Alimentos

3.445 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.445
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alimentos

  1. 1. ORIGEM, DISTRIBUIÇÃO E CONSUMO DE ALIMENTOS IN NATURA NO ESPÍRITO SANTO 0 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO VITÓRIA 2010
  2. 2. ANTÔNIO OLIVEIRA ARAÚJO JAKSON CARLOS SILVA LEONARDO NUNES DOMINGOS LUCINEI VICENTE DA SILVAALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO Material didático-pedagógico, produzido para o Trabalho de Conclusão de Curso em Geografia da Universidade Federal do Espírito Santo, como requisito parcial para a obtenção do título de Licenciatura Plena. Orientador: Solange Lins Gonçalves VITÓRIA 2010
  3. 3. APRESENTAÇÃO Este trabalho consiste em material de auxílio, produzido sobre o tema:Alimentos no Espírito Santo, abordando a produção, distribuição e consumo dealimentos in natura no estado do Espírito Santo. Ele foi elaborado com o objetivo de esclarecer o processo pelo qual oalimento in natura passa para chegar à mesa do consumidor capixaba, desde aprodução até o consumo, passando pelo processo de distribuição. Acredita-se que o esclarecimento desta dinâmica levará o leitor à “darimportância”, tanto às pessoas que participam deste processo quanto ao alimentoem si. Os alimentos in natura em questão são as hortaliças, as frutas, os cereais eleguminosas, os ovos e as aves, isto é, produtos que não foram transformadospela indústria. A pesquisa foi baseada nos dados adiquiridos na Central de Abastecimentodo Espírito Santo (CEASA-ES), na Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), realizadapelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e em entrevistas tantoformais quanto informais dos agentes envolvidos na distribuição dos alimentos. Osdados referentes à CEASA são do ano de 2007, e foram utilizados para caracterizara produção municipal de alimentos, enquanto os dados do POF, que são do ano de2002 – 2003, foram utilizados para determinar o perfil do consumidor capixaba. Asentrevistas ajudaram na obtenção de pontos de vista sobre o tema, principalmentequando se trata dos alimentos orgânicos, pois não se tem muitos dados estatísticosa respeito. Este é um material que visa subsidiar o professor ao trabalhar o assuntoalimentos no nível médio, com sentido de enfatizar a questão dos alimentos,utilizando-se da realidade do Espírito Santo.
  4. 4. SUMÁRIO1. INTRODUÇÃO --------------------------------------------------------------------------- 42. NOTA METODOLÓGICA -------------------------------------------------------------- 53. PRODUÇÃO ------------------------------------------------------------------------------ 7 3.1 Produção de hortaliças ------------------------------------------------------ 10 3.1.1 Hortaliças folhosas e florais ------------------------------------ 10 3.1.2 Hortaliças frutosas ------------------------------------------------ 12 3.1.3 Hortaliças tuberosas --------------------------------------------- 13 3.2 Produção de frutas ----------------------------------------------------------- 15 3.3 Produção de cereais e leguminosas ------------------------------------ 16 3.4 Produção de aves ------------------------------------------------------------ 18 3.5 Produção de ovos ------------------------------------------------------------ 184. DISTRIBUIÇÃO -------------------------------------------------------------------------- 20 4.1 História da CEASA-ES ----------------------------------------------------- 21 4.2 A dinâmica da distribuição------------------------------------------------- 225. CONSUMO -------------------------------------------------------------------------------- 29 5.1 Perfil do consumidor -------------------------------------------------------- 31 5.2 Supermercados e Feiras --------------------------------------------------- 33 5.2.1 Supermercados ---------------------------------------------------- 34 5.2.2 Feiras ----------------------------------------------------------------- 36 5.3 A relação entre a oferta, a procura e o preço ------------------------ 36 5.4 O desperdício de alimentos ----------------------------------------------- 396. ALIMENTOS ORGÂNICOS ----------------------------------------------------------- 42 6.1 História dos alimentos orgânicos no Brasil --------------------------- 42 6.2 Funcionamento do mercado dos alimentos orgânicos ----------- 447. GLOSSÁRIO ------------------------------------------------------------------------------ 488. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ------------------------------------------------ 49
