1º de Dezembro     de 1640Restauração da Independência                 1
Tudo começou em finais do século XVI,quando era rei de Portugal D. Sebastião                 2
Jovem, irreverente edefensor de uma política de  conquistas no Norte de          África, D. Sebastião desapareceu  na bata...
Portugal ficou assim, sem   rei, uma vez que D.   Sebastião não tinhafilhos, logo, não existiamherdeiros directos para a  ...
Como forma de resolvertemporariamente, o problema, subiu ao trono o Cardeal D.        Henrique, tio-    -avô de D. Sebasti...
Quem seria agora rei de Portugal?Apresentam – se três pretendentes ao trono: D. António, Prior do Crato,  D. Catarina de B...
D. António, Prior do Crato,  que contava com o apoio  do Povo foi aclamado rei    em Lisboa, Setúbal e         Santarém.  ...
Porquê?Também ele, como     neto de D.  Manuel I, tinha  direito ao trono   de Portugal e,      pretendia    reivindicá-lo...
D. António, Prior do Crato,procurou defender a capital do país. Contudo, o seu pequeno  exército foi derrotado pela podero...
Então, onde estava a Nobrezaportuguesa, para defender o nosso    reino, do invasor espanhol?  Estava ao lado do   rei de E...
Nobres e Burgueses portugueses pretendiam a união das coroas portuguesa e espanhola Porque:     Tinham esperança de que a...
Assim, nas Cortes de Tomar, em1581, D. Filipe II de Espanha, torna--se rei de Portugal, com o nome deFilipe I de Portugal....
Aquando da sua aclamação como   rei de Portugal, Filipe I de  Portugal, comprometeu-se arespeitar os interesses do reino d...
O    governo    do     reino    (sejadesempenhado) sempre por naturaisdele e nunca por estrangeiros quenão conhecem os uso...
Assim, durante 60 anos, viveu-se em Portugal um     período que ficou conhecido na História como                   "Domíni...
Estes reis governaram Portugale Espanha ao mesmo tempo, comose de um só país se tratasse,não     esquecendo   todos     os...
Durante o reinado de Filipe I de Portugal, o rei  não faltou aos compromissos assumidos, nas   Cortes de Tomar, tendo – se...
Após a morte de Filipe Ide Portugal em 1598, subiu aotrono o seu filho Filipe II ,demonstrando      de    imediatogrande  ...
Espanha tinha-se envolvido em conflitos com aFrança, Inglaterra e Holanda!Devido à união dos dois países, os inimigos deEs...
Ataques de navios holandeses a navios                                     portugueses ao largo de Goa, na Índia.Cronologia...
Mas, não foram só os inimigos de Espanha que               atacaram Portugal …Filipe II começa a desrespeitar os   privilé...
Para conquistar a Inglaterra, Filipe Ide Portugal, organizou uma poderosa frotacomposta por cento e cinquenta navios.Desse...
Novos impostos lançados emPortugal para custear as guerrasespanholas: Real de Água; Sobrecarga fiscal sobre o sal e o açúc...
Em 1621, faleceu Filipe IIe sucedeu-lhe seu filhoFilipe III de Portugal,agravando-se ainda mais onão    cumprimento      d...
O primeiro-ministro, Duque de Olivares,visando uma maior centralização dopoder espanhol sobre os portugueses,intensifica m...
No dia 21 de Agosto de 1637,dois representantes do povo de Évoraforam reclamar junto das autoridadeslocais, o lançamento d...
Ao descontentamento do Povoassociou - se o da Nobreza e daBurguesia.   Por Portugal, generalizou-se umclima de revolta e a...
Era          necessárioescolher um rei.  Os      conspiradores,reunidos   secretamentena casa de D. Antão deAlmada, pensar...
Aproveitando a deslocação das tropas espanholas,para sufocar uma revolta na Catalunha e contandocom um prometido apoio da ...
Aprisionaram a Duquesa deMântua, prima de Filipe IIIe vice rainha de Portugal.                      Mataram       Miguel  ...
Entretanto, dois fidalgos partiram para VilaViçosa, a dar a noticia da vitória ao 8º duquede Bragança, D. João, a quem em ...
D. João IV foi aclamado ejurado rei de Portugal a 15  de Dezembro de 1640, dando início à 4ª dinastia.                    ...
