SlideShare uma empresa Scribd logo
CONTABILIDADE, FINANÇAS E ANÁLISE DE INVESTIMENTOS
A contabilidade é fundamental na vida econômica das empresas. Com ela, o empresário pode manter e ampliar seu negócio, através da avaliação de informações precisas, que o ajudarão na gestão e melhor desempenho de suas atividades, com tomada de decisões mais seguras. Mesmo nas empresas mais simples, é necessário manter o controle dos ativos e de suas obrigações, pois o mercado está cada vez mais competitivo, e  exige que as organizações estejam mais bem preparadas. A contabilidade se torna ainda mais importante, uma vez que a Receita Federal do Brasil, Secretarias Estaduais e Municipais de Fazenda aumentaram a exigência das obrigações, além dos diversos cruzamentos de informações. Estes, são realizados com o objetivo de descobrir irregularidades, sendo o contribuinte intimado a esclarecer eventuais dúvidas apuradas por este enorme sistema que se criou no país. O entendimento do Fisco é que até que prove o contrario, o contribuinte cometeu uma falha e apresenta débitos tributários a recolher. Assim,  torna-se indispensável que o setor de contabilidade de sua empresa tenha todo controle dos tributos apurados, e que de igual forma, os arquivos da empresa estejam extremamente organizados, para que o atendimento das intimações ocorra sem maiores problemas.
Recomendamos alguns passos que deverão ser seguidos, divididos em duas fases de grande relevância.  A primeira fase é a básica, ou seja, sem ela não temos condição de avançar para segunda fase e representa os requisitos mínimos de organização de uma empresa.
FASE I – BÁSICA 1 – Montagem ou alteração do setor de contabilidade 2 – Implantações de procedimentos financeiros, fiscais e RH 3 – Revisão ou constituição do arquivo da empresa 4 – Acompanhamento através de balancetes
Fase II- Avançada 5 – Planejamentos tributários 6 – Revisões dos custos trabalhistas 7 – Revisão das Obrigações Acessórias da empresa 8 – Integrações contábil e fiscal com módulos faturamento, estoque e financeiro. 9 – Revisões da metodologia e calculo da formação de preços
Fase I – BÁSICA 1 – Montagem ou alteração do setor de contabilidade
O primeiro passo a tomar em relação à organização do setor de contabilidade, é determinar se a contabilidade será interna ou terceirizada. É tendência mundial a terceirização de serviços nas organizações, sejam eles quais forem. Atualmente terceiriza-se segurança, limpeza, transporte de funcionários, logística, a escrituração contábil e fiscal, o departamento de pessoal, a auditoria interna, etc. O objetivo é que qualquer serviço que não esteja diretamente ligado à atividade principal da empresa seja repassado a terceiros.       Em relação à contabilidade e os serviços afins, tais como a escrituração fiscal e departamento de pessoal, a terceirização já é uma prática consagrada. Empresas de serviços contábeis investem em equipamentos, treinamento, estruturas e novos serviços, e estão em plena expansão, oferecendo serviços de qualidade e adequados às diversas necessidades empresariais.  O mercado de prestação de serviços contábeis evoluiu bastante na última década. Isto permite às empresas, contar com uma variedade de formas de contratação, que vão desde a contratação de um valor mensal para execução de serviços descritos no contrato, até a alocação de profissionais na empresa para realização dos serviços, sob responsabilidade da empresa contratada.       Na escolha da assessoria contábil, não devemos levar em consideração apenas o melhor preço. A idoneidade da empresa contábil e a sua capacidade em atender às demandas sempre crescentes de obrigações fiscais, tributárias,
contábeis, trabalhistas e previdenciárias devem ser avaliadas detalhadamente.  A empresa contábil escolhida deverá estar preparada para atender todas as suas necessidades e passos relacionados nesta matéria.  Entretanto, destacamos a importância do papel do Administrador, que deverá ter condições de avaliar o trabalho desenvolvido pela Contabilidade, seja ela interna ou terceirizada. Pontos de grande relevância: a)     Estrutura física da empresa contábil – faça uma visita e verifique as instalações, a quantidade de colaboradores que estarão envolvidos em seu atendimento, a metodologia de execução dos serviços, pois o atendimento devera ser sempre continuo; b)    Verifique a rotina de entrega e retirada de documentos de sua empresa, conheça todo processo de arquivamento de documentos; c)     Verifique a forma de comunicação utilizada; d)    Os Softwares utilizados e a sua rotina de backup de dados; e)     Verificar também, junto ao Conselho Regional de Contabilidade, se a empresa contábil ou o profissional está devidamente registrado e em dia com suas obrigações perante o órgão;
f)      Outro detalhe é solicitar sempre proposta, por escrito e assinada, dos honorários e serviços compreendidos. Após a aprovação da proposta, é imprescindível a assinatura do contrato de serviços contábeis, estabelecendo as responsabilidades, prazos e demais convenções pactuadas. Afinal, a empresa estará entregando dados sigilosos (faturamento, custos, remunerações de pessoal, informações fiscais, extratos bancários, etc.) para serem processados. É imprescindível conhecer a capacidade técnica, a responsabilidade e, acima de tudo, a ética dos profissionais a quem estarão sendo entregues tais informações. g)     Uma vez escolhida a empresa que prestará os serviços de assessoria, deverá ficar claro que a mesma deverá estar presente em todas as etapas descritas nesta matéria, destacando que poderá haver a cobrança de honorários extraordinários para realização de alguns procedimentos. Ainda assim, ratificamos que nosso entendimento de que é essencial que a empresa escolhida apresente as condições para a realização das tarefas.
–  Implantação de Procedimentos relacionados aos setores financeiros, fiscal e de RH
Podemos ter uma boa estrutura operacional na empresa (financeiro, estoque e faturamento), e um ótimo prestador de serviços contábeis. No entanto, para que a parceria obtenha os resultados desejados para ambas as empresas, é necessário estabelecer a forma de execução dos serviços e como será feita a comunicação com a empresa de contabilidade.   Neste quesito, na contratação da assessoria contábil, deve ser acordada a realização de treinamento com os colaboradores, se possível com entrega de manuais, de forma que sua empresa possa operar com mais segurança.       No Brasil, há pouco começamos a dar importância aos métodos de administração. Os controles internos representam um conjunto coordenado de métodos e medidas, adotados pela empresa, para garantir a exatidão dos dados contábeis, promoverem a eficiência e até mesmo motivam as equipes. Exemplos: a)     No setor financeiro, deverão ser elaboradas cópias de cheques ou emissão de comprovantes de pagamentos realizados via Internet, sempre acompanhados de seus  respectivos comprovantes. É importante também implantar controles bancários e manter sua rotina de conciliação bancaria diária.  Devemos determinar como e quando a documentação será entregue à empresa contábil, etc.; b)     Na parte de pessoal, a empresa deverá ser orientada em relação a todos os procedimentos realizados como admissão, rescisão de contrato de trabalho, processamento de férias, processamento de folhas de pagamentos e programas que deverão cumprir.
