DOUTRINA ESPÍRITA: SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A SOCIEDADE

998 visualizações

Publicada em

Palestra espírita elaborada por Jorge Luiz, Fortaleza, Ceará.
contato: jorge.grauca@gmail.com
Acesse:
www.canteiroideias.blogspot.com.br
https://bancadocoaching.wordpress.com/

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
998
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

DOUTRINA ESPÍRITA: SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A SOCIEDADE

  1. 1. Sociedade - significados “Organização dinâmica de indivíduos autoconscientes e que compartilham objetivos comuns e são, assim, capazes de ação conjugada.” (Dicionário Michaelis)
  2. 2. “A sociedade em geral, ou, a bem dizer, a reunião de seres, tanto encarnados como desencarnados, que compõem a população flutuante de um mundo, numa palavra – a Humanidade -, mais não é que uma grande criança coletiva que, como todo ser dotado de vida, passa por todas as fases que se sucedem a cada um, desde o nascimento até a mais avançada idade.” (KARDEC, Allan in Obras Póstumas)
  3. 3. “(...) é evidente que o tipo e forma de relacionamento funcional entre sociedade e indivíduo em qualquer sociedade dependem da crença básica dessa sociedade quanto à natureza e à realização do homem.” (DRUCKER, Peter in A Sociedade) A Natureza do Homem
  4. 4. “Há no homem três coisas: 1º) O corpo ou ser material, semelhante ao dos animais e animado pelo mesmo princípio vital; 2º) A alma ser imaterial, espírito encarnado no corpo; 3º) O liame que une a alma ao corpo, princípio intermediário entre a matéria e o Espírito.” (O Livro dos Espíritos – Introdução)
  5. 5. Necessidade da Vida Social “ – Certamente. Deus fez o homem para viver em sociedade. Deus não deu inutilmente ao homem a palavra e todas as outras faculdades necessárias à vida em relação.” (O Livro dos Espíritos – Questão 766)
  6. 6. “Nenhum homem dispõe de faculdades completas e é pela união social que eles se completam uns aos outros, para assegurarem o seu próprio bem-estar e progredirem. Eis porque, tendo necessidade uns dos outros, são feitos para viver em sociedade e não isolados.” (O Livro dos Espíritos – questão 768)
  7. 7. A Família “Qual seria para a sociedade o resultado do relaxamento dos laços de família? - Uma recrudescência do egoísmo.” (O Livro dos Espíritos – questão 775)
  8. 8. “Os verdadeiros laços de família não são, portanto, os da consanguinidade, mas os da simpatia e da comunhão de pensamentos, que unem os Espíritos, antes, durante, e após a encarnação. Donde segue que dois seres nascidos de pais diferentes podem ser mais irmãos pelo Espírito, do que se o fossem pelo sangue.” (O E.S.E. Cap. XIV, item 8)
  9. 9. “Para a preservação da sociedade, é indispensável que a família se apresente estruturada sobre bases de honradez e equilíbrio, sem o que se esfacelam os códigos do amor e do dever dos pais com os filhos, destes para com aqueles, e sucessivamente em relação aos demais membros do clã e da sociedade.” Espírito Vianna de Carvalho (FRANCO, Divaldo in Atualidade do Pensamento Espírita)
  10. 10. “A família é mais do que o resultante genético...” (Espírito Joanna de Ângelis) (FRANCO, Divaldo in Estudos Espíritas)
  11. 11. O Grande Problema Humano O egoísmo e o orgulho A competitividade Os vícios
  12. 12. “Os males da Humanidade provêm da imperfeição dos homens; pelos seus vícios é que eles se prejudicam uns aos outros. Enquanto forem viciosos, serão infelizes, porque a luta dos interesses gerará constantes misérias.” (Allan Kardec) (Obras Póstumas – “Credo Espírita”)
  13. 13. “(...) Numa sociedade injusta onde vigem a fome, a enfermidade, a insatisfação, a ignorância, são inevitáveis os focos de rebeldia, dando surgimento às inevitáveis revoluções com derramamento de sangue...(...)” (Espírito Joanna de Ângelis) (FRANCO, Divaldo in Atualidade do Pensamento Espírita)
  14. 14. “O meio social é proporcional ao estado dos espíritos que o compõem.” (RIZZINI, Carlos in Evolução para o Terceiro Milênio)
  15. 15. Espiritismo e Questão Social (KARDEC, Allan in Obras Póstumas) “As convulsões sociais são as revoltas dos Espíritos encarnados contra o mal que os oprime, indício de que anseiam por esse reino de justiça, da qual têm sede, sem, entretanto, saberem bem o que querem e os meios de consegui-lo. É por isso que se inquietam, se agitam, destroem a torto e a direito, criam sistemas, sugerem recursos mais ou menos utópicos, cometem mil e uma injustiças em nome da justiça, esperando obter algo de todas essas mudanças.”
  16. 16. “(...) não se transforma o coração dos homens por decretos.” (KARDEC, Allan in Obras Póstumas)
  17. 17. “(...) aquilo a que, desde o século XVIII, temos vindo a chamar a questão social e a que poderíamos chamar melhor e mais simplesmente a existência da pobreza.”Hannah Arendt (1906-1975) (COLOMBO, B. Cleusa in Ideias Sociais Espíritas)
  18. 18. “Liberdade, Igualdade, Fraternidade: estas três palavras constituem, por si sós, o programa de toda uma ordem social que realizaria o mais absoluto progresso da Humanidade, se os princípios que elas exprimem pudessem receber integral aplicação. Vejamos quais os obstáculos que, no estado atual da sociedade, se lhes opõem e, ao lado do mal, procuremos o remédio.” (KARDEC, Allan in Obras Póstumas)
  19. 19. “ – Destruindo o materialismo, que é uma das chagas da sociedade, ele (Espiritismo) faz os homens compreenderem onde está o seu verdadeiro interesse. A vida futura não estando mais velada pela dúvida, o homem compreenderá melhor que pode assegurar o seu futuro através do presente. Destruindo preconceitos de seita, de casta e de cor ele ensina a grande solidariedade que os deve unir como irmãos.” (KARDEC, Allan in O Livro dos Espíritos, questão 799)
  20. 20. “As palavras de Jesus são eternas, porque são a verdade. Não são somente a salvaguarda da vida celeste, mas também o penhor da paz, da tranquilidade e da estabilidade do homem ente as coisas da vida terrena. Eis porque todas as instituições humanas, políticas, sociais e religiosas, que se apoiarem nas suas palavras, serão estáveis como a casa construída sobre a pedra.” (KARDEC, Allan in O E.S.E. cap. XVIII:5)
  21. 21. “Quando Jesus pronunciou essa palavra divina, — amor — fez estremecerem os povos, e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo. O Espiritismo, por sua vez, vem pronunciar a segunda palavra do alfabeto divino. Ficai atentos, porque essa palavra levanta a lápide dos túmulos vazios, e a reencarnação, vencendo a morte, revela ao homem deslumbrado o seu patrimônio intelectual. Mas já não é mais aos suplícios que ela conduz, e sim à conquista do seu ser, elevado e transfigurado. O sangue resgatou o Espírito, e o Espírito deve agora resgatar o homem da matéria.” (Esp. Lázaro) (KARDEC, Allan in O E.S.E. cap. XI:9)

×