Genocídio Armenio e Revolução Kemalista

262 visualizações

Publicada em

Trabalho elaborado por alunos do Colégio Pedro II - Realengo II. Turma 2308. Ano:2015

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
262
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Genocídio Armenio e Revolução Kemalista

  1. 1. Genocídio Armênio • O EXTERMÍNIO • PRINCIPAIS MOTIVAÇÕES • RESPONSÁVEIS • A QUESTÃO ARMÊNIA ATUALMENTE
  2. 2. O EXTERMÍNIO  No dia 24 de Abril de 1915, 250 líderes e intelectuais foram presos em Constantinopla, atual Istambul, capital do Império Otomano. A partir de então tropas regulares e paramilitares se dirigiram para cidades de todo o país obrigando as famílias armênias a deixarem suas casas em caravanas de deportados rumo aos desertos da região, principalmente Der-el-Zor. Centenas de milhares de armênios foram deportados de suas casas e terras. Muitos morreram no caminho por fome, sede, inanição, moléstias ou atacados pelas tropas que deveriam zelar pela sua integridade física.
  3. 3. PRINCIPAIS MOTIVAÇÕES  Turcos, armênios, curdos, gregos, judeus e outros povos conviveram por séculos no Império Otomano. No século XIX, o império começava a perder seus territórios na Europa e, com o início da 1ª Guerra Mundial, o governo otomano temia perder também as terras ocupadas historicamente pelos armênios na Ásia Menor. Além disso, os armênios estavam situados na fronteira entre os impérios otomano e russo, o que interessava a ambos pela posição estratégica de guerra
  4. 4. RESPONSÁVEIS  Os principais responsáveis pelo planejamento do genocídio foram os membros Comitê União e Progresso, partido político nacionalista que aglutinava os chamados “Jovens Turcos”. Entre os nomes mais influentes estão os dos ministros de Estado Mehmet Talaat Paxá e Ismail Enver Paxá
  5. 5. A QUESTÃO ARMÊNIA ATUALMENTE  Até hoje o governo turco não aceita a alegação que o país antecessor da República da Turquia, o Império Otomano tenha cometido genocídio contra o povo armênio, além de argumentar com base em fatos históricos distorcidos e dados maquiados.  Hoje, a principal luta de milhões de armênios e não armênios é pelo reconhecimento mundial das atrocidades cometidas pelos Jovens Turcos durante a I Guerra Mundial como um genocídio. Até agora, mais de vinte países reconhecem a existência do genocídio armênio. Porém, o Brasil não figura nessa lista.  Alemanha; Argentina; Armênia; Bélgica; Canadá; Chile; Chipre; Curdistão; Eslováquia; França; Grécia; Itália; Líbano; Lituânia; Países Baixos; País Basco; Polônia; Rússia; Suécia; Suíça; Uruguai; Vaticano; Venezuela; 42 dos 50 estados dos EUA
  6. 6. Reformas Kemalistas
  7. 7. Mustafa Kemal Responsável por comandar a população turca durante os 15 primeiros anos da República
  8. 8.  Kemal empreendeu drásticas reformas que deram origem a um estado autoritário, centralizado e laico. Algumas medidas foram:  Declarou obrigatória a grafia do idioma turco em caracteres latinos e não árabes.  Interviu na economia para fomenta-la (a economia estava prejudicada em consequência das guerras civis e internacionais)  A proibição do uso do fez, gorro tradicional..  A ideologia da república então recém proclamada, varreu do cenário social os atos de submissão pública, os suplícios físicos abomináveis (a empalação foi proibida), e a idéia de que as leis deviam inspirara-se diretamente no Corão. Decretou a mais profunda reforma socio-política ocorrida até então na Ásia Menor.
  9. 9.  Autoritário e centralizador, entendeu que sem instrução das massas, sem estímulo ao conhecimento, sem a emancipação das mulheres, não haveria a oxigenação necessária capaz de fazer da Turquia uma nação ocidentalizada. Disse ele “.devemos prolongar nossas vitórias no campo da cultura, da escolaridade, da ciência e da economia...os benefícios das vitórias dependem somente da existência do exército da educação.”
  10. 10. Sociedade turca durante e após a Revolução Kemalista  A educação primária passou a ser obrigatória. O primário durava 5 anos e a secundária, 6 anos. Tendo como consequência 76% da população alfabetiza no fim do século XX, contrastando com os 10% de quando a república foi instituída. O país tem cerca de 20 instituições universitárias.  Mantém muitos hospitais e centros assistenciais, que proporcionam atendimento médico gratuito à população pobre. O Ministério do Trabalho e diversas organizações privadas mantêm centros sanitários.  O baixo nível de renda, o acentuado aumento demográfico e o intenso êxodo rural contribuem para a manutenção de um elevado déficit de moradias. As principais cidades, embora possuam bairros de classe média em contínua expansão, estão cercadas por grandes cinturões de pobreza, carentes de serviços essenciais, como água e esgotos."
  11. 11. Cultura durante a Reforma Kemalista As civilizações árabe e persa se uniram à bizantina para delinear os principais traços culturais do império otomano. A partir do século XIX, a influência cultural do Ocidente se tornou cada vez maior e impregnou as minorias cultas, que criaram o novo estado turco depois da primeira guerra mundial. Desde então, a cultura turca assumiu um forte traço nacionalista, voltada principalmente contra a influência árabe. Kemal Atatürk impôs o emprego do alfabeto latino e fez adotar o calendário gregoriano. Artistas e escritores defenderam claramente o nacionalismo e o ocidentalismo cultural, em detrimento da tradição islâmica.

×