SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Raio X do e-Learning
Raio X do e-Learning Como característica do mundo moderno as pessoas já não possuem tempo para seminários e cursos presenciais de capacitação profissional. Em resposta, o e-Learning cresce velozmente, utilizado como ferramenta tecnológica que facilita a auto-aprendizagem. “ Nos próximos anos, o e-Learning pode tornar-se a principal ferramenta de aprendizagem para as empresas e pode ser ponto-chave para desenvolvimento de equipes e competitividade de qualquer organização.”   Michael Schrage -  Especialista   em   inovação  e  autor  de Shared Minds: The New Technologies of Collaboration.
Ferramenta que diminui cada vez mais a distância entre o indivíduo e a educação, o ensino à distância – EAD – é um assunto ainda muito discutido quanto a sua efetividade. Muitas são as pesquisas e número divulgados a respeito, e felizmente as respostas têm sido positivas.  O Especialista em estratégias na área de tecnologia, Grady Means disse na Expomanagement em São Paulo que o e-Learning vai “decolar como um foguete” em todo o mundo. Raio X do e-Learning
O Censo de Educação Superior anunciou em Dezembro de 2007 que de 2004 a 2006 houve um crescimento de 571% no número de cursos à distância. O número de estudantes também superou as expectativas. De 2003 a 2006 eles passaram de 49 mil para 209 mil estudantes de Graduação, Pós-graduação e Mestrado. O censo apontou que alunos de vários cursos à distância apresentaram rendimento superior no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) em relação aos alunos dos cursos presenciais.  Raio X do e-Learning
Este crescimento aquece também o mercado de tutores. Cursos já estão sendo ministrados á distância com discussões sobre aspectos motivacionais e qual o papel do tutor no processo de aprendizagem. “ O desempenho dos estudantes de EAD tem sido similar e às vezes até melhor que o desempenho dos estudantes presenciais. Não dá mais para se tratar ensino a distância como algo residual” -  Reynaldo Fernandes. - Presidente do Inep. Raio X do e-Learning
O e-Learning tornou-se também uma das principais ferramentas para a inclusão digital. Em todo o país, salas e telecentros de informáticas são disponibilizados para a população. Mas, o simples uso do computador e o ambiente de internet não incluem digitalmente uma pessoa com eficiência. Para o êxito desta iniciativa, o e-Learning é utilizado para capacitação de jovens, adolescentes e adultos. A web Aula  desenvolveu o  Cartão webAula  para atender esta demanda de inclusão digital. Através desta ferramenta que pode ser chamada de “materialização do ensino à distância”, o aluno tem acesso a mais de 70 cursos de capacitação e introdução ao uso do computador. Raio X do e-Learning
No ambiente corporativo o crescimento previsto em investimento nesta modalidade até 2010 é de 40% ao ano. Em 2008,a previsão é que essa movimentação chegue a 1,5 bilhão de reais. Entre estes investimentos, 48% destinado à produção de conteúdos on-line, 29% para sistemas e serviços de gestão e 23% para controle do aprendizado e de salas virtuais.  Este crescimento é reflexo da possibilidade de redução de custos e preparação de pacotes de conteúdo específicos para determinadas áreas da empresa. Para os gerentes de RH de grandes corporações, o e-Learning torna-se praticamente imbatível como solução de treinamentos e capacitação. As empresas também investem nesta modalidade de treinamentos para criar um diferencial em meio à concorrência, procurando qualificação profissional. Raio X do e-Learning
Wayne Hodgins, Diretor de Estratégias Mundiais de e-Learning na AutoDesk, apresentou no Congresso e-Learning Brasil de 2007 o impacto do “Efeito Floco de Neve” no aprendizado das pessoas. Segundo ele, os “Flocos de Neve” são elementos exclusivos, e, em sua opinião, o aprendizado das pessoas também deve manter uma linha de exclusividade.  Ele apresentou este tema com o objetivo de alertar os profissionais de educação sobre a necessidade de focar o aprendizado naquilo que é realmente relevante para cada profissional. Raio X do e-Learning
Outra tendência que se observa no ensino hoje é que a forma de ler e escrever é superada pela de ver e ouvir. A tecnologia G3 traz uma nova proposta para oferecer cursos e apresentar conteúdos para o ensino. A tendência é que esses dispositivos móveis vão mudar a maneira como interagimos, como ensinamos, como aprendemos. Raio X do e-Learning
Há mais de oito anos no mercado brasileiro, a web Aula  participa deste crescimento com as frequentes demandas de produção de conteúdo e outros serviços para educação on-line que recebe de empresas dos mais diversos segmentos. O crescimento de seu faturamento e do número de clientes em 2007 também comprova a evolução do e-Learning no Brasil.  Raio X do e-Learning
Os gráficos a seguir são de informações apresentadas por 93 empresas participantes das seis edições do prêmio e-Learning Brasil de 2002 a 2007 e mostram um retrato do mundo corporativo do e-Learning em números. Estatística do e-Learning
Investimentos x benefícios Estatística do e-Learning
Razões de negócios Estatística do e-Learning
Distribuição dos investimentos Estatística do e-Learning
Conteúdo De um total de 11.426 cursos aplicando tecnologias (e-Learning), observamos que 92% foram desenvolvidos sob medida (85% em 2004 e 87% em 2005), 79% por empresas terceirizadas (72% em 2004 e 81% em 2005) e 80% para atender a Força de Vendas (foco externo). A redução do percentual das contratações de empresas terceirizadas se justificou pela capacitação das equipes internas das empresas para proceder atualizações nos cursos já em utilização, em muitos casos utilizando ferramentas de autoria. Estatística do e-Learning
Conteúdo Estatística do e-Learning
