Mocivale - Março 2012

1.852 visualizações

Publicada em

MOCIVALE

Um Canal de Comunicação para as Mocidades Espíritas do Vale do Paraíba!

Equipe:

André Mohor
Denis Aguiar
Lívia Ribeiro
Paulo Cortez
Roni Couto
Simara Afonso
Talitha Komatsu

www.mocivale.net
comunicacao@mocivale.net

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.852
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.150
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mocivale - Março 2012

  1. 1. MARÇO • 2012Número 4 Mocivale.net O Jornal das Mocidades Espíritas do Vale do Paraíba Comevalp 2012 Leia tudo sobre o encontroUm roteiro (para o jovem) Um ensaio sobre as regrasque já dura 40 anos da “sociedade” Comevalp
  2. 2. Apenas um fenômeno pós-Comevalp?E m nossas atividades no movimento de mocidade ou nos lembrar na organização dos encontros, costumávamos brincar das virtudes que algumas decisões têm que ser tomadas dentro da que devere-Comevalp, porque o “clima” favorece o envolvimento com mos praticaro trabalho. É difícil negar ajuda, cooperação ou compromisso e reforçar odurante o encontro. Com o passar do tempo, as boas inten- quanto é im-ções dão lugar a uma infinidade de distrações, algumas até portante o queúteis – sem deixar de ser distrações –, e outras que nunca de- estamos fazen-veriam nos tirar da rota. Afinal, atalhos raramente funcionam. do. Foi o que aconteceu com o Mocivale. Nascido em 2009 O Mociva-durante a excelente Comevalp de Pinda, sobreviveu algum le é a concre-tempo para depois ficar ali, vivo mas sem se corporificar, tização desseexistente mas sem se expressar, sem levantar a voz para ideal de trocardemonstrar a grandeza da Doutrina Espírita. uma ideia com O benefício está sempre na razão direta da dificuldade você, jovem,que temos que enfrentar. que seja dis- Sabemos disso, por isso compreendemos o que é exigido tante do lugarde nós no trabalho da chamada “seara espírita”: paciência, comum queperseverança, sentimento de pertencimento, a consciência toma contado dever a cumprir, integração em equipe, ética, senso de da juventuderealização... a lista vai longe. hoje. Que te- A mocidade espírita ocupa um espaço significativo na vida nha um sentido que nos torne melhores, e não arredios. Quede cada jovem participante. O mesmo vale para a Comevalp nos faça notados pelo bom comportamento e que isso façae tantos outros encontros existentes pelo Brasil afora. de nós referências sem que afete nossa vaidade ou espon- Duas conclusões podemos tirar. Primeira: trabalhar com taneidade. Que transpareça a autoafirmação que não nosa mocidade é um convite ao exercício contínuo de todas preocupamos em cultivar: a do bem, incondicionalmente.aquelas virtudes. Trabalhar com a mocidade espírita é assim: depois de A segunda é que sempre teremos, no trabalho com o muitos anos de envolvimento, a gente descobre que é issojovem, a companhia das dificuldades, que justamente vão mesmo que a gente quer continuar fazendo.Os encontros estão na rede “ Finalmente bateu a saudade... Já estava ficando “ Parece loucura, mas hoje acordei às 09h45 preocupado... rs... (...)Todas as COMEVALPs foram e nenhum sinal tocou, muito menos fui especiais, cada uma com sua peculiaridade. Não senti tanta acordado por alguém ‘vesbaforido. Levantei e não saudade, porque sei que pelo menos uma vez por mês irei houve prece em conjunto, apenas a minha, solitária, rever minha família, aquela que me é permitido escolher. na cama do meu quarto. O café da manhã fui eu mes- A saudade é mais daqueles novos amigos que verei só no mo que preparei e o leite, por preguiça, estava frio. Tomei banho mais rápido que o normal, mesmo sem ano que vem. ninguém