 O marco da invenção da cromatografia foi atribuída ao
botânico Russo Mikhail Semyonovich Tswett, em
relatórios publicado...
 É um método físico-químico de separação de
componentes de uma mistura, realizada através da
distribuição desses componen...
 Amplamente usada para separação de misturas
complexas e em sua purificação, a cromatografia
permite que essas fases seja...
 CROMATOGRAFIA POR TROCA IÔNICA
 Baseia no principio de diferença de cargas entre a
fase estacionária e a fase móvel;
 ...
6
 CROMATOGRAFIA POR ADOSRÇÃO
 É baseada em uma fase estacionaria solida que
adsorve (prende) certas moléculas de forma nã...
8
 CROMATOGRAFIA POR EXCLUSÃO
 É utilizada na separação de componentes pelo
tamanho molecular;
 Apresenta duas fases:
 F...
10
 CROMATOGRAFIA POR PARTIÇÃO
 Também chamada de Cromatografia líquido- líquido;
 Usa a distribuição de acordo com a solu...
 Usada para a separação de vários componentes
orgânicos, como hidrocarbonetos saturados,
xilenos, dioxano, clorofórmio e ...
13
 Os materiais utilizados são relativamente simples
e de fácil manuseio:
 Coluna cromatográfica – Feita de vidro e com
di...
 COLUNAS CROMATOGRÁFICAS
15
 VANTAGENS:
 Alto poder de resolução;
 Separações eficientes e específicas;
 Exige treinamento técnico para uso;
 Aná...
 1 – Relacione:

1 – Cromatografia por partição
 2 – Cromatografias por exclusão
 3 – Cromatografias por adsorção
 4 ...
 2 – O que é a cromatografia?
 3 – Analise as seguintes afirmações:

I – Toda cromatografia usará somente um tipo espec...
 BRAITHWAITE, A.; SMITH, F. J. Chromatographic Methods. 5.
ed. London: Blackie Academy & Professional, 1996. 559 p.
 COL...
 MENDHAM, J et al. Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de
Janeiro: Pearson Longman, 2000. 462 p. Julio Carlos Afonso...
Cromatografia Líquida Classica
Cromatografia Líquida Classica
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cromatografia Líquida Classica

1.035 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre aspectos gerais da cromatografia líquida

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.035
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cromatografia Líquida Classica

