Plano cuidado e integralidade em saúde mental

129 visualizações

Publicada em

os diversos tipos de dispositivos clínico-institucionais em especial os CAPs e o seu funcionamento identificando seu papel de ordenador de cuidados na Rede de atenção em Saúde Mental

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
129
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano cuidado e integralidade em saúde mental

  1. 1. CURSO DE SAÚDE MENTAL COLETIVA Disciplina:CUIDADO E INTEGRALIDADE EM SAÚDE MENTAL Ementa: Nestadisciplinaoalunodeveráconhecer osdiversostiposde dispositivosclínico-institucionais emespecial osCAPs e o seufuncionamentoidentificandoseupapelde ordenadorde cuidados na Rede de atenção em Saúde Mental. Deverão conhecer as Residências Terapêuticas e os Centrosde Convivênciaidentificandoaimportância,osobjetivos e a forma de funcionamento a fimde que possamanalisarcriticamente opapel e ofuncionamentodesses serviços na Rede de saúde brasileirae baiana. Deveráserenfatizada anecessáriaarticulação da Rede de Saúde Mental com outras redesassistenciaiscomoaAtenção Básica em especial o apoio matricial, e a Urgência e a Emergência como serviços de suporte a crise. O conteúdo e a metodologia deverão levar o aluno a compreender e valorizar a transformação dos modelos de atenção e da gestão de práticas em saúde que inclui uma atenção inter e transdisciplinar em Saúde Mental e a desenvolver um olhar crítico sobre o conceito de humanização das práticas de saúde, enquanto um dispositivo de controle dos sujeitos e da população. Objetivos  Conhecer e problematizar a atual conformação da Rede de Atenção Psicossocial;  IdentificaroCAPS,seustipos,modosde funcionamento e seu papel de ordenador de cuidados;  Conhecer sobre as Residências Terapêuticas: papel, objetivos e funcionamento;  Analisarcriticamente opapel e ofuncionamento dosserviçossubstitutivosemSaúde Mental no contextodaRede de Saúde Públicabrasileira;  Discutir sobre a necessária articulação da Rede de Saúde Mental com outras Redes assistenciais de saúde;  Refletir sobre o Apoio Matricial como equipamento resolutivo de cuidado em Saúde Mental na Atenção Básica;  Instrumentalizar para o atendimento à pessoa em crise e os serviços de urgência e emergência.  Compreender a importância da educação em saúde no contexto da Saúde Mental.
  2. 2. Conteúdos  As PolíticasPúblicase a Rede de AtençãoPsicossocial noBrasil  Os Centros de Atenção Psicossocial/CAPS  Os dispositivos de Cuidado: Acolhimento, Oficinas terapêuticas, Atenção em grupo, Apoio Matricial, Acompanhante Terapêutico, Equipe de Referência, Atenção à Crise;  O Instrumental para o Cuidado: Genograma e Ecomapa  Os Serviços Residenciais Terapêuticos/SRT  O projeto de desinstitucionalização: Programa de Volta para Casa/PVC  Atenção à Crise em Saúde Mental – Urgências e Emergências;  Saúde Mental e Atenção Básica;  Cuidado em Saúde Mental no território;  NASF: Núcleo de Apoio à Saúde da Família e O Apoio Matricial como dispositivo de cuidado Bibliografia Básica BONFADA, D. G. J. SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA E AS URGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS. In: Psicologia em Estudo, Maringá, v. 17, n. 2, p. 227-236, abr./jun. 2012. BRASIL.MS. Secretariade Atençãoà Saúde.Departamentode Atenção Básica. Saúde mental / MinistériodaSaúde. Saúde Mental.Cadernosde Atenção Básica, nº 34. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. BRASIL. Gabinete Ministerial. Portaria n.º 3088, de 23 de dezembro de 2011. OLIVEIRA RF etal. Acessoe integralidade:a compreensão dos usuários de uma rede de saúde mental. In: Ciência & Saúde Coletiva, 17(11): 3069-3078, 2012. MINOZZO, F, COSTA, II. Apoio matricial em saúde mental: fortalecendo a saúde da família na clínica da crise. In: Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., São Paulo, 16(3), 438-450, set. 2013. Bibliografia Complementar
  3. 3. AMARANTE, P. (org.). Archivos de Saúde Mental e Atenção Psicossocial. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2005. Vol. I e II. CAMPOS, F. B., LANCETTI, A. (orgs.). Experiências da Reforma Psiquiátrica. Revista Saúde Loucura. São Paulo: Hucitec, 2010. N. 9. MERHY, E. AMARAL,H. (orgs.). A Reforma Psiquiátrica no Cotidiano. São Paulo: Hucitec, 2007. Vol I e II.

×