Ferramentas de autoria O custo para o desenvolvimento de conteúdos vem diminuindo ano a ano graças ao aperfeiçoamento da atividade de desenho instrucional e das ferramentas de autoria. Dessa forma, o custo para o desenvolvimento de uma hora de curso foi reduzido de R$ 46.000,00 em 1999 para R$ 7.500,00 em 2006. Estatística do e-Learning
Ferramentas de autoria Estatística do e-Learning
Interação Utilização de mídias complexas, como simulações, ferramentas de colaboração, bancos de dados, algoritmos de interações, flash e mídias no formato streaming já representam 35% do total de cursos em utilização, e em 99% deles observa-se bom nível de interação. Essas práticas garantem a atenção do aprendiz/aluno, minimizando o índice de desistência. Estatística do e-Learning
Interação Estatística do e-Learning
Ferramentas de apoio à Tutoria A interação entre os aprendizes/alunos é fundamental não só para compartilhar o conhecimento, mas também para construí-lo de forma coletiva. Essa interação pode ser feita com apoio das tecnologias disponíveis de duas formas: Assíncrona (os participantes acessam de acordo com sua conveniência, e os demais podem ou não estar conectados no mesmo momento) ou Síncrona (os participantes estão conectados no mesmo momento). Estatística do e-Learning
Assíncronas As dúvidas são registradas via internet ou intranet, e os tutores ou mesmo colegas de trabalho ou estudo respondem quando estiverem conectados.  Estatística do e-Learning
Síncronas As dúvidas são esclarecidas em tempo real, ou seja, os tutores ou mesmo colegas de trabalho ou estudo estão conectados simultaneamente e interagem como se estivessem presencialmente juntos. Estatística do e-Learning
Tempo médio dos cursos Estatística do e-Learning
Índice de desistência Estatística do e-Learning
Presencial X e-Learning O total de horas aplicadas em capacitação por meio de cursos vem crescendo entre 5% e 18% ano a ano, e a participação dos cursos apoiados pelas tecnologias (e-Learning) atingiu 59% em 2006, ou seja, cada dia um número maior de profissionais está dedicando parte de seu tempo para capacitação, o que com certeza eleva o nível de produtividade deles. A oferta de cursos blended (mix de presencial com e-Learning) também vem crescendo e em 2006 já representa 25% do total. Estatística do e-Learning
Presencial X e-Learning Estatística do e-Learning
Segundo Marc J. Rosenberg, no futuro o e-Learning se tornará mais que e-Training. O que o trabalhador em processo de treinamento busca é o contato direto e confiável com informação e conhecimento especializado que responda a suas perguntas, demonstre uma determinada tarefa ou processo, ofereça orientação e torne seu trabalho mais fácil e melhor. A objetividade vai se tornar um diferencial. E a tecnologia vai funcionar como um agente facilitador proporcionando facilidade para aprender rapidamente apenas o necessário, no momento preciso em que a necessidade se apresenta. O futuro do e-Learning
Para a efetividade dos treinamentos no local de trabalho, o departamento responsável precisa se tornar mais interdisciplinar envolvendo todas as outras áreas da empresa no processo. Além de se envolverem no trabalho e nas tarefas diárias dos treinados. “ Será cada vez mais importante sugerir como os processos e as ferramentas de trabalho podem tornar-se mais fáceis, desde o início, em vez de desenvolver treinamento para compensar um plano de trabalho ruim.”, afirma Marc J. Rosenberg. Quando profissionais de e-Learning começam a utilizar este suporte informal, a linha entre aprendizagem e suporte ao desempenho no trabalho desaparece. O futuro do e-Learning
No futuro o e-Learning também será menos centrado em cursos. Uma abordagem voltada ao conhecimento e não a cursos abraça uma visão de e-Learning mais ampliada e de definição mais inclusiva, agregando valor e trazendo à tona sistematicamente mais conteúdo, indicando ainda onde ele pode ser encontrado. A tecnologia se tornará também um questão secundária. “Devemos pensar em e-Learning e tecnologias de aprendizagem como auxiliadores, não como estratégia. Eles representam a estrada, não o destino; o meio e não os fins.”, afirma Rosenberg. O futuro do e-Learning
A tecnologia de aprendizagem também vai ser adaptada de acordo com o nível de conhecimento do funcionário em sua função. Os níveis são: iniciante, competente, experiente e especialista/mestre.  Segundo Marc J. Rosenberg reconhecer e apoiar diferentes estratégias de aprendizagem baseadas em níveis de competência pode ser muito efetivo na melhora e sustentação do desempenho ao longo de um período de tempo maior. O futuro do e-Learning
Investimentos em e-Learning para 2008 A utilização do e-Learning, freqüente nos modelos de aprendizagem de muitas organizações em países desenvolvidos, se consolida como realidade operacional em grandes e médias empresas do Brasil. No país, 47% das organizações já definiram um orçamento para o treinamento em formato e-Learning para 2008.
Investimentos em e-Learning para 2008 Ano do início de investimento em e-Learning   O e-Learning vem crescendo anualmente no Brasil e no mundo, porém a maioria das organizações que responderam à pesquisa afirma que começará a investir nessa ferramenta a partir de 2008. Veja:
Investimentos em e-Learning para 2008 Valor de investimento
Investimentos em e-Learning para 2008 Parcela do valor total a ser investido em tecnologia e infra-estrutura
Investimentos em e-Learning para 2008 Parcela do valor total a ser investido em conteúdo
Investimentos em e-Learning para 2008 Mês em que a organização pretende investir em e-Learning
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Fonte
Unidade Brasília:  Telefone: +55 61 3217-7711   Unidade Belo Horizonte:  Telefone: +55 31 2129-0550 www.webaula.com.br Contatos webAula

