Análise Económico-Financeira Santander Totta - ApresentaçãO

3.202 visualizações

Publicada em

Trabalhos Académicos

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.202
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise Económico-Financeira Santander Totta - ApresentaçãO

  1. 1. Grupo Banco Santander TottaAnálise Económico-FinanceiraCristóvão MatosGestão Financeira de BancosLisboa, 29 de Janeiro de 2008
  2. 2. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 2
  3. 3. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 3
  4. 4. 1. O Banco Santander Totta 1.1 Estrutura Accionista 1988  O Banco Santander adquire uma pequena participação do Banco de Comércio e Indústria (BCI)  Criação do Banco Santander de Negócios Portugal 1993  A participação no BCI torna-se maioritária 1998  Designação social do BCI passa a Banco Santander Portugal 2000  O Grupo Santander adquire o Banco Totta & Açores e o CPP 2004  Fusão do Totta, Santander Portugal e CPP numa única entidade – Banco Santander Totta detida pela holding Santander Totta SGPS. Manutenção das marcas Santander e Totta 2006  Fusão das marcas Santander e Totta numa única – Santander TottaFonte: Site www.santandertotta.pt Análise Económico-Financeira ao BST 4
  5. 5. 1. O Banco Santander Totta 1.1 Estrutura Accionista Santander Totta TaxaGest SGPS SA SGPS SA 97,38% 2,47% Banco Santander Totta 99,98% 100% 50% 100% 100% 100% 100% Pinto Totta Totta & Açores Banco Totta de Totta & Açores Totta & Açores Totta Ireland International Finance MADEISISA Angola Financing Newark PLC Finance Ireland 100% 100% 16,12% 100% Serfin Totta Crédito BST International TottaUrbe International Especializado Bank Porto Rico Bank Trust Entidades de Finalidade Especial (SPE’s) HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA No. 1 PLC No. 2 PLC No. 3 PLC No. 4 PLC No. 1 FTC No. 2 FTC No. 3 FTC No. 4 FTCFonte: Relatório e Contas BST, 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 5
  6. 6. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 6
  7. 7. 1. O Banco Santander Totta 1.2 ConsolidaçãoMétodo Consolidação Integral Equivalência Patrimonial Proporcional Santander Totta TaxaGest SGPS SA SGPS SA 97,38% 2,47% Banco Santander Totta 99,98% 100% 50% 100% 100% 100% 100% Pinto Totta Totta & Açores Banco Totta de Totta & Açores Totta & Açores Totta Ireland International Finance MADEISISA Angola Financing Newark PLC Finance Ireland 100% 100% 16,12% 100% Serfin Totta Crédito BST International TottaUrbe International Especializado Bank Porto Rico Bank Trust Entidades de Finalidade Especial (SPE’s) HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA HIPOTOTTA No. 1 PLC No. 2 PLC No. 3 PLC No. 4 PLC No. 1 FTC No. 2 FTC No. 3 FTC No. 4 FTC Fonte: Relatório e Contas BST, 2006 Nota 5 Análise Económico-Financeira ao BST 7
  8. 8. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 8
  9. 9. 1. O Banco Santander Totta 1.3 Elementos Financeiros O valor total do activo (dentro do balanço) em 2006 representava 33,5 mil milhões de Euros.Fonte: Relatório e Contas BST, 2006, p. 62 Análise Económico-Financeira ao BST 9
  10. 10. 1. O Banco Santander Totta 1.3 Elementos FinanceirosFonte: Relatório e Contas BST, 2006, p. 62 Análise Económico-Financeira ao BST 10
  11. 11. 1. O Banco Santander Totta 1.3 Elementos Financeiros Em 2006, os Recursos de Clientes representaram 78,58% do total de activos do BST, 19% acima da média do Sector Bancário Banco Santander Totta Sector Bancário Fonte: Relatório e Contas 2006 e 2005 BST Fonte: Relatório de Estabilidade Financeira 2006 , Banco de Portugal Análise Económico-Financeira ao BST 11
  12. 12. 1. O Banco Santander Totta 1.3 Elementos Financeiros Enquanto que no Sector Bancário em geral os Recursos de Clientes são as principais fontes de dívida, no BST são as Responsabilidades Representadas por Títulos Sector Bancário Banco Santander Totta Fonte: Relatório e Contas 2006 e 2005 BST Fonte: Relatório de Estabilidade Financeira 2006 , Banco de Portugal Análise Económico-Financeira ao BST 12
