As Reformas Religiosas e Contra-Reforma
IEE WILSON CAMARGO <ul><li>Reforma Religiosas e Contra Reforma </li></ul><ul><li>Disciplina : História </li></ul><ul><li>P...
  REFORMA RELIGIOSA <ul><li>Conceito:  </li></ul><ul><li>A reforma religiosa, pode-se dizer que foi um movimento ou até me...
Reformas Religiosas  <ul><li>MOTIVOS:  </li></ul><ul><li>Grande parte da igreja do século XV tinha-se afastado dos princíp...
<ul><li>Motivos.... </li></ul><ul><li>A burguesia comercial,no século XVI, estava cada vez mais inconformada, pois os clér...
Reforma Luterana <ul><li>Bula das Indulgências </li></ul><ul><ul><li>Em 1513, o papa Leão X, decide  enviar monges por tod...
Reforma Luterana <ul><li>Reação de Lutero:  </li></ul><ul><ul><li>Martinho Lutero (1483-1546); </li></ul></ul><ul><ul><li>...
Reforma Luterana <ul><li>Princípios Luteranos: </li></ul><ul><ul><li>Autoridade única da Bíblia </li></ul></ul><ul><ul><li...
Outras Reformas <ul><li>Reforma Calvinista </li></ul><ul><ul><li>João Calvino (1509-1564) </li></ul></ul><ul><ul><li>Defen...
Outras Reformas <ul><li>Reforma Anglicana </li></ul><ul><ul><li>Fundada pelo rei Henrique VIII (1491-1547) em 1534; </li><...
Contra-Reforma e Reforma Católica <ul><li>Concílio de Trento </li></ul><ul><ul><li>Bispos e Cardeais analisaram as crítica...
Contra-Reforma e Reforma Católica <ul><li>Preocupados com os avanços do protestantismo e com a perda de fiéis, bispos e pa...
Alguns dogmas reafirmados no concílio de Trento:  <ul><li>  </li></ul><ul><li>a salvação só pode ser através da fé e boas ...
Contra-Reforma e Reforma Católica <ul><li>Novos Instrumentos:  </li></ul><ul><ul><li>Inquisição (tribunal do Santo Ofício)...
<ul><li>Novos Instrumentos .... </li></ul><ul><ul><li>Index (Index Librorum Prohibitorum) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Q...
Conseqüências da Reforma  Apesar da diversidade das forças revolucionárias do século XVI, a Reforma teve grandes e consist...
Conseqüências da Reforma Durante a Reforma, as línguas nacionais e a literatura foram estimuladas através da difusão dos t...
Conclusão  As Reformas Religiosas formaram conjuntos de movimentos com caráter religioso, político e econômico, que contes...
Referências Bibliográficas <ul><li>http://www.coladaweb.com/historia/reformas-religiosas-e-a-contra-reforma </li></ul><ul>...
Créditos: <ul><li>Ildete de Oliveira de Paula </li></ul><ul><li>Rose-lena </li></ul><ul><li>Marivete </li></ul><ul><li>Vit...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

As reformas-religiosas-ildete-3

5.130 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.130
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
209
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As reformas-religiosas-ildete-3

  1. 1. As Reformas Religiosas e Contra-Reforma
  2. 2. IEE WILSON CAMARGO <ul><li>Reforma Religiosas e Contra Reforma </li></ul><ul><li>Disciplina : História </li></ul><ul><li>Profª : Grassa Araujo </li></ul><ul><li>Alunos : Ildete, Rose, Marivete e Vitor Hugo </li></ul><ul><li>Vilhena: 10 de março de 2011 </li></ul>
  3. 3.   REFORMA RELIGIOSA <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>A reforma religiosa, pode-se dizer que foi um movimento ou até mesmo uma revolução religiosa. Onde o poder total da igreja foi questionado, desafiado. Será que tudo que era dito pela igreja era verdadeiro? Deveria ser seguido cegamente, sem perguntas? </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Essa situação ocorreu durante o séc. XVI, onde novas religiões cristãs surgiram. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A religião dominante começa a sofrer divisões. Esse aparecimento de novas religiões abalou a supremacia política e espiritual da igreja católica e a autoridade do Papa. Por isso o termo Reforma . Foi uma verdadeira reforma no lado mais importante de uma sociedade: o religioso. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  4. 4. Reformas Religiosas <ul><li>MOTIVOS: </li></ul><ul><li>Grande parte da igreja do século XV tinha-se afastado dos princípios de pobreza pregados por Cristo e pelos primeiros apóstolos, e vivia no luxo e na ostentação. A corrupção alastrava dentro da igreja católica. </li></ul><ul><ul><li>Venda de cargos religiosos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Falta de preparação e vocação dos membros do clero; </li></ul></ul><ul><ul><li>Luxo, ostentação, vida mundana e imoral dos clérigos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Venda da Bula das Indulgências </li></ul></ul><ul><ul><li>Muitos elementos do clero estavam desrespeitando as regras religiosas, principalmente o que diz respeito ao celibato </li></ul></ul>
