Teoria estruturalista 2012_01

18.049 visualizações

Publicada em

Material da Disciplina de Fundamentos da Administração Prof. Milton Henrique miltonh@terra.com.br

Publicada em: Negócios
0 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.049
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
590
Comentários
0
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria estruturalista 2012_01

  1. 1. Teoria Henrique do Couto Neto Milton Estruturalista miltonh@terra.com.br
  2. 2. Estrutura• As partes são reunidas em um arranjo de natureza estruturada e tornam-se subordinadas ao todo (estrutura) e qualquer modificação numa das partes implica em modificações nas demais partes e na relação entre elas.
  3. 3. Origens da Teoria Estruturalista• Oposição entre a Teoria Tradicional e a Teoria das Relações Humanas; Humanas Se nenhuma das duas teorias é perfeita, é preciso encontrar uma que atenda as necessidades das organizações.
  4. 4. Origens da Teoria Estruturalista• Necessidade de visualizar “a organização como uma unidade social grande e complexa, onde interagem grupos sociais”;
  5. 5. Origens da Teoria Estruturalista• Novo conceito de Estrutura, que é o conjunto formal de dois ou mais elementos e que permanece inalterado seja na mudança, seja na diversidade de conteúdos, isto é, a estrutura mantém-se mesmo com a alteração de dos seus elementos ou relações.
  6. 6. É a estrutura que permite reconhecer o mesmorio, embora suas águas jamais sejam as mesmas,devido a contínua mudança de todas as coisas.
  7. 7. A Sociedade das Organizações• Para os estruturalistas, a sociedade moderna é uma sociedade de organizações, das quais o homem passa a depender para nascer, viver e morrer;• O estruturalismo ampliou o estudo entre grupos sociais, iniciado pela Teoria das Relações Humanas, para o das interações entre as
  8. 8. Formas Tradicionais de Organização
  9. 9. Desenvolvimento das Sociedades• 1ᵃ Etapa da Natureza – Os elementos da natureza constituíam a base única de subsistência da Humanidade.
  10. 10. a d to ied en es o c vim s S old a nv se De • 2ᵃ Etapa do Trabalho – Os elementos da natureza passam a ser transformados através do trabalho, que conquista rapidamente o primeiro plano entre os elementos que concorrem para a vida da Humanidade.
  11. 11. Desenvolvimento das Sociedades• 3ᵃ Etapa do Capital – O capital prepondera sobre a natureza e o trabalho, tornando-se um dos fatores básicos da vida social.
  12. 12. Desenvolvimento das Sociedades• 4ᵃ Etapa da Organização – A natureza, o trabalho e o capital se submetem à organização.
  13. 13. As Organizações• Permeiam todos os aspectos da vida moderna e envolvem a participação de numerosas pessoas;• Cada organização é limitada por recursos escassos, e por isso não pode tirar vantagens de todas as oportunidades que surgem;• A eficiência é obtida quando a organização aplica seus recursos naquela alternativa que produz o melhor resultado.
  14. 14. As Organizações• As organizações são concebidas como unidades sociais intencionalmente construídas e reconstruídas, a fim de atingir objetivos específicos. Incluem: Excluem:As corporações As tribosOs exércitos As classesAs escolas Os grupos étnicosOs hospitais Os grupos de amigosAs Igrejas As famíliasAs prisões
  15. 15. HomemOrganizacional O Homem que desempenha papéis em diferentes organizações
  16. 16. O Homem Organizacional precisa de:• Flexibilidade, em face das constantes mudanças que ocorrem na vida moderna, bem como da diversidade dos papéis desempenhados nas diversas organizações.
  17. 17. O Homem Organizacional precisa de: • Tolerância às frustrações, para evitar o desgaste emocional decorrente do conflito entre necessidades organizacionais e necessidades individuais.
  18. 18. O HomemOrganizacional precisa de:• Capacidade de adiar as recompensas e poder compensar o trabalho rotineiro dentro da organização, em detrimento das preferências e vocações pessoais por outros tipos de atividade profissional.
  19. 19. O Homem Organizacional precisa de:• Permanente desejo de realização, para garantir a conformidade e cooperação com as normas que controlam e asseguram o acesso às posições de carreira dentro da organização, proporcionando recompensas e sansões sociais e materiais.
  20. 20. Análise das Organizações• A análise das organizações é feita a partir de uma abordagem multidisciplinar que leva em conta simultaneamente os fundamentos da Teoria Clássica, da Teoria das Clássica Relações Humanas e da Teoria da Burocracia. Burocracia
  21. 21. Análise das Organizações• Abordagem Múltipla envolve: →Tanto a organização formal como a organização informal; →Tanto recompensas salariais e materiais como as recompensas sociais e simbólicas; →Todos os diferentes níveis hierárquicos de uma organização; →Todos os diferentes tipos de organização; →A análise intra-organizacional e a análise interorganizacional.
