SlideShare uma empresa Scribd logo
Lições Adultos Rebelião e redenção
Lição 10 – Paulo e a rebelião 27 de fevereiro a 5 de março
❉ Sábado à tarde Ano Bíblico: Dt 8–10
VERSO PARA MEMORIZAR: “Quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é
mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela
vitória” (1Co 15:54).
Quão preciosas, para os que estão perdendo seu amor ao mundo, são a fé e esperança nas promessas de Deus,
as quais abrem perante eles a vida futura, imortal! Suas esperanças baseiam-se em invisíveis realidades do
mundo futuro. Cristo ressurgiu dos mortos, como primícias. A esperança e a fé fortalecem o coração, para que
possa atravessar as escuras sombras da tumba, com plena fé de ressurgir para a vida imortal, na manhã da
ressurreição. O paraíso de Deus, o lar dos benditos! Ali todas as lágrimas serão enxugadas de todas as faces!
Quando Cristo vier pela segunda vez, "para Se fazer admirável... em todos os que crêem" (II Tess. 1:10), a
morte será tragada pela vitória, e não haverá mais doença, nem tristeza, nem morte! É-nos dada uma rica
promessa: "Bem-aventurados aqueles que guardam os Seus mandamentos, para que tenham poder na árvore da
vida, e possam entrar na cidade pelas portas." Apoc. 22:14. Não é mesmo rica e confortadora esta promessa,
aos que amam a Deus? Review and Herald, 11 de outubro 1887.
Dentro de pouco tempo Jesus virá para salvar Seus filhos e dar-lhes o toque final da imortalidade. Este corpo
corruptível se revestirá da incorruptibilidade, e este corpo mortal se revestirá da imortalidade. As sepulturas se
abrirão, e os mortos sairão vitoriosos, clamando: "Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a
tua vitória?" I Cor. 15:55. Os nossos queridos, que dormem em Jesus, sairão revestidos da imortalidade.
E, ao ascenderem os remidos aos Céus, abrir-se-ão os portais da cidade de Deus de par em par, e neles entrarão
os que observaram a verdade. Ouvir-se-á uma voz mais bela que qualquer música que já soou aos ouvidos
mortais, dizendo: "Vinde, benditos de Meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a
fundação do mundo." Mat. 25:34. Então os justos receberão sua recompensa. Sua vida correrá paralela à vida
de Jeová. Lançarão suas coroas aos pés do Redentor, tangerão as harpas de ouro e encherão todo o Céu de bela
música. Signs of the Times, 15 de abril de 1889.
Amor, cortesia, autossacrifício – são coisas que nunca se perdem. Quando os escolhidos de Deus forem
transformados da mortalidade para a imortalidade, seus feitos e atos de bondade serão manifestados, e
preservados através dos séculos eternos. Não é perdido nenhum ato de serviço altruísta, seja pequeno ou
grande. Pelos méritos da justiça imputada de Cristo, a fragrância de tais palavras e atos será eternamente
preservada. (Review and Herald, 10 de março de 1904).
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
❉ Domingo - Adão e Jesus
► Perg. 1. Leia Romanos 5:12-21. De que forma o grande conflito é revelado nesses versos?
(Rm 5:12-21) 12 Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a
morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram. 13 Porque até ao regime
da lei havia pecado no mundo, mas o pecado não é levado em conta quando não há lei. 14 Entretanto, reinou a
morte desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão, o
qual prefigurava aquele que havia de vir. 15 Todavia, não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque,
se, pela ofensa de um só, morreram muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça de um só
homem, Jesus Cristo, foram abundantes sobre muitos. 16 O dom, entretanto, não é como no caso em que
somente um pecou; porque o julgamento derivou de uma só ofensa, para a condenação; mas a graça transcorre
de muitas ofensas, para a justificação. 17 Se, pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito
mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a
saber, Jesus Cristo. 18 Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para
condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a
justificação que dá vida. 19 Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram
pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos. 20 Sobreveio a lei
para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, 21 a fim de que, como o
pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus
Cristo, nosso Senhor.
► Resp. 1. Pelo pecado de um só homem a morte reinou, mas a generosidade da graça reinou por um só
homem, Jesus Cristo. O primeiro Adão trouxe condenação e morte, o segundo Adão trouxe reconciliação e
vida.
A providência tomada é completa, e a eterna justiça de Cristo é colocada ao crédito de toda alma crente. As
vestes, preciosas e sem mácula, tecidas nos teares do Céu, foram providas para o pecador arrependido e crente,
e ele poderá dizer: "Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegra no meu Deus; porque me vestiu
de vestidos de salvação, me cobriu com o manto de justiça, como o noivo que se adorna com atavios, e como
noiva que se enfeita com as suas jóias." Isa. 61:10.
Abundante graça foi provida para que o crente possa manter-se livre do pecado; pois todo o Céu, com seus
recursos ilimitados, foi posto à nossa disposição. Devemos servir-nos da fonte da salvação. ... Em nós mesmos
somos pecadores; mas em Cristo somos justos. Tendo-nos feito justos, mediante a imputada justiça de Cristo,
Deus nos pronuncia justos e nos trata como justos. Considera-nos Seus filhos amados. Cristo atua contra o
poder do pecado, e onde este abundava, muito mais abundante é a graça. Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág.
394.
Temos motivo para incessante gratidão a Deus porque Cristo, por Sua perfeita obediência, reconquistou o
paraíso que Adão perdeu pela desobediência. Adão pecou, e os filhos de Adão compartilham de sua culpa e
suas consequências; mas Jesus assumiu a culpa de Adão, e todos os filhos de Adão que correrem para Cristo, o
segundo Adão, podem livrar-se da penalidade da transgressão. Jesus recuperou o Céu para o homem
suportando a prova a que Adão deixou de resistir; pois Ele obedeceu perfeitamente à lei, e todos os que têm
correta compreensão do plano da redenção verão que não podem estar salvos enquanto continuam na
transgressão dos santos preceitos de Deus. Precisam cessar de transgredir a lei e apegar-se às promessas de
Deus que se acham à nossa disposição por meio dos méritos de Cristo. (Fé e Obras, p. 88, 89).
❉ Segunda - Edificação da igreja
A igreja de Cristo, por débil e defeituosa que seja, é o único objeto sobre a Terra a que Ele confere Sua
suprema atenção. ... O Senhor tem um povo, um povo escolhido - a Sua igreja - para ser Sua propriedade. Sua
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
própria fortaleza, que Ele mantém num mundo contaminado pelo pecado. Testemunhos Para Ministros, p. 15.
► Perg. 2. Leia 1 Coríntios 3:12-15. Compare com Mateus 7:24-27. Quais são as duas coisas que revelam de
que lado do conflito estamos?
(1Co 3:12-15) 12 Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas,
madeira, feno, palha, 13 manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está
sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. 14 Se permanecer a
obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; 15 se a obra de alguém se
queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo.
(Mt 7:24-27) 24 Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um
homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; 25 e caiu a chuva, transbordaram os rios,
sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a
rocha. 26 E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem
insensato que edificou a sua casa sobre a areia; 27 e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e
deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.
► Resp. 2. Podemos edificar a igreja sobre a areia da infidelidade à Palavra ou sobre a Rocha da Palavra de
Cristo; podemos construir ou destruir; podemos usar materiais valiosos e resistentes, ou materiais que não