  13. 13. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 13
  14. 14. 2. Análise Económica 2.1 Rendimentos e Gastos O forte crescimento da MC justificou o aumento do PB acima do Sector. O aumento dos CO penalizou o Resultado Líquido. Banco Santander Totta Sector Bancário 4,1% 11,4% 30,3% 11,6% 12,8% 11,5% 6,0% 1,8% 22,1% 21,1% 19,2% 28,5% Fonte BST: Relatório e Contas 2006 2005 2006 Fonte Sector: Relatório de Estabilidade Financeira 2006 , Banco de Portugal Análise Económico-Financeira ao BST 14
  15. 15. 2. Análise Económica 2.1 Rendimentos e Gastos O peso da Margem complementar no PB cresceu para 38,4%, um acréscimo de 15,7%. O Resultado líquido subiu para 35,2% do PB, um acréscimo de 5,7%. Fonte BST: Relatório e Contas 2006 Fonte Sector: Relatório de Estabilidade Financeira 2006 , Banco de Portugal Análise Económico-Financeira ao BST 15
  16. 16. 2. Análise Económica 2.1 Rendimentos e Gastos As rúbricas de CO cresceram bastante acima do Sector. As amortizações tiveram um efeito destacado. Peso das rúbricas de custos Variação homóloga das rúbricas na variação total de custos Análise Económico-Financeira ao BST 16
  17. 17. 2. Análise Económica 2.1 Rendimentos e Gastos O Produto Bancário cresceu acima do Sector, influenciado pelo forte crescimento da MC. O Resultado foi penalizado pelo aumento dos Custos Operativos Fonte BST: Relatório e Contas 2006 Fonte Sector: Relatório de Estabilidade Financeira 2006 , Banco de Portugal Análise Económico-Financeira ao BST 17
  18. 18. 2. Análise Económica 2.1 Rendimentos e Gastos O peso da MC no Sector é superior ao do BST, em 18,0%. A margem líquida libertada pelo BST é superior em 36,4% ao Sector. Fonte BST: Relatório e Contas 2006 Fonte Sector: Relatório de Estabilidade Financeira 2006 , Banco de Portugal Análise Económico-Financeira ao BST 18
  19. 19. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 19
  20. 20. 2. Análise Económica 2.2 Decomposição do ROE Em 2006 o ROA aumentou, reduzindo a alavancagem e o risco mas penalizando o ROE. AY 2,87% 4,49% 3,00% ROA 0,96% 10,41% 1,06% PM ROE 33,35% 20,18% 5,66% -7,03% 35,24% 18,76% Lf 21,09% -15,79% 17,76% 2005 2006 Fonte BST: Relatório e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 20
  21. 21. 2. Análise Económica 2.2 Decomposição do ROE O ROE do BST é cerca de 31% superior ao Sector, para uma alavancagem financeira apenas 9% maior. A PM é muito superior à dos seus concorrentes. Fonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 21
  22. 22. 2. Análise Económica 2.2 Decomposição do ROE Os seguintes quadros apresentam o comparativo entre o BST, os bancos em análise e o Sector. Sector Millennium BCP BPI BESFonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 22
  23. 23. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 23
  24. 24. 2. Análise Económica 2.3 Indicadores de Produtividade Os 3 indicadores de produtividade registaram evoluções favoráveis na variação homóloga.Fonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 24
  25. 25. 2. Análise Económica 2.3 Indicadores de Produtividade Os decréscimos do OBR e do PR são justificados pelos aumentos da MC acima dos CO, e dos acréscimos do RL e do AM. A variação do CTI justifica-se pelo aumento do PB acima dos CO Variação dos componentes do Cost-to-incomeFonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 25
  26. 26. 2. Análise Económica 2.3 Indicadores de Produtividade O BST tem o Cost-to-income mais baixo e o 2º OBR mais baixo.Fonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 26
  27. 27. 2. Análise Económica 2.3 Indicadores de Produtividade Comparativamente ao Sector, todos os rácios são mais favoráveis, à excepção do de Produtividade, justificado pelo facto de a MC ser superior em peso do PB no Sector. No OBR é compensado pelo crescimento do RL.Fonte BST: Relatórios e Contas 2006Sector: Relatório de Estabilidade do Sistema Financeiro - 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 27
