SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Baixar para ler offline
Administração de Medicamentos
Condutas de Enfermagem
SUBSECRETARIA DE ESTADO DE
DEFESA CIVIL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DO ESTADO DO RIO DE JANEIRODO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
DIRETORIA GERAL DE SAÚDE
Cap BMQOS/Enf/02 Vívian Marinho
CONCEITO
MEDICAMENTO é toda substância que,
introduzida no organismo, vai atender a uma
finalidade terapêutica;
FINALIDADE
PREVENTIVA. Ex.: vacinas;
PALIATIVA. Ex.: analgésico;
CURATIVA. Ex.: antibiótico;CURATIVA. Ex.: antibiótico;
SUBSTITUTIVA. Ex.: insulina.
TIPO DE AÇÃO
LOCAL: agem no local de aplicação;
GERAL OU SISTÊMICA: circulam na
corrente sanguínea e seu efeito atinge
determinados órgãos, tecidos ou todo odeterminados órgãos, tecidos ou todo o
organismo.
FORMAS DE
APRESENTAÇÃOLÍQUIDOS
SÓLIDOS
SEMI-SÓLIDOS
GASOSOSGASOSOS
ADMINISTRAÇÃO
DE MEDICAMENTOS
Dos pontos de vista legal, ético e prático, a
administração de medicamentos é muito
mais que um simples serviço de entrega e
ato, trata-se de conhecimento, habilidade eato, trata-se de conhecimento, habilidade e
técnica.
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS
Para administrar a medicação com eficácia,
você necessita conhecer:
– A terminologia dos medicamentos;– A terminologia dos medicamentos;
– As vias de administração dos medicamentos;
–Os efeitos que os medicamentos produzem
depois que penetram no organismo.
O PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
DOS MEDICAMENTOS
Quanto a sala de preparo de medicamentos:
* iluminada;
* ventilada;* ventilada;
* janelas devem ter telas de proteção contra
insetos;
* coletores de materiais perfuro cortantes;
* as bancadas devem ser limpas com água e
sabão ou com álcool 70% a cada turno ou
sempre que se fizer necessário;
O PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
DOS MEDICAMENTOS
Quanto a prescrição médica:
•Nome do paciente com o número do quarto
e do leito;
•Data da prescrição;•Data da prescrição;
•Nome do medicamento, dose a ser
administrada, via de administração e o horário;
• Nome de quem prescreveu – nº do CRM e
assinatura.
O PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
DOS MEDICAMENTOS
Quanto ao medicamento:
•Observar o aspecto da substância (cor,
turvação, depósitos e outros);
•Validade;•Validade;
• Concentração do medicamento e a
prescrição;
• Materiais e acessórios para seu preparo e
administração.
CUIDADOS IMPORTANTES
Preparar o medicamento de cada paciente
separadamente;
Não tocar no medicamento com as mãos;
Não administrar medicamentosNão administrar medicamentos
preparados por outras pessoas.
“OS CINCO CERTOS DA
MEDICAÇÃO”
1.MEDICAÇÃO CERTA
2.A DOSE CERTA
3.A VIA CERTA3.A VIA CERTA
4.A HORA CERTA
5.O PACIENTE CERTO
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS
 Enteral (oral);
 Sublingual;
 Parenteral;
 Retal;Retal;
Tópica(oftálmica, otoscópica, nasal);
Intra-tecal.
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAÇÃO PORVIA ORAL
Via muito utilizada;
A absorção ocorre no trato intestinal,
atingindo assim a circulação sistêmica;
Contra - indicada a pacientes com vômitoContra - indicada a pacientes com vômito
e diarréia;
PORVIA ORAL
Portanto preste atenção:
1ml = 20 gotas.
Tenho que administrar 40 gotas de dipironaVO,
e não tenho conta-gotas então:e não tenho conta-gotas então:
1ml _______ 20 gotas
Xml _______ 40 gotas
20 . x = 40
•Pronto, basta aspirar 2 ml do frasco e
administrarVO;
PORVIA ORAL
Identifique a medicação após o preparo,
utilizando fita adesiva e checando os cinco
certos;
LEITO 06LEITO 06
JOSÉ DA SILVA
Keflex 500mg
VO
 10h
PORVIA ORAL
Leve a medicação preparada na bandeja ou em
uma cuba rim. Não deixe o medicamento com
o paciente, pois ele não pode ser o responsávelo paciente, pois ele não pode ser o responsável
pela sua alto medicação, o responsável é você;
Registre o procedimento checando o horário
da medicação administrada;
 Deixe em ordem o local de preparo da
medicação e lave novamente suas mãos;
FIQUE DE OLHO NAS REGRAS
VIA SUBLINGUAL
A medicação que é prescrita por via
sublingual não deve ser engolida. Estas
medicações agem rapidamente devido à
abundante vascularização da mucosa oral.abundante vascularização da mucosa oral.
Exemplo: Isordil.
Você deverá posicionar o paciente e
colocar o medicamento sob a língua do
mesmo e pedir para que ele o mantenha lá
até que tenha sido totalmente absorvido.
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS POR SNG
A administração de medicamentos por
SNG é muito utilizada em pacientes/clientes
que por algum motivo estão
impossibilitados de deglutir.impossibilitados de deglutir.
Antes de realizar o procedimento é
necessário que se teste a sonda, pois a
mesma poderá estar em local impróprio, e
com isso podemos causar um dano maior
sobre a saúde do paciente.
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS POR SNG
PROCEDIMENTO:
Ajudar o paciente a ficar em posição de
Fowler;
Testar a sonda;Testar a sonda;
Se comprimido , dissolvê-lo antes;
O medicamento deverá ser injetado de
forma lenta.Após a administração, injetar de
30 a 50 ml de água. Se for criança, somente
de 15 a 30 ml;
Após a administração fechar a sonda.
MEDICAMENTOS POR
VIA PARENTERAL
Principais abreviaturas:
–cc ou ml ou cm3= centímetro cúbico ou
mililitro;
–UI= unidades internacionais;–UI= unidades internacionais;
–gt.= gota;
–cgt= conta-gota;
–mgt = microgota;
–g= grama;
–mg= miligrama;
–cp ou comp= comprimido;
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS PORVIA
INTRADÉRMICA
VIA INTRADÉRMICA
Distenda a pele do local utilizando os
dedos polegar e indicador;
Não realize a anti-sepsia, pois pode
possibilitar reações falso positivas nos testespossibilitar reações falso positivas nos testes
e redução da atividade das vacinas
administradas;
 Se necessário lave bem local antes do
procedimento e seque-o sem esfregar;
Segure a seringa, e mantenha o bisel da
agulha para cima,introduza suavemente até
PORVIA PARENTERAL
Cor do canhão Calibre da agulha
Padronizações de cor do canhão das agulhas
mais utilizadas:
Cor do canhão Calibre da agulha
rosa 40x12
verde 25x8, 30x8, 40x8
preto 25x7, 30x7, 40x7
roxo 25x5,5
marrom 13x4,5
Caso algum vaso seja atingido
acidentalmente, prepare nova solução e
despreze a anterior;
Observe a formação de uma pápula, após aObserve a formação de uma pápula, após a
injeção total da solução, retire a agulha e
não faça massagem. Se apresentar
sangramento no local, comprima
suavemente com uma bola de algodão seca;
Observe as reações do paciente. Se tudo
ocorrer sem anormalidades, coloque ordem
nos materiais utilizados, desprezando
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS POR
VIA SUBCUTÂNEA
VIA SUBCUTÂNEA