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional
Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacionalPanorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional
Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacionalFátima Correia
 
Tendências Educação 2015 - estudo HP (vp)
Tendências Educação 2015 - estudo HP (vp)Tendências Educação 2015 - estudo HP (vp)
Tendências Educação 2015 - estudo HP (vp)Pedro Coelho
 
Educação Básica: O espelho digital da Crise da Aprendizagem e caminhos para a...
Educação Básica: O espelho digital da Crise da Aprendizagem e caminhos para a...Educação Básica: O espelho digital da Crise da Aprendizagem e caminhos para a...
Educação Básica: O espelho digital da Crise da Aprendizagem e caminhos para a...Luciano Sathler
 
O professor e as novas tecnologias digitais
O professor e as novas tecnologias digitaisO professor e as novas tecnologias digitais
O professor e as novas tecnologias digitaisanagabrielasmpa
 
Dispositivos móveis:Como potenciadores de aprendizagens em contexto educativo
Dispositivos móveis:Como potenciadores de aprendizagens em contexto educativo Dispositivos móveis:Como potenciadores de aprendizagens em contexto educativo
Dispositivos móveis:Como potenciadores de aprendizagens em contexto educativo Fernanda Ledesma
 
Horizon Report Brasil - Tendências para uso de tecnologias na educação
Horizon Report Brasil - Tendências para uso de tecnologias na educaçãoHorizon Report Brasil - Tendências para uso de tecnologias na educação
Horizon Report Brasil - Tendências para uso de tecnologias na educaçãoPaulo Alexandre
 
Sistemas de Gestão da Aprendizagem
Sistemas de Gestão da AprendizagemSistemas de Gestão da Aprendizagem
Sistemas de Gestão da AprendizagemPaula Peres
 
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Hugo Reis
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Hugo ReisA educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Hugo Reis
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Hugo ReisJosé Moura Carvalho
 
Graziele oliveira martins
Graziele oliveira martinsGraziele oliveira martins
Graziele oliveira martinsequipetics
 
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesCursoTICs
 
Inovação Educacional, um imperativo pouco compreendido
Inovação Educacional, um imperativo pouco compreendidoInovação Educacional, um imperativo pouco compreendido
Inovação Educacional, um imperativo pouco compreendidoLuciano Sathler
 

Mais procurados (16)

Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional
Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacionalPanorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional
Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional
 
Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional
Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacionalPanorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional
Panorama e-Learning Portugal 360 - resultados do estudo nacional
 
Tendências Educação 2015 - estudo HP (vp)
Tendências Educação 2015 - estudo HP (vp)Tendências Educação 2015 - estudo HP (vp)
Tendências Educação 2015 - estudo HP (vp)
 
Educação Básica: O espelho digital da Crise da Aprendizagem e caminhos para a...
Educação Básica: O espelho digital da Crise da Aprendizagem e caminhos para a...Educação Básica: O espelho digital da Crise da Aprendizagem e caminhos para a...
Educação Básica: O espelho digital da Crise da Aprendizagem e caminhos para a...
 