  5. 5. <ul><li>Motivos.... </li></ul><ul><li>A burguesia comercial,no século XVI, estava cada vez mais inconformada, pois os clérigos católicos estavam condenando seu trabalho. </li></ul><ul><li>O lucro e os juros eram vistos como práticas condenáveis pelos religiosos. </li></ul><ul><li>Por outro lado, o papa arrecadava dinheiro para a construção da basílica de São Pedro em Roma , com a venda das indulgências (venda do perdão). </li></ul><ul><li>No campo político, os reis estavam descontentes com o papa por interferir nos comandos que eram próprios da realeza. </li></ul><ul><li>O homem renascentista, começava a ler mais e formar uma opinião cada vez mais crítica. </li></ul>
  6. 6. Reforma Luterana <ul><li>Bula das Indulgências </li></ul><ul><ul><li>Em 1513, o papa Leão X, decide enviar monges por toda a Europa, solicitando aos fieis uma contribuição para a conclusão das obras da Basílica de S. Pedro; </li></ul></ul><ul><ul><li>Em troca o Papa concedia uma Indulgência, isto é um documento que lhes perdoava a penitência pelos seus pecados. </li></ul></ul>
  7. 7. Reforma Luterana <ul><li>Reação de Lutero: </li></ul><ul><ul><li>Martinho Lutero (1483-1546); </li></ul></ul><ul><ul><li>Monge Agostinho; </li></ul></ul><ul><ul><li>Face às Indulgências afixa, em 1517, as 95 teses onde critica publicamente toda esta situação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Acaba por ser excomungado. </li></ul></ul>
  8. 8. Reforma Luterana <ul><li>Princípios Luteranos: </li></ul><ul><ul><li>Autoridade única da Bíblia </li></ul></ul><ul><ul><li>Tradução do texto sagrado para alemão. </li></ul></ul><ul><ul><li>Relação direta do crente com Deus </li></ul></ul><ul><ul><li>Rejeição do papel mediador do clero </li></ul></ul><ul><ul><li>Rejeição da autoridade do Papa </li></ul></ul><ul><ul><li>Alteração da doutrina da Igreja </li></ul></ul><ul><ul><li>Aceita apenas dois sacramentos (batismo e eucaristia); </li></ul></ul><ul><ul><li>Rejeição do culto dos santos e da Virgem; </li></ul></ul><ul><ul><li>Instituição de pastores (responsáveis pelo culto) </li></ul></ul>
  9. 9. Outras Reformas <ul><li>Reforma Calvinista </li></ul><ul><ul><li>João Calvino (1509-1564) </li></ul></ul><ul><ul><li>Defendia a teoria da Predestinação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cada crente já estaria, desde a origem, destinado por Deus à Salvação ou à condenação eterna. </li></ul></ul></ul>
  10. 10. Outras Reformas <ul><li>Reforma Anglicana </li></ul><ul><ul><li>Fundada pelo rei Henrique VIII (1491-1547) em 1534; </li></ul></ul><ul><ul><li>O rei é o chefe supremo da igreja; </li></ul></ul><ul><ul><li>Contestação do poder do Papa e do clero na Inglaterra. </li></ul></ul><ul><ul><li>Motivada pelo interesse do rei a anular o seu casamento com Catarina de Aragão e voltar a casar com Ana de Bolena. </li></ul></ul>
  11. 11. Contra-Reforma e Reforma Católica <ul><li>Concílio de Trento </li></ul><ul><ul><li>Bispos e Cardeais analisaram as críticas dos protestantes. </li></ul></ul><ul><ul><li>Principais decisões </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reafirmados todos os dogmas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mantiveram-se os sete sacramentos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reforçado o culto dos Santos e da Virgem Maria </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reformação dos costumes da Igreja e Organização da Igreja: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Disciplina mais severa e celibato dos padres </li></ul></ul></ul>
  12. 12. Contra-Reforma e Reforma Católica <ul><li>Preocupados com os avanços do protestantismo e com a perda de fiéis, bispos e papas reúnem-se na cidade italiana de Trento (Concílio de Trento) com o objetivo de traçar um plano de reação. </li></ul><ul><li>No Concílio de Trento ficou definido :   </li></ul><ul><li>Catequização dos habitantes de terras descobertas, através da ação dos jesuítas ; </li></ul><ul><li>Retomada do Tribunal do Santo Ofício - Inquisição : punir e condenar os acusados de heresias; </li></ul><ul><li>Proibido a venda de indulgências; a obrigatoriedade de se estudar em um seminário para se tornar um clérigo; a venda de cargos do alto clero; </li></ul>
