormônios trabalho de biologia
Hormônios   trabalho de biologiaHormônios   trabalho de biologia
Hormônios trabalho de biologiaIngrid Curcino
 
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINOCONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINOPatrícia Trindade
 
01 Sistema Hormonal Tc 0809
01 Sistema Hormonal Tc 080901 Sistema Hormonal Tc 0809
01 Sistema Hormonal Tc 0809Teresa Monteiro
 
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizadoAula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizadoHamilton Nobrega
 
12 sistema endócrino
12 sistema endócrino12 sistema endócrino
12 sistema endócrinoErcio Novaes
 
Sistema Endocrino
Sistema EndocrinoSistema Endocrino
Sistema EndocrinoDigux
 
O que e endocrinologia
O que e  endocrinologiaO que e  endocrinologia
O que e endocrinologiaTookmed
 
Sistema endócrino hormônios humanos
Sistema endócrino   hormônios humanosSistema endócrino   hormônios humanos
Sistema endócrino hormônios humanospaulober
 
Apres. hormonios e glandulas resumo
Apres. hormonios e glandulas resumoApres. hormonios e glandulas resumo
Apres. hormonios e glandulas resumolarissaGuima
 
antioxidantes.pdf slide aula de bioquímica
antioxidantes.pdf slide aula de bioquímicaantioxidantes.pdf slide aula de bioquímica
antioxidantes.pdf slide aula de bioquímicaTamires73
 
Glândulas e hormônios
Glândulas e hormôniosGlândulas e hormônios
Glândulas e hormôniosSâmara Mends
 

Semelhante a GLÂNDULAS ENDÓCRINAS (20)

Sistema Endócrino
Sistema EndócrinoSistema Endócrino
Sistema Endócrino
 
Sistema endocrino 8ano
Sistema endocrino 8anoSistema endocrino 8ano
Sistema endocrino 8ano
 
Sistema Endócrino.pptxkkkkkkkkkkkkkkkkk
Sistema Endócrino.pptxkkkkkkkkkkkkkkkkkSistema Endócrino.pptxkkkkkkkkkkkkkkkkk
Sistema Endócrino.pptxkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
Sistema EndóCrino
Sistema EndóCrinoSistema EndóCrino
Sistema EndóCrino
 
Resumo anatomia
Resumo anatomiaResumo anatomia
Resumo anatomia
 
Hormônios trabalho de biologia
Hormônios   trabalho de biologiaHormônios   trabalho de biologia
Hormônios trabalho de biologia
 
Obesidade abdominal
Obesidade abdominal Obesidade abdominal
Obesidade abdominal
 
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINOCONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
 
01 Sistema Hormonal Tc 0809
01 Sistema Hormonal Tc 080901 Sistema Hormonal Tc 0809
01 Sistema Hormonal Tc 0809
 
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizadoAula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
 
Sistema Endocrino
Sistema EndocrinoSistema Endocrino
Sistema Endocrino
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
12 sistema endócrino
12 sistema endócrino12 sistema endócrino
12 sistema endócrino
 
Sistema Endocrino
Sistema EndocrinoSistema Endocrino
Sistema Endocrino
 
O que e endocrinologia
O que e  endocrinologiaO que e  endocrinologia
O que e endocrinologia
 
Sistema endócrino hormônios humanos
Sistema endócrino   hormônios humanosSistema endócrino   hormônios humanos
Sistema endócrino hormônios humanos
 
Apres. hormonios e glandulas resumo
Apres. hormonios e glandulas resumoApres. hormonios e glandulas resumo
Apres. hormonios e glandulas resumo
 
antioxidantes.pdf slide aula de bioquímica
antioxidantes.pdf slide aula de bioquímicaantioxidantes.pdf slide aula de bioquímica
antioxidantes.pdf slide aula de bioquímica
 
PDF de biologia (1).pdf
PDF de biologia (1).pdfPDF de biologia (1).pdf
PDF de biologia (1).pdf
 
Glândulas e hormônios
Glândulas e hormôniosGlândulas e hormônios
Glândulas e hormônios
 

Mais de Alexssander Gonçalves de Lima (9)

REINO PROTOCTISTA
REINO PROTOCTISTAREINO PROTOCTISTA
REINO PROTOCTISTA
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO
SISTEMA RESPIRATÓRIOSISTEMA RESPIRATÓRIO
SISTEMA RESPIRATÓRIO
 
REINO FUNGI
REINO FUNGIREINO FUNGI
REINO FUNGI
 
Desenv.humano no período escolar
Desenv.humano no período escolarDesenv.humano no período escolar
Desenv.humano no período escolar
 