  5. 5. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 41 INTRODUÇÃO 1 Os alimentos, junto com a água, o ar e a radiação solar, são os principaisfatores responsáveis pelo funcionamento do corpo humano. O responsável pelamaior parte da produção alimentar que abastece os nossos organismos, é o campo,sobretudo quando nos referimos aos alimentos in natura. Porém, essa não é a únicafunção dele. Não podemos nos levar por essa visão predominantemente urbana deque o campo serve apenas para produzir alimento. Seria como dizer que a cidade sóserve para produzir produtos industrializados (eletrodomésticos, carros...), e nóssabemos que isso não é verdade. O campo é formado por pessoas que como nós,gostam de se divertir, têm família, têm filhos, que se casam e que também ficamdoentes, mas que, o trabalho deles consiste, na maioria das vezes, em produziralimentos. Sabendo disso, poderemos estudar os alimentos, mas saber que foi umser humano, como nós, que os produziu, às vezes, com a ajuda do seu filho ouesposa. Trazendo para a nossa realidade, os alimentos in natura que (objeto deestudo) são produzidos nas áreas rurais, passam, geralmente, pela CEASA echegam até nós, consumidores. Eles são, de forma geral, mais benéficos à saúdehumana do que os alimentos industrializados, e assim, servem melhor à principalfunção do alimento: nutrir. Dentro deste assunto, abordar-se-á também assunto dosalimentos orgânicos, e sua importância diante do crescente número de mortesassociadas aos chamados “venenos agrícolas”. Também por outro motivo o estudo foi direcionado aos alimentos in natura,afinal eles representam a relação produção-consumo mais claramente, pois domesmo jeito que o alimento sai do campo, ele chega à cidade para ser consumido.Isto é, não passam pela indústria, não são manufaturados.1 Correção ortográfica feita por Aida Regina Gonçalves da Silva, professora de português
  6. 6. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 52 NOTA METODOLÓGICA A nota metodológica é a parte em que se explica como (método) organizou-seo trabalho, e as nomenclaturas utilizadas nele. Então, isto a torna fundamental paraentender o restante. TABELA 1 - HORTALICAS No título do trabalho foi HORTALIÇAS FOLHOSAS e ACELGA, AGRIAO, FLORAIS ALCACHOFRA, ALECRIM, mencionado um termo que merece ALFACE, ALMEIRAO, ALHO PORRO, ARRUDA, ASPARGO, explicação: “alimentos in natura”. BROTO DE ALFAFA, BERTALHA, BROCOLO, Essa expressão é utilizada para CAMOMILA, CEBOLINHA, COUVE BRUXELAS, COUVE descrever os alimentos de origem CHINESA, CHAPEU DE COURO, CHICORIA, COENTRO, COUVE-FLOR, vegetal e animal que são COGUMELO, CONFREI, COUVE, CARQUEJA, ENDIVIA, consumidos em seu estado natural, ESCAROLA, ESPINAFRE, FUNCHO, HORTELA, LOSMA, como as frutas, por exemplo. São LOURO, MANJERICAO, MOSTARDA, MOYASHI, sobre esses alimentos que iremos PALMITO, POEJO, RADICHE, REPOLHO, RUCULA, SALSA, SERRALHA, SALSAO, SALVIA, estudar. TAIOBA, TOMILHO, TANSAGEM. Classificaremos os alimentos HORTALIÇAS FRUTOSAS ABOBORA, ABOBRINHA, BERINJELA, CHUCHU, in natura com base nos critérios da ERVILHA, TORTA, JILO, MAXIXE, MILHO VERDE, MORANGA, PEPINO, CEASA-ES e da Pesquisa de PIMENTAO, PIMENTA, QUIABO, TOMATE, VAGEM. Orçamento Familiar (POF), realizada em 2002 – 2003 pelo IBGE. Assim, os alimentos serão HORTALIÇAS TUBEROSAS ALHO, BATATA, BETERRABA, divididos em cinco grandes grupos: BATATA DOCE, CARA, CEBOLA, CENOURA, GENGIBRE, GOBO, INHAME, hortaliças, frutas, cereais e MANDIOCA, MANDIOQUINHA, NABO, RABANETE leguminosas, aves e ovos. Perceba que os cereais e leguminosas, aqui, pertencerão ao mesmo grupo.Fonte: CEASA-ESOrganização: Leonardo Nunes Domingos
  7. 7. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 6 A hortaliças, (tabela 1) TABELA 2 - FRUTASsão o que chamamos ABACATE, ABACAXI, ACEROLA, AMEIXA,comumente de legumes e AMORA, ATEMOIA, BANANA, CARAMBOLA, CAJU, CAQUI, CASTANHA,verduras. Elas são divididas CIDRA, CAJA, CAJAMANGA, COCO, FIGO, FRUTA PAO, GOIABA, GRAVIOLA,em hortaliças folhosas e JABUTICABA, JACA, JAMBO, JENIPAPO, KIWI, LARANJA, LIMAO, LIMA DA PERSIA, LICHIA, MAÇÃ, MANGA, MARACUJA,florais, em hortaliças frutosas, MARMELO, MAMAO, MELAO, MANGOSTIN, MELANCIA, MORANGO,e em hortaliças tuberosas. As NECTARINA, NESPERA, PERA, PESSEGO, PHYSALIS, PINHAO, PINHA, POMELO,hortaliças folhosas são PITAYA, ROMA, SERIGUELA, TAMARINDO, TANGERINA, UVA.denominadas assim, pois são Fonte: CEASA-ESvegetais em que parte que Organização: Leonardo Nunes Domingosserve de alimento é a folha e/ou a flor, como é o caso da alface e da couve-flor. As hortaliças frutosas são chamadas assim, pois asTABELA 3 – CEREAIS e LEGUMINOSAS, AVES partes comestíveis do vegetal, não são a folha e OVOS nem a flor, mas sim o seu