SlideShare uma empresa Scribd logo
Companhia Agro Industrial de Goiana – CAIG
Usina Santa Teresa
Utilização da Palha de Cana como
Incremento na Receita Industrial
Olinda, Abril de 2013
A Indústria Sucroenergética
O Setor Sucroenergético vem sendo muito penalizado pelo Governo
Federal, amargando nos últimos anos uma série de resultados ruins.
Para se ter uma ideia, a produção de etanol cresceu algo em torno de
30% no Brasil nos últimos cinco anos, enquanto nos EUA, o etanol de
milho duplicou sua produção no mesmo período.
Enquanto lá a produção foi alavancada por estímulos do governo, que
se comprometeu, por lei, a fixar o preço do etanol até 2022. Aqui, o
Governo congelou o preço da gasolina por oito anos, sacrificando
profundamente as finanças da “Petrobras”, desestimulando o uso do
etanol pelo consumidor em função da concorrência Gasolina/Álcool.
O consumo, a produção e os investimentos recuaram e a indústria da
cana entrou em um período de crise, mas o etanol não foi o único elo
negligenciado da cadeia. No Setor Elétrico, o risco eminente de
desabastecimento causado pelos baixos níveis dos reservatórios
hidroelétricos fez com que todas as centrais termoelétricas movidas a
petróleo fossem acionadas elevando o custo da energia no mercado.
Sabemos também que as linhas de transmissão para conectar
parques eólicos ao sistema integrado estão atrasadas.
Uma Bioenergética gera 1 KW pela metade do preço das
térmicas movidas a combustíveis fosseis. O tempo de
implantação chega a ser 5 vezes menor, o retorno do capital
investido em 6 anos, metade do tempo de retorno em
investimentos industriais. Os custos com transmissão são
menores e mais rápidos, pois na maioria das vezes estamos
próximos das redes de transmissão e é só acoplar. Sem falar no
baixo impacto ambiental próximo de zero.
Na verdade dispomos de um resíduo industrial abundante e
renovável próximo ao local de produção. Mesmo com produção
limitada, a energia da cana economizou 5% das águas dos
reservatórios durante a seca em 2011. Até 2020 14000 MW
poderão ser agregados, o equivalente a uma Itaipu, a maior
Hidroelétrica nacional.
Usinas que Comercializam Eletricidade no Brasil
Duto direcionador
de palha
Ventilador
auxiliar nº 01
Ventilador
auxiliar nº 02
Esteira
de palha
Peneira rotativa
Picador de Palha
Moegas
Transporte da
palha picada
Esteira
Esteira
Características Técnicas dos Equipamentos
EQUIPAMENTO
CAPACIDADE
EM TON/H
POTÊNCIA
INSTALADA EM
(CV)
PROJETO
CUSTO DE
IMPLANTAÇÃO
EM (R$)
ESTAÇÃO DE LIMPEZA 01
(CANA PICADA)
150 650 CUBANO 2.925.000
ESTAÇÃO DE LIMPEZA 02
(CANA PICADA)
250 750 CAIG 2.400.000
PENEIRA ROTATIVA 30 15
REDE
SERVIÇE
120.000
PICADOR DE PALHA
25 400 DEMUTH 320.000
SISTEMA DE
TRANSPORTE DE PALHA
30 50
METAL
MECÂNICA
1.100.000
TOTAL - - - 6.545.000,00
Dados Industriais
A seguir faremos um resumo simples
