SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Para muitas espécies de animais, o macho serve para reproduzir e depois
quem cuida dos filhotes é a mãe. Mas existem muitos casos onde o macho é
um exemplo de pai e, às vezes, é mais importante para o crescimento dos
filhotes que a mãe.
O instinto paterno define-se pelo cuidado com os filhos para
prolongar a espécie. É assim com humanos, e também é
assim na natureza. Veja animais machos que são exemplo
como pais.
Gorila-das-montanhas
O diferencial dos primatas (como os gorilas, babuínos e chimpanzés) é a criação
compartilhada. " O primata possui muitas múltiplas tarefas, como a educação da
prole e aprendizado por observação das ações dos pais". "É comum observarmos
em vários trabalhos chimpanzés ensinando suas crias da utilização de
ferramentas para obtenção do alimento ou, no caso dos saguis, onde uma das
principais tarefas é ajudar a fêmea, no transporte do filhote."
Leão africano
Os leões são o único grupo de felinos com comportamento social. A tarefa de
cuidar dos filhotes fica a cargo da mãe. Porém, o pai se faz muito presente.
Quando adolescentes, os filhotes agem junto ao pai na defesa do grupo. Faz a
linha de pai turrão, pois nas refeições é sempre o primeiro a comer e deixa a
criação dos filhotes inteiramente para mãe. Somente quando sua família é
ameaçada que o "paizão" dá as caras.
Corujão-orelhudo
O macho da espécie de coruja Bubo virginianus é um pai trabalhador e
presente. A mãe fica no ninho cuidando dos filhotes e o pai provê comida e
proteção. "Observa-se em muitos casos a permanência por longo período da
fêmea na toca cuidando de suas crias, sendo alimentada e cuidada pelo
macho, que se preocupa em trazer o alimento para a fêmea que fica
impossibilitada de se alimentar", diz a bióloga Mara.
Raposa vermelha
Segundo a revista National Geographic, os machos são pais atenciosos, que
brincam bastante com suas crias e levam alimento para toda a família. Após 3
meses de vida, os filhotes precisam encontrar sua própria comida. Entretanto, o pai
não deixa seus filhos passarem fome e esconde comida nas proximidades para
ajudar no ensino de farejar uma refeição. É um caso raro na natureza, conforme
explica a bióloga: "os cuidados que o macho pode fornecer são escassos e este
acaba, na maior parte das espécies, por abandonar a parceira em busca de novas
oportunidades de acasalamento."
Pinguim-imperador
Estes pais assumem o papel de mãe logo após ela colocar o ovo. Enquanto a fêmea
vai para o mar se alimentar, os machos mantêm o ovo aquecido. De pé, os pais
protegem e balançam o ovo. Neste período, que dura cerca de 2 meses, o macho
não se alimenta. E o papel de mãe do pinguim-imperador macho continua após o
filhote nascer. Quem amamenta a cria é o macho, dando-lhe leite de uma glândula
em seu esôfago. Ao retornar ao ninho, a mãe regurgita para o recém-nascido a
comida pescada no período fora e o macho sai para seu próprio período de
alimentação no mar.
Flamingo
Este animal se mantém monogâmico por toda sua vida, e mostra que quem
manda é a fêmea: é ela que escolhe o local para o ninho e é ele quem constrói.
Ambos se revezam na incubação do ovo e na defesa do ninho. A criação do
filhote também é compartilhada entre o casal.
Ema
Os machos de Ema não são fieis, tendo um harém de mais de 15 fêmeas, que
também não são fieis. Porém, não podem ser julgados como péssimos pais. O
macho constrói o ninho e convida as fêmeas de seu harém para depositar os ovos -
de 25 a 50. Depois de feito isso, elas saem em busca de novos parceiros e a tarefa
de incubação fica a cargo do pai. Durante seis meses, o macho come pouco e
raramente deixa o ninho. A criação também fica inteiramente por sua conta.
Cavalo-marinho
O cavalo-marinho pode não ser um pai zeloso, mas isso não o exclui da lista de
melhores pais da natureza. O macho possui uma característica atípica: dar à luz. A
fêmea deposita os ovos na bolsa incubadora, presente no ventre do pai. Os ovos
são fertilizados e carregados pelo macho até eclodirem. Devido a isso, nada mais
justo do que uma cadeira cativa na lista de bons pais.
Fonte
http://noticias.terra.com.br/ciencia/conheca-especies-nas-quais-o-m
acho-e-exemplo-de-pai,20980665632da310VgnCLD200000bbcceb0
aRCRD.html?vgnextfmt=fmtExpandedPics