suportam o fogo.
E aos coríntios ele (Paulo) escreve: "Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto,
o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr
outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar
um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na
verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta, e o fogo provará qual seja a obra de cada um." I
Cor. 3:10-13.
Os apóstolos edificaram sobre um firme fundamento, sobre a própria Rocha dos Séculos. Para este
fundamento trouxeram eles as pedras tiradas da pedreira do mundo. Não foi sem empecilhos que os
edificadores trabalharam. Sua obra foi excessivamente dificultada pela oposição dos inimigos de Cristo.
Tiveram de lutar contra o fanatismo, o preconceito, o ódio dos que estavam a construir sobre falso
fundamento. Muitos que trabalhavam como construtores da igreja poderiam ser comparados aos construtores
do muro, nos tempos de Neemias, dos quais é dito: "Os que edificavam o muro, e os que traziam as cargas, e
os que carregavam, cada um com uma mão fazia a obra e na outra tinha as armas." Nee. 4:17.
Reis e governadores, sacerdotes e príncipes procuraram destruir o templo de Deus. Mas em face de prisões,
tortura e morte, os fiéis prosseguiram na obra; e a estrutura cresceu bela e simétrica. Algumas vezes foram os
obreiros quase cegados pelas névoas da superstição que baixavam sobre eles. Às vezes quase se apoderava
deles a violência de seus oponentes. Mas com inabalável fé e inquebrantável coragem levaram avante a obra.
Um a um, os principais construtores caíram às mãos do inimigo. Estêvão foi apedrejado; Tiago morto à
espada; Paulo foi decapitado; Pedro crucificado; João exilado. Contudo a igreja cresceu. Novos obreiros
tomaram o lugar daqueles que caíram, e pedra sobre pedra foi acrescentada ao edifício. Assim se ergueu
lentamente o templo da igreja de Deus. Atos dos Apóstolos, pp. 596-597.
Faz toda; a diferença a espécie de material que se use na formação do caráter. O longamente esperado dia de
Deus logo testará a obra de todo homem. "Qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará." I Cor. 3:13.
Como o fogo revela a diferença entre o ouro, a prata e as pedras preciosas e madeira, feno e palha, assim, o dia
do juízo testará os caracteres, mostrando a diferença entre os caracteres formados segundo a semelhança de
Cristo, e os formados segundo a semelhança do coração egoísta. Todo o egoísmo, toda religião falsa, então
aparecerão tais quais são. O material inútil será consumido; mas o ouro da fé verdadeira, simples, humilde
jamais perderá seu valor. Jamais poderá ser consumido, pois é imperecível. Uma hora de transgressão será
considerada uma grande perda, ao passo que o temor do Senhor será tido como o princípio da sabedoria. O
prazer da condescendência consigo perecerá como palha, enquanto o ouro do princípio firme, mantido a
qualquer custo, perdurará para sempre. Review and Herald, 11 de dezembro de 1900.
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
Somos feitura de Deus. O valor do instrumento humano depende inteiramente do polimento que ele recebe.
Quando pedras brutas são preparadas para uma construção, precisam ser levadas ao ateliê, e ali talhadas e
retificadas. O processo é muitas vezes severo, pois a pedra é pressionada contra o esmeril, mas a aspereza vai
sendo removida, e o brilho começa a aparecer. O Senhor não gasta Seu tempo com material inútil; somente
Suas joias são polidas como colunas de um palácio. Toda pessoa precisa não só se submeter a essa obra da
mão divina, mas precisa também exigir o máximo de cada tendão e músculo espiritual, para que o caráter
possa se tornar mais puro, as palavras mais úteis, os atos de molde a ser aprovados por Deus. (Comentário
Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 3, p. 1154).
❉ Terça - A igreja como um corpo
► Perg. 3. Leia 1 Coríntios 12:14-26. Qual é a mensagem essencial desse texto?
(1Co 12:14-26) 14 Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. 15 Se disser o pé: Porque
não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixa de ser do corpo. 16 Se o ouvido disser: Porque não sou
olho, não sou do corpo; nem por isso deixa de o ser. 17 Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se
todo fosse ouvido, onde, o olfato? 18 Mas Deus dispôs os membros, colocando cada um deles no corpo,
como lhe aprouve. 19 Se todos, porém, fossem um só membro, onde estaria o corpo? 20 O certo é que há
muitos membros, mas um só corpo. 21 Não podem os olhos dizer à mão: Não precisamos de ti; nem ainda a
cabeça, aos pés: Não preciso de vós. 22 Pelo contrário, os membros do corpo que parecem ser mais fracos são
necessários; 23 e os que nos parecem menos dignos no corpo, a estes damos muito maior honra; também os
que em nós não são decorosos revestimos de especial honra. 24 Mas os nossos membros nobres não têm
necessidade disso. Contudo, Deus coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos
tinha, 25 para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado,
em favor uns dos outros. 26 De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é
honrado, com ele todos se regozijam. 27 Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.
► Resp. 3. Assim como cada membro do corpo tem sua função e trabalha para o bem comum, da mesma
forma ocorre na igreja: cada qual tem dons diferentes que contribuem para o crescimento e unidade da igreja.
Pela comparação da igreja com o corpo humano, o apóstolo ilustrou habilmente a íntima e harmoniosa relação
que deve existir entre todos os membros da igreja de Cristo. "Pois todos nós fomos batizados em um Espírito
formando um corpo", escreveu ele, "quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido
de um Espírito. Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. Se o pé disser: Porque não sou
mão, não sou do corpo; não será por isso do corpo? E se a orelha disser: Porque não sou olho não sou do
corpo; não será por isso do corpo? Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido,
onde estaria o olfato? Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis. E, se todos
fossem um só membro, onde estaria o corpo? Agora pois há muitos membros, mas um corpo. E o olho não
pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós. ...
Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela; para que não haja divisão no
corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece,
todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele.
Ora vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular." I Cor. 12:13-27. Atos dos Apóstolos, pp. 317-
318.
No plano da redenção um lugar é reservado para cada pessoa. A cada homem é dado seu trabalho. Ninguém
pode ser membro do corpo de Cristo e, não obstante, ser inativo. … A obra do povo de Deus pode ser e será
variada, mas um é o Espírito impulsionador de toda ela. Qualquer trabalho feito para o Senhor deve estar
ligado ao grande todo. Os obreiros devem trabalhar unidos, cada um controlado pelo poder divino, esforçando-
se juntos, a fim de atrair a Cristo os que se acham ao seu redor. Todos devem movimentar-se como peças bem
ajustadas de uma máquina, cada parte dependendo da outra e, contudo, mantendo-se separada na ação. E cada
um de nós deve assumir o lugar que lhe foi designado e fazer a obra que lhe foi dada a realizar. Deus chama os
membros de Sua igreja para receberem o Espírito Santo, para se unirem em amor fraternal, para ligarem em
amor os seus interesses. (Minha Consagração Hoje [MM 1989/1953], p. 276).
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
É por ordem do Senhor que Seus servos têm dons diferentes. É por Sua determinação que homens de
mentalidade diferente são trazidos à igreja, para ser Seus cooperadores. Temos que lidar com muitos
temperamentos diferentes, e são necessários diversos dons. Os servos de Deus devem trabalhar em perfeita
harmonia. Dou graças ao Senhor por não sermos todos exatamente iguais, embora todos devamos ter o mesmo