A absorção do medicamento por esta via é
mais lenta e gradual, pois é realizada através
dos capilares.
Esta via é indicada principalmente naEsta via é indicada principalmente na
administração de vacinas, anticoagulantes e
hipoglicemiantes.
A solução é introduzida na tela subcutânea
(camada de gordura), também chamada de
tecido subcutâneo (hipoderme).
VIA SUBCUTÂNEA
As medicações e as soluções para
administração subcutânea são injetadas
através de uma agulha relativamente curta.
O volume máximo para esta via é de 2ml,O volume máximo para esta via é de 2ml,
usualmente 1 ml;
Teoricamente toda área subcutânea
poderia ser utilizada, mas alguns locais são
mais recomendados:
•Face externa e porção superior do braço;
• Face anterior da coxa;
LOCAIS DE APLICAÇÃO
SUBCUTÂNEA
VIA SUBCUTÂNEA
Após escolher o local, fazer a anti-sepsia da
região, utilizando uma bola de algodão com
álcool;
Pinçar o tecido subcutâneo, utilizandoPinçar o tecido subcutâneo, utilizando
dedo indicador e o polegar, mantendo a
região firme, para que a agulha penetre no
mesmo.
Introduzir a agulha com bisel voltado para
cima, com firmeza e rapidez;
Solte a prega e mantenha a agulha no
VIA SUBCUTÂNEA
Caso não houver sangue, introduzir o
medicamento. Retire a seringa e não faça
massagem no local, pois a massagem pode
acelerar a absorção do medicamento.acelerar a absorção do medicamento.
Se a agulha for hipodérmica (13x4,5mm ou
13x3,8mm): ângulo de 90 graus;
Indivíduos normais e magros usar a agulha
hipodérmica;
Agulhas mais longas como 25x5,5: ângulo
de 45 graus.
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS POR
VIA INTRAMUSCULAR
VIA INTRAMUSCULAR
A via intramuscular é muito utilizada, pois a
velocidade de absorção da solução
administrada é rápida.
A solução deve ser administrada no tecido
muscular, obedecendo rigorosamente a
técnica.
O tecido muscular está localizado logo
abaixo da tela subcutânea.
VIA INTRAMUSCULAR
O músculo escolhido deve ser bem
desenvolvido, ser de fácil acesso e não
possuir vasos de grosso calibre e nervos
superficiais.superficiais.
O volume máximo que devemos
administrar pelaVia Intramuscular deve ser
compatível com a estrutura muscular.
ATENÇÃO:
Região do Deltóide – 2 ml;
Região Glútea – 4 ml;
VIA INTRAMUSCULAR
Faixa etária Espessura
subcutânea
Solução
Aquosa
Solução Oleosa
ou Suspensão
Magro 25x7mm 25x8mmMagro 25x7mm 25x8mm
Adulto Normal 30x7mm 30x8mm
Obeso 40x7mm 40x8mm
Magro 20x6mm 20x7mm
Criança Normal 25x7mm 25x8mm
VIA INTRAMUSCULAR
Região Dletóide
REGIÃOVASTO LATERAL DA
COXA
REGIÃO DORSOGLÚTEA
REGIÃO DORSOGLÚTEA
Região bastante inervada – CIÁTICO
O ponto de inserção da agulha deve ser no
quadrante superior externo;
Durante a aplicação, a posição de decúbitoDurante a aplicação, a posição de decúbito
ventral, é a mais aconselhada para o
paciente, uma vez que ocorre um maior
relaxamento dos músculos da região.
REGIÃO DORSOGLÚTEA
QUANDO NÃO DEVEMOS UTILIZAR
ESTA VIA:
•Crianças menores de 2 anos;
•Pessoas que possuem atrofia dos•Pessoas que possuem atrofia dos
músculos desta região;
•Pessoas que possuem parestesia ou
paralisia dos membros inferiores;
•Pessoas que possuem lesões vasculares
dos membros inferiores.
REFERÊNCIA
GIOVANI,A. M. M. Enfermagem cálculo e
administração de medicamentos; São Paulo:
Scrinium, 2006.Scrinium, 2006.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoConceição Quirino
 