fruto, como o chuchu, GALINHA CAIPIRA, AVES GALINHA DE GRANJA. e a abóbora. E, por fim, as hortaliças tuberosas, onde as partes comestíveis do vegetal ficam em baixo da terra, como a batata e a mandioca. O grupo das frutas (tabela 2), das aves, dos ovos e dos cereais e leguminosas (tabela 3) OVOS OVOS DE CODORNA, OVOS CAIPIRA, OVOS VERMELHOS, OVOS não são subdivididos. Como exemplo de frutas, BRANCOS. temos a banana e a goiaba. As aves são representadas pelas galinhas caipiras e de granja. Os ovos incluem os tipos brancos, vermelhos, caipira e de codorna. Por fim, os CEREAIS E LEGUMINOSAS AMENDOIM, ARROZ, cereais e leguminosas, são representados pelo FEIJÃO, MILHO. amendoim, feijão, arroz e milho. Sendo que, o feijão e o amendoim são leguminosas, e, o arroz e o milho são cereais. É importante esclarecer que a CEASA nãoFonte: CEASA-ES comercializa apenas alimentos in natura. Pode-Organização: Leonardo Nunes Domingos se encontrar lá alimentos industrializados ou
  8. 8. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 7manufaturados, como doces, e até produtos não-alimentícios, como ferramentas eadubo. Porém, estudar-se-á apenas os alimentos in natura.3. PRODUÇÃO A produção de todos os grupos de alimentos, mostrados acima, formam aprodução total de alimentos in natura. Isto é, a produção de todas as hortaliças,frutas, cereais e leguminosas, aves e ovos. Essa produção total é medida emquilogramas (mapa 1). MAPA 1: PRODUÇÃO DE ALIMENTOS IN-NATURA NO ESPÍRITO SANTO EM QUILOS - 2007 42° 00"W 41° 00"W 40° 00"W 18°00"S 18°00"S MUCURICI MONTANHA PEDRO CANÁRIO 0 1020 40 60 80 PONTO BELO ECOPORANGA km PINHEIROS C. DA BARRA BOA ESPERANÇA Á. D. DO NORTE VILA PAVÃO B. DE S. FRANCISCO S. MATEUS NOVA VENÉCIA MANTENÓPOLIS 19°00"S 19°00"S S. GABRIEL DA PALHA VILA VALÉRIO JAGUARÉ ÁGUIA BRANCA ALTO RIO NOVO SOORETAMA S. D. DO NORTE PANCAS G. LINDENBERG RIO BANANAL LINHARES MARILÂNDIA COLATINA BAIXO GUANDU S. R. DO CANAÃ J. NEIVA ITAGUAÇU ARACRUZ IBIRAÇU LARANJA DA TERRA ST. TERESA 20°00"S 20°00"S ITARANA FUNDÃO AFONSO CLÁUDIOST. M. DE JETIBÁ BREJETUBA ST. LEOPOLDINA SERRA IBATIBA CARIACICAVITÓRIA DOMINGOS MARTINS IRUPI IÚNA C. DO CASTELOV. N.DO IMIGRANTE VIANA MUNIZ FREIRE MARECHAL FLORIANO VILA VELHA IBITIRAMA CASTELO ALFREDO CHAVES D. DE S. LOURENÇO GUARAPARI D. DO R. PRETO VARGEM ALTA Porcentagem do total ALEGRE ANCHIETA GUAÇUÍ C. DE ITAPEMIRIM J. MONTEIRO ICONHA 0% RIO NOVO DO SULPIÚMA 0% - 2% 21°00"S 21°00"S MUQUI ATILIO VIVACQUA ITAPEMIRIM S. J.DO CALÇADO 2% - 6% APIACÁ B. J. DO NORTE MIMOSO DO SUL MARATAÍZES P. KENNEDY 9% 12% 30% 41° 00"W 40° 00"W Fonte: CEASA-ES Autor: Leonardo Nunes Domingos
  9. 9. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 8 É fácil, ao analisar o mapa, perceber o grande potencial produtivo domunicípio de Santa Maria de Jetibá. Alguns outros municípios também se destacam,como, Domingos Martins, Santa Leopoldina, Santa Teresa, Afonso Cláudio, Laranjada Terra, Venda Nova do Imigrante, Alfredo Chaves, Vianna, Itarana, Aracruz eLinhares. É importante perceber também que há uma grande quantidade demunicípios que contribuem pouco, o que nos leva a concluir que a produção agrícolaespírito-santense é composta, predominantemente, por pequenas produçõesmunicipais. Uma questão a ser levada em consideração é a dos municípios “não-produtores”. Será que em Jerônimo Monteiro (sul do estado) não se planta sequerum “pé de alface”? É fundamental dizer que, as informações do mapa referem-seaos alimentos in natura produzidos de acordo com os dados da CEASA-ES. Asinformações da produção agrícola de subsistência, não estão representadas nomapa. Além disso, quaisquer alimentos que não passam pela CEASA para seremvendidos, também não estão representados no mapa, por exemplo, os alimentosvendidos na beira das estradas ou nas feiras locais de cada cidade. Isto aconteceem Jerônimo Monteiro. Lá a produção de alimento não passa sequer pela CEASAde Cachoeiro de Itapemirim (mais próximado município), muito menos pela CEASA deCariacica. Toda a produção de alimentos innatura é vendida nas feiras, restaurantes esupermercados locais (do município oumunicípios próximos). Como exemplo,temos o Sr. Ailton de Souza Jorge (figura1), que, na sua terra, produz hortaliçasfolhosas e florais, como taioba e couve;hortaliças frutosas, como jiló; e frutas, como Douglas Bonellabanana da terra, nanica, prata e jaca. Elevende sua produção na feira no própriomunicípio, de um modo todo especial. Aoinvés de usar a tradicional banca de feira, Figura 1: O Sr. Ailton, produtor de alimentos, que os vendem na feira, dentro do próprio municípioele utiliza seu automóvel. Por final, o Sr. (Jerônimo Monteiro).