  1. 1.  O marco da invenção da cromatografia foi atribuída ao botânico Russo Mikhail Semyonovich Tswett, em relatórios publicados entre os anos de 1906 e 1906;  Durante estudos botânicos, ele descobriu que a clorofila era composta por mais de um corante, e que passando-a por um tubo com éter de petróleo, ele registrou que as misturas se separavam gradativamente entre uma fase fixa de Carbonato de Cálcio (CaCO3);  Foi também o primeiro a usar o termo Cromatografia, em seu relatório publicado no Jornal Alemão de Botânica; 2
  2. 2.  É um método físico-químico de separação de componentes de uma mistura, realizada através da distribuição desses componentes, em uma fase estacionária;  A fase móvel move-se através da fase estacionária, sendo arrastada pela força da gravidade, de modo que um ou mais componentes desta mistura sejam retidos pela fase estacionária;  Existem diversas formas de se realizar o processo, sendo a líquida considerada clássica e predecessora de todas as outras; 3
  3. 3.  Amplamente usada para separação de misturas complexas e em sua purificação, a cromatografia permite que essas fases sejam completamente classificadas e separadas;  Podem ser usadas na industria química, alimentícia, bioengenharia, laboratórios de análises químicas e diversas outras;  Permite as análises qualitativas e quantitativas de materiais orgânicos e inorgânicos em diversas amostras; 4
  4. 4.  CROMATOGRAFIA POR TROCA IÔNICA  Baseia no principio de diferença de cargas entre a fase estacionária e a fase móvel;  Usa-se da diferença eletrostática entre os componentes da matriz e da fase móvel, sendo possível controlá-la utilizando fatores como pH e força iônica (Potencial de Ionização);  A coluna pode ser reutilizada, usando o eluente inicial como calibrador;  A matriz é composta material poroso, natural ou sintético, como por exemplo carboximetilcelulose (carga -) e dietilaminoetilcelulose (carga +); 5
  5. 5. 6
  6. 6.  CROMATOGRAFIA POR ADOSRÇÃO  É baseada em uma fase estacionaria solida que adsorve (prende) certas moléculas de forma não covalente com outras moléculas situadas numa matriz insolúvel em água.  Este tipo de cromatografia usa-se principalmente em bioquímica para isolar enzimas e para separar moléculas da membrana celular.  Em geral, substâncias solúveis em solventes orgânicos são melhor separadas na cromatografia por adsorção 7
  7. 7. 8
  8. 8.  CROMATOGRAFIA POR EXCLUSÃO  É utilizada na separação de componentes pelo tamanho molecular;  Apresenta duas fases:  Fase móvel pode ser um líquido ou um gás;  Fase estacionaria que pode ser um polímero ou um gel com poros de tamanhos controlados;  Promove uma distribuição seletiva e dinâmica das moléculas;  Esta técnica utiliza-se em bioquímica para separar proteínas e bioestruturas de grandes dimensões; 9
  9. 9. 10
  10. 10.  CROMATOGRAFIA POR PARTIÇÃO  Também chamada de Cromatografia líquido- líquido;  Usa a distribuição de acordo com a solubilidade relativa das moléculas da fase estacionária e móvel.  Tem como suporte para a FE um sólido inerte, como sílica gel.  Quando a FE for apolar, os solutos polares serão primeiramente separados; No caso contrário, os solutos polares serão os primeiros a serem eluidos; 11
  11. 11.  Usada para a separação de vários componentes orgânicos, como hidrocarbonetos saturados, xilenos, dioxano, clorofórmio e cloreto de metileno.  Para evitar a perda da fase estacionário, é indicado que ela seja ligada ao suporte inerte, dando a este tipo de cromatografia de partição o nome de cromatografia de fase ligada. 12
  12. 12. 13
  13. 13.  Os materiais utilizados são relativamente simples e de fácil manuseio:  Coluna cromatográfica – Feita de vidro e com diâmetros diversos;  Fase estacionária – Suporte sólido, também varia de acordo com a análise: sílica gel, alumina (Óxido de Alumínio), Carbonato de Cálcio,  Eluentes – Podem ser solventes orgânicos ou inorgânicos, água, álcool, cetonas e etc...  Béqueres, Pipetas, Algodão e Suporte; 14
  14. 14.  COLUNAS CROMATOGRÁFICAS 15
  15. 15.  VANTAGENS:  Alto poder de resolução;  Separações eficientes e específicas;  Exige treinamento técnico para uso;  Análise quantitativa e qualitativa;  Baixo custo em relação aos métodos mais modernos;  DESVANTAGENS:  Separações demoradas, devido ao uso somente da força da gravidade;  Precisa de métodos auxiliares, como a espectrofotometria para as determinações qualitativas das amostras. 16
  16. 16.  1 – Relacione:  1 – Cromatografia por partição  2 – Cromatografias por exclusão  3 – Cromatografias por adsorção  4 – Cromatografias por troca iônica   ( ) Usa a diferença eletrostática das moléculas para separar as misturas;  ( ) Sua fase estacionária é feita de material poroso, cuja seletividade se dá pelo tamanho molecular;  ( ) Os coeficientes de solubilidade são o fator principal de afinidade entre a fase móvel e a estacionária;  ( ) A Fase estacionária irá interagir com a fase móvel através de interações fracas de seus componentes. 17
  17. 17.  2 – O que é a cromatografia?  3 – Analise as seguintes afirmações:  I – Toda cromatografia usará somente um tipo específico de fase móvel, visto que a separação independe do solvente usado e da coluna.  II – A Cromatografia é um método qualitativo e quantitativo, usado em diversas análises.  III – A maior desvantagem da cromatografia líquida consiste no tempo gasto para fazer a separação dos materiais, visto que se usa a força da gravidade para arrastas a amostra pela coluna.  IV - A cromatografia é usada para a separação somente de materiais inorgânicos, não sendo  possível separação de moléculas como proteínas e outros biocompostos.  Estão corretas:   A) I, II e III  B) I e IV  C) Somente II  D) II e III  E) Somente IV 18
  18. 18.  BRAITHWAITE, A.; SMITH, F. J. Chromatographic Methods. 5. ed. London: Blackie Academy & Professional, 1996. 559 p.  COLLINS, Carol H.; BRAGA, Gilberto L.; BONATO, Pierina S.. Introdução a Métodos Cromatográficos. 7. ed. Campinas: Unicamp, 1997. 279 p.  COLINS, Carol H.. Separações em colunas abertas: cromatografia por exclusão e por bioafinidade. Campinas: Periódico: Scientia Chromatographica, 2011. 2 p. Disponível em:<http://www.scientiachromatographica.com/files/v3n2/v 3n2a6.pdf>. Acesso em: 08 maio 2015. 19
  19. 19.  MENDHAM, J et al. Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: Pearson Longman, 2000. 462 p. Julio Carlos Afonso et. al.  SILVA JUNIOR, José Godinho da. Cromatografia de proteínas: Guia teórico e prático. Rio de Janeiro: Interciência, 2004. 111 p.  PACHECO, S. et al. História da Cromatografia Líquida. Web: Revista Virtual de Química, 2015. 47 p. Disponível em: <http://www.uff.br/RVQ/index.php/rvq/article/download/869/598>. Acesso em: 04 maio 2015. 20

×