através de uma matriz de cálculo
elaborada com dados recentes obtidos
durante a safra. A qual nos dará suporte
para realizarmos os cálculos e
chegarmos ao valor final de receita,
gerada pelo excedente de palha e bagaço
existente dentro da unidade industrial.
Moagem = 9.500 ton/dia;
Efic.de moagem = 90%;
Dias de moagem = 145;
Bagaço/ ton de cana = 325 kg;
Impureza vegetal = 3,35%;
Efic. Estações de limpeza = 85%.
Quantidade de bagaço/dia
9500 x 325 x 0,9 = 2.778,75 ton.
Quantidade de bagaço/safra
2.778,75 x 145 = 402.918,75 ton.
Quantidade de palha/dia
9500 x 0,0335 x 0,9 = 286,42 ton.
Quantidade de palha/ safra
286,42 x 145 = 41.530,9 ton.
Palha retirada nas estações/dia
286,42 x 0,85 = 243,5 ton.
Vapor /h caldeira nº 01 = 130 ton/ h;
Vapor /h caldeira nº 02 = 100 ton/ h;
Vapor /h caldeira nº 03 = 70 ton/ h;
Pressão = 21 kgf/cm²;
Efic. das caldeiras = 85%;
Kg vapor/ kg bagaço = 2,3.
Produção de vapor/ dia
237,2 x 24 = 5.693 ton.
Consumo de bagaço/dia
5.693 / 2,3 = 2.475 ton.
Sobra de bagaço/dia
2.778,5 – 2.475 = 303,5 ton.
Sobra de bagaço/ safra
303,5 x 145 = 44.007,5 ton.
Sobra de (palha + bagaço)/dia
303,5 + 243,5 = 547 ton.
Sobra de (palha + bagaço)/safra
547 x 145 = 79.315 ton.
Dados Industriais
Diante dos dados expostos no slide anterior,
considerando o preço da tonelada de bagaço em torno
de R$ 62,00 e fixando o valor do MW/h em R$ 273,52
para uma unidade que gera um excedente de energia
de 2.352 MW/mês, teríamos a seguinte receita
adicional ao fim de 5 meses de safra:
Receita bagaço (R$) = 79.315 ton x 62,00 = 4.917.530,00.
Receita energia (R$) = 2.352 x 5 x 273,52 = 3.216.595,00.
Receita total (R$) = 8.134.125,00.
Variação de Preço do MWh
0
100
200
300
400
ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 jan/13 fev/13 mar/13 Média
119,08
183,30
294,82
375,54
253,24
409,76
212,59
339,84
273,52
Valor em (R$) do MW/h
Fontes Consultadas
REVISTA OPINIÕES – O Potencial Biomassa, jan – mar/
2013. Disponível no site: http://
www.revistaopiniões.com.br.
REVISTA OPINIÕES – Bagaço: uma opção estratégica,
jan – mar/ 2013. Disponível no site: http://
www.revistaopiniões.com.br.
SINDAÇUCAR – O Setor Sucroenergético no Brasil.
Disponível no site: http// www.sindacucar.com.br.
JORNAL CANA – Palha da Cana Continua a Revelar Baú
de Utilidades, março/2013. Disponível no site: http://
www.jornalcana.com.br.
REVISTA IDEA NEWS – Mini Mapa da Bioeletricidade
de Cana do Brasil 2011, maio/2011. Disponível no site:
http:// www.revistaideanews.com.br.
Agradecimento
A Equipe Técnica da Usina
Santa Teresa e a todos que
contribuíram para realização
deste trabalho.
OBRIGADO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cana tem papel estratégico no setor
Cana tem papel estratégico no setorCana tem papel estratégico no setor
Cana tem papel estratégico no setor
Agricultura Sao Paulo
 