higiene e conforto do paciente
higiene e conforto do pacientehigiene e conforto do paciente
higiene e conforto do pacienteViviane da Silva
 
Injetáveis com segurança
Injetáveis com segurançaInjetáveis com segurança
Injetáveis com segurançaIngrid Amanda
 
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas Viviane da Silva
 
Administração de medicamentos por via endovenosa pdf
Administração de medicamentos por via endovenosa pdfAdministração de medicamentos por via endovenosa pdf
Administração de medicamentos por via endovenosa pdfjaddy xavier
 
Administração de Medicamentos
Administração de MedicamentosAdministração de Medicamentos
Administração de MedicamentosFabricio Lopes
 
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.Adriana Saraiva
 
Administração de medicamentos em enfermagem
Administração de medicamentos em enfermagemAdministração de medicamentos em enfermagem
Administração de medicamentos em enfermagemMarcio Pinto da Silva
 
Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Aline Bandeira
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalRodrigo Abreu
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemAna Hollanders
 

Mais procurados (20)

Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
 
higiene e conforto do paciente
higiene e conforto do pacientehigiene e conforto do paciente
higiene e conforto do paciente
 
Injetáveis com segurança
Injetáveis com segurançaInjetáveis com segurança
Injetáveis com segurança
 
Preparo de medicamentos
Preparo de medicamentosPreparo de medicamentos
Preparo de medicamentos
 
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
 
Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
 
Administração de medicamentos por via endovenosa pdf
Administração de medicamentos por via endovenosa pdfAdministração de medicamentos por via endovenosa pdf
Administração de medicamentos por via endovenosa pdf
 
Administração de Medicamentos
Administração de MedicamentosAdministração de Medicamentos
Administração de Medicamentos
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
 
Curativos
CurativosCurativos
Curativos
 
Medicação em pediatria
Medicação em pediatriaMedicação em pediatria
Medicação em pediatria
 
Administração de medicamentos em enfermagem
Administração de medicamentos em enfermagemAdministração de medicamentos em enfermagem
Administração de medicamentos em enfermagem
 
Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1
 
Punção venosa.
Punção venosa.Punção venosa.
Punção venosa.
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
 
5ª aula vias de administração
5ª aula   vias de administração5ª aula   vias de administração
5ª aula vias de administração
 
Aula feridas e curativos
Aula feridas e curativosAula feridas e curativos
Aula feridas e curativos
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
 

Semelhante a Apresentação administração de medicamentos (1)

vias de adm08-57-52-aulapratica.pdf
vias de adm08-57-52-aulapratica.pdfvias de adm08-57-52-aulapratica.pdf
vias de adm08-57-52-aulapratica.pdfLarissaMachado97
 
Livro_administracao_de_medicamentos.pdf
Livro_administracao_de_medicamentos.pdfLivro_administracao_de_medicamentos.pdf
Livro_administracao_de_medicamentos.pdfDenise Bacelar Soares
 
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.pptVIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.pptFabianaAlessandro2
 
Cuidados Gerais no Preparo e Administração dos Medicamentos.ppt
Cuidados Gerais no Preparo e Administração dos Medicamentos.pptCuidados Gerais no Preparo e Administração dos Medicamentos.ppt
Cuidados Gerais no Preparo e Administração dos Medicamentos.pptVivianePereira485260
 
Vias de Administração de Medicamentos.pptx
Vias de Administração de Medicamentos.pptxVias de Administração de Medicamentos.pptx
Vias de Administração de Medicamentos.pptxfarmaciaemergenciahr
 
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.pptVIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.pptFabianaAlessandro2
 
Vias de administração de medicamentos
Vias de administração de medicamentosVias de administração de medicamentos
Vias de administração de medicamentosWagner Lima Teixeira
 
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
_Administrao_de_Medicamentos-1.pptCELEYCOELHODESOUZA
 
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DAS MEDICAÇÕES.pdf
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DAS MEDICAÇÕES.pdfVIAS DE ADMINISTRAÇÃO DAS MEDICAÇÕES.pdf
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DAS MEDICAÇÕES.pdfJessicaAngelo5
 