me apressar. O banheiro não precisou ser Obrigado a todos, por serem meus amigos, por termos as mesmas notícias tristes de sempre. “ limpo depois que usei. Na TV, passava a Rede Globo e compartilhado tantas coisas... Momentos que não há como explicar (a quem nunca foi à COMEVALP)... Abraços “ A vida aqui fora é chata. cheios de energia... Sorrisos que confortam nossos corações... Obrigado a todos. Amo vocês. =) Filippo Carmona No Facebook, falando sobre o EGM – Encontro Geral de Mocidades Denis Nascimento, 23 anos Espíritas – encontro similar à Comevalp Via Facebook. Participe também do grupo da Comevalp. EQUIPE André Mohor Roni Couto Denis Aguiar Simara Afonso Um Canal de Comunicação para as Mocidades Espíritas do Vale do Paraíba Lívia Ribeiro Paulo Cortez Talitha KomatsuNÚMERO 4 MARÇO DE 2012 www.mocivale.net comunicacao@mocivale.net Capa: logotipo da 33ª Comevalp.2
  3. 3. "Eu não pedi pra nascer", dizia Lulu Santos, que muitos de nós também cantamos, lápelos anos 90, já desconfiados que isso não era mudar. Já as atuais são quase uma opção nossa. Em seguida, é preciso observar nossas tendên- cias, aptidões e talentos. É o que chamambem verdade. Na Doutrina Espírita aprendemos de perfil, que nos indica o que prova-que sim, pedimos pra nascer. Talvez tenhamos im- velmente vamos fazer na vida.plorado por mais uma oportunidade de mostrar O problema é que nossaao mundo – e a nós mesmos – que seríamos capa- vida não é uma peça dezes de fazer diferente dessa vez. Definitivamente, teatro, em que executamospedimos pra nascer. falas prontas e gestos Ok, não estamos lembrando muito bem de ensaiados. Nós mudamosque foi assim que isso se passou. Mas melhor as cenas conforme nossaassim. Ficamos livres para agir e conviver com vontade. Conduzimosnossos afetos e desafetos. Eles estão ao nosso re- as personagens pelosdor: na família, na escola, na vizinhança. Eles nos cenários que nos agra-ajudam a responder algumas questões essenciais: dam. Ou nos deixamosquem sou eu, e qual a minha tarefa no mundo? levar pelos caminhos Vamos começar pela mais fácil: qual nossa de que não deveríamosmissão? gostar, mas estamos neles. A pergunta começa a ser respondida pela nos- É a hora de nos per-sa própria situação, a da nossa família, o contexto guntar, a qualquer temposocial e econômico em que estamos inseridos... ou idade, o que estamosTudo isso indica que gênero de provas ou que fazendo da vida que pedimossituações iremos enfrentar. O resto é com a gente, tanto por viver.ou seja, podemos melhorar ou piorar esse quadro. Tempo para pensar nós temos,Esse é um bom tema a ser estudado nas mocida- porque somos imortais. Mas para uns, ades: as causas atuais e anteriores das aflições. As imortalidade vai parecer uma experiência incrí-anteriores – de vidas passadas – são difíceis de vel, que vamos desejar que nunca acabe!Roteiro Juvenil Meu jovem amigo. O sentimento enobrecido orienta amor reine, soberano... A mocidade cristã é a primavera a conduta, mantendo-a nos caminhos Eis, meu amigo, em suma, o roteirobendita de luz anunciando o aperfei- retos. com que a mocidade cristã colaboraráçoamento da Terra. A conduta irrepreensível determina no aprimoramento do mundo. Aceita, com ânimo firme, o roteiro a atitude valorosa no desempenho doque o Mestre Divino nos oferece. próprio dever e no trabalho edificante. Emmanuel Psicografado por Francisco Cândido Xavier. Coração terno. O gesto louvável conduz à frater- Quando essa mensagem foi escrita, em 1971, Consciência limpa. nidade, em cujo clima conquistamos a os jovens de hoje ainda não haviam renascido. Mente pura. compreensão, o progresso e o mérito. Os jovens da época hoje vivem a madureza Sentimento nobre. Coração aberto à influência de Jesus da existência humana. Ao olharem pra trás, o Conduta reta. para enriquecer a vida... que pensam de sua juventude? E nós, quando Atitude valorosa. Disposição fraternal de servir, in- chegarmos lá, como vamos ver nossa juventude? Disposição fraternal. cessantemente às criaturas, para que o O coração aberto às sugestões dobem aclara a consciência, ditando-lhesa grandeza. A consciência sem mancha ilumina amente, renovando-lhe as manifestações. 3
