SlideShare uma empresa Scribd logo
Linha G3 Full
Parâmetros para Realização de Comparativo
• Balanço consolidado em conjunto pelas empresas, ETH, TGM Turbinas e HPB Simisa,
considerando Moagem de 1.350 TC/H;
• 4 Ternos de Moenda conforme solicitado – 104” (2x) e 94,5” (2x);
1º TERNO MOENDA 104”
Potência Instalada: 4.203 kW
2º TERNO MOENDA 104”
Potência Instalada: 4.203 kW
3º TERNO MOENDA 94,5”
Potência Instalada: 2.915 kW
4º TERNO MOENDA 94,5”
Potência Instalada: 2.915 kW
Comparativo de Eficiências
Tendo como base um Moagem de 1.350 TC/H, considerando 4 Ternos de Moendas 2x 104” e 2x 94,5”:
1º e 2º - 104”, com potência instalada 4.203 kW x 2 Ternos = 8.406 kW
3º e 4º - 94,5”, com potência instalada 2.915 kW x 2 Ternos = 5.830 kW
Total Instalado: 14.236 kW
Acionamento Central
92,19% Eficiência
Perda de Energia
por Tandem
1.111,83 kW
Acion. Red. Eixos Paralelos
89,34% Eficiência
Perda de Energia
por Tandem
1.517,55 kW
Acion. Motor Hidráulico
81% Eficiência
Perda de Energia
por Tandem
2.704,84 kW
Acionamento Rolo a Rolo
97% Eficiência
Perda de Energia
por Tandem
427,08 kW
Rolo a Rolo X Acionamento Central
Tendo como base um Moagem de 1.350 TC/H, com uma rotação de 7,3 rpm na Moenda:
1º e 2º - 104”, com potência instalada 4.203 kW *2 Ternos = 8.406 kW
3º e 4º - 94,5”, com potência instalada 2.915 kW *2 Ternos = 5.830 kW
Total Instalado: 14.236 kW
Economia de Acionamento Rolo a Rolo
684,75 kW
Período: 1 [ano]
Com a economia de 684,75 kW, durante o período de 1 ano temos:
684,75 [kW] x 4.000 [h] = 2,74 MW.h
Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos:
2,74 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 287.700,00
Período: 12 [anos]
Com a economia de 684,75 kW, durante o período de 12 anos temos:
684,75 [kW] x 4.000 [h] x 12 = 32,88 MW.h
Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos:
32,88 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 3.452.400,00
Tendo como base um Moagem de 1.350 TC/H, com uma rotação de 7,3 rpm na Moenda:
1º e 2º - 104”, com potência instalada 4.203 kW *2 Ternos = 8.406 kW
3º e 4º - 94,5”, com potência instalada 2.915 kW *2 Ternos = 5.830 kW
Total Instalado: 14.236 kW
Economia de Acionamento Rolo a Rolo
1.090,47 kW
Período: 1 [ano]
Com a economia de 1.090,47 kW, durante o período de 1 ano temos:
1.090,47 [kW] x 4.000 [h] = 4,36 MW.h
Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos:
4,36 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 457.800,00
Período: 12 [anos]
Com a economia de 1.090,47 kW, durante o período de 12 anos temos:
1.090,47 [kW] x 4.000 [h] x 12 = 32,88 MW.h
Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos:
32,88 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 5.495.968,80
Rolo a Rolo X Red. de Eixos Paralelos
Tendo como base um Moagem de 1.350 TC/H, com uma rotação de 7,3 rpm na Moenda:
1º e 2º - 104”, com potência instalada 4.203 kW *2 Ternos = 8.406 kW
3º e 4º - 94,5”, com potência instalada 2.915 kW *2 Ternos = 5.830 kW
Total Instalado: 14.236 kW
Economia de Acionamento Rolo a Rolo
1.614,37 kW
Período: 1 [ano]
Com a economia de 1.614,37 kW, durante o período de 1 ano temos:
1.614,37 [kW] x 4.000 [h] = 6,45 MW.h
Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos:
6,45 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 677.225,00
Período: 12 [anos]
Com a economia de 1.090,47 kW, durante o período de 12 anos temos:
1.614,37 [kW] x 4.000 [h] x 12 = 77,49 MW.h
Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos:
77,49 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 8.136.450,00
Rolo a Rolo X Motor Hidráulico
Acionamento Central
2
camisas
2
camisas
2
camisas
2
camisas
2
camisas
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
2
camisas
Jogo de
Rodetes
Jogo de
Rodetes
Safras
Total:
• 12 camisas por terno
• 6 rodetes
Comparativo de Manutenção em Aplicações de Moendas
Acionamento Rolo a Rolo
3
camisas
3
camisas
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
3
camisas
Safras
Total:
• 9 camisas por terno
Comparativo de Manutenção em Aplicações de Moendas
Característica da Aplicação / Manutenção
Central Qtde. Moendas 104” e 94,5” Qtde. Rolo a Rolo
R$ 2.280.000,00 24 Rodetes 0 R$ 0,00
Tendo como base o tandem de Moendas (2 x 104”, 2 x 94,5”) em 12 anos:
R$ 2.592.000,00 Lubrificantes 0 R$ 0,00
R$ 6.072.000,00 72 Camisas 36 R$ 4.554.000,00
R$ 10.944.000,00 Total R$ 4.554.000,00
Obs.:
Rodetes: Moenda 104” - R$ 102.000,00 – valor unitário
Moenda 94,5” - R$ 88.000,00 – valor unitário
Lubrificantes: considerado consumo de 2 gramas por tonelada de cana a um custo de R$20,00/kg.
Camisas: Moenda 104” - R$136.000,00 – valor unitário
Moenda 94,5” - R$ 117.000,00 – valor unitário
Característica Manutenção
Resumo:
• A manutenção de um Tandem de 4 ternos com acionamento central
corresponde a R$ 10.944.000,00 em 12 anos
• A manutenção de um tandem de 4 ternos com acionamento rolo a rolo
corresponde a R$ 4.554.000,00 em 12 anos
Acionamentos TGM rolo a rolo proporcionam economia de
R$6.390.000,00 na manutenção do tandem de moenda.
Conclusões
• Ganho energético mínimo de R$ 3.452.400,00
• Redução de custos de manutenção de R$ 6.390.000,00
Ganho total em 12 anos de R$ 9.842.400,00.
Comparativo de Gastos entre todos os Acionamentos
ROLO A ROLO CENTRAL MOTOR HIDRÁULICO REDUTOR PARALELO
RODETES - -R$ 2.280.000,00 - -R$ 2.280.000,00
LUBRIFICANTES - -R$ 2.592.000,00 - -R$ 2.592.000,00