espírito que habitava em Cristo. O apóstolo João não era igual ao apóstolo Pedro. Cada um deles devia
subjugar suas peculiaridades e abrandar seu temperamento, para que pudessem ajudar um ao outro, mediante a
crença na verdade e a santificação por seu intermédio. (Este Dia Com Deus [MM 1980], p. 260).
❉ Quarta - A armadura de Deus
► Perg. 4. Leia Efésios 6:11-17. O que esses versos dizem sobre o fato de que batalha é muito real e pessoal?
(Ef 6:11-17) 11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do
diabo; 12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra
os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. 13 Portanto,
tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo,
permanecer inabaláveis. 14 Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da
justiça. 15 Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; 16 embraçando sempre o escudo da fé, com o
qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. 17 Tomai também o capacete da salvação e a
espada do Espírito, que é a palavra de Deus;
► Resp. 4. Precisamos usar a armadura, um instrumento pessoal de defesa. Cada parte da armadura é
fundamental para que a pessoa seja protegida contra as ciladas do mal. Nessa luta, precisamos também atacar
as forças do mal e anunciar aos oprimidos sobre a vitória de Jesus.
Não é seguro, quando vamos à batalha, lançar de lado nossas armas. É então que precisamos ser equipados
com toda a armadura de Deus. Todas as peças são necessárias. Testimonies, vol. 7, pág. 190.
Conquanto Satanás procure constantemente cegar a mente dos cristãos para este fato, jamais se esqueçam eles
de que não têm que lutar "contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades,
contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais."
Efés. 6:12. ...
Desde os dias de Adão até os nossos tempos, nosso grande inimigo tem estado a exercer seu poder de oprimir
e destruir. Está hoje a preparar-se para sua última campanha contra a igreja. Todos os que procuram seguir a
Jesus terão de batalhar contra este implacável adversário. Quanto mais aproximadamente o cristão imitar o
Modelo divino, tanto mais certo fará de si um alvo para os ataques de Satanás. O Grande Conflito, pág. 510.
Devemos estar revestidos de toda a armadura de Deus, e prontos cada momento para suster conflito com os
poderes das trevas. Quando nos assaltarem tentações e provações, vamos a Deus, e com verdadeira agonia de
alma oremos a Ele. Não nos despedirá Ele vazios, mas nos dará graça e força para vencer e quebrar o poder do
inimigo. Oh! oxalá todos pudessem ver estas coisas na sua verdadeira luz, e suportar as dificuldades como
bons soldados de Cristo! Então Israel avançaria, forte em Deus, na força de Seu poder. Primeiros Escritos, pág.
46.
Os servos de Deus devem vestir todas as peças da armadura cristã. Não estamos lutando simplesmente com
inimigos humanos. Deus convoca todo cristão a se empenhar na guerra e a lutar sob Sua liderança,
dependendo da graça e ajuda do Céu, a fim de alcançar sucesso.
Devemos avançar na força do Todo-Poderoso. Jamais poderemos ceder aos ataques de Satanás. Por que não
deveríamos nós, como guerreiros cristãos, estar em pé contra os principados e potestades, contra os dirigentes
das trevas deste mundo? Deus nos convoca a avançar, utilizando os talentos de que nos dotou. Satanás
colocará a tentação diante de nós. Procurará nos vencer mediante estratagemas. Mas, na força de Deus,
devemos permanecer firmes ao princípio como uma rocha.
Nessa guerra não existe trégua. Os agentes satânicos jamais concedem pausa em sua obra de destruição. Os
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
que se encontram no serviço de Cristo precisam vigiar todos os postos. Nosso objetivo é salvar da ruína os
pecadores. Essa é uma obra de infinita grandeza e o homem não pode ter a esperança de ser nela bem-
sucedido, a menos que se una com o divino Obreiro…
Cada dia, revestidos de toda a armadura, avançarão na batalha. Mediante oração, vigilância e perseverança,
agirão, determinados a não permitir que o encerramento de suas atividades os encontre despreparados, não
tendo feito tudo a seu alcance para a salvação dos perdidos. (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 219-221).
❉ Quinta - O último inimigo
► Perg. 5. Leia 1 Coríntios 15:12-18. Qual é a implicação de negar a ressurreição dos mortos?
(1Co 15:12-18) 12 Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, pois, afirmam
alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? 13 E, se não há ressurreição de mortos, então, Cristo não
ressuscitou. 14 E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé; 15 e somos tidos por
falsas testemunhas de Deus, porque temos asseverado contra Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual ele não
ressuscitou, se é certo que os mortos não ressuscitam. 16 Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo
não ressuscitou. 17 E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.
18 E ainda mais: os que dormiram em Cristo pereceram.
► Resp. 5. Se Cristo não ressuscitou, é inútil a pregação do evangelho e até mesmo nossa fé. “Se a nossa
esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes dos homens.” 1Co 15:19.
Glorioso é o triunfo que espera o fiel. O apóstolo, reconhecendo as possibilidades que tinham perante si os
crentes coríntios, procurou colocar diante deles o que eleva do egoísmo e do sensual, e glorifica a vida com a
esperança da imortalidade. Ardentemente os exortou a ser fiéis à sua alta vocação em Cristo. “Meus amados
irmãos”, instou ele, “sejam firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o seu
trabalho não é vão no Senhor” (1Co 15:58).
Assim o apóstolo, da maneira mais decidida e impressiva, procurou corrigir as falsas e perigosas ideias e
práticas que estavam prevalecendo na igreja de Corinto. Falou claramente, porém em amor pelos membros da
igreja. Em suas advertências e reprovações a luz do trono de Deus brilhou sobre eles, revelando os pecados
ocultos que lhes estavam debilitando a vida. Como seriam essas advertências recebidas? (Atos dos Apóstolos,
p. 321).
A teologia popular representa os justos mortos como estando no Céu, admitidos na bem-aventurança, e
louvando a Deus com língua imortal; Ezequias, porém, não pôde ver tal perspectiva gloriosa na morte. Com
suas palavras concorda o testemunho do salmista: “Na morte não há lembrança de Ti; no sepulcro quem Te
louvará?” “Os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio” (Sl 6:5; 115:17).
No dia de Pentecostes, Pedro declarou que o patriarca Davi “morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a
sua sepultura”. “Porque Davi não subiu aos Céus” (At 2:29, 34). O fato de Davi permanecer na sepultura até à
ressurreição, prova que os justos não ascendem ao Céu por ocasião da morte. É unicamente pela ressurreição,
e em virtude de Jesus haver ressuscitado, que Davi poderá finalmente assentar-se à destra de Deus.
E Paulo disse: “Se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é
vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados. E também os que dormiram em Cristo estão perdidos”
(1Co 15:16-18). Se durante quatro mil anos os justos tivessem à sua morte ido diretamente para o Céu, como
poderia Paulo ter dito que se não há ressurreição “os que dormiram em Cristo estão perdidos”? Não seria
necessária a ressurreição.
O mártir Tyndale, referindo-se ao estado dos mortos, declarou: “Confesso abertamente que não estou
persuadido de que eles já estejam na plena glória em que Cristo Se acha, ou em que estão os anjos eleitos de
Deus. Tampouco isso é artigo de minha fé; pois, se assim fosse, não vejo nisso senão que o pregar a
ressurreição da carne seria coisa vã”. (Prefácio do “Novo Testamento”, edição de 1534), de Guilherme
Tyndale. (O Grande Conflito, p. 546, 547).
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segunda carta do Aposto Pedro
Segunda carta do Aposto PedroSegunda carta do Aposto Pedro
Segunda carta do Aposto Pedro
Mensagens Virtuais
 