  4. 4. Comevalp, cada vez melhorC açapava sediou o mais importante encontro dos jovens espiritas do vale do Paraíba, a Comevalp. Aqueles que,como nós, ainda decidem por participar eusufruir do ambiente saudável do encontro,podemos afirmar: está cada vez melhor. O temadeste 33° Encontro, “Eu sou imortal”1, propor-cionou uma viagem interessante de volta à ori-gem de nossos compromissos: a reencarnação.A fila para a sala de estudos transformou-se nafila para o retorno à vida física, e a ansiedadeou a tranqüilidade de cada jovem ali presentefoi o gatilho para nossa dinâmica: estamos re-encarnando. Em seguida, analisamos a famíliaem que vivemos, as razões e os objetivos paraestarmos juntos. E aí entraram em cena as fa-mílias de verdade. a Comevalpinha, um espaço para eram basicamente leitura de O A Comevalp, desde 2008, tem em seu crianças dentro da Comevalp. Ao Livro dos Espíritos, ficaria surpresoprimeiro dia de estudo um espaço aberto para mesmo tempo, os pais também com a preparação dos estudos dea família espírita. Os pais são convidados para puderam participar de atividades hoje – leia nesta edição texto sobreuma integração e em seguida uma parte do es-tudo do dia é feito com os jovens e os visitantes. de estudo durante as manhãs do en- o trabalho da Equipe Doutrinária.Ao contrário do que muitos vão pensar, tem contro. A participação foi pequena, Da mesma forma, as característicassido crescente a aceitação e uma certa ansiedade mas adequada à experiência nova do encontro vão mudando, sem(positiva) pela presença da família. Quando os que quisemos aplicar e avaliar. que ele perca sua essência: a con-pais não vêm, há uma certa tristeza. E ainda há A Comevalp sem dúvida mu- fraternização dos jovens espíritasquem afirme que a convivência da família na dou, assim como todos nós mu- do Vale do Paraíba!Comevalp não é possível... damos e devemos sempre mudar. 1 Um novo capítulo dessa integração com O tema completo da Comevalp foi: Quem conheceu os primeiros anosa família também foi escrito esse ano, com “Eu sou imortal - As consequências de Comevalp, quando os estudos dos meus atos fazem de mim o que sou”.Um encontro para pais e filhosA lguns poucos pais puderam oposto também é verdadeiro, e é por pais não devem se preocupar com o participar da Comevalp 2012 e isso que não há unanimidade sobre esse que acontece dentro da Comevalp, e ainda por cima levar seus filhos assunto. Discutimos a questão com pro- sim fora dela. Ali dentro estamos todosmais novos, aqueles que ainda vão fazer fundidade: você se sente parte da famí- envolvidos nos bons propósitos, o queparte da mocidade, em alguns anos. A lia? Alguns jovens falaram abertamente não nos impede, é claro, de cometer“Comevalpinha”, como foi carinhosa- que não, enquanto outros expressaram alguns erros de vez em quando. =)mente chamada, teve sua implantação a tranquilidadeexperimental durante esta Comevalp. de suas relações O encontro, desde 2008, tem em familiares.seu primeiro dia de estudo um espaço Algumas crí-aberto para a família espírita. Os pais ticas focaram osão convidados para uma integração comportamen-e em seguida uma parte do estudo do to do jovemdia é feito com os jovens e os visitantes. com relação àAo contrário do que muitos vão pensar, afetividade. Otem sido crescente a aceitação e uma clima de amiza-certa ansiedade – positiva – pela presen- de é facilmenteça da família. Quando os pais não vêm, confundido comhá uma certa lamentação. Se a situação afeição.é harmônica na família, nenhum confli- Porém, defi-to será transportado para o encontro. O nitivamente, os4