  10. 10. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 9Ailton nos relevou que não utiliza a TABELA 4: PRODUÇÃO DE ALIMENTOS INCEASA para vender seus alimentos NATURA NO ESPÍRITO SANTO - 2007 GRUPOS QUILOSporque os considera em pouca (kg) Hortaliças Frutosas 110.279.168quantidade, mas já tem planos para Frutas 91.136.598aumentar a produção. Hortaliças Folhosas e Florais 32.804.562 Hortaliças Tuberosas 29.380.427 Ovos 27.647.679 Outra análise que se deve fazer, é Cereais e Leguminosas 2.778.055 Aves 185que o mapa de produção de alimentos in TOTAL 294.026.674natura não revela, por exemplo, a Fonte: CEASA-ES Organização: Leonardo Nunes Domingosquantidade de hortaliças ou frutasproduzidas no estado. Veja isso à frente. Dos produtos in natura estudados, o mais produzido são as hortaliçasfrutosas, com um pouco mais de 110 mil toneladas (tabela 4), elas são seguidaspelas de frutas, cuja produção alcança 91 mil toneladas, e depois, em terceiro lugar,temos as hortaliças folhosas e florais, com um montante de 32 mil toneladas. A produção de hortaliças folhosas e florais é bem representativa, pois mesmosendo produtos que possuem pouco peso, por serem folhas e flores, ocupam oterceiro lugar na produção em quilos. Gráfico 1 PRODUÇÃO DE ALIMENTOS IN-NATURA NO ESPÍRITO SANTO - 2007 0,0001% 9% 11% 1% 31% 38% 10% Hortaliças Folhosas e Florais Hortaliças Frutosas Hortaliças Tuberosas Frutas Cereais e Leguminosas Aves Ovos Fonte: CEASA-ES Autor: Leonardo Nunes Domingos
  11. 11. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 10 Para facilitar o estudo, podemos trabalhar com esses dados em porcentagem(gráfico 1), assim percebemos que aquela grande produção de hortaliças frutosas(mais de 110 mil toneladas) representam 38% de toda produção de alimentos innatura. As frutas representam 31%, as hortaliças folhosas e florais 11%, e ashortaliças tuberosas 10%. É interessante destacar que, embora a produção deCereais e Leguminosas alcance quase 3 mil toneladas, ela representa apenas 1%da produção. A produção capixaba de alimentos já foi vista. Sabe-se também o quanto éproduzido de cada grupo de alimentos. Mas não se tem o conhecimento de quais ascaracterísticas da produção alimentar de cada município. Veja adiante a produçãode alimentos in natura, desde as hortaliças até os ovos, nos municípios espírito-santenses.3.1 Produção de hortaliças 3.1.1 Hortaliças folhosas e florais MAPA 2: PRINCIPAIS PRODUTORES DE HORTALIÇAS FOLHOSAS E FLORAIS NO ESPÍRITO SANTO EM QUILOS - 2007 As hortaliças folhosas e florais 41° 00"W 40° 400"W LARANJA DA TERRA(mapa 2) são muito produzidas pelo ST. TERESA ITARANA 00"S 00"Smunicípio de Santa Maria de Jetibá, 20° 20°responsável por 69% do total. ST. M. DE JETIBÁ AFONSO CLÁUDIODomingos Martins é o segundo maior ST. LEOPOLDINAprodutor (11%). E, grande parte dosmunicípios contribuem com até 2% daprodução. Pode-se analisar também DOMINGOS MARTINS CARIACICAque, muitos municípios não produzem 200"S 200"S 20° 20°esse tipo de hortaliça. MARECHAL FLORIANO VARGEM ALTA VIANA ALFREDO CHAVES GUARAPARI 41° 00"W 40° 400"W Porcentagem do total 0% 0% - 2% 2% - 6% 11% 0 2,5 5 10 15 20 69% km Fonte: CEASA-ES Autor: Leonardo Nunes Domingos
  12. 12. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 11 A tabela 5 foi feita com base em TABELA 5: ALGUNS DOS MUNICÍPIOSalguns municípios que mais produzem esse MAIORES PRODUTORES DE HORTALIÇAS FOLHOSAS E FLORAIS DO ESPÍRITOtipo de hortaliça, são eles: Santa Maria de SANTO, E SEUS PRINCIPAIS ALIMENTOS - 2007Jetibá e Domingos Martins. Tanto o primeiro Santa Maria de Jetibá - porcentagem Domingos Martins -quanto o segundo são grandes produtores de (%) porcentagem (%) Repolho híbrido 74,6 Repolho híbrido 55,2repolho híbrido. Couve-flor Couve-flor branca 8,5 branca 23,5 Couve Chinesa 6,0 Repolho roxo 9,1 Alface 3,0 Brócolis 3,3 Repolho roxo 2,8 Alface 3,3 Outros 5,1 Outros 5,6 TOTAL 100 TOTAL 100,0 Fonte: CEASA-ES Organização: Leonardo Nunes Domingos Em Santa Maria, de toda a produção de hortaliças folhosas e florais, 74,6% é de repolho híbrido. Enquanto que em Domingos Martins esse número é de 55,2%. Repolho híbrido Além disso, Santa Maria se destaca na produção de Couve chinesa, e Domingos Martins, em repolho roxo. Couve chinesa