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Ranário meb rã
Ranário meb rãRanário meb rã
Ranário meb rã
 
Afigranja
AfigranjaAfigranja
Afigranja
 
Ranicultura
RaniculturaRanicultura
Ranicultura
 
Formigas
FormigasFormigas
Formigas
 
Biologia Dos Vertebrados- EEMAK- Gravatal- SC
Biologia Dos Vertebrados- EEMAK- Gravatal- SCBiologia Dos Vertebrados- EEMAK- Gravatal- SC
Biologia Dos Vertebrados- EEMAK- Gravatal- SC
 
Térmitas
TérmitasTérmitas
Térmitas
 
Gafanhoto
GafanhotoGafanhoto
Gafanhoto
 
Abelhas
AbelhasAbelhas
Abelhas
 
Gafanhoto
GafanhotoGafanhoto
Gafanhoto
 
Formigas
FormigasFormigas
Formigas
 
Formigas
FormigasFormigas
Formigas
 
Ring Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.com
Ring Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.comRing Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.com
Ring Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.com
 
Gambás
GambásGambás
Gambás
 
Reproduçao animais
Reproduçao animaisReproduçao animais
Reproduçao animais
 
Abelhas
AbelhasAbelhas
Abelhas
 
Agapornis
AgapornisAgapornis
Agapornis
 
Abelhas
AbelhasAbelhas
Abelhas
 
Formigas
FormigasFormigas
Formigas
 
Animais mais fofos do mundo
Animais mais fofos do mundoAnimais mais fofos do mundo
Animais mais fofos do mundo
 
Abelhas
AbelhasAbelhas
Abelhas
 

Semelhante a Sonia amaral pais.ppt (20)

Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfosProdução e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfos
 
Douglas e ketly
Douglas e ketlyDouglas e ketly
Douglas e ketly
 
Canguru 2º B
Canguru 2º BCanguru 2º B
Canguru 2º B
 
Gabriel pozato
Gabriel pozatoGabriel pozato
Gabriel pozato
 
Testes de adaptação
Testes de adaptaçãoTestes de adaptação
Testes de adaptação
 
Panda Programa Animal
Panda Programa AnimalPanda Programa Animal
Panda Programa Animal
 
Guepardo 1 A
Guepardo 1 AGuepardo 1 A
Guepardo 1 A
 
Calopsita noturno 3 e
Calopsita noturno 3 eCalopsita noturno 3 e
Calopsita noturno 3 e
 
Reprodução nos Animais
 Reprodução nos Animais Reprodução nos Animais
Reprodução nos Animais
 
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraInsetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
 
Telecurso 2000 aula 46 cuidando dos filhotes
Telecurso 2000 aula 46   cuidando dos filhotesTelecurso 2000 aula 46   cuidando dos filhotes
Telecurso 2000 aula 46 cuidando dos filhotes
 
Formigas @bio noturno 3 e
Formigas @bio noturno  3 eFormigas @bio noturno  3 e
Formigas @bio noturno 3 e
 
Adaptações reprodutivas
Adaptações reprodutivasAdaptações reprodutivas
Adaptações reprodutivas
 
Ema - Rhea americana
Ema - Rhea americanaEma - Rhea americana
Ema - Rhea americana
 
Tipos de reproduçao dos animais
Tipos de reproduçao dos animaisTipos de reproduçao dos animais
Tipos de reproduçao dos animais
 
Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicas
 
animais oviparos viviparo
animais oviparos viviparoanimais oviparos viviparo
animais oviparos viviparo
 