O professor e as novas tecnologias digitais
O professor e as novas tecnologias digitaisO professor e as novas tecnologias digitais
O professor e as novas tecnologias digitais
 
Hg paulo
Hg pauloHg paulo
Hg paulo
 
Dispositivos móveis:Como potenciadores de aprendizagens em contexto educativo
Dispositivos móveis:Como potenciadores de aprendizagens em contexto educativo Dispositivos móveis:Como potenciadores de aprendizagens em contexto educativo
Dispositivos móveis:Como potenciadores de aprendizagens em contexto educativo
 
Horizon Report Brasil - Tendências para uso de tecnologias na educação
Horizon Report Brasil - Tendências para uso de tecnologias na educaçãoHorizon Report Brasil - Tendências para uso de tecnologias na educação
Horizon Report Brasil - Tendências para uso de tecnologias na educação
 
Ligando os Pontos
Ligando os PontosLigando os Pontos
Ligando os Pontos
 
Sistemas de Gestão da Aprendizagem
Sistemas de Gestão da AprendizagemSistemas de Gestão da Aprendizagem
Sistemas de Gestão da Aprendizagem
 
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Hugo Reis
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Hugo ReisA educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Hugo Reis
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Hugo Reis
 
Graziele oliveira martins
Graziele oliveira martinsGraziele oliveira martins
Graziele oliveira martins
 
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
 
TIC e Empregabilidade
TIC e Empregabilidade TIC e Empregabilidade
TIC e Empregabilidade
 
Inovação Educacional, um imperativo pouco compreendido
Inovação Educacional, um imperativo pouco compreendidoInovação Educacional, um imperativo pouco compreendido
Inovação Educacional, um imperativo pouco compreendido
 
Tecnologias educacionais
Tecnologias educacionais Tecnologias educacionais
Tecnologias educacionais
 

Destaque

Raio X
Raio XRaio X
Raio Xtaynaz
 
Radiografia normal do tórax
Radiografia normal do tóraxRadiografia normal do tórax
Radiografia normal do tóraxFlávia Salame
 
FormaçãO Da Imagem Digital E TéCnicas De ComposiçãO
FormaçãO Da Imagem Digital E TéCnicas De ComposiçãOFormaçãO Da Imagem Digital E TéCnicas De ComposiçãO
FormaçãO Da Imagem Digital E TéCnicas De ComposiçãOMarcelo Freire
 
História da radiologia aula
História da radiologia aulaHistória da radiologia aula
História da radiologia aulaDouglas Henrique
 
História da radiologia no mundo aula 1
História da radiologia no mundo   aula 1História da radiologia no mundo   aula 1
História da radiologia no mundo aula 1Magno Cavalheiro
 
Formação das imagens convencionais e digitais: raios X
Formação das imagens convencionais e digitais: raios XFormação das imagens convencionais e digitais: raios X
Formação das imagens convencionais e digitais: raios XPaulo Fonseca
 
Os principais movimentos do corpo
Os principais movimentos do corpoOs principais movimentos do corpo
Os principais movimentos do corpoLia Monteiro
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanogrtalves
 
Achados radiográficos na radiografia de tórax
Achados radiográficos na radiografia de tóraxAchados radiográficos na radiografia de tórax
Achados radiográficos na radiografia de tóraxisadoracordenonsi
 
Anatomia humana slides
Anatomia humana slidesAnatomia humana slides
Anatomia humana slidesCed Amanhecer
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIALeonardo Delgado
 

Destaque (20)

Raio x
Raio xRaio x
Raio x
 
A descoberta do Raio-x
A descoberta do Raio-xA descoberta do Raio-x
A descoberta do Raio-x
 
INTRODUÇÃO A RADIOLOGIA
INTRODUÇÃO A RADIOLOGIAINTRODUÇÃO A RADIOLOGIA
INTRODUÇÃO A RADIOLOGIA
 
Raio X
Raio XRaio X
Raio X
 
Radiografia normal do tórax
Radiografia normal do tóraxRadiografia normal do tórax
Radiografia normal do tórax
 