  5. 5. A Comevalp que dura o ano inteiroP ara um pequeno grupo de jo- “mais velhos” pudessem encontrar na jovens, alguns da mesma idade ou até vens, alguns não tão jovens, do Doutrinária o motivo que faltava para mais velhos1. qual fazemos parte, a Comevalp continuarem vinculados ao encontro. Esse é o grupo que, no início dedura o ano todo. Trata-se da Equipe O segundo efeito, de impacto cada ano, reúne-se mensalmente paraDoutrinária, formada por jovens de muito positivo, foi a maior facilidade definir como será a principal atividadediferentes cidades do Vale, responsá- de envolver um número suficiente de da Comevalp: o estudo. Os 33 anosveis por definir o tema do encontro, jovens para o trabalho. É só fazer as da Comevalp e os 14 anos dessa novaa estrutura e a dinâmica dos estudos, contas: que cidade do vale consegue Equipe Doutrinária estão refletidos eme por fim a aplicação das “aulas” em dedicar duas equipes numerosas – de um trabalho consistente, sem conflitossala durante o encontro – chamados até 20 pessoas – para a organização do inúteis, e que resulta em um estudo encontro e para a preparação dos estu-também de facilitadores. muito bem elaborado. dos? O formato da Equipe Doutrinária, Num passado não muito distante, Essas linhas são a confirmação da portanto, surgiu como uma inspiraçãoa cidade sede ficava responsável por alegria de poder participar do grupo, em um momento complicado e ajudoutodos os itens do encontro, inclusive o mas também o reconhecimento a uma a transformar o encontro no que ele éestudo. Isso representava, entre outras equipe que, embora jovem e sempre hoje.coisas, a ruptura de uma continuida- Os jovens que compõem a equipe em renovação, enxerga com clareza ode no estudo. Os jovens, portanto, têm idade acima da média, não por dever a que foi chamada.encontrariam na Comevalp do ano exigência, mas naturalmente, pela ma-seguinte uma equipe completamente turidade e pela segurança que os jovens 1 A média de idade na Comevalp é hojediferente, com outras ideias e outras precisam sentir para ensinar outros de 19 anos.visões doutrinárias, inclusive. Até aí,tudo bem. O problema era quando acidade sede, por falta de envolvimentode seus jovens à mocidade, deixavamos problemas afetarem o estudo. Isso infelizmente aconteceu. A resposta a essa “crise” foi bempositiva. Em 1999, o esforço de umaequipe liderada por Cristóvão Rezendeestabeleceu a forma e o estilo de traba-lho da Equipe Doutrinária, um formatoque é mantido até hoje. E a principalmudança foi a desvinculação da equipecom a cidade-sede. O grupo passou aser formado por jovens de diversas ci-dades do Vale. Sua participação poderiaser contínua, o que permitiu que até osComeçou aComevalp 2013E para esse grupo que trabalha sobre o tema o ano todo na Comevalp, o en- da próxima contro já começou. No dia 18 de Comevalp.março aconteceu a primeira reunião da O ponto deEquipe Doutrinária, em Caçapava. É a partida são Ana Lígia Araújoprimeira vez que o grupo se encontra as sugestõesdepois da Comevalp justamente para dadas pelosfalar sobre ela, os sucessos e insucessos, participantesas forças e as fraquezas de nosso traba- no questio- ção do tema, e você poderá conferir emlho durante o ano. nário de avaliação, preenchido na E, acreditem, tem muita coisa para terça-feira. Esse ano, uma novidade: as nossa próxima edição todos os detalhesmelhorar... Estranho seria se não hou- sugestões de temas também passaram do que será estudado e vivido em 2013.vesse. Além da autoavaliação a que o pelo Facebook. Para a Equipe Doutrinária, a 34ªgrupo se propôs, também conversamos No mês que vem teremos a defini- Comevalp já começou. 5