3 – Revisão ou constituição do arquivo da empresa
Uma obrigação que passa despercebida pela empresa, mas que cria enorme dificuldade no cumprimento de solicitações internas ou externas: o arquivo dos documentos.   Manter os documentos em ordem é uma tarefa contínua e quase diária.  Sabemos que é grande a quantidade de documentos gerados pelas áreas contábil, fiscal e pessoal, somada ao enorme volume de documentos gerados internamente na empresa, o que contribui para dificultar a organização dos arquivos. Os profissionais responsáveis pela empresa devem receber orientação detalhada de como organizar e manter os arquivos, sendo tal procedimento previamente acertado com a empresa contábil no momento de sua contratação.
4 – Acompanhamentos através de balancetes
Com as rotinas de procedimentos implantadas, a empresa de assessoria contábil poderá elaborar os balancetes periódicos que deverão ser entregues com relatórios. De posse dos balancetes, a empresa poderá verificar a evolução dos resultados da empresa e tratar pendências que possam existir, como falta de prestação de conta de adiantamentos concedidos, documentos não validos para contabilização e outras pontos que deverão ser indicados no referido relatório. Na fase II, partiremos para implementações mais avançadas, pois já teremos dados suficientes que permitirão uma análise com critério e segurança, caso contrário os procedimentos a seguir não teriam o resultado pretendido.
Fase II – AVANÇADA 5 – Planejamento tributário e análise de investimentos
A sobrevivência do negócio requer que o empresário conheça os tributos incidentes sobre a sua atividade, buscando soluções seguras e legais para a diminuição da carga tributária, além de assegurar o correto cumprimento das obrigações fiscais, evitando multas e contingências fiscais. Atualmente temos inúmeros regimes de tributação, lucro real trimestral, lucro real anual, lucro presumido e o Simples Nacional.  Somente um profissional qualificado, após análise dos dados da empresa poderá indicar qual a melhor opção a ser adotada. Portanto, a sua assessoria contábil deverá estar preparada para realizar este serviço. Poderá haver a cobrança de honorários extras para tal realização, mas é importante que tal análise seja feita com ética e de forma transparente.  A perfeita gestão fiscal alcança redução de custos, ocasionando reflexos positivos na situação financeira e econômica da empresa. É sabido que a tributação (impostos, taxas e contribuições) é um dos principais itens na composição do preço final de qualquer produto, portanto um bom planejamento tributário representa um fator essencial dentro das estratégias de competitividade das empresas, e consequentemente permite ao empresário, dispor de uma sobra de lucros que poderão ser reinvestidos na empresa. Em relação à sobra de lucros, é importante aplicar de formas diversas o montante disponível para investimentos, considerando a possibilidade do risco de perda no caso dos fundos com perfil agressivo, bem como a estabilidade e segurança dos fundos mais conservadores. Isso permitirá à empresa uma melhor gestão de seu fluxo de caixa, e até mesmo a mudança de perfil de investimentos, conforme os resultados obtidos.
6 – Revisão dos custos trabalhistas
O empresário deve conhecer também o custo com encargos sociais e trabalhistas sobre a remuneração de empregados contratados. 
7 – Revisão das Obrigações Acessórias da empresa
Recomendamos a realização de um procedimento de revisão das DCTF, DIPJ e DACON e demais declarações dos últimos 05 (cinco) anos com objetivo de eliminar falhas de preenchimento ou diferenças em recolhimentos de tributos federais e estaduais. Isto evitará notificações por parte da Secretaria da Receita Federal, Secretaria Estadual de Fazenda ou execuções fiscais promovidas pela Procuradoria da União.  A revisão é fundamental, pois no futuro a empresa poderá se prejudicada pela falta de certidões negativas ou por cobranças indevidas do Fisco, gerando em alguns casos pagamentos em duplicidades de tributos.
8 – Integrações contábil e fiscal com módulos de faturamento, estoque e financeiro
Em diversas empresas, independentemente do porte, verificamos a prática de realizar inúmeros controles através de planilhas eletrônicas. No entanto, manter dados empresariais em planilhas, é um fator que  apresenta inúmeras desvantagens, tais como: a)     Passa a ser uma ferramenta pessoal; b)    Não apresenta integridade e segurança de dados; c)     É uma ferramenta lenta; d)    Não apresenta integração com toda a empresa. Em função da velocidade com que os fatos ocorrem atualmente, agregada  aos diversos cruzamentos que são realizados pelo Fisco, é fundamental que todas as informações estejam disponíveis para toda a empresa e para os parceiros estratégicos, como é o caso da empresa de contabilidade. Isto significa que uma vez emitida uma nota fiscal, este procedimento não deverá gerar reflexo somente no módulo de faturamento, mas também nos módulos : financeiro, estoque, fiscal e também na contabilidade. Teremos a garantia de que todos utilizam o mesmo banco de dados, e com isto as informações serão as mesmas em todas as partes da empresa.
9 – Revisão da metodologia e cálculo da formação de preços
Um ponto muito importante, é que a empresa tenha condições de formatar com segurança, uma tabela de precificação de seus produtos/serviços, estabelecendo inclusive uma margem de negociação de valores com seus clientes. .
Acreditamos que concluindo todos os passos anteriores o empresário terá condições seguras para revisar os cálculos de formação de preços, mas caso necessite de auxilio deverá encontrar ajuda na assessoria contábil contratada.
Agradecemos a todos pela participação, e esperamos ter contribuído com um pouco de nosso conhecimento, agregando informações que lhes serão importantes para o exercício da boa administração de um negócio. Agradecimentos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão Financeira para Empresas - Metodologia NBX
Gestão Financeira para Empresas - Metodologia NBXGestão Financeira para Empresas - Metodologia NBX
Gestão Financeira para Empresas - Metodologia NBX
Nibo
 