  13. 13. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 123.1.2 Hortaliças frutosas TABELA 6: ALGUNS DOS MUNICÍPIOS MAIORES PRODUTORES DE HORTALIÇAS MAPA 3: PRINCIPAIS PRODUTORES DE HORTALIÇAS FRUTOSAS FRUTOSAS DO ESPÍRITO SANTO, E SEUS NO ESPÍRITO SANTO EM QUILOS - 2007 PRINCIPAIS ALIMENTOS - 2007 41° 00"W 40° 400"W Santa Maria de Jetibá Domingos Martins - BAIXO GUANDU J. NEIVA ITAGUAÇU S. R. DO CANAÃ - porcentagem (%) porcentagem (%) IBIRAÇU Chuchu 43,6 Tomate Longa 66,8 LARANJA DA TERRA ST. TERESA Vida ITARANA FUNDÃO Tomate Longa 13,1 Pimentão 8,1 Vida 00"S 00"S Pepino 11,7 Chuchu 5,9 20° 20° ST. M. DE JETIBÁ Pimentão 10,7 Abóbora 3,6 AFONSO CLÁUDIO SERRA Jacaré Verde ST. LEOPOLDINA Vagem 7,5 Jiló 3,2 Outros 13,4 Outros 12,5 TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 C. DO CASTELO CARIACICA 20°200"S 20°200"S DOMINGOS MARTINS V. N.DO IMIGRANTE Santa Leopoldina - Santa Teresa - VIANA porcentagem (%) porcentagem (%) MARECHAL FLORIANO Chuchu 42,8 Tomate Longa 75,5 VILA VELHA Vida CASTELOVARGEM ALTA Batata Doce 15,3 Chuchu 7,3 ALFREDO CHAVES GUARAPARI ANCHIETA Pepino 8,0 Pimentão 4,6 C. DE ITAPEMIRIM 41° 00"W 40° 400"W Berinjela 7,6 Pepino 3,7 Porcentagem do total Tomate Longa 6,5 Vagem 1,8 0% Vida 0% - 1% Outros 19,7 Outros 7 1% - 4% 4% - 7% TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 7% - 12% 0 5 10 20 30 40 km 25% Alfredo Chaves - Afonso Cláudio - porcentagem (%) porcentagem (%) Fonte: CEASA-ES Tomate Longa 69,1 Tomate Longa 72,9 Autor: Leonardo Nunes Domingos Vida Vida Pimentão 16,2 Quiabo 9,5 Jiló 9,5 Pimentão 4,7 Como acontece na produção de Tomate Santa 1,4 Pepino 4,0 Cruzhortaliças folhosas e florais, nas hortaliças Pepino 0,9 Milho Verde 2,7frutosas (mapa 3) Santa Maria de Jetibá Outros 2,8 Outros 6,2 TOTAL 100,0 TOTAL 100,0lidera, agora com 25% do total. Osmunicípios vizinhos vêm em segundo lugar Laranja da Terra - Venda Nova do porcentagem (%) Imigrante -com 4% a 12% da produção. São eles: porcentagem (%) Tomate Longa 54,8 Tomate Longa 91,4Domingos Martins, Alfredo Chaves, Santa Vida Vida Quiabo 27,5 Pimentão 2,2Teresa, Santa Leopoldina, Afonso Cláudio, Pepino 5,6 Moranga 2,0 HíbridaLaranja da Terra, Itarana e Venda Nova do Pimentão 4,3 Abóbora 1,1 Jacaré MaduraImigrante. Alguns destes estão sendo Jiló 3,2 Tomate Santa 1,0 Cruzrepresentados na tabela 6, que acompanha Outros 4,5 Outros 2,3o mapa. TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 Fonte: CEASA-ES Organização: Leonardo Nunes Domingos
  14. 14. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 13 À primeira vista, olhando a tabela dos alimentosmais produzidos em cada um dos municípios, percebe- se o destaque do Tomate Longa Vida (aquele muito utilizado por nós na salada, com o peso em torno de 250g). As Tomate Longa Vida exceções ficam com Santa Maria de Jetibá e SantaMoranga híbrida: pode ser consumida cozida, em Leopoldina, onde osopas ou guisados, assada e em forma de purê. chuchu ocupa o primeiro lugar, emrelação à produção total de hortaliças frutosas. Entre os cinco alimentos mais produzidos emcada município estão o pimentão, pepino, quiabo, jiló,vagem, moranga híbrida, abóbora jacaré madura, Tomate Santa Cruzberinjela, milho verde e abóbora jacaré verde.3.1.3 Hortaliças tuberosas Novamente, o município de Santa Maria de Jetibá é omaior produtor, agora em hortaliças tuberosas, com 46%(mapa 4). Pode-se concluir então, que maior parte dashortaliças em geral que consumimos vêm de Santa Maria deJetibá. Outros três municípios também contribuemsignificativamente para a produção das tuberosas: DomingosMartins, Santa Leopoldina e Alfredo Chaves. Ambosresponsáveis por uma produção entre 6 e 15%. Gengibre
  15. 15. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 14 MAPA 4: PRINCIPAIS PRODUTORES DE HORTALIÇAS TUBEROSAS NO ESPÍRITO SANTO EM QUILOS - 2007 TABELA 7: ALGUNS DOS MUNICÍPIOS 41° 00"W 40° 400"W MAIORES PRODUTORES DE HORTALIÇAS ITAGUAÇU IBIRAÇU TUBEROSAS DO ESPÍRITO SANTO, E SEUS LARANJA DA TERRA PRINCIPAIS ALIMENTOS - 2007 ST. TERESA FUNDÃO Santa Maria de Domingos Martins - ITARANA Jetibá - porcentagem porcentagem (%) 00"S 00"S (%) 20° 20° Beterraba 41,2 Inhame 34,9 ST. M. DE JETIBÁ Cenoura 19,7 Mandioca 23,6 SERRA ST. LEOPOLDINA Cebola 17,1 Cenoura 15,4 Amarela Inhame 9,8 Batata comum 11,6 Batata doce 4,1 Beterraba 7,0 CARIACICA Outros 8,1 Outros 7,5 DOMINGOS MARTINS TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 200"S 200"S 20° 20° VIANA Santa Leopoldina - Alfredo Chaves - MARECHAL FLORIANO porcentagem (%) porcentagem (%) Inhame 45,7 Inhame 68,6 VILA VELHA ALFREDO CHAVES GUARAPARI Mandioca 27,5 Mandioquinha 23,3 CASTELO Cará 13,2 Mandioca 6,4 41° 00"W 40° 400"W Cenoura 4,7 Cenoura 0,9 Porcentagem do total 0% Gengibre 4,1 Batata doce 0,5 0% - 1% Outros 4,8 Outros 0,4 1% - 6% 6% - 15% TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 0 2,5 5 10 15 20 km 46% Fonte: CEASA-ES Fonte: CEASA-ES Autor: Leonardo Nunes Domingos Organização: Leonardo Nunes Domingos Os alimentos mais produzidos por estes municípios citados (tabela 7), estão na tabela. Santa Maria de Jetibá, no que diz respeito a hortaliças tuberosas, produz beterraba (41,2%), cenoura (19,7%), e cebola amarela (17,1%). Os demais municípios produzem principalmente Inhame, e em menores quantidades, Cará: Consome-se geralmente após cozimento. mandioca, cenoura, gengibre, cará, batata Pode também ser assado ou frito. O purê de carás é muito apreciado. doce, mandioquinha e batata comum.
