Brucelose Bovina

1.156 visualizações

Publicada em

Brucelose bovina, vacinas (formas de controle), épocas de vacinação, idade de vacinação... descarte de animais infectados....

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.156
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Brucelose Bovina

  1. 1. 27/05/2012 1 ETERRGTécnico em Agropecuária 4°semestreProfessor: Marcelo CunhaBrucelose Nomes: Fabio Ruan Giovana Priscila Caçapava do Sul –RS Abril -2012 Introdução ABruceloseéumazoonosededistribuiçãomundialresponsávelporconsideráveisperdaseconômicasnapopulaçãobovina.Empaísesemdesenvolvimentoestasituaçãoéparticularmenterelevanteconsiderando-seosmuitoscontratemposnaproduçãoanimaleascondiçõesemqueosprodutosdeorigemanimalsãoprocessadosecomercializados. ElaéproduzidaporváriasespéciesdeBrucella.NestetrabalhoaênfaseseráemBrucellaabortus,queinfectaosbovinos. Clinicamentepredominamosabortos,retençãodeplacentaeinfecçõesintra-uterinas. Bruceloseéumazoonose,porisso,suaocorrênciaéinaceitávelemrebanhosleiteiros. Epidemiologia •Situação no Brasil AbrucelosebovinaéumadoençaendêmicanoBrasil,tendosidodiagnosticadaemtodososestadosdaFederação;contudoexistemmarcadasdiferençasnaprevalênciadainfecçãoporB.abortusentreosestados.EmestudosorológicorealizadopeloMinistériodaAgriculturaem1975,foiobservadaprevalênciade4%naregiãoSul,7,5%naregiãoSudeste, 6,8%naregiãoCentro-Oeste,2%naregiãoNordestee4,1%naregiãoNorte.
  2. 2. 27/05/2012 2 •Resistência de Brucella abortus AsbactériasdogêneroBrucellasãomuitoresistentesaosfatoresambientais. B.abortuspodepermanecerporlongosperíodos(seismesesoumais)emmaterialdeabortooupartonaspastagens.Apermanênciadestasbactériasnoambienteaumentaemdeterminadascondiçõescomoapresençadesombra,umidadeebaixastemperaturas. Portanto, é recomendado que se procure deixar os locais com altas taxas de contaminação expostos ao sol, que é um potente germicida . B. abortus é sensível à pasteurização e aos desinfetantes como cal, cloro, cresol, fenol e formol, em concentrações ideais, que devem ser utilizados na desinfecção de instalações, utensílios e ambiente Resistência Tempo Solo seco 4 dias Luz solar direta 4 -5 horas Solo úmido 66 dias Baixas temperaturas 151 -185 dias Fezes 120 dias Dejetos e altas temperaturas 2 –4 horas Esgoto até 240dias Água potável 5 -114 dias Água poluída 30 –150 dias Exsudato uterino 200 dias Leite 17 dias Leite congelado Mais de 800 dias Queijos Até 6 meses Manteiga até 4 meses Iogurte até 96 dias Temperatura de 60°C 10 minutos Temperatura de 71,7 °C 15 segundos Patogenia Atransmissãosefazporcontaminaçãodiretapelocontatocomfetosabortados, placentasedescargasuterinas.ABrucellaabortuspenetranoorganismopelamucosaoralnasofaringe,conjuntivaougenitalepeleintacta. Apósinvadirocorpo,osmicro-organismospassamparaosangueesãocarreadosparaváriosórgãosetecidosondeelessemultiplicamlivremente.
  3. 3. 27/05/2012 3 Apósainvasãoinicialnoorganismo,alocalizaçãoocorreinicialmentenoslinfonodosquedrenamaáreae,entãoháadisseminaçãoparaoutrostecidoslinfóides,incluindolifonodosesplênicos,mamárioseilíacos. Ainfecçãocongênitapodeocorrerembezerrosrecém-nascidoscomoresultadodeumainfecçãouterinaeaenfermidadepodepersistiremumapequenaproporçãodebezerros,quepodemapresentarresultadosnegativosatéqueocorraoprimeiropartoouaborto. Nasvacasadultasnãográvidas,ainfecçãolocaliza-senoúbere,enoúteroseocorrerprenhes,seinfectanasfasesdebacteremiaperiódicasorigináriasdoúbere.Osúberesinfectadossãoclinicamentenormaismassãoimportantescomofontedereinfecçãouterina,comofontedeinfecçãoparabezerroseparaohomemqueingereoleite. Sinais Clínicos Osprincipaissinaisclínicosobservadosnosanimaisinfectadosestãoligadosaproblemasreprodutivos. Omaisfrequenteéoabortonoterçofinaldagestação,natimortosenascimentodeterneirosfracos.