O sangue de cristo
O sangue de cristoO sangue de cristo
O sangue de cristo
Instituto Teológico Gamaliel
 
Estudo breve de escatologia
Estudo breve de escatologiaEstudo breve de escatologia
Estudo breve de escatologia
Welem C Lourenço
 
Apocalipse - Capitulo 21
Apocalipse -  Capitulo 21Apocalipse -  Capitulo 21
Apocalipse - Capitulo 21
IBC de Jacarepaguá
 
O Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGRO Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGR
Gerson G. Ramos
 
Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013
Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013
Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013
Gerson G. Ramos
 
Apocalipse - Capítulo 12
Apocalipse - Capítulo 12 Apocalipse - Capítulo 12
Apocalipse - Capítulo 12
IBC de Jacarepaguá
 
Perseguidos mas não desamparados e destruídos
Perseguidos mas não desamparados e destruídosPerseguidos mas não desamparados e destruídos
Perseguidos mas não desamparados e destruídos
Silvio Dutra
 
Apocalipse - Capítulo 13
Apocalipse - Capítulo 13 Apocalipse - Capítulo 13
Apocalipse - Capítulo 13
IBC de Jacarepaguá
 
Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Gerson G. Ramos
 
00 a justica de cristo
00 a justica de cristo00 a justica de cristo
00 a justica de cristo
Julio Simões
 
Sinais da volta de cristo
Sinais da volta de cristoSinais da volta de cristo
Sinais da volta de cristo
trabalho como autonomo
 
O Juízo Final
O Juízo FinalO Juízo Final
O Juízo Final
Márcio Martins
 
O Juízo Final - Lição 11 - 1º Trimestre de 2016
O Juízo Final - Lição 11 - 1º Trimestre de 2016O Juízo Final - Lição 11 - 1º Trimestre de 2016
O Juízo Final - Lição 11 - 1º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
A Compulsão do Evangelho Thomas Boston
A Compulsão do Evangelho   Thomas BostonA Compulsão do Evangelho   Thomas Boston
A Compulsão do Evangelho Thomas Boston
Silvio Dutra
 
A graça que atua pelo amor - livro
A graça que atua pelo amor - livroA graça que atua pelo amor - livro
A graça que atua pelo amor - livro
Silvio Dutra
 
Expiação: oferta da purificação_Lição_original com textos_542013
 Expiação: oferta da purificação_Lição_original com textos_542013 Expiação: oferta da purificação_Lição_original com textos_542013
Expiação: oferta da purificação_Lição_original com textos_542013
Gerson G. Ramos
 
Apocalipse - Capítulo 16
Apocalipse - Capítulo 16Apocalipse - Capítulo 16
Apocalipse - Capítulo 16
IBC de Jacarepaguá
 
Salvação_432014_GGR
Salvação_432014_GGRSalvação_432014_GGR
Salvação_432014_GGR
Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
Gerson G. Ramos
 

Mais procurados (20)

Segunda carta do Aposto Pedro
Segunda carta do Aposto PedroSegunda carta do Aposto Pedro
Segunda carta do Aposto Pedro
 
O sangue de cristo
O sangue de cristoO sangue de cristo
O sangue de cristo
 
Estudo breve de escatologia
Estudo breve de escatologiaEstudo breve de escatologia
Estudo breve de escatologia
 
Apocalipse - Capitulo 21
Apocalipse -  Capitulo 21Apocalipse -  Capitulo 21
Apocalipse - Capitulo 21
 
O Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGRO Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGR
 
Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013
Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013
Cristo, nosso sacrifício_Resumo_742013
 
Apocalipse - Capítulo 12
Apocalipse - Capítulo 12 Apocalipse - Capítulo 12
Apocalipse - Capítulo 12
 
Perseguidos mas não desamparados e destruídos
Perseguidos mas não desamparados e destruídosPerseguidos mas não desamparados e destruídos
Perseguidos mas não desamparados e destruídos
 
Apocalipse - Capítulo 13
Apocalipse - Capítulo 13 Apocalipse - Capítulo 13
Apocalipse - Capítulo 13
 
Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 
00 a justica de cristo
00 a justica de cristo00 a justica de cristo
00 a justica de cristo
 
Sinais da volta de cristo
Sinais da volta de cristoSinais da volta de cristo
Sinais da volta de cristo
 
O Juízo Final
O Juízo FinalO Juízo Final
O Juízo Final
 
O Juízo Final - Lição 11 - 1º Trimestre de 2016
O Juízo Final - Lição 11 - 1º Trimestre de 2016O Juízo Final - Lição 11 - 1º Trimestre de 2016
O Juízo Final - Lição 11 - 1º Trimestre de 2016
 
A Compulsão do Evangelho Thomas Boston
A Compulsão do Evangelho   Thomas BostonA Compulsão do Evangelho   Thomas Boston
A Compulsão do Evangelho Thomas Boston
 
A graça que atua pelo amor - livro
A graça que atua pelo amor - livroA graça que atua pelo amor - livro
A graça que atua pelo amor - livro
 
Expiação: oferta da purificação_Lição_original com textos_542013
 Expiação: oferta da purificação_Lição_original com textos_542013 Expiação: oferta da purificação_Lição_original com textos_542013
Expiação: oferta da purificação_Lição_original com textos_542013
 
Apocalipse - Capítulo 16
Apocalipse - Capítulo 16Apocalipse - Capítulo 16
Apocalipse - Capítulo 16
 
Salvação_432014_GGR
Salvação_432014_GGRSalvação_432014_GGR
Salvação_432014_GGR
 
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
 

Destaque

❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição 212016 - Crise no Éden + textos_GGR
Lição 212016 - Crise no Éden + textos_GGRLição 212016 - Crise no Éden + textos_GGR
Lição 212016 - Crise no Éden + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas_1212016_A igreja militante_GGR
❉ Respostas_1212016_A igreja militante_GGR❉ Respostas_1212016_A igreja militante_GGR
❉ Respostas_1212016_A igreja militante_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1212016_A igreja militante_GGR
Lição_1212016_A igreja militante_GGRLição_1212016_A igreja militante_GGR
Lição_1212016_A igreja militante_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRLição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas 512016_O conflito continua_GGR
❉ Respostas 512016_O conflito continua_GGR❉ Respostas 512016_O conflito continua_GGR
❉ Respostas 512016_O conflito continua_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGRLição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas 412016_conflito e crise: os juízes_GGR
❉ Respostas 412016_conflito e crise: os juízes_GGR❉ Respostas 412016_conflito e crise: os juízes_GGR
❉ Respostas 412016_conflito e crise: os juízes_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode
Lifting The Veil - Reading Java BytecodeLifting The Veil - Reading Java Bytecode
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode
Alexander Shopov
 
In Vogue Dynamic
In Vogue DynamicIn Vogue Dynamic
In Vogue Dynamic
Alexander Shopov
 