  13. 13. Alguns dogmas reafirmados no concílio de Trento: <ul><li>  </li></ul><ul><li>a salvação só pode ser através da fé e boas obras; </li></ul><ul><li>celibato clerical; </li></ul><ul><li>indissolubilidade do casamento; </li></ul><ul><li>infabilidade do Papa; </li></ul><ul><li>culto a virgem Maria e aos santos </li></ul><ul><li>manutenção da hierarquia eclesiástica;  </li></ul>
  14. 14. Contra-Reforma e Reforma Católica <ul><li>Novos Instrumentos: </li></ul><ul><ul><li>Inquisição (tribunal do Santo Ofício) - era uma instituição eclesiástica de caráter &quot;judicial&quot;, que tinha por principal objetivo &quot;inquirir heresias&quot; </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Tribunal eclesiástico destinado a defender a fé católica; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Vigiava, perseguia e condenava aqueles que fossem suspeitos de praticar outras religiões. </li></ul></ul></ul></ul>
  15. 15. <ul><li>Novos Instrumentos .... </li></ul><ul><ul><li>Index (Index Librorum Prohibitorum) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Que era uma lista de livros proibidos pela santa Inquisição, isto serviu para atrapalhar o desenvolvimento cultural e científico. </li></ul></ul></ul>
  16. 16. Conseqüências da Reforma Apesar da diversidade das forças revolucionárias do século XVI, a Reforma teve grandes e consistentes resultados na Europa ocidental. Em geral, o poder e a riqueza perdidos pela nobreza feudal e pela hierarquia da Igreja Católica Romana foram transferidos para os novos grupos sociais em ascensão e para a coroa. Várias regiões da Europa conseguiram a sua independência política, religiosa e cultural. Mesmo em países como a França e na região da atual Bélgica, onde o Catolicismo Romano prevaleceu, um novo individualismo e nacionalismo foram desenvolvidos na cultura e na política. A destruição da autoridade medieval libertou o comércio e as atividades financeiras das restrições religiosas e promoveu o capitalismo.
  17. 17. Conseqüências da Reforma Durante a Reforma, as línguas nacionais e a literatura foram estimuladas através da difusão dos textos religiosos escritos na língua materna, e não em latim. A educação dos povos foi, também, estimulada pelas novas escolas fundadas por Colet na Inglaterra, Calvino em Genebra e pelos príncipes protestantes na Alemanha. A religião deixou de ser monopólio de uma minoria clerical privilegiada e passou a ser uma expressão mais direta das crenças populares. Todavia, a intolerância religiosa manteve-se inabalável e as diferentes Igrejas continuar a perseguir-se mutuamente, pelo menos, durante mais de um século.
  18. 18. Conclusão As Reformas Religiosas formaram conjuntos de movimentos com caráter religioso, político e econômico, que contestavam os dogmas católicos, e devido a isso ocorreu – se à criação de outras religiões, como por exemplo, a protestante. Os cristãos opuseram – se a essa situação, sentiam a necessidade de uma volta aos ensinamentos de Cristo e de seus apóstolos e pregavam assim, uma reforma dos costumes. Os principais reformadores foram Martinho Lutero e João Calvino. A Reforma difundiu – se rapidamente na Alemanha, Suíça, França, Holanda, Escócia e Escandinávia. O difícil foi que a Igreja reconheceu estes abusos, mas não teve coragem para empreender a necessária reforma geral. E devido a isso, ocorreram diversos conflitos entre a Igreja e seus reformadores.
  19. 19. Referências Bibliográficas <ul><li>http://www.coladaweb.com/historia/reformas-religiosas-e-a-contra-reforma </li></ul><ul><li>http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/adrienearaujo/historia021.asp </li></ul><ul><li>http://www.suapesquisa.com/protestante/ </li></ul><ul><li>http://www.bvbv.hpg.ig.com.br/biblioteca.html </li></ul><ul><li>http://www.tg3.com.br/reformas/reforma_protestante.htm </li></ul><ul><li>http://www.planeta.terra.com.br/arte/mundoantigo/reforma/ </li></ul>
  20. 20. Créditos: <ul><li>Ildete de Oliveira de Paula </li></ul><ul><li>Rose-lena </li></ul><ul><li>Marivete </li></ul><ul><li>Vitor Hugo </li></ul><ul><li>IEE Wilson Camargo </li></ul><ul><li>2º ano B - EJA </li></ul>

×