  4. 4. 27/05/2012 4 Frequentemente,háretençãoplacentáriaeinfertilidadetemporáriaoupermanente.Nosmachos,ainfecçãoporB.abortuspodecausarorquitecomconsequenteinfertilidadepordiminuiçãodaqualidadeespermática. Lesõesarticulares,assimcomolesõesnaglândulamamáriatambémpodemserobservadasemcasoscrônicosdadoença.Aslesõesarticularescaracterizam-seporbursiteeartrite.Placentitenecróticaéaprincipallesãoencontradanosanimaisqueabortam. Nãohánenhumalesãopatognomônicadadoençanofetoabortado,porémpleuritefibrinosa,quepodeestarassociadaàbroncopneumoniasupurativaepericarditefibrinosa,ocorrecomfrequência
  5. 5. 27/05/2012 5 Diagnostico MétodosDiretos: -Isolamentoeidentificaçãodoagente: Èrealizadoatravésdacolheitadematériasdeaborto(feto,conteúdoestomacaldefeto,placenta) oudesecreções.Apresentabonsresultadosseacolheitaeotransportedaamostraforembemrealizadoseseaamostraforprocessadaemlaboratórioscapacitadosecomexperiência. -Imunohistoquímica: Èrealizadaemmaterialdeabortoapósafixaçãoemformolepermitetantoaidentificaçãodoagentecomoavisualizaçãodeaspectosmicroscópicosdotecidoexaminado. -PCR: EstetesedetectaumsegmentodeDNAespecificodaB.abortusemmaterialdeaborto,emsecreçõeseexcreções.Èumatécnicabastantesensíveleespecificaerequerequipamentossofisticadosepessoaltreinado. MétodosIndiretosouSorológicos(PNCEBT): -TestedeSoroaglutinaçãocomAntígenoAcidificadoTamponado(AAT): Éumtestedetriagememquesepreparaoantígenonaconcentraçãode8%,tamponadoempHácidoecoradocomRosaBengala.Aomisturarnosorodoanimalnota-sehápresençadegrumos(animalreagente)ounão(animalnão- reagente).
  6. 6. 27/05/2012 6 -TestedoAnelemLeite(TAL): Éumtestedetriagememquesemisturaaoleitedosanimaisantígenoscoradoscomhematoxilina,quedáacorazulcaracterística.Sereagente(reaçãopositiva);formaráumanelazuladonacamadadecremedoleite.Senão- reagente(reaçãonegativa);oanelficarábrancoeacolunadeleitepermaneceráazulada. -Testedo2-Mercaptoetanol(2-ME): ÉumtesteconfirmatórioquedetectasomenteapresençadeIgGnosoro,queéaimunoglobulinaindicativadeinfecçãocrônica.Deveserexecutadossemprecomaprovalentaemtubos(soroaglutinaçãoemtubos–SAT) -FixaçãodeComplemento(FC): TambéméumtesteconfirmatórioeomaisindicadopeloOIEquetambémdetectaimunoglobulinastantoIgG1comoIgM,sóqueoisotipoIgG1émuitomaisefetivocomofixadordocomplemento. Tratamento Combate a Brucelose Bovina: -Educaçãosanitária. -Rotinadetestessorológicos. -Abatesanitáriooudestruiçãodosanimaisreagentes. -Desinfecçãodeinstalaçõesedestruiçãoderestosplacentários,fetosabortadosesecreções. -Quarentenadeanimaisintroduzidosnorebanho. -Examedesaúdedaspessoasenvolvidas. -Marcaçãocomferrocandentedosanimaisvacinados. -Doençadedifícilerradicação Vacinação: VacinaB-19: -AmostraB.abortus,lisa,vivaeatenuada; -Aplicaçãopreferencialmenteatéos6meses; -Patogênicaparaohomem; -Protegecercade70%dosanimais; -Doseúnica.Nãotemaçãocurativasomentepreventiva. -Vacinaçãosomentedefêmeas. -Imunidadeporaproximadamente7anos.
  7. 7. 27/05/2012 7 VacinaRB-51: -AmostraB.abortus,rugosa,vivaeatenuada; -Nãointerferenasprovassorológicasoficiais; -ProteçãosemelhanteaB19(aproximadamente70%); Fontes bibliográficas •CONTROLE E ERRADICAÇÃO DA BRUCELOSE BOVINA, RIBEIRO F. V. •Brucelose bovina: uma atualização, ANDREY P. Obrigada pela atenção!!!

×