33
34
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Exposição 1º dezembro slideshare

4.534 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.534
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.049
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
101
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exposição 1º dezembro slideshare

  1. 1. 1º de Dezembro de 1640Restauração da Independência 1
  2. 2. Tudo começou em finais do século XVI,quando era rei de Portugal D. Sebastião 2
  3. 3. Jovem, irreverente edefensor de uma política de conquistas no Norte de África, D. Sebastião desapareceu na batalha de Alcácer – - Quibir em 1578 ! 3
  4. 4. Portugal ficou assim, sem rei, uma vez que D. Sebastião não tinhafilhos, logo, não existiamherdeiros directos para a coroa portuguesa. 4
  5. 5. Como forma de resolvertemporariamente, o problema, subiu ao trono o Cardeal D. Henrique, tio- -avô de D. Sebastião. Contudo, já envelhecido e doente, o Cardeal apenas reinou durante dois anos... 5
  6. 6. Quem seria agora rei de Portugal?Apresentam – se três pretendentes ao trono: D. António, Prior do Crato, D. Catarina de Bragança e D. Filipe II de Espanha 6
  7. 7. D. António, Prior do Crato, que contava com o apoio do Povo foi aclamado rei em Lisboa, Setúbal e Santarém. Como resposta, o rei D. Filipe II de Espanha, mandou um exército comandado pelo duque de Alba, invadir Portugal, nos finais do ano de 1580! 7
  8. 8. Porquê?Também ele, como neto de D. Manuel I, tinha direito ao trono de Portugal e, pretendia reivindicá-lo! Filipe II de Espanha 8
  9. 9. D. António, Prior do Crato,procurou defender a capital do país. Contudo, o seu pequeno exército foi derrotado pela poderosa força militar do rei espanhol, na batalha de Alcântara, em Lisboa. D. António, Prior do Crato Após abandonar o país, D. António, apoiado pelos franceses e ingleses, reorganizou as suas tropas nos Açores. Mas aí, é também derrotado pelos exércitos de Filipe II. 9
  10. 10. Então, onde estava a Nobrezaportuguesa, para defender o nosso reino, do invasor espanhol? Estava ao lado do rei de Espanha … Assim como a Burguesia! 10
  11. 11. Nobres e Burgueses portugueses pretendiam a união das coroas portuguesa e espanhola Porque: Tinham esperança de que a boa administração ea força militar do rei de Espanha ajudassem aresolver os problemas económicos de Portugal. A Nobreza aspirava a cargos importantes nosterritórios pertencentes ao império de Espanha. A burguesia pretendia comerciar livremente noimenso império de Espanha. 11
  12. 12. Assim, nas Cortes de Tomar, em1581, D. Filipe II de Espanha, torna--se rei de Portugal, com o nome deFilipe I de Portugal. 12
  13. 13. Aquando da sua aclamação como rei de Portugal, Filipe I de Portugal, comprometeu-se arespeitar os interesses do reino de Portugal, bem como os seus usos e costumes. 13
  14. 14. O governo do reino (sejadesempenhado) sempre por naturaisdele e nunca por estrangeiros quenão conhecem os usos da terra. (…)Vice-rei ou governador seránecessariamente português; oportuguês é a única língua oficial; ocomércio ultramarino estará sempreem Portugal e confiado aportugueses … 14
  15. 15. Assim, durante 60 anos, viveu-se em Portugal um período que ficou conhecido na História como "Domínio Filipino”Depois do reinado de Filipe II (I de Portugal) veio a governação de Filipe III (II de Portugal) e de Filipe IV (III de Portugal)… 15
  16. 16. Estes reis governaram Portugale Espanha ao mesmo tempo, comose de um só país se tratasse,não esquecendo todos osterritórios dos respectivosImpérios. 16
  17. 17. Durante o reinado de Filipe I de Portugal, o rei não faltou aos compromissos assumidos, nas Cortes de Tomar, tendo – se assistido a:progressos na administração do reino e a uma certa melhoria da situação económica de Portugal . Contudo a situação vai sofrer alterações!!! 17
  18. 18. Após a morte de Filipe Ide Portugal em 1598, subiu aotrono o seu filho Filipe II ,demonstrando de imediatogrande desinteresse pelasquestões políticas do EstadoPortuguês. "Fraco de espírito,totalmente desinteressado dosnegócios do Estado,verdadeira antítese do pai,Felipe III nunca governou porsi próprio, entregando o poderreal nas mãos de favoritos". Filipe II de Portugal (III de Espanha,) 18
