Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013

354 visualizações

Publicada em

O Objetivo do resumo da lição não é substituí-la, pelo contrário e dar mais amplitude ao estudo do tema.

A ideia e colocar os textos bíblicos diretos que respondam as questões da lição, somados aos escritos de Ellen White que dão luz sobre o assunto, eu procuro comentar o mínimo possível, só detalhes referentes as questões e algumas definições todas neste tom de azul, pois se os textos forem realmente claros, que é intenção, não há necessidade de ficar comentando, e a aplicação, como e mais extensa, procuro fazer na nossa classe.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2. 

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
354
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013

  1. 1. Lições Adultos O Santuário Lição 7 - Cristo, nosso sacrifício 9 a 16 de novembro ❉ Sábado à tarde - "Carregando Ele mesmo em Seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por Suas chagas, fostes sarados." 1Pe 2:24. Se, por qualquer crime que tivésseis cometido, fôsseis lançados entre as paredes de um cárcere, lavrada contra vós a sentença de morte, e um amigo fosse ter convosco e dissesse: "Eu tomarei vosso lugar, e vós estareis livres" - não se encheria vosso coração de gratidão para com tão abnegado amor? Cristo fez por nós infinitamente mais que isso. Estávamos perdidos; fora lavrada contra nós a sentença de morte; e Cristo morreu por nós, libertando-nos assim. Disse Ele: "Tomarei sobre Mim a culpa do pecador, para que ele tenha outra oportunidade. Porei ao seu alcance o poder que o habilite a vencer na luta contra o mal." Nessa situação é que estão hoje os seres humanos. Cristo nos comprou com Sua vida, e nós Lhe pertencemos. Todos os nossos poderes, físicos, mentais e espirituais, a Ele pertencem; e reter aquilo que Lhe pertence é roubo. Manuscrito 11, 1885. Objetivo: Entender mais sobre o sacrifício de Cristo em nosso favor, e que ao aceita-lo recebemos perdão e santificação para vivermos de acordo com o propósito divino. ❉ Domingo - Jesus em Isaías 53 Ano Bíblico: At 13–15 1. Leia Isaías 53:2-12. O que esses versos ensinam sobre o que Cristo fez por nós? Cristo assumiu a forma humana enfraquecida após quatro mil anos de pecado, foi desprezado, humilhado; homem de dores, e experimentado nos sofrimentos, aflito, ferido de Deus, e oprimido, mas não abriu a boca; como um cordeiro que é levado ao matadouro, e como a ovelha que é muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a boca, a ssumindo nossos pecados, morreu em nosso lugar. Pela opressão e pelo juízo foi arrebatado. Ele fez tudo isso porque nós amou, e se o aceitarmos verdadeiramente seremos justificados. “Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo justo justificará a muitos, e as iniquidades deles levará sobre si.” cf. Is 53:1-12. Quão inconfundivelmente claras foram as profecias de Isaías, referentes aos sofrimentos e morte de Cristo! "Quem deu crédito a nossa pregação?" interroga o profeta, "e a quem se manifestou o braço do Senhor? Porque foi subindo como um renovo perante Ele, e como, raiz duma terra seca; não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para Ele, nenhuma beleza víamos, para que O desejássemos. Era desprezado, e o mais indigno entre os homens; homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e não fizemos dEle caso algum. "Verdadeiramente Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre Si; e nós O reputamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos sarados. "Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido, mas não abriu a Sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e, como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, Ele não abriu a Sua boca. Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da Sua vida? porquanto foi cortado da Terra dos viventes; pela transgressão do Meu povo foi Ele atingido." Isa. 53:18. … Mas Aquele que havia de sofrer a morte às mãos de homens vis, devia ressurgir como conquistador sobre o pecado e sobre a sepultura. Sob a inspiração do Todo-poderoso, o suave cantor de Israel havia testificado das glórias da manhã da ressurreição. "Também a Minha carne", proclamou jubiloso, "repousará segura. Pois não deixarás a Minha alma no inferno [a sepultura], nem permitirás que o Teu Santo veja corrupção." Sal. 16:9 e 10. Atos dos Apóstolos, 225-227. “Jesus aceitou a humanidade quando a raça havia sido enfraquecida por quatro mil anos de pecado. Como qualquer filho de Adão, aceitou os resultados da operação da grande lei da hereditariedade. O que estes resultados foram, manifestase na história de Seus ancestrais terrestres. Veio com essa hereditariedade para partilhar de nossas dores e tentações, e dar-nos o exemplo de uma vida impecável”. O Desejado de Todas as Nações, 49. Cristo veio para dar ao mundo um exemplo do que poderia ser a humanidade perfeita, quando unida à divindade. Apresentou ao mundo um novo aspecto de grandeza em Sua exibição de misericórdia, compaixão e amor. Deu aos homens uma nova interpretação de Deus. Mensagens Escolhidas, vol. 1, p. 260. 2. Leia Lucas 22:37; Atos 8:32-35 e 1 Pedro 2:21-25. Como esses autores do Novo Testamento interpretam Isaías 53? Encontramos no testemunho de Lucas “Ora, a passagem da Escritura que estava lendo era esta: Foi levado como ovelha ao matadouro; e, como um cordeiro mudo perante o seu tosquiador, assim ele não abriu a boca. Na sua humilhação, lhe ramos@advir.com
  2. 2. negaram justiça; quem lhe poderá descrever a geração? Porque da terra a sua vida é tirada. Então, o eunuco disse a Filipe: Peço-te que me expliques a quem se refere o profeta. Fala de si mesmo ou de algum outro? Então, Filipe explicou; e, começando por esta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus.” At 8:32-35, mencionado Is 53:7-8. O Testemunho de Pedro “Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos, o qual não cometeu pecado, nem dolo algum se achou em sua boca; pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente, carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados. Porque estáveis desgarrados como ovelhas; agora, porém, vos convertestes ao Pastor e Bispo da vossa alma.” 1 Pe 2:21-25. Identificando o Servo sofredor de Isaías 53 como sendo Jesus Cristo o Filho de Deus. O Próprio Jesus confirma isso. “porquanto vos digo que importa que em mim se cumpra aquilo que está escrito: E com os malfeitores foi contado. Porque o que está escrito de mim terá cumprimento.” Lc 22:37, mencionado Is 53:12. “Quando, por ocasião do batismo de Jesus, João O designara como o Cordeiro de Deus, nova luz foi projetada sobre a obra do Messias. O espírito do profeta foi dirigido às palavras de Isaías: "Como um cordeiro foi levado ao matadouro." Isa. 53:7. O desejado de Todas as Nações, 136. Paulo mostrou quão intimamente havia Deus ligado o sacrifício expiatório com as profecias referentes Àquele que devia, como um cordeiro, ser "levado ao matadouro". O Messias devia dar a Sua vida como "expiação do pecado". Olhando através dos séculos as cenas do sacrifício expiatório do Salvador, o profeta Isaías testificara que o Cordeiro de Deus "derramou a Sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas Ele levou sobre Si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercede". Isa. 53:7, 10 e 12. Atos dos Apóstolos, 227. ❉ Segunda - Substituição suficiente Ano Bíblico: At 16–18 3. Leia Hebreus 2:9. O que significa dizer que Jesus "[provou] a morte por todo homem"? Leia também Hb 2:17; 9:26-28; 10:12 A morte substitutiva de Cristo, era imprescindível “Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem.” Hb 2:9, para que nossa dívida com a justiça fosse paga “Porque o salário do pecado é a morte.” Rm 6:23. E para podermos ter um que como nós sofreu e pode perfeitamente entender o que passamos e interceder justamente “Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo.” Hb 2:17. “Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus,” Hb 10:12. Quando aceitarmos o sacrifício de Jesus, feito em nosso favor, recebemos perdão, libertação do pecado e vida eterna. “também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” Hb 9:26-28. Cristo Se comprometeu a ser nosso substituto e fiador, e não despreza ninguém. Ele, que não pôde ver seres humanos sujeitos à ruína eterna sem entregar Sua vida à morte por eles, contemplará com piedade e compaixão todo aquele que reconhece não poder salvar-se a si próprio. Não contemplará nenhum trêmulo suplicante, sem soerguê-lo. Ele, que pela expiação proveu ao homem um infinito tesouro de força moral, não deixará de empregar esse poder em nosso favor. Podemos depositar a Seus pés nossos pecados e cuidados; pois Ele nos ama. Mesmo Seu olhar e palavras despertam nossa confiança. Formará e moldará nosso caráter segundo Sua vontade. Parábolas