SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
“A TERRA CONTA A
SUA HISTÓRIA”
Trabalho realizado por:
O QUE SÃO FÓSSEIS?
 Fósseis são
restos de
seres vivos ou
vestígios da
sua atividade
conservados
em rochas
cuja formação
foi
contemporâne
a a esses
seres.
TIPOS DE FOSSEIS
Existem dois tipos de fósseis:
os somatofósseis e os
icnofósseis.
Somatofóssil: Fóssil de restos
corporais de organismos do passado.
Icnofóssil: Fóssil de vestígios de
atividade biológica de organismos do
passado
PROCESSOS DE FOSSILIZAÇÃO
Mumificação ou conservação
A mumificação é o mais raro processo de
fossilização.
Pode ser:
Total - Quando o ser vivo é envolvido por uma
substância impermeável que impede a sua
decomposição.
Por exemplo: resina, gelo, âmbar…
Parcial - Quando as formações duras dos
organismos permanecem incluídas nas rochas por
resistirem à decomposição.
Por exemplo: carapaças, conchas…
MINERALIZAÇÃO
Este processo, consiste completamente na
substituição gradual dos restos orgânicos de
um ser vivo por matéria mineral, rocha, ou
na formação de um molde desses restos,
mantendo com alguma perfeição as
características do ser.
MOLDAGEM
Consiste no desaparecimento total das partes
moles e duras do ser vivo, ficando nas rochas
um molde das suas partes duras. O molde pode
ser:
Molde externo - quando a parte exterior do ser
vivo desaparece deixando a sua forma gravada
nas rochas que o envolveram.
Molde interno - os sedimentos entram no interior
da parte dura e quando esta desaparece fica o
molde da parte interna.
MARCAS
 É o tipo de fossilização mais abundante em
que permanecem vestígios deixados pelos
seres vivos, uma vez que é o mais fácil e
simples de aparecer.
Exemplos: pegadas, ovos…
RECRISTALIZAÇÃO
 Ocorre um rearranjo da estrutura do ser,
ficando assim com mais estabilidade.
CARBONIFICAÇÃO
Sucede quando se dá perda de substâncias
voláteis, restando apenas uma película de
carbono. É mais frequente surgir em restos
de seres vivos que contêm quitina, celulose
ou queratina.
INCRUSTAÇÃO
Ocorre quando substâncias trazidas pelas
águas se infiltram no subsolo e se depositam
à volta do fóssil, revestindo-o.
Moldes e traços de fósseis
Um molde de fóssil é formado por fluidos infiltrados que
dissolvem os restos de um organismo, criando um
buraco na rocha . Se esse buraco for preenchido com
minerais, é chamado de molde fóssil. Se o enterro do
organismo for rápido, são grandes as chances de que até
mesmo as impressões de tecidos moles permaneçam.
Traços fósseis são os restos de caminhos, enterros,
pegadas, ovos, conchas, ninhos e fezes . Os últimos,
chamados coprólitos, podem fornecer uma ideia da
alimentação do animal, tendo assim, grande
importância.
FÓSSEIS EM RESINA
 Fósseis conservados em resina são um
exemplo de mumificação. Animais menores,
como insectos, aranhas e pequenos lagartos,
quando presos em resina ou âmbar, que é
produzido por certas árvores, ficam
praticamente intactos por milhares de anos.
FÓSSIL VIVO
 "Fóssil vivo" é um termo informal,
frequentemente utilizado em textos não
científicos, para designar organismos
pertencentes a grupos biológicos atuais que
são os únicos representantes de grupos que
foram bem mais abundantes e diversificados
no passado geológico da Terra.
PSEUDOFÓSSEIS
 Os chamados "pseudofósseis" (do grego
pseudós, falso + fóssil) não são fósseis. São
designados "pseudofósseis" (ou seja, "falsos
fósseis") apenas por serem objetos
geológicos que fazem lembrar estruturas
orgânicas fossilizadas.
COMO UM DINOSSAURO SE TORNA NUM FÓSSIL
1 - Ao morrer o corpo do dinossauro
pode cair ou ser levado para um rio.
2 - O corpo conserva-se no fundo e
a carne decompõe-se
progressivamente.
 3 - Aos poucos, o esqueleto vai sendo
enterrado na lama, e os minerais da água
invadem os ossos e assim os conservam.
Passados milhões de anos, a lama se
estratifica e se transforma em rocha.
 O esqueleto torna-se em fóssil.
4 - Milhões de anos atrás, o nível do mar
era mais alto. O vento e a chuva lavaram
a rocha, revelando o fóssil, prova da
existência dos dinossauros.
Os fósseis podem fornecer informações sobre:
Os seres vivos do passado e a sua evolução;
Os climas do passado (paleoclimas);
Os ambientes que existiram no passado;
A idade das rochas.
CURIOSIDADE
Qual é o fóssil mais antigo ?
Sabes qual é o fóssil mais antigo de que se tem registo no mundo? A resposta
pode te surpreender, mas não se trata de um dinossauro. O título pertence a
um caracol chamado Kimberella, que viveu há 555 milhões em áreas onde hoje
se localizam Austrália e Rússia (os primeiros dinossauros, bem mais jovens,
datam de apenas 230 milhões de anos atrás).
C
O
N
C
L
U
S
Ã
O
♬
Nós Gostamos muito de ter elaborado este
trabalho, porque foi um tema que pela qual
nunca tínhamos abordado, então, foi um
trabalho diferente e muito original. ツ
Como os fósseis contam a história da Terra