Apresentação vida vida
Apresentação vida vidaApresentação vida vida
Apresentação vida vida
Vida Nova Assessoria de Pessoal
 
Análise econômico financeira de uma organização
Análise econômico financeira de uma organizaçãoAnálise econômico financeira de uma organização
Análise econômico financeira de uma organização
Paulo Henrique Silva
 
Otoc manualeve0213 imparidades_e_inventariosguias_de_trasnporte_e_faturacao
Otoc manualeve0213 imparidades_e_inventariosguias_de_trasnporte_e_faturacaoOtoc manualeve0213 imparidades_e_inventariosguias_de_trasnporte_e_faturacao
Otoc manualeve0213 imparidades_e_inventariosguias_de_trasnporte_e_faturacao
Maria Santos
 
Apresentação Versus Assessoria Contábil
Apresentação Versus Assessoria ContábilApresentação Versus Assessoria Contábil
Apresentação Versus Assessoria Contábil
Versus Consultoria Empresarial
 
Elaboração Folha de Pagamento
Elaboração Folha de Pagamento Elaboração Folha de Pagamento
Elaboração Folha de Pagamento
vidanovaabc
 
Apresentação da HS CONTÁBIL
Apresentação da HS CONTÁBIL Apresentação da HS CONTÁBIL
Apresentação da HS CONTÁBIL
HS CONTÁBIL LTDA
 
Guia para o novo empresário
Guia para o novo empresárioGuia para o novo empresário
Guia para o novo empresário
razonetecontabil
 
Contabilidade basica
Contabilidade basicaContabilidade basica
Contabilidade basica
jfsead
 
ELABORBR - Plataforma de Integração
ELABORBR - Plataforma de IntegraçãoELABORBR - Plataforma de Integração
ELABORBR - Plataforma de Integração
Alan Pereira
 
Demonstrações Contábeis ITG 2002
Demonstrações Contábeis ITG 2002Demonstrações Contábeis ITG 2002
Demonstrações Contábeis ITG 2002
Renata Santana Santos
 
Apostila curso-lucro-real
Apostila curso-lucro-realApostila curso-lucro-real
Apostila curso-lucro-real
Carolina Tuloner
 
Contabilidade Gerencial
Contabilidade GerencialContabilidade Gerencial
Contabilidade Gerencial
Regiane Martins
 
Barros Consultores
Barros ConsultoresBarros Consultores
Barros Consultores
Barros Consultores
 
Nibo e Consultores.com.br _ Gestao financeira em 3 passos
Nibo e Consultores.com.br _ Gestao financeira em 3 passosNibo e Consultores.com.br _ Gestao financeira em 3 passos
Nibo e Consultores.com.br _ Gestao financeira em 3 passos
Nibo
 
Apresentação área tributária
Apresentação área tributáriaApresentação área tributária
Apresentação área tributária
Ardanaz Sociedade de Advogados
 
Apresentação araujo consultpp
Apresentação araujo consultppApresentação araujo consultpp
Apresentação araujo consultpp
Atelie Operaclass
 
Totvs construção e projetos
Totvs construção e projetosTotvs construção e projetos
Totvs construção e projetos
ottani1964
 
Software Totvs Construção e Projetos
Software Totvs Construção e ProjetosSoftware Totvs Construção e Projetos
Software Totvs Construção e Projetos
ottani1964
 
O Efeito OpenERP
O Efeito OpenERPO Efeito OpenERP
O Efeito OpenERP
Renato Lima
 

Mais procurados (20)

Gestão Financeira para Empresas - Metodologia NBX
Gestão Financeira para Empresas - Metodologia NBXGestão Financeira para Empresas - Metodologia NBX
Gestão Financeira para Empresas - Metodologia NBX
 
Apresentação vida vida
Apresentação vida vidaApresentação vida vida
Apresentação vida vida
 
Análise econômico financeira de uma organização
Análise econômico financeira de uma organizaçãoAnálise econômico financeira de uma organização
Análise econômico financeira de uma organização
 
Otoc manualeve0213 imparidades_e_inventariosguias_de_trasnporte_e_faturacao
Otoc manualeve0213 imparidades_e_inventariosguias_de_trasnporte_e_faturacaoOtoc manualeve0213 imparidades_e_inventariosguias_de_trasnporte_e_faturacao
Otoc manualeve0213 imparidades_e_inventariosguias_de_trasnporte_e_faturacao
 
Apresentação Versus Assessoria Contábil
Apresentação Versus Assessoria ContábilApresentação Versus Assessoria Contábil
Apresentação Versus Assessoria Contábil
 
Elaboração Folha de Pagamento
Elaboração Folha de Pagamento Elaboração Folha de Pagamento
Elaboração Folha de Pagamento
 
Apresentação da HS CONTÁBIL
Apresentação da HS CONTÁBIL Apresentação da HS CONTÁBIL
Apresentação da HS CONTÁBIL
 
Guia para o novo empresário
Guia para o novo empresárioGuia para o novo empresário
Guia para o novo empresário
 
Contabilidade basica
Contabilidade basicaContabilidade basica
Contabilidade basica
 
ELABORBR - Plataforma de Integração
ELABORBR - Plataforma de IntegraçãoELABORBR - Plataforma de Integração
ELABORBR - Plataforma de Integração
 
Demonstrações Contábeis ITG 2002
Demonstrações Contábeis ITG 2002Demonstrações Contábeis ITG 2002
Demonstrações Contábeis ITG 2002
 
Apostila curso-lucro-real
Apostila curso-lucro-realApostila curso-lucro-real
Apostila curso-lucro-real
 