de Jesus, págs. 156 e 157. Fazia parte do plano da redenção que Cristo sofresse o escárnio e mau trato de homens ímpios; e Ele consentiu com tudo isto quando Se tornou o Redentor do homem. Cristo assegurou aos anjos que pela Sua morte resgataria a muitos, e destruiria aquele que tinha o poder da morte. Recuperaria o reino que o homem perdera pela transgressão, e os remidos deveriam herdá-lo com Ele, e nele habitar para sempre. Pecado e pecadores seriam extintos, para nunca mais perturbarem a paz do Céu ou da Terra. Patriarcas e Profetas, 65. ❉ Terça - O sangue de Cristo Ano Bíblico: At 19–21 4. Leia no livro de Hebreus as seguintes passagens sobre o sangue de Cristo e o sangue dos sacrifícios do Antigo Testamento. O que elas nos ensinam sobre o sangue? Hb 9:12; 9:14; 9:18; 9:22;10:19; 12:24; 13:12; 13:20 O sangue de Cristo traz a restauração do relacionamento íntimo com Deus. “Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus,” Hb 10:19. Purifica a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo. "Portanto, se o sangue de bode e de touros e a cinza de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, os santificam, quanto à purificação da carne, muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a Si mesmo Se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!” Heb. 9:13-14. Redime das transgressões. “Por isso mesmo, Ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sob a primeira aliança, recebam a promessa da eterna herança aqueles que têm sido chamados." Heb. 9:15. Aniquila, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado de muitos. “Ora, neste caso, seria necessário que ele tivesse sofrido muitas vezes desde a fundação do mundo; agora, porém, ao se cumprirem os tempos, se manifestou uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado. E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação.” Hb 9:26-28. Jesus sofreu para santificar o povo, pelo seu próprio sangue “Por isso, foi que também Jesus, para santificar o povo, pelo seu próprio sangue, sofreu fora da porta.” Hb 13:12. ramos@advir.com
  3. 3. Mediante o sangue expiador de Cristo, o pecador é liberto da escravidão e condenação; por meio da perfeição do imaculado Substituto e Penhor, pode ele empenhar-se na carreira de humilde obediência a todos os mandamentos de Deus. Sem Cristo acha-se ele sob a condenação da lei, sempre pecador; mas pela fé em Cristo torna-se justo perante Deus. Mensagens Escolhidas, vol. 1, p. 330. Graças a Deus que Aquele que derramou Seu sangue por nós, vive para implorar, vive para fazer intercessão por toda pessoa que O recebe. "Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça." I João 1:9. O sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo pecado. ... Precisamos conservar diante de nós sempre a eficácia do sangue de Jesus. Aquele sangue purificador, mantenedor, de que nos apoderamos por uma fé viva, é nossa esperança. Precisamos crescer em apreciação de seu inestimável valor, pois ele só fala em nosso favor quando, pela fé, reivindicamos-lhe a virtude, mantendo a consciência limpa e em paz com Deus. Isto é representado pelo sangue perdoador, inseparavelmente ligado com a ressurreição e a vida de nosso Redentor, ilustrado pela fonte incessante que procede do trono de Deus, a água do rio da vida. O maravilhoso símbolo da ave viva mergulhada no sangue da ave imolada e depois posta em liberdade para fruir a vida (Lev. 14:4-8), serve-nos de símbolo da expiação. Havia um misto de morte e de vida, apresentando ao indagador da verdade o tesouro escondido, a união do sangue-perdoador com a ressurreição e a vida de nosso Redentor. A ave imolada estava sobre água viva; aquela corrente era um símbolo da eficácia sempre a fluir, sempre purificadora, do sangue de Cristo, o Cordeiro morto desde a fundação do mundo. … Devemos ter livre acesso ao sangue expiador de Cristo. Isto devemos considerar o mais precioso privilégio, a bênção máxima já concedida ao pecador. ... Quão profunda, vasta e continua é essa corrente! Há para toda pessoa sedenta de santidade repouso, descanso, a influência vivificante do Espírito Santo, e depois o andar santo, feliz e tranqüilo, a preciosa comunhão com Cristo. Então, oh, então, podemos dizer inteligentemente com João: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." João 1:29. Carta 87, 1894. ❉ Quarta - Sacrifício imaculado Ano Bíblico: At 22, 23 5. Quais critérios um animal oferecido