REFORMA E CONTRA -REFORMA
ANTECEDENTES DAREFORMA USURA DIVERGÊNCIA ENTRE O PAPADO AVANÇO DAS CIÊNCIAS(IMPRENSA) COMPORTAMENTO DO CLERO VENDAS D...
PRECURSORESREFORMISTAS John Wyclif (de barbabranca) trabalhou naprimeira tradução daBíblia para o idiomainglês, ele entre...
 John Wyclif, um professor universitário, atacou osistema eclesiástico, a opulência do clero e a vendade indulgências. Pa...
REFORMA NA ALEMANHA  A Alemanha era uma região feudal e comcomércio ao norte. A igreja era dona de mais de um terço dare...
LUTERO
Martinho Lutero (1483- 1546 ) NÃO CONCORDAVA COM: » o interesse sobre a economia e a riquezafeudal; » o péssimo comport...
Na universidade deWittenberg,Saxônia , defendia: » a salvação pela fé; » a bíblia pode ser interpretada livremente; » s...
Reação de Lutero Em 1517, fixou as 95 Teses na porta daigreja . essas teses mostravam suas críticase a nova doutrina. Em...
APOIO À LUTERO Lutero, mesmo perseguido, teve apoio danobreza alemã. Que tinha forte interessepolítico e econômico na ref...
LUTERANISMO Em 1530 , Lutero e o teólogo Filipe Melanchtonescreveram a  confissão de Augsburgo, base da doutrina luterana...
ANABATISMO THOMAS MÜNTZER – Liderou uma revolta em1524 com camponeses da região do Reno. Alémde atacar a Igreja pela cobr...
DOUTRINA ANABATISTA Necessidade de rebatizar os indivíduos, Separar a Igreja e o Estado, Abolir as imagens e o culto do...
REFORMA NA SUÍÇA A reforma protestante foi iniciada com UlrichZwinglio ( 1489-1531), seguidor de Lutero. Suas pregações e...
CALVINO
 Sua doutrina baseava-se em: A riqueza material era um sinal da graça divina sobre o indivíduo. Essateoria é assimilada p...
CALVINO DEFENDE - Defende a separação entre a Igreja e o Estado; - Questiona o Celibato do clero;- Questiona a Transubs...
INGLATERRA Os ingleses, durante a época dos Tudor,também criticavam os abusos da IgrejaRomana, a ineficiência dos tribuna...
REFORMA NA INGLATERRA Na Inglaterra, foi o rei Henrique VIII quetomou a frente na revolução protestante.Essa tinha caráte...
REI HENRIQUE VIII
REAÇÃO DA IGREJACATÓLICA O papa negou a anulação do casamento, porqueCatarina era aparentada de Carlos V, imperador doSac...
REFORMA ANGLICANA A Reforma anglicana, na prática, apresentapoucas modificações com a Igreja romana:Questiona o Culto aos...
EXPANSÃO CALVINISTA O Calvinismo também criou raízes naInglaterra. Seus adeptos, os puritanos,iriam entrar em choque com ...
A Reforma na Escandinávia Na Dinamarca, a difusão das idéias de Luterodeveu-se a Hans Tausen. Em 1536, na Dieta deCopenha...
REFORMA NA SUÉCIA Na Suécia, o movimento reformista foi lideradopelo irmãos Olaus e Laurentius Petri. Foi em largamedida ...
CONTRA-REFORMA Foi um movimento de reação aoprotestantismo. A Igreja precisava auto-reformar-se ou não sobreviveria, pois...
CONCÍLIO DE TRENTO
 - Conserva os sete Sacramentos e confirma os Dogmas; Afirma a presença real de Cristo na Eucaristia; - Inicia a redaçã...
 - Mantém o Latim como língua do Culto e traduçãooficial das Sagradas Escrituras; Confirma como texto autêntico, a tradu...
