Prof.: Felipe Cavalcante
Centríolos
Formas e mobilidade
Citoesqueleto
Prof.: Felipe Cavalcante
Centrílos
- Estrutura e funções:
Trípletes de microtúbulos
9 x 3
- Fuso mitótico;
- Centrossomo;
...
Prof.: Felipe Cavalcante
Citoesqueleto
Prof.: Felipe Cavalcante
Filamentos intermediários
- Tipos / Funções:
Alzheimer
Neurofilamentos
Prof.: Felipe Cavalcante
- Os neurofilamentos estão organizados ao longo do axônio e se associam aos
microtúbulos particip...
Prof.: Felipe Cavalcante
Filamentos intermediários
- Tipos / Funções:
Lâmina
nuclear
Prof.: Felipe Cavalcante
- Lâmina nuclear: rede de filamentos intermediários (FI) que estão localizados
internamente à car...
Prof.: Felipe Cavalcante
Filamentos intermediários
- Tipos / Funções:
Queratina
Prof.: Felipe Cavalcante
- Queratina: É importante lembrar da importância evolutiva da queratina,
impermeabilizar a pele d...
Prof.: Felipe Cavalcante
Protofilamento
α-tubulina
β-tubulina +
-
Microtúbulos Dímero de
tubulina
+
-
Prof.: Felipe Cavalcante
+-
Dineína Cinesina
Vesículas
Microtúbulo
Prof.: Felipe Cavalcante
- A Dineína e Cinesina (ou Quinesina) são proteínas motoras que se associam
aos microtúbulos e os...
Prof.: Felipe Cavalcante
Célula nervosa
- Trânsito de vesículas no neurônio
Prof.: Felipe Cavalcante
Divisão celular
- Migração dos cromossomos
Prof.: Felipe Cavalcante
- Os microtúbulos polimerizam-se a partir dos centríolos até atingirem as fibras
do cinetocoro;
-...
Prof.: Felipe Cavalcante
Cílios e flagelos
Prof.: Felipe Cavalcante
Cílios e flagelos
- Estrutura e movimento
“9+2” - Dobletes
Prof.: Felipe Cavalcante
Cílios e flagelos
- Movimentos ciliar e flagelar
Dineína
Prof.: Felipe Cavalcante
Contração muscular
Sarcômero
Linha Z Linha ZBanda HBanda I Banda I
Prof.: Felipe Cavalcante
T. do Filamento Deslizante
Actina
Miosina
Cabeça
da
Miosina
Prof.: Felipe Cavalcante
- Um neurônio motor realiza diversas sinapses, a partir das ramificações do seu
axônio, com o mús...
Prof.: Felipe Cavalcante
Contração muscular
Contraído
Relaxado
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Microtúbulos

1.278 visualizações

Publicada em

Microtúbulos

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.278
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Microtúbulos