em sacrifício precisava cumprir? Êx 12:5; Lv 3:1; 4:3 Um dos critérios estabelecidos para o animal ser oferecido em sacrifício era ser sem mácula, sem defeito. “O cordeiro será sem defeito, macho de um ano; podereis tomar um cordeiro ou um cabrito;” Ex 12:5. “oferecê-la-á sem defeito diante do SENHOR.” Lv 3:1. “se o sacerdote ungido pecar para escândalo do povo, oferecerá pelo seu pecado um novilho sem defeito ao SENHOR, como oferta pelo pecado.” Lv 4:3. Toda manhã e tarde, um cordeiro de um ano era queimado sobre o altar, com sua apropriada oferta de manjares, simbolizando assim a consagração diária da nação a Jeová, e sua constante necessidade do sangue expiatório de Cristo. Deus ordenara expressamente que toda oferta apresentada para o ritual do santuário fosse "sem mácula". Êxo. 12:5. Os sacerdotes deviam examinar todos os animais levados para sacrifício, e rejeitar todo aquele em que se descobrisse algum defeito. Apenas uma oferta "sem mácula" poderia ser um símbolo da perfeita pureza dAquele que Se ofereceria como "um cordeiro imaculado e incontaminado". I Ped. 1:19. O apóstolo Paulo aponta para esses sacrifícios como uma ilustração do que os seguidores de Cristo devem tornar-se. Diz ele: "Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional." Rom. 12:1. Devemos entregar-nos ao serviço de Deus e procurar que a oferta se aproxime o máximo possível da perfeição. Deus não Se agradará de coisa alguma inferior ao melhor que podemos oferecer. Aqueles que O amam de todo o coração, desejarão dar-Lhe o melhor serviço de sua vida, e estarão constantemente procurando pôr toda a faculdade de seu ser em harmonia com as leis que promoverão sua habilidade para fazerem a Sua vontade. Patriarcas e Profetas, 352-353. 6. Como os textos a seguir descrevem Jesus? Por que era crucial que Ele fosse sem pecado? Hb 4:15;7:26; 9:14; 1Pe 1:18,19 O sacrifício da oferta pelo pecado deveria ser sem defeito. cf. Lv 4:1-5, 14, 23, 28. Assim Cristo se ofereceu sem mácula como oferta pelo pecado. “muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!” Hb 9:14. “santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores e feito mais alto do que os céus,” Hb 7:26. “antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado.” Hb 4:15. Somente Jesus nosso Salvador, imaculado poderia sofrer em nosso favor, para que pudéssemos ser resgatados por meio de Seu precioso sangue. “sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos lega ram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo,” 1Pe 1:18-19. Jesus foi impecável e não experimentou temor das consequências do pecado. Com esta exceção, Sua condição foi igual à nossa. Não tendes uma dificuldade que não O afligisse com igual força nem uma dor que Seu coração não haja experimentado. Seus sentimentos podiam ser ofendidos pela negligência ou a indiferença de professos amigos, da mesma maneira que os vossos. Há espinhos em vosso trilho? O de Cristo os possuía dez vezes mais. Achai-vos aflitos? Assim Se sentia Ele. Quão apto estava Cristo para nos servir de exemplo! Carta 17, 1878. Os méritos de Seu sacrifício são suficientes para serem apresentados ao Pai em nosso favor. Caminho a Cristo, 36. ramos@advir.com
  4. 4. Devemos ter livre acesso ao sangue expiatório de Cristo. Precisamos considerar isto como o mais sagrado privilégio, a maior bênção jamais concedida ao homem pecador. SDA Bible Commentary, vol. 1, pág. 1.111. "Ao comparar sua vida com o caráter de Cristo, [as pessoas] serão capazes de discernir onde falharam em cumprir os requisitos da santa lei de Deus e procurarão se tornar perfeitas em sua esfera, como Deus é perfeito em Sua esfera" (Ellen G. White, The Paulson Letters [As Cartas de Paulson], p. 374). ❉ Quinta - Um grande perigo Ano Bíblico: At 4–6 No livro de Hebreus, Paulo não focaliza apenas a compreensão teológica do sacrifício de Cristo, mas também explica algumas das suas implicações práticas. Em vários lugares, ele mostra o que acontece se alguém ignora esse sacrifício. 7. Leia Hebreus 6:4-6 e 10:26-31. Sobre o que Paulo está nos advertindo? Que tipos de atitudes ele descreve? Paulo adverte contra um grande perigo; que depois de aceitar o evangelho pode-se levar as coisas displicentemente e deixar de ser influenciado pelo Espírito Santo de Deus, rejeitando assim a graça divina. “Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários. Sem misericórdia morre pelo depoimento de duas ou três testemunhas quem tiver rejeitado a lei de Moisés. De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça? Ora, nós conhecemos aquele que disse: A mim pertence a vingança; eu retribuirei. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo. Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo.” Hb 10:2631. “É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus e expondo-o à ignomínia.” Hb 6:4-6. O pecador está exposto à morte eterna, até que encontre esconderijo em Cristo; e, como a perda de tempo e o descuido poderiam despojar o fugitivo de sua única oportunidade de vida, assim a demora e a indiferença podem mostrar-se ruína para a alma. Satanás, o grande adversário, está no encalço de todo o transgressor da santa lei de Deus, e aquele que não for sensível ao seu perigo e não buscar ansiosamente abrigo no refúgio eterno, será uma presa do destruidor. O prisioneiro que em qualquer ocasião saía da cidade de refúgio, era abandonado ao vingador do sangue. Assim o povo foi ensinado a aderir aos métodos que a sabedoria infinita indicava para a sua segurança. Da mesma forma, não basta que o pecador creia em Cristo, para obter o perdão do pecado; deve, pela fé e obediência, permanecer nEle. "Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários." Heb. 10:26 e 27. Patriarcas e Profetas, 517. Os que resistem ao Espírito de Deus, ofendendo-O até que vá embora, não sabem até onde Satanás os levará. Quando o Espírito Santo Se afasta do homem, este fará imperceptivelmente certas coisas que outrora encarava, de maneira correta, como evidente pecado. A menos que atenda às advertências, envolver-se-á num engano que, como no caso de Judas, o levará a tornar-se traidor e cego. Seguirá passo a passo as pegadas de Satanás. Quem, então, poderá lutar eficazmente com ele? Pleitearão os pastores com ele e por ele? Todas as suas palavras são como conversas infundadas. Tais almas têm a Satanás como companheiro favorito, para desvirtuar as palavras proferidas e levá-las ao seu entendimento sob falsa luz. Quando o Espírito de Deus é entristecido de tal modo que venha a retirar-Se, todo apelo feito através dos servos do Senhor é inexpressivo para eles. Interpretarão mal cada palavra. Zombarão e escarnecerão das mais solenes advertências bíblicas, as quais, não houvessem eles sido fascinados por instrumentos satânicos, os fariam tremer. Todo apelo feito a eles é inútil. Não prestam atenção a repreensões e conselhos. Desprezam todas as instâncias do Espírito e desobedecem aos mandamentos de Deus que outrora defendiam e enalteciam. As palavras do apóstolo bem podem aplicar-se a tais pessoas: "Quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade?" Gál. 3:1. Seguem o conselho de seu próprio coração até que a verdade deixa de ser verdade para eles. Barrabás é escolhido, e Cristo é rejeitado. É essencial viver de toda palavra de Deus; do contrário, nossa velha natureza se reafirmará constantemente. É o Espírito Santo, a graça redentora da verdade na alma, que torna os seguidores de Cristo um, uns com os outros, e um com Deus. Só Ele pode expelir a inimizade, a inveja e a incredulidade. Ele santifica todas as afeições. Restaura a alma desejosa e voluntária, do poder de Satanás para Deus. Este é o poder da graça. É um poder divino. Sob a sua influência, há uma mudança dos velhos hábitos, costumes e práticas que, quando acalentados, separam a alma de Deus; e a obra da santificação prossegue na alma, avançando e se ampliando constantemente. Review and Herald, 12 de outubro de 1897. Ano Bíblico: At 27, 28 ❉ Sexta - Conclusão: Em Cristo, nosso sacrifício aprendi que … ramos@advir.com
  5. 5. ✰ Domingo - Jesus em Isaías 53: Cristo assumiu a forma humana enfraquecida após quatro mil anos de pecado, foi desprezado, humilhado; homem de dores, e experimentado nos sofrimentos, aflito, ferido de Deus, e oprimido, mas não abriu a boca; como um cordeiro que é levado ao matadouro, e como a ovelha que é muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a boca, assumindo nossos pecados, morreu em nosso lugar. Pela opressão e pelo juízo foi arrebatado. Ele fez tudo isso porque nós amou, e se o aceitarmos verdadeiramente seremos justificados. “Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo justo justificará a muitos, e as iniquidades deles levará sobre si.” cf. Is 53:1-12. Encontramos no testemunho de Lucas “Ora, a passagem da Escritura que estava lendo era esta: Foi levado como ovelha ao matadouro; e, como um cordeiro mudo perante o seu tosquiador, assim ele não abriu a boca. Na sua humilhação, lhe negaram justiça; quem lhe poderá descrever a geração? Porque da terra a sua vida é tirada. Então, o eunuco disse a Filipe: Peço-te que me expliques a quem se refere o profeta. Fala de si mesmo ou de algum outro? Então, Filipe explicou; e, começando por esta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus.” At 8:32-35, mencionado Is 53:7-8. O Testemunho de Pedro “Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, ... por suas chagas, fostes sarados.” 