FormaçãO Da Imagem Digital E TéCnicas De ComposiçãO
FormaçãO Da Imagem Digital E TéCnicas De ComposiçãOFormaçãO Da Imagem Digital E TéCnicas De ComposiçãO
FormaçãO Da Imagem Digital E TéCnicas De ComposiçãO
 
RADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS X
RADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS XRADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS X
RADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS X
 
História da radiologia aula
História da radiologia aulaHistória da radiologia aula
História da radiologia aula
 
RADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITALRADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITAL
 
História da radiologia no mundo aula 1
História da radiologia no mundo   aula 1História da radiologia no mundo   aula 1
História da radiologia no mundo aula 1
 
Formação das imagens convencionais e digitais: raios X
Formação das imagens convencionais e digitais: raios XFormação das imagens convencionais e digitais: raios X
Formação das imagens convencionais e digitais: raios X
 
Anatomia Radiológica
Anatomia RadiológicaAnatomia Radiológica
Anatomia Radiológica
 
Anatomia do corpo em movimento
Anatomia do corpo em movimentoAnatomia do corpo em movimento
Anatomia do corpo em movimento
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Os principais movimentos do corpo
Os principais movimentos do corpoOs principais movimentos do corpo
Os principais movimentos do corpo
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordano
 
Achados radiográficos na radiografia de tórax
Achados radiográficos na radiografia de tóraxAchados radiográficos na radiografia de tórax
Achados radiográficos na radiografia de tórax
 
Anatomia humana slides
Anatomia humana slidesAnatomia humana slides
Anatomia humana slides
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
 
Fotos Premiadas
Fotos PremiadasFotos Premiadas
Fotos Premiadas
 

Semelhante a Raio X Do E Learning

Artigo implantacao ead corporatio
Artigo   implantacao ead corporatioArtigo   implantacao ead corporatio
Artigo implantacao ead corporatioJose Rudy
 
A educação a distância nas uiversidades corporativas
A educação a distância nas uiversidades corporativasA educação a distância nas uiversidades corporativas
A educação a distância nas uiversidades corporativassocorrooliveira51
 
Os primeiros passos para ensinar online [Edools, Sílabe & CRM Educacional]
 Os primeiros passos para ensinar online [Edools, Sílabe & CRM Educacional] Os primeiros passos para ensinar online [Edools, Sílabe & CRM Educacional]
Os primeiros passos para ensinar online [Edools, Sílabe & CRM Educacional]Rafaela Espíndola
 
Gerir a formação em ambientes digitais de aprendizagem
Gerir a formação em ambientes digitais de aprendizagemGerir a formação em ambientes digitais de aprendizagem
Gerir a formação em ambientes digitais de aprendizagemB-Training, Consulting
 
Ead Web 2.0
Ead  Web 2.0Ead  Web 2.0
Ead Web 2.0grigol
 
Artigo vanilde figueiredo
Artigo vanilde figueiredoArtigo vanilde figueiredo
Artigo vanilde figueiredoVanilde Santos
 
22 10 - conhecimento na rede o uso de plataformas de vídeos digitais e apre...
22   10 - conhecimento na rede o uso de plataformas de vídeos digitais e apre...22   10 - conhecimento na rede o uso de plataformas de vídeos digitais e apre...
22 10 - conhecimento na rede o uso de plataformas de vídeos digitais e apre...Thiago Souza Santos
 
Curso Aluno Monitor
Curso Aluno MonitorCurso Aluno Monitor
Curso Aluno Monitorsilsilveira
 
Another Step - 8 Conferência de Professores Inovadores
Another Step - 8 Conferência de Professores InovadoresAnother Step - 8 Conferência de Professores Inovadores
Another Step - 8 Conferência de Professores InovadoresHugo Caldeira
 

Semelhante a Raio X Do E Learning (20)

Treina+ jun+16
Treina+ jun+16Treina+ jun+16
Treina+ jun+16
 
Tendências em T&D
Tendências em T&DTendências em T&D
Tendências em T&D
 
Artigo implantacao ead corporatio
Artigo   implantacao ead corporatioArtigo   implantacao ead corporatio
Artigo implantacao ead corporatio
 
A educação a distância nas uiversidades corporativas
A educação a distância nas uiversidades corporativasA educação a distância nas uiversidades corporativas
A educação a distância nas uiversidades corporativas
 
Os primeiros passos para ensinar online [Edools, Sílabe & CRM Educacional]
 Os primeiros passos para ensinar online [Edools, Sílabe & CRM Educacional] Os primeiros passos para ensinar online [Edools, Sílabe & CRM Educacional]
Os primeiros passos para ensinar online [Edools, Sílabe & CRM Educacional]
 