Mercado Ibérico de Eletricidade - Dezembro de 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Dezembro de 2018Mercado Ibérico de Eletricidade - Dezembro de 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Dezembro de 2018
Energia Simples
 
Mercado Ibérico de Eletricidade - Junho 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Junho 2018 Mercado Ibérico de Eletricidade - Junho 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Junho 2018
Energia Simples
 
Energia Alternativa Pesquisadas Pela Petrobras
Energia  Alternativa Pesquisadas Pela PetrobrasEnergia  Alternativa Pesquisadas Pela Petrobras
Energia Alternativa Pesquisadas Pela Petrobras
oriajpires
 
Evolucao do uso do etanol como combustivel veicular alfred
Evolucao do uso do etanol como combustivel veicular   alfredEvolucao do uso do etanol como combustivel veicular   alfred
Evolucao do uso do etanol como combustivel veicular alfred
Geraldo Sebastian
 
Residencia Quinta Da Serra
Residencia Quinta Da SerraResidencia Quinta Da Serra
Residencia Quinta Da Serra
Academiadaweb
 
Mercado Ibérico de Eletricidade - Novembro de 2018
 Mercado Ibérico de Eletricidade - Novembro de 2018 Mercado Ibérico de Eletricidade - Novembro de 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Novembro de 2018
Energia Simples
 
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
LCA promo
 
Ecodesign daceia produtiva
Ecodesign daceia produtivaEcodesign daceia produtiva
Ecodesign daceia produtiva
Eduardo Garcia
 
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo BrasilPanorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Sydney Dias
 
Biodiesel no mundo
Biodiesel no mundoBiodiesel no mundo
Biodiesel no mundo
Milena Medeiros
 
Sustentabilidade bioenergiadea2014
Sustentabilidade bioenergiadea2014Sustentabilidade bioenergiadea2014
Sustentabilidade bioenergiadea2014
AzizGalvao
 
Mercado Ibérico de Eletricidade - Fevereiro 2018
 Mercado Ibérico de Eletricidade - Fevereiro 2018 Mercado Ibérico de Eletricidade - Fevereiro 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Fevereiro 2018
Energia Simples
 
Gás Natural
Gás  Natural Gás  Natural
Gás Natural
jeanwx
 
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
Marco Antonio Zanirato Cabral
 
Mini – Case
Mini – CaseMini – Case
Mini – Case
rafaestrougo
 
Construction Update - Rio Canoas Energia
Construction Update - Rio Canoas EnergiaConstruction Update - Rio Canoas Energia
Construction Update - Rio Canoas Energia
TriunfoRi
 
07 areva usina termica
07 areva   usina termica07 areva   usina termica
07 areva usina termica
William Andrade
 
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
Marco Aurélio Gondim
 
Biocombustíveis: o que você precisa saber sobre este novo mercado
Biocombustíveis: o que você precisa saber sobre este novo mercadoBiocombustíveis: o que você precisa saber sobre este novo mercado
Biocombustíveis: o que você precisa saber sobre este novo mercado
Rafael Nunan
 

Mais procurados (20)

Cana tem papel estratégico no setor
Cana tem papel estratégico no setorCana tem papel estratégico no setor
Cana tem papel estratégico no setor
 
Mercado Ibérico de Eletricidade - Dezembro de 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Dezembro de 2018Mercado Ibérico de Eletricidade - Dezembro de 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Dezembro de 2018
 
Mercado Ibérico de Eletricidade - Junho 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Junho 2018 Mercado Ibérico de Eletricidade - Junho 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Junho 2018
 
Energia Alternativa Pesquisadas Pela Petrobras
Energia  Alternativa Pesquisadas Pela PetrobrasEnergia  Alternativa Pesquisadas Pela Petrobras
Energia Alternativa Pesquisadas Pela Petrobras
 
Evolucao do uso do etanol como combustivel veicular alfred
Evolucao do uso do etanol como combustivel veicular   alfredEvolucao do uso do etanol como combustivel veicular   alfred
Evolucao do uso do etanol como combustivel veicular alfred
 
Residencia Quinta Da Serra
Residencia Quinta Da SerraResidencia Quinta Da Serra
Residencia Quinta Da Serra
 
Mercado Ibérico de Eletricidade - Novembro de 2018
 Mercado Ibérico de Eletricidade - Novembro de 2018 Mercado Ibérico de Eletricidade - Novembro de 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Novembro de 2018
 
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09Ayrton souza   biocombustíveis e energia no es 19 05-09
Ayrton souza biocombustíveis e energia no es 19 05-09
 
Ecodesign daceia produtiva
Ecodesign daceia produtivaEcodesign daceia produtiva
Ecodesign daceia produtiva
 
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo BrasilPanorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
 
Biodiesel no mundo
Biodiesel no mundoBiodiesel no mundo
Biodiesel no mundo
 
Sustentabilidade bioenergiadea2014
Sustentabilidade bioenergiadea2014Sustentabilidade bioenergiadea2014
Sustentabilidade bioenergiadea2014
 
Mercado Ibérico de Eletricidade - Fevereiro 2018
 Mercado Ibérico de Eletricidade - Fevereiro 2018 Mercado Ibérico de Eletricidade - Fevereiro 2018
Mercado Ibérico de Eletricidade - Fevereiro 2018
 
Gás Natural
Gás  Natural Gás  Natural
Gás Natural
 
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
A cana de açúcar como fonte de energia e o problema do mal uso e falta de inc...
 