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode During Lunchtime
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode During LunchtimeLifting The Veil - Reading Java Bytecode During Lunchtime
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode During Lunchtime
Alexander Shopov
 
Beyond the Final Frontier of jQuery Selectors
Beyond the Final Frontier of jQuery SelectorsBeyond the Final Frontier of jQuery Selectors
Beyond the Final Frontier of jQuery Selectors
Alexander Shopov
 
I Know Kung Fu - Juggling Java Bytecode
I Know Kung Fu - Juggling Java BytecodeI Know Kung Fu - Juggling Java Bytecode
I Know Kung Fu - Juggling Java Bytecode
Alexander Shopov
 
Caching in HTTP
Caching in HTTPCaching in HTTP
Caching in HTTP
Alexander Shopov
 
Oracle's Take On NoSQL
Oracle's Take On NoSQLOracle's Take On NoSQL
Oracle's Take On NoSQL
Alexander Shopov
 
Bundling Packages and Deploying Applications with RPM
Bundling Packages and Deploying Applications with RPMBundling Packages and Deploying Applications with RPM
Bundling Packages and Deploying Applications with RPM
Alexander Shopov
 

Destaque (17)

❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
 
Lição 212016 - Crise no Éden + textos_GGR
Lição 212016 - Crise no Éden + textos_GGRLição 212016 - Crise no Éden + textos_GGR
Lição 212016 - Crise no Éden + textos_GGR
 
❉ Respostas_1212016_A igreja militante_GGR
❉ Respostas_1212016_A igreja militante_GGR❉ Respostas_1212016_A igreja militante_GGR
❉ Respostas_1212016_A igreja militante_GGR
 
Lição_1212016_A igreja militante_GGR
Lição_1212016_A igreja militante_GGRLição_1212016_A igreja militante_GGR
Lição_1212016_A igreja militante_GGR
 
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRLição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 
❉ Respostas 512016_O conflito continua_GGR
❉ Respostas 512016_O conflito continua_GGR❉ Respostas 512016_O conflito continua_GGR
❉ Respostas 512016_O conflito continua_GGR
 
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGRLição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
 
❉ Respostas 412016_conflito e crise: os juízes_GGR
❉ Respostas 412016_conflito e crise: os juízes_GGR❉ Respostas 412016_conflito e crise: os juízes_GGR
❉ Respostas 412016_conflito e crise: os juízes_GGR
 
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode
Lifting The Veil - Reading Java BytecodeLifting The Veil - Reading Java Bytecode
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode
 
In Vogue Dynamic
In Vogue DynamicIn Vogue Dynamic
In Vogue Dynamic
 
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode During Lunchtime
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode During LunchtimeLifting The Veil - Reading Java Bytecode During Lunchtime
Lifting The Veil - Reading Java Bytecode During Lunchtime
 
Beyond the Final Frontier of jQuery Selectors
Beyond the Final Frontier of jQuery SelectorsBeyond the Final Frontier of jQuery Selectors
Beyond the Final Frontier of jQuery Selectors
 
I Know Kung Fu - Juggling Java Bytecode
I Know Kung Fu - Juggling Java BytecodeI Know Kung Fu - Juggling Java Bytecode
I Know Kung Fu - Juggling Java Bytecode
 
Caching in HTTP
Caching in HTTPCaching in HTTP
Caching in HTTP
 
Oracle's Take On NoSQL
Oracle's Take On NoSQLOracle's Take On NoSQL
Oracle's Take On NoSQL
 
Bundling Packages and Deploying Applications with RPM
Bundling Packages and Deploying Applications with RPMBundling Packages and Deploying Applications with RPM
Bundling Packages and Deploying Applications with RPM
 

Semelhante a ❉ Respostas_1012016_Paulo e a rebelião_GGR

Lição 1012016_Paulo e a rebelião_GGR
Lição 1012016_Paulo e a rebelião_GGRLição 1012016_Paulo e a rebelião_GGR
Lição 1012016_Paulo e a rebelião_GGR
Gerson G. Ramos
 
A segunda vinda de Jesus_1332014_GGR.odt
A segunda vinda de Jesus_1332014_GGR.odtA segunda vinda de Jesus_1332014_GGR.odt
A segunda vinda de Jesus_1332014_GGR.odt
Gerson G. Ramos
 
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
RODRIGO FERREIRA
 
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptxTribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
LucianoSerrano8
 
Arrebatados
ArrebatadosArrebatados
Arrebatados
Welem C Lourenço
 
Lição 11 - O Juízo Final
Lição 11 - O Juízo FinalLição 11 - O Juízo Final
Lição 11 - O Juízo Final
Andrew Guimarães
 
O tribunal de cristo
O tribunal de cristoO tribunal de cristo
O tribunal de cristo
Pr. Gerson Eller
 
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptxoarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
sheylarocha10
 
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptxoarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
Tiago Silva
 
A obra da expiação propósito e alcance
A obra da expiação propósito e alcanceA obra da expiação propósito e alcance
A obra da expiação propósito e alcance
dimas campos
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Ailton da Silva
 
ESTUDO BÍBLICO
ESTUDO BÍBLICOESTUDO BÍBLICO
ESTUDO BÍBLICO
Lc Passold
 
Arrebatados
ArrebatadosArrebatados
Arrebatados
Ellen Mafra
 
Arrebatados
ArrebatadosArrebatados
Arrebatados
Welem C Lourenço
 
Lição 10 - Escapando da Ira Futura
Lição 10 - Escapando da Ira FuturaLição 10 - Escapando da Ira Futura
Lição 10 - Escapando da Ira Futura
Éder Tomé
 
Cristo, o fim da lei_722014_GGR
Cristo, o fim da lei_722014_GGRCristo, o fim da lei_722014_GGR
Cristo, o fim da lei_722014_GGR
Gerson G. Ramos
 
Arrebatados
ArrebatadosArrebatados
Arrebatados
Ellen Mafra
 
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestialEncerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Diego Fortunatto
 
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestialEncerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Diego Fortunatto
 
A lei de Deus_1032014_GGR
A lei de Deus_1032014_GGRA lei de Deus_1032014_GGR
A lei de Deus_1032014_GGR
Gerson G. Ramos
 

Semelhante a ❉ Respostas_1012016_Paulo e a rebelião_GGR (20)

Lição 1012016_Paulo e a rebelião_GGR
Lição 1012016_Paulo e a rebelião_GGRLição 1012016_Paulo e a rebelião_GGR
Lição 1012016_Paulo e a rebelião_GGR
 
A segunda vinda de Jesus_1332014_GGR.odt
A segunda vinda de Jesus_1332014_GGR.odtA segunda vinda de Jesus_1332014_GGR.odt
A segunda vinda de Jesus_1332014_GGR.odt
 
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
 
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptxTribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
 
Arrebatados
ArrebatadosArrebatados
Arrebatados
 
Lição 11 - O Juízo Final
Lição 11 - O Juízo FinalLição 11 - O Juízo Final
Lição 11 - O Juízo Final
 
O tribunal de cristo
O tribunal de cristoO tribunal de cristo
O tribunal de cristo
 
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptxoarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
 
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptxoarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
oarrebatamentodaigreja-160112145445 (1).pptx
 