CAMISAS - -R$ 6.072.000,00 - -R$ 6.072.000,00
CONSUMO ENERGÉTICO -R$ 2.152.483,20 -R$ 3.452.400,00 -R$ 8.136.450,00 -R$ 5.495.968,80
2.152.483,20-R$ 14.396.400,00-R$ 8.136.450,00-R$ 16.439.968,80-R$
Ganhos com Planetários Rolo a Rolo 12.243.916,80-R$ 5.983.966,80-R$ 14.287.485,60-R$
*Valor considerado por 12 Safras.
Monitork
Proteção, leitura e análise dos torques,
unidade hidráulica, preparado para
análise de partículas e contaminação no
óleo e análise de vibrações.
Monitoramento, Sincronismo e Proteção dos Redutores
Inversor de Frequência
Sincronismo das velocidades dos Motores
Superior - RPS 3 445 F G3 FULL (2x)
Potência Instalada: 1.225 cv
Torque Requerido: 980 kN.m
Torque Nominal: 2.500 kN.m
F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55
F.S sobre Pot. Instalada: 1,74
APLICAÇÃO ROLO A ROLO – 1º e 2º TERNO DE MOENDA 104”
Pressão - RPS 3 335 F G3 FULL
Potência Instalada: 490 cv
Torque Requerido: 392 kN.m
Torque Nominal: 1.000 kN.m
F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55
F.S sobre Pot. Instalada: 2,1
Saída - RPS 3 470 F G3 FULL
Potência Instalada: 1.470 cv
Torque Requerido: 1.176 kN.m
Torque Nominal: 3.000 kN.m
F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55
F.S sobre Pot. Instalada: 1,74
Entrada - RPS 3 445 F G3 FULL
Potência Instalada: 1.225 cv
Torque Requerido: 980 kN.m
Torque Nominal: 2.500 kN.m
F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55
F.S sobre Pot. Instalada: 1,74
Superior - RPS 3 410 F G3 FULL (2x)
Potência Instalada: 850 cv
Torque Requerido: 686 kN.m
Torque Nominal: 1.920 kN.m
F.S sobre o Torq. Requerido: 2,80
F.S sobre Pot. Instalada: 1,92
APLICAÇÃO ROLO A ROLO – 3º e 4º TERNO DE MOENDA 94,5”
Pressão - RPS 3 300 F G3 FULL
Potência Instalada: 340 cv
Torque Requerido: 274 kN.m
Torque Nominal: 700 kN.m
F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55
F.S sobre Pot. Instalada: 2,12
Saída - RPS 3 445 F G3 FULL
Potência Instalada: 1.020 cv
Torque Requerido: 823 kN.m
Torque Nominal: 2.500 kN.m
F.S sobre o Torq. Requerido: 3,03
F.S sobre Pot. Instalada: 2,09
Entrada - RPS 3 410 F G3 FULL
Potência Instalada: 850 cv
Torque Requerido: 686 kN.m
Torque Nominal: 1.920 kN.m
F.S sobre o Torq. Requerido: 2,80
F.S sobre Pot. Instalada: 1,92
Redutores TGM em Usinas do Grupo ETH
NOVO PROJETO
385 GI (4 ternos) 385 GI (4 ternos) 335 GI (4 ternos) 470 GIII Full (2 ternos)
240 GI (4 ternos) 240 GI (4 ternos) 215 GI (4 ternos) 445 GIII Full (2 ternos)
410 GI (1 terno) 410 GI (1 terno) 385 GI (1 terno) 335 GIII Full (2 ternos)
280 GI (1 terno) 280 GI (1 terno) 240 GI (1 terno) 410 GIII Full (2 ternos)
410 GII (1 terno) 385 GII (1 terno) 300 GIII Full (2 ternos)
280 GII (1 terno) 240 GII (1 terno)
Total 25 redutores 30 redutores 30 redutores 20 redutores
UCP Eldorado
Rio Claro
(Caçu)
Santa Luzia
SEW
Cenário Atual da BIOCOM
---- RPS P5 445 P
(2x)
DIFUSOR DE CANA
TERNO DESAGUADOR 84”
---- RPS 3 215 F
(3x)
RPZ 3 360 E ----
TERNO DE SECAGEM 90”
---- RPZ 3 215 E
RPZ 3 360 E ----
(2x)
Monitoramento Remoto - BIOCOM
Biocom
TGM
MONITORK
Estrutura de Atendimento ao Cliente
Angola
Equipe Qualificada
Estudo de Engenharia de Aplicação
Modelo Atenderá Unidade Acessórios
XP21 Eldorado Kit de acessórios à definir.
XP23 Eldorado
Kit de Acessórios (Braço de Torque, Cardan Longo, Anel para
montagem do braço de torque, Luva de transmissão, proteção
para cardan).
XP21
410
Eldorado e
Santa Luzia
Modelo Atenderá Unidade Acessórios
385
Santa Luzia,
Rio claro,
UCP e Brenco
Kit de Acessórios (Flange Lado Redutor e Anel para montagem
do Braço de Torque(GI)).
XP15 Eldorado
335
UCP – Rolos
Principais
XP17
Eldorado –
Rolo de
Pressão
Kit de Acessórios (Flange Lado Redutor, Braço de Torque, Anel
para montagem do Braço de Torque(GI), Unidade Hidráulica,
Acoplamento SND e Luneta para montagem motor)
Modelo atenderá Unidade Acessórios
280
Santa Luzia e
Rio Claro –
Rolo de
Pressão
Kit de Acessórios (Luneta fixação motor, acoplamento SND,
Flange lado redutor, anel para montagem Braço de Torque e
Unidade Hidráulica (GI))
240
Rolo de
pressão UCP,
Santa Luzia,
Rio Claro e
Brenco
Kit de Acessórios (Luneta fixação motor, acoplamento SND,
Flange lado redutor, anel para montagem e Braço de Torque)
215
Rolo de
pressão UCP
Kit de Acessórios (Luneta fixação motor, acoplamento SND,
Flange lado redutor, anel para montagem e Braço de Torque )
Kit de Acessórios (Flange Lado Redutor, Braço de Torque, Anel
para montagem do Braço de Torque(GI), Unidade Hidráulica,
Acoplamento lado motor, Cardan Curto e Proteção de Cardan)
Kit de Acessórios (Braço de Torque, Cardan Curto, Anel para
montagem do braço de torque, Luva de transmissão, proteção
para cardan, Unidade Hidráulica, Acoplamento lado motor
eFlange Lado Redutor).
410
Rio Claro e
Santa Luzia445 G3 Full
385 G3 Full
280 G3 Full
Estudo de Monitoramento 1 terno
POT. CONSUMIDA......... 1.089 HP
MOAGEM .................... 465 TCH
FIBRA........................... 12,87%
CONS. ESPECIFICO...... 18,19 HP/TFH
TORQUE TOTAL (K.Nm)
Com Divisor Torque
1.225
TORQUE TOTAL (K.Nm)
Com Rolo a Rolo
1.339
POT. CONSUMIDA......... 951 HP
MOAGEM .................... 512 TCH
FIBRA........................... 12,7%
CONS. ESPECIFICO...... 14,63 HP/TFH
Monitoramento –Us. Mandu
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Juntas industriais
Juntas industriais Juntas industriais
Juntas industriais
Barbara Allexia
 
