Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional

108 visualizações

Publicada em

Apresentação dos resultados finais do estudo "Panorama e-learning Portugal 360˚" promovido pela TecMinho em parceria com a Quaternaire Portugal, no âmbito do Programa Operacional de Assistência Técnica - POAT-FSE.
O projeto estudou entre 2013/2014 a governação e as práticas de e-learning em Portugal a 360˚, tendo em paralelo realizado um trabalho de benchmarking com vista ao estabelecimento de critérios de qualidade para o e-learning. Procurou-se analisar as práticas no domínio do e-Learning em curso por parte das entidades formadoras e de ensino superior, criando um conjunto de contributos para a construção de um modelo de regulação no setor, assim como o site Observatório Panorama e-Learning 360˚.
Mais informação em www.tecminho.uminho.pt/panoramaelearning e www.panoramaelearning.pt

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
108
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • European Common Quality Assurance Framework (EQARF)
  • Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional

    1. 1. Slide 2 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ OBJETIVO  Estado da arte do e-learning em Portugal  Criar a Carta da Qualidade e-learning em Portugal – Regulação das Práticas – Guia para Financiamento  Avaliar o estado da arte a 360`e propor um modelo de regulação do e-learning, promovendo a qualidade face à atual ausência de políticas públicas que visem o investimento específico para o e- learning. O investimento público tem dependido dos QCAs.O investimento público tem dependido dos QCAs. Carta de Qualidade
    2. 2. Slide 3 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ GOVERNAÇÃO
    3. 3. Slide 4 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ METODOLOGIA DO ESTUDO  Benchmarking internacional  Entrevistas: 10 *140 peritos envolvidos*  A especialistas e a responsáveis do sistema de educação e formação com responsabilidade sobre e-learning  Estudos de Caso: 12  a operadores e-learning –de entidade formadoras  Recolha de boas práticas -14  Administração Pública, Forças Armadas, Empresas de Formação, Instituições de Ensino Superior  3 Workshops e focus-group com práticos e especialistas (100pessoas)  Facebook - Comunidade Prática – 500 membros https://www.facebook.com/groups/panoramaelearning/ Criação do Observatório do e-learning em PortugalCriação do Observatório do e-learning em Portugal
    4. 4. Slide 5 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ HISTÓRICO DA REGULAÇÃO
    5. 5. Slide 6 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ BENCHMARKING INTERNACIONAL  Identificar selos de qualidade atribuídas a instituições ou cursos de e-learning  Países – datas – selos de qualidade – do terreno ou de entidades reguladoras - EFQUEL  Domínios: organização do curso, informação ao formando, desenho do curso, qualidade dos recursos/e-conteúdos, mecanismos de acompanhamento do formando, tecnologia e recursos digitais e avaliação dos resultados.
    6. 6. Slide 7 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ BENCHMARKING INTERNACIONAL Domínios de intervenção Modelo 1 Certificação de cursos Modelo 2 – Certificação/Acr editação entidade formadora Modelo 3 – Norma de Qualidade Modelo 4 – Referencial de boas práticas Modelo 5 Diploma legal Organização do curso     Informação ao formando     Procedimentos de controlo e gestão da formação     Desenho do curso     Qualidade dos conteúdos    Mecanismos de acompanhamento do formando      Equipa pedagógica (coordenador, e-formador, tutor, webdesigner…)    Recursos digitais    Tecnologia/ambiente virtual de aprendizagem      Avaliação dos resultados    
    7. 7. Slide 8 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ ESTUDOS DE CASO NACIONAIS e-learning (cursos online)  nas empresas e corporações: •Aprendizagem individualizada, que tem por base o autoestudo, com instruções constantes na plataforma e nos conteúdos de suporte à aprendizagem, avaliações automáticas de conhecimentos, tendo subjacente uma lógica instrucional. Muitas vezes aprendizagem com ferramentas síncronas. E-learning (cursos online) e b-learning (cursos online com algumas aulas presenciais) •Aprendizagem colaborativa - em grupos - que integra mecanismos de comunicação e de interação facilitadores de uma dinâmica de aprendizagem construtivista. Existência de um formador/ tutor ativo (ou reativo), com funções de dinamização, motivação e acompanhamento das aprendizagens individuais (e dos grupos), que acrescenta conhecimento dinâmico ao curso de acordo com as necessidades. As avaliações variam entre as automáticas através de ferramentas da plataforma e os exercícios de caráter formativo e aberto.
