Prof. Ms. Natalino das Neves 
www.natalinodasneves.blogspot.com.br 
LIÇÃO 4 
A PROVIDÊNCIA DIVINA NA FIDELIDADE HUMANA 
ES...
2
LEITURA BÍBLICA: Dn 3.1-7,14 
ESCOLA BIBLICA DOMINICAL NA WEBTV
•O capítulo 3 mostra a dificuldade dos amigos de Daniel, que devido a fidelidade aos princípios recebidos, foram ameaçados...
I. A FIDELIDADE HUMANA SENDO AMEAÇADA PELA IDOLATRIA
I. A FIDELIDADE HUMANA SENDO AMEAÇADA PELA IDOLATRIA 
•Nabucodonozor, “embriagado” pela sua própria glória (3.1-5) ordena ...
I. A FIDELIDADE HUMANA SENDO AMEAÇADA PELA IDOLATRIA 
•Entretanto, todos deveriam adorar a estátua. Uma forma de legitimar...
II. O LIVRAMENTO DE DEUS
II. O LIVRAMENTO DE DEUS 
•Os jovens são acusados pelo grupo de foram salvos pela interpretação de Daniel no capítulo 2. A...
II. O LIVRAMENTO DE DEUS 
•O questionamento de Nabucodonozor: “Quem é o Deus que vos poderá livrar de minhas mãos” (Dn 3.1...
II. O LIVRAMENTO DE DEUS 
•Quantas pessoas equivocadas ficam “determinando”, “decretando” ou “exigindo” de Deus, ou mesmo,...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
•Os jovens escolheram manter seus princípios, sua fé no Deus único, independente das consequências. 
•Sabiam que Deus podi...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
CABRAL, Elienai. Integridade moral e espiritual: o legado do livro de Daniel para a Igreja hoj...
MERRIL, Eugene H. História de Israel no Antigo Testamento: o reino de sacerdotes que Deus colocou entre as nações. 6ª Ediç...
VON RAD, G. Teologia do Antigo Testamento. vol. 1-2, São Paulo: ASTE, 1974. ZUCK, Roy B (Ed). Teologia do Antigo Testament...
ESCOLA BIBLICA DOMINICAL NA WEBTV 
Comentários: Ev. Natalino das Neves 
www.natalinodasneves.blogspot.com.br 
natalino6612...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

2014 4 tri lição 4 - A providência divina na fidelidade humana

2.633 visualizações

Publicada em

2014 4 TRI

Para assistir os vídeos explicativos sobre os slides acesse: http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
2 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • nessa lição Deus nos mostra que não podemos adorar outros deuses, não adorar qualquer tipo de imagen, seja uma escultura de animais, peixes, e também pessoas, e não devemos adorar doisas como de fosse nosso Deus, ELE é um só e só a ELE devemos adorar.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • This is a great methedo to creat slids... Nice
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.633
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
60
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
121
Comentários
2
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2014 4 tri lição 4 - A providência divina na fidelidade humana