Catalogo geral schneider franklin
Catalogo geral schneider franklinCatalogo geral schneider franklin
Catalogo geral schneider franklin
bene piscinas
 
Tabela roscas
Tabela roscasTabela roscas
Tabela roscas
jcjaneiro
 
Manual elevador-de-canecas-faco
Manual elevador-de-canecas-facoManual elevador-de-canecas-faco
Manual elevador-de-canecas-faco
glo giu
 
Manutenção e Reparo de Bombas
Manutenção e Reparo de BombasManutenção e Reparo de Bombas
Manutenção e Reparo de Bombas
Sandro Marques Solidario
 
Resolução fogler 4ed.
Resolução fogler 4ed.Resolução fogler 4ed.
Resolução fogler 4ed.
Jéssica Kulhavy
 
Curso de tubulações industriais aula6
Curso de tubulações industriais aula6Curso de tubulações industriais aula6
Curso de tubulações industriais aula6
Antonio Gomes
 
Tabela diametro-furo-para-fazer-rosca
Tabela diametro-furo-para-fazer-roscaTabela diametro-furo-para-fazer-rosca
Tabela diametro-furo-para-fazer-rosca
Braga2013
 
Aula clo elementos de transmissão
Aula clo elementos de transmissãoAula clo elementos de transmissão
Aula clo elementos de transmissão
Clodoaldo Araujo ,Técnico Mecânico
 
Bombas centrífugas turbobombas
Bombas centrífugas   turbobombasBombas centrífugas   turbobombas
Bombas centrífugas turbobombas
josé Faustino
 
Catalogo parafusos allen tellep
Catalogo parafusos allen tellepCatalogo parafusos allen tellep
Catalogo parafusos allen tellep
Rodrigo Pacheco
 
Instrumentação Industrial - Medição de Vazão
Instrumentação Industrial - Medição de VazãoInstrumentação Industrial - Medição de Vazão
Instrumentação Industrial - Medição de Vazão
Anderson Pontes
 
Apostila sistemas mecanicos
Apostila sistemas mecanicosApostila sistemas mecanicos
Apostila sistemas mecanicos
Letícia Gomes
 
Catalogo de motores weg
Catalogo de motores wegCatalogo de motores weg
Catalogo de motores weg
Javerson Rodrigues
 
rosca transportadoras
rosca transportadorasrosca transportadoras
rosca transportadoras
Tiago Marcelino Leite
 
Torno imor 520_650 pecas
Torno imor 520_650 pecasTorno imor 520_650 pecas
Torno imor 520_650 pecas
zfsasfasd
 
Manual caldeira flamotubular
Manual caldeira flamotubular Manual caldeira flamotubular
Manual caldeira flamotubular
Erico Polizer
 
PARKER - MANUAL DE IDENFITICAÇÃO DE ROSCAS E SEDES DE VEDAÇÕES
PARKER - MANUAL DE IDENFITICAÇÃO DE ROSCAS E SEDES DE VEDAÇÕESPARKER - MANUAL DE IDENFITICAÇÃO DE ROSCAS E SEDES DE VEDAÇÕES
PARKER - MANUAL DE IDENFITICAÇÃO DE ROSCAS E SEDES DE VEDAÇÕES
Sandro Marques Solidario
 

Mais procurados (20)

Juntas industriais
Juntas industriais Juntas industriais
Juntas industriais
 
Catalogo geral schneider franklin
Catalogo geral schneider franklinCatalogo geral schneider franklin
Catalogo geral schneider franklin
 
Tabela roscas
Tabela roscasTabela roscas
Tabela roscas
 
Manual elevador-de-canecas-faco
Manual elevador-de-canecas-facoManual elevador-de-canecas-faco
Manual elevador-de-canecas-faco
 
Manutenção e Reparo de Bombas
Manutenção e Reparo de BombasManutenção e Reparo de Bombas
Manutenção e Reparo de Bombas
 
Resolução fogler 4ed.
Resolução fogler 4ed.Resolução fogler 4ed.
Resolução fogler 4ed.
 
