Jorge E. Brandán        –      -      Doutrina Social da Igreja     - 1          Doutrina Social da Igreja (6)Os valores f...
Jorge E. Brandán        –       -      Doutrina Social da Igreja     - 2incontrolado da própria autonomia pessoal: «Longe ...
Jorge E. Brandán          –       -       Doutrina Social da Igreja       - 3  5- Quando se restringe o significado da lib...
Jorge E. Brandán         –        -      Doutrina Social da Igreja       - 4Quadragesimo anno.AUTOR   PIO XIDATA DE PUBLIC...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

6 doutrina social da igreja os valores

1.158 visualizações

Publicada em

Os valores

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.158
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6 doutrina social da igreja os valores

  1. 1. Jorge E. Brandán – - Doutrina Social da Igreja - 1 Doutrina Social da Igreja (6)Os valores fundamentais da vida socialVerdade Os homens estão obrigados de modo particular a tendercontinuamente à verdade, a respeitá-la e a testemunhá-la responsavelmente.Viver na verdade tem um significado especial nas relações sociais: aconvivência entre os seres humanos em uma comunidade é efectivamenteordenada, fecunda e condizente com a sua dignidade de pessoas quando se fundana verdade. "Os homens não poderiam viver juntos se não tivessem confiançarecíproca, quer dizer, se não manifestassem a verdade uns aos outros." A virtudeda verdade devolve ao outro o que lhe é devido. A veracidade observa um justomeio entre aquilo que deve ser expresso e o segredo que deve ser guardado Quanto mais as pessoas e os grupos sociais se esforçam por resolver osproblemas sociais segundo a verdade, tanto mais se afastam do arbítrio e seconformam às exigências objectivas da moralidade. O homem tende naturalmentepara a verdade. É obrigado a honrá-la e testemunhá-la: "É postulado da própriadignidade que os homens todos, por serem pessoas... se sintam por naturezaimpelidos e moralmente obrigados a procurar a verdade. São obrigados também aaderir à verdade conhecida e a ordenar toda a vida segundo as exigências daverdade" A verdade como rectidão do agir e da palavra humana tem o nome deveracidade, sinceridade ou franqueza. A verdade ou a veracidade é a virtude queconsiste em mostrar-se verdadeiro no agir e no falar, guardando-se da duplicidade,da simulação e da hipocrisia.Liberdade A liberdade é no homem sinal altíssimo da imagem divina e,consequentemente, sinal da sublime dignidade de toda pessoa humana: «Aliberdade se exerce no relacionamento entre os seres humanos. Toda pessoahumana, criada à imagem de Deus, tem o direito natural de ser reconhecida comoser livre e responsável. Todos devem a cada um esta obrigação de respeito. Odireito ao exercício da liberdade é uma exigência inseparável da dignidade dapessoa humana». Não se deve restringir o significado da liberdade, considerando-anuma perspectiva puramente individualista e reduzindo-a ao exercício arbitrário e
  2. 2. Jorge E. Brandán – - Doutrina Social da Igreja - 2incontrolado da própria autonomia pessoal: «Longe de realizar-se na totalautonomia do eu e na ausência de relações, a liberdade só existe verdadeiramentequando laços recíprocos, regidos pela verdade e pela justiça, unem as pessoas». Ohomem é dotado de razão e por isso é semelhante a Deus: foi criado livre e senhorde seus actos. A liberdade torna o homem responsável por seus actos, na medida em queforem voluntários. A imputabilidade e a responsabilidade de uma acção podem ficardiminuídas ou suprimidas pela ignorância, inadvertência, violência, medo,hábitos, afeições imoderadas e outros factores psíquicos ou sociais. Todo acto diretamente querido é imputável a seu autor:Justiça. A justiça é um valor, que acompanha o exercício da