Cromatografia em papel

1.921 visualizações

Publicada em

Analise de pigmentos de pimentões através de cromatografia em papel

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.921
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cromatografia em papel

  1. 1. Curso: Agronomia.Disciplina: Técnicas Experimentais emFisiologia e Bioquímica VegetalTema: Cromatografia em Papel.Alunos:Adrielle Rodrigues PratesLuis Aurelio SanchesProfessor: Liliane Santos de Camargos
  2. 2. Analise de pigmentos depimentões porcromatografia em papel. O que é cromatografia? A cromatografia é uma técnica deseparação especialmente adequadapara ilustrar os conceitos deinterações intermoleculares,polaridade e propriedades defunções orgânicas, com umaabordagem ilustrativa e relevante.
  3. 3. Experimento. O objetivo deste trabalho é utilizar acromatografia em papel para separar ospigmentos de pimentões verdes,amarelos e vermelhos e, com base noresultado dos cromatogramas
  4. 4. Procedimento experimental Pimentões verdes, amarelos e vermelhos(Figura 3, a) foram picados em pedaçospequenos. Foram pesados cerca de 30 gdos pedaços de cada pimentão, aosquais foram adicionados 10 mL deacetona e 50 mL de hexano (Figura 3, b).
  5. 5. Figura 3.
  6. 6.  As misturas foram maceradasseparadamente, em gral de porcelanacom pistilo, e deixadas em repouso por 1hora (Figura 3, c). Após esse período, asmisturas foram filtradas em funil comum,com papel de filtro pregueadoWhatmann nº 1Figura 3, c
  7. 7.  em seguida, as fases aquosas dos filtradosforam separadas em funil de separação,resultando cerca de 30 mL de cada umadas fases hexânicas (Figura 3, d)Figura 3, d
  8. 8.  Sulfato de sódio anidro foi adicionado aessas fases orgânicas que, após filtração,foram concentradas até o volume de 1mL, com aquecimento em banho-mariamantido a 70 ºC e sob agitação.
  9. 9.  O concentrado resultante de cadaextrato foi aplicado em fita de papelpreparada com papel de filtroWhatmann nº 1, com dimensões de 3,0por 8,5 cm. Uma gota de cada amostrafoi aplicada, com um capilar, próxima àbase do papel (cerca de 1 cm acima daborda), cuidando para que o diâmetroda mancha não ultrapassasse 0,5 cm.
  10. 10.  A cuba cromatográfica foi preparadacom um recipiente cilíndrico de vidrocom tampa e contendo um pedaço depapel de filtro embebido com fasemóvel, deixando a atmosfera interna dorecipiente saturada com vapores da fasemóvel para facilitar a “corrida”cromatográfica
  11. 11.  Após a evaporação dosolvente no qual a amostraestava diluída paraaplicação, a fita de papelfoi posicionada na cubacromatográfica de modoque o nível da fase móvelficasse abaixo do pontoonde a amostra havia sidoaplicada. Os extratosaplicados foram eluídoscom hexano com 5% deacetona (Figura 3, e)Figura 3, e
  12. 12. Resultados A extração dos pimentões comhexano:acetona 5:1 fornece extratoscontendo os principais pigmentos dospimentões: carotenos, criptoxantinas,capsantinas e capsorubina
  13. 13. Conclusões A cromatografia em papel de extratos depimentões permite a visualização daseparação cromatográfica dos principaispigmentos existentes no extrato: oscarotenos, as criptoxantinas, ascapsantinas e a capsorubina. A simplicidade do experimento torna suarealização viável em laboratórios quenão dispõem de muitos recursosmateriais.
  14. 14.  Para realizar o experimento com materiais maisacessíveis, podem ser feitas as seguintessubstituições: 1- hexano por thinner 2- acetona por removedor de esmalte 3- papel de filtro Whatmann nº 1 por filtro de papelpara coar café 4- sulfato de sódio anidro por sal de cozinha 5- o recipiente cilíndrico de vidro com tampa porcopo de vidro coberto com um pires.
  15. 15. Referências BibliográficasRIBEIRO, N.M; NUNES, C.R. Análise de pigmentos depimentões por cromatografia de papel. QuímicaNova Escola, Agosto de 2008, n° 29. p 34-37

×