PPs sobre Mamíferos- 6B
PPs sobre Mamíferos- 6BPPs sobre Mamíferos- 6B
PPs sobre Mamíferos- 6B
 
Mamíferos e suas demais classificações
Mamíferos e suas demais classificaçõesMamíferos e suas demais classificações
Mamíferos e suas demais classificações
 
Reino Mamalia
Reino MamaliaReino Mamalia
Reino Mamalia
 

Mais de Sonia Amaral

Continuação da história da subtração centenas
Continuação da história da subtração   centenasContinuação da história da subtração   centenas
Continuação da história da subtração centenasSonia Amaral
 
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livroLeitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livroSonia Amaral
 
Vebos ilustrados jogo
Vebos ilustrados  jogoVebos ilustrados  jogo
Vebos ilustrados jogoSonia Amaral
 
Projeto brasil verde
Projeto brasil verde Projeto brasil verde
Projeto brasil verde Sonia Amaral
 
Bingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de históriasBingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de históriasSonia Amaral
 
Historia em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividadesHistoria em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividadesSonia Amaral
 
Atividades com os continentes olimpiada 2016
Atividades com os continentes   olimpiada 2016Atividades com os continentes   olimpiada 2016
Atividades com os continentes olimpiada 2016Sonia Amaral
 
Tocha olímpica rio 2016
Tocha olímpica   rio 2016Tocha olímpica   rio 2016
Tocha olímpica rio 2016Sonia Amaral
 
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016Sonia Amaral
 
Produção de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciapeProdução de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciapeSonia Amaral
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSonia Amaral
 
Especial dia dos namorados
Especial dia dos namoradosEspecial dia dos namorados
Especial dia dos namoradosSonia Amaral
 
Chapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelhoChapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelhoSonia Amaral
 
Personagens do rio
Personagens do rioPersonagens do rio
Personagens do rioSonia Amaral
 
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.Sonia Amaral
 
Rio em prosa e verso
Rio em prosa e versoRio em prosa e verso
Rio em prosa e versoSonia Amaral
 

Mais de Sonia Amaral (20)

Continuação da história da subtração centenas
Continuação da história da subtração   centenasContinuação da história da subtração   centenas
Continuação da história da subtração centenas
 
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livroLeitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
 
Vebos ilustrados jogo
Vebos ilustrados  jogoVebos ilustrados  jogo
Vebos ilustrados jogo
 
Projeto brasil verde
Projeto brasil verde Projeto brasil verde
Projeto brasil verde
 
Jogo do chapeu
Jogo do chapeuJogo do chapeu
Jogo do chapeu
 
Bingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de históriasBingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de histórias
 
Historia em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividadesHistoria em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividades
 
Atividades com os continentes olimpiada 2016
Atividades com os continentes   olimpiada 2016Atividades com os continentes   olimpiada 2016
Atividades com os continentes olimpiada 2016
 
Tocha olímpica rio 2016
Tocha olímpica   rio 2016Tocha olímpica   rio 2016
Tocha olímpica rio 2016
 
Mascotes rio 2016
Mascotes  rio 2016Mascotes  rio 2016
Mascotes rio 2016
 
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
 
Produção de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciapeProdução de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciape
 
Provérbios
ProvérbiosProvérbios
Provérbios
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amarelo
 
Especial dia dos namorados
Especial dia dos namoradosEspecial dia dos namorados
Especial dia dos namorados
 
Chapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelhoChapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelho
 
Favelas
FavelasFavelas
Favelas
 
Personagens do rio
Personagens do rioPersonagens do rio
Personagens do rio
 
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
 
Rio em prosa e verso
Rio em prosa e versoRio em prosa e verso
Rio em prosa e verso
 

Último

atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.pptDaniloConceiodaSilva
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxLuisCarlosAlves10
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 