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tipos De Fossilização
Tipos De FossilizaçãoTipos De Fossilização
Tipos De Fossilizaçãoguest876707
 
Fosseis E DataçãO Das Rochas
Fosseis E DataçãO Das RochasFosseis E DataçãO Das Rochas
Fosseis E DataçãO Das RochasSérgio Luiz
 
Trabalho sobre fósseis 7ºano
Trabalho sobre fósseis 7ºanoTrabalho sobre fósseis 7ºano
Trabalho sobre fósseis 7ºanoHizqeelMajoka
 
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absolutaO tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absolutaAna Castro
 
BioGeo11-classificação das rochas sedimentares
BioGeo11-classificação das rochas sedimentaresBioGeo11-classificação das rochas sedimentares
BioGeo11-classificação das rochas sedimentaresRita Rainho
 
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
Geologia 11   rochas sedimentares  - detríticasGeologia 11   rochas sedimentares  - detríticas
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticasNuno Correia
 
Os minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasOs minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasCatir
 
6 dobras e falhas
6   dobras e falhas6   dobras e falhas
6 dobras e falhasmargaridabt
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentaresTânia Reis
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentaresCatir
 
Os fósseis
Os fósseisOs fósseis
Os fósseisCatir
 
7 rochas metamórficas
7   rochas metamórficas7   rochas metamórficas
7 rochas metamórficasmargaridabt
 
Rochas sedimentares classificação quimiogénicas
Rochas sedimentares  classificação quimiogénicasRochas sedimentares  classificação quimiogénicas
Rochas sedimentares classificação quimiogénicasIsabel Lopes
 
Geologia 11 rochas sedimentares - biogénicos
Geologia 11   rochas sedimentares  - biogénicosGeologia 11   rochas sedimentares  - biogénicos
Geologia 11 rochas sedimentares - biogénicosNuno Correia
 
01 FormaçãO De SequêNcias De Estratos Tc0910
01 FormaçãO De SequêNcias De Estratos Tc091001 FormaçãO De SequêNcias De Estratos Tc0910
01 FormaçãO De SequêNcias De Estratos Tc0910Teresa Monteiro
 

Mais procurados (20)

Fósseis de Fácies
Fósseis de FáciesFósseis de Fácies
Fósseis de Fácies
 
Tipos De Fossilização
Tipos De FossilizaçãoTipos De Fossilização
Tipos De Fossilização
 
Fosseis E DataçãO Das Rochas
Fosseis E DataçãO Das RochasFosseis E DataçãO Das Rochas
Fosseis E DataçãO Das Rochas
 
XIII - FÓSSEIS
XIII - FÓSSEISXIII - FÓSSEIS
XIII - FÓSSEIS
 
Trabalho sobre fósseis 7ºano
Trabalho sobre fósseis 7ºanoTrabalho sobre fósseis 7ºano
Trabalho sobre fósseis 7ºano
 
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absolutaO tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
 
BioGeo11-classificação das rochas sedimentares
BioGeo11-classificação das rochas sedimentaresBioGeo11-classificação das rochas sedimentares
BioGeo11-classificação das rochas sedimentares
 