A obra da expiação propósito e alcance
A obra da expiação propósito e alcanceA obra da expiação propósito e alcance
A obra da expiação propósito e alcance
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
 
ESTUDO BÍBLICO
ESTUDO BÍBLICOESTUDO BÍBLICO
ESTUDO BÍBLICO
 
Arrebatados
ArrebatadosArrebatados
Arrebatados
 
Arrebatados
ArrebatadosArrebatados
Arrebatados
 
Lição 10 - Escapando da Ira Futura
Lição 10 - Escapando da Ira FuturaLição 10 - Escapando da Ira Futura
Lição 10 - Escapando da Ira Futura
 
Cristo, o fim da lei_722014_GGR
Cristo, o fim da lei_722014_GGRCristo, o fim da lei_722014_GGR
Cristo, o fim da lei_722014_GGR
 
Arrebatados
ArrebatadosArrebatados
Arrebatados
 
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestialEncerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestial
 
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestialEncerramento do ministério de cristo no santuário celestial
Encerramento do ministério de cristo no santuário celestial
 
A lei de Deus_1032014_GGR
A lei de Deus_1032014_GGRA lei de Deus_1032014_GGR
A lei de Deus_1032014_GGR
 

Mais de Gerson G. Ramos

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Gerson G. Ramos
 

Mais de Gerson G. Ramos (20)

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 

Último

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 

Último (12)