  22. 22. Abordagem Múltipla: Organização Formal e Informal • Teoria Clássica • Organização Formal • Teoria das Relações Humanas • Organização Informal A organização formal refere-se ao padrão de organização determinado pela administração: o esquema de divisão do trabalho e poder de controle, as regras e regulamentos, o controle de qualidade, etc. A organização informal refere-se às relações sociais que se desenvolvem espontâneamente entre as pessoas, acima e além da formal.
  23. 23. Abordagem Múltipla: Recompensas Materiais e Sociais• O significado das recompensas salariais e sociais e tudo o que se inclui nos símbolos de posição (tamanho da mesa, vaga reservada no estacionamento, carro da empresa, etc.) é importante na vida de qualquer organização.
  24. 24. Abordagem Múltipla: Os Níveis da Organização• As organizações se defrontam com uma multiplicidade de problemas que sao classificados e categorizados para que a responsabilidade por sua solução seja atribuída a diferentes níveis hierárquicos da organização: – Nível Institucional; Institucional – Nível Gerencial; Gerencial – Nível Técnico. Técnico
  25. 25. Níveis da Organização Diretores Nível Institucional Decisões Gerentes e Nível Gerencial Chefes PlanosSupervisores Nível Técnicoe Executores Operações
  26. 26. Abordagem Múltipla: A Diversidade de Organizações• A partir do Estruturalismo, a Administração não ficou mais restrita às fábricas, mas passou a ser estendida a todos os tipos possíveis de organização;
  27. 27. Abordagem Múltipla: Análise Interorganizacional• A análise do comportamento interorganizacional tornou significativa a partir da crescente complexidade ambiental e da interdependência das organizações. Cada organização interage com o seu ambienteexterno e com as demais organizações nele contidas
  28. 28. Tipologias das Organizações • Etizione Amitai – Tipos de Controle Etizione • Blau e ScottPeter Blau Richard Scott – Beneficiários da Organização
  29. 29. Organizações segundo Etizione• As organizações possuem as seguintes características: – Divisão do Trabalho e Atribuição de Poder e Responsabilidade – Centros de Poder – Substituição de PessoalOrganizações como unidades artificiais planejadas e deliberadamente estruturadas para um fim específico, que se reestrutura de acordo com os resultados alcançados.
  30. 30. Meios de Controle• As organizações impõem uma distribuição de sanções e recompensas para garantir obediência às suas normas, regulamentos e ordens
  31. 31. Meios de Controle segundo Etizione• Controle Físico – Procura fazer com que as pessoas obedeçam através de ameaças de sanções físicas, da coação, da imposição, da força e do medo das consequências.
  32. 32. Meios de Controle segundo Etizione• Controle Material – É o controle baseado na aplicação de meios materiais e de recompensas materiais.
  33. 33. Meios de Controle segundo Etizione• Controle Normativo – É o controle baseado em símbolos puros ou em valores sociais. É o controle moral e ético, por excelência, e baseia-se na convicção, fé, crença e ideologia.
  34. 34. Padrão de Obediência x Tipo de Controle• Alienatório – O indivíduo não está psicologicamente interessado em participar, mas é coagido e forçado a permanecer na organização.
  35. 35. Padrão de Obediência x Tipo de Controle• Calculista – O indivíduo sente-se interessado na medida em que seus esforços tenham uma vantagem ou compensação econômica imediata.
  36. 36. Padrão de Obediência x Tipo de Controle• Moral – O indivíduo atribui valor à missão da organização e ao trabalho dentro dela, cumprindo-o da melhor forma possível por que lhe atribui valor.
  37. 37. Tipologia das Organizaçõessegundo Etizione• Organizações Coercitivas – O poder é imposto pela força física ou controles baseados em prêmios ou punições. – Utilizam força latente ou manifesta como o principal controle sobre os participantes de nível inferior. – Exemplos: Campos de concentração, prisões, instituições penais.
  38. 38. Tipologia das Organizações segundo Etizione• Organizações Utilitárias – O poder baseia-se no controle dos incentivos econômicos. – Utilizam a remuneração como base principal de controle. – Exemplos: Empresas e comércio.
  39. 39. Tipologia dasOrganizaçõessegundo Etizione• Organizações Normativas – O poder baseia-se no consenso sobre obetivos e métodos da organização. – Utilizam controle moral como a principal entre os participantes. – Exemplos: Igrejas, Universidades, Hospitais, Organizações Políticas e Sociais.
  40. 40. Comportamento dos Participantes Tipo de Poder Utilizado:Normativo Utilitário Coercitivo Padrão de Obediência ad o list a ral Encontrado: e n alc u Mo Ali C
  41. 41. Beneficiários das Organizações• Blau e Scott apresentam uma tipologia baseada em quem se beneficia com a organização: – Os próprios membros da organização; – Os proprietários, dirigentes ou acionistas da organização; – Os clientes da organização; – O público em geral.
  42. 42. Tipologia segundo Blau e Scott • Associações de Benefícios Mútuos – O beneficiário principal são os próprios membros da organização. – São exemplos: as associações de classe, as cooperativas, os sindicatos, os consórcios,etc.
  43. 43. Tipologia segundo Blau e Scott• Organizações de Interesse Comerciais – Os proprietários ou acionistas são os principais beneficiários da organização. – São exemplos: as empresas privadas.