Gerir a formação em ambientes digitais de aprendizagem
Gerir a formação em ambientes digitais de aprendizagemGerir a formação em ambientes digitais de aprendizagem
Gerir a formação em ambientes digitais de aprendizagem
 
A informatica ensino aprendizagem
A informatica ensino aprendizagemA informatica ensino aprendizagem
A informatica ensino aprendizagem
 
Ead Web 2.0
Ead  Web 2.0Ead  Web 2.0
Ead Web 2.0
 
DEVOLUTIVA MARIA
DEVOLUTIVA MARIADEVOLUTIVA MARIA
DEVOLUTIVA MARIA
 
1423 seget
1423 seget1423 seget
1423 seget
 
Leitura 1
Leitura 1Leitura 1
Leitura 1
 
Artigo vanilde figueiredo
Artigo vanilde figueiredoArtigo vanilde figueiredo
Artigo vanilde figueiredo
 
Carlos Fernando
Carlos FernandoCarlos Fernando
Carlos Fernando
 
22 10 - conhecimento na rede o uso de plataformas de vídeos digitais e apre...
22   10 - conhecimento na rede o uso de plataformas de vídeos digitais e apre...22   10 - conhecimento na rede o uso de plataformas de vídeos digitais e apre...
22 10 - conhecimento na rede o uso de plataformas de vídeos digitais e apre...
 
Curso Aluno Monitor
Curso Aluno MonitorCurso Aluno Monitor
Curso Aluno Monitor
 
Marcos Ton Linkedin
Marcos Ton LinkedinMarcos Ton Linkedin
Marcos Ton Linkedin
 
Tecnologia Educacional
Tecnologia EducacionalTecnologia Educacional
Tecnologia Educacional
 
Presencial Correto
Presencial   CorretoPresencial   Correto
Presencial Correto
 
Another Step - 8 Conferência de Professores Inovadores
Another Step - 8 Conferência de Professores InovadoresAnother Step - 8 Conferência de Professores Inovadores
Another Step - 8 Conferência de Professores Inovadores
 
Lucas moreira 2018_dig_compedu
Lucas moreira 2018_dig_compeduLucas moreira 2018_dig_compedu
Lucas moreira 2018_dig_compedu
 

