SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 48
Processos fundamentais da fisiologia
celular: respiração, fotossíntese, síntese
protéica e divisão celular – mitose e
meiose.
Prof. Alexssander Gonçalves de Lima
ag.lima@hotmail.com
PROCESSOS ENERGÉTICOS CELULARES
 Energia: “a capacidade de um corpo ou um sistema
de realizar trabalho.
 Modalidades de energia: cinética (movimento);
elétrica, térmica, química, luminosa...
 Lei da Conservação da Energia: A energia não pode
ser criada ou destruída, mas apenas transferida de um
sistema a outro, ou, ainda, transformada de um tipo em
outro.
 Unidade de Energia (SI): joule (J) ou caloria (cal).
ENERGIA QUÍMICA:
A ENERGIA “ESCONDIDA”
ENERGIA QUÍMICA: A ENERGIA “ESCONDIDA”
A célula necessita, para
produzir energia, de oxigênio e
de nutrientes.
Na respiração celular a célula
utiliza o oxigênio e liberta
energia contida nos nutrientes,
produzindo dióxido de carbono,
vapor de água e outros produtos
tóxicos .
TIPOS DE REAÇÕES NOS SERES VIVOS
 Reações exotérmicas: reações que LIBERAM
ENERGIA.
 Ex.: Fermentação e Respiração.
 Reações endotérmicas: reações que
ABSORVEM ENERGIA.
 Ex.: Fotossíntese.
RESPIRAÇÃO CELULAR
 Nas células, os alimentos orgânicos (ex.: glicose)
são oxidados, liberando energia necessária às
atividades vitais.
 Energia: armazenada em compostos químicos,
como o ATP (adenosina trifosfato).
 Processo aeróbio, ou seja, utiliza-se o oxigênio livre
(presença de O2).
 Ocorre no citoplasma celular (glicólise) e nas
mitocôndrias (ciclo de Krebs e cadeia
respiratória).
MITOCÔNDRIA
MITOCÔNDRIA
http://bioworldifrn.blogspot.com.br/2012/02/respiracao-celular.html
MITOCÔNDRIA
 Formada por 2 membranas.
 Membrana externa é lisa e controla a entrada/saída
de substâncias da organela.
 Membrana interna contém inúmeras pregas
chamadas cristas mitocondriais, onde ocorre a
cadeia transportadora de elétrons.
 Cavidade interna é preenchida por uma matriz
viscosa, onde podemos encontrar várias enzimas
envolvidas com a respiração celular, DNA, RNA e
pequenos ribossomos. É nessa matriz mitocondrial
que ocorre o ciclo de Krebs.
RESPIRAÇÃO CELULAR
A equação geral da respiração de
acordo com dados recentes é:
RESPIRAÇÃO CELULAR
RESPIRAÇÃO CELULAR
 A respiração celular pode ser dividida em 3 etapas:
PROCESSOS
LOCAL DE
OCORRÊNCIA
A. Glicólise Citoplasma/Hialoplasma
B. Ciclo de Krebs Matriz Mitocondrial
C. Cadeia Respiratória Cristas Mitocondriais
GLICÓLISE
 Quebra da glicose em duas moléculas de ácido pirúvico
(piruvato) + NADH + ATP
GLICÓLISE
• Após a formação dos ácidos pirúvicos eles entram na
mitocôndria, sendo atacados então por desidrogenases e
descarboxilases.
• Logo, são liberados CO2, que são liberados pela célula e
hidrogênios que são capturados pelo NAD.
• O acetil formado combina-se com a Co-enzima A (Co-A)
e a nova molécula (Acetil-CoA) começa o ciclo de Krebs.
Coenzima A
Ciclo de Krebs
