Enzima Bromelina

1.701 visualizações

Publicada em

Estudo da Estabilidade da Enzima Bromelina Extraída do Curauá roxo
(Ananas erectifolius)

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.701
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Enzima Bromelina

  1. 1. Disciplina: Bioquímica Industrial Prof.ª Drª Maria IsauraAcadêmicos:Poliana Alves; Lionizio Oliveira; Diego Garreto; Narciso Amorim.
  2. 2. Introdução Nos últimos anos a procura por produtos naturais temcrescido em todo o mundo.O uso de matérias-primas naturais – estudos e pesquisas –por ser potencial na substituição de derivados petroquímicos. As fibras vegetais são úteis na indústria automobilística. Dentre as espécies da região Amazônica que tem o potencial– produção de fibras – curauá (Ananas comosus var.erectifolius).
  3. 3. Introdução Família Bromeliaceae – curauá: enzima bromelina. Tem um alto valor comercial: Indústriafarmacêutica, alimentícia e cosmética. Bromelina: enzima proteolítica da classe das hidrolases.
  4. 4. Ananás comosus var. erictifolius Curauá roxo http://www.terradagente.com.br/flora/0,0,4,136%3B14,abacaxizeiro.aspxhttp://frutasraras.sites.uol.com.br/ananascomo.htm
  5. 5. Introdução A Bromelina tem diversos estudos, todos baseados em suaatividade proteolítica. A sua importância econômica - produção de fármacos e asua utilização na indústria alimentícia. Um dos grandes desafios na obtenção da bromelina émanter a sua estabilidade enzimática.
  6. 6. Introdução Estudos vêm sendo conduzidos para identificar o que leva adesnaturação da proteína, com isso minimizar a inativação. O objetivo deste trabalho foi avaliar a estabilidade dabromelina extraída do curauá em diferentes condições detemperatura e pH.
  7. 7. Materiais e Métodos Folhas:• Lavadas – água destilada;• Secas – papel toalha;• Armazenadas – sacos plásticos;• Sob refrigeração.• Pesou na proporção 1:2 (solução tampão e folhas);• Trituradas – multiprocessador de alta eficiência;• Filtradas – tela de nylon;
  8. 8. Materiais e Métodos• AE da bromelina: Método do biureto;• Analises em triplicata;• Duas condições de temperatura: 10 C e 25 C;• Três Variações de pH: 4,7 e 8;• Período de 48hs.• Obs.: Foi medida a atividade no tempo zero e após 10 minutos em cada condição de temperatura e pH.
  9. 9. Materiais e Métodos• Preparo das amostras e a determinação da atividade enzimática: 540 nm;• Substrato: Albumina de soro bovino (BSA);• Proporção 1:5 (cada pH em estudo);• Tubo foi agitado – agitador magnético;• Retirou-se 1 amostra (tempo inicial zero);• Colocou-se em um outro tubo adicionou-se imediatamente 5ml do biureto.• Reagir por 10 min – amostra inicial;
  10. 10. Materiais e Métodos• Retirou-se outra amostra realizou o procedimento anterior;• Descanso por 10 min;• Leitura espectrofotômetro.
  11. 11. Resultados e DiscussãoTeste da atividade proteolítica em temperaturas e valores depH diferentes
  12. 12. Resultados e DiscussãoTeste da atividade proteolítica em temperaturas e valores depH diferentes
  13. 13. Resultados e Discussão Esse resultado difere de uma caracterização dabromelina em que o pH ótimo encontrado foi 7,5, para oAnanas cosmosus(HARRACH,1998). Silva et al.,(2006) encontraram valores ótimos deestabilidade da atividade enzimática nas temperaturasentre 25 C e 40 C, e pH entre 5,5 e 8,0.
  14. 14. Conclusão A bromelina apresentou um melhor perfil deestabilidade na condição de pH 8 a 10ºC, porémmostrou atividade em todos os valores depH, confirmando ser um complexo enzimático comatividade hidrolítica.

×