OUTROS CONCÍLIOS Houve o Concílio Vaticano I (08/12/1869 -20/10/1870), convocado pelo Papa PIO IX (1846-1878), mas que fo...
PAPA LEÃO X
18° reforma e contra-reforma
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

18° reforma e contra-reforma

893 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
893
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

18° reforma e contra-reforma

  1. 1. REFORMA E CONTRA -REFORMA
  2. 2. ANTECEDENTES DAREFORMA USURA DIVERGÊNCIA ENTRE O PAPADO AVANÇO DAS CIÊNCIAS(IMPRENSA) COMPORTAMENTO DO CLERO VENDAS DE INDULGÊNCIA SIMONIA
  3. 3. PRECURSORESREFORMISTAS John Wyclif (de barbabranca) trabalhou naprimeira tradução daBíblia para o idiomainglês, ele entrega atradução aos padres,que ficaram conhecidoscomo lolardos. (quadro de WilliamFrederick Yeames).
  4. 4.  John Wyclif, um professor universitário, atacou osistema eclesiástico, a opulência do clero e a vendade indulgências. Para ele a base da verdadeira féera a Bíblia. Além disso ele pregava o confisco dosbens dos clérigos na Inglaterra e o voto de pobrespor parte deles. John Huss era da universidade de praga, uniu àreforma religiosa o espírito de independêncianacional do Sacro Império. Ele ganhou adeptos,mas ele foi preso, condenado e queimado nafogueira em 1415, pela decisão do concílio daConstança. 
  5. 5. REFORMA NA ALEMANHA  A Alemanha era uma região feudal e comcomércio ao norte. A igreja era dona de mais de um terço daregião. Seus clérigos não tinham um bomcomportamento e os nobres tinhaminteresses em suas terras. Esses fatores foram de importância para odesejo de autonomia em relação a Roma.
  6. 6. LUTERO
  7. 7. Martinho Lutero (1483- 1546 ) NÃO CONCORDAVA COM: » o interesse sobre a economia e a riquezafeudal; » o péssimo comportamento dos clérigos,que abusavam do seu poder; » o afastamento da doutrina, dos textossagrados;
  8. 8. Na universidade deWittenberg,Saxônia , defendia: » a salvação pela fé; » a bíblia pode ser interpretada livremente; » sacramentos importantes: batismo eeucaristia; » a única verdade é a Escritura Sagrada; » proibição do celibato clerical e o culto deimagens;
  9. 9. Reação de Lutero Em 1517, fixou as 95 Teses na porta daigreja . essas teses mostravam suas críticase a nova doutrina. Em 1521, Lutero foi excomungado peloPapa Leão X, por meio de uma Bula papal,onde havia a ameaça de heresia. Mas aresposta de Lutero foi bem prática: queimoua bula em praça pública!
  10. 10. APOIO À LUTERO Lutero, mesmo perseguido, teve apoio danobreza alemã. Que tinha forte interessepolítico e econômico na reforma. Visto queesta reforma liberaria os bens da igreja aopoder da nobreza. O luteranismo se expandiu rapidamente.Mesmo em paises fortemente católicos,como Espanha e Itália.
  11. 11. LUTERANISMO Em 1530 , Lutero e o teólogo Filipe Melanchtonescreveram a  confissão de Augsburgo, base da doutrina luterana. Nesta época, um quarto daAntuérpia era luterana. Carlos V, imperador Alemão , não quis oficializar oluteranismo, os príncipes fizeram umaconfederação para protestar contra essa atitude.  Por isso o nome PROTESTANTES, ou seja, osseguidores da nova doutrina cristã. Por volta de1550, muitos alemães já eram luteranos.
  12. 12. ANABATISMO THOMAS MÜNTZER – Liderou uma revolta em1524 com camponeses da região do Reno. Alémde atacar a Igreja pela cobrança de dízimos,passam a reivindicar a reforma agrária e aabolição dos privilégios feudais. Ele afirmava serLuterano. A essas manifestações, seguiu-se uma repressãoviolenta, apoiada por Lutero em prol da Nobrezaalemã. Müntzer foi preso e decapitado e houve omassacre de milhares de camponeses.