Curso de tubulações industriais aula6
Curso de tubulações industriais aula6Curso de tubulações industriais aula6
Curso de tubulações industriais aula6
 
Tabela diametro-furo-para-fazer-rosca
Tabela diametro-furo-para-fazer-roscaTabela diametro-furo-para-fazer-rosca
Tabela diametro-furo-para-fazer-rosca
 
Aula clo elementos de transmissão
Aula clo elementos de transmissãoAula clo elementos de transmissão
Aula clo elementos de transmissão
 
Bombas centrífugas turbobombas
Bombas centrífugas   turbobombasBombas centrífugas   turbobombas
Bombas centrífugas turbobombas
 
Catalogo tigre ii
Catalogo tigre iiCatalogo tigre ii
Catalogo tigre ii
 
Catalogo parafusos allen tellep
Catalogo parafusos allen tellepCatalogo parafusos allen tellep
Catalogo parafusos allen tellep
 
Instrumentação Industrial - Medição de Vazão
Instrumentação Industrial - Medição de VazãoInstrumentação Industrial - Medição de Vazão
Instrumentação Industrial - Medição de Vazão
 
Apostila sistemas mecanicos
Apostila sistemas mecanicosApostila sistemas mecanicos
Apostila sistemas mecanicos
 
Catalogo de motores weg
Catalogo de motores wegCatalogo de motores weg
Catalogo de motores weg
 
Hanhientunnistus
HanhientunnistusHanhientunnistus
Hanhientunnistus
 
rosca transportadoras
rosca transportadorasrosca transportadoras
rosca transportadoras
 
Torno imor 520_650 pecas
Torno imor 520_650 pecasTorno imor 520_650 pecas
Torno imor 520_650 pecas
 
Manual caldeira flamotubular
Manual caldeira flamotubular Manual caldeira flamotubular
Manual caldeira flamotubular
 
PARKER - MANUAL DE IDENFITICAÇÃO DE ROSCAS E SEDES DE VEDAÇÕES
PARKER - MANUAL DE IDENFITICAÇÃO DE ROSCAS E SEDES DE VEDAÇÕESPARKER - MANUAL DE IDENFITICAÇÃO DE ROSCAS E SEDES DE VEDAÇÕES
PARKER - MANUAL DE IDENFITICAÇÃO DE ROSCAS E SEDES DE VEDAÇÕES
 

Destaque

Treinamento Operador de Separadora de Fermento
Treinamento Operador de Separadora de FermentoTreinamento Operador de Separadora de Fermento
Treinamento Operador de Separadora de Fermento
Marcos Abreu
 
3-Treinamento Tratamento De Caldo
3-Treinamento Tratamento De Caldo3-Treinamento Tratamento De Caldo
3-Treinamento Tratamento De Caldo
Leandro Cândido
 
Fabricação do alcool
Fabricação do alcoolFabricação do alcool
Fabricação do alcool
Rodolfo Ferreira
 
Uso e Reúso de Água na Indústria Canavieira
Uso e Reúso de Água na Indústria CanavieiraUso e Reúso de Água na Indústria Canavieira
Uso e Reúso de Água na Indústria Canavieira
CTBE - Brazilian Bioethanol Sci&Tech Laboratory
 
5-Treinamento Fermentação /Destilação
5-Treinamento Fermentação /Destilação5-Treinamento Fermentação /Destilação
5-Treinamento Fermentação /Destilação
Leandro Cândido
 
Produção Agroindustrial
Produção AgroindustrialProdução Agroindustrial
Produção Agroindustrial
Murilo Muniz
 

Destaque (6)

Treinamento Operador de Separadora de Fermento
Treinamento Operador de Separadora de FermentoTreinamento Operador de Separadora de Fermento
Treinamento Operador de Separadora de Fermento
 
3-Treinamento Tratamento De Caldo
3-Treinamento Tratamento De Caldo3-Treinamento Tratamento De Caldo
3-Treinamento Tratamento De Caldo
 
Fabricação do alcool
Fabricação do alcoolFabricação do alcool
Fabricação do alcool
 
Uso e Reúso de Água na Indústria Canavieira
Uso e Reúso de Água na Indústria CanavieiraUso e Reúso de Água na Indústria Canavieira
Uso e Reúso de Água na Indústria Canavieira
 
5-Treinamento Fermentação /Destilação
5-Treinamento Fermentação /Destilação5-Treinamento Fermentação /Destilação
5-Treinamento Fermentação /Destilação
 
Produção Agroindustrial
Produção AgroindustrialProdução Agroindustrial
Produção Agroindustrial
 

Semelhante a Seminário stab 2013 industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)

Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Douglas Yusuf Marinho
 
Geotermia de baixa entalpia - Reabilitação Urbana
Geotermia de baixa entalpia - Reabilitação UrbanaGeotermia de baixa entalpia - Reabilitação Urbana
Geotermia de baixa entalpia - Reabilitação Urbana
Paulo Santos
 
8a4c48c42019fd06aff1df3d4dfd3e60.pdf
8a4c48c42019fd06aff1df3d4dfd3e60.pdf8a4c48c42019fd06aff1df3d4dfd3e60.pdf
8a4c48c42019fd06aff1df3d4dfd3e60.pdf
abelmanuelchicoolece
 
metodo del barrido.pptx
metodo del barrido.pptxmetodo del barrido.pptx
metodo del barrido.pptx
GeugomesHigino1997
 
dados_unidade_conversao[1][1].pdf
dados_unidade_conversao[1][1].pdfdados_unidade_conversao[1][1].pdf
dados_unidade_conversao[1][1].pdf
RennanGilney1
 