  1. 1. Prof.: Felipe Cavalcante Centríolos Formas e mobilidade Citoesqueleto
  2. 2. Prof.: Felipe Cavalcante Centrílos - Estrutura e funções: Trípletes de microtúbulos 9 x 3 - Fuso mitótico; - Centrossomo; - Origina os microtúbulos; - Ciliogênese.
  3. 3. Prof.: Felipe Cavalcante Citoesqueleto
  4. 4. Prof.: Felipe Cavalcante Filamentos intermediários - Tipos / Funções: Alzheimer Neurofilamentos
  5. 5. Prof.: Felipe Cavalcante - Os neurofilamentos estão organizados ao longo do axônio e se associam aos microtúbulos participando da sustentação e contribuindo para a forma do neurônio. Filamentos intermediários
  6. 6. Prof.: Felipe Cavalcante Filamentos intermediários - Tipos / Funções: Lâmina nuclear
  7. 7. Prof.: Felipe Cavalcante - Lâmina nuclear: rede de filamentos intermediários (FI) que estão localizados internamente à carioteca realizando a sua sustentação; * A lâmina nuclear sofre um despolimerização (desestruturação) durante a Prófase da divisão celular. Sem quem a sustente, devido a despolimerização da lâmina, a carioteca sofre uma desorganização e desaparece ao final da Prófase. ** Ao final da divisão celular, na Telófase, a Lâmina é novamente polimerizada e a carioteca é reconstituída. Filamentos intermediários
  8. 8. Prof.: Felipe Cavalcante Filamentos intermediários - Tipos / Funções: Queratina
  9. 9. Prof.: Felipe Cavalcante - Queratina: É importante lembrar da importância evolutiva da queratina, impermeabilizar a pele dos vertebrados terrestres, evitando a desidratação. Este FI localiza-se é encontrado também nas unhas e cabelos, além de agir junto à desmocolina e desmogleína na formação dos desmossomos. Filamentos intermediários
  10. 10. Prof.: Felipe Cavalcante Protofilamento α-tubulina β-tubulina + - Microtúbulos Dímero de tubulina + -
  11. 11. Prof.: Felipe Cavalcante +- Dineína Cinesina Vesículas Microtúbulo
  12. 12. Prof.: Felipe Cavalcante - A Dineína e Cinesina (ou Quinesina) são proteínas motoras que se associam aos microtúbulos e os utilizam como trilho no transporte de vesículas e organelas; - A Dineína também participa do processo de migração dos cromossomos durante a anáfase, agindo como uma espécie de guindaste movendo os cromossomos para uma próxima Dineína; - Os cílios e flagelos movem-se graças à ação mecânica da Dineína, que, caso não seja produzida - caráter genético – desenvolve-se a Síndrome de Kartagener (SK). Pessoas com SK, sofrem de bronquite, infertilidade nos homens, pois o flagelo do espermatozoide não é funcional.
  13. 13. Prof.: Felipe Cavalcante Célula nervosa - Trânsito de vesículas no neurônio
  14. 14. Prof.: Felipe Cavalcante Divisão celular - Migração dos cromossomos
  15. 15. Prof.: Felipe Cavalcante - Os microtúbulos polimerizam-se a partir dos centríolos até atingirem as fibras do cinetocoro; - Quando chegam aos cromossomos, começam a empurrá-los até a região mediana da célula, formando a placa Metafásica; - Na Anáfase, estes microtúbulos se despolimerizam ajudando na migração das cromátides irmãs – Mitose e Meiose II – ou cromossomos homólogos na Meiose I.
  16. 16. Prof.: Felipe Cavalcante Cílios e flagelos
  17. 17. Prof.: Felipe Cavalcante Cílios e flagelos - Estrutura e movimento “9+2” - Dobletes
  18. 18. Prof.: Felipe Cavalcante Cílios e flagelos - Movimentos ciliar e flagelar Dineína
  19. 19. Prof.: Felipe Cavalcante Contração muscular Sarcômero Linha Z Linha ZBanda HBanda I Banda I
  20. 20. Prof.: Felipe Cavalcante T. do Filamento Deslizante Actina Miosina Cabeça da Miosina
  21. 21. Prof.: Felipe Cavalcante - Um neurônio motor realiza diversas sinapses, a partir das ramificações do seu axônio, com o músculo. Esta sinapse é conhecida como fenda neuromuscular e não possui um contato físico; - O neurônio libera um neurotransmissor, geralmente Acetilcolina – Ach – que provoca uma despolarização da membrana da célula muscular; - Esta despolarização se propaga pelos túbulos T e excita o retículo sarcoplasmático que libera íons de Ca++ no Sarcômero; - Os íons de Ca interagem com a Troponina C (proteína reguladora da contração junto com a Tropomiosina), que está associada à Actina e a expõe às cabeças da Miosina; - A Miosina hidroliza – “quebra” – ATP liberando P => Fosfato e energizando-se para sua cabeça mudar a conformação, liga-ser à Actina e fazê-la deslizar, provocando a contração muscular.
  22. 22. Prof.: Felipe Cavalcante Contração muscular Contraído Relaxado

×