Mini – Case
Mini – CaseMini – Case
Mini – Case
 
Construction Update - Rio Canoas Energia
Construction Update - Rio Canoas EnergiaConstruction Update - Rio Canoas Energia
Construction Update - Rio Canoas Energia
 
07 areva usina termica
07 areva   usina termica07 areva   usina termica
07 areva usina termica
 
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
Atualidades Biocombustiveis Prof. Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot....
 
Biocombustíveis: o que você precisa saber sobre este novo mercado
Biocombustíveis: o que você precisa saber sobre este novo mercadoBiocombustíveis: o que você precisa saber sobre este novo mercado
Biocombustíveis: o que você precisa saber sobre este novo mercado
 

Semelhante a Seminário stab 2013 industrial - 06. utilização da palha de cana como incremento na receita industrial - lourivaldo leal (usina santa teresa)

Apresentação e defesa do tema atualizado
Apresentação e defesa do tema atualizadoApresentação e defesa do tema atualizado
Apresentação e defesa do tema atualizado
Carlos Wilson Zanchini
 
Kit para instalação
Kit para instalaçãoKit para instalação
Kit para instalação
Haroldo Fogo
 
Matriz energética da bahia e seus impactos sociais, econômicos e ambientais
Matriz energética da bahia  e seus impactos sociais, econômicos e ambientaisMatriz energética da bahia  e seus impactos sociais, econômicos e ambientais
Matriz energética da bahia e seus impactos sociais, econômicos e ambientais
Fernando Alcoforado
 
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
EnergiaUni
 
Studies on sugarcane energy in Brazil.pptx
Studies on sugarcane energy in Brazil.pptxStudies on sugarcane energy in Brazil.pptx
Studies on sugarcane energy in Brazil.pptx
gusgrafon
 
Esfera_News.pptx
Esfera_News.pptxEsfera_News.pptx
Esfera_News.pptx
LeonardoCapuchoNogue1
 
Seminário stab 2013 agrícola - 11. manejo de irrigação safra 2012-2013 - co...
Seminário stab 2013   agrícola - 11. manejo de irrigação safra 2012-2013 - co...Seminário stab 2013   agrícola - 11. manejo de irrigação safra 2012-2013 - co...
Seminário stab 2013 agrícola - 11. manejo de irrigação safra 2012-2013 - co...
STAB Setentrional
 
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de EnergiaContribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
slides-mci
 
Boletim setembro 05_09_2015
Boletim setembro 05_09_2015Boletim setembro 05_09_2015
Boletim setembro 05_09_2015
Carlos Otavio Quintella
 
Safras 2012/13
Safras 2012/13Safras 2012/13
Safras 2012/13
Franciel Oliveira
 
Neilton fidelis 18 00
Neilton  fidelis 18 00Neilton  fidelis 18 00
Neilton fidelis 18 00
forumsustentar
 
O planejamento numa nova era da energia
O planejamento numa nova era da energiaO planejamento numa nova era da energia
O planejamento numa nova era da energia
Gabriel Konzen
 
Apresentação - Etanol, commodity do futuro
Apresentação - Etanol, commodity do futuroApresentação - Etanol, commodity do futuro
Apresentação - Etanol, commodity do futuro
ProjetoBr
 
CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
CONOTEL - Congresso Nacional de HotéisCONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
TEKNERGIA
 
Parte I - Gilmar Galon - Usina Pitangueiras (1).pdf
Parte I - Gilmar Galon - Usina Pitangueiras (1).pdfParte I - Gilmar Galon - Usina Pitangueiras (1).pdf
Parte I - Gilmar Galon - Usina Pitangueiras (1).pdf
LeonardoBuranello
 