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Ailton Macedo Medeiros
 
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
teyson
 
Norma nbr 8400 calculo de equip.para levantamento e movim.de cargas (1)
Norma nbr 8400 calculo de equip.para levantamento e  movim.de cargas (1)Norma nbr 8400 calculo de equip.para levantamento e  movim.de cargas (1)
Norma nbr 8400 calculo de equip.para levantamento e movim.de cargas (1)
Roserique oliveira carvalho
 
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdfManual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
DaniellyGerson
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) motor
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) motorManaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) motor
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) motor
Thiago Huari
 
Acionamentos elétricos especificação de motores
Acionamentos elétricos   especificação de motoresAcionamentos elétricos   especificação de motores
Acionamentos elétricos especificação de motores
Angelo Hafner
 
Principios de funcionamento dos motores
Principios de funcionamento dos motoresPrincipios de funcionamento dos motores
Principios de funcionamento dos motores
Samuel R
 
Hangout servo motor 2016 2810
Hangout  servo motor 2016 2810Hangout  servo motor 2016 2810
Hangout servo motor 2016 2810
Kalatec Automação
 
Plano de teste Bosch 0402746699
Plano de teste Bosch 0402746699Plano de teste Bosch 0402746699
Plano de teste Bosch 0402746699
Junior Iung
 
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
JefersonCavalcante10
 
Definições de potências
Definições de potênciasDefinições de potências
Definições de potências
frenchmix
 
Cap-5-Rotacao-torque-potencia.pdf
Cap-5-Rotacao-torque-potencia.pdfCap-5-Rotacao-torque-potencia.pdf
Cap-5-Rotacao-torque-potencia.pdf
ssuserad794a
 
Apresentação de motores e servomecanismos slideshare
Apresentação de motores e servomecanismos slideshareApresentação de motores e servomecanismos slideshare
Apresentação de motores e servomecanismos slideshare
Watson Oliveira
 
Apresenta‹o institucional e pr oduto gás da stemac 290911
Apresenta‹o institucional e pr oduto gás da stemac   290911Apresenta‹o institucional e pr oduto gás da stemac   290911
Apresenta‹o institucional e pr oduto gás da stemac 290911
Sulgás
 
Manual de serviço shadow 750 00 x6b-meg-001 manutencao
Manual de serviço shadow 750   00 x6b-meg-001 manutencaoManual de serviço shadow 750   00 x6b-meg-001 manutencao
Manual de serviço shadow 750 00 x6b-meg-001 manutencao
Thiago Huari
 

Semelhante a Seminário stab 2013 industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm) (20)

Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
 
Geotermia de baixa entalpia - Reabilitação Urbana
Geotermia de baixa entalpia - Reabilitação UrbanaGeotermia de baixa entalpia - Reabilitação Urbana
Geotermia de baixa entalpia - Reabilitação Urbana
 
8a4c48c42019fd06aff1df3d4dfd3e60.pdf
8a4c48c42019fd06aff1df3d4dfd3e60.pdf8a4c48c42019fd06aff1df3d4dfd3e60.pdf
8a4c48c42019fd06aff1df3d4dfd3e60.pdf
 
metodo del barrido.pptx
metodo del barrido.pptxmetodo del barrido.pptx
metodo del barrido.pptx
 
dados_unidade_conversao[1][1].pdf
dados_unidade_conversao[1][1].pdfdados_unidade_conversao[1][1].pdf
dados_unidade_conversao[1][1].pdf
 
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
 
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
 
Norma nbr 8400 calculo de equip.para levantamento e movim.de cargas (1)
Norma nbr 8400 calculo de equip.para levantamento e  movim.de cargas (1)Norma nbr 8400 calculo de equip.para levantamento e  movim.de cargas (1)
Norma nbr 8400 calculo de equip.para levantamento e movim.de cargas (1)
 
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdfManual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) motor
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) motorManaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) motor
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) motor
 
Acionamentos elétricos especificação de motores
Acionamentos elétricos   especificação de motoresAcionamentos elétricos   especificação de motores
Acionamentos elétricos especificação de motores
 
Principios de funcionamento dos motores
Principios de funcionamento dos motoresPrincipios de funcionamento dos motores
Principios de funcionamento dos motores
 
Hangout servo motor 2016 2810
Hangout  servo motor 2016 2810Hangout  servo motor 2016 2810
Hangout servo motor 2016 2810
 
Plano de teste Bosch 0402746699
Plano de teste Bosch 0402746699Plano de teste Bosch 0402746699
Plano de teste Bosch 0402746699
 
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
 
Definições de potências
Definições de potênciasDefinições de potências
Definições de potências
 
Cap-5-Rotacao-torque-potencia.pdf
Cap-5-Rotacao-torque-potencia.pdfCap-5-Rotacao-torque-potencia.pdf
Cap-5-Rotacao-torque-potencia.pdf
 
Apresentação de motores e servomecanismos slideshare
Apresentação de motores e servomecanismos slideshareApresentação de motores e servomecanismos slideshare
Apresentação de motores e servomecanismos slideshare
 
Apresenta‹o institucional e pr oduto gás da stemac 290911
Apresenta‹o institucional e pr oduto gás da stemac   290911Apresenta‹o institucional e pr oduto gás da stemac   290911
Apresenta‹o institucional e pr oduto gás da stemac 290911
 
Manual de serviço shadow 750 00 x6b-meg-001 manutencao
Manual de serviço shadow 750   00 x6b-meg-001 manutencaoManual de serviço shadow 750   00 x6b-meg-001 manutencao
Manual de serviço shadow 750 00 x6b-meg-001 manutencao
 

Mais de STAB Setentrional

Programação 19º seminário 2015
Programação 19º seminário 2015Programação 19º seminário 2015
Programação 19º seminário 2015
STAB Setentrional
 
Congresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
Congresso ATALAC 2014 - STAB SetentrionalCongresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
Congresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
Seminário stab 2013   industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...Seminário stab 2013   industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
Seminário stab 2013 industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
Seminário stab 2013   industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...Seminário stab 2013   industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
Seminário stab 2013 industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
Seminário stab 2013   industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...Seminário stab 2013   industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
Seminário stab 2013 industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
Seminário stab 2013   industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...Seminário stab 2013   industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
Seminário stab 2013 industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
Seminário stab 2013   industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...Seminário stab 2013   industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
Seminário stab 2013   industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...Seminário stab 2013   industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
Seminário stab 2013 industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
Seminário stab 2013   industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...Seminário stab 2013   industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
Seminário stab 2013 industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 06. utilização da palha de cana como incre...
Seminário stab 2013   industrial - 06. utilização da palha de cana como incre...Seminário stab 2013   industrial - 06. utilização da palha de cana como incre...
Seminário stab 2013 industrial - 06. utilização da palha de cana como incre...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
Seminário stab 2013   industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...Seminário stab 2013   industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
Seminário stab 2013 industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
Seminário stab 2013   industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...Seminário stab 2013   industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
Seminário stab 2013 industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
Seminário stab 2013   industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...Seminário stab 2013   industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
Seminário stab 2013 industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
Seminário stab 2013   comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...Seminário stab 2013   comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
Seminário stab 2013 comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013   comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...Seminário stab 2013   comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013 comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013   comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...Seminário stab 2013   comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013 comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
Seminário stab 2013   comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...Seminário stab 2013   comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
Seminário stab 2013 comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
STAB Setentrional
 

Mais de STAB Setentrional (20)

Programação 19º seminário 2015
Programação 19º seminário 2015Programação 19º seminário 2015
Programação 19º seminário 2015
 
Congresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
Congresso ATALAC 2014 - STAB SetentrionalCongresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
Congresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
Seminário stab 2013   industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...Seminário stab 2013   industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
Seminário stab 2013 industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
 
Seminário stab 2013 industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
Seminário stab 2013   industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...Seminário stab 2013   industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
Seminário stab 2013 industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
 
Seminário stab 2013 industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
Seminário stab 2013   industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...Seminário stab 2013   industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
Seminário stab 2013 industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
 
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
 
Seminário stab 2013 industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
Seminário stab 2013   industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...Seminário stab 2013   industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
Seminário stab 2013 industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
 
Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
Seminário stab 2013   industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...Seminário stab 2013   industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
 
Seminário stab 2013 industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
Seminário stab 2013   industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...Seminário stab 2013   industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
Seminário stab 2013 industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
 
Seminário stab 2013 industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
Seminário stab 2013   industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...Seminário stab 2013   industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
Seminário stab 2013 industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
 
Seminário stab 2013 industrial - 06. utilização da palha de cana como incre...
Seminário stab 2013   industrial - 06. utilização da palha de cana como incre...Seminário stab 2013   industrial - 06. utilização da palha de cana como incre...
Seminário stab 2013 industrial - 06. utilização da palha de cana como incre...
 
Seminário stab 2013 industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
Seminário stab 2013   industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...Seminário stab 2013   industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
Seminário stab 2013 industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
 
Seminário stab 2013 industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
Seminário stab 2013   industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...Seminário stab 2013   industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
Seminário stab 2013 industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
 
Seminário stab 2013 industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
Seminário stab 2013   industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...Seminário stab 2013   industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
Seminário stab 2013 industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
 
Seminário stab 2013 comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
Seminário stab 2013   comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...Seminário stab 2013   comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
Seminário stab 2013 comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
 
Seminário stab 2013 comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013   comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...Seminário stab 2013   comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013 comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
 
Seminário stab 2013 comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013   comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...Seminário stab 2013   comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013 comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
 
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
 
Seminário stab 2013 comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
Seminário stab 2013   comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...Seminário stab 2013   comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
Seminário stab 2013 comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
 
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
 

Seminário stab 2013 industrial - 03. maior eficiência energética da planta com aplicação de planetário - paulo rogério (tgm)