Raio X Do E Learning

  • 1. Raio X do e-Learning
  • 2. Raio X do e-Learning Como característica do mundo moderno as pessoas já não possuem tempo para seminários e cursos presenciais de capacitação profissional. Em resposta, o e-Learning cresce velozmente, utilizado como ferramenta tecnológica que facilita a auto-aprendizagem. “ Nos próximos anos, o e-Learning pode tornar-se a principal ferramenta de aprendizagem para as empresas e pode ser ponto-chave para desenvolvimento de equipes e competitividade de qualquer organização.” Michael Schrage - Especialista em inovação e autor de Shared Minds: The New Technologies of Collaboration.
  • 3. Ferramenta que diminui cada vez mais a distância entre o indivíduo e a educação, o ensino à distância – EAD – é um assunto ainda muito discutido quanto a sua efetividade. Muitas são as pesquisas e número divulgados a respeito, e felizmente as respostas têm sido positivas. O Especialista em estratégias na área de tecnologia, Grady Means disse na Expomanagement em São Paulo que o e-Learning vai “decolar como um foguete” em todo o mundo. Raio X do e-Learning
  • 4. O Censo de Educação Superior anunciou em Dezembro de 2007 que de 2004 a 2006 houve um crescimento de 571% no número de cursos à distância. O número de estudantes também superou as expectativas. De 2003 a 2006 eles passaram de 49 mil para 209 mil estudantes de Graduação, Pós-graduação e Mestrado. O censo apontou que alunos de vários cursos à distância apresentaram rendimento superior no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) em relação aos alunos dos cursos presenciais. Raio X do e-Learning
  • 5. Este crescimento aquece também o mercado de tutores. Cursos já estão sendo ministrados á distância com discussões sobre aspectos motivacionais e qual o papel do tutor no processo de aprendizagem. “ O desempenho dos estudantes de EAD tem sido similar e às vezes até melhor que o desempenho dos estudantes presenciais. Não dá mais para se tratar ensino a distância como algo residual” - Reynaldo Fernandes. - Presidente do Inep. Raio X do e-Learning
  • 6. O e-Learning tornou-se também uma das principais ferramentas para a inclusão digital. Em todo o país, salas e telecentros de informáticas são disponibilizados para a população. Mas, o simples uso do computador e o ambiente de internet não incluem digitalmente uma pessoa com eficiência. Para o êxito desta iniciativa, o e-Learning é utilizado para capacitação de jovens, adolescentes e adultos. A web Aula desenvolveu o Cartão webAula para atender esta demanda de inclusão digital. Através desta ferramenta que pode ser chamada de “materialização do ensino à distância”, o aluno tem acesso a mais de 70 cursos de capacitação e introdução ao uso do computador. Raio X do e-Learning
  • 7. No ambiente corporativo o crescimento previsto em investimento nesta modalidade até 2010 é de 40% ao ano. Em 2008,a previsão é que essa movimentação chegue a 1,5 bilhão de reais. Entre estes investimentos, 48% destinado à produção de conteúdos on-line, 29% para sistemas e serviços de gestão e 23% para controle do aprendizado e de salas virtuais. Este crescimento é reflexo da possibilidade de redução de custos e preparação de pacotes de conteúdo específicos para determinadas áreas da empresa. Para os gerentes de RH de grandes corporações, o e-Learning torna-se praticamente imbatível como solução de treinamentos e capacitação. As empresas também investem nesta modalidade de treinamentos para criar um diferencial em meio à concorrência, procurando qualificação profissional. Raio X do e-Learning
  • 8. Wayne Hodgins, Diretor de Estratégias Mundiais de e-Learning na AutoDesk, apresentou no Congresso e-Learning Brasil de 2007 o impacto do “Efeito Floco de Neve” no aprendizado das pessoas. Segundo ele, os “Flocos de Neve” são elementos exclusivos, e, em sua opinião, o aprendizado das pessoas também deve manter uma linha de exclusividade. Ele apresentou este tema com o objetivo de alertar os profissionais de educação sobre a necessidade de focar o aprendizado naquilo que é realmente relevante para cada profissional. Raio X do e-Learning
  • 9. Outra tendência que se observa no ensino hoje é que a forma de ler e escrever é superada pela de ver e ouvir. A tecnologia G3 traz uma nova proposta para oferecer cursos e apresentar conteúdos para o ensino. A tendência é que esses dispositivos móveis vão mudar a maneira como interagimos, como ensinamos, como aprendemos. Raio X do e-Learning
  • 10. Há mais de oito anos no mercado brasileiro, a web Aula participa deste crescimento com as frequentes demandas de produção de conteúdo e outros serviços para educação on-line que recebe de empresas dos mais diversos segmentos. O crescimento de seu faturamento e do número de clientes em 2007 também comprova a evolução do e-Learning no Brasil. Raio X do e-Learning
  • 11. Os gráficos a seguir são de informações apresentadas por 93 empresas participantes das seis edições do prêmio e-Learning Brasil de 2002 a 2007 e mostram um retrato do mundo corporativo do e-Learning em números. Estatística do e-Learning
  • 12. Investimentos x benefícios Estatística do e-Learning
  • 13. Razões de negócios Estatística do e-Learning
  • 14. Distribuição dos investimentos Estatística do e-Learning
  • 15. Conteúdo De um total de 11.426 cursos aplicando tecnologias (e-Learning), observamos que 92% foram desenvolvidos sob medida (85% em 2004 e 87% em 2005), 79% por empresas terceirizadas (72% em 2004 e 81% em 2005) e 80% para atender a Força de Vendas (foco externo). A redução do percentual das contratações de empresas terceirizadas se justificou pela capacitação das equipes internas das empresas para proceder atualizações nos cursos já em utilização, em muitos casos utilizando ferramentas de autoria. Estatística do e-Learning
