SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Paschoal Lemme

História da Educação: Hist. da Escolarização Bras. e Proc.
Pedagógicos – Turma C (2012/2)
Professora: Simone Valdete dos Santos
Alunos: Fernando de Almeida, Mateus Timm, Matheus
Araújo, Pedro Nitschke e Thais Almada.
O Manifesto do Partido Comunista
• Karl Marx e Friederich Engels em 1848.
• Até hoje, a história da sociedade é a história
  da luta entre as classes.
• Oprimido X Opressor
• Proletariado X Burguesia
A Burguesia
• Instaurada a partir da livre concorrência.
• Longo processos de transformações, por exemplo,
  novos mercados e a Revolução Industrial.
• Cálculo egoísta, relação monetária: “enxergar com
  olhos sóbrios seu posicionamento na vida, suas
  relações umas com as outras.
• Escoamento de produtos: globalização e a insatisfação
  com o produto nacional.
• Multiplicação das populações urbanas, centralização
  populacional.
• A superprodução gera a barbárie momentânea.
O Proletariado
• Sobrevivem vendendo o seu trabalho, são
  mercadoria como qualquer outra, sujeito
  inclusive a concorrência.
• Acessório de máquina, tanto faz quem é.
• Trabalhadores agem isoladamente, o Manifesto
  buscava a união mundial.
• A burguesia necessita do proletariado, os
  proletários constituem a verdadeira ameaça a
  burguesia.
• Imensa maioria.
• “A burguesia alimenta o proletariado de seus
  próprios elementos formativos, ou seja, de
  armas contra si mesma.”
• O capital não é privado, e sim social.
• A burguesia entende a liberdade na lógica de
  compra e venda.
• “[...] querem te deixar miserável e não se
  importam com isso.”
Paschoal Lemme
• Rio de Janeiro (1904 – 1997).
• Professor e administrador na rede pública.
• Pioneiro na educação para adultos.
• Preso e acusado de ministrar curso com
  orientação marxista.
• Nunca foi ativista de partidarismos políticos.
• Suas convicções e engajamentos eram
  fundamentalmente educacionais e sociológicos.
• "A escola é muito mais um produto da
  sociedade em que ela se organiza do que
  influi para transformar essa sociedade. Os
  meios de transformação são outros, é o
  movimento político, são as ações dos
  partidos políticos, não é a escola.”
• “A escola tem muito mais a função de
  preservar a própria estrutura social. A
  educação escolar é sempre conservadora
  porque é sempre vigiada pela classe que
  está no poder.”
Manifesto dos Pioneiros da Educação
            Nova (1932)
• Se a evolução do sistema cultural de um país depende de
  suas condições econômicas, é impossível desenvolver as
  forças econômicas ou de produção, sem o preparo
  intensivo das forças culturais e o desenvolvimento das
  aptidões à invenção e à iniciativa que são os fatores
  fundamentais do acréscimo de riqueza de uma sociedade.
• Falta da determinação dos fins da educação (aspecto
  filosófico e social) e da aplicação (aspecto técnico) dos
  métodos científicos aos problemas de educação.
• Nunca chegamos a possuir uma “cultura própria, nem
  mesmo uma “cultura geral” que nos convencesse da
  “existência de um problema sobre objetivos e fins da
  educação.” Não se podia encontrar, por isto, unidade e
  continuidade de pensamento.
• Um educador deve estar tão interessado na
  determinação dos fins de educação, quanto aos
  meios de realizá-los.
• Perceber, além do aparente e do efêmero, “o jogo
  poderoso das grandes leis que dominam a
  evolução social”, e a posição que tem a escola, e a
  função que representa, na diversidade e
  pluralidade das forças sociais que cooperam na
  obra da civilização.
• Ver o problema educacional em conjunto e
  dominar a situação,realizando experiências e
  medindo os resultados de toda e qualquer
  modificação nos processos e nas técnicas.
• Assumir uma feição mais humana, a sua
  verdadeira função social, criar a “hierarquia
  democrática” pela “hierarquia das capacidades”.
• “Dirigir o desenvolvimento natural e integral do
  ser humano em cada uma das etapas do seu
  crescimento.”
• Servir não aos interesses das classes, mas aos
  interesses do indivíduo, ter o seu ideal
  condicionado pela vida social atual,
  profundamente humano, de solidariedade, de
  serviço social e cooperação.
• É certo que é preciso fazer homens, antes de
  fazer instrumentos de produção.
• A escola socializada não se organizou como
  um meio essencialmente social senão para
  transferir do plano da abstração ao da vida
  escolar.
• Não admitir, dentro do sistema escolar do
  Estado, quaisquer classes ou escolas, a que se
  tenha acesso uma minoria, por um privilégio
  exclusivamente econômico.
• Laicidade, gratuidade, obrigatoriedade e
  coeducação.
• A educação se propõe, antes de tudo, ao
  máximo a capacidade vital do ser humano.
• “Fundo especial ou escolar”, constituído de
  patrimônios, impostos e rendas próprias,
  administrado pelos próprios órgãos de ensino.
• Unidade não significa uniformidade. A
  unidade pressupõe multiplicidade.
• A atividade deve ser espontânea, dirigida à
  satisfação das necessidades do próprio
  indivíduo.
• Presença do fator psicológico do interesse, a
  atividade deve ser espontânea e estimulante
  ao educando.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fins e príncípios da Educação
Fins e príncípios da  EducaçãoFins e príncípios da  Educação
Fins e príncípios da EducaçãoAntonio Futuro
 