    8. 8. Slide 9 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ RESULTADOS DO ESTUDO Uma parte significativa das organizações em Portugal usam plataformas e-learning e outras ferramentas pedagógicas web para apoio à aprendizagem presencial e em alguns casos para desenvolver ofertas de educação/formação e-learning. As práticas e-learning estão a crescer, mas ainda não se pode falar numa realidade enraizada e normalizada institucionalmente, por outro lado não existe uma política clara, nem investimento consistente, nem uma regulação transversal, que seja transparente e eficaz.
    9. 9. Slide 10 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ RESULTADOS DO ESTUDO  As organizações que têm e-learning afirmam que a sua oferta e- learning é no máximo de 10% relativamente à oferta presencial, normalmente para formandos dispersos ao nível nacional.  É residual a experiência de Empresas de Formação e do Ensino Superior no desenvolvimento de soluções e-learning para alunos dispersos pelo mundo. (desenho para a distância depende do contexto).  As empresas de tecnologia que vendem soluções e-learning a empresas ou organizações influenciam o desenvolvimento e o conhecimento (modelos e tecnologias).  Os MOOC ajudam definir novos modelos e-learning nas Empresas de Formação e no Ensino Superior
    10. 10. Slide 11 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ RESULTADOS DO ESTUDO Aspetos a clarificar na perspetiva do formandoAspetos a clarificar na perspetiva do formando  e-learning “puro”–e-learning “puro”– cursos/conteúdos online para muitas pessoas, comcom durações curtas (meia hora a 20horas) webinars, conteúdos para auto-durações curtas (meia hora a 20horas) webinars, conteúdos para auto- estudo, individualizado;estudo, individualizado; **ambiente empresarial/corporativoambiente empresarial/corporativo  e-learning ee-learning e b-learningb-learning, para grupos (15 a 20 pessoas*), com formador.para grupos (15 a 20 pessoas*), com formador. Formador/Tutor (ativo ou reativo), o Tutor pode ser técnico de formação ou um especialista! **Entidades FormadorasEntidades Formadoras
    11. 11. Slide 12 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ RESULTADOS DO ESTUDO Parece haver pouca clareza no uso dos termos tutor, sistema de tutoria, e-formador, e-moderator tanto do lado do regulador como do lado do operador. A documentação DGERT e da NP4512 parecem descontinuas e referem termos diferentes para “e-formador”; A falta de clareza poderá dever-se à flexibilidade do sistema, mas pode ter a ver também com os custos com “formadores”; >> A falta de clareza leva a experiências de aprendizagem diversas do formando e pode ser prejudicial ao desenvolvimento
    12. 12. Slide 13 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ RESULTADOS REGULAÇÃO • O campo de regulação do e-learning existente em Portugal parece ser incipiente ou insuficiente quanto comparável com outros países da UE. • O Despacho 2001O Despacho 2001 da formação a distância, é uma referência para regulador e entidades - exige- exige sessões presenciaissessões presenciais e sessões síncronas , oue sessões síncronas , ou seja regula b-learning!seja regula b-learning! • Os dispositivos reguladores existentes para Formação e Ensino Superior não estão ainda dimensionados para e-learning (cursos(cursos online),online), inclusivamente a NP4512.inclusivamente a NP4512.
    13. 13. Slide 14 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ REGULAR E-LEARNING PORQUÊ?  E-learning é uma forma de organização da formação/educação que requer a adoção de práticas de regulação que lhe são especificamente referenciadas, isto é, que é inadequadamente enquadrável nos modos de regular a educação/formação presencial; e  Uma perspetiva relativamente abrangente do conceito que lhe possibilite representar uma grande diversidade de práticas (um campo exposto à inovação tecnológica e pedagógica).
    14. 14. Slide 15 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ E-LEARNING, MOOCS E SPOCS Aprender (online e a distância) = e-Learning Os MOOC – Massive Open Online Courses são cursos online - abertos – para massas –para muitos São defendidos pelos adeptos do acesso aberto- Politicas de OER – Open Educational Resources – Recursos Educativos Abertos (REA)e da iniciativa Open Up Education (agenda 2020); Os SPOC – Small and Private Online Courses - cursos online - fechados – para grupos pequenos >> são todos cursos online desenhados para alunos a distância!
