Bromeeliaceae

2.349 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.349
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bromeeliaceae

  1. 1. FACULDADES DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E EXATAS DE PRIMAVERA DO LESTE CURSO DE AGRONOMIA BROMELIACEAE HENRIQUE ZINI LEOMAR RODRIGUES PATRICIA PADILHA RAFAEL BRONZATO VALDEMIR FILHO WESLEY Primavera do Leste 2011
  2. 2. HENRIQUE ZINILEOMAR RODRIGUES PATRICIA PADILHA RAFAEL BRONZATO VALDEMIR FILHO WESLEY BROMELIACEAE Trabalho apresentado à Faculdade de Ciências Agrárias e Exatas de Primavera do Leste, para obtenção de nota na disciplina de Morfologia Sistemática e Vegetal. Orientadora Profª: Vivian; Thaisa. Primavera do Leste 2011
  3. 3. SUMÁRIO1 INTRODUÇÃO ......................................................................................................... 32 BROMEALIACEAE .................................................................................................. 43 A PLANTA ............................................................................................................... 54 ESPECIES EM ESTIÇÃO ........................................................................................ 65 IMPORTÂNCIA ECONÔMICA NAS BROMELIACEAE .......................................... 76 ALGUMAS ESPECIES DE BROMELIACEAE ........................................................ 86.1. ABACAXI .............................................................................................................. 86.2 BARBA DE VELHO ............................................................................................... 96.3 CRAVO DO MATO .............................................................................................. 11CONSIDERAÇÕES FINAIS ...................................................................................... 14REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ......................................................................... 15
  4. 4. 31 INTRODUÇÃO Neste trabalho vamos falar sobre a Familia Bromeliaceae, seus principaisrepresentantes, sua divisão de subfamilia, seus habitos folhares , frutos e especiesda Bromeliaceae em estição, e por final sua importância econômica.
  5. 5. 42 BROMEALIACEAE A familia bromeliaceae é representada por aproximadamente 60 generose 3.086 especies de distribuição predominantemente neotropiacal.Sendo suasprincipais representantes abacaxi,cravo do mato,barba do velho e tequila.Geralmente divide-se a familia Bromeliaceae em tres subfamilias:Bromelioideae,Pitcairnioideae e Tillandsioideae. Bromelioideae é uma subfamília das bromélias (Bromeliaceae). É asubfamília com o maior número de gêneros, porém com o menor número deespécies. Muitas das spp. deste grupo são epífitas, das quais algumas se adaptaramem condições terrestres. É a subfamília de bromélias mais cultivada para usos paisagísticos.Tillandsioideae é o nome de uma subfamília de plantas pertencente às Bromeliácias(família do abacaxi). Esta subfamília é composta por 9 gêneros com aproximadamente 1250espécies. Pitcairnioidaeae é o nome de uma subfamília de plantas pertencente àfamília Bromeliaceae. Ao contrário da maioria das plantas pertencentes a outrassubfamílias deste grupo que têm hábito epífito, estas são geralmente terrestres,preferindo o solo para estabelecer as suas raízes.
  6. 6. 53 A PLANTA São plantas comuns de solos áridos e regiões de grandes altitudes. Amaioria das bromélias Pitcairnioidaeae apresentam folhas carnudas com espinhosmuito fortes. Habito e folhas: Geralmente são ervas terrestres ou epífitas, com folhas alternas,espiraladas, frequentemente formado rosetas ou tanques, e usualmente com bainhaalargada na base folhas, formando assim um reservatório de água e nutrientes. Flores: As flores estão reunidas em inflorescências racemosas ou cimosas,normalmente com brácteas vistosas, e são bissexuadas, actinomorfas, e com operianto diferenciado em cálice e corola. Frutos: Os frutos são capsulas, cujas sementes tem pelos, ou bagas,muitasvezes formando um sincarpo (Abacaxi).
  7. 7. 64 ESPÉCIES EM ESTINÇÃO As Bromeliaceae encontram-se listados em alguma categoria de ameaçanas listas oficiais de esoecies ameaçadas de extinção e as espécies: Cryptanthusfosterianus, Neoregelia binotti e Nidularium utriculosum já são consideradas extintasna natureza.
  8. 8. 75 IMPORTÂNCIA ECONÔMICA NAS BROMELIACEAE A importância econômica das bromélias é destacada pelo delicioso frutodo abacaxi, Ananas comosus (L.) Merril, muito apreciado na alimentação, comoprodutora de bebidas, doces e sobremesas, e também as bromeliáceas são muitocultivadas e utilizadas em decorações de interior e projetos paisagísticos. Outra espécie de grande valor econômico é o “caroá-verdadeiro”,Neoglaziovia variegata (Arr. Cam.) Mez, que é utilizada como produtora de fibras,na medicina natural como digestiva e depurativa, e com outras funções, tem-se ouso da enzima “bromelina”, presente em algumas espécies do gênero Bromélia.