Administração de injetáveis.pptx
Administração de injetáveis.pptxAdministração de injetáveis.pptx
Administração de injetáveis.pptxLarissaCampos96
 
APOSTILA INJETÁVEIS.docx
APOSTILA INJETÁVEIS.docxAPOSTILA INJETÁVEIS.docx
APOSTILA INJETÁVEIS.docxLubarraLu
 
Administracao_de_Medicamentos.ppt
Administracao_de_Medicamentos.pptAdministracao_de_Medicamentos.ppt
Administracao_de_Medicamentos.pptssuser8e1fc0
 
Aula 07- Administração de medicamentos em pediatria.pptx
Aula 07- Administração de medicamentos  em pediatria.pptxAula 07- Administração de medicamentos  em pediatria.pptx
Aula 07- Administração de medicamentos em pediatria.pptxTHAINALIMA25
 
administraodemedicamentosjoscarlosblog-110727202331-phpapp02.pdf
administraodemedicamentosjoscarlosblog-110727202331-phpapp02.pdfadministraodemedicamentosjoscarlosblog-110727202331-phpapp02.pdf
administraodemedicamentosjoscarlosblog-110727202331-phpapp02.pdfPinheiroNeto2
 
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS PDF.pdf
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS PDF.pdfPREPARO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS PDF.pdf
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS PDF.pdfRaquel Souza
 
AULA 03 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS.pdf
AULA 03 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS.pdfAULA 03 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS.pdf
AULA 03 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS.pdfJooHenriqueCarvallho
 

Semelhante a Apresentação administração de medicamentos (1) (20)

vias de adm08-57-52-aulapratica.pdf
vias de adm08-57-52-aulapratica.pdfvias de adm08-57-52-aulapratica.pdf
vias de adm08-57-52-aulapratica.pdf
 
Livro_administracao_de_medicamentos.pdf
Livro_administracao_de_medicamentos.pdfLivro_administracao_de_medicamentos.pdf
Livro_administracao_de_medicamentos.pdf
 
Via parenteral,
Via parenteral,Via parenteral,
Via parenteral,
 
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.pptVIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
 
Cuidados Gerais no Preparo e Administração dos Medicamentos.ppt
Cuidados Gerais no Preparo e Administração dos Medicamentos.pptCuidados Gerais no Preparo e Administração dos Medicamentos.ppt
Cuidados Gerais no Preparo e Administração dos Medicamentos.ppt
 
Vias de Administração de Medicamentos.pptx
Vias de Administração de Medicamentos.pptxVias de Administração de Medicamentos.pptx
Vias de Administração de Medicamentos.pptx
 
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.pptVIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
VIA DE ADM DE MEDICAMENTOS.ppt
 
Treinamentos enfermagem_All Family_Home Care
Treinamentos enfermagem_All Family_Home CareTreinamentos enfermagem_All Family_Home Care
Treinamentos enfermagem_All Family_Home Care
 
Vias de administração de medicamentos
Vias de administração de medicamentosVias de administração de medicamentos
Vias de administração de medicamentos
 
Aula de Farnacologia 2
Aula de Farnacologia  2Aula de Farnacologia  2
Aula de Farnacologia 2
 
MEDICAMENTOS
MEDICAMENTOSMEDICAMENTOS
MEDICAMENTOS
 
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
 
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DAS MEDICAÇÕES.pdf
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DAS MEDICAÇÕES.pdfVIAS DE ADMINISTRAÇÃO DAS MEDICAÇÕES.pdf
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DAS MEDICAÇÕES.pdf
 
Administração de injetáveis.pptx
Administração de injetáveis.pptxAdministração de injetáveis.pptx
Administração de injetáveis.pptx
 