  1. 1. Prof. Ms. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br LIÇÃO 4 A PROVIDÊNCIA DIVINA NA FIDELIDADE HUMANA ESCOLA BIBLICA DOMINICAL NA WEBTV
  2. 2. 2
  3. 3. LEITURA BÍBLICA: Dn 3.1-7,14 ESCOLA BIBLICA DOMINICAL NA WEBTV
  4. 4. •O capítulo 3 mostra a dificuldade dos amigos de Daniel, que devido a fidelidade aos princípios recebidos, foram ameaçados por um rei “movido” pela obsessão ao poder, um déspota. •O rei exige adoração à estátua que serviria para legitimar o poder opressor babilônico. •Deus tem poder para intervir quando um fiel é ameaçado em sua fé, entretanto Ele é soberano e tem uma visão do todo. INTRODUÇÃO
  5. 5. I. A FIDELIDADE HUMANA SENDO AMEAÇADA PELA IDOLATRIA
  6. 6. I. A FIDELIDADE HUMANA SENDO AMEAÇADA PELA IDOLATRIA •Nabucodonozor, “embriagado” pela sua própria glória (3.1-5) ordena a construção de uma grande estátua de aproximadamente 3 metros de largura por 30 de altura. •Não confundir a estátua do capítulo 2 com a do capítulo 3: simbólica (sonho) vs literal (ouro). •O texto não informa se era da imagem dele próprio ou de algum dos principais deuses babilônico (Marduque, Nabu, Shamash, Sin, Gula e Adabe).
  7. 7. I. A FIDELIDADE HUMANA SENDO AMEAÇADA PELA IDOLATRIA •Entretanto, todos deveriam adorar a estátua. Uma forma de legitimar (normas direcionadas e religião) o poder opressor babilônico. •A ameaça da fornalha de fogo: atitude típica dos déspotas, que é dominar pelo terror, medo e opressão. •Os três jovens: Hananias, Misael e Azarias, não se prostraram diante da estátua (idolatria) – (Ver Ex 20.3-5). •Você está livre da idolatria? O que você tem colocado em primeiro lugar na sua vida?
  8. 8. II. O LIVRAMENTO DE DEUS
  9. 9. II. O LIVRAMENTO DE DEUS •Os jovens são acusados pelo grupo de foram salvos pela interpretação de Daniel no capítulo 2. As acusações eram: •“Não fizeram caso de ti” (Dn 3.12); •“A teus deuses não servem” (Dn 3.12); e •“nem a estátua de ouro que levantaste, adoram” (Dn 3.12). •As vezes, nosso brilho incomodam os invejosos e pessoas inseguras (ver ilustração do vagalume).
  10. 10. II. O LIVRAMENTO DE DEUS •O questionamento de Nabucodonozor: “Quem é o Deus que vos poderá livrar de minhas mãos” (Dn 3.15 •A resposta dos jovens: “Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar [...] E, se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos aos teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste” (Dn 3.16-18). •Sabiam que Deus poderia livrá-los, mas não exigiram de Deus.
  11. 11. II. O LIVRAMENTO DE DEUS •Quantas pessoas equivocadas ficam “determinando”, “decretando” ou “exigindo” de Deus, ou mesmo, “colocando Deus na parede”? •Deus é soberano! Resta ao ser humano se submeter e adorar este Deus! •Em situações de adversidades como você tem se comportado diante de Deus? •Se revoltando contra Deus e todos? •“Exigindo” de Deus? •Ou tem se humilhado e esperado em Deus?
  12. 12. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  13. 13. •Os jovens escolheram manter seus princípios, sua fé no Deus único, independente das consequências. •Sabiam que Deus podia livrá-los, mas não exigiram de Deus. •Deus entrou com a providência e honrou a fé incondicional deles, enquanto se mostra como Soberano sobre todos. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  14. 14. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CABRAL, Elienai. Integridade moral e espiritual: o legado do livro de Daniel para a Igreja hoje. Rio de Janeiro: CPAD, 2014. CAZELLES, H. História Política de Israel, desde as origens até Alexandre Magno. São Paulo: Paulus, 1986. COMENTÁRIO BÍBLICO BEACON. Vol. 4. 1ª Edição. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. DONNER, H. História de Israel e dos Povos Vizinhos. vol. 2, 4ª Edição. São Paulo: Sinodal e EST, 2006. LIÇÕES BÍBLICAS. Integridade moral e espiritual: o legado do livro de Daniel para a Igreja hoje. 4º Trimestre de 2014. Rio de janeiro: CPAD, 2014.
  15. 15. MERRIL, Eugene H. História de Israel no Antigo Testamento: o reino de sacerdotes que Deus colocou entre as nações. 6ª Edição. Rio de Janeiro: CPAD, 2007. NOTH, Martin. História de Israel. Barcelona: Ediciones Garriga, 1966. GILBERTO, Antonio. Daniel & Apocalipse. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. PFEIFFER, Charles F.; VOS, Howard, f. Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2009. RÖMER, T. A chamada História Deuteronomista. Petrópolis: Vozes, 2008. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  16. 16. VON RAD, G. Teologia do Antigo Testamento. vol. 1-2, São Paulo: ASTE, 1974. ZUCK, Roy B (Ed). Teologia do Antigo Testamento. 1ª Edição. Rio de Janeiro: CPAD, 2009. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  17. 17. ESCOLA BIBLICA DOMINICAL NA WEBTV Comentários: Ev. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094 / 3076 3589 IEADSJP Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva Pr. Vice Presidente: Elson Pereira

×