1 Pe 2:21-25. Identificando o Servo sofredor de Isaías 53 como sendo Jesus Cristo o Filho de Deus. O Próprio Jesus confirma isso. “porquanto vos digo que importa que em mim se cumpra aquilo que está escrito: E com os malfeitores foi contado. Porque o que está escrito de mim terá cumprimento.” Lc 22:37, mencionado Is 53:12. ✰ Segunda - Substituição suficiente: A morte substitutiva de Cristo, era imprescindível “Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem.” Hb 2:9, para que nossa dívida com a justiça fosse paga “Porque o salário do pecado é a morte.” Rm 6:23. E para podermos ter um que como nós sofreu e pode perfeitamente entender o que passamos e interceder justamente “Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo.” Hb 2:17. “Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus,” Hb 10:12. Quando aceitarmos o sacrifício de Jesus, feito em nosso favor, recebemos perdão, libertação do pecado e vida eterna. “também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” Hb 9:26-28. ✰ Terça - O sangue de Cristo: O sangue de Cristo traz a restauração do relacionamento íntimo com Deus. “Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus,” Hb 10:19. Purifica a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo. "Portanto, se o sangue de bode e de touros e a cinza de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, os santificam, quanto à purificação da carne, muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a Si mesmo Se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!” Heb. 9:13-14. Redime das transgressões. “Por isso mesmo, Ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sob a primeira aliança, recebam a promessa da eterna herança aqueles que têm sido chamados." Heb. 9:15. Aniquila, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado de muitos. Hb 9:26-28. Jesus sofreu para santificar o povo, pelo seu próprio sangue “Por isso, foi que também Jesus, para santificar o povo, pelo seu próprio sangue, sofreu fora da porta.” Hb 13:12. ✰ Quarta - Sacrifício imaculado: Um dos critérios estabelecidos para o animal ser oferecido em sacrifício era ser sem mácula, sem defeito. “O cordeiro será sem defeito, macho de um ano; podereis tomar um cordeiro ou um cabrito;” Ex 12:5. “oferecê-la-á sem defeito diante do SENHOR.” Lv 3:1. “se o sacerdote ungido pecar para escândalo do povo, oferecerá pelo seu pecado um novilho sem defeito ao SENHOR, como oferta pelo pecado.” Lv 4:3. O sacrifício da oferta pelo pecado deveria ser sem defeito. cf. Lv 4:1-5, 14, 23, 28. Assim Cristo se ofereceu sem mácula como oferta pelo pecado. “muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!” Hb 9:14. “santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores e feito mais alto do que os céus,” Hb 7:26. “antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado.” Hb 4:15. Somente Jesus nosso Salvador, imaculado poderia sofrer em nosso favor, para que pudéssemos ser resgatados por meio de Seu precioso sangue. “sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo,” 1Pe 1:18-19. ✰ Quinta - Um grande perigo: Paulo adverte contra um grande perigo; que depois de aceitar o evangelho pode-se levar as coisas displicentemente e deixar de ser influenciado pelo Espírito Santo de Deus, rejeitando assim a graça divina. “Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários. Sem misericórdia morre pelo depoimento de duas ou três testemunhas quem tiver rejeitado a lei de Moisés. De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça? Ora, nós conhecemos aquele que disse: A mim pertence a vingança; eu retribuirei. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo. Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo.” Hb 10:26-31. “É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus e expondo-o à ignomínia.” Hb 6:4-6. ramos@advir.com

×