Contabilidade Gerencial
Contabilidade GerencialContabilidade Gerencial
Contabilidade Gerencial
 
Barros Consultores
Barros ConsultoresBarros Consultores
Barros Consultores
 
Nibo e Consultores.com.br _ Gestao financeira em 3 passos
Nibo e Consultores.com.br _ Gestao financeira em 3 passosNibo e Consultores.com.br _ Gestao financeira em 3 passos
Nibo e Consultores.com.br _ Gestao financeira em 3 passos
 
Apresentação área tributária
Apresentação área tributáriaApresentação área tributária
Apresentação área tributária
 
Apresentação araujo consultpp
Apresentação araujo consultppApresentação araujo consultpp
Apresentação araujo consultpp
 
Totvs construção e projetos
Totvs construção e projetosTotvs construção e projetos
Totvs construção e projetos
 
Software Totvs Construção e Projetos
Software Totvs Construção e ProjetosSoftware Totvs Construção e Projetos
Software Totvs Construção e Projetos
 
O Efeito OpenERP
O Efeito OpenERPO Efeito OpenERP
O Efeito OpenERP
 

Destaque

teoria da administração
 teoria da administração  teoria da administração
teoria da administração
Lucasadm01
 
Tga 02 Curso
Tga 02 CursoTga 02 Curso
Tga 02 Curso
guest25496
 
2008S2 - Aula 06 - Gestão Financeira
2008S2 - Aula 06 - Gestão Financeira2008S2 - Aula 06 - Gestão Financeira
2008S2 - Aula 06 - Gestão Financeira
Paulo Felix Jr.
 
Aulas de Custos (Conceitos)
Aulas de Custos (Conceitos)Aulas de Custos (Conceitos)
Aulas de Custos (Conceitos)
Adriano Bruni
 
Princípios básicos do planejamento estratégico 2013
Princípios básicos do planejamento estratégico 2013Princípios básicos do planejamento estratégico 2013
Princípios básicos do planejamento estratégico 2013
Thiago Cabral
 
Telemarketing em números
Telemarketing em númerosTelemarketing em números
Telemarketing em números
giutoledo
 
5ª aula (telemarketing) (1)
5ª aula (telemarketing) (1)5ª aula (telemarketing) (1)
FinançAs
FinançAsFinançAs
FinançAs
luizjorges
 
Apostila teoria contabil
Apostila teoria contabilApostila teoria contabil
Apostila teoria contabil
zeramento contabil
 
6º aula (telemarketing)
6º aula (telemarketing)6º aula (telemarketing)
01.Debora Miceli - Planejamento Estratégico: Recapitulando...
01.Debora Miceli - Planejamento Estratégico: Recapitulando...01.Debora Miceli - Planejamento Estratégico: Recapitulando...
01.Debora Miceli - Planejamento Estratégico: Recapitulando...
Debora Miceli
 
Sistemas de telemarketing
Sistemas de telemarketingSistemas de telemarketing
Sistemas de telemarketing
Anselmo Lino Bispo
 
Introdução o que é telemarketing
Introdução  o que é telemarketingIntrodução  o que é telemarketing
Introdução o que é telemarketing
Isaac Martins
 
Aula Planejamento de Tempo em Projetos
Aula Planejamento de Tempo em ProjetosAula Planejamento de Tempo em Projetos
Aula Planejamento de Tempo em Projetos
Felipe Pereira
 
Gerenciamento de Projetos PMBOK cap6 tempo
Gerenciamento de Projetos PMBOK  cap6 tempoGerenciamento de Projetos PMBOK  cap6 tempo
Gerenciamento de Projetos PMBOK cap6 tempo
Fernando Palma
 
Empresa de call center
Empresa de call center Empresa de call center
Empresa de call center
Wallace Silva
 
Aula 3 telemarketing
Aula 3   telemarketingAula 3   telemarketing
Aula 3 telemarketing
Rodrigo Ribeiro Fraga
 
Contabilidade basica
Contabilidade basicaContabilidade basica
Contabilidade basica
Dayane Dias
 
Resumo para prova do módulo de marketing e telemarketing
Resumo para prova do módulo de marketing e telemarketingResumo para prova do módulo de marketing e telemarketing
Resumo para prova do módulo de marketing e telemarketing
Rodrigo Ribeiro Fraga
 
Teoria estruturalista 2012_01
Teoria estruturalista 2012_01Teoria estruturalista 2012_01
Teoria estruturalista 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 

Destaque (20)

teoria da administração
 teoria da administração  teoria da administração
teoria da administração
 
Tga 02 Curso
Tga 02 CursoTga 02 Curso
Tga 02 Curso
 
2008S2 - Aula 06 - Gestão Financeira
2008S2 - Aula 06 - Gestão Financeira2008S2 - Aula 06 - Gestão Financeira
2008S2 - Aula 06 - Gestão Financeira
 
Aulas de Custos (Conceitos)
Aulas de Custos (Conceitos)Aulas de Custos (Conceitos)
Aulas de Custos (Conceitos)
 
Princípios básicos do planejamento estratégico 2013
Princípios básicos do planejamento estratégico 2013Princípios básicos do planejamento estratégico 2013
Princípios básicos do planejamento estratégico 2013
 
Telemarketing em números
Telemarketing em númerosTelemarketing em números
Telemarketing em números
 
5ª aula (telemarketing) (1)
5ª aula (telemarketing) (1)5ª aula (telemarketing) (1)
5ª aula (telemarketing) (1)
 
FinançAs
FinançAsFinançAs
FinançAs
 
Apostila teoria contabil
Apostila teoria contabilApostila teoria contabil
Apostila teoria contabil
 
6º aula (telemarketing)
6º aula (telemarketing)6º aula (telemarketing)
6º aula (telemarketing)
 
01.Debora Miceli - Planejamento Estratégico: Recapitulando...
01.Debora Miceli - Planejamento Estratégico: Recapitulando...01.Debora Miceli - Planejamento Estratégico: Recapitulando...
01.Debora Miceli - Planejamento Estratégico: Recapitulando...
 