O Legado Educacional Educacional Brasileiro do Século XIX
O Legado Educacional Educacional Brasileiro do Século XIXO Legado Educacional Educacional Brasileiro do Século XIX
O Legado Educacional Educacional Brasileiro do Século XIXKatia Monteiro
 
Filosofia e ciência no século xix pedagogia
Filosofia e ciência no século xix pedagogiaFilosofia e ciência no século xix pedagogia
Filosofia e ciência no século xix pedagogiarenanmedonho
 
O ESTADO LIBERAL E A POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA DA DÉCADA DE 1990
O ESTADO LIBERAL E A POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA DA DÉCADA DE 1990O ESTADO LIBERAL E A POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA DA DÉCADA DE 1990
O ESTADO LIBERAL E A POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA DA DÉCADA DE 1990amiltonp
 
Educação século XX
Educação século XXEducação século XX
Educação século XXannacristiy
 
Francisco ferrer e a educação libertária
Francisco ferrer e a educação libertáriaFrancisco ferrer e a educação libertária
Francisco ferrer e a educação libertáriaPriscila Aristimunha
 
Escola nova
Escola novaEscola nova
Escola novaBete2011
 
Trabalho escolar
Trabalho escolarTrabalho escolar
Trabalho escolarLeao0304
 
Trabalho do anisio teixeira pronto xzzz
Trabalho do anisio teixeira pronto xzzzTrabalho do anisio teixeira pronto xzzz
Trabalho do anisio teixeira pronto xzzzdyhorrano
 

Mais procurados (20)

Manifesto educacaonova
Manifesto educacaonovaManifesto educacaonova
Manifesto educacaonova
 
1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública
 
Educação libertaria ferrer
Educação libertaria ferrerEducação libertaria ferrer
Educação libertaria ferrer
 
Fins e príncípios da Educação
Fins e príncípios da  EducaçãoFins e príncípios da  Educação
Fins e príncípios da Educação
 
Paulo freirebranco332
Paulo freirebranco332Paulo freirebranco332
Paulo freirebranco332
 
O Legado Educacional Educacional Brasileiro do Século XIX
O Legado Educacional Educacional Brasileiro do Século XIXO Legado Educacional Educacional Brasileiro do Século XIX
O Legado Educacional Educacional Brasileiro do Século XIX
 