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
Geologia 11   rochas sedimentares  - detríticasGeologia 11   rochas sedimentares  - detríticas
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
 
Os minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasOs minerais e as suas características
Os minerais e as suas características
 
6 dobras e falhas
6   dobras e falhas6   dobras e falhas
6 dobras e falhas
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
CN7 - Fósseis
CN7 - FósseisCN7 - Fósseis
CN7 - Fósseis
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
Os fósseis
Os fósseisOs fósseis
Os fósseis
 
7 rochas metamórficas
7   rochas metamórficas7   rochas metamórficas
7 rochas metamórficas
 
Powerpoint Rochas
Powerpoint   RochasPowerpoint   Rochas
Powerpoint Rochas
 
Fosseis
FosseisFosseis
Fosseis
 
Rochas sedimentares classificação quimiogénicas
Rochas sedimentares  classificação quimiogénicasRochas sedimentares  classificação quimiogénicas
Rochas sedimentares classificação quimiogénicas
 
Geologia 11 rochas sedimentares - biogénicos
Geologia 11   rochas sedimentares  - biogénicosGeologia 11   rochas sedimentares  - biogénicos
Geologia 11 rochas sedimentares - biogénicos
 
01 FormaçãO De SequêNcias De Estratos Tc0910
01 FormaçãO De SequêNcias De Estratos Tc091001 FormaçãO De SequêNcias De Estratos Tc0910
01 FormaçãO De SequêNcias De Estratos Tc0910
 

Destaque

Estudo dos fósseis - Introdução
Estudo dos fósseis - IntroduçãoEstudo dos fósseis - Introdução
Estudo dos fósseis - IntroduçãoNuno Correia
 
Etapas da História da Vida - Mesozóico
Etapas da História da Vida - MesozóicoEtapas da História da Vida - Mesozóico
Etapas da História da Vida - MesozóicoCatir
 
Etapas da História da Vida - Cenozóico
Etapas da História da Vida - CenozóicoEtapas da História da Vida - Cenozóico
Etapas da História da Vida - CenozóicoCatir
 
El esqueleto humano
El esqueleto humanoEl esqueleto humano
El esqueleto humanorp1039
 
Trabalho teoria da evolução
Trabalho teoria da evoluçãoTrabalho teoria da evolução
Trabalho teoria da evoluçãoLair Guedes Silva
 
Etapas da História da Vida - Paleozóico
Etapas da História da Vida - PaleozóicoEtapas da História da Vida - Paleozóico
Etapas da História da Vida - PaleozóicoCatir
 
Etapas da História da Vida - Pré-Câmbrico
Etapas da História da Vida - Pré-CâmbricoEtapas da História da Vida - Pré-Câmbrico
Etapas da História da Vida - Pré-CâmbricoCatir
 
Tempo Geológico - Etapas da História da Vida
Tempo Geológico - Etapas da História da VidaTempo Geológico - Etapas da História da Vida
Tempo Geológico - Etapas da História da VidaCatir
 
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoMaria Freitas
 
Evolução dos dinossauros
Evolução dos dinossaurosEvolução dos dinossauros
Evolução dos dinossauros' Paan
 
Relatorio de Simulação de Processos de Fossilização
Relatorio de Simulação de Processos de FossilizaçãoRelatorio de Simulação de Processos de Fossilização
Relatorio de Simulação de Processos de Fossilizaçãokyzinha
 
Relatório científico formação de fósseis
Relatório científico   formação de fósseisRelatório científico   formação de fósseis
Relatório científico formação de fósseisantoniopedropinheiro
 

Destaque (20)

Trabalho de fosseis
Trabalho de fosseisTrabalho de fosseis
Trabalho de fosseis
 
Estudo dos fósseis - Introdução
Estudo dos fósseis - IntroduçãoEstudo dos fósseis - Introdução
Estudo dos fósseis - Introdução
 
Trabalho de Ciências
Trabalho de CiênciasTrabalho de Ciências
Trabalho de Ciências
 
Etapas da História da Vida - Mesozóico
Etapas da História da Vida - MesozóicoEtapas da História da Vida - Mesozóico
Etapas da História da Vida - Mesozóico
 
Etapas da História da Vida - Cenozóico
Etapas da História da Vida - CenozóicoEtapas da História da Vida - Cenozóico
Etapas da História da Vida - Cenozóico
 