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 

❉ Respostas_1012016_Paulo e a rebelião_GGR

  • 1. Lições Adultos Rebelião e redenção Lição 10 – Paulo e a rebelião 27 de fevereiro a 5 de março ❉ Sábado à tarde Ano Bíblico: Dt 8–10 VERSO PARA MEMORIZAR: “Quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória” (1Co 15:54). Quão preciosas, para os que estão perdendo seu amor ao mundo, são a fé e esperança nas promessas de Deus, as quais abrem perante eles a vida futura, imortal! Suas esperanças baseiam-se em invisíveis realidades do mundo futuro. Cristo ressurgiu dos mortos, como primícias. A esperança e a fé fortalecem o coração, para que possa atravessar as escuras sombras da tumba, com plena fé de ressurgir para a vida imortal, na manhã da ressurreição. O paraíso de Deus, o lar dos benditos! Ali todas as lágrimas serão enxugadas de todas as faces! Quando Cristo vier pela segunda vez, "para Se fazer admirável... em todos os que crêem" (II Tess. 1:10), a morte será tragada pela vitória, e não haverá mais doença, nem tristeza, nem morte! É-nos dada uma rica promessa: "Bem-aventurados aqueles que guardam os Seus mandamentos, para que tenham poder na árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas." Apoc. 22:14. Não é mesmo rica e confortadora esta promessa, aos que amam a Deus? Review and Herald, 11 de outubro 1887. Dentro de pouco tempo Jesus virá para salvar Seus filhos e dar-lhes o toque final da imortalidade. Este corpo corruptível se revestirá da incorruptibilidade, e este corpo mortal se revestirá da imortalidade. As sepulturas se abrirão, e os mortos sairão vitoriosos, clamando: "Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?" I Cor. 15:55. Os nossos queridos, que dormem em Jesus, sairão revestidos da imortalidade. E, ao ascenderem os remidos aos Céus, abrir-se-ão os portais da cidade de Deus de par em par, e neles entrarão os que observaram a verdade. Ouvir-se-á uma voz mais bela que qualquer música que já soou aos ouvidos mortais, dizendo: "Vinde, benditos de Meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo." Mat. 25:34. Então os justos receberão sua recompensa. Sua vida correrá paralela à vida de Jeová. Lançarão suas coroas aos pés do Redentor, tangerão as harpas de ouro e encherão todo o Céu de bela música. Signs of the Times, 15 de abril de 1889. Amor, cortesia, autossacrifício – são coisas que nunca se perdem. Quando os escolhidos de Deus forem transformados da mortalidade para a imortalidade, seus feitos e atos de bondade serão manifestados, e preservados através dos séculos eternos. Não é perdido nenhum ato de serviço altruísta, seja pequeno ou grande. Pelos méritos da justiça imputada de Cristo, a fragrância de tais palavras e atos será eternamente preservada. (Review and Herald, 10 de março de 1904). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 2. ❉ Domingo - Adão e Jesus ► Perg. 1. Leia Romanos 5:12-21. De que forma o grande conflito é revelado nesses versos? (Rm 5:12-21) 12 Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram. 13 Porque até ao regime da lei havia pecado no mundo, mas o pecado não é levado em conta quando não há lei. 14 Entretanto, reinou a morte desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão, o qual prefigurava aquele que havia de vir. 15 Todavia, não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se, pela ofensa de um só, morreram muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça de um só homem, Jesus Cristo, foram abundantes sobre muitos. 16 O dom, entretanto, não é como no caso em que somente um pecou; porque o julgamento derivou de uma só ofensa, para a condenação; mas a graça transcorre de muitas ofensas, para a justificação. 17 Se, pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo. 18 Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. 19 Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos. 20 Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, 21 a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor. ► Resp. 1. Pelo pecado de um só homem a morte reinou, mas a generosidade da graça reinou por um só homem, Jesus Cristo. O primeiro Adão trouxe condenação e morte, o segundo Adão trouxe reconciliação e vida. A providência tomada é completa, e a eterna justiça de Cristo é colocada ao crédito de toda alma crente. As vestes, preciosas e sem mácula, tecidas nos teares do Céu, foram providas para o pecador arrependido e crente, e ele poderá dizer: "Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegra no meu Deus; porque me vestiu de vestidos de salvação, me cobriu com o manto de justiça, como o noivo que se adorna com atavios, e como noiva que se enfeita com as suas jóias." Isa. 61:10. Abundante graça foi provida para que o crente possa manter-se livre do pecado; pois todo o Céu, com seus recursos ilimitados, foi posto à nossa disposição. Devemos servir-nos da fonte da salvação. ... Em nós mesmos somos pecadores; mas em Cristo somos justos. Tendo-nos feito justos, mediante a imputada justiça de Cristo, Deus nos pronuncia justos e nos trata como justos. Considera-nos Seus filhos amados. Cristo atua contra o poder do pecado, e onde este abundava, muito mais abundante é a graça. Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 394. Temos motivo para incessante gratidão a Deus porque Cristo, por Sua perfeita obediência, reconquistou o paraíso que Adão perdeu pela desobediência. Adão pecou, e os filhos de Adão compartilham de sua culpa e suas consequências; mas Jesus assumiu a culpa de Adão, e todos os filhos de Adão que correrem para Cristo, o segundo Adão, podem livrar-se da penalidade da transgressão. Jesus recuperou o Céu para o homem suportando a prova a que Adão deixou de resistir; pois Ele obedeceu perfeitamente à lei, e todos os que têm correta compreensão do plano da redenção verão que não podem estar salvos enquanto continuam na transgressão dos santos preceitos de Deus. Precisam cessar de transgredir a lei e apegar-se às promessas de Deus que se acham à nossa disposição por meio dos méritos de Cristo. (Fé e Obras, p. 88, 89). ❉ Segunda - Edificação da igreja A igreja de Cristo, por débil e defeituosa que seja, é o único objeto sobre a Terra a que Ele confere Sua suprema atenção. ... O Senhor tem um povo, um povo escolhido - a Sua igreja - para ser Sua propriedade. Sua Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 3. própria fortaleza, que Ele mantém num mundo contaminado pelo pecado. Testemunhos Para Ministros, p. 15. ► Perg. 2. Leia 1 Coríntios 3:12-15. Compare com Mateus 7:24-27. Quais são as duas coisas que revelam de que lado do conflito estamos? (1Co 3:12-15) 12 Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, 13 manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. 14 Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; 15 se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo. (Mt 7:24-27) 24 Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; 25 e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. 26 E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; 27 e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína. ► Resp. 2. Podemos edificar a igreja sobre a areia da infidelidade à Palavra ou sobre a Rocha da Palavra de Cristo; podemos construir ou destruir; podemos usar materiais valiosos e resistentes, ou materiais que não suportam o fogo. E aos coríntios ele (Paulo) escreve: "Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta, e o fogo provará qual seja a obra de cada um." I Cor. 3:10-13. Os apóstolos edificaram sobre um firme fundamento, sobre a própria Rocha dos Séculos. Para este fundamento trouxeram eles as pedras tiradas da pedreira do mundo. Não foi sem empecilhos que os edificadores trabalharam. Sua obra foi excessivamente dificultada pela oposição dos inimigos de Cristo. Tiveram de lutar contra o fanatismo, o preconceito, o ódio dos que estavam a construir sobre falso fundamento. Muitos que trabalhavam como construtores da igreja poderiam ser comparados aos construtores do muro, nos tempos de Neemias, dos quais é dito: "Os que edificavam o muro, e os que traziam as cargas, e os que carregavam, cada um com uma mão fazia a obra e na outra tinha as armas." Nee. 4:17. Reis e governadores, sacerdotes e príncipes procuraram destruir o templo de Deus. Mas em face de prisões, tortura e morte, os fiéis prosseguiram na obra; e a estrutura cresceu bela e simétrica. Algumas vezes foram os obreiros quase cegados pelas névoas da superstição que baixavam sobre eles. Às vezes quase se apoderava deles a violência de seus oponentes. Mas com inabalável fé e inquebrantável coragem levaram avante a obra. Um a um, os principais construtores caíram às mãos do inimigo. Estêvão foi apedrejado; Tiago morto à espada; Paulo foi decapitado; Pedro crucificado; João exilado. Contudo a igreja cresceu. Novos obreiros tomaram o lugar daqueles que caíram, e pedra sobre pedra foi acrescentada ao edifício. Assim se ergueu lentamente o templo da igreja de Deus. Atos dos Apóstolos, pp. 596-597. Faz toda; a diferença a espécie de material que se use na formação do caráter. O longamente esperado dia de Deus logo testará a obra de todo homem. "Qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará." I Cor. 3:13. Como o fogo revela a diferença entre o ouro, a prata e as pedras preciosas e madeira, feno e palha, assim, o dia do juízo testará os caracteres, mostrando a diferença entre os caracteres formados segundo a semelhança de Cristo, e os formados segundo a semelhança do coração egoísta. Todo o egoísmo, toda religião falsa, então aparecerão tais quais são. O material inútil será consumido; mas o ouro da fé verdadeira, simples, humilde jamais perderá seu valor. Jamais poderá ser consumido, pois é imperecível. Uma hora de transgressão será considerada uma grande perda, ao passo que o temor do Senhor será tido como o princípio da sabedoria. O prazer da condescendência consigo perecerá como palha, enquanto o ouro do princípio firme, mantido a qualquer custo, perdurará para sempre. Review and Herald, 11 de dezembro de 1900. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 4. Somos feitura de Deus. O valor do instrumento humano depende inteiramente do polimento que ele recebe. Quando pedras brutas são preparadas para uma construção, precisam ser levadas ao ateliê, e ali talhadas e retificadas. O processo é muitas vezes severo, pois a pedra é pressionada contra o esmeril, mas a aspereza vai sendo removida, e o brilho começa a aparecer. O Senhor não gasta Seu tempo com material inútil; somente Suas joias são polidas como colunas de um palácio. Toda pessoa precisa não só se submeter a essa obra da mão divina, mas precisa também exigir o máximo de cada tendão e músculo espiritual, para que o caráter possa se tornar mais puro, as palavras mais úteis, os atos de molde a ser aprovados por Deus. (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 3, p. 1154). ❉ Terça - A igreja como um corpo ► Perg. 3. Leia 1 Coríntios 12:14-26. Qual é a mensagem essencial desse texto? (1Co 12:14-26) 14 Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. 15 Se disser o pé: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixa de ser do corpo. 