Filosofia e ciência no século xix pedagogia
Filosofia e ciência no século xix pedagogiaFilosofia e ciência no século xix pedagogia
Filosofia e ciência no século xix pedagogia
 
O ESTADO LIBERAL E A POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA DA DÉCADA DE 1990
O ESTADO LIBERAL E A POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA DA DÉCADA DE 1990O ESTADO LIBERAL E A POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA DA DÉCADA DE 1990
O ESTADO LIBERAL E A POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA DA DÉCADA DE 1990
 
Educação século XX
Educação século XXEducação século XX
Educação século XX
 
Lourenço filho (1)
Lourenço filho (1)Lourenço filho (1)
Lourenço filho (1)
 
Apresentação tema (2)
Apresentação tema (2)Apresentação tema (2)
Apresentação tema (2)
 
Francisco ferrer e a educação libertária
Francisco ferrer e a educação libertáriaFrancisco ferrer e a educação libertária
Francisco ferrer e a educação libertária
 
Apostila sociologia da educação fak
Apostila sociologia da educação   fakApostila sociologia da educação   fak
Apostila sociologia da educação fak
 
4. durkheim e a educação
4. durkheim e a educação4. durkheim e a educação
4. durkheim e a educação
 
Vladimir leni madeira cavalheiro
Vladimir leni madeira cavalheiroVladimir leni madeira cavalheiro
Vladimir leni madeira cavalheiro
 
Escola nova
Escola novaEscola nova
Escola nova
 
anisio teixeira
anisio teixeira anisio teixeira
anisio teixeira
 
Slide de anisio pronto para apresentação de susana
Slide de anisio pronto para apresentação de susanaSlide de anisio pronto para apresentação de susana
Slide de anisio pronto para apresentação de susana
 
Trabalho escolar
Trabalho escolarTrabalho escolar
Trabalho escolar
 
Trabalho do anisio teixeira pronto xzzz
Trabalho do anisio teixeira pronto xzzzTrabalho do anisio teixeira pronto xzzz
Trabalho do anisio teixeira pronto xzzz
 

Destaque (20)

Maria montessori
Maria montessoriMaria montessori
Maria montessori
 
Trabalho final
Trabalho finalTrabalho final
Trabalho final
 
Freire paulo.
Freire paulo.Freire paulo.
Freire paulo.
 
Paulo freire
Paulo freirePaulo freire
Paulo freire
 
Biografia de Maria Montessori
Biografia de Maria MontessoriBiografia de Maria Montessori
Biografia de Maria Montessori
 
Gustavo capanema
Gustavo capanemaGustavo capanema
Gustavo capanema
 
Cecília meireles ppt história da educação
Cecília meireles ppt história da educaçãoCecília meireles ppt história da educação
Cecília meireles ppt história da educação
 
Anísio spínola teixeira
Anísio spínola teixeiraAnísio spínola teixeira
Anísio spínola teixeira
 
Biogafia e ideais paulo freire
Biogafia e ideais   paulo freireBiogafia e ideais   paulo freire
Biogafia e ideais paulo freire
 
Universidade federal do rio grande do sul história educação (1)
Universidade federal do rio grande do sul  história educação (1)Universidade federal do rio grande do sul  história educação (1)
Universidade federal do rio grande do sul história educação (1)
 
Alexander neill faced
Alexander neill  facedAlexander neill  faced
Alexander neill faced
 
Paulo freire final
Paulo freire   finalPaulo freire   final
Paulo freire final
 
Nisia floresta
Nisia florestaNisia floresta
Nisia floresta
 
Gustavo capanema.
Gustavo capanema.Gustavo capanema.
Gustavo capanema.
 