  13. 13. DOUTRINA ANABATISTA Necessidade de rebatizar os indivíduos, Separar a Igreja e o Estado, Abolir as imagens e o culto dos santos, Queriam uma igualdade absoluta entreos homens, Viver com simplicidade, pois todoseram inspirados pelo Espírito Santo.
  14. 14. REFORMA NA SUÍÇA A reforma protestante foi iniciada com UlrichZwinglio ( 1489-1531), seguidor de Lutero. Suas pregações estimularam a guerra civil entrecatólicos e reformadores, onde ele próprio morreu.A guerra findou com a Paz de Kappel, onde cadaregião do país tinha autonomia religiosa.  Depois, o francês João Calvino, chega a Suíça. Em1536, publicou a obra INSTITUIÇÃO DA RELIGIÃOCRISTÃ. Ele pede proteção para os Huguenotes,ao  rei Francisco I.
  15. 15. CALVINO
  16. 16.  Sua doutrina baseava-se em: A riqueza material era um sinal da graça divina sobre o indivíduo. Essateoria é assimilada pela burguesia local, que justificava não só seucomércio, como também as atividades financeiras e o lucro a elasassociado. Ele justifica as atividades econômicas até então condenadaspela Igreja romana. - Grande rigidez na moral - Questiona a Liturgia da Missa (simplifica com o Sermão, a oração e aleitura da Bíblia). - Questiona o uso das Imagens (houve quebra-quebra nas paróquias locais) - Acaba com os jogos, dança ida ao teatro... - “O homem que não quer trabalhar, não merece comer.” afirma.- Livre Interpretação da Bíblia;- Nega o culto aos santos e a Virgem;- Questiona a autoridade do Papa;
  17. 17. CALVINO DEFENDE - Defende a separação entre a Igreja e o Estado; - Questiona o Celibato do clero;- Questiona a Transubstanciação (propõe umapresença material, o Cristo está presente, mas nãomaterialmente). - Ele cria um conselho para reger a vida religiosa emGenebra de “12 anciãos”. Eles julgavam, ditavamregras. Consistório de Genebra.- A doutrina afirma que não há certeza da salvação;
  18. 18. INGLATERRA Os ingleses, durante a época dos Tudor,também criticavam os abusos da IgrejaRomana, a ineficiência dos tribunaiseclesiásticos e o favoritismo na distribuiçãode cargos públicos para membros do Clero,além de queixar-se do pagamento e doenvio de dízimos para Roma. Durante ogoverno de Henrique VIII (1509-1547), aburguesia fazia pressão para o aumento dopoder do parlamento.
  19. 19. REFORMA NA INGLATERRA Na Inglaterra, foi o rei Henrique VIII quetomou a frente na revolução protestante.Essa tinha caráter político. O rei rompeu coma igreja por motivos pessoais.  Ele queria divorciar-se de Catarina de Aragãopara casar-se com Ana Bolena. O motivo daseparação: ele queria ter um herdeiro para otrono inglês.
  20. 20. REI HENRIQUE VIII
  21. 21. REAÇÃO DA IGREJACATÓLICA O papa negou a anulação do casamento, porqueCatarina era aparentada de Carlos V, imperador doSacro Império Romano-Germânico. Logo o papa nãoqueria ter problemas com Carlos que era seu aliado. Por isso Henrique VIII rompeu com a igreja em1534. publicou pelo Parlamento o ATO DESUPREMACIA. Esse documento o fazia chefe daigreja, que logo mais ficou conhecida comoAnglicana. O Papa o excomungou , e ele como reiconfiscou os bens da igreja católica na Inglaterra. Suas reformas só terminaram com Elisabeth I, suafilha com Ana Bolena que firma o culto anglicano naLei dos 39 Artigos, em 1563
  22. 22. REFORMA ANGLICANA A Reforma anglicana, na prática, apresentapoucas modificações com a Igreja romana:Questiona o Culto aos santos; Aautoridade máxima é o Rei e não opapa; Questiona o culto às relíquias;Prega a popularização da leitura daBíblia.