Ocorre na matriz mitocondrial.
Todo carbono responsável pela
formação do acetil é degradado em
CO2 que é então liberado pela
célula, caindo na corrente
sanguínea.
Ciclo de Krebs
São liberados vários hidrogênios, que
são então capturados pelos NAD e FAD,
transformando-se em NADH2 e
FADH2.
Ocorre também liberação de energia
resultando na formação de ATP .
Ciclo de Krebs
Cadeia Transportadora de Elétrons
 ocorre nas cristas mitocondriais.
 Também chamado de Fosforilação
Oxidativa.
 É um sistema de transferência de elétrons
provenientes do NADH2 e FADH2 até a
molécula de oxigênio.
Cadeia Transportadora de Elétrons
 Os elétrons são passados de molécula para
molécula presente nas cristas mitocondriais
chamados CITOCROMOS.
 Quando o elétron “pula” de um citocromo
para outro até chegar no aceptor final (o
oxigênio), ocorre liberação de energia que é
convertida em ATP.
Cadeia Transportadora de Elétrons
Resumindo: a Respiração Celular...
FOTOSSÍNTESE
 Processo celular pelo qual a maioria dos seres
autótrofos produz substâncias orgânicas, ou seja, seu
próprio alimento.
 Ocorre nos CLOROPLASTOS (com clorofila).
 A equação geral da fotossíntese pode ser assim
descrita:
FOTOSSÍNTESE
 Quem são os seres vivos que fazem fotossíntese?
PLANTAS, ALGAS e CIANOBACTÉRIAS.
 A fotossíntese pode ser dividida em 2 etapas
básicas:
 Etapa fotoquímica (reações de claro);
 Etapa puramente química (reações de escuro).
FOTOSSÍNTESE
3. FOTOSSÍNTESE
ETAPAS REAÇÕES QUÍMICAS
Etapa fotoquímica
(reações de claro)
1. Fosforilação e
produção de ATP
2. Fotólise da água
Etapa puramente química
(reações de escuro)
1. Ciclo das pentoses
(Ciclo de Calvin-
Benson)
Resumindo: a Fotossíntese...
FERMENTAÇÃO
 1861: o francês Pasteur demonstrou a existência de
microorganismos (FUNGOS E BACTÉRIAS) que
podem viver em ausência absoluta de oxigênio
livre.
 Mas como esses organismos obtém energia?
Degradando/desdobrando parcialmente
substâncias orgânicas do alimento, originando
assim moléculas menores.
OBS.1: A energia é armazenada na forma de ATP;
OBS.2: Nossas próprias células também fazem
fermentação, na ausência do gás oxigênio.
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA
 Realizado industrialmente pelo fungo (levedura)
Saccharomyces cerevisiae na fabricação de
bebidas alcoólicas e pão (CO2).
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA
FERMENTAÇÃO LÁCTICA
 Realizada por bactérias do gênero Lactobacillus
que fermentam o leite, produzindo laticínios
(queijo, coalhada, iogurte).
FERMENTAÇÃO LÁCTICA
ESQUEMA GERAL DA FERMENTAÇÃO
Resumindo: a Fermentação...
•Fotossíntese sintética
•Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2011/04/fotossintese-
sintetica
•Fermentação
•Disponível em: www.simbiotica.org/fermentacao.htm
•Fotossíntese
•Disponível em: www.simbiotica.org/fotossintese.htm
EXERCÍCIOS...
2011 – PROVA CFO BMMG
2009 – PROVA Sd BMMG
2008 – PROVA CFO BMMG
2004 – PROVA CFO BMMG