  16. 16. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 153.2 Produção de Frutas Após observar os mapas da produção de hortaliças e suas sub-divisões,dedicar-se-á a análise da produção dos demais alimentos in natura. O próximo serãoas frutas (mapa 5). TABELA 8: ALGUNS DOS MUNICÍPIOS MAPA 5: PRINCIPAIS PRODUTORES DE FRUTAS NO ESPÍRITO SANTO EM QUILOS - 2007 MAIORES PRODUTORES DE FRUTAS DO 40°400"W 40° 200"W 40° 00"W ESPÍRITO SANTO, E SEUS PRINCIPAIS PANCAS ALIMENTOS - 2007 G. LINDENBERGRIO BANANAL S. D. DO NORTE Domingos Martins - Linhares - 200"S 200"S porcentagem (%) porcentagem (%) 19° 19° Banana da 58,8 Mamão 35,6 BAIXO GUANDU MARILÂNDIA LINHARES terra haway COLATINA Tangerina 17,3 Laranja 25,8 ponkan pêra Banana prata 7,9 Banana 13,6 400"S 400"S prata Banana nanica 5,6 Mamão 8,4 19° 19° S. R. DO CANAÃ J. NEIVA ITAGUAÇU formosa ARACRUZ Laranja lima 3,2 Côco Verde 6,2 IBIRAÇU ST. TERESA Outros 7,3 Outros 10,4 TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 ITARANA 20°00"S 20°00"S FUNDÃO ST. M. DE JETIBÁ Santa Leopoldina - SERRA porcentagem (%) ST. LEOPOLDINA Banana prata 35,6 Banana nanica 25,4 DOMINGOS MARTINS CARIACICAVITÓRIA 40°400"W 40° 200"W 40° 00"W Banana da 19,7 Porcentagem do total terra 0% Tangerina 10,8 0% - 1% ponkan 1% - 2% 2% - 5% Tangerina 2,8 5% - 7% Cravo 0 5 10 20 30 40 7% - 11% Outros 5,7 km 17% TOTAL 100,0 Fonte: CEASA-ES Autor: Leonardo Nunes Domingos Fonte: CEASA-ES Organização: Leonardo Nunes Domingos Os grandes produtores de frutas são os municípios de Domingos Martins eLinhares (17%), e Santa Leopoldina e Aracruz (entre 7% e 11%) da produção total.É importante perceber que, Santa Maria de Jetibá não se destaca aqui como naprodução de hortaliças. Em relação à produção de frutas, ele está inserido no grupoque produz entre 1 e 2% da produção.
  17. 17. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 16 Do outro lado, o município de Linhares,que até então não se colocava entre osprincipais produtores de hortaliças, revela-seum grande produtor de frutas. Na tabela 8, tem-se alguns dosprincipais produtores de frutas do estado.Quase 60% da produção de frutas deDomingos Martins, é de banana da terra.Linhares produz mais mamão do tipo haway,do que qualquer outra fruta, mas também Mamão hawayproduz laranja pêra (25,8%) e banana prata(13,6).Santa Leopoldina se destaca como grande produtor de banana: 35,6% debanana prata, 25,4% de banana nanica e 19,7% de banana da terra.3.3 Produção de Cereais e Leguminosas A produção de cereais e leguminosas no Espírito Santo (mapa 6) não é bemdistribuída, pelo contrário, ela é localizada em apenas 20 dos 78 municípios doestado. Entre os maiores produtores de cereais estão: Santa Maria de Jetibá, com28%, e Viana, com 24%. Em uma faixa de produção entre 5 e 15%, temos DomingosMartins, Vitória, Cachoeiro de Itapemirim e Afonso Cláudio. Vitória entra aí comoprodutora de Cereais e Leguminosas, mas na verdade esses dados apenas indicamque o produto ao chegar na CEASA-ES foi informado que veio de Vitória, mas issonão significa que foi produzido na capital. Até porque não há espaço agrícolasuficiente para tal.
  18. 18. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 17 TABELA 9: ALGUNS DOS MUNICÍPIOSMAPA 6: PRINCIPAIS PRODUTORES DE CEREAIS E LEGUMINOSAS MAIORES PRODUTORES DE CEREAIS E NO ESPÍRITO SANTO EM QUILOS - 2007 LEGUMINOSAS DO ESPÍRITO SANTO, E 40° 400"W 40° 200"W SEUS PRINCIPAIS ALIMENTOS - 2007 FUNDÃO Santa Maria de Jetibá Viana - porcentagem ST. M. DE JETIBÁ - porcentagem (%) (%) SERRA Feijão Preto 45,7 Feijão 31,8 ST. LEOPOLDINA Manteiga Feijão 45,2 Feijão Preto 24,5 Vermelho Feijão 7,0 Feijão 24,5 CARIACICA Manteiga Vermelho VITÓRIA DOMINGOS MARTINS Feijão 2,0 Feijão 14,8 200"S 200"S Carioquinha Carioquinha 20° 20° Feijão 0,04 Milho Seco 4,3 Guandu VIANA Outros 0,0 Outros 0,2 MARECHAL FLORIANO VILA VELHA TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 ALFREDO CHAVES GUARAPARI Domingos Martins - Vitória - ANCHIETA porcentagem (%) porcentagem (%) 40° 400"W 40° 200"W Feijão Preto 52,2 Milho Seco 93,0 Feijão 27,8 Arroz 7,0 Porcentagem do total Vermelho 0% Milho Seco 14,7 - - 0% - 2% 2% - 5% Feijão 2,7 - - 5% - 15% Carioquinha 0 2,5 5 10 15 20 24% Feijão 2,6 - - km 28% Manteiga Fonte: CEASA-ES Outros 0,0 Outros 0,0 Autor: Leonardo Nunes Domingos TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 Fonte: CEASA-ES Organização: Leonardo Nunes Domingos O principal cereal e leguminosa produzido 1 2no estado é o feijão (tabela 9). Santa Mariaproduz feijão preto (45,7%), feijão vermelho(45,2%), feijão manteiga (7,0%), feijão carioquinha 3 4(2,0%) e feijão guandu (0,04%). A maior parte daprodução de Viana é de feijão manteiga (31,8%).Já em Domingos Martins, no quesito cereal e Feijões: 1 - feijão preto, 2 – Feijão Guandu,leguminosa, a maior produção é de feijão preto 3 – Feijão Carioquinha, 4 – Feijão Vermelho.(52,2%). Em Vitória, a “produção” envolve doisalimentos: o milho seco (97%) e o arroz (3%).