Hist edu ceciliameireles (1)
Hist edu ceciliameireles (1)Hist edu ceciliameireles (1)
Hist edu ceciliameireles (1)
 
Paulo freire e a escola da ponte
Paulo freire e a escola da pontePaulo freire e a escola da ponte
Paulo freire e a escola da ponte
 
Kant x ferrer
Kant x ferrerKant x ferrer
Kant x ferrer
 
Ensaio
EnsaioEnsaio
Ensaio
 
Ensaio final da disciplina estevão
Ensaio final da disciplina   estevãoEnsaio final da disciplina   estevão
Ensaio final da disciplina estevão
 
Nísia floresta e os direitos das mulheres
Nísia floresta e os direitos das mulheresNísia floresta e os direitos das mulheres
Nísia floresta e os direitos das mulheres
 

Semelhante a Paschoal lemme

Teorias criticas do curriculo
Teorias criticas do curriculoTeorias criticas do curriculo
Teorias criticas do curriculoMárcio Castro
 
Seminário para a disciplina de educação e movimentos
Seminário para a disciplina de educação e movimentosSeminário para a disciplina de educação e movimentos
Seminário para a disciplina de educação e movimentosGabi Senzafine
 
História marxista
História marxistaHistória marxista
História marxistaThaís Muniz
 
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptxFILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptxMarinesdeOliveira
 
Educação na sociedade informática
Educação na sociedade informáticaEducação na sociedade informática
Educação na sociedade informáticaMara Salvucci
 
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolarO papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolarINSTITUTO GENS
 
Mutações sociais e sistemas educativos
Mutações sociais e sistemas educativosMutações sociais e sistemas educativos
Mutações sociais e sistemas educativosTeresa Ramos
 
Eduardo valladares a educação anarquista na república velha
Eduardo valladares a educação anarquista na república velhaEduardo valladares a educação anarquista na república velha
Eduardo valladares a educação anarquista na república velhamoratonoise
 
Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1greghouse48
 
02 batista, maria do socorro xavier. os movimentos sociais cultivando uma edu...
02 batista, maria do socorro xavier. os movimentos sociais cultivando uma edu...02 batista, maria do socorro xavier. os movimentos sociais cultivando uma edu...
02 batista, maria do socorro xavier. os movimentos sociais cultivando uma edu...Albano Goes Souza
 
Concepções de Educação.ppt
Concepções de Educação.pptConcepções de Educação.ppt
Concepções de Educação.pptFabrcioFerreira32
 
Conselhos Escolares
Conselhos EscolaresConselhos Escolares
Conselhos Escolaresguestdb110e
 

Semelhante a Paschoal lemme (20)

Teorias criticas do curriculo
Teorias criticas do curriculoTeorias criticas do curriculo
Teorias criticas do curriculo
 
Seminário para a disciplina de educação e movimentos
Seminário para a disciplina de educação e movimentosSeminário para a disciplina de educação e movimentos
Seminário para a disciplina de educação e movimentos
 
Archivo pdf
Archivo pdfArchivo pdf
Archivo pdf
 
História marxista
História marxistaHistória marxista
História marxista
 
Educação é um direito - Anísio Teixeira
Educação é um direito - Anísio TeixeiraEducação é um direito - Anísio Teixeira
Educação é um direito - Anísio Teixeira
 
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptxFILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
Educação na sociedade informática
Educação na sociedade informáticaEducação na sociedade informática
Educação na sociedade informática
 
Aula Sociologia da educação
Aula Sociologia da educaçãoAula Sociologia da educação
Aula Sociologia da educação
 
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolarO papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
 
Mutações sociais e sistemas educativos
Mutações sociais e sistemas educativosMutações sociais e sistemas educativos
Mutações sociais e sistemas educativos
 
Arroyo
ArroyoArroyo
Arroyo
 
Arroyo
ArroyoArroyo
Arroyo
 
Eduardo valladares a educação anarquista na república velha
Eduardo valladares a educação anarquista na república velhaEduardo valladares a educação anarquista na república velha
Eduardo valladares a educação anarquista na república velha
 
Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1
 
02 batista, maria do socorro xavier. os movimentos sociais cultivando uma edu...
02 batista, maria do socorro xavier. os movimentos sociais cultivando uma edu...02 batista, maria do socorro xavier. os movimentos sociais cultivando uma edu...
02 batista, maria do socorro xavier. os movimentos sociais cultivando uma edu...
 