El esqueleto humano
El esqueleto humanoEl esqueleto humano
El esqueleto humano
 
Fósseis
FósseisFósseis
Fósseis
 
Trabalho teoria da evolução
Trabalho teoria da evoluçãoTrabalho teoria da evolução
Trabalho teoria da evolução
 
Etapas da História da Vida - Paleozóico
Etapas da História da Vida - PaleozóicoEtapas da História da Vida - Paleozóico
Etapas da História da Vida - Paleozóico
 
Etapas da História da Vida - Pré-Câmbrico
Etapas da História da Vida - Pré-CâmbricoEtapas da História da Vida - Pré-Câmbrico
Etapas da História da Vida - Pré-Câmbrico
 
Tempo Geológico - Etapas da História da Vida
Tempo Geológico - Etapas da História da VidaTempo Geológico - Etapas da História da Vida
Tempo Geológico - Etapas da História da Vida
 
Fósseis....
Fósseis....Fósseis....
Fósseis....
 
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 3ºTeste - 2ºPeríodo
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Os dinossauros
Os dinossaurosOs dinossauros
Os dinossauros
 
Evolução dos dinossauros
Evolução dos dinossaurosEvolução dos dinossauros
Evolução dos dinossauros
 
Fosseis
FosseisFosseis
Fosseis
 
Relatorio de Simulação de Processos de Fossilização
Relatorio de Simulação de Processos de FossilizaçãoRelatorio de Simulação de Processos de Fossilização
Relatorio de Simulação de Processos de Fossilização
 
Relatório científico formação de fósseis
Relatório científico   formação de fósseisRelatório científico   formação de fósseis
Relatório científico formação de fósseis
 
Os dinossauros
Os dinossauros Os dinossauros
Os dinossauros
 

Semelhante a Como os fósseis contam a história da Terra

Fósseis - Alinne Borges
Fósseis - Alinne BorgesFósseis - Alinne Borges
Fósseis - Alinne Borges7 de Setembro
 
P Pdo Jant..[1]
P Pdo Jant..[1]P Pdo Jant..[1]
P Pdo Jant..[1]8ºC
 
P Pdo Jant..[1]
P Pdo Jant..[1]P Pdo Jant..[1]
P Pdo Jant..[1]8ºC
 
P Pdo Jant..
P Pdo Jant..P Pdo Jant..
P Pdo Jant..8ºC
 
CiêNcias Naturais
CiêNcias NaturaisCiêNcias Naturais
CiêNcias Naturais8ºC
 
A Terra conta a sua História
A Terra conta a sua HistóriaA Terra conta a sua História
A Terra conta a sua HistóriaLucca
 
A Terra conta a sua história
A Terra conta a sua históriaA Terra conta a sua história
A Terra conta a sua históriaLeonardo Alves
 
Os Fósseis e a História da Terra
Os Fósseis e a História da TerraOs Fósseis e a História da Terra
Os Fósseis e a História da TerraIsabel Lopes
 
À Descoberta dos fósseis
À Descoberta dos fósseisÀ Descoberta dos fósseis
À Descoberta dos fósseisDaniela Oliveira
 
A Terra conta a sua história
A Terra conta a sua históriaA Terra conta a sua história
A Terra conta a sua históriaGabriela Bruno
 
FóSseis Cristelo
FóSseis CristeloFóSseis Cristelo
FóSseis CristeloTânia Reis
 

Semelhante a Como os fósseis contam a história da Terra (20)

Fósseis - Alinne Borges
Fósseis - Alinne BorgesFósseis - Alinne Borges
Fósseis - Alinne Borges
 
P Pdo Jant..[1]
P Pdo Jant..[1]P Pdo Jant..[1]
P Pdo Jant..[1]
 
P Pdo Jant..[1]
P Pdo Jant..[1]P Pdo Jant..[1]
P Pdo Jant..[1]
 
P Pdo Jant..
P Pdo Jant..P Pdo Jant..
P Pdo Jant..
 