  • 17. Ferramentas de autoria O custo para o desenvolvimento de conteúdos vem diminuindo ano a ano graças ao aperfeiçoamento da atividade de desenho instrucional e das ferramentas de autoria. Dessa forma, o custo para o desenvolvimento de uma hora de curso foi reduzido de R$ 46.000,00 em 1999 para R$ 7.500,00 em 2006. Estatística do e-Learning
  • 18. Ferramentas de autoria Estatística do e-Learning
  • 19. Interação Utilização de mídias complexas, como simulações, ferramentas de colaboração, bancos de dados, algoritmos de interações, flash e mídias no formato streaming já representam 35% do total de cursos em utilização, e em 99% deles observa-se bom nível de interação. Essas práticas garantem a atenção do aprendiz/aluno, minimizando o índice de desistência. Estatística do e-Learning
  • 21. Ferramentas de apoio à Tutoria A interação entre os aprendizes/alunos é fundamental não só para compartilhar o conhecimento, mas também para construí-lo de forma coletiva. Essa interação pode ser feita com apoio das tecnologias disponíveis de duas formas: Assíncrona (os participantes acessam de acordo com sua conveniência, e os demais podem ou não estar conectados no mesmo momento) ou Síncrona (os participantes estão conectados no mesmo momento). Estatística do e-Learning
  • 22. Assíncronas As dúvidas são registradas via internet ou intranet, e os tutores ou mesmo colegas de trabalho ou estudo respondem quando estiverem conectados. Estatística do e-Learning
  • 23. Síncronas As dúvidas são esclarecidas em tempo real, ou seja, os tutores ou mesmo colegas de trabalho ou estudo estão conectados simultaneamente e interagem como se estivessem presencialmente juntos. Estatística do e-Learning
  • 24. Tempo médio dos cursos Estatística do e-Learning
  • 25. Índice de desistência Estatística do e-Learning
  • 26. Presencial X e-Learning O total de horas aplicadas em capacitação por meio de cursos vem crescendo entre 5% e 18% ano a ano, e a participação dos cursos apoiados pelas tecnologias (e-Learning) atingiu 59% em 2006, ou seja, cada dia um número maior de profissionais está dedicando parte de seu tempo para capacitação, o que com certeza eleva o nível de produtividade deles. A oferta de cursos blended (mix de presencial com e-Learning) também vem crescendo e em 2006 já representa 25% do total. Estatística do e-Learning
  • 27. Presencial X e-Learning Estatística do e-Learning
  • 28. Segundo Marc J. Rosenberg, no futuro o e-Learning se tornará mais que e-Training. O que o trabalhador em processo de treinamento busca é o contato direto e confiável com informação e conhecimento especializado que responda a suas perguntas, demonstre uma determinada tarefa ou processo, ofereça orientação e torne seu trabalho mais fácil e melhor. A objetividade vai se tornar um diferencial. E a tecnologia vai funcionar como um agente facilitador proporcionando facilidade para aprender rapidamente apenas o necessário, no momento preciso em que a necessidade se apresenta. O futuro do e-Learning
  • 29. Para a efetividade dos treinamentos no local de trabalho, o departamento responsável precisa se tornar mais interdisciplinar envolvendo todas as outras áreas da empresa no processo. Além de se envolverem no trabalho e nas tarefas diárias dos treinados. “ Será cada vez mais importante sugerir como os processos e as ferramentas de trabalho podem tornar-se mais fáceis, desde o início, em vez de desenvolver treinamento para compensar um plano de trabalho ruim.”, afirma Marc J. Rosenberg. Quando profissionais de e-Learning começam a utilizar este suporte informal, a linha entre aprendizagem e suporte ao desempenho no trabalho desaparece. O futuro do e-Learning
  • 30. No futuro o e-Learning também será menos centrado em cursos. Uma abordagem voltada ao conhecimento e não a cursos abraça uma visão de e-Learning mais ampliada e de definição mais inclusiva, agregando valor e trazendo à tona sistematicamente mais conteúdo, indicando ainda onde ele pode ser encontrado. A tecnologia se tornará também um questão secundária. “Devemos pensar em e-Learning e tecnologias de aprendizagem como auxiliadores, não como estratégia. Eles representam a estrada, não o destino; o meio e não os fins.”, afirma Rosenberg. O futuro do e-Learning
  • 31. A tecnologia de aprendizagem também vai ser adaptada de acordo com o nível de conhecimento do funcionário em sua função. Os níveis são: iniciante, competente, experiente e especialista/mestre. Segundo Marc J. Rosenberg reconhecer e apoiar diferentes estratégias de aprendizagem baseadas em níveis de competência pode ser muito efetivo na melhora e sustentação do desempenho ao longo de um período de tempo maior. O futuro do e-Learning
  • 32. Investimentos em e-Learning para 2008 A utilização do e-Learning, freqüente nos modelos de aprendizagem de muitas organizações em países desenvolvidos, se consolida como realidade operacional em grandes e médias empresas do Brasil. No país, 47% das organizações já definiram um orçamento para o treinamento em formato e-Learning para 2008.
  • 33. Investimentos em e-Learning para 2008 Ano do início de investimento em e-Learning O e-Learning vem crescendo anualmente no Brasil e no mundo, porém a maioria das organizações que responderam à pesquisa afirma que começará a investir nessa ferramenta a partir de 2008. Veja:
  • 34. Investimentos em e-Learning para 2008 Valor de investimento
  • 35. Investimentos em e-Learning para 2008 Parcela do valor total a ser investido em tecnologia e infra-estrutura
  • 36. Investimentos em e-Learning para 2008 Parcela do valor total a ser investido em conteúdo
  • 37. Investimentos em e-Learning para 2008 Mês em que a organização pretende investir em e-Learning
  • 38.
  • 39. Unidade Brasília: Telefone: +55 61 3217-7711 Unidade Belo Horizonte: Telefone: +55 31 2129-0550 www.webaula.com.br Contatos webAula