Sistemas de telemarketing
Sistemas de telemarketingSistemas de telemarketing
Sistemas de telemarketing
 
Introdução o que é telemarketing
Introdução  o que é telemarketingIntrodução  o que é telemarketing
Introdução o que é telemarketing
 
Aula Planejamento de Tempo em Projetos
Aula Planejamento de Tempo em ProjetosAula Planejamento de Tempo em Projetos
Aula Planejamento de Tempo em Projetos
 
Gerenciamento de Projetos PMBOK cap6 tempo
Gerenciamento de Projetos PMBOK  cap6 tempoGerenciamento de Projetos PMBOK  cap6 tempo
Gerenciamento de Projetos PMBOK cap6 tempo
 
Empresa de call center
Empresa de call center Empresa de call center
Empresa de call center
 
Aula 3 telemarketing
Aula 3   telemarketingAula 3   telemarketing
Aula 3 telemarketing
 
Contabilidade basica
Contabilidade basicaContabilidade basica
Contabilidade basica
 
Resumo para prova do módulo de marketing e telemarketing
Resumo para prova do módulo de marketing e telemarketingResumo para prova do módulo de marketing e telemarketing
Resumo para prova do módulo de marketing e telemarketing
 
Teoria estruturalista 2012_01
Teoria estruturalista 2012_01Teoria estruturalista 2012_01
Teoria estruturalista 2012_01
 

Semelhante a Contabilidade finanças e investimentos!

Apresentação Previdenciárias - CPRB Contribuição Receita Bruta - Desoneração ...
Apresentação Previdenciárias - CPRB Contribuição Receita Bruta - Desoneração ...Apresentação Previdenciárias - CPRB Contribuição Receita Bruta - Desoneração ...
Apresentação Previdenciárias - CPRB Contribuição Receita Bruta - Desoneração ...
Nivaldo L. Figueiredo
 
Estudo_exercicios_CRC.pdf
Estudo_exercicios_CRC.pdfEstudo_exercicios_CRC.pdf
Estudo_exercicios_CRC.pdf
GeraodeconhecimentoN
 
Institucional - ConsultFin Financeiro
Institucional - ConsultFin FinanceiroInstitucional - ConsultFin Financeiro
Institucional - ConsultFin Financeiro
Fabiana Fernandez
 
Amostra rotinas financeiras
Amostra rotinas financeirasAmostra rotinas financeiras
Amostra rotinas financeiras
Wellington Silva
 
Red&White E-SOCIAL 2014
Red&White E-SOCIAL 2014Red&White E-SOCIAL 2014
Red&White E-SOCIAL 2014
Pedro Saddi
 
Gestão Estratégica de Contas a Pagar
Gestão Estratégica de Contas a PagarGestão Estratégica de Contas a Pagar
Gestão Estratégica de Contas a Pagar
StyllusConsultoria
 
Benefícios da Contabilidade
Benefícios da ContabilidadeBenefícios da Contabilidade
Benefícios da Contabilidade
HS CONTÁBIL LTDA
 
Auditoria e Consultoria Contábil
Auditoria e Consultoria ContábilAuditoria e Consultoria Contábil
Auditoria e Consultoria Contábil
Contabilidade Serviços Especializados
 
Adm financeira
Adm financeiraAdm financeira
Adm financeira
Aline Avelar
 
Contabeis 6 e 7
Contabeis 6 e 7Contabeis 6 e 7
Contabeis 6 e 7
Arleno
 
Administracao financeira
Administracao financeiraAdministracao financeira
Administracao financeira
Universal.org.mx
 
Atps contabilidade intermediária
Atps   contabilidade intermediáriaAtps   contabilidade intermediária
Atps contabilidade intermediária
daianeareas
 
Apresentação do Curso de Gestao financeira
Apresentação do Curso de Gestao financeiraApresentação do Curso de Gestao financeira
Apresentação do Curso de Gestao financeira
IG CONSULTORIA
 
Resenha contabil
Resenha contabilResenha contabil
Resenha contabil
Reive
 
-Apresentação TCM - Contabilidade
-Apresentação TCM - Contabilidade-Apresentação TCM - Contabilidade
Planejamento Estratégico para Empresas em Geral
Planejamento Estratégico para Empresas em GeralPlanejamento Estratégico para Empresas em Geral
Planejamento Estratégico para Empresas em Geral
LucasMartins397455
 
Apresentação SeuApoio
Apresentação SeuApoioApresentação SeuApoio
Apresentação SeuApoio
SeuApoio
 
Apresentação 5ª Sessão.pptx
Apresentação 5ª Sessão.pptxApresentação 5ª Sessão.pptx
Apresentação 5ª Sessão.pptx
Oldegar Simoes
 

Semelhante a Contabilidade finanças e investimentos! (18)

Apresentação Previdenciárias - CPRB Contribuição Receita Bruta - Desoneração ...
Apresentação Previdenciárias - CPRB Contribuição Receita Bruta - Desoneração ...Apresentação Previdenciárias - CPRB Contribuição Receita Bruta - Desoneração ...
Apresentação Previdenciárias - CPRB Contribuição Receita Bruta - Desoneração ...
 
Estudo_exercicios_CRC.pdf
Estudo_exercicios_CRC.pdfEstudo_exercicios_CRC.pdf
Estudo_exercicios_CRC.pdf
 
Institucional - ConsultFin Financeiro
Institucional - ConsultFin FinanceiroInstitucional - ConsultFin Financeiro
Institucional - ConsultFin Financeiro
 
Amostra rotinas financeiras
Amostra rotinas financeirasAmostra rotinas financeiras
Amostra rotinas financeiras
 
Red&White E-SOCIAL 2014
Red&White E-SOCIAL 2014Red&White E-SOCIAL 2014
Red&White E-SOCIAL 2014
 
Gestão Estratégica de Contas a Pagar
Gestão Estratégica de Contas a PagarGestão Estratégica de Contas a Pagar
Gestão Estratégica de Contas a Pagar
 
Benefícios da Contabilidade
Benefícios da ContabilidadeBenefícios da Contabilidade
Benefícios da Contabilidade
 
Auditoria e Consultoria Contábil
Auditoria e Consultoria ContábilAuditoria e Consultoria Contábil
Auditoria e Consultoria Contábil
 