CiêNcias Naturais
CiêNcias NaturaisCiêNcias Naturais
CiêNcias Naturais
 
Fosseis
FosseisFosseis
Fosseis
 
Fosseis
FosseisFosseis
Fosseis
 
A Terra conta a sua História
A Terra conta a sua HistóriaA Terra conta a sua História
A Terra conta a sua História
 
Fósseis
FósseisFósseis
Fósseis
 
A Terra conta a sua história
A Terra conta a sua históriaA Terra conta a sua história
A Terra conta a sua história
 
Os Fósseis e a História da Terra
Os Fósseis e a História da TerraOs Fósseis e a História da Terra
Os Fósseis e a História da Terra
 
Fósseis joão santos.pptx
Fósseis joão santos.pptxFósseis joão santos.pptx
Fósseis joão santos.pptx
 
À Descoberta dos fósseis
À Descoberta dos fósseisÀ Descoberta dos fósseis
À Descoberta dos fósseis
 
7º 2.1.
7º 2.1.7º 2.1.
7º 2.1.
 
A Terra conta a sua história
A Terra conta a sua históriaA Terra conta a sua história
A Terra conta a sua história
 
FóSseis Cristelo
FóSseis CristeloFóSseis Cristelo
FóSseis Cristelo
 
01 Fosseis Tc 0910
01 Fosseis Tc 091001 Fosseis Tc 0910
01 Fosseis Tc 0910
 
Os fosseis.
Os fosseis.Os fosseis.
Os fosseis.
 
Fosseis
Fosseis Fosseis
Fosseis
 
Apresentação powerpoint fósseis
Apresentação powerpoint fósseisApresentação powerpoint fósseis
Apresentação powerpoint fósseis
 

Mais de Maria Freitas

The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...Maria Freitas
 
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg... “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...Maria Freitas
 
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Maria Freitas
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Maria Freitas
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Maria Freitas
 
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoLista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoMaria Freitas
 
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Maria Freitas
 
Doenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoDoenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoMaria Freitas
 
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Maria Freitas
 
Análise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauAnálise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauMaria Freitas
 
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoObjetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodoObjetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodoMaria Freitas
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Maria Freitas
 
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueTrabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueMaria Freitas
 

Mais de Maria Freitas (20)

The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
The Virgin Suicides - "Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first perso...
 
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg... “Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
“Why does Jeffrey Eugenides’ narrate in the first person plural?” - The Virg...
 
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
Trabalho de TIC - «Os Perigos da Internet»
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº2 (10ºAno)
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
Objetivos Psicologia - Teste Nº4 (12ºAno)
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
 
Objetivos Filosofia
Objetivos FilosofiaObjetivos Filosofia
Objetivos Filosofia
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº3 (9ºAno)
 
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º AnoLista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
Lista de Objetivos N.º 1 - Ciências Naturais 9.º Ano
 
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
 
Doenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema NervosoDoenças do Sistema Nervoso
Doenças do Sistema Nervoso
 
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)Análise Poema - A Última Nau (Guião)
Análise Poema - A Última Nau (Guião)
 
Análise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última NauAnálise do Poema - A Última Nau
Análise do Poema - A Última Nau
 
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodoObjetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
Objetivos de História - 5º Teste - 3ºPeríodo
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
 
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodoObjetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
Objetivos de História - 2º Teste - 1ºPeríodo
 
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
Objetivos de Geografia - Teste Nº4 (9ºAno)
 
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre MoçambiqueTrabalho de Geografia sobre Moçambique
Trabalho de Geografia sobre Moçambique
 