  6. 6. Música e democracia Desde o ano passado, os jovens na Comevalp encontra- à nossa Comevalp que já estava terminando.ram uma atividade diferente: o karaokê. Um espaço em que Durante e depois do evento muitos músicos comentaramos jovens pegam o microfone e escolhem uma música espírita sobre seus planos de gravar. Divulgar a música espírita épara cantar. Sim, música espírita, acompanhada pelos violões muito importante, todos concordam. Hoje, porém, existeda equipe de música. O repertório é amplo: o caderninho muito recurso técnico disponível para facilitar essa tarefa.que os jovens receberam esse ano com os textos de estudo E o exemplo que vem de outras terras é inspirador. Muitoscontinha quase 50 músicas. artistas por todo o Brasil têm produzido um som de muita Foi um momento muito “democrático” dentro da Come- qualidade. A voz e violão está ficando de lado para dar lugarvalp. Mérito da Equipe de Música, que abriu as portas daprópria equipe para inserir os jovens numa brincadeiraque se transformou num dos momentos mais divertidosdo encontro.O ano promete Foram muitas as promessas musicais para 2012. Afinal,estão aí os artistas e os recursos. Entre os artistas, alguns já são conhecidos. O grupoEnergia, por exemplo, dos nossos amigos Denis, Simara,Eduardo e Cazuza. O Energia terá agora a companhiade outro grupo, formado pela Gabi, já conhecida porsua “orquestração” do laboratório de música. A apre-sentação do laboratório, já devidamente publicada noYouTube, foi um exercício para grande parte dos jovens,especialmente os veteranos. Isso porque a apresentaçãoda música e do teatro, na terça à noite, costuma ser oponto alto do encontro, para fechar nossas atividades com a um arranjo bem inspirado e muito atraente.o gran finale de todos os anos. É quase uma tradição. De Para relembrar, aí vai a letra e a cifra de um hit da Come-repente surge uma notícia: o laboratório de música não vai se valp. Contando um pouco de estória, a Comevalp costumavaapresentar. “Ué, o que houve?”, foi a pergunta comum. O que ter uma folha A4 de músicas – talvez umas 8 a 10 músicas porninguém sabia era que o boato era parte do espetáculo. E no encontro. A maioria delas era nova. Hoje, na era da inter-meio da bela música ensaiada, os jovens do laboratório vão net, o acervo cresceu, mas alguns clássicos continuarão a serao palco e a apresentação acrescenta uma magia envolvente cantados, como “Vento e luz”, “O essencial” e “Semeador”.Depende de vocêLetra/Música: Eduardo Barreto (Rio de Janeiro) [Refrão]Tom: G G D/F# EmEstilo: MPE Desperte para a luzIntrodução: G D/F# Em C D7 C G/B Deixe o amor brotar G Am D7/4 D7Amigo, brilha o sol Frutificar de vez que a vida é muito mais Em G D/F# Em C G/B AmAlém de sua janela Depende de você querer acreditar C D4/7 D7 D7/4 D7 G [Intro]Perceba ao seu redor o quanto a vida é bela Que pode ser feliz e, enfim, se libertar GAcenda em você EmO brilho que dormita C D4/7 D7Liberte as asas e voe C G/B CAo encontro do mais puro amor Am7 D4/7 D7Abrace o infinito6