correspondentevirtude moral cardeal. Segundo a sua formulação mais clássica, «ela consiste naconstante e firme vontade de dar a Deus e ao próximo o que lhes é devido». Doponto de vista subjectivo a justiça se traduz na atitude determinada pela vontadede reconhecer o outro como pessoa, ao passo que, do ponto de vista objectivo,constitui o critério determinante da moralidade no âmbito inter-subjetivo e social.Via da Caridade. Os valores da verdade, da justiça, do amor e da liberdade nascem e sedesenvolvem do manancial interior da caridade: a convivência humana éordenada, fecunda de bens e condizente com a dignidade do homem, quando sefunda na verdade; realiza-se segundo a justiça, ou seja, no respeito efectivo pelosdireitos e no leal cumprimento dos respectivos deveres; é realizada na liberdadeque condiz com a dignidade dos homens, levados pela sua mesma naturezaracional a assumir a responsabilidade pelo próprio agir; é vivificada pelo amor,que faz sentir como próprias as carências e as exigências alheias e torna sempremais intensas a comunhão dos valores espirituais e a solicitude pelas necessidadesmateriais. Estes valores constituem pilastras das quais recebe solidez econsistência o edifício do viver e do agir: são valores que determinam a qualidadede toda a acção e instituição social.Questionário: 1-. Por que viver na verdade tem um significado especial nas relações sociais? 2- De que é sinal a Liberdade? 3- Em que consiste a Virtude da verdade? 4- Onde se exerce a liberdade?
  3. 3. Jorge E. Brandán – - Doutrina Social da Igreja - 3 5- Quando se restringe o significado da liberdade? 6- Quando existe verdadeiramente a liberdade? 7- Que é a justiça? 8- Justiça do ponto de vista Objectivo? 9- Justiça do ponto de vista subjectivo? 10- Onde nascem os valores? 11- Quando a convivência humana é ordenada, fecunda e condizente da dignidade humana? 12- Em que se constituem os valores da verdade, liberdade e da justiça?O Magistério da Igreja de Leão XIII à Pio XII.Rerum Novarum (Das Coisas Novas)AUTOR LEON XIIIDATA DE PUBLICAÇÃO 15 - 05 - 1891CONTEXTO HISTÓRICO No ano 1891 situa-se o período da baixa geral. Já que a revolução industrial chegava aquase todos os países europeus, com um modo de trabalho, de condições inumanas.TEMAS QUE ABRRANGE Condições dos operários: Questão operária Leão XIII o resume "um número"sumamente reduzido de opulentos e ricos impus pouco menos que o jugo da escravidão auma multidão infinita de proletários. RN 1 O Papa define-se negando a solução socialista e propondo outra solução na queintervêm a Igreja, o estado e os interessados, operários e patrões. Relações entre as classes sociais: Deveres dos operários em correlação com os dosricos dos patrões. Busca a harmonia e paz entre ambas as classes. Trata sobre o direito natural de associação, organizar sindicatos. Moderada intervenção do estado em ordem ao bem comum e uma sabia política dejustiça distributiva. Restauração dos costumes cristãos, só a religião pode curar o mal.
  4. 4. Jorge E. Brandán – - Doutrina Social da Igreja - 4Quadragesimo anno.AUTOR PIO XIDATA DE PUBLICAÇÃO 15 -05 -1931 Dada a conhecer no 40 aniversário da RERUMNOVARUM do 15 de Maio de 1931, mas publicada o 23 deMaio do mesmo ano.CONTEXTO HISTÓRICO A problemática estava radicada na progressiva integração da sociedade; aparecem osgrandes monopólios nas fábricas.TEMAS QUE ABRANGE Todos estes temas os considera como una serie de elementos que se referem as pessoasparticulares e só indirectamente toca a ordem social.Na solenidade de Pentecostes(Radiomensagem)AUTOR PIO XIIDATA DE PUBLICAÇÃO1/6/1941TEMAS QUE ABRANGEOs valores fundamentais da questão social, em ocasião do cinquentenário da "RerumNovarum”. È aqui que Pio XII deu o nome definitivo de Doutrina Social da Igreja.

×