16 Se o ouvido disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixa de o ser. 17 Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde, o olfato? 18 Mas Deus dispôs os membros, colocando cada um deles no corpo, como lhe aprouve. 19 Se todos, porém, fossem um só membro, onde estaria o corpo? 20 O certo é que há muitos membros, mas um só corpo. 21 Não podem os olhos dizer à mão: Não precisamos de ti; nem ainda a cabeça, aos pés: Não preciso de vós. 22 Pelo contrário, os membros do corpo que parecem ser mais fracos são necessários; 23 e os que nos parecem menos dignos no corpo, a estes damos muito maior honra; também os que em nós não são decorosos revestimos de especial honra. 24 Mas os nossos membros nobres não têm necessidade disso. Contudo, Deus coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha, 25 para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros. 26 De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam. 27 Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular. ► Resp. 3. Assim como cada membro do corpo tem sua função e trabalha para o bem comum, da mesma forma ocorre na igreja: cada qual tem dons diferentes que contribuem para o crescimento e unidade da igreja. Pela comparação da igreja com o corpo humano, o apóstolo ilustrou habilmente a íntima e harmoniosa relação que deve existir entre todos os membros da igreja de Cristo. "Pois todos nós fomos batizados em um Espírito formando um corpo", escreveu ele, "quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito. Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. Se o pé disser: Porque não sou mão, não sou do corpo; não será por isso do corpo? E se a orelha disser: Porque não sou olho não sou do corpo; não será por isso do corpo? Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde estaria o olfato? Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis. E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Agora pois há muitos membros, mas um corpo. E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós. ... Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela; para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele. Ora vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular." I Cor. 12:13-27. Atos dos Apóstolos, pp. 317- 318. No plano da redenção um lugar é reservado para cada pessoa. A cada homem é dado seu trabalho. Ninguém pode ser membro do corpo de Cristo e, não obstante, ser inativo. … A obra do povo de Deus pode ser e será variada, mas um é o Espírito impulsionador de toda ela. Qualquer trabalho feito para o Senhor deve estar ligado ao grande todo. Os obreiros devem trabalhar unidos, cada um controlado pelo poder divino, esforçando- se juntos, a fim de atrair a Cristo os que se acham ao seu redor. Todos devem movimentar-se como peças bem ajustadas de uma máquina, cada parte dependendo da outra e, contudo, mantendo-se separada na ação. E cada um de nós deve assumir o lugar que lhe foi designado e fazer a obra que lhe foi dada a realizar. Deus chama os membros de Sua igreja para receberem o Espírito Santo, para se unirem em amor fraternal, para ligarem em amor os seus interesses. (Minha Consagração Hoje [MM 1989/1953], p. 276). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 5. É por ordem do Senhor que Seus servos têm dons diferentes. É por Sua determinação que homens de mentalidade diferente são trazidos à igreja, para ser Seus cooperadores. Temos que lidar com muitos temperamentos diferentes, e são necessários diversos dons. Os servos de Deus devem trabalhar em perfeita harmonia. Dou graças ao Senhor por não sermos todos exatamente iguais, embora todos devamos ter o mesmo espírito que habitava em Cristo. O apóstolo João não era igual ao apóstolo Pedro. Cada um deles devia subjugar suas peculiaridades e abrandar seu temperamento, para que pudessem ajudar um ao outro, mediante a crença na verdade e a santificação por seu intermédio. (Este Dia Com Deus [MM 1980], p. 260). ❉ Quarta - A armadura de Deus ► Perg. 4. Leia Efésios 6:11-17. O que esses versos dizem sobre o fato de que batalha é muito real e pessoal? (Ef 6:11-17) 11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; 12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. 13 Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. 14 Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. 15 Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; 16 embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. 17 Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; ► Resp. 4. Precisamos usar a armadura, um instrumento pessoal de defesa. Cada parte da armadura é fundamental para que a pessoa seja protegida contra as ciladas do mal. Nessa luta, precisamos também atacar as forças do mal e anunciar aos oprimidos sobre a vitória de Jesus. Não é seguro, quando vamos à batalha, lançar de lado nossas armas. É então que precisamos ser equipados com toda a armadura de Deus. Todas as peças são necessárias. Testimonies, vol. 7, pág. 190. Conquanto Satanás procure constantemente cegar a mente dos cristãos para este fato, jamais se esqueçam eles de que não têm que lutar "contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." Efés. 6:12. ... Desde os dias de Adão até os nossos tempos, nosso grande inimigo tem estado a exercer seu poder de oprimir e destruir. Está hoje a preparar-se para sua última campanha contra a igreja. Todos os que procuram seguir a Jesus terão de batalhar contra este implacável adversário. Quanto mais aproximadamente o cristão imitar o Modelo divino, tanto mais certo fará de si um alvo para os ataques de Satanás. O Grande Conflito, pág. 510. Devemos estar revestidos de toda a armadura de Deus, e prontos cada momento para suster conflito com os poderes das trevas. Quando nos assaltarem tentações e provações, vamos a Deus, e com verdadeira agonia de alma oremos a Ele. Não nos despedirá Ele vazios, mas nos dará graça e força para vencer e quebrar o poder do inimigo. Oh! oxalá todos pudessem ver estas coisas na sua verdadeira luz, e suportar as dificuldades como bons soldados de Cristo! Então Israel avançaria, forte em Deus, na força de Seu poder. Primeiros Escritos, pág. 46. Os servos de Deus devem vestir todas as peças da armadura cristã. Não estamos lutando simplesmente com inimigos humanos. Deus convoca todo cristão a se empenhar na guerra e a lutar sob Sua liderança, dependendo da graça e ajuda do Céu, a fim de alcançar sucesso. Devemos avançar na força do Todo-Poderoso. Jamais poderemos ceder aos ataques de Satanás. Por que não deveríamos nós, como guerreiros cristãos, estar em pé contra os principados e potestades, contra os dirigentes das trevas deste mundo? Deus nos convoca a avançar, utilizando os talentos de que nos dotou. Satanás colocará a tentação diante de nós. Procurará nos vencer mediante estratagemas. Mas, na força de Deus, devemos permanecer firmes ao princípio como uma rocha. Nessa guerra não existe trégua. Os agentes satânicos jamais concedem pausa em sua obra de destruição. Os Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 6. que se encontram no serviço de Cristo precisam vigiar todos os postos. Nosso objetivo é salvar da ruína os pecadores. Essa é uma obra de infinita grandeza e o homem não pode ter a esperança de ser nela bem- sucedido, a menos que se una com o divino Obreiro… Cada dia, revestidos de toda a armadura, avançarão na batalha. Mediante oração, vigilância e perseverança, agirão, determinados a não permitir que o encerramento de suas atividades os encontre despreparados, não tendo feito tudo a seu alcance para a salvação dos perdidos. (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 219-221). ❉ Quinta - O último inimigo ► Perg. 5. Leia 1 Coríntios 15:12-18. Qual é a implicação de negar a ressurreição dos mortos? (1Co 15:12-18) 12 Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? 13 E, se não há ressurreição de mortos, então, Cristo não ressuscitou. 14 E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé; 15 e somos tidos por falsas testemunhas de Deus, porque temos asseverado contra Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual ele não ressuscitou, se é certo que os mortos não ressuscitam. 16 Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. 17 E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados. 18 E ainda mais: os que dormiram em Cristo pereceram. ► Resp. 5. Se Cristo não ressuscitou, é inútil a pregação do evangelho e até mesmo nossa fé. “Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes dos homens.” 1Co 15:19. Glorioso é o triunfo que espera o fiel. O apóstolo, reconhecendo as possibilidades que tinham perante si os crentes coríntios, procurou colocar diante deles o que eleva do egoísmo e do sensual, e glorifica a vida com a esperança da imortalidade. Ardentemente os exortou a ser fiéis à sua alta vocação em Cristo. “Meus amados irmãos”, instou ele, “sejam firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o seu trabalho não é vão no Senhor” (1Co 15:58). Assim o apóstolo, da maneira mais decidida e impressiva, procurou corrigir as falsas e perigosas ideias e práticas que estavam prevalecendo na igreja de Corinto. Falou claramente, porém em amor pelos membros da igreja. Em suas advertências e reprovações a luz do trono de Deus brilhou sobre eles, revelando os pecados ocultos que lhes estavam debilitando a vida. Como seriam essas advertências recebidas? (Atos dos Apóstolos, p. 321). A teologia popular representa os justos mortos como estando no Céu, admitidos na bem-aventurança, e louvando a Deus com língua imortal; Ezequias, porém, não pôde ver tal perspectiva gloriosa na morte. Com suas palavras concorda o testemunho do salmista: “Na morte não há lembrança de Ti; no sepulcro quem Te louvará?” “Os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio” (Sl 6:5; 115:17). No dia de Pentecostes, Pedro declarou que o patriarca Davi “morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura”. “Porque Davi não subiu aos Céus” (At 2:29, 34). O fato de Davi permanecer na sepultura até à ressurreição, prova que os justos não ascendem ao Céu por ocasião da morte. É unicamente pela ressurreição, e em virtude de Jesus haver ressuscitado, que Davi poderá finalmente assentar-se à destra de Deus. E Paulo disse: “Se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados. E também os que dormiram em Cristo estão perdidos” (1Co 15:16-18). Se durante quatro mil anos os justos tivessem à sua morte ido diretamente para o Céu, como poderia Paulo ter dito que se não há ressurreição “os que dormiram em Cristo estão perdidos”? Não seria necessária a ressurreição. O mártir Tyndale, referindo-se ao estado dos mortos, declarou: “Confesso abertamente que não estou persuadido de que eles já estejam na plena glória em que Cristo Se acha, ou em que estão os anjos eleitos de Deus. Tampouco isso é artigo de minha fé; pois, se assim fosse, não vejo nisso senão que o pregar a ressurreição da carne seria coisa vã”. (Prefácio do “Novo Testamento”, edição de 1534), de Guilherme Tyndale. (O Grande Conflito, p. 546, 547). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com