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoRafael Maciel
 
RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos Fábio Vasconcelos
 
15º Encontro de Crisma - Nascimento e Batismo de Jesus
15º Encontro de Crisma -  Nascimento e Batismo de Jesus15º Encontro de Crisma -  Nascimento e Batismo de Jesus
15º Encontro de Crisma - Nascimento e Batismo de JesusCatequese Anjos dos Céus
 
Programação I Retiro da Crisma 2011
Programação I Retiro da Crisma 2011Programação I Retiro da Crisma 2011
Programação I Retiro da Crisma 2011garzella
 
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciaçãoCatequese Anjos dos Céus
 
CNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação práticaCNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação práticaIRINEU FILHO
 
RELATÓRIO SEMESTRAL | JAN / JUN - 18 | Ministério MISSÕES IDE
RELATÓRIO SEMESTRAL | JAN / JUN - 18 | Ministério MISSÕES IDERELATÓRIO SEMESTRAL | JAN / JUN - 18 | Ministério MISSÕES IDE
RELATÓRIO SEMESTRAL | JAN / JUN - 18 | Ministério MISSÕES IDEJessé Lopes
 
A ultima-pascoa macarthur
A ultima-pascoa macarthurA ultima-pascoa macarthur
A ultima-pascoa macarthurDaladier Lima
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeFábio Vasconcelos
 
Planejamento ministerio de crianças e juniores
Planejamento ministerio de crianças e junioresPlanejamento ministerio de crianças e juniores
Planejamento ministerio de crianças e junioresGrazy P
 
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenalUma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenalIRINEU FILHO
 
Leitura orante dos discípulos de emaús
Leitura orante dos discípulos de emaúsLeitura orante dos discípulos de emaús
Leitura orante dos discípulos de emaúsLiana Plentz
 
Discurso de abertura para festividade de jovens
Discurso de abertura para festividade de jovensDiscurso de abertura para festividade de jovens
Discurso de abertura para festividade de jovensAmor pela EBD
 
Aqui tem jovem, aqui tem fogo! (MJ Minas Gerais)
Aqui tem jovem, aqui tem fogo! (MJ Minas Gerais)Aqui tem jovem, aqui tem fogo! (MJ Minas Gerais)
Aqui tem jovem, aqui tem fogo! (MJ Minas Gerais)Isaac Marcos
 

Mais procurados (20)

Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
 
RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos
 
15º Encontro de Crisma - Nascimento e Batismo de Jesus
15º Encontro de Crisma -  Nascimento e Batismo de Jesus15º Encontro de Crisma -  Nascimento e Batismo de Jesus
15º Encontro de Crisma - Nascimento e Batismo de Jesus
 
Encontro com Catequistas
Encontro com CatequistasEncontro com Catequistas
Encontro com Catequistas
 
formação para catequistas
formação para catequistasformação para catequistas
formação para catequistas
 
Culto especial 80 anos. 2008
Culto especial 80 anos. 2008Culto especial 80 anos. 2008
Culto especial 80 anos. 2008
 
Programação I Retiro da Crisma 2011
Programação I Retiro da Crisma 2011Programação I Retiro da Crisma 2011
Programação I Retiro da Crisma 2011
 
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
 
CNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação práticaCNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação prática
 
RELATÓRIO SEMESTRAL | JAN / JUN - 18 | Ministério MISSÕES IDE
RELATÓRIO SEMESTRAL | JAN / JUN - 18 | Ministério MISSÕES IDERELATÓRIO SEMESTRAL | JAN / JUN - 18 | Ministério MISSÕES IDE
RELATÓRIO SEMESTRAL | JAN / JUN - 18 | Ministério MISSÕES IDE
 
A ultima-pascoa macarthur
A ultima-pascoa macarthurA ultima-pascoa macarthur
A ultima-pascoa macarthur
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
 
Planejamento ministerio de crianças e juniores
Planejamento ministerio de crianças e junioresPlanejamento ministerio de crianças e juniores
Planejamento ministerio de crianças e juniores
 
A Santa Missa
A Santa MissaA Santa Missa
A Santa Missa
 
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenalUma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
 
Leitura orante dos discípulos de emaús
Leitura orante dos discípulos de emaúsLeitura orante dos discípulos de emaús
Leitura orante dos discípulos de emaús
 
Discurso de abertura para festividade de jovens
Discurso de abertura para festividade de jovensDiscurso de abertura para festividade de jovens
Discurso de abertura para festividade de jovens
 
Maria
MariaMaria
Maria
 
Aqui tem jovem, aqui tem fogo! (MJ Minas Gerais)
Aqui tem jovem, aqui tem fogo! (MJ Minas Gerais)Aqui tem jovem, aqui tem fogo! (MJ Minas Gerais)
Aqui tem jovem, aqui tem fogo! (MJ Minas Gerais)
 
Planejamento catequese 2010
Planejamento catequese 2010Planejamento catequese 2010
Planejamento catequese 2010
 

Semelhante a CFO BMMG - BIOLOGIA / AULA 01

Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das célulasMetabolismo energético das células
Metabolismo energético das célulasFelipe Machado
 
Tema 3 biologia pdf
Tema 3   biologia pdfTema 3   biologia pdf
Tema 3 biologia pdfSilvia Couto
 
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escuraAula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escuraMiriamDantzger1
 