  7. 7. O Encontro visto por outros olhos... Na segunda à noite, enquanto fazí- grupos convidados para as atividades Jair Presente, jovem desencarnadoamos o balanço de um dia um pouco da noite: passe, evangelho e reunião aos 24 anos, psicografou pela primeirasofrido, com muito calor, éramos pre- mediúnica. O grupo, vinculado à Casa vez através de Chico Xavier.senteados com três mensagens psicogra- de Eurípedes de Taubaté, tem uma larga Ari Ronconi, o Coronel Moutinho,fadas que muito dizem respeito a nós, experiência na recepção e divulgação foi um dos fundadores da Cruzada dosjovens participantes ou organizadores de mensagens mediúnicas, que devem, Militares Espíritas de Caçapava.do evento. sempre, ser muito bem analisadas, para Já Ezequiel... não tem seu nome nas As mensagens foram psicografadas evitar a euforia dos nomes famosos, páginas da nossa história. Pelo menosdurante a reunião mediúnica de um dos como neste caso. não que saibamos...Alegria real Proteção espiritualCom licença, gente amiga, Filhos queridos, que a atmosfera espiritual das ruas geraDesta festa reluzente, Quanta alegria a nossa poder estar pensamentos deletérios de variadosSem querer dar de mentor junto dos amigos queridos na manuten- matizes.Sou o irmão Jair Presente. ção do trabalho de proteção espiritual Poder compartilhar com os irmãos a esta escola que ora abriga os corações através da mediunidade a nossa presen-Como é sempre de esperar em florescência! ça, é uma alegria contagiante.Quando chega o carnaval Há pouco militávamos na brigada Que Jesus entrelace sempre os nos-Muita gente se associa militar espírita desta encantadora cida- sos corações.Com a galera do Umbral... de. Hoje aqui estamos na condição de Muita paz a todos! humildes trabalhadores guarnecendoFantasias, ilusões, tão iluminada reunião, no instante emDesatinos, insensatez... Ari RonconiNo império do Rei MomoSobriedade não tem vez!...Da doideira partem muitosPra hospitais e pra presídios,Outros partem para a mortePelas portas do suicídio...Ante tanta embriaguezDesmedida e desvairada,Que dizer desta alegriaNa cidade da taiada?!...Preces, músicas, estudos,Brincadeiras fraternais...Esta festa tem mais brilhoDo que os outros carnavais! Escolha felizO amor não se mascara, Na luz de cada dia renova-se a vida. de sonhos primaveris, embora saibamosDeus não é alegoria, Viver é sempre um milagre dadivo- que se agora o corpo é jovem, nem porCaridade não se acaba, so. isso a maturidade do espírito não hajaA fé não se fantasia... Crescer com Jesus no coração é chegado. caminhar com a luz perto da gente. Quantos grisalhos se embriagamJunto de outros “jovenzinhos” Jovens, o espírito sopra onde quer. com o cálice da ilusão!Que conosco aqui estão Somos herdeiros, sim, de nós mes- Deixamos, assim, o nosso abraçoA Deus-Pai agradeçamos mos! carinhoso a todos pela escolha feliz aTão perfeita comunhão! O que plantamos invariavelmente que se permitem sem a falsa ilusão que colhemos! toma conta dos corações por estes dias!Herdeiros de nós mesmos, Quem semeia o bem colhe felicida- Muita paz!Somos todos imortais! de!Com Jesus no coração Que Jesus os abençoe neste recadoComevalp é muito mais! Ezequiel Mensagens psicografadas em 20/2/2012 pelo médium J.G. Argel durante a 33ª COMEVALP, em Jair Presente Caçapava-SP. 7
  8. 8. Comevalp x mundoÉ inevitável participar da Come- pessoal, mas os objetivos devem ser qualquer tipo de influência que se quei- valp – ou de outros encontros minimamente comuns. ra exercer no grupo. Não é exatamente espíritas – e comparar a vida “ali ...autosuficiente: procura seus pró- o que acontece, por exemplo, no mer-dentro” com a “lá de fora”. Estar ali prios recursos e tem em seus participan- cado de trabalho.entre amigos, numa convivência har- tes seus próprios realizadores – contan- Todas essas características, commônica, com atividades sempre envol- do, claro, com preciosa