Último (20)

atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 

Sonia amaral pais.ppt

  • 1. Para muitas espécies de animais, o macho serve para reproduzir e depois quem cuida dos filhotes é a mãe. Mas existem muitos casos onde o macho é um exemplo de pai e, às vezes, é mais importante para o crescimento dos filhotes que a mãe. O instinto paterno define-se pelo cuidado com os filhos para prolongar a espécie. É assim com humanos, e também é assim na natureza. Veja animais machos que são exemplo como pais.
  • 2. Gorila-das-montanhas O diferencial dos primatas (como os gorilas, babuínos e chimpanzés) é a criação compartilhada. " O primata possui muitas múltiplas tarefas, como a educação da prole e aprendizado por observação das ações dos pais". "É comum observarmos em vários trabalhos chimpanzés ensinando suas crias da utilização de ferramentas para obtenção do alimento ou, no caso dos saguis, onde uma das principais tarefas é ajudar a fêmea, no transporte do filhote."
  • 3. Leão africano Os leões são o único grupo de felinos com comportamento social. A tarefa de cuidar dos filhotes fica a cargo da mãe. Porém, o pai se faz muito presente. Quando adolescentes, os filhotes agem junto ao pai na defesa do grupo. Faz a linha de pai turrão, pois nas refeições é sempre o primeiro a comer e deixa a criação dos filhotes inteiramente para mãe. Somente quando sua família é ameaçada que o "paizão" dá as caras.
  • 4. Corujão-orelhudo O macho da espécie de coruja Bubo virginianus é um pai trabalhador e presente. A mãe fica no ninho cuidando dos filhotes e o pai provê comida e proteção. "Observa-se em muitos casos a permanência por longo período da fêmea na toca cuidando de suas crias, sendo alimentada e cuidada pelo macho, que se preocupa em trazer o alimento para a fêmea que fica impossibilitada de se alimentar", diz a bióloga Mara.
  • 5. Raposa vermelha Segundo a revista National Geographic, os machos são pais atenciosos, que brincam bastante com suas crias e levam alimento para toda a família. Após 3 meses de vida, os filhotes precisam encontrar sua própria comida. Entretanto, o pai não deixa seus filhos passarem fome e esconde comida nas proximidades para ajudar no ensino de farejar uma refeição. É um caso raro na natureza, conforme explica a bióloga: "os cuidados que o macho pode fornecer são escassos e este acaba, na maior parte das espécies, por abandonar a parceira em busca de novas oportunidades de acasalamento."
  • 6. Pinguim-imperador Estes pais assumem o papel de mãe logo após ela colocar o ovo. Enquanto a fêmea vai para o mar se alimentar, os machos mantêm o ovo aquecido. De pé, os pais protegem e balançam o ovo. Neste período, que dura cerca de 2 meses, o macho não se alimenta. E o papel de mãe do pinguim-imperador macho continua após o filhote nascer. Quem amamenta a cria é o macho, dando-lhe leite de uma glândula em seu esôfago. Ao retornar ao ninho, a mãe regurgita para o recém-nascido a comida pescada no período fora e o macho sai para seu próprio período de alimentação no mar.
  • 7. Flamingo Este animal se mantém monogâmico por toda sua vida, e mostra que quem manda é a fêmea: é ela que escolhe o local para o ninho e é ele quem constrói. Ambos se revezam na incubação do ovo e na defesa do ninho. A criação do filhote também é compartilhada entre o casal.
  • 8. Ema Os machos de Ema não são fieis, tendo um harém de mais de 15 fêmeas, que também não são fieis. Porém, não podem ser julgados como péssimos pais. O macho constrói o ninho e convida as fêmeas de seu harém para depositar os ovos - de 25 a 50. Depois de feito isso, elas saem em busca de novos parceiros e a tarefa de incubação fica a cargo do pai. Durante seis meses, o macho come pouco e raramente deixa o ninho. A criação também fica inteiramente por sua conta.
  • 9. Cavalo-marinho O cavalo-marinho pode não ser um pai zeloso, mas isso não o exclui da lista de melhores pais da natureza. O macho possui uma característica atípica: dar à luz. A fêmea deposita os ovos na bolsa incubadora, presente no ventre do pai. Os ovos são fertilizados e carregados pelo macho até eclodirem. Devido a isso, nada mais justo do que uma cadeira cativa na lista de bons pais.