  19. 19. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 183.3 Produção de Aves MAPA 7: PRINCIPAIS PRODUTORES DE AVES NO ESPÍRITO SANTO EM QUILOS - 2007 40° 400"W FUNDÃO TABELA 10: ALGUNS DOS MUNICÍPIOS ST. TERESA PRODUTORES DE AVES DO ESPÍRITO SANTO, ITARANA E SEUS PRINCIPAIS ALIMENTOS - 2007 Santa Maria de Jetibá - Santa Leopoldina - 00"S 00"S porcentagem (%) porcentagem (%) 20° 20° Galinha Caipira 57,4 Galinha 100,0 Caipira ST. M. DE JETIBÁ Galinha de 42,6 - - Granja Outros 0,0 Outros 0,0 ST. LEOPOLDINA TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 Fonte: CEASA-ES Organização: Leonardo Nunes Domingos DOMINGOS MARTINS CARIACICA Apenas dois municípios VIANA capixabas são responsáveis pela 40° 400"W produção de aves do estado (mapa Porcentagem do total 7): Santa Maria de Jetibá e Santa 0% 16% Leopoldina, sendo que o primeiro é 0 2,5 5 10 15 20 84% km responsável por 84%, e o segundo, Fonte: CEASA-ES Autor: Leonardo Nunes Domingos por 16%. É importante esclarecer que, o termo “produção de aves”, significa criargalinhas, visando o seu abate, e a comercialização da sua carne. Percebe-se, ao analisar a tabela 10 que, ambos os municípios são grandesprodutores de galinha caipira. Em Santa Maria, a galinha de granja ocupa o segundolugar.3.4 Produção de Ovos Por fim, a produção de ovos (mapa 8). Esse alimento in natura é produzidoprincipalmente por dois municípios: Santa Maria de Jetibá e Santa Leopoldina. Oprimeiro contribui com 83%, e o segundo, com 11%.
  20. 20. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 19 MAPA 8: PRINCIPAIS PRODUTORES DE OVOS TABELA 11: ALGUNS DOS MUNICÍPIOS NO ESPÍRITO SANTO EM QUILOS - 2007 MAIORES PRODUTORES DE OVOS DO 40° 400"W ESPÍRITO SANTO, E SEUS PRINCIPAIS IBIRAÇU ALIMENTOS - 2007 ST. TERESA FUNDÃO Santa Maria de Jetibá Santa Leopoldina ITARANA - porcentagem (%) - porcentagem (%) Ovos 81,1 Ovos 67,1 Brancos Brancos 00"S 00"S 20° 20° Ovos 17,1 Ovos 31,7 Vermelhos Vermelhos Ovos de 1,7 Ovos 0,7 ST. M. DE JETIBÁ Codorna Caipira SERRA Ovos Caipira 0,1 Ovos de 0,5 Codorna ST. LEOPOLDINA Ovos de 0,03 - - Granja Outras 0,0 Outras 0,0 TOTAL 100,0 TOTAL 100,0 DOMINGOS MARTINS CARIACICA Domingos Martins - 40° 400"W porcentagem (%) Ovos 80,4 Brancos Ovos 18,9 Porcentagem do total Vermelhos 0% Ovos de 0,7 0% - 5% Granja 11% 0 2,5 5 10 15 20 - - km 83% - - Outros 0,0 Fonte: CEASA-ES Autor: Leonardo Nunes Domingos TOTAL 100,0 Fonte: CEASA-ES Organização: Leonardo Nunes Domingos Todos esses municípios produzem em sua maioria ovos brancos, depois, emquantidade menor, ovos vermelhos (tabela 11). Outros tipos de ovos também sãoproduzidos em quantidade menor, são eles: ovos de codorna, ovos caipira e ovos degranja. Algumas dúvidas podem surgir neste momento, depois de analisar os mapasda produção de aves e de ovos. Repare, no mapa, que os municípios que produzemovos são bem mais numerosos do que os que produzem aves. Mas como isso podeacontecer? Como se produz ovos sem as galinhas? A questão é que, estamoslevando em consideração o que é comercializado. Esses municípios quecomercializam os ovos, também possuem galinhas, porém não as comercializam. Naverdade, as vendem só depois que param de colocar ovos, ou seja, quando estão“velhas”. Mas essa venda é feita na própria região ou nas periferias da GrandeVitória, de modo que não passa pela CEASA-ES.