Crescimento sustentado pós-pandemia: os desafios da recuperação verde - Joaqu...
Crescimento sustentado pós-pandemia: os desafios da recuperação verde - Joaqu...Crescimento sustentado pós-pandemia: os desafios da recuperação verde - Joaqu...
Crescimento sustentado pós-pandemia: os desafios da recuperação verde - Joaqu...
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
Cartilha solar
Cartilha solarCartilha solar
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
ken.nunes
 
Aula 19 fontes de energia no brasil
Aula 19   fontes de energia no brasilAula 19   fontes de energia no brasil
Aula 19 fontes de energia no brasil
Jonatas Carlos
 
Alexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENEAlexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENE
ken.nunes
 

Semelhante a Seminário stab 2013 industrial - 06. utilização da palha de cana como incremento na receita industrial - lourivaldo leal (usina santa teresa) (20)

Apresentação e defesa do tema atualizado
Apresentação e defesa do tema atualizadoApresentação e defesa do tema atualizado
Apresentação e defesa do tema atualizado
 
Kit para instalação
Kit para instalaçãoKit para instalação
Kit para instalação
 
Matriz energética da bahia e seus impactos sociais, econômicos e ambientais
Matriz energética da bahia  e seus impactos sociais, econômicos e ambientaisMatriz energética da bahia  e seus impactos sociais, econômicos e ambientais
Matriz energética da bahia e seus impactos sociais, econômicos e ambientais
 
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
 
Studies on sugarcane energy in Brazil.pptx
Studies on sugarcane energy in Brazil.pptxStudies on sugarcane energy in Brazil.pptx
Studies on sugarcane energy in Brazil.pptx
 
Esfera_News.pptx
Esfera_News.pptxEsfera_News.pptx
Esfera_News.pptx
 
Seminário stab 2013 agrícola - 11. manejo de irrigação safra 2012-2013 - co...
Seminário stab 2013   agrícola - 11. manejo de irrigação safra 2012-2013 - co...Seminário stab 2013   agrícola - 11. manejo de irrigação safra 2012-2013 - co...
Seminário stab 2013 agrícola - 11. manejo de irrigação safra 2012-2013 - co...
 
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de EnergiaContribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
 
Boletim setembro 05_09_2015
Boletim setembro 05_09_2015Boletim setembro 05_09_2015
Boletim setembro 05_09_2015
 
Safras 2012/13
Safras 2012/13Safras 2012/13
Safras 2012/13
 
Neilton fidelis 18 00
Neilton  fidelis 18 00Neilton  fidelis 18 00
Neilton fidelis 18 00
 
O planejamento numa nova era da energia
O planejamento numa nova era da energiaO planejamento numa nova era da energia
O planejamento numa nova era da energia
 
Apresentação - Etanol, commodity do futuro
Apresentação - Etanol, commodity do futuroApresentação - Etanol, commodity do futuro
Apresentação - Etanol, commodity do futuro
 
CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
CONOTEL - Congresso Nacional de HotéisCONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
 
Parte I - Gilmar Galon - Usina Pitangueiras (1).pdf
Parte I - Gilmar Galon - Usina Pitangueiras (1).pdfParte I - Gilmar Galon - Usina Pitangueiras (1).pdf
Parte I - Gilmar Galon - Usina Pitangueiras (1).pdf
 
Crescimento sustentado pós-pandemia: os desafios da recuperação verde - Joaqu...
Crescimento sustentado pós-pandemia: os desafios da recuperação verde - Joaqu...Crescimento sustentado pós-pandemia: os desafios da recuperação verde - Joaqu...
Crescimento sustentado pós-pandemia: os desafios da recuperação verde - Joaqu...
 