ajuda de pais e maior ou menor força, são parte daventes, isso certamente desperta alguns amigos. cultura dos encontros espíritas. É in-comparativos. Por que, é inevitávelpensar, nossa vida não é sempre assim?Você, jovem leitor, tem uma resposta? Uma das comparações que se fazentre a Comevalp e “a vida real” é beminteressante: os encontros espíritas se-riam um tipo de ensaio para a sociedadedo futuro. Vejamos porque essa opinião é bemcorreta. Basta observar como as relaçõesinterpessoais se processam na Comevalppara percebermos algumas característi-cas bem marcantes.A Comevalp é... ...democrática: todos podem parti-cipar, colaborar, organizar. ...sustentável, porque consome teressante notar que nunca houve um ... livre. A participação não é impos- muito pouco recurso – muito pouco acordo coletivo para definir comota. Não se ouve falar de quem tenha mesmo. E nem temos que ser trans- seriam os encontros. A cultura simples-sido obrigado a ir ao encontro – em- portados de volta para a época das mente se estabeleceu, seja pela boabora isso realmente deva acontecer. cavernas. Se não há conforto, também inspiração da espiritualidade, seja por ...disciplinada, ou pelo menos não há desperdício. um ímpeto comum de buscar o bem.tenta ser. Uma vez lá dentro, é preciso Embora democrática, a autoridade Afinal, a lei de Deus está em cada um.respeitar as regras, sob pena do motor se conquista da mesma forma que Na próxima edição a discussão con-social não girar como se imaginou. A no movimento espírita: pela ética do tinua, enfocando o comportamento domotivação para estar ali será sempre trabalho. O exemplo é o critério para jovem no encontro.Os caretas são mais felizes Não bebe e não fuma? Não atraves- qualquer bebida alcoólica tinham entre ou não feliz é baseada em dados históri-sa a madrugada nos finais de semana quatro a seis vezes mais chances de ter cos. Funciona assim: se você fuma e nãocurtindo todas? Não é irreverente com níveis mais elevados de felicidade do é feliz, então alguém que não fuma seráo senso comum? Não é rebelde com as que aqueles que relataram algum con- provavelmente infeliz, se vier a fumar.normas impostas? sumo de álcool. Essa explicação pode parecer simplista, Você só pode ser um careta! E por • Jovens que fumavam eram cerca mas a pesquisa verificou diversos hábi-isso, você provavelmente é feliz... de cinco vezes menos propensos a tos dos adolescentes, e comparou hábi- Todo mundo sabe que a euforia ter pontuações altas de felicidade emque nasce do comportamento dito comparação com aqueles que nunca tos saudáveis com aqueles consideradosirreverente, mas que não se encaixa na fumaram. prejudiciais. A conclusão é muito clara:ética, é apenas verniz, ou seja, é bonito • Maior consumo de frutas e horta- adolescentes com hábitos saudáveis sede ver, mas esconde alguma coisa que liças e menor consumo de batatas fritas, consideram mais felizes.não é boa. doces e refrigerantes foram ambos A pesquisa não cita o comportamen- Uma pesquisa inglesa vem demons- associados com a alta felicidade. to característico da juventude, citado notrar a relação entre os hábitos cotidia- • Quanto mais horas os jovens gas- primeiro parágrafo.nos do jovem – entre eles a alimentação tavam com esportes por semana, mais Mas você concorda que a relaçãoe a saúde – e a felicidade. Pode parecer felizes eles pareciam. entre o comportamento e a felicidade,uma comparação inesperada, mas veja- A pesquisa foi feita com 5 mil ado-mos o resultado: lescentes – entre 10 e 15 anos – de 40 mil nesse caso, é mais direta ainda? • Os jovens que nunca beberam lares britânicos. A probabilidade de ser Vale a pena aprofundar a análise.8

×