Artigo socied ind-educ
Artigo socied ind-educArtigo socied ind-educ
Artigo socied ind-educ
 
Concepções de Educação.ppt
Concepções de Educação.pptConcepções de Educação.ppt
Concepções de Educação.ppt
 
Conselhos Escolares
Conselhos EscolaresConselhos Escolares
Conselhos Escolares
 
O Papel Social da Escola
O Papel Social da EscolaO Papel Social da Escola
O Papel Social da Escola
 

Mais de Priscila Aristimunha

Mais de Priscila Aristimunha (17)

Apresentação planejamento prática
Apresentação planejamento práticaApresentação planejamento prática
Apresentação planejamento prática
 
Lira quadros historia
Lira quadros   historiaLira quadros   historia
Lira quadros historia
 
Educação indígena história da educação - correção
Educação indígena   história da educação - correçãoEducação indígena   história da educação - correção
Educação indígena história da educação - correção
 
Eta
EtaEta
Eta
 
Ensaio final aluno cassius valter
Ensaio final aluno cassius valterEnsaio final aluno cassius valter
Ensaio final aluno cassius valter
 
Trabalho final turma c - gabrielle sirianni
Trabalho final   turma c - gabrielle sirianniTrabalho final   turma c - gabrielle sirianni
Trabalho final turma c - gabrielle sirianni
 
Trabalho final história da edu
Trabalho final  história da eduTrabalho final  história da edu
Trabalho final história da edu
 
Escola da ponte
Escola da ponteEscola da ponte
Escola da ponte
 
Breve panorama da educação medieval
Breve panorama da educação medievalBreve panorama da educação medieval
Breve panorama da educação medieval
 
José pacheco
José pachecoJosé pacheco
José pacheco
 
Debret
DebretDebret
Debret
 
Trabalho final de história leonardo rava
Trabalho final de história leonardo ravaTrabalho final de história leonardo rava
Trabalho final de história leonardo rava
 
Escola da ponte
Escola da ponteEscola da ponte
Escola da ponte
 
Nísia floresta da sala de aula para a literatura
Nísia floresta da sala de aula para a literaturaNísia floresta da sala de aula para a literatura
Nísia floresta da sala de aula para a literatura
 
A história da educação dos negros no brasil
A história da educação dos negros no brasilA história da educação dos negros no brasil
A história da educação dos negros no brasil
 
A palmatória betina
A palmatória   betinaA palmatória   betina
A palmatória betina
 
Trabalho final história da educação
Trabalho final história da educaçãoTrabalho final história da educação
Trabalho final história da educação
 