Cartilha solar
Cartilha solarCartilha solar
Cartilha solar
 
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
 
Aula 19 fontes de energia no brasil
Aula 19   fontes de energia no brasilAula 19   fontes de energia no brasil
Aula 19 fontes de energia no brasil
 
Alexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENEAlexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENE
 

Mais de STAB Setentrional

Programação 19º seminário 2015
Programação 19º seminário 2015Programação 19º seminário 2015
Programação 19º seminário 2015
STAB Setentrional
 
Congresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
Congresso ATALAC 2014 - STAB SetentrionalCongresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
Congresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
Seminário stab 2013   industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...Seminário stab 2013   industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
Seminário stab 2013 industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
Seminário stab 2013   industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...Seminário stab 2013   industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
Seminário stab 2013 industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
Seminário stab 2013   industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...Seminário stab 2013   industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
Seminário stab 2013 industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
Seminário stab 2013   industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...Seminário stab 2013   industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
Seminário stab 2013 industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
Seminário stab 2013   industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...Seminário stab 2013   industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
Seminário stab 2013   industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...Seminário stab 2013   industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
Seminário stab 2013 industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
Seminário stab 2013   industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...Seminário stab 2013   industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
Seminário stab 2013 industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
Seminário stab 2013   industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...Seminário stab 2013   industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
Seminário stab 2013 industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 03. maior eficiência energética da planta ...
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta ...Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta ...
Seminário stab 2013 industrial - 03. maior eficiência energética da planta ...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
Seminário stab 2013   industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...Seminário stab 2013   industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
Seminário stab 2013 industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
Seminário stab 2013   industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...Seminário stab 2013   industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
Seminário stab 2013 industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
Seminário stab 2013   comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...Seminário stab 2013   comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
Seminário stab 2013 comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013   comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...Seminário stab 2013   comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013 comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013   comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...Seminário stab 2013   comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013 comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
Seminário stab 2013   comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...Seminário stab 2013   comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
Seminário stab 2013 comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
STAB Setentrional
 

Mais de STAB Setentrional (20)

Programação 19º seminário 2015
Programação 19º seminário 2015Programação 19º seminário 2015
Programação 19º seminário 2015
 
Congresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
Congresso ATALAC 2014 - STAB SetentrionalCongresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
Congresso ATALAC 2014 - STAB Setentrional
 
Seminário stab 2013 industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
Seminário stab 2013   industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...Seminário stab 2013   industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
Seminário stab 2013 industrial - 08. novos conceitos na clarificação de cal...
 
Seminário stab 2013 industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
Seminário stab 2013   industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...Seminário stab 2013   industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
Seminário stab 2013 industrial - 14. açúcar - perfil de identidade, qualida...
 
Seminário stab 2013 industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
Seminário stab 2013   industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...Seminário stab 2013   industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
Seminário stab 2013 industrial - 13. comparativo da qualidade de cana usand...
 
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
 
Seminário stab 2013 industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
Seminário stab 2013   industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...Seminário stab 2013   industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
Seminário stab 2013 industrial - 11. quantificação das perdas de açúcares n...
 
Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
Seminário stab 2013   industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...Seminário stab 2013   industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de quali...
 
Seminário stab 2013 industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
Seminário stab 2013   industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...Seminário stab 2013   industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
Seminário stab 2013 industrial - 09. resultados obtidos na usina união e in...
 
Seminário stab 2013 industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
Seminário stab 2013   industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...Seminário stab 2013   industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
Seminário stab 2013 industrial - 07. implicações na caldeira com a utilizaç...
 
Seminário stab 2013 industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
Seminário stab 2013   industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...Seminário stab 2013   industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
Seminário stab 2013 industrial - 05. processo de fabricação de levedura sec...
 
Seminário stab 2013 industrial - 03. maior eficiência energética da planta ...
Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta ...Seminário stab 2013   industrial - 03. maior eficiência energética da planta ...
Seminário stab 2013 industrial - 03. maior eficiência energética da planta ...
 
Seminário stab 2013 industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
Seminário stab 2013   industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...Seminário stab 2013   industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
Seminário stab 2013 industrial - 02. evolução do modelo consecana no estado...
 