Adm financeira
Adm financeiraAdm financeira
Adm financeira
 
Contabeis 6 e 7
Contabeis 6 e 7Contabeis 6 e 7
Contabeis 6 e 7
 
Administracao financeira
Administracao financeiraAdministracao financeira
Administracao financeira
 
Atps contabilidade intermediária
Atps   contabilidade intermediáriaAtps   contabilidade intermediária
Atps contabilidade intermediária
 
Apresentação do Curso de Gestao financeira
Apresentação do Curso de Gestao financeiraApresentação do Curso de Gestao financeira
Apresentação do Curso de Gestao financeira
 
Resenha contabil
Resenha contabilResenha contabil
Resenha contabil
 
-Apresentação TCM - Contabilidade
-Apresentação TCM - Contabilidade-Apresentação TCM - Contabilidade
-Apresentação TCM - Contabilidade
 
Planejamento Estratégico para Empresas em Geral
Planejamento Estratégico para Empresas em GeralPlanejamento Estratégico para Empresas em Geral
Planejamento Estratégico para Empresas em Geral
 
Apresentação SeuApoio
Apresentação SeuApoioApresentação SeuApoio
Apresentação SeuApoio
 
Apresentação 5ª Sessão.pptx
Apresentação 5ª Sessão.pptxApresentação 5ª Sessão.pptx
Apresentação 5ª Sessão.pptx
 

Mais de Somat Contadores

Circular programa de regularização tributária somat contadores
Circular   programa de regularização tributária somat contadoresCircular   programa de regularização tributária somat contadores
Circular programa de regularização tributária somat contadores
Somat Contadores
 
Circular refis da copa mp 651 de 10jul2014
Circular refis da copa mp 651 de 10jul2014Circular refis da copa mp 651 de 10jul2014
Circular refis da copa mp 651 de 10jul2014
Somat Contadores
 
O papel do contador no novo milênio
O papel do contador no novo milênioO papel do contador no novo milênio
O papel do contador no novo milênio
Somat Contadores
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo V
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo VCircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo V
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo V
Somat Contadores
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo IV
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo IVCircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo IV
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo IV
Somat Contadores
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo III
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo IIICircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo III
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo III
Somat Contadores
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo II
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo IICircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo II
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo II
Somat Contadores
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo I
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo ICircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo I
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo I
Somat Contadores
 
Ponto eletrônico
Ponto eletrônicoPonto eletrônico
Ponto eletrônico
Somat Contadores
 
Empresa individual de responsabilidade limitada – EIRELI
Empresa individual de responsabilidade limitada – EIRELIEmpresa individual de responsabilidade limitada – EIRELI
Empresa individual de responsabilidade limitada – EIRELI
Somat Contadores
 
Importancia da escrituração contabil
Importancia da escrituração contabilImportancia da escrituração contabil
Importancia da escrituração contabil
Somat Contadores
 
Desde 1996 o limite do adicional de Imposto de Renda não sofre alteração.
Desde 1996 o limite do adicional de Imposto de Renda não sofre alteração.Desde 1996 o limite do adicional de Imposto de Renda não sofre alteração.
Desde 1996 o limite do adicional de Imposto de Renda não sofre alteração.
Somat Contadores
 
Circular cartao de ponto britanico
Circular cartao de ponto britanicoCircular cartao de ponto britanico
Circular cartao de ponto britanico
Somat Contadores
 
Portifolio somat
Portifolio somatPortifolio somat
Portifolio somat
Somat Contadores
 

Mais de Somat Contadores (14)

Circular programa de regularização tributária somat contadores
Circular   programa de regularização tributária somat contadoresCircular   programa de regularização tributária somat contadores
Circular programa de regularização tributária somat contadores
 
Circular refis da copa mp 651 de 10jul2014
Circular refis da copa mp 651 de 10jul2014Circular refis da copa mp 651 de 10jul2014
Circular refis da copa mp 651 de 10jul2014
 
O papel do contador no novo milênio
O papel do contador no novo milênioO papel do contador no novo milênio
O papel do contador no novo milênio
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo V
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo VCircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo V
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo V
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo IV
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo IVCircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo IV
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo IV
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo III
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo IIICircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo III
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo III
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo II
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo IICircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo II
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo II
 
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo I
Circular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo ICircular mudancas simples nacional  lei 139 2011 anexo I
Circular mudancas simples nacional lei 139 2011 anexo I
 
Ponto eletrônico
Ponto eletrônicoPonto eletrônico
Ponto eletrônico
 
Empresa individual de responsabilidade limitada – EIRELI
Empresa individual de responsabilidade limitada – EIRELIEmpresa individual de responsabilidade limitada – EIRELI
Empresa individual de responsabilidade limitada – EIRELI
 
Importancia da escrituração contabil
Importancia da escrituração contabilImportancia da escrituração contabil
Importancia da escrituração contabil
 
Desde 1996 o limite do adicional de Imposto de Renda não sofre alteração.
Desde 1996 o limite do adicional de Imposto de Renda não sofre alteração.Desde 1996 o limite do adicional de Imposto de Renda não sofre alteração.
Desde 1996 o limite do adicional de Imposto de Renda não sofre alteração.
 
Circular cartao de ponto britanico
Circular cartao de ponto britanicoCircular cartao de ponto britanico
Circular cartao de ponto britanico
 
Portifolio somat
Portifolio somatPortifolio somat
Portifolio somat
 

Contabilidade finanças e investimentos!