CFO BMMG - BIOLOGIA AULA 01
CFO BMMG - BIOLOGIA AULA 01CFO BMMG - BIOLOGIA AULA 01
CFO BMMG - BIOLOGIA AULA 01
 
SISTEMAS REPRODUTIVOS
SISTEMAS REPRODUTIVOSSISTEMAS REPRODUTIVOS
SISTEMAS REPRODUTIVOS
 
CFO BMMG - BIOLOGIA / AULA 01
CFO BMMG - BIOLOGIA / AULA 01CFO BMMG - BIOLOGIA / AULA 01
CFO BMMG - BIOLOGIA / AULA 01
 
PORÍFEROS
PORÍFEROSPORÍFEROS
PORÍFEROS
 
CFO-BMMG/2016 - AULA 01
CFO-BMMG/2016 - AULA 01CFO-BMMG/2016 - AULA 01
CFO-BMMG/2016 - AULA 01
 

Último

As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 

Último (20)

As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 

GLÂNDULAS ENDÓCRINAS

  • 2. Homem mais alto do mundo... Sultan Kösen (Mardin, 10 de dezembro de 1982) é um homem turco que tem o título de homem mais alto do mundo vivo, segundo o Guinness World Records, com uma altura de 2,51 m (8 ft 3 in).1 O crescimento anormal de seu corpo é resultado de um tumor que afetava sua glândula pituitária, responsável por produzir o hormônio do crescimento. Ele precisa usar muletas para poder andar.2 Kösen vive com seus pais, três irmãos e uma irmã, todos de tamanho normal. Não pôde completar a escola por causa de sua altura e por vezes trabalha como fazendeiro.3 Apesar de sua altura, ele afirma desfrutar de um estilo de vida normal e gosta de jogar jogos de computador com seus amigos.4 Dentre as vantagens de ser alto, ele destaca o fato de poder enxergar a uma distância grande, ser capaz de ajudar sua família com tarefas domésticas como trocar lâmpadas e cortinas. Como desvantagens da altura, ele aponta a dificuldade de achar roupas e sapatos que caibam e a extrema dificuldade de entrar em um carro de tamanho normal. Kösen se submeteu a uma cirurgia com "bisturi gama" no tumor que afeta sua hipófise na Escola de Medicina da Universidade da Virgínia e também toma medicamentos para controlar os níveis excessivos de hormônio do crescimento. Embora o efeito total do tratamento possa levar dois anos, em 2011, seus níveis hormonais eram quase normais.2
  • 3. A importância das glândulas  Sistema nervoso + glândulas endócrinas  Coordenação de órgãos e tecidos.  Hormônios:  Substâncias químicas produzidas por glândulas e secretadas diretamente na corrente sanguínea.
  • 5. Sistema nervoso x Glândulas endócrinas Sistema nervoso Glândulas endócrinas Coordenação realizada por meio de... Impulsos nervosos Substâncias químicas (hormônios). Resposta no órgão ou tecido- alvo... Geralmente mais rápida, pois chega rapidamente até o órgão ou tecido- alvo. Geralmente mais lenta, pois os hormônios precisam atingir a corrente sanguínea, serem transportados e, só então, chegar ao órgão ou tecido em que ocorrerá a resposta. Duração da resposta... Geralmente por um curto período de tempo. Geralmente por um longo período de tempo; o hormônio fica mais tempo agindo sobre o órgão ou tecido do que o impulso elétrico; dessa maneira, a resposta dura mais tempo.
  • 6. Glândulas Endócrinas  Produzem hormônios;  São secretados no espaço entre as células dos tecidos e, posteriormente, atingem a corrente sanguínea.
  • 7. Glândulas Exócrinas  Apresentam pequenos ductos que levam as substâncias produzidas para o exterior do corpo ou para cavidades dele.  Não são hormônios, pois não atuam na coordenação de outros órgãos e tecidos nem são transportados pelo sangue.
  • 8. Glândulas Mistas  Produzem hormônios e outras substâncias, as quais são transportadas por meio de ductos.  Também chamadas de anfícrinas ou mistas.
  • 9.
  • 10. Hipófise  Localiza-se próximo ao hipotálamo;  Seus hormônios coordenam diferentes órgãos, inclusive outras glândulas;  Conhecida como “glândula-mestre” ou “pituitária”;