Metab energético unidade 1 módulo 2
Metab energético unidade 1 módulo 2Metab energético unidade 1 módulo 2
Metab energético unidade 1 módulo 2César Milani
 
Metabolismo celular
Metabolismo celularMetabolismo celular
Metabolismo celularURCA
 
Módulo a3.3 obtenção de energia
Módulo a3.3   obtenção de energiaMódulo a3.3   obtenção de energia
Módulo a3.3 obtenção de energiaLeonor Vaz Pereira
 
bioquimica basica em nutrição_alimentos.pdf
bioquimica basica em nutrição_alimentos.pdfbioquimica basica em nutrição_alimentos.pdf
bioquimica basica em nutrição_alimentos.pdfCarolineGalindo10
 
Plastos e mitocondrias 5 a
Plastos e mitocondrias 5 aPlastos e mitocondrias 5 a
Plastos e mitocondrias 5 aCésar Milani
 
Transformação e utilização da energia
Transformação e utilização da energiaTransformação e utilização da energia
Transformação e utilização da energiaspondias
 
(8) biologia e geologia 10º ano - obtenção de energia
(8) biologia e geologia   10º ano - obtenção de energia(8) biologia e geologia   10º ano - obtenção de energia
(8) biologia e geologia 10º ano - obtenção de energiaHugo Martins
 
Metabolismo celular (completo)
Metabolismo celular (completo)Metabolismo celular (completo)
Metabolismo celular (completo)Adrianne Mendonça
 
Livro de bioquímica cap. 4 - 6
Livro de bioquímica cap. 4 - 6Livro de bioquímica cap. 4 - 6
Livro de bioquímica cap. 4 - 6Felipe Cavalcante
 

Semelhante a CFO BMMG - BIOLOGIA / AULA 01 (20)

Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das célulasMetabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
 
Aula sobre fotossíntese
Aula sobre fotossínteseAula sobre fotossíntese
Aula sobre fotossíntese
 
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das célulasMetabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
 
Tema 3 biologia pdf
Tema 3   biologia pdfTema 3   biologia pdf
Tema 3 biologia pdf
 
Bioenergetica
BioenergeticaBioenergetica
Bioenergetica
 
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escuraAula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
 
Metab energético unidade 1 módulo 2
Metab energético unidade 1 módulo 2Metab energético unidade 1 módulo 2
Metab energético unidade 1 módulo 2
 
Metabolismo celular
Metabolismo celularMetabolismo celular
Metabolismo celular
 
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das célulasMetabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
 
Módulo a3.3 obtenção de energia
Módulo a3.3   obtenção de energiaMódulo a3.3   obtenção de energia
Módulo a3.3 obtenção de energia
 
Metabolismo
MetabolismoMetabolismo
Metabolismo
 
bioquimica basica em nutrição_alimentos.pdf
bioquimica basica em nutrição_alimentos.pdfbioquimica basica em nutrição_alimentos.pdf
bioquimica basica em nutrição_alimentos.pdf
 
Aula respiração celular
Aula respiração celularAula respiração celular
Aula respiração celular
 
Plastos e mitocondrias 5 a
Plastos e mitocondrias 5 aPlastos e mitocondrias 5 a
Plastos e mitocondrias 5 a
 
Transformação e utilização da energia
Transformação e utilização da energiaTransformação e utilização da energia
Transformação e utilização da energia
 
(8) biologia e geologia 10º ano - obtenção de energia
(8) biologia e geologia   10º ano - obtenção de energia(8) biologia e geologia   10º ano - obtenção de energia
(8) biologia e geologia 10º ano - obtenção de energia
 
Metabolismo celular (completo)
Metabolismo celular (completo)Metabolismo celular (completo)
Metabolismo celular (completo)
 
Resp celul glicolise
Resp celul glicoliseResp celul glicolise
Resp celul glicolise
 
BIOENERGÉTICA CELUAR
BIOENERGÉTICA CELUARBIOENERGÉTICA CELUAR
BIOENERGÉTICA CELUAR
 
Livro de bioquímica cap. 4 - 6
Livro de bioquímica cap. 4 - 6Livro de bioquímica cap. 4 - 6
Livro de bioquímica cap. 4 - 6
 