    15. 15. Slide 16 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ E-LEARNING ALVO EM MOVIMENTO  Cursos online, formal e informal, dentro e fora da organização  Conceito e-learning utilizado é abrangente, acolhe a evolução tecnológica e a inovação (pedagógica e tecnológica), abraça os novos dispositivos de acesso e as aplicações móveis  e-learning mais “acelerado” – no tempo certo e no local certo - em oposição a um e-learning tradicional, movido por grandes equipas de produção técnica de conteúdos ou de esquemas de aprendizagem complexos.  inovação nos modelos pedagógicos - criatividade, nos dispositivos, conteúdos e meios digitais !
    16. 16. Slide 17 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ RESULTADOS – PRODUTOS E RECOMENDAÇÕES  Carta da Qualidade e-learning em Portugal que permita a regulação das práticas e possa dar contributos para o financiamento eficaz.  Observatório Panorama e-learning - conteúdos sobre atividade e-learning em Portugal - e que anualmente possa disponibilizar dados sobre as políticas e as práticas e servir de barómetro do e-learning.
    17. 17. Slide 18 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ RECOMENDAÇÕES - OPERADORES  Criar o Regulamento do e-learning - o que é, como funciona, que tecnologias, qual o modelo pedagógico e-learning, como faz a avaliação da aprendizagem dos alunos e como avalia o processo.  Guia de Tecnologias Educativas da Organização  Guia para e-formadores – como fazer o seu e-curso – o que desenhar – que tecnologias e pedagogias tem à disposição na organização, exemplos de outros cursos (opções pedagógicas, opções tecnológicas, opções de interação com alunos, avaliação)  Selecionar e-formadores com formação especializada em e-learning*
    18. 18. Slide 19 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ RECOMENDAÇÕES - GOVERNAÇÃO  Disponibilizar CCPE e-formador  Integrar no CCP do formador mais componentes de aprendizagens como e-formador  No desenho de referenciais de formação do Catálogo Nacional de Qualificações (CNQ) considerar a possibilidade de aprendizagem em e-learning  Criar um programa piloto para desenvolvimento de unidade de Formação de Curta Duração (UFCDs) em e- learning
    19. 19. Slide 20 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ RECOMENDAÇÕES - GOVERNAÇÃO  Adotar uma carta da qualidade e-learning  Novas regras de financiamento
    20. 20. QUESTÕES?
    21. 21. Slide 22 | 07/10/14 Ciclo de Qualidade e-learning
    22. 22. Slide 23 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ ORGANIZAÇÃO DA CARTA DA QUALIDADE
    23. 23. Slide 24 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ REQUISITOS E DOMÍNIOS DA QUALIDADE Requisitos Domínios Organizativos A. Organização, logística e informação ao formando Pedagógicos B. Design do curso C. Conteúdos educativos (e-conteúdos) D. Apoio e acompanhamento do formando Tecnológicos A. Plataforma e e-conteúdos Melhoria contínua A. Avaliação dos resultados
    24. 24. Slide 25 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ CRITÉRIOS DE QUALIDADE POR DOMÍNIO A. Organização, logística e informação ao formando – Pertinência do curso – Adequação das competências da equipa pedagógica – Relevância da informação dada ao formando – Adequação da tecnologia educativa e logística online
    25. 25. Slide 26 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ CRITÉRIOS DE QUALIDADE POR DOMÍNIO B. Design do curso – Clareza e rigor do referencial de objetivos – Adequação do design do curso à metodologia proposta – Coerência e diversidade das estratégias de aprendizagem – Adequação temporal da planificação do curso e das estratégias e ferramentas de aprendizagem
    26. 26. Slide 27 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ CRITÉRIOS DE QUALIDADE POR DOMÍNIO C. Conteúdos educativos (e-conteúdos) – Rigor e fiabilidade dos conteúdos – Sequência dos conteúdos – Navegabilidade, Interatividade e diversidade
    27. 27. Slide 28 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ CRITÉRIOS DE QUALIDADE POR DOMÍNIO D. Apoio e acompanhamento do formando – Consistência e relevância do acompanhamento – Adequação e diversidade dos instrumentos, técnicas e estratégias de avaliação – Promoção da autonomia e interação
    28. 28. Slide 29 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ CRITÉRIOS DE QUALIDADE POR DOMÍNIO E. Plataformas e e-conteúdos – Acessibilidade e legibilidade – Navegabilidade F. Avaliação – Abrangência e pertinência da avaliação – Relevância das estratégias de melhoria contínua
    29. 29. Slide 30 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ
    30. 30. Slide 31 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ
    31. 31. QUESTÕES?
    32. 32. Slide 33 | PROMOVER A QUALIDADE REGULAR O FUNCIONAMENTO FINANCIAR DE FORMA EFICAZ OBSERVATÓRIO DIGITAL
    33. 33. QUESTÕES?

    ×