  • 2. Parâmetros para Realização de Comparativo • Balanço consolidado em conjunto pelas empresas, ETH, TGM Turbinas e HPB Simisa, considerando Moagem de 1.350 TC/H; • 4 Ternos de Moenda conforme solicitado – 104” (2x) e 94,5” (2x); 1º TERNO MOENDA 104” Potência Instalada: 4.203 kW 2º TERNO MOENDA 104” Potência Instalada: 4.203 kW 3º TERNO MOENDA 94,5” Potência Instalada: 2.915 kW 4º TERNO MOENDA 94,5” Potência Instalada: 2.915 kW
  • 3. Comparativo de Eficiências Tendo como base um Moagem de 1.350 TC/H, considerando 4 Ternos de Moendas 2x 104” e 2x 94,5”: 1º e 2º - 104”, com potência instalada 4.203 kW x 2 Ternos = 8.406 kW 3º e 4º - 94,5”, com potência instalada 2.915 kW x 2 Ternos = 5.830 kW Total Instalado: 14.236 kW Acionamento Central 92,19% Eficiência Perda de Energia por Tandem 1.111,83 kW Acion. Red. Eixos Paralelos 89,34% Eficiência Perda de Energia por Tandem 1.517,55 kW Acion. Motor Hidráulico 81% Eficiência Perda de Energia por Tandem 2.704,84 kW Acionamento Rolo a Rolo 97% Eficiência Perda de Energia por Tandem 427,08 kW
  • 4. Rolo a Rolo X Acionamento Central Tendo como base um Moagem de 1.350 TC/H, com uma rotação de 7,3 rpm na Moenda: 1º e 2º - 104”, com potência instalada 4.203 kW *2 Ternos = 8.406 kW 3º e 4º - 94,5”, com potência instalada 2.915 kW *2 Ternos = 5.830 kW Total Instalado: 14.236 kW Economia de Acionamento Rolo a Rolo 684,75 kW Período: 1 [ano] Com a economia de 684,75 kW, durante o período de 1 ano temos: 684,75 [kW] x 4.000 [h] = 2,74 MW.h Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos: 2,74 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 287.700,00 Período: 12 [anos] Com a economia de 684,75 kW, durante o período de 12 anos temos: 684,75 [kW] x 4.000 [h] x 12 = 32,88 MW.h Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos: 32,88 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 3.452.400,00
  • 5. Tendo como base um Moagem de 1.350 TC/H, com uma rotação de 7,3 rpm na Moenda: 1º e 2º - 104”, com potência instalada 4.203 kW *2 Ternos = 8.406 kW 3º e 4º - 94,5”, com potência instalada 2.915 kW *2 Ternos = 5.830 kW Total Instalado: 14.236 kW Economia de Acionamento Rolo a Rolo 1.090,47 kW Período: 1 [ano] Com a economia de 1.090,47 kW, durante o período de 1 ano temos: 1.090,47 [kW] x 4.000 [h] = 4,36 MW.h Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos: 4,36 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 457.800,00 Período: 12 [anos] Com a economia de 1.090,47 kW, durante o período de 12 anos temos: 1.090,47 [kW] x 4.000 [h] x 12 = 32,88 MW.h Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos: 32,88 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 5.495.968,80 Rolo a Rolo X Red. de Eixos Paralelos
  • 6. Tendo como base um Moagem de 1.350 TC/H, com uma rotação de 7,3 rpm na Moenda: 1º e 2º - 104”, com potência instalada 4.203 kW *2 Ternos = 8.406 kW 3º e 4º - 94,5”, com potência instalada 2.915 kW *2 Ternos = 5.830 kW Total Instalado: 14.236 kW Economia de Acionamento Rolo a Rolo 1.614,37 kW Período: 1 [ano] Com a economia de 1.614,37 kW, durante o período de 1 ano temos: 1.614,37 [kW] x 4.000 [h] = 6,45 MW.h Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos: 6,45 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 677.225,00 Período: 12 [anos] Com a economia de 1.090,47 kW, durante o período de 12 anos temos: 1.614,37 [kW] x 4.000 [h] x 12 = 77,49 MW.h Considerando o valor da energia R$ 105,00 / MW.h temos: 77,49 MW.h x 105,00 [R$] = R$ 8.136.450,00 Rolo a Rolo X Motor Hidráulico
  • 7. Acionamento Central 2 camisas 2 camisas 2 camisas 2 camisas 2 camisas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 2 camisas Jogo de Rodetes Jogo de Rodetes Safras Total: • 12 camisas por terno • 6 rodetes Comparativo de Manutenção em Aplicações de Moendas
  • 8. Acionamento Rolo a Rolo 3 camisas 3 camisas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 3 camisas Safras Total: • 9 camisas por terno Comparativo de Manutenção em Aplicações de Moendas
  • 9. Característica da Aplicação / Manutenção Central Qtde. Moendas 104” e 94,5” Qtde. Rolo a Rolo R$ 2.280.000,00 24 Rodetes 0 R$ 0,00 Tendo como base o tandem de Moendas (2 x 104”, 2 x 94,5”) em 12 anos: R$ 2.592.000,00 Lubrificantes 0 R$ 0,00 R$ 6.072.000,00 72 Camisas 36 R$ 4.554.000,00 R$ 10.944.000,00 Total R$ 4.554.000,00 Obs.: Rodetes: Moenda 104” - R$ 102.000,00 – valor unitário Moenda 94,5” - R$ 88.000,00 – valor unitário Lubrificantes: considerado consumo de 2 gramas por tonelada de cana a um custo de R$20,00/kg. Camisas: Moenda 104” - R$136.000,00 – valor unitário Moenda 94,5” - R$ 117.000,00 – valor unitário
  • 10. Característica Manutenção Resumo: • A manutenção de um Tandem de 4 ternos com acionamento central corresponde a R$ 10.944.000,00 em 12 anos • A manutenção de um tandem de 4 ternos com acionamento rolo a rolo corresponde a R$ 4.554.000,00 em 12 anos Acionamentos TGM rolo a rolo proporcionam economia de R$6.390.000,00 na manutenção do tandem de moenda.
  • 11. Conclusões • Ganho energético mínimo de R$ 3.452.400,00 • Redução de custos de manutenção de R$ 6.390.000,00 Ganho total em 12 anos de R$ 9.842.400,00.