Seminário stab 2013 industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
Seminário stab 2013   industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...Seminário stab 2013   industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
Seminário stab 2013 industrial - 01. nr20 - segurança e saúde no trabalho c...
 
Seminário stab 2013 comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
Seminário stab 2013   comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...Seminário stab 2013   comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
Seminário stab 2013 comum - 06. os impactos da nr12 e nr31 no setor sucroen...
 
Seminário stab 2013 comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013   comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...Seminário stab 2013   comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013 comum - 05. variabilidade climática e perspectivas para...
 
Seminário stab 2013 comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013   comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...Seminário stab 2013   comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
Seminário stab 2013 comum - 04. variabilidade climática e perspectivas para...
 
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
 
Seminário stab 2013 comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
Seminário stab 2013   comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...Seminário stab 2013   comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
Seminário stab 2013 comum - 02. bonsucro - padrão internacional de sustenta...
 
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...Seminário stab 2013   comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
Seminário stab 2013 comum - 01. a cana de açúcar e o meio ambiente - alfred...
 

Seminário stab 2013 industrial - 06. utilização da palha de cana como incremento na receita industrial - lourivaldo leal (usina santa teresa)

  • 1. Companhia Agro Industrial de Goiana – CAIG Usina Santa Teresa Utilização da Palha de Cana como Incremento na Receita Industrial Olinda, Abril de 2013
  • 2. A Indústria Sucroenergética O Setor Sucroenergético vem sendo muito penalizado pelo Governo Federal, amargando nos últimos anos uma série de resultados ruins. Para se ter uma ideia, a produção de etanol cresceu algo em torno de 30% no Brasil nos últimos cinco anos, enquanto nos EUA, o etanol de milho duplicou sua produção no mesmo período. Enquanto lá a produção foi alavancada por estímulos do governo, que se comprometeu, por lei, a fixar o preço do etanol até 2022. Aqui, o Governo congelou o preço da gasolina por oito anos, sacrificando profundamente as finanças da “Petrobras”, desestimulando o uso do etanol pelo consumidor em função da concorrência Gasolina/Álcool. O consumo, a produção e os investimentos recuaram e a indústria da cana entrou em um período de crise, mas o etanol não foi o único elo negligenciado da cadeia. No Setor Elétrico, o risco eminente de desabastecimento causado pelos baixos níveis dos reservatórios hidroelétricos fez com que todas as centrais termoelétricas movidas a petróleo fossem acionadas elevando o custo da energia no mercado.
  • 3. Sabemos também que as linhas de transmissão para conectar parques eólicos ao sistema integrado estão atrasadas. Uma Bioenergética gera 1 KW pela metade do preço das térmicas movidas a combustíveis fosseis. O tempo de implantação chega a ser 5 vezes menor, o retorno do capital investido em 6 anos, metade do tempo de retorno em investimentos industriais. Os custos com transmissão são menores e mais rápidos, pois na maioria das vezes estamos próximos das redes de transmissão e é só acoplar. Sem falar no baixo impacto ambiental próximo de zero. Na verdade dispomos de um resíduo industrial abundante e renovável próximo ao local de produção. Mesmo com produção limitada, a energia da cana economizou 5% das águas dos reservatórios durante a seca em 2011. Até 2020 14000 MW poderão ser agregados, o equivalente a uma Itaipu, a maior Hidroelétrica nacional.