Último

Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 

Como os fósseis contam a história da Terra

  • 1. “A TERRA CONTA A SUA HISTÓRIA” Trabalho realizado por:
  • 2. O QUE SÃO FÓSSEIS?  Fósseis são restos de seres vivos ou vestígios da sua atividade conservados em rochas cuja formação foi contemporâne a a esses seres.
  • 3. TIPOS DE FOSSEIS Existem dois tipos de fósseis: os somatofósseis e os icnofósseis. Somatofóssil: Fóssil de restos corporais de organismos do passado. Icnofóssil: Fóssil de vestígios de atividade biológica de organismos do passado
  • 4. PROCESSOS DE FOSSILIZAÇÃO Mumificação ou conservação A mumificação é o mais raro processo de fossilização. Pode ser: Total - Quando o ser vivo é envolvido por uma substância impermeável que impede a sua decomposição. Por exemplo: resina, gelo, âmbar… Parcial - Quando as formações duras dos organismos permanecem incluídas nas rochas por resistirem à decomposição. Por exemplo: carapaças, conchas…
  • 5. MINERALIZAÇÃO Este processo, consiste completamente na substituição gradual dos restos orgânicos de um ser vivo por matéria mineral, rocha, ou na formação de um molde desses restos, mantendo com alguma perfeição as características do ser.
  • 6. MOLDAGEM Consiste no desaparecimento total das partes moles e duras do ser vivo, ficando nas rochas um molde das suas partes duras. O molde pode ser: Molde externo - quando a parte exterior do ser vivo desaparece deixando a sua forma gravada nas rochas que o envolveram. Molde interno - os sedimentos entram no interior da parte dura e quando esta desaparece fica o molde da parte interna.
  • 7. MARCAS  É o tipo de fossilização mais abundante em que permanecem vestígios deixados pelos seres vivos, uma vez que é o mais fácil e simples de aparecer. Exemplos: pegadas, ovos…
  • 8. RECRISTALIZAÇÃO  Ocorre um rearranjo da estrutura do ser, ficando assim com mais estabilidade.
  • 9. CARBONIFICAÇÃO Sucede quando se dá perda de substâncias voláteis, restando apenas uma película de carbono. É mais frequente surgir em restos de seres vivos que contêm quitina, celulose ou queratina.
  • 10. INCRUSTAÇÃO Ocorre quando substâncias trazidas pelas águas se infiltram no subsolo e se depositam à volta do fóssil, revestindo-o.
  • 11. Moldes e traços de fósseis Um molde de fóssil é formado por fluidos infiltrados que dissolvem os restos de um organismo, criando um buraco na rocha . Se esse buraco for preenchido com minerais, é chamado de molde fóssil. Se o enterro do organismo for rápido, são grandes as chances de que até mesmo as impressões de tecidos moles permaneçam. Traços fósseis são os restos de caminhos, enterros, pegadas, ovos, conchas, ninhos e fezes . Os últimos, chamados coprólitos, podem fornecer uma ideia da alimentação do animal, tendo assim, grande importância.
  • 12. FÓSSEIS EM RESINA  Fósseis conservados em resina são um exemplo de mumificação. Animais menores, como insectos, aranhas e pequenos lagartos, quando presos em resina ou âmbar, que é produzido por certas árvores, ficam praticamente intactos por milhares de anos.
  • 13. FÓSSIL VIVO  "Fóssil vivo" é um termo informal, frequentemente utilizado em textos não científicos, para designar organismos pertencentes a grupos biológicos atuais que são os únicos representantes de grupos que foram bem mais abundantes e diversificados no passado geológico da Terra.
  • 14. PSEUDOFÓSSEIS  Os chamados "pseudofósseis" (do grego pseudós, falso + fóssil) não são fósseis. São designados "pseudofósseis" (ou seja, "falsos fósseis") apenas por serem objetos geológicos que fazem lembrar estruturas orgânicas fossilizadas.
  • 15. COMO UM DINOSSAURO SE TORNA NUM FÓSSIL 1 - Ao morrer o corpo do dinossauro pode cair ou ser levado para um rio.
  • 16. 2 - O corpo conserva-se no fundo e a carne decompõe-se progressivamente.
  • 17.  3 - Aos poucos, o esqueleto vai sendo enterrado na lama, e os minerais da água invadem os ossos e assim os conservam. Passados milhões de anos, a lama se estratifica e se transforma em rocha.  O esqueleto torna-se em fóssil.
  • 18. 4 - Milhões de anos atrás, o nível do mar era mais alto. O vento e a chuva lavaram a rocha, revelando o fóssil, prova da existência dos dinossauros.
  • 19. Os fósseis podem fornecer informações sobre: Os seres vivos do passado e a sua evolução; Os climas do passado (paleoclimas); Os ambientes que existiram no passado; A idade das rochas.
  • 20. CURIOSIDADE Qual é o fóssil mais antigo ? Sabes qual é o fóssil mais antigo de que se tem registo no mundo? A resposta pode te surpreender, mas não se trata de um dinossauro. O título pertence a um caracol chamado Kimberella, que viveu há 555 milhões em áreas onde hoje se localizam Austrália e Rússia (os primeiros dinossauros, bem mais jovens, datam de apenas 230 milhões de anos atrás).
  • 21. C O N C L U S Ã O ♬ Nós Gostamos muito de ter elaborado este trabalho, porque foi um tema que pela qual nunca tínhamos abordado, então, foi um trabalho diferente e muito original. ツ