  21. 21. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 204. DISTRIBUIÇÃO A maior parte da distribuição dos alimentos in natura no Espírito Santo é feitapela Central de Abastecimento do EspíritoSanto (CEASA-ES). A CEASA recebe osalimentos dos agricultores e distribui para osSupermercados, Feiras e Restaurantes, quevendem aos consumidores. Alguns alimentospodem chegar até os consumidores, sem ointermédio desta instituição, como exemplo, os Logotipo da CEASA.produtores que vendem seus alimentos diretonas feiras. A Unidade Central da CEASA fica no município de Cariacica, a Unidade Sul,em Cachoeiro de Itapemirim, a Unidade Noroeste, em Colatina (início em 2008), e aUnidade Norte, em São Mateus (início em 2009) (mapa 9). MAPA 9: LOCALIZAÇÃO DAS CEASAS NO ESPÍRITO SANTO EM 2008 42° 00"W 41° 00"W 40° 00"W Sabe-se a função, a 18°00"S 18°00"S localização, mas não se sabe por que a CEASA foi criada, quem inventou, e quando. Para responder à tais 00"S 00"S perguntas é necessário mergulhar na 19° 19° história da instituição, e compreender o contexto histórico do período de sua 00"S 00"S 20° 20° criação. 00"S 00"S 21° 21° 41° 00"W 40° 00"W Divisa Municipal C. de Itapemirim Cariacica 0 20 40 80 120 160 Colatina km S. Mateus Fonte: CEASA-ES Autor: Leonardo Nunes Domingos
  22. 22. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 214.1 História da CEASA-ES A distribuição de produtos cultivados no campo tornou-se mais difícil e caro,depois do crescimento dos centros urbanos do país. Isto, junto com a“desorganização” dos lugares onde eram vendidos, gerou a necessidade demelhorar as condições de comercialização dos alimentos. No final dos anos sessenta, o Governo Federal identificou uma grande falhano comércio dos produtos agrícolas no país. A comercialização era feita nas ruas,sem fiscalização, sem higiene, sem a devida transparência dos preços e emembalagens inadequadas. Havia ainda, o lixo produzido e o engarrafamento notrânsito nos locais próximos de onde ocorria à distribuição dos alimentos. Por causa disso, o Governo Federal buscou ajuda de alguns organismosinternacionais, que possuíam mais experiência no assunto, para achar a solução doproblema, além de outros países que conheciam técnicas de planejamento,construção e operação de mercados atacadistas. Os primeiros planos que foram traçados para tentar resolver o problema,receberam os nomes de Programa Estratégico de Desenvolvimento em (1970) e o IPlano de Desenvolvimento em (1972/74), sendo que esses dois planosestabeleceram como prioridade a construção de Centrais de Abastecimento(CEASA’s) nas principais cidades do país. A partir desta decisão do Governo Federal, foram implantadas Centrais deAbastecimentos – CEASA’s -, destinadas à comercialização dos alimentos in natura,e outros produtos agrícolas, em todas as capitais brasileiras e nas principais cidadesde cada Estado, formando o que foi denominado Sistema Nacional de Centrais deAbastecimento - SINAC, cuja administração ficou sob a responsabilidade do órgãochamado COBAL, que significa Companhia Brasileira de Alimentos, e hoje éconhecida como CONAB.
  23. 23. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 22 No Espírito Santo, a empresa CEASA é controlada pelo próprio Governo doEstado.4.2 A Dinâmica da Distribuição A distribuição é importante, pois é através deste processo que nós, na cidade,temos acesso ao alimento. Isto é, a distribuição é que leva o alimento aoconsumidor. As CEASA’s de todo o Brasil fazem este papel. No Espírito Santo não édiferente. Porém, essa distribuição não é tão simples assim, ela possui umadinâmica complexa e interessante. Para ficar por dentro deste processo, é precisoentender como funciona a instituição. A CEASA-ES (mapa 10), é dividida em diversos setores, ou pavilhões. ParaFacilitar a visualização, os pavilhões mais importantes foram coloridos, para facilitaro estudo. Observando o mapa, pode-se identificar os: PP1, PP2, PP3, PPA, PPB,PNP Baixo, PNP Alto, CC1 e CC2. Para simplificar, entenda, primeiramente o quesignificam essas siglas. Os pavilhões que começam com PP, são os pavilhõespermanentes, enquanto PNP significa pavilhão não permanente. As siglas quecomeçam com CC, correspondem aos centros comerciais, que são responsáveispela venda de máquinas e ferramentas, e por isso, não serão muito estudados, jáque este trabalho se refere aos alimentos.
  24. 24. MAPA 10: CENTRAL DE ABASTECIMENTO DO ESPÍRITO SANTO (CEASA-ES) - UNIDADE DE CARIACICA 40° 2430"W 40° 2420"W 40° 2410"W 40° 240"W 40° 2350"W T ÃO POR / 23 AS O PEÇ AUT ---> RA R SE PROJ.SOCIAIS PORT ÃO SEM PAVIMENTAÇÃO 0 50 100 200 300 m BANHEIRO TRAILER ESTACIONAMENTO 20° 1920"S 20° 1920"S GARAGEM LEGENDA PP3 Pavilhão Permanente 1, 2 e 3 Pavilão não Permanente Alto "pedra alta" Pavilhão não Permanente baixo "pedra baixa" POSTO POSTO POLICIAL FISCAL Pavilhão Permanente A e B PP2 DEPÓSITO Área da CEASA-ES O PP EIR A ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO H BAN a lto 20° 1930"S PNP 20° 1930"S aix o PNPb ADMINISTRAÇÃO PPB CC1 PP1 O DO BANC IL BRAS ST ES BANE CC2 DE O VER C AM P PING S HO P 2 Km BR 26 6.5 40° 2430"W 40° 2420"W 40° 2410"W 40° 240"W 40° 2350"WAutor: Pedro R. Fernandes CREA n° 663-TDAdaptação: Leonardo Nunes Domingos
  25. 25. ALIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO 24 Os pavilhõespermanentes sãosubdivididos em PP1, PP2 ePP3 (figura 2), onde ficamas distribuidoras dealimentos, que compram doprodutor rural e vendem naCEASA, e/ou para ossupermercados, e/ou para osfeirantes, e/ou para osrestaurantes. Figura 2: Os pavilhões permanentes 1, 2 e 3. Ocupados por distribuidoras de alimentos. Os pavilhões permanentes PPA e PPB (figura 3) são ocupados pelas redes de supermercados que, inclusive, compram das distribuidoras (PP1, 2 e 3). Esse transporte, é feito por meio de “carrinhos”, dentro da Figura 3: Algumas redes de supermercados que ocupam os pavilhões PPA e CEASA mesmo. Esses PPB, responsáveis pela distribuição dos alimentos. Além de redes supermercadistas, temos algumas empresas que atendem aos supermercados, supermercados por sua como a “extrafruti”. vez, enchem os seuscaminhões, e distribuem para as suas lojas. A rede de supermercado Carone é umexemplo. Ela possui um local fixo na CEASA, lá abastece seus caminhões e distribuipara as suas 6 lojas na Grande Vitória.

×