Paschoal lemme

  • 1. Paschoal Lemme História da Educação: Hist. da Escolarização Bras. e Proc. Pedagógicos – Turma C (2012/2) Professora: Simone Valdete dos Santos Alunos: Fernando de Almeida, Mateus Timm, Matheus Araújo, Pedro Nitschke e Thais Almada.
  • 2. O Manifesto do Partido Comunista • Karl Marx e Friederich Engels em 1848. • Até hoje, a história da sociedade é a história da luta entre as classes. • Oprimido X Opressor • Proletariado X Burguesia
  • 3. A Burguesia • Instaurada a partir da livre concorrência. • Longo processos de transformações, por exemplo, novos mercados e a Revolução Industrial. • Cálculo egoísta, relação monetária: “enxergar com olhos sóbrios seu posicionamento na vida, suas relações umas com as outras. • Escoamento de produtos: globalização e a insatisfação com o produto nacional. • Multiplicação das populações urbanas, centralização populacional. • A superprodução gera a barbárie momentânea.
  • 4. O Proletariado • Sobrevivem vendendo o seu trabalho, são mercadoria como qualquer outra, sujeito inclusive a concorrência. • Acessório de máquina, tanto faz quem é. • Trabalhadores agem isoladamente, o Manifesto buscava a união mundial. • A burguesia necessita do proletariado, os proletários constituem a verdadeira ameaça a burguesia. • Imensa maioria.
  • 5. • “A burguesia alimenta o proletariado de seus próprios elementos formativos, ou seja, de armas contra si mesma.” • O capital não é privado, e sim social. • A burguesia entende a liberdade na lógica de compra e venda. • “[...] querem te deixar miserável e não se importam com isso.”
  • 6. Paschoal Lemme • Rio de Janeiro (1904 – 1997). • Professor e administrador na rede pública. • Pioneiro na educação para adultos. • Preso e acusado de ministrar curso com orientação marxista. • Nunca foi ativista de partidarismos políticos. • Suas convicções e engajamentos eram fundamentalmente educacionais e sociológicos.
  • 7. • "A escola é muito mais um produto da sociedade em que ela se organiza do que influi para transformar essa sociedade. Os meios de transformação são outros, é o movimento político, são as ações dos partidos políticos, não é a escola.” • “A escola tem muito mais a função de preservar a própria estrutura social. A educação escolar é sempre conservadora porque é sempre vigiada pela classe que está no poder.”
  • 8. Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova (1932) • Se a evolução do sistema cultural de um país depende de suas condições econômicas, é impossível desenvolver as forças econômicas ou de produção, sem o preparo intensivo das forças culturais e o desenvolvimento das aptidões à invenção e à iniciativa que são os fatores fundamentais do acréscimo de riqueza de uma sociedade. • Falta da determinação dos fins da educação (aspecto filosófico e social) e da aplicação (aspecto técnico) dos métodos científicos aos problemas de educação. • Nunca chegamos a possuir uma “cultura própria, nem mesmo uma “cultura geral” que nos convencesse da “existência de um problema sobre objetivos e fins da educação.” Não se podia encontrar, por isto, unidade e continuidade de pensamento.
  • 9. • Um educador deve estar tão interessado na determinação dos fins de educação, quanto aos meios de realizá-los. • Perceber, além do aparente e do efêmero, “o jogo poderoso das grandes leis que dominam a evolução social”, e a posição que tem a escola, e a função que representa, na diversidade e pluralidade das forças sociais que cooperam na obra da civilização. • Ver o problema educacional em conjunto e dominar a situação,realizando experiências e medindo os resultados de toda e qualquer modificação nos processos e nas técnicas.
  • 10. • Assumir uma feição mais humana, a sua verdadeira função social, criar a “hierarquia democrática” pela “hierarquia das capacidades”. • “Dirigir o desenvolvimento natural e integral do ser humano em cada uma das etapas do seu crescimento.” • Servir não aos interesses das classes, mas aos interesses do indivíduo, ter o seu ideal condicionado pela vida social atual, profundamente humano, de solidariedade, de serviço social e cooperação. • É certo que é preciso fazer homens, antes de fazer instrumentos de produção.
  • 11. • A escola socializada não se organizou como um meio essencialmente social senão para transferir do plano da abstração ao da vida escolar. • Não admitir, dentro do sistema escolar do Estado, quaisquer classes ou escolas, a que se tenha acesso uma minoria, por um privilégio exclusivamente econômico. • Laicidade, gratuidade, obrigatoriedade e coeducação. • A educação se propõe, antes de tudo, ao máximo a capacidade vital do ser humano.
  • 12. • “Fundo especial ou escolar”, constituído de patrimônios, impostos e rendas próprias, administrado pelos próprios órgãos de ensino. • Unidade não significa uniformidade. A unidade pressupõe multiplicidade. • A atividade deve ser espontânea, dirigida à satisfação das necessidades do próprio indivíduo. • Presença do fator psicológico do interesse, a atividade deve ser espontânea e estimulante ao educando.