APOSTILA INJETÁVEIS.docx
APOSTILA INJETÁVEIS.docxAPOSTILA INJETÁVEIS.docx
APOSTILA INJETÁVEIS.docx
 
Administracao_de_Medicamentos.ppt
Administracao_de_Medicamentos.pptAdministracao_de_Medicamentos.ppt
Administracao_de_Medicamentos.ppt
 
Aula 07- Administração de medicamentos em pediatria.pptx
Aula 07- Administração de medicamentos  em pediatria.pptxAula 07- Administração de medicamentos  em pediatria.pptx
Aula 07- Administração de medicamentos em pediatria.pptx
 
administraodemedicamentosjoscarlosblog-110727202331-phpapp02.pdf
administraodemedicamentosjoscarlosblog-110727202331-phpapp02.pdfadministraodemedicamentosjoscarlosblog-110727202331-phpapp02.pdf
administraodemedicamentosjoscarlosblog-110727202331-phpapp02.pdf
 
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS PDF.pdf
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS PDF.pdfPREPARO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS PDF.pdf
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS PDF.pdf
 
AULA 03 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS.pdf
AULA 03 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS.pdfAULA 03 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS.pdf
AULA 03 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS.pdf
 

Apresentação administração de medicamentos (1)

  • 2. SUBSECRETARIA DE ESTADO DE DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRODO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIRETORIA GERAL DE SAÚDE Cap BMQOS/Enf/02 Vívian Marinho
  • 3. CONCEITO MEDICAMENTO é toda substância que, introduzida no organismo, vai atender a uma finalidade terapêutica;
  • 4. FINALIDADE PREVENTIVA. Ex.: vacinas; PALIATIVA. Ex.: analgésico; CURATIVA. Ex.: antibiótico;CURATIVA. Ex.: antibiótico; SUBSTITUTIVA. Ex.: insulina.
  • 5. TIPO DE AÇÃO LOCAL: agem no local de aplicação; GERAL OU SISTÊMICA: circulam na corrente sanguínea e seu efeito atinge determinados órgãos, tecidos ou todo odeterminados órgãos, tecidos ou todo o organismo.
  • 7. ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS Dos pontos de vista legal, ético e prático, a administração de medicamentos é muito mais que um simples serviço de entrega e ato, trata-se de conhecimento, habilidade eato, trata-se de conhecimento, habilidade e técnica.
  • 8. ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS Para administrar a medicação com eficácia, você necessita conhecer: – A terminologia dos medicamentos;– A terminologia dos medicamentos; – As vias de administração dos medicamentos; –Os efeitos que os medicamentos produzem depois que penetram no organismo.
  • 9. O PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DOS MEDICAMENTOS Quanto a sala de preparo de medicamentos: * iluminada; * ventilada;* ventilada; * janelas devem ter telas de proteção contra insetos; * coletores de materiais perfuro cortantes; * as bancadas devem ser limpas com água e sabão ou com álcool 70% a cada turno ou sempre que se fizer necessário;
  • 10. O PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DOS MEDICAMENTOS Quanto a prescrição médica: •Nome do paciente com o número do quarto e do leito; •Data da prescrição;•Data da prescrição; •Nome do medicamento, dose a ser administrada, via de administração e o horário; • Nome de quem prescreveu – nº do CRM e assinatura.
  • 11. O PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DOS MEDICAMENTOS Quanto ao medicamento: •Observar o aspecto da substância (cor, turvação, depósitos e outros); •Validade;•Validade; • Concentração do medicamento e a prescrição; • Materiais e acessórios para seu preparo e administração.