  • 12. Comparativo de Gastos entre todos os Acionamentos ROLO A ROLO CENTRAL MOTOR HIDRÁULICO REDUTOR PARALELO RODETES - -R$ 2.280.000,00 - -R$ 2.280.000,00 LUBRIFICANTES - -R$ 2.592.000,00 - -R$ 2.592.000,00 CAMISAS - -R$ 6.072.000,00 - -R$ 6.072.000,00 CONSUMO ENERGÉTICO -R$ 2.152.483,20 -R$ 3.452.400,00 -R$ 8.136.450,00 -R$ 5.495.968,80 2.152.483,20-R$ 14.396.400,00-R$ 8.136.450,00-R$ 16.439.968,80-R$ Ganhos com Planetários Rolo a Rolo 12.243.916,80-R$ 5.983.966,80-R$ 14.287.485,60-R$ *Valor considerado por 12 Safras.
  • 13. Monitork Proteção, leitura e análise dos torques, unidade hidráulica, preparado para análise de partículas e contaminação no óleo e análise de vibrações. Monitoramento, Sincronismo e Proteção dos Redutores Inversor de Frequência Sincronismo das velocidades dos Motores
  • 14. Superior - RPS 3 445 F G3 FULL (2x) Potência Instalada: 1.225 cv Torque Requerido: 980 kN.m Torque Nominal: 2.500 kN.m F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55 F.S sobre Pot. Instalada: 1,74 APLICAÇÃO ROLO A ROLO – 1º e 2º TERNO DE MOENDA 104” Pressão - RPS 3 335 F G3 FULL Potência Instalada: 490 cv Torque Requerido: 392 kN.m Torque Nominal: 1.000 kN.m F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55 F.S sobre Pot. Instalada: 2,1 Saída - RPS 3 470 F G3 FULL Potência Instalada: 1.470 cv Torque Requerido: 1.176 kN.m Torque Nominal: 3.000 kN.m F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55 F.S sobre Pot. Instalada: 1,74 Entrada - RPS 3 445 F G3 FULL Potência Instalada: 1.225 cv Torque Requerido: 980 kN.m Torque Nominal: 2.500 kN.m F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55 F.S sobre Pot. Instalada: 1,74
  • 15. Superior - RPS 3 410 F G3 FULL (2x) Potência Instalada: 850 cv Torque Requerido: 686 kN.m Torque Nominal: 1.920 kN.m F.S sobre o Torq. Requerido: 2,80 F.S sobre Pot. Instalada: 1,92 APLICAÇÃO ROLO A ROLO – 3º e 4º TERNO DE MOENDA 94,5” Pressão - RPS 3 300 F G3 FULL Potência Instalada: 340 cv Torque Requerido: 274 kN.m Torque Nominal: 700 kN.m F.S sobre o Torq. Requerido: 2,55 F.S sobre Pot. Instalada: 2,12 Saída - RPS 3 445 F G3 FULL Potência Instalada: 1.020 cv Torque Requerido: 823 kN.m Torque Nominal: 2.500 kN.m F.S sobre o Torq. Requerido: 3,03 F.S sobre Pot. Instalada: 2,09 Entrada - RPS 3 410 F G3 FULL Potência Instalada: 850 cv Torque Requerido: 686 kN.m Torque Nominal: 1.920 kN.m F.S sobre o Torq. Requerido: 2,80 F.S sobre Pot. Instalada: 1,92
  • 16. Redutores TGM em Usinas do Grupo ETH NOVO PROJETO 385 GI (4 ternos) 385 GI (4 ternos) 335 GI (4 ternos) 470 GIII Full (2 ternos) 240 GI (4 ternos) 240 GI (4 ternos) 215 GI (4 ternos) 445 GIII Full (2 ternos) 410 GI (1 terno) 410 GI (1 terno) 385 GI (1 terno) 335 GIII Full (2 ternos) 280 GI (1 terno) 280 GI (1 terno) 240 GI (1 terno) 410 GIII Full (2 ternos) 410 GII (1 terno) 385 GII (1 terno) 300 GIII Full (2 ternos) 280 GII (1 terno) 240 GII (1 terno) Total 25 redutores 30 redutores 30 redutores 20 redutores UCP Eldorado Rio Claro (Caçu) Santa Luzia SEW
  • 17. Cenário Atual da BIOCOM ---- RPS P5 445 P (2x) DIFUSOR DE CANA TERNO DESAGUADOR 84” ---- RPS 3 215 F (3x) RPZ 3 360 E ---- TERNO DE SECAGEM 90” ---- RPZ 3 215 E RPZ 3 360 E ---- (2x)
  • 18. Monitoramento Remoto - BIOCOM Biocom TGM MONITORK
  • 19. Estrutura de Atendimento ao Cliente Angola Equipe Qualificada
  • 20. Estudo de Engenharia de Aplicação Modelo Atenderá Unidade Acessórios XP21 Eldorado Kit de acessórios à definir. XP23 Eldorado Kit de Acessórios (Braço de Torque, Cardan Longo, Anel para montagem do braço de torque, Luva de transmissão, proteção para cardan). XP21 410 Eldorado e Santa Luzia Modelo Atenderá Unidade Acessórios 385 Santa Luzia, Rio claro, UCP e Brenco Kit de Acessórios (Flange Lado Redutor e Anel para montagem do Braço de Torque(GI)). XP15 Eldorado 335 UCP – Rolos Principais XP17 Eldorado – Rolo de Pressão Kit de Acessórios (Flange Lado Redutor, Braço de Torque, Anel para montagem do Braço de Torque(GI), Unidade Hidráulica, Acoplamento SND e Luneta para montagem motor) Modelo atenderá Unidade Acessórios 280 Santa Luzia e Rio Claro – Rolo de Pressão Kit de Acessórios (Luneta fixação motor, acoplamento SND, Flange lado redutor, anel para montagem Braço de Torque e Unidade Hidráulica (GI)) 240 Rolo de pressão UCP, Santa Luzia, Rio Claro e Brenco Kit de Acessórios (Luneta fixação motor, acoplamento SND, Flange lado redutor, anel para montagem e Braço de Torque) 215 Rolo de pressão UCP Kit de Acessórios (Luneta fixação motor, acoplamento SND, Flange lado redutor, anel para montagem e Braço de Torque ) Kit de Acessórios (Flange Lado Redutor, Braço de Torque, Anel para montagem do Braço de Torque(GI), Unidade Hidráulica, Acoplamento lado motor, Cardan Curto e Proteção de Cardan) Kit de Acessórios (Braço de Torque, Cardan Curto, Anel para montagem do braço de torque, Luva de transmissão, proteção para cardan, Unidade Hidráulica, Acoplamento lado motor eFlange Lado Redutor). 410 Rio Claro e Santa Luzia445 G3 Full 385 G3 Full 280 G3 Full
  • 21. Estudo de Monitoramento 1 terno POT. CONSUMIDA......... 1.089 HP MOAGEM .................... 465 TCH FIBRA........................... 12,87% CONS. ESPECIFICO...... 18,19 HP/TFH TORQUE TOTAL (K.Nm) Com Divisor Torque 1.225 TORQUE TOTAL (K.Nm) Com Rolo a Rolo 1.339 POT. CONSUMIDA......... 951 HP MOAGEM .................... 512 TCH FIBRA........................... 12,7% CONS. ESPECIFICO...... 14,63 HP/TFH