  28. 28. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 28
  29. 29. 3. Análise Financeira 3.1 Equilíbrio Financeiro As operações de reestruturação do passivo influenciaram favoravelmente o Saldo de Tesouraria e o Fundo de Maneio. O SOOF foi influenciado pela redução dos Outros Passivos (decorrente do refinanciamento dos fundos de pensões em 400,000€).Fonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 29
  30. 30. 3. Análise Financeira 3.1 Equilíbrio FinanceiroFonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 30
  31. 31. 3. Análise Financeira 3.1 Equilíbrio FinanceiroFonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 31
  32. 32. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 32
  33. 33. 3. Análise Financeira 3.2 Liquidez O BST apresenta uma situação de liquidez de LP controlada. No CP as exigências são maioritariamente dos depósitos (93%). 87,3% 231,7% 26,0% 47,4% 127,1% 109,5% 25,4%Fonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 33
  34. 34. 3. Análise Financeira 3.2 Liquidez A liquidez, embora deficitária, permite gerir com alguma segurança o CP – o gap de liquidez a 1 ano é relativamente reduzido (-19,6%). Gap de liquidezFonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 34
  35. 35. 3. Análise Financeira 3.2 Liquidez O BST apresenta uma situação de liquidez imediata deficitária, com um rácio muito baixo, mas estrategicamente aceitável. Os restantes rácios estão bastante saudáveis. Houve uma evolução apreciável entre 2005 e 2006. 94,11% 4,37% -12,88%Fonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 35
  36. 36. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 36
  37. 37. 3. Análise Financeira 3.3 Solvabilidade A exposição ao risco de capital foi reduzida, traduzida num aumento dos rácios de AF (acréscimo de +90,83%), EE (acréscimo de +71,50%) e na redução do MDE (-5,26%).Fonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 37
  38. 38. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 38
  39. 39. 3. Análise Financeira 3.4 Origens e Aplicações de FundosFonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 39
  40. 40. 3. Análise Financeira 3.2 Liquidez 5 Principais Origens e Aplicações de FundosFonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 40
  41. 41. 3. Análise Financeira 3.4 Origens e Aplicações de Fundos A reestruturação do passivo foi a principal fonte de origens e aplicações de fundos. Destaca-se a redução da actividade com Bancos centrais e OIC’s, financiados essencialmente através de emissão de obrigações de caixa.Fonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 41
  42. 42. 3. Análise Financeira 3.4 Origens e Aplicações de Fundos As obrigações de caixa constituiram a principal fonte de captação de fundos (Responsabilidades representadas por títulos)Fonte BST: Relatórios e Contas 2006 Análise Económico-Financeira ao BST 42
  43. 43. Agenda 1. O Banco Santander Totta  Estrutura Accionista  Perímetro, Métodos e Técnicas de Consolidação  Elementos Financeiros 2. Análise Económica  Rendimentos e Gastos  Decomposição do ROE  Indicadores de Produtividade 3. Análise Financeira  Equilíbrio Financeiro  Liquidez  Solvabilidade  Origens e Aplicações de Fundos 4. Resumo Análise Económico-Financeira ao BST 43
  44. 44. 4. Resumo Política agressiva de gestão de activos e passivos O BST beneficia da notação de rating mais baixa da banca portuguesa; Privilégio da rentabilidade Criação de valor para o accionista; Exposição ao risco acima da média Alavancagem financeira, liquidez imediata reduzida, origens de fundos; Gestão de custos muito eficiente Melhores rácios de produtividade entre os pares; Análise Económico-Financeira ao BST 44

×