Mais de Alexssander Gonçalves de Lima (9)

GLÂNDULAS ENDÓCRINAS
GLÂNDULAS ENDÓCRINASGLÂNDULAS ENDÓCRINAS
GLÂNDULAS ENDÓCRINAS
 
REINO PROTOCTISTA
REINO PROTOCTISTAREINO PROTOCTISTA
REINO PROTOCTISTA
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO
SISTEMA RESPIRATÓRIOSISTEMA RESPIRATÓRIO
SISTEMA RESPIRATÓRIO
 
REINO FUNGI
REINO FUNGIREINO FUNGI
REINO FUNGI
 
Desenv.humano no período escolar
Desenv.humano no período escolarDesenv.humano no período escolar
Desenv.humano no período escolar
 
CFO BMMG - BIOLOGIA AULA 01
CFO BMMG - BIOLOGIA AULA 01CFO BMMG - BIOLOGIA AULA 01
CFO BMMG - BIOLOGIA AULA 01
 
SISTEMAS REPRODUTIVOS
SISTEMAS REPRODUTIVOSSISTEMAS REPRODUTIVOS
SISTEMAS REPRODUTIVOS
 
PORÍFEROS
PORÍFEROSPORÍFEROS
PORÍFEROS
 
CFO-BMMG/2016 - AULA 01
CFO-BMMG/2016 - AULA 01CFO-BMMG/2016 - AULA 01
CFO-BMMG/2016 - AULA 01
 

Último

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 

Último (20)