  23. 23. EXPANSÃO CALVINISTA O Calvinismo também criou raízes naInglaterra. Seus adeptos, os puritanos,iriam entrar em choque com osanglicanos, gerando inúmeros conflitosno século XVII, que levaram àsimigrações maciças para a região daNova Inglaterra, na América do Norte.
  24. 24. A Reforma na Escandinávia Na Dinamarca, a difusão das idéias de Luterodeveu-se a Hans Tausen. Em 1536, na Dieta deCopenhaga, o rei Cristiano III aboliu a autoridadedos bispos católicos, tendo sido confiscados osbens das igrejas e dos mosteiros. A Reforma naNoruega e na Islândia será uma consequência dadominação da Dinamarca sobre estes territórios;assim, logo em 1537 ela é introduzida na Noruegae entre 1541 e 1550 na Islândia, tendo assumidoneste último território características violentas.
  25. 25. REFORMA NA SUÉCIA Na Suécia, o movimento reformista foi lideradopelo irmãos Olaus e Laurentius Petri. Foi em largamedida uma forma do rei Gustavo I Vasa cimentaro poder da monarquia face a um clero influente, aoqual confiscará os bens que distribui pela nobreza.O rei rompe com Roma em 1525, na Dieta deVasteras. O luteranismo penetrará neste país demaneira lenta, tendo a Igreja reformadapreservado aspectos do catolicismo, como aorganização episcopal e a liturgia. Em 1593, aIgreja sueca adotará a Confissão de Augsburgo.
  26. 26. CONTRA-REFORMA Foi um movimento de reação aoprotestantismo. A Igreja precisava auto-reformar-se ou não sobreviveria, poisprecisava, ainda, evitar que outras regiõesvirassem protestantes. . Entre 1545 e 1563, foi convocado oCONCÍLIO DE TRENTO, onde houvereafirmações e mudanças. Dentre elas:
  27. 27. CONCÍLIO DE TRENTO
  28. 28.  - Conserva os sete Sacramentos e confirma os Dogmas; Afirma a presença real de Cristo na Eucaristia; - Inicia a redação de um Catecismo; - Criação de Seminários para a formação de sacerdotes; - Reafirma o Celibato, a veneração aos Santos e a Virgem; - Aprova os Estatutos da Companhia de Jesus, criadaantes do Concílio por Inácio de Loyola;
  29. 29.  - Mantém o Latim como língua do Culto e traduçãooficial das Sagradas Escrituras; Confirma como texto autêntico, a tradução de SãoJerônimo, no século IV; - Fortalece a Hierarquia e, portanto a unidade daIgreja Católica, ao afirmar a supremacia do Papacomo “Pastor Universal de toda a Igreja” - Reorganizou o tribunal da Inquisição ou Santo Ofício,que fica encarregado de combater a Reforma; - Criação do “Índex” (índice), encarregada da censurade obras impressas, lista de livros cuja leitura eraproibida aos fiéis;
  30. 30. OUTROS CONCÍLIOS Houve o Concílio Vaticano I (08/12/1869 -20/10/1870), convocado pelo Papa PIO IX (1846-1878), mas que foi interrompido devido à GuerraFranco-Alemã que havia iniciado. As maiores mudanças começariam a acontecerapenas em 1962, quando o papa João XXIIIconvocou o Concílio Vaticano II (11/10/1962 a07/12/1965), para redefinir as posições da Igreja eadequá-la às necessidades e desafios do mundocontemporâneo.
  31. 31. PAPA LEÃO X

×