Literatura slides

6.850 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.850
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
470
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
259
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Literatura slides

  1. 1. Barroco•Sucedeu o Renascimento – abrangendo ofinal do século XVI ao final do século XVIII.•Manifestações culturais e artísticas europeiase latino-americanas.• O momento final do Barroco, o Rococó éconsiderado um barroco exagerado eexuberante, e para alguns, a decadência domovimento.
  2. 2. Em sua estética, o barroco revela:• a busca da novidade e da surpresa;•o gosto pela dificuldade, pregando a ideia de que senada é estável tudo deve ser decifrado;•a tendência ao artifício e ao engenho;• a noção de que no inacabado reside o ideal supremode uma obra artística.A literatura barroca se caracteriza pelo uso dalinguagem dramática expressa no exagero de figurasde linguagem, de hipérboles, metáforicos, anacolutos eantíteses.
  3. 3. Portugal → chamado Seiscentismo (por ter sidoestilo que teve início no final do século XVI)•tem como marco inicial a Unificação daPenínsula Ibérica sob o domínio espanhol em1580 .• Estendeu até por volta da primeira metade doséculo XVIII, → ocorre a fundação da ArcádiaLusitana, em 1756 e tem início o Arcadismo.
  4. 4. corresponde a um período de grande turbulência político-econômica, social, e principalmente religiosa.A incerteza e a crise tomam conta da vida portuguesa.Fatos importantes:•o término do Ciclo das Grandes Navegações,•a Reforma Protestante, liderada por Lutero (na Alemanha) e Calvino (naFrança) e•o Movimento Católico de Contra-Reforma, marcam o contexto histórico doperíodo e colaboram com a criação do "Mito do Sebastianismo", crençasegundo a qual D. Sebastião, rei de Portugal (aquele a quem Camõesdedicou Os Lusíadas), não havia morrido, em 1578, na Batalha de AlcácerQuibir, mas que estava apenas "encoberto" e que voltaria para transformarPortugal no Quinto Império de que falam as Escrituras Sagradas.
  5. 5. O Barroco brasileiro teve seu marco com opoema épico, Prosopopeia de Bento Teixeira(1601).Há dúvidas quanto à origem do poeta, estudosliterários recentes afirmam que ele nasceu emPortugal, porém viveu grande parte de suavida no Brasil, em Pernambuco.
  6. 6. As principais características :Dualismo: O Barroco é a arte do conflito, docontraste. Reflete a intensificação dobifrontismo (o homem dividido entre a herançareligiosa e mística medieval e o espíritohumanista, racionalista do Renascimento).•É a expressão do contraste entre as grandesforças reguladoras da existência humana: fé xrazão; corpo x alma; Deus x Diabo; vida xmorte, etc. Esse contraste será visível em todaa produção barroca, é frequente o jogo, ocontraste de imagens, de palavras e deconceitos.
  7. 7. •O artista barroco não deseja apenas expor oscontrários, ele quer conciliá-los, integrá-los.Daí ser frequente o uso de figuras delinguagem que buscam essa unidade, essafusão.Fugacidade: De acordo com a concepçãobarroca, no mundo tudo é passageiro einstável, as pessoas, as coisas mudam, o mundomuda. O autor barroco tem a consciência docaráter efêmero da existência.
  8. 8. Pessimismo: Essa consciência da transitoriedade davida conduz frequentemente à idéia de morte, tidacomo a expressão máxima da fugacidade da vida. Aincerteza da vida e o medo da morte fazem da artebarroca uma arte pessimista, marcada por umdesencantamento com o próprio homem e com omundo.Feísmo: No Barroco encontramos uma atração porcenas trágicas, por aspectos cruéis, dolorosos egrotescos. As imagens frequentemente sãodeformadas pelo exagero de detalhes. Há nessemomento uma ruptura com a harmonia, com oequilíbrio e a sobriedade clássica.
  9. 9. Cultismo: jogo de palavras, o uso culto dalíngua, predominando inversões sintáticas. Conceptismo: jogo de raciocínio e de retóricaque visa melhor explicar o conflito dos opostos.Linguagem rebuscada e trabalhada aoextremo, usando muitos recursosestilísticos, figuras de linguagem esintaxe, hipérboles, metáforas, antíteses eparadoxos.Literatura moralista, já que era usada pelospadres jesuítas para pregar a fé e a religião.