  • 4. Usinas que Comercializam Eletricidade no Brasil
  • 5. Duto direcionador de palha Ventilador auxiliar nº 01 Ventilador auxiliar nº 02 Esteira de palha
  • 6. Peneira rotativa Picador de Palha Moegas Transporte da palha picada Esteira Esteira
  • 7. Características Técnicas dos Equipamentos EQUIPAMENTO CAPACIDADE EM TON/H POTÊNCIA INSTALADA EM (CV) PROJETO CUSTO DE IMPLANTAÇÃO EM (R$) ESTAÇÃO DE LIMPEZA 01 (CANA PICADA) 150 650 CUBANO 2.925.000 ESTAÇÃO DE LIMPEZA 02 (CANA PICADA) 250 750 CAIG 2.400.000 PENEIRA ROTATIVA 30 15 REDE SERVIÇE 120.000 PICADOR DE PALHA 25 400 DEMUTH 320.000 SISTEMA DE TRANSPORTE DE PALHA 30 50 METAL MECÂNICA 1.100.000 TOTAL - - - 6.545.000,00
  • 8. Dados Industriais A seguir faremos um resumo simples através de uma matriz de cálculo elaborada com dados recentes obtidos durante a safra. A qual nos dará suporte para realizarmos os cálculos e chegarmos ao valor final de receita, gerada pelo excedente de palha e bagaço existente dentro da unidade industrial.
  • 9. Moagem = 9.500 ton/dia; Efic.de moagem = 90%; Dias de moagem = 145; Bagaço/ ton de cana = 325 kg; Impureza vegetal = 3,35%; Efic. Estações de limpeza = 85%. Quantidade de bagaço/dia 9500 x 325 x 0,9 = 2.778,75 ton. Quantidade de bagaço/safra 2.778,75 x 145 = 402.918,75 ton. Quantidade de palha/dia 9500 x 0,0335 x 0,9 = 286,42 ton. Quantidade de palha/ safra 286,42 x 145 = 41.530,9 ton. Palha retirada nas estações/dia 286,42 x 0,85 = 243,5 ton. Vapor /h caldeira nº 01 = 130 ton/ h; Vapor /h caldeira nº 02 = 100 ton/ h; Vapor /h caldeira nº 03 = 70 ton/ h; Pressão = 21 kgf/cm²; Efic. das caldeiras = 85%; Kg vapor/ kg bagaço = 2,3. Produção de vapor/ dia 237,2 x 24 = 5.693 ton. Consumo de bagaço/dia 5.693 / 2,3 = 2.475 ton. Sobra de bagaço/dia 2.778,5 – 2.475 = 303,5 ton. Sobra de bagaço/ safra 303,5 x 145 = 44.007,5 ton. Sobra de (palha + bagaço)/dia 303,5 + 243,5 = 547 ton. Sobra de (palha + bagaço)/safra 547 x 145 = 79.315 ton.
  • 10. Dados Industriais Diante dos dados expostos no slide anterior, considerando o preço da tonelada de bagaço em torno de R$ 62,00 e fixando o valor do MW/h em R$ 273,52 para uma unidade que gera um excedente de energia de 2.352 MW/mês, teríamos a seguinte receita adicional ao fim de 5 meses de safra: Receita bagaço (R$) = 79.315 ton x 62,00 = 4.917.530,00. Receita energia (R$) = 2.352 x 5 x 273,52 = 3.216.595,00. Receita total (R$) = 8.134.125,00.
  • 11.
  • 12.
  • 13. Variação de Preço do MWh 0 100 200 300 400 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 jan/13 fev/13 mar/13 Média 119,08 183,30 294,82 375,54 253,24 409,76 212,59 339,84 273,52 Valor em (R$) do MW/h
  • 14. Fontes Consultadas REVISTA OPINIÕES – O Potencial Biomassa, jan – mar/ 2013. Disponível no site: http:// www.revistaopiniões.com.br. REVISTA OPINIÕES – Bagaço: uma opção estratégica, jan – mar/ 2013. Disponível no site: http:// www.revistaopiniões.com.br. SINDAÇUCAR – O Setor Sucroenergético no Brasil. Disponível no site: http// www.sindacucar.com.br. JORNAL CANA – Palha da Cana Continua a Revelar Baú de Utilidades, março/2013. Disponível no site: http:// www.jornalcana.com.br. REVISTA IDEA NEWS – Mini Mapa da Bioeletricidade de Cana do Brasil 2011, maio/2011. Disponível no site: http:// www.revistaideanews.com.br.
  • 15. Agradecimento A Equipe Técnica da Usina Santa Teresa e a todos que contribuíram para realização deste trabalho.