Aconselhamento baseado em traços e factores

673 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
673
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aconselhamento baseado em traços e factores

  1. 1. Aconselhamento baseado em traços e fatores Docente: Pof. Drª Mª Augusta Branco Discentes: Cristina Cardoso nº28397 Filipa Ribeira nº28399 Lara Moura nº25885
  2. 2.  O aconselhamento baseado em traços e fatores foi criado por Frank Parsons (1909) e posteriormente explorada por E. G. Williamson (professor na Universidade de Minnesota), (1939, 1950, 1965).  Este tipo de Aconselhamento e centrado no conselheiro, porque grande parte do processo depende da sua atividade.  O conselheiro usa as suas habilidades especializadas para ajudar o cliente a avaliar objetivamente vários traços que têm implicações na resolução do problema e na tomada de decisão.
  3. 3.  Williamson descreveu o processo de aconselhamento como uma sequência de 6 passos: análise, síntese, diagnose, prognóstico, aconselhamento e acompanhamento. Análise Colheita de todos os dados relevantes sobre o cliente Síntese Processo de organização de todos os dados sobre o cliente Diagnose Síntese da informação que nos indica o que esta a impedir o progresso ou a tomada de decisão Prognóstico Previsão de desenvolvimentos futuros relacionados com o problema do cliente Aconselhamento Processo de ajudar o cliente a dar os passos necessários que irão resultar em ajustamento ou reajustamento Acompanhamento Observação do progresso do cliente ou a repetição de novos casos caso não esteja a acontecer desenvolvimento positivo
  4. 4. Teoria do “grande homem”  As teorias baseadas em traços específicos do líder são as mais antigas sobre liderança e foram as teorias dominantes até aos anos 40. A 1.ª teoria foi definida por Carlyle, em 1910, e ficou conhecida por Teoria do “grande homem”. Segundo este autor os grandes avanços e progressos da humanidade deveram-se a determinados homens com traços personalísticos muito específicos. Este tipo de teorias agrupa em 4 os traços que um líder deve possuir: Traços físicos Energia, aparência e peso Traços intelectuais Adaptabilidade, agressividade, entusiasmo e autoconfiança Traços sociais Cooperação, capacidade de relacionamento interpessoal e de gestão Traços relacionados com a tarefa Capacidade de realização, persistência e iniciativa
  5. 5. O que é a teoria dos traços e fatores para os estudos da personalidade?  É a procura de uma quantidade menor de dimensões essenciais que possam resumir os padrões consistentes da reação de uma pessoa.  O que seriam os traços? Segundo Allport, são tendências centrais pela singularidade e pela consistência na vida de cada pessoa, mesmo quando a personalidade passa por mudanças no decorrer do tempo e em diferentes situações  TRAÇO= estrutura neuropsíquica genarilzada Essa consistência vai ser analisada de duas formas: TRAÇOS COMUNS e pelas DISPOSIÇÕES PESSOAIS Os traços comuns são aqueles compartilhados por pessoas numa mesma população, enquanto as disposições pessoais são traços particulares a um indivíduo (método ideográfico). Revela-se, então, a importância do estudo psicológico aprofundado no indivíduo, contendo pesquisa ideográfica (aspetos idiossincráticos) e pesquisa nomotética (aspetos comuns em uma população)
  6. 6. Big Five  O “Big Five” ou Modelo dos Cinco Grandes Fatores nasceu dos estudos sobre a Teoria dos Traços de Personalidade, representando um avanço conceitual e empírico desta área, pois descreveu dimensões humanas básicas de forma consistente e replicável.  O modelo do Big Five começou a ser estruturado no início da década de 1930, quando McDougall sugeriu analisar a personalidade a partir de cinco fatores independentes que, na época, foram denominados intelecto, caráter, temperamento, disposição e humor. Abertura à experiência Consciência Extroversão Socialização Neurocitismo
  7. 7.  ABERTURA (cultura e intelecto): pessoas francas geralmente parecem imaginativas, espirituosas, originais e artísticas. Pessoas com baixa classificação nesta dimensão são um tanto superficiais, comuns ou simples.  CONSCIÊNCIA (impulsividade/dimensão de vontade): pessoas conscienciosas são normalmente cautelosas, dignas de confiança, organizadas e responsáveis. As impulsivas tendem a ser descuidadas, desordenadas e não confiáveis.  EXTROVERSÃO (expansão): pessoas extrovertidas tendem a ser ativas, entusiásticas, dominantes, sociáveis e loquazes. As introvertidas tendem a ser tímidas, retraídas, submissas e quietas.  SOCIALIZAÇÃO : pessoas agradáveis são amáveis, cooperativas, confiáveis e afetuosas. Pessoas com uma baixa classificação nesta dimensão são mais frias, briguentas e indelicadas.  NEUROCITISMO ( instabilidade emocional): pessoas neuróticas tendem a ser nervosas, altamente sensíveis, tensas e preocupadas. Pessoas emocionalmente estáveis são mais clamas e satisfeitas.
  8. 8. Teoria BIG FIVE  Esquema baseado em dimensões, tendo seus estudos inicias em 1960,convergentes na compreensão de que a MAIORIA DAS ABORDAGENS DE TRAÇOS COMUNS DA PERSONALIDADE PODE SER POR MEIO DE CINCO DIMENSÕES  Quanto aos factores, devemos considerar alguns conceitos, relacionando-os aos traços.  Motivos:forças psicibiológicas que induzem um comportamento ou froçam as sua manifestação. Necessidade + impulsos + emoções = MOTIVOS FORMAS DE EXPESSÃO: grau de consistência digno de nota nos gestos, na posturas do corpo, nos tons de voz e mesmo nas interações com diferentes pessoas, em que a faceta emotiva do modo de expressão da personalidade tem um aspecto fundamental.
  9. 9.  http://dinamicasecoaching.webnode.pt/lideran%C3%A7a/teorias%20da%20lide ran%C3%A7a/teoria%20de%20tra%C3%A7os%20de%20personalidade/  http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/aps/v18n2/v18n2a03.pdf

×