  10. 10. Antropocentrismo x Teocentrismo (homem XDeus, carne X espírito).Conflito existencial gerado pelo dilema dohomem dividido entre o prazer pagão e a féreligiosa.
  11. 11. Barroco IbéricoO barroco ibérico diz que há dois modos de seconhecer a realidade:Cultismo - descrição simples de objetos usandouma linguagem rebuscada, culta eextravagante, jogo de palavras (paradoxo), com umainfluência visível do poeta espanhol Luís de Gôngora(aí o estilo ser chamado também de Gongorismo).Caracterizado também pelo grande uso no empregode figuras de linguagem comometáforas, antíteses, hipérboles, anáforas, etc.
  12. 12. Conceptismo - marcado pelo jogo deideias, de conceitos, seguindo um raciocíniológico, racionalista e que utiliza uma retóricaaprimorada.Os conceptistas pesquisavam a essênciaíntima dos objetos, buscando saber o quesão, assim, a inteligência, lógica e raciocínioocupam o lugar dos sentidos.Assim, é muito comum a presença deelementos da lógica formal como o silogismo eo sofisma.
  13. 13. Autores representativos:Brasileiros:Gregório de Matos, representando a vértice cultistado barroco;Poesia religiosa - Apresenta uma imagem quase queexclusiva: o homem ajoelhado diante deDeus, implorando perdão para os pecadoscometidos.Bento Teixeira Pinto; Manuel Botelho de OliveiraPadre António Vieira e Frei Manuel de Santa MariaItaparica
  14. 14. Portugueses:Padre António Vieira, representando a vérticeconceptista do Barroco.
  15. 15. Literatura barroca no BrasilIntroduzida pelos portugueses, quando não haviauma produção cultural significante no país.Refletindo a literatura portuguesa, a produçãoliterária nesse período não é reconhecida comogenuinamente nacional, mas um estilo absorvido eresultante do período colonial.Sua linguagem é rebuscada e ambígua.Caracteriza-se por utilizar largamente figuras delinguagem: metáfora; antítese; o paradoxo; e asinestesia.
  16. 16. Contexto históricoNos séculos XVII e XVIII, ainda não havia no Brasilcondições para o desenvolvimento de uma atividadeliterária propriamente dita. O imenso território era, na maior parte, despovoado. Avida social brasileira girava em torno de algunspequenos núcleos urbanos e a vida culturalpraticamente não existia.
  17. 17. As pessoas letradas que viviam nas mesmascidades reuniam-se para conversar e mostrar, unsaos outros, os textos que eventualmente tivessemescrito (poesias, artigos, ensaios etc.).Só no século XIX começou a formar-se um públicoleitor que possibilitou a continuidade da produçãoliterária.SurgimentoEm vista dessa precariedade cultural da sociedadebrasileira, seria exagero falar em movimento barroco noBrasil.
  18. 18. O que temos, na verdade, são algunsescritores que, bebendo em fontesestrangeiras (geralmente autores portuguesese espanhóis), produzem aqui textos comcaracterísticas barrocas.Desses escritores merecem destaqueGregório de Matos, por suas poesias, e opadre Antônio Vieira, por seus sermões.
  19. 19. Além deles, temos Bento Teixeira (1561-1600), autor do poema Prosopopéia, de1601, que costuma ser considerado o marcoinicial do Barroco brasileiro,e Manuel Botelho de Oliveira (1636-1711), autor do livro Música do Parnaso.
  20. 20. Literatura barroca no BrasilIntroduzida pelos portugueses, quando não haviauma produção cultural significante no país.Refletindo a literatura portuguesa, a produçãoliterária nesse período não é reconhecida comogenuinamente nacional, mas um estilo absorvido eresultante do período colonial.Sua linguagem é rebuscada e ambígua.Caracteriza-se por utilizar largamente figuras delinguagem: metáfora; antítese; o paradoxo; e asinestesia.
  21. 21. Literatura barroca no BrasilIntroduzida pelos portugueses, quando não haviauma produção cultural significante no país.Refletindo a literatura portuguesa, a produçãoliterária nesse período não é reconhecida comogenuinamente nacional, mas um estilo absorvido eresultante do período colonial.Sua linguagem é rebuscada e ambígua.Caracteriza-se por utilizar largamente figuras delinguagem: metáfora; antítese; o paradoxo; e asinestesia.

×