2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30

904 visualizações

Publicada em

ROMANCE DE 30

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
904
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
235
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30

  1. 1. ROMANCE DE 30 (1930 – 194
  2. 2.  Nessa fase, a literatura veio mais amadurecida, sem os excessos que marcaram a Semana de Arte Moderna.  A arte era engajada e buscava refletir a realidade brasileira. A linguagem manteve-se próxima da popular e as obras apresentaram- se em prosa e poesia.  Esta privilegia o sentimento humano, enquanto aquela, a crítica social.  Principais representantes: Os principais nomes da prosa são: Jorge Amado, Rachel de Queiroz, Graciliano Ramos, José Lins do Rego e Érico Verissimo.
  3. 3. Esta fase buscava refletir a realidade social e econômica brasileira. O regionalismo teve grande importância nesta fase, destacando a seca, a migração, os problemas do trabalhador rural e a miséria. Dentre as temáticas trabalhadas, entraram também os romances urbanos e psicológicos. Se comparado à era naturalista, o modernismo, em sua segunda fase, afastou-se do apego ao cientificismo.
  4. 4.  A segunda Geração Modernista Brasileira começou em 1930 e durou até 1945, exatamente o Período da Era Vargas.  Após enfrentar a drástica Crise de 1929, que quebrou milhares de indústrias e deixou milhões de desempregados por todo o mundo, o modernismo enfrentou os conflitos da política do café-com-leite.  A Revolução de 1930 para a entrada foi o começo da segunda Geração.
  5. 5. Amadurecimento e solidificação da poesia modernista. Mistura do verso livre com formas tradicionais de compor poemas. Mistura da temática cotidiana com temática histórico-social. Revalorização da poesia simbolista.
  6. 6. Primeira Fase Segunda Fase Revolucionária Liberdade Formal Nacionalista Amadurecimento Romântica Dramática
  7. 7. Regionalista Urbana Intimista
  8. 8. A prosa regionalista inspirou-se no regionalismo nordestino, mostrando problemas sociais decorrentes da crise, além da atividade açucareira e das correntes migratórias, enfatizando o descaso dos políticos. Os representantes românticos desta fase, cultuavam a prosa urbana. Esta mostrava os conflitos sociais e a relação entre o homem e o meio, e o homem e a sociedade. Já a prosa intimista representava uma inovação do período. Baseada em teorias freudianas, esta prosa mostrava mais os conflitos íntimos dos personagens, além de seu mundo interior.
  9. 9. Rachel de Queiroz (1910-2003)  Falou do Ceará; da seca; do povo que lá vive; da Terra.  O Quinze, de 1930: tem como tema a grande seca de 1915. Romances:  - O Quinze (1930) - João Miguel (1932) - Caminho de Pedras (1937) - As Três Marias (1939) - Dôra, Doralina (1975) - O Galo de Ouro (1985) - folhetim na revista " O Cruzeiro", (1950) - Obra Reunida (1989) - Memorial de Maria Moura (1992)  Escreveu também: Peças de Teatro, Literatura Infantil, Crônicas, além de inúmeras traduções de obras da literatura universal.
  10. 10. Estilo conciso, linguagem despojada e seca; Regionalismo universal; O homem e a sociedade em constante desequilíbrio; Análise social e psicológica das personagens; Animalização do homem versus a humanização dos animais (Vidas Secas); Fidelidade ao real.
  11. 11.  Infância e Memórias do Cárcere: o autor problematiza a si mesmo com temática humana.  Palavras chave : Sensações de Liberdade  Outras Obras: São Bernardo , Angústia, Vidas Secas.
  12. 12. Jorge Amado (1912- 2001) Regionalismo baiano, zonas rurais do cacau e zona urbana de Salvador; Tipos marginalizados; Análise da sociedade; Utilização em suas obras da “fala do povo”; Valorização da figura feminina.
  13. 13.  Romances Proletários: mostram a vida em Salvador com um retrato social - Suor, O País do Carnaval e Capitães da Areia.  Ciclo do Cacau: a vida nas fazendas nas regiões de Ilhéus e Itabuna - Cacau, Terras do Sem-Fim, São Jorge dos Ilhéus.  Crônicas de Costumes e depoimentos líricos: novelas, romances com temáticas amorosas. -Mar Morto, Gabriela Cravo e Canela, A Morte e a Morte de Quincas Berro D’água.
  14. 14. José Lins do Rego (1901- 1957)  Decadência dos engenhos de cana-de-açúcar;  Ciclo da cana-de-açúcar: sua vivência no engenho;  O narrador de Menino de Engenho, Carlinhos, é o reflexo do próprio autor em alguns momentos;  Fogo Morto (1943) sintetiza o ciclo e conta a história de um engenho chamado Santa Fé.
  15. 15. Érico Veríssimo (1905-1975) oBRAS: 1) Romances urbanos: Clarissa, Caminhos cruzados, Um lugar ao sol, Olhai os lírios do campo, Saga e o Resto é silêncio. 2) Romances históricos: O tempo e o vento. A trilogia de Érico Veríssimo procura abranger duzentos anos da história do Rio Grande do Sul, de 1745 a 1945. 3) Romances políticos: denunciam os males do autoritarismo e as violações dos direitos humanos - O senhor embaixador, O prisioneiro e Incidente em Antares.
  16. 16. “Em geral quando termino um livro encontro- me numa confusão de sentimentos, um misto de alegria, alívio e vaga tristeza. Relendo a obra mais tarde, quase sempre penso ‘Não era bem isto o que queria dizer’.” (O escritor diante do espelho)
  17. 17. FIM
  18. 18. EQUIPE: BRUNA FRANCIELE JAQUELINE SOARES MARIA ARIELA MARIA ISNAELE RUTE LUZ RITA DE CASSIA CECILIA RAILANE MOURA

×