  • 12. CUIDADOS IMPORTANTES Preparar o medicamento de cada paciente separadamente; Não tocar no medicamento com as mãos; Não administrar medicamentosNão administrar medicamentos preparados por outras pessoas.
  • 13. “OS CINCO CERTOS DA MEDICAÇÃO” 1.MEDICAÇÃO CERTA 2.A DOSE CERTA 3.A VIA CERTA3.A VIA CERTA 4.A HORA CERTA 5.O PACIENTE CERTO
  • 14. VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS  Enteral (oral);  Sublingual;  Parenteral;  Retal;Retal; Tópica(oftálmica, otoscópica, nasal); Intra-tecal.
  • 15. ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO PORVIA ORAL Via muito utilizada; A absorção ocorre no trato intestinal, atingindo assim a circulação sistêmica; Contra - indicada a pacientes com vômitoContra - indicada a pacientes com vômito e diarréia;
  • 16. PORVIA ORAL Portanto preste atenção: 1ml = 20 gotas. Tenho que administrar 40 gotas de dipironaVO, e não tenho conta-gotas então:e não tenho conta-gotas então: 1ml _______ 20 gotas Xml _______ 40 gotas 20 . x = 40 •Pronto, basta aspirar 2 ml do frasco e administrarVO;
  • 17. PORVIA ORAL Identifique a medicação após o preparo, utilizando fita adesiva e checando os cinco certos; LEITO 06LEITO 06 JOSÉ DA SILVA Keflex 500mg VO  10h
  • 18. PORVIA ORAL Leve a medicação preparada na bandeja ou em uma cuba rim. Não deixe o medicamento com o paciente, pois ele não pode ser o responsávelo paciente, pois ele não pode ser o responsável pela sua alto medicação, o responsável é você; Registre o procedimento checando o horário da medicação administrada;  Deixe em ordem o local de preparo da medicação e lave novamente suas mãos; FIQUE DE OLHO NAS REGRAS
  • 19. VIA SUBLINGUAL A medicação que é prescrita por via sublingual não deve ser engolida. Estas medicações agem rapidamente devido à abundante vascularização da mucosa oral.abundante vascularização da mucosa oral. Exemplo: Isordil. Você deverá posicionar o paciente e colocar o medicamento sob a língua do mesmo e pedir para que ele o mantenha lá até que tenha sido totalmente absorvido.
  • 20. ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR SNG A administração de medicamentos por SNG é muito utilizada em pacientes/clientes que por algum motivo estão impossibilitados de deglutir.impossibilitados de deglutir. Antes de realizar o procedimento é necessário que se teste a sonda, pois a mesma poderá estar em local impróprio, e com isso podemos causar um dano maior sobre a saúde do paciente.
  • 21. ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR SNG PROCEDIMENTO: Ajudar o paciente a ficar em posição de Fowler; Testar a sonda;Testar a sonda; Se comprimido , dissolvê-lo antes; O medicamento deverá ser injetado de forma lenta.Após a administração, injetar de 30 a 50 ml de água. Se for criança, somente de 15 a 30 ml; Após a administração fechar a sonda.
  • 22. MEDICAMENTOS POR VIA PARENTERAL Principais abreviaturas: –cc ou ml ou cm3= centímetro cúbico ou mililitro; –UI= unidades internacionais;–UI= unidades internacionais; –gt.= gota; –cgt= conta-gota; –mgt = microgota; –g= grama; –mg= miligrama; –cp ou comp= comprimido;
  • 24. VIA INTRADÉRMICA Distenda a pele do local utilizando os dedos polegar e indicador; Não realize a anti-sepsia, pois pode possibilitar reações falso positivas nos testespossibilitar reações falso positivas nos testes e redução da atividade das vacinas administradas;  Se necessário lave bem local antes do procedimento e seque-o sem esfregar; Segure a seringa, e mantenha o bisel da agulha para cima,introduza suavemente até
  • 25. PORVIA PARENTERAL Cor do canhão Calibre da agulha Padronizações de cor do canhão das agulhas mais utilizadas: Cor do canhão Calibre da agulha rosa 40x12 verde 25x8, 30x8, 40x8 preto 25x7, 30x7, 40x7 roxo 25x5,5 marrom 13x4,5