  9. 9. 86 ALGUMAS ESPECIES DE BROMELIACEAE6.1 ABACAXI Nome Técnico: Abacaxi. Nomes Populares: Abacaxi. Família: Família Bromeliaceae. Origem: Originária da América do Sul, Central. Descrição: É conhecido também como ananás, como é chamado nospaíses de língua espanhola.Figura 1: AbacaxiFonte: Brasil Escola Quando maduro o abacaxi apresenta sabor muito ácido e muitas vezesadocicado. É rico em vitaminas C, B1, B6, ferro, magnésio e fibras. Devido sua beleza e existência da coroa, o abacaxi é conhecido como reidos frutos. Na gíria brasileira, é comumente utilizado significando algo que nãoapresenta bom resultado, devido o seu aspecto espinhoso. Além da polpa, as cascas e o miolo do abacaxi podem ser utilizados paraa produção de sucos. Previne dores de garganta e resfriados e é bom para acirculação por conter a enzima bromelina. Servindo também como tempero paraamaciar carnes.
  10. 10. 9 O abacaxi pode ser consumido in natura, industrializado sob a forma degeléia, vinho, cristalizado, passa, licor. Ao comprá-lo é bom observar se as folhas dacoroa não estão secas nem murchas, se o cheiro está bom e se não existemmanchas. O melhor período de safra compreende o mês de dezembro a janeiro.O abacaxizeiro é uma planta que atinge um metro de altura, já era cultivada pelosindígenas antes mesmo do descobrimento do país. No Brasil, são cultivadas várias espécies, como o abacaxi amarelo, poréma que se destaca é a variedade Pérola, de polpa amarelo-pálida, sabor bastantedoce, casca esverdeada, mesmo quando maduro e pouca acidez. Os principais países produtores de abacaxi são os Estados Unidos, oBrasil, a Malásia, Formosa, México e as Filipinas.6.2 BARBA DE VELHOFigura 2: Barba de velhoFonte: Faz Fácil Nome Técnico: Musgo Espanhol Nomes Populares: Barba de Velho Família: Família Bromeliaceae Origem: Continente Americano.
  11. 11. 10 Descrição: A Barba de Velho ou Musgo Espanhol, como é maisconhecido, trata-se de uma planta epífita, espécie de musgo que fica pendurado emárvores e podem alcançar até 6 metros de comprimento.Formam grandes festões de cor verde claro, com hastes ou folhas onduladas ecobertos por minúsculas escalas prata-cinza que apanham água e nutrientes do ar. A característica mais interessante desta planta é que ela não possuiraízes e pode ser cultivada pendurada em qualquer lugar. Não necessita ser regada constantemente ou muito menos colocada emvasos. Basta pendurar em um local de boa luz e esborrifar água duas vezes porsemana. Na natureza, quando passa por longos períodos sem chuvas, entra emum processo de dormência e só volta a se desenvolver quando chove. As flores são minúsculas, verdes ou azuis claro e perfumadas à noite.Suas sementes também minúsculas e são levadas pelo vento ou por pássaros, osmeios mais comuns de sua propagação. Antigamente tinha em abundância nas matas, estendendo-se por todo ocontinente americano. Também ocorre nas Antilhas e na Argentina. Não é um parasita. Elacresce naturalmente em uma outra planta e só a utiliza para sustentação. Sua alimentação é apenas pela umidade do ar e dos nutrientes trazidospelos ventos. Foi utilizado em larga escala para empacotar frutas, comercializadotoneladas para ser utilizado em assentos de carros, colchões e mobília. Dizia-se até que os colchões feitos com o Musgo Espanhol eram maisfrescos. Na década de 1939 mais de 10 mil toneladas de Musgo Espanhol foramutilizados na Flórida e na Louisiana. Com isso, o Musgo Espanhol foi praticamenteerradicado de suas regiões nativas e hoje, sua incidência é muito rara nas nossasmatas. É uma planta diferente, interessante e que produz um efeito decorativo muitobonito e que realmente chama a atenção. A Barba de Velho pode ser encontrada ainda hoje em algumas regiões dematas preservadas. Esta, porém, tem folíolos menores e não são tão brancos. Adquira aBarba de Velho somente de produtores de mudas, preservando a natureza e o meioambiente.
  12. 12. 11 Como cuidar da Barba de Velho: • Pendurar a planta em qualquer lugar com luz; • Borrifar água uma ou duas vezes por semana. Características da Barba de Velho: • Não necessita de terra; • Não tem raízes; • Forma festão de até 6 metros; • Combina com qualquer ambiente.6.3 CRAVO DO MATOFigura 3: Cravo do matoFonte: Faz Fácil Cravo do mato – Tillandsia. Nome Técnico: Tillandsia. Nomes Populares: Bromélia Cravo do Mato. Família: Família Bromeliaceae. Origem: Originária da América do Sul, Central.Descrição: Este gênero recebeu o nome de um médico ingles de nome Tillandz, noséculo XVII, dado pelo ilustre botânico Linnaeus.