  • 11. Hipófise HORMÔNIOS PRINCIPAIS AÇÕES Hormônio de crescimento (GH) Estimula o crescimento e a divisão de determinadas células que compõem o corpo humano, como as células dos ossos e dos músculos. Hormônio estimulante da glândula tireoide (TSH) Estimula a produção e a secreção dos hormônios da tireoide. Hormônio folículo-estimulante (FSH) Nas mulheres, esse hormônio age sobre os ovários, onde há produção de gametas e outros hormônios. Nos homens, o FSH estimula a produção de espermatozoides nos testículos. Hormônio luteinizante (LH) Nas mulheres, esse hormônio estimula o ovário, no qual o ovócito, gameta feminino, irá produzir determinados hormônios. No homem, o LH estimula o desenvolvimento dos testículos e a produção de hormônios secretados por esse órgão. Hormônio antidiurético (ADH) O ADH age sobre os rins, nos quais estimula a reabsorção de água. Como consequência dessa reabsorção, menor volume de urina é formado. Prolactina Esse hormônio, com outros, estimula a produção de leite nas glândulas mamárias. Ocitocina Estimula a liberação do leite produzido nas glândulas mamárias. Além disso, durante o parto normal, a ocitocina estimula as contrações do útero, necessárias para o nascimento do bebê.
  • 12. Hipófise  Hormônio de crescimento;  Age sobre diversos tecidos do corpo humano  É produzido em maior quantidade durante a infância e adolescência;  Na fase adulta e na velhice, estimula a renovação de células e tecidos.  A prática de atividade física pode estimular a produção de GH;
  • 13. Gigantismo  Excesso de GH na infância e/ou adolescência;  O aumento de GH após a adolescência pode levar a acromegalia: espessamento dos ossos das mãos, dos pés e da face;  Além desses ossos, também podem crescer em tamanho ou espessura: pálpebras, lábios, língua, nariz e pele.
  • 15. Maurice Tillet  Tilet nasceu na Rússia, filho de pais franceses. Seu pai morreu quando ele era criança, e com a Revolução, ele e a mãe mudaram-se para a França, estabelecendo-se em Reims. Ele era capaz de falar quatorze idiomas, atuando também como poeta e ator. Em 1920, aos 17 anos desenvolveu acromegalia, e pouco tempo depois seu corpo estava completamente deformado. Buscando uma nova identidade que se encaixasse com a desfiguração, Tillet mudou-se para os Estados Unidos em 1937, onde lucrou com sua aparência ao tornar-se um wrestler.2  Seu visual provou ser um grande sucesso, e Tillet atraía um grande público para as lutas que disputava. Em 1940, foi consagrado campeão dos pesos-pesados pela American Wrestling Association, e a fama alcançada por ele levou ao surgimento de diversos imitadores.3  Morreu em 1954, vítima de doença cardíaca, aos 50 anos.
  • 16.
  • 17. Nanismo  Ocorre quando a quantidade de GH é muito menor do que o normal;  Comprometimento do crescimento em estatura e dos órgãos internos;  Tendência de diminuição óssea e dos músculos;  Tratamento na infância pode levar ao crescimento normal do paciente.
  • 19. Jyoti Amge – 18 anos - Índia
  • 20. Tireoide  Formada por duas partes alongadas e unidas entre si. Localiza-se na região anterior e lateral da traqueia.  Secreta três hormônios: calcitocina, tiroxina (conhecido como T4) e triiodotironina (conhecido como T3)
  • 21. Calcitocina  Atua na regulação da concentração de sais de cálcio no sangue;  Relaciona-se com a formação dos ossos.
  • 22. T3 e T4  Atuam na regulação do metabolismo do corpo.  Estimulam várias reações químicas em nossas células.  Estimulam o crescimento e o desenvolvimento do organismo, em especial do sistema nervoso.
  • 23. Hipertireoidismo  Excessiva produção da tireoide;  Causas:  Doenças relacionadas à defesa do corpo;  Aumento do hormônio TSH  Consequências:  Aumento do metabolismo (taquicardia, nervosismo, sudorese, perda de peso com aumento do apetite).
  • 25. Hipotireoidismo  Produção de hormônios abaixo do adequado;  Causas:  Problemas relacionados à defesa do corpo;  Baixa concentração de iodo na dieta.  Sintomas:  Sonolência, cansaço excessivo, ganho de peso, bradicardia e aumento de colesterol no sangue.
  • 27. Suprarrenais ou Adrenais  Localizam-se sobre os rins;  Produzem e secretam vários hormônios, como o cortisol (atua na regulação de reações do metabolismo; coordena resposta do corpo em situações de alerta ou stress e age como anti- inflamatório)  Produz a adrenalina que, com o sistema nervoso autônomo (SNA) simpático, estimula respostas que deixam nosso corpo em alerta: aumento da frequência cardíaca e respiratória, aumento da produção de suor (sudorese), etc.
  • 30. Pâncreas  É uma glândula mista que produz suco pancreático e hormônios.  Localiza-se próximo ao estômago e tem formato achatado.  Principais hormônios: glucagon e insulina.