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 

CFO BMMG - BIOLOGIA / AULA 01

  • 1.
  • 2.
  • 3. Processos fundamentais da fisiologia celular: respiração, fotossíntese, síntese protéica e divisão celular – mitose e meiose. Prof. Alexssander Gonçalves de Lima ag.lima@hotmail.com
  • 4. PROCESSOS ENERGÉTICOS CELULARES  Energia: “a capacidade de um corpo ou um sistema de realizar trabalho.  Modalidades de energia: cinética (movimento); elétrica, térmica, química, luminosa...  Lei da Conservação da Energia: A energia não pode ser criada ou destruída, mas apenas transferida de um sistema a outro, ou, ainda, transformada de um tipo em outro.  Unidade de Energia (SI): joule (J) ou caloria (cal).
  • 5. ENERGIA QUÍMICA: A ENERGIA “ESCONDIDA”
  • 6. ENERGIA QUÍMICA: A ENERGIA “ESCONDIDA” A célula necessita, para produzir energia, de oxigênio e de nutrientes. Na respiração celular a célula utiliza o oxigênio e liberta energia contida nos nutrientes, produzindo dióxido de carbono, vapor de água e outros produtos tóxicos .
  • 7. TIPOS DE REAÇÕES NOS SERES VIVOS  Reações exotérmicas: reações que LIBERAM ENERGIA.  Ex.: Fermentação e Respiração.  Reações endotérmicas: reações que ABSORVEM ENERGIA.  Ex.: Fotossíntese.
  • 8. RESPIRAÇÃO CELULAR  Nas células, os alimentos orgânicos (ex.: glicose) são oxidados, liberando energia necessária às atividades vitais.  Energia: armazenada em compostos químicos, como o ATP (adenosina trifosfato).  Processo aeróbio, ou seja, utiliza-se o oxigênio livre (presença de O2).  Ocorre no citoplasma celular (glicólise) e nas mitocôndrias (ciclo de Krebs e cadeia respiratória).
  • 11. MITOCÔNDRIA  Formada por 2 membranas.  Membrana externa é lisa e controla a entrada/saída de substâncias da organela.  Membrana interna contém inúmeras pregas chamadas cristas mitocondriais, onde ocorre a cadeia transportadora de elétrons.  Cavidade interna é preenchida por uma matriz viscosa, onde podemos encontrar várias enzimas envolvidas com a respiração celular, DNA, RNA e pequenos ribossomos. É nessa matriz mitocondrial que ocorre o ciclo de Krebs.
  • 12. RESPIRAÇÃO CELULAR A equação geral da respiração de acordo com dados recentes é:
  • 14. RESPIRAÇÃO CELULAR  A respiração celular pode ser dividida em 3 etapas: PROCESSOS LOCAL DE OCORRÊNCIA A. Glicólise Citoplasma/Hialoplasma B. Ciclo de Krebs Matriz Mitocondrial C. Cadeia Respiratória Cristas Mitocondriais
  • 15. GLICÓLISE  Quebra da glicose em duas moléculas de ácido pirúvico (piruvato) + NADH + ATP
  • 16. GLICÓLISE • Após a formação dos ácidos pirúvicos eles entram na mitocôndria, sendo atacados então por desidrogenases e descarboxilases. • Logo, são liberados CO2, que são liberados pela célula e hidrogênios que são capturados pelo NAD. • O acetil formado combina-se com a Co-enzima A (Co-A) e a nova molécula (Acetil-CoA) começa o ciclo de Krebs.
  • 18. Ciclo de Krebs Ocorre na matriz mitocondrial. Todo carbono responsável pela formação do acetil é degradado em CO2 que é então liberado pela célula, caindo na corrente sanguínea.
  • 19. Ciclo de Krebs São liberados vários hidrogênios, que são então capturados pelos NAD e FAD, transformando-se em NADH2 e FADH2. Ocorre também liberação de energia resultando na formação de ATP .
  • 21. Cadeia Transportadora de Elétrons  ocorre nas cristas mitocondriais.  Também chamado de Fosforilação Oxidativa.  É um sistema de transferência de elétrons provenientes do NADH2 e FADH2 até a molécula de oxigênio.
  • 22. Cadeia Transportadora de Elétrons  Os elétrons são passados de molécula para molécula presente nas cristas mitocondriais chamados CITOCROMOS.  Quando o elétron “pula” de um citocromo para outro até chegar no aceptor final (o oxigênio), ocorre liberação de energia que é convertida em ATP.
  • 25.
  • 26. FOTOSSÍNTESE  Processo celular pelo qual a maioria dos seres autótrofos produz substâncias orgânicas, ou seja, seu próprio alimento.  Ocorre nos CLOROPLASTOS (com clorofila).  A equação geral da fotossíntese pode ser assim descrita:
  • 27.
  • 28.
  • 29. FOTOSSÍNTESE  Quem são os seres vivos que fazem fotossíntese? PLANTAS, ALGAS e CIANOBACTÉRIAS.  A fotossíntese pode ser dividida em 2 etapas básicas:  Etapa fotoquímica (reações de claro);  Etapa puramente química (reações de escuro).
  • 31. 3. FOTOSSÍNTESE ETAPAS REAÇÕES QUÍMICAS Etapa fotoquímica (reações de claro) 1. Fosforilação e produção de ATP 2. Fotólise da água Etapa puramente química (reações de escuro) 1. Ciclo das pentoses (Ciclo de Calvin- Benson)
  • 33. FERMENTAÇÃO  1861: o francês Pasteur demonstrou a existência de microorganismos (FUNGOS E BACTÉRIAS) que podem viver em ausência absoluta de oxigênio livre.  Mas como esses organismos obtém energia? Degradando/desdobrando parcialmente substâncias orgânicas do alimento, originando assim moléculas menores. OBS.1: A energia é armazenada na forma de ATP; OBS.2: Nossas próprias células também fazem fermentação, na ausência do gás oxigênio.
  • 34. FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA  Realizado industrialmente pelo fungo (levedura) Saccharomyces cerevisiae na fabricação de bebidas alcoólicas e pão (CO2).
  • 37. FERMENTAÇÃO LÁCTICA  Realizada por bactérias do gênero Lactobacillus que fermentam o leite, produzindo laticínios (queijo, coalhada, iogurte).
  • 39. ESQUEMA GERAL DA FERMENTAÇÃO
  • 41.
  • 42.
  • 43. •Fotossíntese sintética •Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2011/04/fotossintese- sintetica •Fermentação •Disponível em: www.simbiotica.org/fermentacao.htm •Fotossíntese •Disponível em: www.simbiotica.org/fotossintese.htm
  • 45. 2011 – PROVA CFO BMMG
  • 46. 2009 – PROVA Sd BMMG
  • 47. 2008 – PROVA CFO BMMG
  • 48. 2004 – PROVA CFO BMMG