Politica e educação

84 visualizações

Publicada em

Temas Geradores - Paulo Freire

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
84
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Politica e educação

  1. 1. EDUCAÇÃO EEDUCAÇÃO E POLÍTICAPOLÍTICA Mário Pacífi coMário Pacífi co Matheus da CostaMatheus da Costa Míriam GlenlertMíriam Glenlert Renan DiasRenan Dias
  2. 2. AA PEDAGOGIAPEDAGOGIA DEDE PAULOPAULO FREIREFREIRE
  3. 3. A Pedagogia Libertadora A Pedagogia libertadora, também denominada pedagogia da libertação, faz parte dos postulados centrais de Paulo Freire, a qual é conhecida e pesquisada em diversas universidades ao redor do mundo. A Pedagogia Libertadora utiliza "temas geradores", ou seja, os alunos são alfabetizados com as palavras que usam no dia-a-dia, sempre associando o processo de alfabetização com a vida e é voltada à classes populares.
  4. 4. ”A liberdade, que é uma conquista, e não uma doação, exige permanente busca. Busca permanente que só existe no ato responsável de quem a faz. Ninguém tem liberdade para ser livre: pelo contrário, luta por ela precisamente porque não a tem. Ninguém liberta ninguém, ninguém se liberta sozinho, as pessoas se libertam em comunhão.” FreireFreire "Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda" Charge representando Paulo Freire Charge representando Paulo Freirecomo um fenômeno sempre em erupção, como um fenômeno sempre em erupção,produzindo ideias. produzindo ideias.
  5. 5. “Se, na verdade, não estou no mundo para simplesmente a ele me adaptar, mas para transformá-lo; se não é possível mudá-lo sem um certo sonho ou projeto de mundo, devo usar toda possibilidade que tenha para não apenas falar de minha utopia, mas participar de práticas com ela coerentes.” Freire "Não é possível pensar em linguagem sem ideologia e sem poder"
  6. 6. O MétodoO Método PauloPaulo FreireFreire
  7. 7. História do Método   - O método nasceu em 1962, quando Paulo Freire era diretor do Departamento de Extensões Culturais da Universidade de Recife. - Com um grupo alfabetizou 300 cortadores de cana em 45 dias. - Em 1963 surge com o apoio do Governo Federal (na época o presidente era João Goulart) a Campanha Nacional de Alfabetização que visava criar 20.000 círculos de cultura capazes de formar durante 1 ano aproximadamente 2 milhões de alunos. - Em 1964 a Ditadura Militar se instala e o projeto é barrado. Paulo Freire se exila no Chile e lá aplica o seu método. Conclusão, o Chile se destaca e recebe da UNESCO uma distinção como um dos cinco países que melhor contribuíram para superar o analfabetismo. Círculo de cultura Círculo de cultura
  8. 8.   - Conscientização - Liberdade   O Método -- Dialogal: “Ninguém educa ninguém e ninguém se educaDialogal: “Ninguém educa ninguém e ninguém se educa sozinho.” (BRANDÃO, 1984, p.21)sozinho.” (BRANDÃO, 1984, p.21)
  9. 9. O QUE É  GRÊMIO ESTUDANTIL ?  É um órgão composto somente de estudantes.  Deve estar sempre preocupado em tornar realidade as aspirações da maioria dos mesmos.
  10. 10. 1964 O golpe de 1964  A repressão foi abafando os ideais. fragmentou a organização estudantil.
  11. 11. ANOS 80  Redemocratização nos anos oitenta, ressurgem os Grêmios Estudantis após muita luta, inclusive a nível Nacional.
  12. 12. COMO DEVE SER O GREMIO?  O grêmio é uma entidade autônoma mas que deverá funcionar com acompanhamento de professores e gestores;  AUTÔNOMOS E PARCEIROS  Realizar ações coletivas.
  13. 13. ATUAÇÃO DO GRÊMIO  O grêmio não pode apenas cuidar de atividades recreativas e culturais;  Deve lutar pela melhoria do ensino;  Mais democracia na escola.  Promover reivindicações
  14. 14.  “Tudo que a gente puder fazer no sentido de convocar os que vivem em torno da escola, e dentro da escola, no sentido de participarem, de tomarem um pouco o destino da escola na mão, também. Tudo o que a gente puder fazer nesse sentido é pouco ainda, considerando o trabalho imenso que se põe diante de nós que é o de assumir esse país democraticamente.” Paulo Freire
  15. 15. Diretórios Acadêmicos  Os Diretórios Acadêmicos (DA) ou Centros Acadêmicos (CA) são entidades estudantis que representam os estudantes em suas respectivas faculdades, escolas ou institutos, podendo representar estudantes de um ou mais cursos.

×