  13. 13. 12 São plantas epífitas, vivendo sobre árvores e têm grande capacidade desobrevivência. As tilandsias verdes têm as folhas esverdeadas, crescem`sobre outrasplantas mas também no chão. O clima é de chuvas regulares e o local de desenvolvimento na maioriadas vezes é sombreado. As tilandsias cinzas, uma delas o conhecido cravinho-do-mato (Tillandsiaaeranthus), preferem sol e desenvolvem-se bem em regões de alta umidade atésemi-árida. É um tipo de planta rústica, epífita e rupícola que se prende aos troncos erochas, sobrevivendo com pouca água. As folhas são recobertas por umas escamas bem finas chamadastricomas, que ao fenecerem ficam sem cor, mas parecem prateadas à luz direta dosol. As folhas são finas e pequenas, distribuídas ao redor do eixo central.Suas raízes são fortes e fixam-se bem a suportes. Não são raízes de captação denutrientes, suas folhas com as pequenas escamas foram desenvolvidas para captardo ar a umidade e nutrientes para fazer a fotossíntese. A polinização é cruzada, isto é, há casamento entre flores diferentes,dificilmente há autofecundação. As suas sementes têm plumas e são levadas pelo vento disseminando aespécie. Modo de Cultivo: Seu cultivo é simples, local bem iluminado, sol indireto, sob árvores. Não necessita vasos, pode fixá-la em madeira, troncos ou placas de fibrade coco. A adubação pode ser feita de forma liquida, com adubo NPK 10-10-10dissolvendo uma colher de chá em 1 litro de água e regando as folhas com aspersor,coando antes o líquido para que o resíduo não cause entupimentos.Não faça este procedimento ao sol nem antes de chuvas. Se a planta estiver sob árvores, não haverá necessidade de adubação,ela tem um sistema de captação de nutrientes muito eficiente. Somente regue aplanta se a região estiver sem chuvas, pois ela vive com muito pouca água.
  14. 14. 13 Uma espécie cultivada é a tilandsia-azul (Tillandsia cyanea), originária doEquador, cuja inflorescência tem a espiga achatada com as brácteas cor-de-rosa eas flores em azul violeta, muito ornamental. Não parecia sol direto e deve ser cultivada em espaço protegido, comsubstrato úmido.
  15. 15. 14 CONSIDERAÇÕES FINAIS Com o estudo deste trabalho podemos observar a importância dasbromeliaceae, ela além de nos alimentar é usada para paisagismo, o abacaxi é ricoem vitaminas e com ele pode ser feito, licor, geléia, vinho, e ser usado paradecoração, outra espécie de bromeliaceae é o caroá-verdadeiro que usado comoprodutura de fibras, esses dois frutos agrega valor econônomico, pois vão para asindústrias e são trasformados em produtos industrializados. Devemos cuidar dasbromeliaceae para não correr os ricos de perde esse fruto, preservando estaremosajudando nosso presente e o nosso futuro.
  16. 16. 15 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASBRASIL ESCOLA. Abacaxi. Disponível em:<http://www.brasilescola.com/frutas/abacaxi.htm>. Acesso em: 23 nov. 2011.CEAP DESIGN. Bromeliaceae. Disponível em:<http://www.ceapdesign.com.br/familias_botanicas/bromeliaceae.html>. Acesso em:23 nov. 2011.FAZFACIL. Bromélia tillandsia. Disponível em:<http://www.fazfacil.com.br/jardim/bromelia_tillandsia.html>. Acesso em: 23 nov.2011.MOREIRA Bianca Alsina, et al. Bromélias: importância ecológica e diversidade.Taxonomia e morfologia. Disponível em:<http://www.biodiversidade.pgibt.ibot.sp.gov.br/Web/pdf/Bromelias_Bianca_Moreira.pdf>. Acesso em 22 nov. 2011.VOSGUERITCHIAN, Simone Bazarian. BUZATO, Silvana. Reprodução sexuada deDyckia tuberosa (Vell.) Beer (Bromeliaceae, Pitcairnioideae) e interação planta-animal. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300010>. Acesso em: 23 nov. 2011.WIKIPÉDIA. Bromelioideae. Disponível em:<http://pt.wikipedia.org/wiki/Bromelioideae>. Acesso em: 22 nov. 2011.WIKIPÉDIA. Tillandsioideae. Disponível em:<http://pt.wikipedia.org/wiki/Tillandsioideae>. Acesso em: 23 nov. 2011.WIKIPÉDIA. Pitcairnioideae. Disponivel em:<http://pt.wikipedia.org/wiki/Pitcairnioideae>. Acesso em: 23 nov. 2011.

×