  19. 19. Espanha tinha-se envolvido em conflitos com aFrança, Inglaterra e Holanda!Devido à união dos dois países, os inimigos deEspanha, tornaram-se também inimigos dePortugal! E, não tardou que, franceses, holandeses e ingleses, começassem a atacar as possessões de Portugal em África, no Oriente e no Brasil … Vejamos: 19
  20. 20. Ataques de navios holandeses a navios portugueses ao largo de Goa, na Índia.Cronologia – Ataques a territórios portugueses no séc. XVII 20
  21. 21. Mas, não foram só os inimigos de Espanha que atacaram Portugal …Filipe II começa a desrespeitar os privilégios portugueses … situação que se agrava no reinado de Filipe III … Os portugueses foram obrigados:a combater nos exércitos espanhóis; enviar para Espanha peças de artilharia; A pagar mais impostos para que Espanha pudesse manter as suas despesas de guerra Vejamos: 21
  22. 22. Para conquistar a Inglaterra, Filipe Ide Portugal, organizou uma poderosa frotacomposta por cento e cinquenta navios.Desses navios, cerca de quarenta eramportugueses e muitos soldados portuguesesfizeram parte desta armada que foichamada de - Armada Invencível. Contudo,apesar da grandeza do nome e do númerode navios e soldados foi derrotada! Partida da Armada Invencível para Inglaterra 22
  23. 23. Novos impostos lançados emPortugal para custear as guerrasespanholas: Real de Água; Sobrecarga fiscal sobre o sal e o açúcar; A duplicação da sisa; Meia - Anata, que obrigava o pagamento de metade da importância dos ordenados, no prazo de dois anos, sobre os ofícios e cargos públicos. 23
  24. 24. Em 1621, faleceu Filipe IIe sucedeu-lhe seu filhoFilipe III de Portugal,agravando-se ainda mais onão cumprimento daautonomia portuguesa,prometida em Tomar ... Filipe III de Portugal (IV de Espanha,) 24
  25. 25. O primeiro-ministro, Duque de Olivares,visando uma maior centralização dopoder espanhol sobre os portugueses,intensifica medidas cada vez maisimpopulares que conduzem adescontentamentos e revoltas. 25
  26. 26. No dia 21 de Agosto de 1637,dois representantes do povo de Évoraforam reclamar junto das autoridadeslocais, o lançamento de um novoimposto. Como não foram recebidos, a Senhor, vossopopulação revoltou-se e acabou por Portugal de vossostomar conta da cidade. pais estimado, hoje, Começaram depois a circular em miséria fatal, estápanfletos, falsamente atribuídos a um pobre e lastimoso, e o governo rigoroso,tal Manuelinho, um doente mental que que tanto o temos eborenses muito estimavam. perseguido, lhe nega, sendo ofendido, o alivio de ser Nesses panfletos, encorajava-se queixoso. o povo a restituir a Coroa Manuelinho Portuguesa a um rei nacional. 26
  27. 27. Ao descontentamento do Povoassociou - se o da Nobreza e daBurguesia. Por Portugal, generalizou-se umclima de revolta e a Nobrezacomeçou a conspirar e a preparara Restauração da Independência. 27
  28. 28. Era necessárioescolher um rei. Os conspiradores,reunidos secretamentena casa de D. Antão deAlmada, pensaram em D.João, Duque de Bragançadescendente de D.Catarina, neta de D.Manuel I. D. João, Duque de Bragança 28
  29. 29. Aproveitando a deslocação das tropas espanholas,para sufocar uma revolta na Catalunha e contandocom um prometido apoio da França, quarentafidalgos portugueses, dirigiram-se ao paço real. 29
  30. 30. Aprisionaram a Duquesa deMântua, prima de Filipe IIIe vice rainha de Portugal. Mataram Miguel de Vasconcelos, nobre português, que exercia o cargo de secretário de estado. 30
  31. 31. Entretanto, dois fidalgos partiram para VilaViçosa, a dar a noticia da vitória ao 8º duquede Bragança, D. João, a quem em Lisboatinham aclamado como rei de Portugal, com otitulo de D. João IV. restaurada a Estava assimindependência de Portugal! 31
  32. 32. D. João IV foi aclamado ejurado rei de Portugal a 15 de Dezembro de 1640, dando início à 4ª dinastia. 32
  33. 33. 33
  34. 34. 34

×