  44. 44. Tipologia segundo Blau e Scott• Organizações de Serviços – Um grupo de cliente é o beneficiário principal da organização. – São exemplos: hospitais, universidades, escolas, organizações religiosas, etc.
  45. 45. Tipologia segundo Blau e Scott • Organizações de Estado – O beneficiário principal da organização é o público em geral. – São exemplos: organização militar, correios, instituições jurídicas e penais, segurança pública, saneamento básico, etc.
  46. 46. Ambiente Organizacional• Nenhuma organização é autônoma ou auto-suficiente;• Toda organização depende de outras organizações e da sociedade em geral para sobreviver;• Cada organização desenvolve estratégias para lidar com o seu ambiente. ambiente Outras Organizações!
  47. 47. Ambiente Organizacional• Estratégia de Competição – É a forma de rivalidade entre 2 ou mais organizações mediada por um terceiro grupo. – No caso de uma indústria, este terceiro grupo pode ser o comprador, o fornecedor, etc.
  48. 48. Ambiente Organizacional• Estratégia de Ajuste ou Negociação – É uma estratégia que busca negociações para um acordo quanto à troca de bens ou serviços entre 2 ou mais organizações.
  49. 49. Ambiente Organizacional• Estratégia de Coopção ou Cooptação – É um processo para absorver novos elementos estranhos na liderança ou no esquema da tomada de decisões de uma organização, como forma de evitar um mal maior que ameace sua estabilidade ou existência. De maneira simplificada, funciona como uma intervenção
  50. 50. AmbienteOrganizacional• Estratégia de Coalizão – Refere-se à combinação de 2 ou mais organizações para alcançar um objetivo comum.
  51. 51. Conflitos Organizacionais• Para os estruturalistas, os conflitos são elementos geradores das mudanças e do desenvolvimento da organização.• Conflito significa a existência de ideias, sentimentos, atitudes ou interesses antagônicos e colidentes que podem se chocar.
  52. 52. Conflito e CooperaçãoConflito e cooperação são elementosintegrantes da vida de uma organização.São dois lados de uma mesma moeda,sendo que ambos estãoinseparavelmente ligados na prática.
  53. 53. Conflito e Cooperação
  54. 54. ConflitoOrganizacional (Etizione)Autoridade do Especialista (Conhecimento) XAutoridade Administrativa (Hierarquia)
  55. 55. Conflito Organizacional (Etizione) • Organizações Especializadas – Universidades, escolas, organizações de pesquisa, hospitais, nas quais o conhecimento é criado e aplicado na organização criada exatamente para esse objetivo. – Relação invertida: os administradores cuidam das atividades secundárias, enquanto os especialistas detêm a principal autoridade. Cabe aos administradores o aconselhamento.
  56. 56. Conflito Organizacional (Etizione)• Organizações não-especializadas – Empresas e o exército, nas quais o conhecimento é instrumental e subsidiário para o alcance dos objetivos. – Os especialistas estão subordinados à autoridade dos administradores, pois estes sinonizam melhor os objetivos da organização relacionados com o lucro.
  57. 57. Conflito Organizacional (Etizione)• Organizações de Serviços – Empresas de consultoria e assessoria, centros de pesquisa e desenvolvimento, nos quais os especialistas recebem instrumentos e recursos para o seu trabalho mas não são empregados da organização e nem estão subordinados aos administradores. – Os especialistas sentem que perdem seu tempo com trabalho administrativo, que é depreciado neste tipo de organização.
  58. 58. Dilemas da Organização Conflito Enquanto o conflito representa um choque de interesses antagônicos, o dilema representa uma situação frente a dois interesses inconciliáveis Dilema entre si. Escolhas entre alternativas nas quais algum objetivo terá que ser sacriicado no interesse de algum outro.
  59. 59. Coordenação X Comunicação LivreDilemas da Organização (Blau e Scott)
  60. 60. Dilemas da Organização (Blau e Scott)• Coordenação X Comunicação Livre – A livre comunicação proporciona um desempenho superior dos indivíduos tomados isoladamente quando em atividades de solução de problemas, porém um desempenho inferior dos indivíduos agrupados quando a atividade é de coordenação.
  61. 61. Dilemas da Organização(Blau e Scott) Disciplina Burocrática X Especialização Profissional
  62. 62. Dilemas da Organização (Blau e Scott)• Disciplina Burocrática X Especialização Profissional – A autoridade do profissional se baseia no conhecimento da especialização técnica, enquanto a autoridade do burocrata se baseia em um contrato legal. Burocrata X Especialista
  63. 63. Dilemas da Organização (Blau e Scott) Planejamento Centralizado X Iniciativa Individual
  64. 64. Planejamento Centralizado X Iniciativa Individual – Quanto maior o planejamento centralizado tanto menor a iniciativa e a criatividade individual e vice versa.Dilemas da Organização (Blau e Scott)
  65. 65. Dilemas: entre ORDEM e LIBERDADE LIBERDADE LIBERDADE Coordenação Comunicação Livre Disciplina Especialização Burocrática ProfissionalORDEM Planejamento Iniciativa Centralizado Individual

×