  • 26. Caso algum vaso seja atingido acidentalmente, prepare nova solução e despreze a anterior; Observe a formação de uma pápula, após aObserve a formação de uma pápula, após a injeção total da solução, retire a agulha e não faça massagem. Se apresentar sangramento no local, comprima suavemente com uma bola de algodão seca; Observe as reações do paciente. Se tudo ocorrer sem anormalidades, coloque ordem nos materiais utilizados, desprezando
  • 28. VIA SUBCUTÂNEA A absorção do medicamento por esta via é mais lenta e gradual, pois é realizada através dos capilares. Esta via é indicada principalmente naEsta via é indicada principalmente na administração de vacinas, anticoagulantes e hipoglicemiantes. A solução é introduzida na tela subcutânea (camada de gordura), também chamada de tecido subcutâneo (hipoderme).
  • 29. VIA SUBCUTÂNEA As medicações e as soluções para administração subcutânea são injetadas através de uma agulha relativamente curta. O volume máximo para esta via é de 2ml,O volume máximo para esta via é de 2ml, usualmente 1 ml; Teoricamente toda área subcutânea poderia ser utilizada, mas alguns locais são mais recomendados: •Face externa e porção superior do braço; • Face anterior da coxa;
  • 31. VIA SUBCUTÂNEA Após escolher o local, fazer a anti-sepsia da região, utilizando uma bola de algodão com álcool; Pinçar o tecido subcutâneo, utilizandoPinçar o tecido subcutâneo, utilizando dedo indicador e o polegar, mantendo a região firme, para que a agulha penetre no mesmo. Introduzir a agulha com bisel voltado para cima, com firmeza e rapidez; Solte a prega e mantenha a agulha no
  • 32. VIA SUBCUTÂNEA Caso não houver sangue, introduzir o medicamento. Retire a seringa e não faça massagem no local, pois a massagem pode acelerar a absorção do medicamento.acelerar a absorção do medicamento. Se a agulha for hipodérmica (13x4,5mm ou 13x3,8mm): ângulo de 90 graus; Indivíduos normais e magros usar a agulha hipodérmica; Agulhas mais longas como 25x5,5: ângulo de 45 graus.
  • 34. VIA INTRAMUSCULAR A via intramuscular é muito utilizada, pois a velocidade de absorção da solução administrada é rápida. A solução deve ser administrada no tecido muscular, obedecendo rigorosamente a técnica. O tecido muscular está localizado logo abaixo da tela subcutânea.
  • 35. VIA INTRAMUSCULAR O músculo escolhido deve ser bem desenvolvido, ser de fácil acesso e não possuir vasos de grosso calibre e nervos superficiais.superficiais. O volume máximo que devemos administrar pelaVia Intramuscular deve ser compatível com a estrutura muscular. ATENÇÃO: Região do Deltóide – 2 ml; Região Glútea – 4 ml;
  • 36. VIA INTRAMUSCULAR Faixa etária Espessura subcutânea Solução Aquosa Solução Oleosa ou Suspensão Magro 25x7mm 25x8mmMagro 25x7mm 25x8mm Adulto Normal 30x7mm 30x8mm Obeso 40x7mm 40x8mm Magro 20x6mm 20x7mm Criança Normal 25x7mm 25x8mm
  • 40. REGIÃO DORSOGLÚTEA Região bastante inervada – CIÁTICO O ponto de inserção da agulha deve ser no quadrante superior externo; Durante a aplicação, a posição de decúbitoDurante a aplicação, a posição de decúbito ventral, é a mais aconselhada para o paciente, uma vez que ocorre um maior relaxamento dos músculos da região.
  • 41. REGIÃO DORSOGLÚTEA QUANDO NÃO DEVEMOS UTILIZAR ESTA VIA: •Crianças menores de 2 anos; •Pessoas que possuem atrofia dos•Pessoas que possuem atrofia dos músculos desta região; •Pessoas que possuem parestesia ou paralisia dos membros inferiores; •Pessoas que possuem lesões vasculares dos membros inferiores.
  • 42. REFERÊNCIA GIOVANI,A. M. M. Enfermagem cálculo e administração de medicamentos; São Paulo: Scrinium, 2006.Scrinium, 2006.