  • 1. CONTABILIDADE, FINANÇAS E ANÁLISE DE INVESTIMENTOS
  • 2. A contabilidade é fundamental na vida econômica das empresas. Com ela, o empresário pode manter e ampliar seu negócio, através da avaliação de informações precisas, que o ajudarão na gestão e melhor desempenho de suas atividades, com tomada de decisões mais seguras. Mesmo nas empresas mais simples, é necessário manter o controle dos ativos e de suas obrigações, pois o mercado está cada vez mais competitivo, e  exige que as organizações estejam mais bem preparadas. A contabilidade se torna ainda mais importante, uma vez que a Receita Federal do Brasil, Secretarias Estaduais e Municipais de Fazenda aumentaram a exigência das obrigações, além dos diversos cruzamentos de informações. Estes, são realizados com o objetivo de descobrir irregularidades, sendo o contribuinte intimado a esclarecer eventuais dúvidas apuradas por este enorme sistema que se criou no país. O entendimento do Fisco é que até que prove o contrario, o contribuinte cometeu uma falha e apresenta débitos tributários a recolher. Assim,  torna-se indispensável que o setor de contabilidade de sua empresa tenha todo controle dos tributos apurados, e que de igual forma, os arquivos da empresa estejam extremamente organizados, para que o atendimento das intimações ocorra sem maiores problemas.
  • 3. Recomendamos alguns passos que deverão ser seguidos, divididos em duas fases de grande relevância.  A primeira fase é a básica, ou seja, sem ela não temos condição de avançar para segunda fase e representa os requisitos mínimos de organização de uma empresa.
  • 4. FASE I – BÁSICA 1 – Montagem ou alteração do setor de contabilidade 2 – Implantações de procedimentos financeiros, fiscais e RH 3 – Revisão ou constituição do arquivo da empresa 4 – Acompanhamento através de balancetes
  • 5. Fase II- Avançada 5 – Planejamentos tributários 6 – Revisões dos custos trabalhistas 7 – Revisão das Obrigações Acessórias da empresa 8 – Integrações contábil e fiscal com módulos faturamento, estoque e financeiro. 9 – Revisões da metodologia e calculo da formação de preços
  • 6. Fase I – BÁSICA 1 – Montagem ou alteração do setor de contabilidade
  • 7. O primeiro passo a tomar em relação à organização do setor de contabilidade, é determinar se a contabilidade será interna ou terceirizada. É tendência mundial a terceirização de serviços nas organizações, sejam eles quais forem. Atualmente terceiriza-se segurança, limpeza, transporte de funcionários, logística, a escrituração contábil e fiscal, o departamento de pessoal, a auditoria interna, etc. O objetivo é que qualquer serviço que não esteja diretamente ligado à atividade principal da empresa seja repassado a terceiros.      Em relação à contabilidade e os serviços afins, tais como a escrituração fiscal e departamento de pessoal, a terceirização já é uma prática consagrada. Empresas de serviços contábeis investem em equipamentos, treinamento, estruturas e novos serviços, e estão em plena expansão, oferecendo serviços de qualidade e adequados às diversas necessidades empresariais.  O mercado de prestação de serviços contábeis evoluiu bastante na última década. Isto permite às empresas, contar com uma variedade de formas de contratação, que vão desde a contratação de um valor mensal para execução de serviços descritos no contrato, até a alocação de profissionais na empresa para realização dos serviços, sob responsabilidade da empresa contratada.       Na escolha da assessoria contábil, não devemos levar em consideração apenas o melhor preço. A idoneidade da empresa contábil e a sua capacidade em atender às demandas sempre crescentes de obrigações fiscais, tributárias,
  • 8. contábeis, trabalhistas e previdenciárias devem ser avaliadas detalhadamente.  A empresa contábil escolhida deverá estar preparada para atender todas as suas necessidades e passos relacionados nesta matéria. Entretanto, destacamos a importância do papel do Administrador, que deverá ter condições de avaliar o trabalho desenvolvido pela Contabilidade, seja ela interna ou terceirizada. Pontos de grande relevância: a)     Estrutura física da empresa contábil – faça uma visita e verifique as instalações, a quantidade de colaboradores que estarão envolvidos em seu atendimento, a metodologia de execução dos serviços, pois o atendimento devera ser sempre continuo; b)    Verifique a rotina de entrega e retirada de documentos de sua empresa, conheça todo processo de arquivamento de documentos; c)     Verifique a forma de comunicação utilizada; d)    Os Softwares utilizados e a sua rotina de backup de dados; e)     Verificar também, junto ao Conselho Regional de Contabilidade, se a empresa contábil ou o profissional está devidamente registrado e em dia com suas obrigações perante o órgão;
  • 9. f)     Outro detalhe é solicitar sempre proposta, por escrito e assinada, dos honorários e serviços compreendidos. Após a aprovação da proposta, é imprescindível a assinatura do contrato de serviços contábeis, estabelecendo as responsabilidades, prazos e demais convenções pactuadas. Afinal, a empresa estará entregando dados sigilosos (faturamento, custos, remunerações de pessoal, informações fiscais, extratos bancários, etc.) para serem processados. É imprescindível conhecer a capacidade técnica, a responsabilidade e, acima de tudo, a ética dos profissionais a quem estarão sendo entregues tais informações. g)     Uma vez escolhida a empresa que prestará os serviços de assessoria, deverá ficar claro que a mesma deverá estar presente em todas as etapas descritas nesta matéria, destacando que poderá haver a cobrança de honorários extraordinários para realização de alguns procedimentos. Ainda assim, ratificamos que nosso entendimento de que é essencial que a empresa escolhida apresente as condições para a realização das tarefas.
  • 10. – Implantação de Procedimentos relacionados aos setores financeiros, fiscal e de RH
  • 11. Podemos ter uma boa estrutura operacional na empresa (financeiro, estoque e faturamento), e um ótimo prestador de serviços contábeis. No entanto, para que a parceria obtenha os resultados desejados para ambas as empresas, é necessário estabelecer a forma de execução dos serviços e como será feita a comunicação com a empresa de contabilidade.   Neste quesito, na contratação da assessoria contábil, deve ser acordada a realização de treinamento com os colaboradores, se possível com entrega de manuais, de forma que sua empresa possa operar com mais segurança.      No Brasil, há pouco começamos a dar importância aos métodos de administração. Os controles internos representam um conjunto coordenado de métodos e medidas, adotados pela empresa, para garantir a exatidão dos dados contábeis, promoverem a eficiência e até mesmo motivam as equipes. Exemplos: a)     No setor financeiro, deverão ser elaboradas cópias de cheques ou emissão de comprovantes de pagamentos realizados via Internet, sempre acompanhados de seus respectivos comprovantes. É importante também implantar controles bancários e manter sua rotina de conciliação bancaria diária.  Devemos determinar como e quando a documentação será entregue à empresa contábil, etc.; b)     Na parte de pessoal, a empresa deverá ser orientada em relação a todos os procedimentos realizados como admissão, rescisão de contrato de trabalho, processamento de férias, processamento de folhas de pagamentos e programas que deverão cumprir.
  • 12. 3 – Revisão ou constituição do arquivo da empresa
  • 13. Uma obrigação que passa despercebida pela empresa, mas que cria enorme dificuldade no cumprimento de solicitações internas ou externas: o arquivo dos documentos.  Manter os documentos em ordem é uma tarefa contínua e quase diária.  Sabemos que é grande a quantidade de documentos gerados pelas áreas contábil, fiscal e pessoal, somada ao enorme volume de documentos gerados internamente na empresa, o que contribui para dificultar a organização dos arquivos. Os profissionais responsáveis pela empresa devem receber orientação detalhada de como organizar e manter os arquivos, sendo tal procedimento previamente acertado com a empresa contábil no momento de sua contratação.
  • 14. 4 – Acompanhamentos através de balancetes
  • 15. Com as rotinas de procedimentos implantadas, a empresa de assessoria contábil poderá elaborar os balancetes periódicos que deverão ser entregues com relatórios. De posse dos balancetes, a empresa poderá verificar a evolução dos resultados da empresa e tratar pendências que possam existir, como falta de prestação de conta de adiantamentos concedidos, documentos não validos para contabilização e outras pontos que deverão ser indicados no referido relatório. Na fase II, partiremos para implementações mais avançadas, pois já teremos dados suficientes que permitirão uma análise com critério e segurança, caso contrário os procedimentos a seguir não teriam o resultado pretendido.
  • 16. Fase II – AVANÇADA 5 – Planejamento tributário e análise de investimentos
  • 17. A sobrevivência do negócio requer que o empresário conheça os tributos incidentes sobre a sua atividade, buscando soluções seguras e legais para a diminuição da carga tributária, além de assegurar o correto cumprimento das obrigações fiscais, evitando multas e contingências fiscais. Atualmente temos inúmeros regimes de tributação, lucro real trimestral, lucro real anual, lucro presumido e o Simples Nacional.  Somente um profissional qualificado, após análise dos dados da empresa poderá indicar qual a melhor opção a ser adotada. Portanto, a sua assessoria contábil deverá estar preparada para realizar este serviço. Poderá haver a cobrança de honorários extras para tal realização, mas é importante que tal análise seja feita com ética e de forma transparente.  A perfeita gestão fiscal alcança redução de custos, ocasionando reflexos positivos na situação financeira e econômica da empresa. É sabido que a tributação (impostos, taxas e contribuições) é um dos principais itens na composição do preço final de qualquer produto, portanto um bom planejamento tributário representa um fator essencial dentro das estratégias de competitividade das empresas, e consequentemente permite ao empresário, dispor de uma sobra de lucros que poderão ser reinvestidos na empresa. Em relação à sobra de lucros, é importante aplicar de formas diversas o montante disponível para investimentos, considerando a possibilidade do risco de perda no caso dos fundos com perfil agressivo, bem como a estabilidade e segurança dos fundos mais conservadores. Isso permitirá à empresa uma melhor gestão de seu fluxo de caixa, e até mesmo a mudança de perfil de investimentos, conforme os resultados obtidos.
  • 18. 6 – Revisão dos custos trabalhistas
  • 19. O empresário deve conhecer também o custo com encargos sociais e trabalhistas sobre a remuneração de empregados contratados. 
  • 20. 7 – Revisão das Obrigações Acessórias da empresa
  • 21. Recomendamos a realização de um procedimento de revisão das DCTF, DIPJ e DACON e demais declarações dos últimos 05 (cinco) anos com objetivo de eliminar falhas de preenchimento ou diferenças em recolhimentos de tributos federais e estaduais. Isto evitará notificações por parte da Secretaria da Receita Federal, Secretaria Estadual de Fazenda ou execuções fiscais promovidas pela Procuradoria da União.  A revisão é fundamental, pois no futuro a empresa poderá se prejudicada pela falta de certidões negativas ou por cobranças indevidas do Fisco, gerando em alguns casos pagamentos em duplicidades de tributos.
  • 22. 8 – Integrações contábil e fiscal com módulos de faturamento, estoque e financeiro
  • 23. Em diversas empresas, independentemente do porte, verificamos a prática de realizar inúmeros controles através de planilhas eletrônicas. No entanto, manter dados empresariais em planilhas, é um fator que apresenta inúmeras desvantagens, tais como: a)     Passa a ser uma ferramenta pessoal; b)    Não apresenta integridade e segurança de dados; c)     É uma ferramenta lenta; d)    Não apresenta integração com toda a empresa. Em função da velocidade com que os fatos ocorrem atualmente, agregada aos diversos cruzamentos que são realizados pelo Fisco, é fundamental que todas as informações estejam disponíveis para toda a empresa e para os parceiros estratégicos, como é o caso da empresa de contabilidade. Isto significa que uma vez emitida uma nota fiscal, este procedimento não deverá gerar reflexo somente no módulo de faturamento, mas também nos módulos : financeiro, estoque, fiscal e também na contabilidade. Teremos a garantia de que todos utilizam o mesmo banco de dados, e com isto as informações serão as mesmas em todas as partes da empresa.
  • 24. 9 – Revisão da metodologia e cálculo da formação de preços
  • 25. Um ponto muito importante, é que a empresa tenha condições de formatar com segurança, uma tabela de precificação de seus produtos/serviços, estabelecendo inclusive uma margem de negociação de valores com seus clientes. .
  • 26. Acreditamos que concluindo todos os passos anteriores o empresário terá condições seguras para revisar os cálculos de formação de preços, mas caso necessite de auxilio deverá encontrar ajuda na assessoria contábil contratada.
  • 27. Agradecemos a todos pela participação, e esperamos ter contribuído com um pouco de nosso conhecimento, agregando informações que lhes serão importantes para o exercício da boa administração de um negócio. Agradecimentos